Universidade estadual de campinas


ESTIMATIVA DA ÁREA COM CANA-DE-AÇÚCAR DO ESTADO DE SÃO PAULO POR MEIO DA ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO EM IMAGENS MODIS



Baixar 3.62 Mb.
Página66/80
Encontro24.10.2017
Tamanho3.62 Mb.
1   ...   62   63   64   65   66   67   68   69   ...   80

ESTIMATIVA DA ÁREA COM CANA-DE-AÇÚCAR DO ESTADO DE SÃO PAULO POR MEIO DA ANÁLISE TEMPORAL DE ÍNDICES DE VEGETAÇÃO EM IMAGENS MODIS


Pedro Piason Breglio Pontes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Jansle Vieira Rocha (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O Brasil é líder mundial na fabricação e exportação de açúcar e na produção de álcool. Com tal relevância é extremamente importante o uso de um sistema eficiente de mensuração das áreas ocupadas com a cultura da cana-de-açúcar. A localização destas áreas por meio de sensoriamento remoto tem como finalidade a interpretação automática, o monitoramento contínuo e o menor custo. Este trabalho consistiu em analisar e interpretar a evolução temporal de índices de vegetação em áreas com cana-de-açúcar no Estado de São Paulo, relativos a imagens captadas pelo satélite Landsat7/ETM+, para localizar e estimar as áreas com a cultura, em imagens captadas pelos sensores de baixa resolução espacial MODIS, acoplados aos satélites TERRA e AQUA, durante as safras de 2002/2003 e 2003/2004. A máscara que delimita todas as regiões com cana-de-açúcar foi gerada por meio da sobreposição (overlay) das classificações de cada uma das cenas ETM+ órbita/ponto - 220/75 usadas no trabalho. Estas classificações foram feitas a partir da interpretação visual, da composição colorida RGB453, e de classificações supervisionadas por meio do método da máxima verossimilhança, bandas 3, 4 e 7. O índice Kappa, entre a máscara final e os municípios mais representativos, indicou uma boa qualidade da classificação realizada.

Cana-de-açúcar - Previsão de área - Sensoriamento remoto

T745

INFLUÊNCIA DA ARMAZENAGEM NA COR E TEMPO DE COZIMENTO DO FEIJÃO


Renato Cesar Muller (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. João Domingos Biagi (Orientador) e Armando Kazuo Fujii (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O objetivo deste projeto de pesquisa foi avaliar a qualidade final do grão depois de realizada a secagem e armazenagem por períodos um mês, verificando a mudança da cor do tegumento e o tempo de cozimento do feijão. As amostras foram armazenadas em 3 ambientes: ao ar livre, em câmara fria e em nitrogênio. A secagem do feijão foi realizada por método artificial, utilizando um secador de colunas com temperaturas de secagem variando de 60 a 70°C. A determinação da cor dos grãos de feijão foi feita com o uso de um colorímetro utilizando a escala CIELAB (L*, a*,b*), iluminante D65, ângulo 10° e calibração RSIN. Já para a determinação da textura do feijão, as amostras foram maceradas por 10 horas e cozidas por 30 minutos em 1 litro de água e drenadas. Selecionaram-se 10 grãos de feijão intactos das duas amostras, e estes foram submetidos a testes de compressão utilizando um texturômetro com um cilindro de alumínio de 35 mm, comprimindo o grão em até 80% de seu tamanho, com uma velocidade de 1 mm/s. Os resultados mostraram que as amostras tiveram mudança de cor e de textura, indicando um escurecimento das amostras e aumento da força necessária para comprimir os grãos. E ainda que os resultados encontrados diferem de um ambiente para outro.

Feijão - Cor - Cozimento

T746

EFICIÊNCIA DA PRÉ-FILTRAÇÃO E DA FILTRAÇÃO LENTA NO TRATAMENTO DE EFLUENTES DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTO


Melina Barbosa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Euclides Stipp Paterniani (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O principal objetivo do presente projeto é o estudo da viabilidade do uso da filtração lenta precedida de pré-filtração no tratamento de efluentes de estações de tratamento de esgotos domésticos com leitos cultivados. A filtração lenta é normalmente utilizada para tratamento de águas de abastecimento, como mostra a maior parte da literatura do assunto. Porém, devido ao aumento populacional, o aumento da demanda de água potável, a crescente poluição dos recursos hídricos de diversas regiões e a escassez de água, a filtração lenta vem sendo estudada na questão do reuso de águas residuárias, que vem concretamente poupar consideravelmente o volume de água potável, já que, para fins não potáveis, pode-se usar água de qualidade inferior, como por exemplo, efluentes de tratamento secundário. O sistema é composto de um pré-filtro de pedregulho, um filtro de areia e manta sintética não tecida e outro filtro de areia com uma camada de carvão ativado. Resultados preliminares demonstraram ser possível uma redução de mais de 50% da turbidez e 30% de cor aparente pelo filtro de areia e aproximadamente 60% de redução de cor e turbidez pelo filtro com carvão. É uma tecnologia de baixo custo de construção, fácil manutenção e operação, sendo acessível para pequenas comunidades, principalmente de países em desenvolvimento.

Saneamento rural - Tratamento de efluentes - Reuso de água

T747

EFICIÊNCIA DE UM REATOR SOLAR DE FLUXO CONTÍNUO NA DESINFECÇÃO DE ÁGUA


Rodrigo Gerlach Modesto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Euclides Stipp Paterniani (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A escassez de água de boa qualidade, aliada a políticas de regulamentações e de cobrança pelo uso da água tem conduzido a uma busca cada vez maior por soluções que visem à reutilização de efluentes de esgotos domésticos e/ou industriais para uso em atividades menos nobres. Neste contexto, o presente projeto teve como objetivo principal o estudo da eficiência do uso de um reator solar de fluxo contínuo (SODIS), na desinfecção de efluentes de estações de tratamento de esgotos domésticos, por leitos cultivados e filtração lenta, bem como o estudo de tecnologias de baixo custo de instalação e operação, para serem acessíveis às regiões com falta de recursos financeiros ou tecnológicos, como as comunidades rurais. Apresentam-se os resultados referentes à primeira etapa da pesquisa que visa a caracterização hidráulica do reator SODIS em estudo. Foram realizados ensaios laboratoriais, onde, por meio da medição dos valores de dispersão e difusão de uma solução salina injetada no efluente na seção de entrada do reator, pôde-se determinar o tempo de detenção do mesmo em função de diferentes valores de vazão de entrada do efluente. A variável “tempo de detenção” é de extrema importância no processo de desinfecção para se estabelecer a relação vazão/tempo de exposição ao sol. Ressalta-se que a pesquisa encontra-se em andamento, onde nesta segunda etapa será estudada a eficiência do reator SODIS de fluxo contínuo na inativação de coliformes totais e fecais.

SODIS - Desinfecção - Caracterização hidráulica

T748

DESENVOLVIMENTO DE SALADA DE FRUTAS BASEADO NA OPINIÃO DO CONSUMIDOR


Daniela de Araujo Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. José Tadeu Jorge (Orientador) e Prof. Dr. Ademir José Petenate (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O consumo interno de frutas é feito basicamente in natura, tendo baixo valor agregado. Para tornar estes produtos mais rentáveis aos produtores pode-se processá-los e embalá-los, mas não sem antes pesquisar junto ao consumidor seus hábitos de consumo, preferências e, no caso dos produtos agro-alimentares, suas características sensoriais. Neste trabalho serão fornecidas informações que possibilitem avaliar as preferências do consumidor quanto ao desenvolvimento de uma salada de frutas in natura pronta para o consumo. Tais informações serão obtidas a partir de pesquisas de mercado nas quais serão determinadas quais frutas devem compor esta salada de frutas, sua forma de corte e embalagem, além do valor a ser pago pelo consumidor. Finalmente será verificado se as características sensoriais do produto (cor, aparência, aroma e sabor) condizem com o esperado pelo consumidor. Todas as informações necessárias para o desenvolvimento da salada de frutas obtidas através das pesquisas também serão relacionadas com os dados demográficos (poder de compra, faixa etária, sexo e estado civil) dos consumidores. Os resultados preliminares obtidos neste projeto indicam que não há grande diferença nas preferências dos consumidores de acordo com seus dados demográficos.

Consumidor - Desenvolvimento de produto - Minimamente processado

T749

FLUXO DE FÓSFORO EM SISTEMAS DE LEITOS CULTIVADOS UTILIZANDO A ESPÉCIE ELODEA DENSA CASP


Adriana Ferrer Martins (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Teixeira Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A atual velocidade de degradação dos recursos hídricos pelas atividades agrícolas e industrias, aumentam a necessidade de pesquisas em sistemas de tratamentos de esgotos. Os sistemas naturais, no qual se inclui o sistema de leitos cultivados, destaca-se por sua simplicidade de instalação, manutenção e baixo custo, o que permite sua implementação em pequenas comunidades e complexos agro-industriais. Os leitos cultivados podem ser considerados filtros biológicos em que microorganismos aeróbios e anaeróbios são fixados à superfície do meio suporte no qual as plantas estão estabelecidas ou fixadas com a rizosfera e outras partes submersas das plantas que são os principais responsáveis pelas reações de purificação da água. Esse trabalho monitorou a retirada de fósforo do esgoto da Faculdade de Engenharia Agrícola – UNICAMP utilizando o sistema de leitos cultivados com a macrófita Elodea Densa. O princípio de retenção de nutrientes pelo sistema de tratamento dos alagados baseia-se em diversos processos biológicos, físicos e químicos em associação com o substrato, as macrófitas e os microorganismos durante a passagem da água residuária no wetland. Os leitos foram montados em piscinas com capacidade de 2,5 m³. As amostras foram analisadas por meio do método AOAC Official Method 973.55 – Phosphorus in water que permitiu a identificação de todo fósforo presente independente da forma.

Retenção de nutrientes - Tratamento de esgotos - Reuso de água

T750

CARACTERIZAÇÃO DO USO E OCUPAÇÃO DA BACIA ANHUMAS/CAMPINAS VISANDO A DETERMINAÇÃO DAS ÁREAS CRÍTICAS PARA PRODUÇÃO DE ÁGUA DE ENCHENTE


Carolina Verbicaro Perdomo (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Teixeira Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O presente trabalho tem por objetivo fazer a caracterização da ocupação e do uso do solo da bacia do ribeirão Anhumas seção viaduto São Paulo (Laurão). Esse projeto servirá de base para a determinação de área critica para a produção de água de enchente. Na primeira etapa realizou-se um estudo comportamental da bacia hidrográfica. Na segunda etapa foi desenvolvido um levantamento para caracterização de cada quarteirão da área da bacia, avaliando o impacto da urbanização na dinâmica hidrológica de formação das enchentes. Nas quadras levantadas no estudo, foram observadas características que permitiram diferencia-las e agrupa-las em quatro classes. Como a bacia apresenta uma característica de urbanização consolidada, torna-se mais difícil formular uma proposta mais eficiente para minimização de cheias, pois a dinâmica da bacia já esta comprometida devido às alterações sofridas pelo processo de urbanização. Esse fato pode ser observado a cada evento de chuva intensa, pois esse trecho da bacia apresenta grande propensão a enchentes, principalmente embaixo do viaduto São Paulo (Laurão). A área estudada esta inserida na Macro zona 4, que é considerada uma ACON – Área de Urbanização Consolidada onde, segundo o Plano Diretor de Campinas, se fazem necessárias: a otimização e racionalização da infra-estrutura existente por meio do controle de adensamento, notadamente nas áreas que já apresentam problemas de saturação e o incentivo à mescla de atividades e à consolidação de subcentros e atividades geradoras de empregos fora da área central.

Planejamento urbano - Hidrologia de enchentes - Bacia hidrográfica

T751

FLUXOS DE FÓSFORO EM SISTEMAS DE LEITOS CULTIVADOS UTILIZANDO A ESPÉCIE VALLISNERIA SPIRALIS L


Eliane de Oliveira (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Teixeira Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Os leitos cultivados representam um sistema simples de tratamento residual, que com o auxílio de macrófitas (também conhecida pelo termo hidrófita) promovem a recuperação da qualidade da água, eliminando boa parte dos resíduos orgânicos e inorgânicos existentes, tais como: fósforo e nitratos. Os leitos cultivados representam uma tecnologia emergente, que podem apresentar baixos custos energéticos, eficientes e estéticos, susceptíveis de se revelar como uma boa alternativa aos sistemas convencionais no tratamento de águas residuais em algumas condições. Para projetar e fazer operar esse sistema utiliza-se, de forma otimizada, a estrutura e a dinâmica funcional das zonas úmidas naturais, como exemplo: pântano, caniçal, palude, juncal, brejo e lodaçal. O presente trabalho tem por finalidade observar a dinâmica de entrada e saída das concentrações de fósforo total em leitos cultivados plantados com a espécie aquática Vallisneria spiralis L. A dinâmica do balanço de fósforo será relacionada com as taxas de retenção da carga de fósforo da espécie Vallisneria spiralis L. e com acompanhamento do processo de crescimento desta vegetação. O desempenho do leito cultivado com Vallisneria spiralis L. foi avaliado considerando fatores como: condições climáticas, pH, condutividade elétrica e retenção de fósforo, verificando a influência desses no crescimento da espécie. Sendo o método utilizado para a determinação de fósforo o AOAC Official Method 973.55 – Phosphorus in water, o qual permitiu a identificação de todo fósforo presente independente da forma, medido por digestão de persulfato.

Aquáticas - Tratamento de esgoto - Nutrientes

T752

Caracterização do Uso e Ocupação da Bacia Rio das Pedras/ Campinas Visando a Determinação das áreas Críticas para Produção de Água de Enchente


Fernanda Bauzys (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. José Teixeira Filho (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O crescimento urbano e conseqüente aumento das ações antrópicas produziu um aumento na freqüência de inundações no distrito de Barão Geraldo. Durante o período de chuvas, as águas da bacia do Rio das Pedras inundam avenidas, áreas comerciais e residenciais. Esses problemas são causados, principalmente, pela falta de planejamento de uso e ocupação do solo e pelo inadequado projeto de drenagem urbana. A presente pesquisa teve como objetivo caracterizar o atual uso do solo da bacia do ribeirão das pedras visando a determinação de áreas críticas para produção de água de enchente. Este trabalho pretende produzir subsídios para compreender a interferência humana na dinâmica do ciclo hidrológico da bacia hidrográfica do rio das pedras. Acredita-se que tal conhecimento seja de relevância para a elaboração de planos diretores, de áreas de proteção ambiental e para criação de parques lineares. Para a elaboração de cartas temáticas sobre o uso e ocupação da bacia, foram realizadas vistorias a campo e interpretação de fotos aéreas da região. Para essa área foram propostas algumas medidas não-estruturais para que se reduzam os danos produzidos pelas enchentes.

Bacia hidrográfica - Enxurradas - Uso e ocupação do solo

T753

MATRIZ DE COEFICIENTES TÉCNICOS DA CULTURA DO TOMATE DE MESA: BASE PARA CÁLCULO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO E COLHEITA


Flaviane Flor de Faria (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Julieta Teresa Aier de Oliveira (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O tomate é a segunda hortaliça em importância econômica e social no Brasil, sendo o Estado de São Paulo responsável por 21,3% da produção total do país. A produção convencional de tomate de mesa é caracterizada por possuir elevado custo operacional devido à grande demanda de mão-de-obra e exigência de muitas aplicações de agrotóxicos. No presente trabalho elaborou-se a matriz dos coeficientes técnicos da produção de tomate de mesa utilizada para estimar o custo de produção e colheita segundo metodologia adotada pelo IEA (Instituto de Economia Agrícola). Os dados foram coletados em visitas de campo realizadas no período de ago/2004 a jun/2005, com aplicação de questionários previamente elaborados em entrevistas pessoais com os proprietários e/ou administradores de propriedades tomaticultoras intencionalmente selecionadas. Nessas ocasiões mensurou-se os tempos gastos pelos trabalhadores nas atividades de tratos culturais e colheita e quantidade de insumos utilizados na produção. Foram obtidos os coeficientes técnicos referentes às safras das águas (ago - dez) e da seca (jan – jun) realizadas por um mesmo produtor. As safras apresentaram diferenças quanto à demanda pela força-de-trabalho e quanto à variedade e quantidade de insumos.

Tomate envarado - Coeficientes técnicos - Custos

T754

CONSTRUÇÃO DE UM DE UM SISTEMA DE DESIDRATAÇÃO OSMÓTICO MUNIDO DE PULSO DE VÁCUO


Cinthya Bertoldo (Bolsista Cota-AI/CNPq), Ana Paula Ito e Profa. Dra. Miriam Dupas Hubinger (Co-Orientadoras) e Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Os trabalhos relacionados a desidratação osmótica a pulso de vácuo (PVOD) de frutas tropicais, mostram bons resultados, indicando a melhora no processo de transferência de massa, uso de temperaturas mais baixas e menor tempo de processo em relação ao processo de desidratação osmótica à pressão atmosférica. O presente trabalho trata-se do desenvolvimento e construção de um equipamento em escala laboratorial de um desidratador com aplicação de vácuo. O equipamento, de rápido e fácil manuseio, necessário para o estudo mais acurado do efeito da aplicação do vácuo, tem a visualização do efeito do vácuo durante o processo através de um visor projetado para ser instalado na tampa do equipamento e onde uma câmera de alta resolução será acoplada para filmagem do processo. O equipamento consiste em um recipiente de desidratação (diâmetro=30cm), onde as amostras ficam mergulhadas na solução osmótica que será agitada utilizando-se de uma bomba. Um banho-maria controla a temperatura e uma bomba de vácuo acoplada ao equipamento aplica o vácuo. Um painel de controle faz a aquisição de dados do processo. Com esse equipamento espera-se obter o controle mais acurado do processo possibilitando o estudo do efeito do vácuo na matriz sólida da amostra.

Equipamento laboratorial - Desidratação osmótica - Controle

T755

AUTOMATIZAÇÃO, CONTROLE E TESTES DE UM SECADOR EM ESCALA LABORATORIAL


Fábio Pasinato Tinel (Bolsista PIBIC/CNPq), Thiago Henrique Ardito (Bolsista CNPq/Pesquisa), Rafael Augustus de Oliveira (Co-Orientador) e Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) - Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A secagem é uma operação unitária muito importante que elimina o líquido volátil de um produto por evaporação, com transferência de calor e massa. Para as matérias primas biológicas, tem como objetivo principal a conservação das qualidades nutricionais e organolépticas dos produtos e ainda reduções de custos com transporte. Para se estudar este processo é necessário obter curva de secagem. Portanto, neste projeto foi construído um aparelho com automatização e controle a fim de otimizar os processos que exigem um ambiente controlado de temperatura e velocidade do ar, de acordo com a Patente Industrial PI 9905420-5. O controle de velocidade do fluxo de ar e temperatura foi feito através de um potenciômetro, sendo ainda monitorados por sondas industriais específicas para as condições solicitadas. O diâmetro da tubulação de 3 polegadas permite a variação da velocidade do ar na câmara de secagem de 0 a 5 m/s e a temperatura de secagem pode ser variada da temperatura ambiente a 100ºC. A câmara de secagem é composta por módulos tubulares móveis, permitindo assim os fluxos paralelo e perpendicular a amostra a ser seca. O projeto foi realizado com recursos da FAEPEX, disponibilizando um equipamento de grande importância para o ensino da graduação, além das pesquisas.

Velocidade - Temperatura - Escoamento do ar

T756

FERRAMENTA PARA AUXILIAR OS CÁLCULOS DA SECAGEM


Marcos Chiorato (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador), Rafael Augustus de Oliveira e Kil Jin Brandini Park (Co-orientadores), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Utilizando os dados experimentais da secagem da chicória (Cichorium intybus L.) (OLIVEIRA, 2005), a planta de raiz tuberosa mais importante na produção industrial de inulina, determinou-se a difusividade efetiva. A inulina é um carboidrato de reserva que possui baixo poder calórico e fator “bífido” e é considerado um substituto da gordura e/ou do açúcar. Criar uma ferramenta para o tratamento dos dados de secagem é importante pela necessidade de modelagem deste processo. Esse trabalho objetivou a criação de uma ferramenta computacional em forma de planilha do Excel (PARK et al., 2005) para o auxilio dos cálculos decorrentes a secagem de chicória. Assim, criou-se uma planilha automatizada e comparou-a com outros métodos de determinação das curvas de secagem e valor de difusividade, com auxilio dos macros e da programação simplificada do VBA do software Excel. O intuito é fazer com que essa ferramenta seja bastante simples e que possa ser utilizada por qualquer pessoa. Os dados de resposta da planilha foram comparados com os dados calculados pelo software Statistica e com dados da literatura. Através das comparações, foi observado que o valor da difusividade encontrada pela planilha apresenta um módulo de desvio relativo médio menor comparado com o outro método testado.

Difusividade efetiva - 2ª Lei de Fick - Excel

T757

OBTENÇÃO DA DIFUSIVIDADE EFETIVA: MÉTODO DE DIFERENÇAS FINITAS EXPLÍCITO


Thiago Henrique Ardito (Bolsista Cota - AI/CNPq), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) e Ana Paula Ito (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A secagem é uma das mais antigas e usuais operações unitárias encontradas nos mais diversos processos usados em indústrias. No presente trabalho dados de secagem de amostras de filé salgado de Cação (Carcharhinus limbatus), seco em um secador convectivo em três diferentes condições do ar e duas diferentes velocidades do ar, foram tratados pela segunda Lei de Fick. O encolhimento durante a secagem foi considerada uma função linear do conteúdo de umidade da amostra. O método numérico de diferenças finitas explícito nas coordenadas cartesianas com a transferência de massa unidirecional foi utilizado para verificar a capacidade desse modelo de transferência de massa de predizer a difusividade mássica efetiva considerando o encolhimento da amostra durante a secagem. Os valores obtidos de difusividades efetivas e os valores de desvios relativos médios foram de 0,72x10-10 m2/s a 1,12x10-10 m2/s. Com desvio de 3,84% a 6,51%. No presente trabalho compararam-se os valores obtidos através da simulação numérica com dados da literatura, onde os valores de difusividades encontradas por PARK (1998) variaram de 0.87x10-10 m2/s a 2.85x10-10 m2/s. Assim o método numérico mostrou ser eficiente na obtenção de difusividade efetiva do cação considerando o seu encolhimento durante a secagem.

Secagem - Encolhimento - Simulação numérica

T758

CINÉTICA DE SECAGEM DE RAIZ DE CHICÓRIA


Willian Portes de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Kil Jin Park (Orientador) e Rafael Augustus de Oliveira (Co-orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Chicória (Cichorium intybus L.) é uma planta que tem uma raiz tuberosa cujo carboidrato de reserva é a inulina. A inulina possui importante propriedade não somente de baixo poder calórico como também fator “bífido”. Recentemente a inulina foi identificada como um ingrediente que substitui a gordura e/ou o açúcar. Como resultado do interesse no armazenamento de raízes de chicória para posterior extração de inulina, esse experimento objetivou a determinação das melhores condições e parâmetros de secagem da raiz da chicória. Os experimentos constituíam na secagem das raízes cubetadas in-natura (1ª etapa) e congeladas (2ª etapa), em um secador convectivo com fluxo do ar perpendicular ao produto. Com os dados obtidos nos experimentos, pôde-se determinar a difusividade efetiva (entre 2,81 x 10-10 e 9,44 x 10-10 m2/s, para as in-natura, e 3,64 x 10-10 e 1,15 x 10-09, para as congeladas), sendo as curvas desses resultados ajustadas pela solução analítica da 2ª lei de Fick e pelo modelo de Page. Os dados apresentaram um bom ajuste a esses modelos. Analisados os resultados, concluiu-se que os termos lineares de temperatura e velocidade do ar são estatisticamente significativos. Obteve-se, assim, um modelo matemático de primeira ordem, representando o comportamento da difusividade efetiva em função desses parâmetros.

Planejamento experimental - Difusividade efetiva - Modelo de Page

T759

ENSAIOS DE RESFRIAMENTO DE PRODUTOS HORTÍCOLAS ACONDICIONADOS EM EMBALAGENS DE MADEIRA, PLÁSTICO E PAPELÃO, COM DIFERENTES ÁREAS EFETIVAS DE ABERTURA


Ana Carolina Coelho Machado Testa (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Luís Augusto Barbosa Cortez (Orientador) e Prof. Dra. Bárbara Janet Teruel Mederos (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Uma das principais etapas desde a produção até o consumo de frutas e hortaliças in natura é o transporte. No Brasil, a falta de uma estratégia adequada de logística, em conjunto com as más condições das estradas, acarreta perdas em torno de 20% do total da safra colhida no trajeto entre campo e consumidor final, além do encarecimento significativo dos produtos oferecidos. Precários meios de transporte, uso de veículos sem manutenção e emprego de embalagens inadequadas, que contribuem enormemente com a proliferação de microorganismos, diminuem a vida de prateleira dos hortifrutícolas. Alimentos frescos são produtos vivos que apresentam metabolismo intenso mesmo na fase pós-colheita. Mudanças de temperatura e umidade são responsáveis pela maior parte da perda da produção agrícola brasileira, sendo a adequação da embalagem o principal instrumento de proteção da mesma, já que esta também interfere diretamente na eficiência da Cadeia do Frio, outro instrumento essencial ao prolongamento de vida de prateleira. A primeira parte concluída do projeto proporcionou o levantamento de diversos dados úteis na continuidade do mesmo, apresentados em uma tabela permite visualizar os tipos de embalagens mais utilizados para frutas e hortaliças in natura em CEASAS e grandes redes de supermercados, e suas características fundamentais, induzindo a uma suspeita de que não há ainda no Brasil uma verdadeira conscientização e preocupação com a Cadeia do Frio de produtos hortifrutícolas. Na próxima etapa serão feitos experimentos em laboratório para avaliar a influência da área de abertura para diferentes embalagens, selecionadas dentre as aqui apresentadas, no tempo de resfriamento de frutas e hortaliças em câmara de ar forçado.

Projeto - Leito de hortícolas - Ar forçado

T760

GUIA DE ARMAZENAMENTO, MANUSEIO E CARACTERIZAÇAO DE FRUTAS E HORTALIÇAS


Thaíssa Mara Bonillo das Neves (Bolsista SAE/UNICAMP), Prof. Dr. Luís Augusto Barbosa Cortez (Orientador) e Profa. Dra. Bárbara Janet Teruel Mederos (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A conservação dos produtos hortícolas por toda a cadeia é de extrema importância a fim de manter a qualidade, prolongar a vida útil e prevenir a alteração dos mesmos. E para que a estocagem dos produtos seja feita de forma adequada sem danificar a qualidade, alem das características especificas de cada produto, devem ser tomadas em consideração à temperatura e umidade relativa ótima recomendada para cada produto, e no caso que vários produtos sejam armazenados na mesma câmara, as taxas respiratórias, emissão de gases e absorção destes devem ser tomadas em consideração. Seguindo estes critérios os produtos podem ser agrupados em faixas de compatibilidade, os quais tornam-se informações muito úteis dentro da cadeia de processos de armazenamento. Atualmente estas informações encontram-se de forma dispersa em literaturas diversas e na maioria delas em língua inglesa. Este trabalho tem como objetivo em uma primeira etapa compilar e agrupar dados referentes à temperatura, umidade relativa recomendada durante o armazenamento, tempo de permanência em uma câmara frigorificada, gases emitidos produto da respiração e absorvidos pelos produtos, grupos de compatibilidade, entre outras informações. Com estes bancos de dados, a etapa seguinte é montar um Guia Prático de Armazenamento, incluindo fotos dos produtos, permitindo fácil entendimento para produtores e varejistas e usuários deste tipo de informações.

Compatibilidade no armazenamento - Sensibilidade ao frio - Qualidade

T761

IDENTIFICAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO DOS ESPECTROS DE FREQUÊNCIAS DA VOCALIZAÇÃO DE PINTAINHOS DE CORTE MACHOS E FÊMEAS.


Anderson Xavier de Paiva Mello (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Luis Antonio Rossi (Orientador), MSc. Miwa Yamamoto Miragliotta (Doutoranda), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP

Com a criação de frango de corte sexada, o avicultor tem condições de estimular o máximo desenvolvimento das aves, reduzindo custos e evitando o desperdício de ração e água, já que machos e fêmeas receberão ração balanceada de acordo com suas necessidades fisiológicas diferenciadas. Verificando a escassez de meios práticos e eficientes que garantam esta separação entre sexos, este trabalho teve como objetivo, a identificação e diferenciação dos espectros de freqüências da vocalização de pintainhos de corte machos e fêmeas de 1 dia. Utilizando-se uma câmara semi-anecóica confeccionada para este experimento, um microfone multidirecional com alta freqüência de resposta e uma placa de som para interface do microfone com o computador, procedeu-se a gravação (realizada em 24 bits e 96 kHz) dos piados de 10 pintainhos previamente sexados a partir das características de empenamento intrínsecas de cada sexo. Separando cada piado pode-se observar através das formas de onda dos sons que cada piado tem aproximadamente a duração de 150 a 200 ms e sua freqüência apresenta uma concentração maior até os 20 kHz. Uma análise completa será feita posteriormente quando a metodologia de análise for aprimorada reduzindo os ruídos de fundo que foram inseridos nesta primeira parte do projeto.

Avicultura - Ambiência - Ruídos

T762

CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE TOMATE UTILIZANDO PROTÓTIPO PARA APLICAÇÃO DE COBERTURAS COMESTÍVEIS NO SISTEMA UNIMAC


Ana Lúcia Cintra Cavassa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcos David Ferreira (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
As perdas pós-colheita para tomate de mesa podem atingir valores superiores a 30%. As principais causas apontadas são manuseio inadequado, utilização de embalagens não apropriadas e a não aplicação de tecnologias pós-colheita. A aplicação de cera comestível aparece como uma alternativa de baixo custo a ser utilizada na manutenção da qualidade do produto. Aplicada com auxílio de bicos pulverizadores, reduz a perda de água, melhorando também as propriedades estruturais e conferindo aspecto mais atraente para o consumidor. Baseado em resultados obtidos em testes preliminares optou-se pelo uso da cera de carnaúba (18%). Neste estudo avaliou-se a aplicação desta cera em protótipo desenvolvido para beneficiamento e aplicação de cera no sistema UNIMAC. A partir de valores de rotações encontradas na literatura avaliaram-se três dentre as mais utilizadas, 80, 100 e 120rpm. Com relação ao bico pulverizador, optou-se pelo modelo cônico, comparando-se duas vazões diferentes 1,25 e 2,50 galões/h. Estudaram-se duas temperaturas de secagem da cera, 23 e 40ºC. Como resultado procurou-se avaliar a perda de peso e alteração da cor da casca durante o período de armazenamento. A cor é relatada pelo parâmetro L, indicando brilho. Já o ângulo hue expressa a intensidade das cores amarela e vermelha. Para análise dos resultados realizou-se teste de Tukey a 95% de significância. Tomates pulverizados com bico 2,50 galões/h à altura de 25cm apresentaram menor perda de massa. Em contra partida, frutos que não receberam nenhum tratamento apresentaram os maiores resultados de perda de massa.

Perda-massa - Cera - Conservação pós-colheita

T763

EFICIÊNCIA DO PROCESSO DE LIMPEZA EM EQUIPAMENTO DE BENEFICIAMENTO DE TOMATE DE MESA


André Toshiro Oshima Franco (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Marcos David Ferreira (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Este trabalho trata da avaliação de eficiência da etapa de limpeza do protótipo desenvolvido para Projeto UNIMAC*. Este projeto, financiado pela Fapesp, tem como objetivo principal o desenvolvimento de uma Unidade Móvel de Auxílio à Colheita, proporcionando uma melhor conservação do produto e diminuição das perdas pós-colheita. Através da avaliação da etapa de limpeza deste protótipo, objetiva-se alcançar a melhor configuração para o mesmo, já que existem vários parâmetros a serem analisados, como a quantidade de água utilizada no processo e a rotação de operação das escovas do protótipo. O estudo foi conduzido utilizando-se esferas de borracha (70mm) desenvolvidas para simular frutos de tomate, as quais foram submetidas ao processo de limpeza do protótipo. Este processo foi avaliado utilizando-se um dispositivo desenvolvido para simular uma limpeza superficial com pressão constante. Este é dotado de um anel deslizante e uma ponteira de espuma na qual prende-se um tecido o qual corresponde à amostra de cada esfera. Avaliou-se a eficiência do processo de limpeza com um colorímetro MiniScan XE Plus Hunterlab, utilizando-se a escala CIELAB (L*, a*, b*), o qual forneceu os valores do parâmetro L. Os melhores resultados obtidos na etapa de limpeza foram no tratamento com rotação das escovas em 160 rpm e vazão de água de 200 ml/s. Para este tratamento, obteve-se um valor médio do parâmetro L de 71,07. Concluiu-se que a metodologia utilizada consiste em uma boa ferramenta na avaliação da eficiência da limpeza, possibilitando estabelecer uma configuração para os equipamentos de beneficiamento e classificação de frutos.

Eficiência da limpeza - Tomate - Sujeira

T764

AVALIAÇÃO DE EMBALAGENS COM POTENCIAL USO NA LOGÍSTICA DO SISTEMA UNIMAC (UNIDADE MÓVEL DE AUXÍLIO À COLHEITA)


Renata Torres Gomes de Souza (Bolsista PIBIC/CNPq), Prof. Dr. Marcos David Ferreira (Orientador) e Prof. Dr. Antônio Carlos de Oliveira Ferraz (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Diferentemente do que ocorria há alguns anos, atualmente o tomate in natura é classificado e beneficiado nos galpões de beneficiamento de acordo com as seguintes etapas: recebimento, seleção, limpeza (lavagem e secagem), aplicação de cera (polimento), classificação, embalagem, resfriamento, carregamento, transporte e consumidor. As condições de embalagem e transporte utilizadas afetam consideravelmente a qualidade do produto ocasionando em uma perda expressiva. Neste trabalho, será determinada a embalagem de melhor custo/benefício dentro da logística UNIMAC após a simulação do efeito da vibração no transporte em dois tipos de caixa (plástica e papelão). Tal efeito será realizado com auxílio de uma mesa vibratória que terá amplitude fixa e diferentes freqüências de trabalho. Os parâmetros analisados após a vibração dos frutos serão injúria interna de impacto, perda de massa, firmeza e análise sensorial. Os valores obtidos durante os ensaios serão submetidos a uma análise estatística a fim de se constatar qual é embalagem mais apropriada para conservação do fruto. Após a escolha do tipo de embalagem, será simulado o custo de produção do tomate no sistema UNIMAC e comparando-o ao sistema tradicional.

Embalagem - Transporte - Tomate

T765

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES DE CONFORTO DE FRANGOS DE CORTE UTILIZANDO A TEORIA DOS CONJUNTOS FUZZY


Bianca Mie Totake Watanabe (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Mariângela Amendola (Orientadora) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Este trabalho mostra os resultados da análise da influência da composição de variáveis internas geradas em galpões de criação de frangos de corte no estabelecimento de condições de conforto térmico para os mesmos. O objetivo é gerar condições para o suporte a decisão na manutenção dos galpões. Esta análise é realizada segundo a teoria dos conjuntos fuzzy disponível no MATLAB 6.5. Para tanto foram necessárias a seleção e a reorganização de conjuntos de dados extraídos da literatura; a classificação destes dados como termos lingüísticos; o estabelecimento de um sistema de regras envolvendo as variáveis selecionadas bem como o peso das mesmas; a análise e seleção do tipo de funções de pertinência adequadas bem como o entendimento da teoria dos conjuntos fuzzy para a correta interpretação dos resultados gerados. Analisando-se os resultados obtidos para distintos cenários admissíveis pode-se concluir que a utilização da teoria dos conjuntos fuzzy mostra-se adequada para este tipo de análise e seu uso incentivado em futuras pesquisas de mesma natureza.

Frangos de corte - Conforto térmico - Teoria dos conjuntos fuzzy

T766

DESEMPENHO OPERACIONAL E ENERGÉTICO DE UM SECADOR DE FRUTAS DO TIPO CABINE BANDEJAS


Guilherme Menezes Rocha (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Marlene Rita de Queiroz (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
No Brasil, a desidratação de banana para a obtenção de produto do tipo “passa” vem sendo praticada há décadas de forma quase artesanal ou semi-industrial. Neste trabalho, foram realizadas avaliações operacional e energética de um secador de frutas do tipo cabine com bandejas com a finalidade de proporcionar, a futuros usuários e operadores do equipamento, informações relativas às condições e formas de operação, a eventuais problemas operacionais, ao consumo energético, desempenho e capacidade operacional, além de outras relativas ao processo, como: o tempo de preparo das frutas, a necessidade de mão-de-obra, a proporção casca x polpa, com a finalidade de obter a quantidade de fruta suficiente para preencher toda a capacidade do secador e também a quantidade de resíduos gerados no processo. Além disso, foi realizado um teste de secagem, utilizando-se dois lotes de bananas. O primeiro com bananas apenas descascadas e o segundo com as bananas descascadas submetidas a um pré-tratamento térmico mediante a imersão em água quente a 75°C por 2 minutos para a remoção do mesocarpo. Após a secagem realizou-se análise sensorial para os atributos aparência, cor, intenção de compra (testes visuais) e textura e sabor (testes com degustação). Os atributos avaliados visualmente indicaram que as amostras com tratamento térmico obtiveram maior aceitação dos provadores, enquanto que as análises realizadas com degustação indicaram maior aceitação para as bananas secas sem tratamento térmico.

Secagem - Banana - Aceitação

T767

ISOTERMAS DE SORÇÃO DO CAFÉ CEREJA DESCASCADO COM DIFERENTES TEORES DE MUCILAGEM


Gustavo Henrique Tonella (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Marlene Rita de Queiroz (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Cafés especiais são provenientes de processos que incluem despolpamento e lavagem, em que são reduzidos os conteúdos de mucilagem dos grãos. Os produtos gerados necessitam, portanto, do conhecimento de suas propriedades. Cada grão possui uma pressão de vapor de água característica de acordo com seu teor de umidade, temperatura e umidade relativa do ambiente onde se encontra. O teor de umidade de equilíbrio de um grão é definido como o teor de umidade no qual a pressão de vapor de água no produto está em equilíbrio com a pressão de vapor no ambiente. Este teor de umidade depende da espécie, composição química e grau de maturidade dos grãos. Neste trabalho, foram determinadas as isotermas de sorção de café cereja descascado, com 3 conteúdos de mucilagem e 2 temperaturas de análise. O procedimento experimental adotado é baseado no método estático, utilizando-se 7 soluções salinas por temperatura, e 3 repetições por nível de atividade de água. As amostras foram secadas ao sol e depois pesadas e expostas aos ambientes dos dessecadores, cada qual com um valor de atividade de água. O modelo matemático a ser utilizado será escolhido após um estudo com os dados obtidos, verificando qual apresentará o melhor ajuste aos dados experimentais das isotermas de sorção.

Café - Isotermas de sorção - Umidade de equilíbrio

T768

MONITORAMENTO DA QUALIDADE DO AR NO EXTERIOR E INTERIOR DE INSTALAÇÕES DE FRANGO DE CORTE


Ana Carolina de Souza Gigli (Bolsista PIBICCNPq), Profa. Dra. Marta dos Santos Baracho (Orientadora) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs, Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
As mudanças que ocorrem na economia mundial forçam produtores avícolas a aumentar a produtividade, melhorando a qualidade do produto final, preocupando-se com as condições sanitárias e de bem-estar. O objetivo do trabalho é monitorar a qualidade do ar, quanto a presença de fungos, no interior e exterior de instalações avícolas, uma vez que a diminuição da qualidade do ar é um dos fatores desfavoráveis ao bem-estar animal, bem como aumento da probabilidade de perdas, causadas por mortalidade das aves. O experimento foi conduzido em uma granja de frangos de corte, localizada em Rio Claro – SP, em dois galpões com tipologias diferentes, sendo que um possui ventilação convencional (G1) e outro com ventilação tipo túnel (G2). A metodologia utilizada foi a coleta de amostra de ar, utilizando a bomba de amostragem pessoal Modelo GilAir-5/Gilian e posterior análise de unidades formadoras de colônias (UFC) das amostras. Como resultados parciais das análises realizadas, foi observado que a relação de UFC entre os ambientes é superior a prevista pela norma, principalmente em G1. A identificação de UFC foi sendo feita com base na morfologia de gêneros, que aponta a presença de fungos toxinogênicos.

Avicultura - Fungos - Ambiência

T769

AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE VACAS CONFINADAS EM SISTEMA DE FREESTALL ATRAVÉS DA ANÁLISE DE IMAGENS EM FUNÇÃO DO MICROCLIMA DE ALOJAMENTO


Felipe Couto de Oliveira (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Marta dos Santos Baracho (Orientadora), MSc Silvia Regina Lucas De Souza e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs, Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Os animais quando confinados necessitam de condições ambientais homogêneas dentro do galpão para que possam expressar suas características genéticas. Para amenizar os efeitos estressantes do ambiente tropical, deve-se entender melhor as relações entre os elementos climáticos e a fisiologia animal. O objetivo do trabalho foi analisar a condição de homogeneidade através do mapeamento de espacialização das condições climáticas dentro do freestall e avaliar o ambiente interno do galpão com relação a presença de fungos. O experimento foi realizado na Fazenda Campestre localizada em São Pedro – SP, utilizando vacas da raça Holandesa em fase semelhante de lactação. A área estudada no galpão foi de 24 m por 12 m divididos em 18 quadrantes medindo 4m2 cada um, para o mapeamento das temperaturas utilizando o programa Surfer 6.0®. Todo o levantamento de dados foi feito no centro geométrico dos quadrantes. Os fungos foram coletados através da exposição de placas de Petri no comedouro, cama e bebedouro. Os resultados mostraram a distribuição uniforme dentro do freestall que conduz à conclusão de que o alojamento encontrava-se em circunstâncias ambientais homogêneas e estáveis, e os fungos encontrados foram fungos do gêneros Aspergillus e Penicillium.

Bovinocultura leiteira - Mapeamento termohigrométrico - Fungos

T770

IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS PRESENTES NA POEIRA (TOTAL E RESPIRÁVEL) EM CRIAÇÕES DE FRANGO DE CORTE


Pedro Henrique de Moura Terra (Bolsista SAE/UNICAMP), Profa. Dra. Marta dos Santos Baracho (Orientadora) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs, Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O conceito de ambiente interno inclui boa qualidade de ar e principalmente condições ótimas de salubridade para os trabalhadores e iguais condições para os animais alojados. A qualidade do ar nas instalações pode ser avaliada pela presença de fungos e bactérias. Estes microorganismos, encontrados em grande quantidade disseminados na natureza, na poeira do ar, no solo, nos vegetais, nos animais, entre outros, variam sua incidência de acordo com numerosos fatores geográficos ou ambientais. Certos fungos produzem compostos que são venenosos aos animais e podem ter efeitos graves, como é o caso das micotoxinas produzidas pelos gêneros Aspergillus, Penicillium ou Fusarium, que podem ser detectados em criações. Assim, em criações intensivas, como é o caso das aves, o ambiente deve ser manejado para permitir aos animais em qualquer estágio de crescimento um meio adequado ao seu desenvolvimento. O objetivo deste trabalho foi avaliar a presença de fungos presentes na poeira em dois galpões de frango de corte com sistemas de ventilação diferenciados e densidades distintas, ara a avaliação da poeira foi utilizado a bomba de amostragem de poeira com capacidade de vazão de 1 a 5 L.min-1 (Modelo Gilair-5/Gilian), que aspira o ar contaminado até o sistema de coleta (filtro) depois estas amostras foram utilizadas para a análise de unidades formadoras de fungos.

Ambiência - Frango de corte - Poluentes aéreos

T771

Veículo Fora-de-Estrada em Terreno Inclinado: Proposta de Geometria 4WS Para Evitar Escorregamento Lateral


Augusto Cesar Sanchez (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Oscar Antonio Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A maioria dos equipamentos Fora-de-Estrada convencionais possuem dificuldade de tráfego em terrenos inclinados, pois os esforços gerados nos pneus sob estas condições são responsáveis pela sua instabilidade direcional.Veículos trafegando nestas condições apresentam limitações para acompanhar trajetórias pré definidas, pois a componente lateral do peso dos equipamentos gera uma tendência de deslocamento lateral, no sentido da declividade, que torna necessário efetuar continuamente correções de trajetória através da angulação das rodas pelo mecanismo de direção. Na medida que o pneu avança sobre o terreno, sucessivos pontos da banda de rodagem entram em contato com o solo. Como cada um desses pontos está localizado abaixo da cota do ponto anterior o equipamento desce como conseqüência de seu avanço. Veículos de direção apenas no eixo dianteiro apresentam escorregamento do eixo traseiro sem possibilidade de correção, resultando num desalinhamento do equipamento. Estudar e conhecer os esforços atuantes sobre um veículo com direção nas quatro rodas (4WS) operando sobre este tipo de terreno, permitirá sugerir correções na geometria de direção destes veículos permitirão melhor controle direcional quando sob condições adversas de uso. Os esforços laterais presentes em pneus Fora-de_estrada foram largamente estudados em situações de terrenos planos. Os objetivos deste trabalho foram selecionar os modelos matemáticos de esforços laterais atuantes em pneus agrícolas, para conduzir um modelamento estático de um veículo genérico, afim de calcular-se os ângulos de esterço necessários às rodas de um veículo 4WS para que o mesmo trafegue em uma trajetória linear pré definida pelo motorista, e propor um sistema de direção que cumpra estes pré-requisitos.

Máquinas agrícolas - Pneus - 4WS

T772

AVALIAÇÃO EXPERIMENTAL DE UMA UNIDADE MOTRIZ COM ACIONAMENTO ELÉTRICO PARA EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS DE BAIXA VELOCIDADE


Daniel Vinicius Miranda Rodrigues (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Oscar Antônio Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Os setores agrícolas, visando uma melhora na qualidade e também uma competitividade dos produtos, vêm buscando novas tecnologias, a fim de obter maior penetração junto ao mercado externo. Existem restrições para a movimentação de equipamentos agrícolas sobre terrenos inclinados em diversas regiões do Brasil. Estas restrições estão associadas em primeiro lugar à falta de estabilidade direcional do equipamento para acompanhar as trajetórias definidas pelas linhas de plantio e também à falta de estabilidade ao tombamento sob condições severas de declividade. O objetivo deste trabalho é avaliar o comportamento elétrico de uma roda motriz direcional com velocidade continuamente variável, através de um inversor de freqüência. Para avaliar o comportamento elétrico, o circuito de alimentação do motor foi instrumentado para o registro de corrente, tensão e potência. O acionamento elétrico proposto representa solução não convencional em equipamentos agrícolas, mas apresenta vantagens importantes em termos de custo, facilidade de manutenção e simplicidade construtiva, comparado com o acionamento hidráulico, mais usado atualmente.

Pneu agrícola - Velocidade variável - Acionamento Elétrico

T773

FORÇAS ATUANTES SOBRE UMA UNIDADE MOTRIZ COM ACIONAMENTO ELÉTRICO OPERANDO EM TERRENO INCLINADO


Gerson Filippini Filho (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Oscar Antônio Braunbeck (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Existem restrições para a movimentação de equipamentos agrícolas sobre terrenos inclinados em diversas regiões do Brasil. Equipamentos com tração e direção nas quatro rodas têm recursos para operar em terreno com inclinação muito superior ao limite de 12 % hoje praticado para a mecanização. O objetivo deste estudo foi avaliar o comportamento mecânico em caixa de solo de uma roda motriz, direcional, com acionamento elétrico de velocidade continuamente variável. Foi projetada uma unidade de tração composta por roda, redutor e motor elétrico, denominada de perna mecânica, a qual é fixada a um transdutor octogonal que permite medir e registrar as forças longitudinal, vertical e transversal em função da patinagem do pneu. O acionamento elétrico proposto representa solução não convencional em equipamentos agrícolas, mas viabiliza o acionamento de diversas funções bastante afastadas no equipamento para o qual têm-se utilizado tradicionalmente transmissões hidráulicas de elevado custo e manutenção complexa para o nível de instrução da mão-de-obra agrícola.

Pneu agrícola - Estabilidade direcional - Terreno declivoso

T774

CARACTERIZAÇÃO DE UM DISCO DE CORTE DENTADO PASSIVO PARA O PREPARO DE SOLO EM PLANTIO DIRETO


Felipe de Souza Andrade (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Paulo Graziano Magalhães (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
No plantio direto, uma ferramenta imprescindível é o disco de corte de rolamento, que tem por função cortar a palhada remanescente sobre o solo oriunda da cultura anterior. Tendo em vista a baixo desempenho deste implemento, este trabalho teve por objetivo avaliar em campo a eficiência de um novo conceito de disco de corte desenvolvido e testado na FEAGRI em condições controladas de laboratório onde se mostrou superior aos discos convencionais disponíveis no mercado.

Para isso comparou-se o seu desempenho com o disco de corte liso (mais utilizado) nas mesmas condições de plantio. O local de cultivo foi caracterizado por resistência à penetração, umidade, e densidade de palhada. Avaliou-se também as cargas vertical, horizontal e o momento aos quais os discos dentado e liso foram submetidos durante o plantio em oito talhões experimentais (quatro para cada disco) utilizando-se célula de carga bidirecional adaptada à estrutura da semeadora. Os dados obtidos foram armazenados em um computador portátil após serem amplificados e filtrados em condicionador de sinais. Verificou-se que o disco de corte dentado apresentou melhor desempenho que o disco liso, com menor resistência à tração, menor exigência de força de tração e maior porcentagem de palha cortada, com embuchamento inferior.

Cultivo de solo - Palhada - Esforço de tração

T775

DESPALHAMENTO DE COLMOS DE CANA-DE-AÇÚCAR UTILIZANDO ESCOVAS COMPOSTAS DE NÁILON.


Nichelle Rodrigues Corrêa (Bolsista PIBIC/SAE) e Prof. Dr. Paulo Graziano Magalhães (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A colheita de cana-de-açúcar crua, sem a queima para efeito de pré-limpeza, vem gradativamente sendo praticada pelos produtores, por motivos ambientais e por força de lei. Contudo o único processo comercial desenvolvido e utilizado para a separação da palha do colmo é por diferença de velocidade terminal e requer que a cana seja picada em rebolos, gerando perdas desnecessárias no processo de colheita. Com o objetivo de desenvolver alternativas viáveis para a remoção da palha do colmo inteiro, neste trabalho procurou-se avaliar a capacidade de um despalhador de cana de açúcar composto de escovas de náilon. Para tanto foram feitos, na primeira etapa do estudo, avaliação dos esforços e deformações de vários tipos de náilon utilizados para a confecção de escovas rotativas. Na segunda fase do estudo foi construído um dispositivo para ensaiar as escovas que forma confeccionada com os dois tipos de náilon que apresentaram melhores resultados na fase anterior. Neste ensaio foram medidas os esforços normais e tangenciais que a escova de náilon pode exercer sobre o colmo da cana e os resultados comparados com os existentes na literatura para se verificar o potencial deste elemento construtivo em sistemas de limpeza de cana-de-açúcar a ser empregado em colhedoras ou sistemas de limpeza estacionários.

Limpeza - Colheita - Cana crua

T776

UTILIZAÇÃO DA RESINA DO OLEO DE MAMONA NA IMPERMEABILIZAÇÃO DE MADEIRAS EM EMBALAGENS


Fabiola Iasi de Barros Costa (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Raquel Gonçalves (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
As embalagens para frutas e hortaliças, e essas têm que atender a alguns parâmetros de qualidade para se adequar à colheita, o manuseio, o processamento, o transporte e a comercialização destes produtos. Com o uso de embalagens adequadas, que atendam às exigências de refrigeração, podem-se obter produtos de melhor qualidade e reduzir significativamente as perdas pós-colheita. As embalagens para produtos hortícolas disponíveis no mercado não cumprem adequadamente esse papel; são desenvolvidas de forma empírica e não atendem as exigências para refrigeração. As caixas de madeira oferecem alta resistência e rigidez estrutural aliada ao baixo custo. Entretanto, nas embalagens encontradas no mercado, o processo de obtenção de tábuas resulta em uma superfície bastante áspera, intensificando os danos mecânicos durante o transporte. Devido às características de resistência, as embalagens de madeira são geralmente reutilizadas; porém, estas embalagens não possibilitam limpeza ou desinfecção. Este projeto vai avaliar a utilização de produto derivado do óleo de mamona na impermeabilização da madeira de reflorestamento para confecção de embalagens hortícolas visando a adequação desse material para a confecção de embalagens adequadas às normas atuais quanto a qualidade da superfície, possibilidade de limpeza e desinfecção para a reutilização e adequação à cadeia do frio.

Embalagem de madeira - Óleo de mamona - Cadeia do frio

T777

Variação da velocidade de propagação de ondas de ultra-som em função de danos físicos em tomates de mesa


Gustavo Garcia de Toledo Camargo (Bolsista SAE/UNICAMP), Profa. Dra. Raquel Gonçalves (Orientadora) e Prof. Dr. Marcos David Ferreira (Co-orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
As perdas na pós-colheita para tomate de mesa podem atingir cerca de 30% e as metodologias existentes para quantificação e observação de danos físicos são, em geral, destrutivas e, conseqüentemente com aplicação possível somente em amostragens, o que dificulta uma correta classificação do produto. O objetivo desse trabalho foi avaliar a existência de variação da velocidade de propagação de ondas de ultra-som, ao longo do tempo, em tomates de mesa que sofreram danos físicos. Para simular os danos físicos os frutos foram lançados de alturas variando de 10 a 40 cm. As velocidades de propagação das ondas foram lidas antes e depois do ensaio de impacto nos diferentes dias e comparadas estatisticamente. A avaliação estatística demonstrou que a velocidade de propagação apresentou diferença estatística para todos os níveis de altura, indicando sensibilidade do equipamento.

Ensaio não-destrutivo - Perdas na pós-colheita - Fruto

T778

AVALIAÇÃO FUNCIONAL E ERGONÔMICA DE DISPOSITIVO DE AUXÍLIO AO TRANSPORTE MANUAL DO FIGO (FÍCUS CARICA L)


Liliana Mie Horiuchi (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Roberto Funes Abrahão (Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O transporte do figo colhido, do pomar até o galpão de beneficiamento, é feito tradicionalmente com cestos de bambu, que são incômodos para manuseio e prejudicam a qualidade final do fruto. Procurando reduzir perdas e melhorar as condições de trabalho, está sendo desenvolvida pela Embrapa - FEAGRI uma nova cesta de colheita, que atenda à necessidade de proteção dos frutos e seja mais cômoda no manuseio. Este trabalho pretende avaliar o projeto da nova cesta do ponto de vista da comodidade de manuseio, levando em conta parâmetros antropométricos e biomecânicos, fazendo, eventualmente, recomendações para o redesenho da cesta. Além disso, pretende-se avaliar a eficiência da nova cesta com relação à proteção efetiva dos frutos durante o transporte. Para tanto, serão utilizados métodos quantitativos e qualitativos. Os ensaios de campo serão realizados em propriedades produtoras de figo da região de Valinhos, São Paulo.

Ergonomia - Figo (Fícus carica L) - Embalagem

T779

DESENVOLVIMENTO DO MECANISMO DE LAVAGEM EM EQUIPAMENTOS DE BENEFICIAMENTO DE TOMATE DE MESA


Michele Carvalho da Silva (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Roberto Testezlaf (Orientador), Pesquisador Dr. Marcos David Ferreira (Co-Orientador), Faculdade de Engenharia Agrícola -FEAGRI, UNICAMP
A etapa de limpeza no sistema de beneficiamento do tomate de mesa é essencial tanto para a aceitação do produto pelo consumidor, quanto para a conservação da qualidade do fruto. Entretanto, a etapa de lavagem dos atuais sistemas de limpeza, utilizada em unidades de beneficiamento, demanda um volume excessivo de água, trazendo sérias preocupações ambientais. O objetivo deste trabalho foi contribuir com informações, buscando a otimização do sistema de lavagem em equipamentos de beneficiamento de tomate de mesa. Para tanto, comparou-se o sistema convencional de limpeza, utilizado atualmente, com um sistema redimensionado utilizando-se sprays comerciais. Foram determinadas as curvas características (vazão versus pressão) para ambos sistemas e comparados os respectivos consumos de água. Avaliou-se também a aplicação da teoria de escoamento em orifícios para obter a curva característica teórica do sistema convencional. Espera-se com os resultados obtidos, recomendar possíveis melhorias nos sistemas de beneficiamento tradicionalmente utilizados na limpeza de frutos de tomate, permitindo o uso racional da água.

Consumo de água - Qualidade - Limpeza

T780

AVALIACÃO DO BEM-ESTAR DE REPRODUTORAS DE FRANGO DE CORTE, UTILIZANDO SE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS DE PRECISÃO


Carlos Eduardo Bites Romanini (Bolsista PIBIC/CNPq), Profa. Dra. Yamilia Barrios Tolón (Orientadora) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Naas (Coordenadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Seguindo as novas tendências de produção e consumo de carnes, a criação de reprodutoras de frangos deve estar relacionada com o bem estar das aves, de maneira que, a ausência desta condição, resulta em um produto de qualidade inferior e baixo valor comercial. O conhecimento do comportamento e da interação social das aves constituem o início do desenvolvimento de sistemas de produção precisos. No presente trabalho, efetuou-se o monitoramento de 27 reprodutoras de frango (Hybro PG) através de câmeras de video e estabeleceu-se parâmetros comportamentais das aves, como reação à variações temporais das condições ambientais térmicas (conforto e desconforto por frio e calor). As atividades comportamentais registradas das aves, como por exemplo, as intensidades de prostração, abertura de asas, auto-bicagem, ciscagem e agressividade apresentaram-se como potenciais reações indicadoras de incômodos e sugerem alteracões no bem-estar. Ferramentas tecnológicas específicas (Matlab, Fuzzy e Data Mining) estão servindo como auxílio na interpretação da interação social e comportamento das aves. Os resultados obtidos até então, podem ser utilizados como base de conhecimento em sitemas mais precisos de controle e gestão do bem-estar na produção de reprodutoras de frango.

Avicultura - Conforto térmico - Bem-estar animal

T781

METODOLOGIA DE IDENTIFICAÇÃO DE ESTRO EM VACAS LEITEIRAS UTILIZANDO LÓGICA FUZZ COMBINADA COM ANÁLISES DE SÉRIES TEMPORAIS (CONTROLE DE SEXO POR TEMPO DE INSEMINAÇÃO)


Leandro dos Anjos Brunassi (Bolsista SAE/UNICAMP), Profa. Dra. Yamilia Barrios Tolón (Orientadora) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Naas (Co-orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
Com as novas técnicas disponíveis, como a Lógica Fuzzy por exemplo, tem-se melhorado cada vez mais a detecção do momento em que as vacas entram em estro. Assim, surgiu também a possibilidade de se estudar os efeitos causados por alterações no tempo de inseminação após a identificação precisa do estro. O Objetivo deste estudo foi o de criar uma metodologia que utiliza a Teoria dos Conjuntos Fuzzy visando melhorar a eficiência na detecção de estro em vacas leiteiras e tornar possível a modificação do gênero dos bezerros nascidos para valores diferentes de 50%; visto que estudos mostram que o gênero dos bezerros depende do tempo de inseminação após estro. A metodologia utilizada foi feita combinando-se com a Lógica Fuzzy dados sobre as variáveis linguísticas “dias desde o último cio” e “movimentação das vacas”. O resultado obtido da defuzificação, onde os dados da interferência fuzzy são transformados em respostas de "cio positivo" ou "cio negativo" feito com uma base de 12 regras pelo método Mamdani obteve um índice de precisão de 79%.

Detecção cio - Vaca leiteira - Lógica Fuzzy

T782

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO PADRÃO PARA AVALIAÇÃO DO AMBIENTE DE MATERNIDADE DE SUÍNOS: (TEMPERATURA E UMIDADE RELATIVA DO AR)


Mauricio Chiarini Amade (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Yamilia Barrios Tolón (Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
O constante aumento da população mundial torna-se necessário o aumento da produção de alimentos, para satisfazer as crescentes necessidades alimentares, principalmente a protéica. É por isto que a partir da década de 60, as antigas criações extensivas passaram a se intensificar, e ter como característica principal o alojamento de um grande número de animais em um espaço reduzido. Esta mudança tornou possível um grande aumento na cadeia produtiva de alimentos de origem animal, mais trouxe como conseqüência a diminuição das condições de conforto do animais. Na maternidade este problema se evidencia ainda mais por conviverem nela duas categorias com exigências ambientais muito diferentes, pois a matriz precisa ser refrigerada, para ter o seu desenvolvimento produtivo e lactante satisfatório, enquanto que o leitão precisa ser aquecido, para não ter o seu conforto térmico comprometido. O objetivo deste trabalho é propor um modelo padrão de conforto térmico na criação de suínos, usando dados já coletados de temperatura e umidade relativa do ar, e não coletados de ruídos, contando com o auxílio da lógica Fuzzy e do MATLAB. Os resultados esperados são a criação de um modelo padrão para conforto térmico na criação de suínos, visando padrões de bem-estar animal e a melhoria do ambiente interno nas instalações de maternidade.Os resultados obtidos no momento foi a fuzificação dos dados de temperatura e umidade do ar resultando em padrão de bem-estar para as matrizes apenas.

Suínos - Bem estar - Lógica Fuzzy

T783

VIABILIDADE ECONÔMICA DA ADOÇÃO DE BEM ESTAR EM SUÍNOS DA CRECHE À TERMINAÇÃO


Paulo Humberto Lopes de Freitas (Bolsista SAE/UNICAMP), Dra. Yamilia Barrios Tolón (Orientadora) e Profa. Dra. Irenilza de Alencar Nääs (Co-Orientadora), Faculdade de Engenharia Agrícola - FEAGRI, UNICAMP
A preocupação com o bem estar animal cresce a cada dia, inclusive na suinocultura. Os países importadores vêm exigindo medidas que aliviem o sofrimento e o estresse animal, através de normas, exigências e prazos. Aos suinocultores, já que os preços pagos pelo mercado são mínimos, a única alternativa que lhes resta é buscar redução de custos de produção, isto é, menor espaço destinado à criação e adoção de tecnologias que aceleram o processo produtivo em escala, fatores que afetam diretamente o bem estar dos animais. A partir de tal problema, este trabalho teve como objetivo estudar a viabilidade econômica para a garantia do bem estar animal em suínos na fase de crescimento (creche à terminação) e elaborar uma pesquisa de opinião pública em estabelecimentos alimentícios de Campinas com o intuito de notar a preocupação do consumidor com o bem estar animal, suas preferências e suas restrições com relação aos diversos tipos de carnes. Houve uma rejeição à carne suína pelos consumidores, tanto por aspectos culturais como por falta de informações, e uma alta preocupação com a bem estar, inclusive com grande intenção de pagar mais por esta garantia, a qual é ainda inexistente no mercado brasileiro.

Bem estar animal - Normas - Custos






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   62   63   64   65   66   67   68   69   ...   80


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande