Universidade federal da paraíba centro de ciências humanas, letras e artes departamento de letras clássicas e vernáculas licenciatura em letras/LÍngua brasileira de sinais modalidade: educaçÃo a distância



Baixar 0.53 Mb.
Página3/8
Encontro18.09.2019
Tamanho0.53 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8

BIBLIOGRAFIA


AUSTIN, J. L. _____. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Porto Alegre: Artes Médicas,1990.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I.2ª ed. Campinas, SP: Pontes, 1989.

_____. Problemas de linguística geral II. Campinas, SP: Pontes, 1989.

DASCAL, M. (org.) Fundamentos metodológicos da linguística: Semântica. Vol. III, Campinas, UNICAMP, 1982.

DUCROT, Oswald. Princípios de Semântica Linguística: dizer e não dizer. São Paulo: Cultrix,1977.

ILARI et alii. Semântica. São Paulo: Ática, 1992.

MOURA, H. Significação e Contexto – Uma introdução a questões de semântica e pragmática. Florianópolis: Insular, 1999.

QUADROS, Ronice Muller; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

VOGT, Carlos. Linguagem, Pragmática e Ideologia. São Paulo: Editora Hucitec/Funcamp, 1980.

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/7127/1/Da-Linguistica-a-Pragmatica/pagina1.html#ixzz1IebBXYmc





LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO I


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa: Concepções de leitura. A relação leitor, texto e autor. Reflexões teórico-práticas: abordagem de diferentes gêneros textuais/discursivos.

BIBLIOGRAFIA

 

BAHKTIN, M. [1979]. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 



ROJO, R. H. (org.) A Prática de Linguagem em Sala de Aula – praticando os PCN. São Paulo: EDUC; Campinas, SP: Mercado de Letras, 2000. 

BIASI‐RODRIGUES, Bernadete. A diversidade de gêneros textuais no ensino: um novo modismo? In: Perspectiva, Florianópolis, v.20, n.01, 2002, p.49‐73 

BRASIL. SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Brasília, MEC/SEF, 1997. 

BRONCKART, Jean‐Paul. Atividades de linguagem, textos e discursos. São Paulo: Educ, 1999. 

LAJOLO, M. e ZILBERMAN, R.  A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1998. 

FARIA, Sandra Patrícia de. Ao pé da letra, não! mitos que permeiam o ensino da leitura para surdos. In: Quadros, Ronice Müller (org.). Estudos surdos. [Petrópolis, RJ] : Arara Azul, 2006.

MANGUEL, A. Uma história e leitura.  São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 

SALLES, Heloisa Maria Moreira Lima ET AL. Ensino de Língua Portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. V. 01. Brasília: MEC, SEESP, 2004.( Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos). Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lpvol1.pdf

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Projeto Toda Força ao 1º Ano: contemplando as especificidades dos alunos surdos / Secretaria Municipal de Educação. – São Paulo : SME / DOT, 2007.



LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO II


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa: Concepções de escrita. Papel da escrita e o lugar de escritor na sociedade. Reflexões teórico-práticas: produção de textos, pertencentes a diferentes gêneros textuais/discursivos.


BIBLIOGRAFIA


ANTUNES, Irandé. Lutar com palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005.

BAHKTIN, M. [1979]. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 

DECHANDTIN, Sônia Brocharo. A apropriação da escrita por crianças surdas. In: Quadros, Ronice Müller (org.). Estudos surdos I. [Petrópolis, RJ] : Arara Azul, 2006.

FERNANDES, S. É possível ser surdo em português? língua de sinais e escrita: em busca de uma aproximação. In: SKLIAR, C. (org.). Atualidade da educação bilíngüe para surdos: interface entre pedagogia e lingüística. V. 2, Porto Alegre: Editora Mediação, 1999.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2001. 

____. Gêneros  textuais: definição e  funcionalidade.  In: A. P. Dionísio et al.  (orgs.). Gêneros  textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. 

___. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola editorial, 2008.

PÉCORA, Alcir. Problemas de redação. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ROJO, R. H. (org.) A Prática de Linguagem em Sala de Aula Praticando os PCN. São Paulo: EDUC; Campinas, SP: Mercado de Letras, 2000.

OLIVEIRA, Luciana A. A Escrita do surdo: Relação texto e concepção. In: revista on-line. 2002 (www.educacaoonline.pro.br).


QUADROS, Ronice M. Idéias para ensinar português para alunos surdos. Brasília: MEC, SEESP, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port_surdos.pdf. Data de acesso: novembro de 2008


SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Projeto Toda Força ao 1º Ano: contemplando as especificidades dos alunos surdos / Secretaria Municipal de Educação. – São Paulo : SME / DOT, 2007.

AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa: Teorias da aquisição. Desenvolvimento linguístico na criança. Cognição e linguagem. Contribuições da área para o ensino.

BIBLIOGRAFIA

CAVALCANTI, Wanilda Maria A. ET AL. Algumas considerações a respeito da aquisição da língua portuguesa por surdos usuários de Libras. In: Cavalcante, Marianne B., FARIA, Evangelina M. B., LEITÃO, Márcio M. (org.) Aquisição da linguagem e processamento linguístico: perspectivas teóricas e práticas. João Pessoa: Editora da UFPB, 2011

FARIA, Evangelina, ALVES, Edneia de Oliveira, BATISTA, Marie Gorett Dantas de A e MONTEIRO, Regina de Fátima F. V. Língua de sinais: um instrumento viabilizador do desenvolvimento cognitivo e interacional do surdo. In: Dorziat, Ana (org).Estudos surdos: diferentes olhares. Porto Alegre: Mediação, 2011

FLETCHER, Paul. Compêndio da linguagem da criança. Posto Alegre: Artes Médicas, 1997.

LAMPRECHT, Regina Ritter. Aquisição da linguagem: questões e análises. Porto Alegre: EDIPURS, 1999.

KARNOPP, L. (1999) Aquisição Fonológica na Língua Brasileira de Sinais: estudo longitudinal de uma criança surda. Tese de Doutorado, PUCRS.

SCARPA, Éster. Aquisição da linguagem. In Mussalim. Introdução à Linguística: domínios e fronteiras, v 2, S.Paulo: Cortez, 2001.

VIGOTSKY, L. Pensamento e linguagem. São Paulo:Martins Fontes, 1998





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande