Universidade estadual de campinas



Baixar 3.62 Mb.
Página39/80
Encontro24.10.2017
Tamanho3.62 Mb.
1   ...   35   36   37   38   39   40   41   42   ...   80

Instituto de Economia

E301

GERAÇÃO DE CENÁRIOS USANDO ALGORITMO DE AGRUPAMENTO PARA GESTÃO DE RISCOS NA COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA


Elton Mário de Lima (Bolsista FAPESP) e Profa. Dra. Rosangela Ballini (Orientadora), Instituto de Economia - IE, UNICAMP
O novo ambiente regulatório e de mercado do setor elétrico brasileiro vem demandando por novas formas de mensuração, análise e desenvolvimento de instrumentos de gestão de riscos. As empresas atuantes no setor necessitam investir esforços de pesquisa e desenvolvimento que dêem suporte à avaliação e gestão de riscos, permitindo subsidiar os processos decisórios sobre negociação de energia elétrica. Este trabalho visa desenvolvimento de uma metodologia de geração de cenários, a ser construído com base nos fatores de risco mais relevantes aos quais estão expostas as empresas e que formão um substrato consistente para avaliação de riscos decorrentes das negociações de energia elétrica. Para a identificação das variáveis mais relevantes na formação do risco, este trabalho propõe o uso de métodos de agrupamento de dados baseados na teoria de lógica nebulosa como uma técnica para exploração dos dados e para determinar as relações e padrões correlacionados. Os resultados obtidos na operação de agrupamento de dados são usados para verificar as características de uma base de dados, como dados de entrada para os modelos estocásticos que permitirão a geração de cenários das respectivas variáveis de risco ao longo do horizonte de análise.

Mercado de energia elétrica - Método de agrupamento - Geração de cenários



Instituto de Filosofia e Ciências Humanas

E302

CHEFIAS DOMÉSTICAS E VULNERABILIDADE SOCIODEMOGRÁFICA


Fabrício Kuriki (Bolsista IC/CNPq), Camila Antonino (Bolsista AT/CNPq) e Profa. Dra. Elisabete Dória Bilac (Orientadora), Núcleo de Estudos de População - NEPO e Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP
Este trabalho insere-se no subprojeto Vulnerabilidade Sociodemográfica e Famílias em Regiões Metropolitanas Paulistas, o qual, por sua vez, integra o projeto temático Vulnerabilidade Sócio Demográficas em regiões metropolitanas paulistas: o caso de Campinas e Santos. Realizou-se uma análise comparativa entre as cidades de Campinas e Hortolândia, partindo-se do conceito de vulnerabilidade sociodemográfica. Tal noção possui um caráter multidimensional, pois envolve indivíduos, grupos e comunidades em planos diversos do bem-estar social, de diferentes formas e intensidades variadas. Procurou-se verificar em que medida o sexo do chefe do domicílio seria significativo de maior ou menor vulnerabilidade social do grupo familiar. Para esta análise, ainda exploratória, foram utilizados indicadores de renda e de escolaridade, tomados do IDH-1991-2000 e dados fornecidos pelo Censo 2000. A combinação de algumas variáveis pode ser considerada emblemática em relação à análise da vulnerabilidade sociodemográfica. Trabalhamos com algumas medidas estatísticas descritivas das variáveis citadas anteriormente, para verificarmos a situação dos arranjos domiciliares em Campinas e Hortolândia. Propomos um modelo linear geral para fazer uma análise de variância entre estes dois municípios, e analisar quais variáveis são significantes dentro deste modelo de vulnerabilidade.

Vulnerabilidade sociodemográfica - Chefias domésticas - Campinas e Hortolândia

E303

FEIXES SOBRE ÁLGEBRAS DE HEYTING E APLICAÇÕES À TEORIA DE CONJUNTOS FUZZY


Teófilo de Souza Reis (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Esteban Coniglio (Orientador), Instituto de Filosofia e Ciências Humanas - IFCH, UNICAMP
O conceito de feixe é central em matemática, sendo utilizado em diferentes áreas tais como topologia algébrica, geometria e análise matemática. A noção de feixe é generalizada através do conceito de feixes sobre um site (ou topos de Grothendieck). Casos particulares de especial interesse são os topos de feixes sobre álgebras de Heyting completas, que, conforme mostrado nos recentes trabalhos de U. Höhle, são o ambiente matemático mais adequado para se definir e analisar a teoria de conjuntos fuzzy. Desta forma, conceitos fundamentais da teoria de conjuntos fuzzy, como funções de pertinência, medidas de pertinência, ordens fuzzy e equações relacionais fuzzy, passam a ter uma formulação categorial no topos de feixes sobre o intervalo real unitário [0, 1], e podem ser analisados usando-se resultados das bem estabelecidas teoria de categorias e teoria de feixes. Esta nova abordagem, além de fornecer uma melhor fundamentação para a teoria de conjuntos fuzzy, ainda permite resolver problemas desta teoria usando-se ferramentas desenvolvidas em outros ramos da matemática.

Feixe - Álgebra de Heyting - Conjuntos fuzzy



Instituto de Física "Gleb Wataghin"

E304

ESTUDO DA EFICIÊNCIA DA FLUORESCÊNCIA DO NITROGÊNIO NA ATMOSFERA


Carlos Henrique Alves Pereira (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Anderson Campos Fauth (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
A fluorescência do nitrogênio na atmosfera é um dos principais meios de análise de chuveiros atmosféricos extensos de energia superior a 1018eV utilizado hoje em todo o mundo. Neste trabalho a eficiência da fluorescência do nitrognênio é feita utilizando-se uma câmara construída no laboratório simulando condições atmosféricas diversas (variação de pressão e composição do gas na câmara) e um feixe de de elétrons emitidos por uma fonte radioativa de 90Sr a fim de excitar o nitrogênio dentro da câmara para que a fluorescência ocorra. Os dados são coletados utilizando módulos Camac e NIM e transmitidos ao computador por uma interface GPIB para que possam ser analisados com programas em linguagem C e C++. A fluorescência ocorre pois os elétrons emitidos pela fonte radioativa atravessam a câmara incidindo em um detector de partículas. Durante essa travessia eles podem excitar as moléculas de Nitrogênio que, depois de um certo tempo característico, voltam ao estado não excitado emitindo um fóton com a energia de excitação. A coincidência entre esses dois eventos (detecção do elétron e do fóton) é analisada. Cada energia do elétron emitido está associada a uma eficência (fótons emitdos por metro percorrido pelo elétron no gas) de fluorescência e é esse estudo que foi realizado.

Fluorescência - Chuveiros atmosféricos extensos- Raios cósmicos

E305

DETERMINAÇÃO DA DIREÇÃO DE CHEGADA DE CHUVEIROS ATMOSFÉRICOS EXTENSOS


Walan C. Grizolli (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Anderson Campos Fauth (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Raios cósmicos são partículas de altas energias que incidem na Terra vindas de todas as direções. Quando um raio cósmico de alta energia entra na atmosfera terrestre ele interage com um núcleo atômico dando origem a uma cascata de partículas conhecida como Chuveiro Atmosférico Extenso (CAE). O estudo de raios cósmicos com energia acima de 1014eV é realizada através da detecção dos chuveiros atmosféricos extensos, que são caracterizados como um disco de partículas relativísticas que chega à superfície terrestre. A determinação da direção de chegada foi realizada utilizando doze detectores de partículas construídos com placas de cintilador plástico de 100x80x2,5 cm3. Estes detectores estão distribuídos em uma área de aproximadamente 20x20 m2 localizada no IFGW e detectam CAE's. Com medidas de tempo de chegada da frente de partículas aplicamos o método de tempo de vôo e determinamos a direção de chegada de cada CAE. A aplicação do método e a análise dos dados foi realizada utilizando rotinas computacionais escritas em ROOT/C++, e nos fornecem a distribuição zenital e azimutal da direção de incidência dos CAE's. Para determinação do erro relativo, aplicamos o método de reconstrução para dois subgrupos de detectores de um mesmo evento. Obtivemos assim uma resolução angular para o experimento de 3,9o.

Raios cósmicos - Chuveiros atmosféricos extensos - Direção de chegada

E306

SIMULAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE CRIPTOGRAFIA QUÂNTICA


Felipe de Campos Lourenço (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Antonio Vidiella Barranco (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
A criptografia quântica tem como característica principal o fato da sua segurança estar baseada em características físicas intrínsecas da natureza. Devido à isso, hoje ela aparece como a principal alternativa à criptografia clássica atualmente utilizada, e cuja segurança está baseada, em última análise, na falta de recursos computacionais. O estudo que está sendo realizado aborda inicialmente os tópicos em física quântica, necessários para o entendimento dos protocolos de criptografia; uma revisão dos principais algoritmos de criptografia clássica; estudo dos protocolos de criptografia quântica que envolvem fótons únicos e as propostas alternativas dessa área que são os protocolos que envolvem variáveis contínuas (estados coerentes contendo muitos fótons). A segurança deste protocolo está baseada na codificação da chave em variáveis relacionadas ao campo eletromagnético que não podem ser medidas simultaneamente com precisão absoluta (quadraturas do campo). Nosso objetivo final é o desenvolvimento de uma simulação computacional de um protocolo de variáveis contínuas utilizando a luz laser (estados coerentes). Através desta simulação será possível investigar o funcionamento deste protocolo em diversas situações, assim como verificar a ação de um possível espião.

Criptografia quântica - Estados coerentes - Simulação

E307

GERAÇÃO DE SUPERCONTÍNUO EM FIBRAS ÓPTICAS


Elita Selmara de Abreu (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Henrique de Brito Cruz (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Neste trabalho estudamos a geração de supercontínuo em fibras ópticas.Os efeitos não lineares envolvidos são Espalhamento Raman e Automudalação de Fase, que se combinam com a Dispersão da Velocidade de Grupo. Analisamos  o espectro gerado na saída da fibra bombeada por um laser de Ti:Safira, para comprimento  e potência de bembeio diferentes. Podemos caracterizar a dispersão da fibra e qual o efeito não linear predominante. Notamos que no regime de dispersão normal, o efeito predominante é o de automodulação de fase, o que para baixas potências de bombeio significa uma perda de até 40% da intensidade do feixe. Esta  perda pode ser minimizada com o aumento da potencia de bombeio e/ou diminuindo do comprimento da fibra, onde a automodulação de fase combina-se com a dispersão da velocidade de grupo resultando em um alargamento espectral do pulso temporalmente alargado onde a varredura de freqüência é linear. Já o Espalhamento Raman torna-seevidente no regime de dispersão anômala, onde podemos ver sólitons no espectro de saída.

Laser - Fibra óptica - Supercontínuo

E308

CONSTRUÇÃO DE IMAGENS 2D E 3D EM MICROSCOPIA CONFOCAL MULTIFÓTON: UTILIZAÇÃO DE QUANTUM DOTS COMO MARCADORES FLUORESCENTES


André Alexandre de Thomaz (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Lenz Cesar (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Quantum dots são nanocristais de materiais semicondutores. Por ser tão pequeno, elétrons e buracos, sofrem um forte confinamento quântico, modificando as propriedades ópticas desses materiais. Nos últimos anos quantum dots coloidais começaram a substituir os marcadores orgânicos comumente utilizados em microscopia de fluorescência. Com as eficiências de fluorescência comparáveis e as larguras de linha de emissão um pouco menores do que a dos marcadores convencionais, a principal vantagem dos quantum dots é a ausência do “photobleaching”, ou esmaecimento da fluorescência. Outra grande vantagem vem do fato de que um único laser pode excitar diferentes bandas de emissão nos quantum dots. Neste trabalho damos continuidade ao trabalho desenvolvido entre Agosto/2003 a Julho/2004 onde desenvolvemos um sistema “homemade” de Microscopia Confocal Multifóton. Com esse sistema contruímos imagens de células marcadas com quantum dots de CdTe e CdS funcionalizado com glutaraideído. As imagens foram construídas a partir de intensidades luminescentes adquiridas por uma câmera CCD em cada ponto da amostra por uma varredura de um estágio de translação XYZ, sendo a excitação das amostras feitas por um laser de Ti:Safira pulsado de femtosegundos.

Microscopia confocal multifóton - Quantum dots - Construção de imagens

E309

PRODUÇÃO E FUNCIONALIZAÇÃO DE QUANTUM DOTS PARA USO EM MICROSCOPIA DE FLUORESCÊNCIA


Diogo Burigo Almeida (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Carlos Lenz César (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Os pontos quânticos de semicondutores na forma coloidal, também conhecidos com Quantum Dots têm sido responsáveis por um grande volumede publicações, seja no âmbito de ciência básica ou aplicações em campos diversos, dentre eles a biotecnologia. O domínio das metodologias de síntese destes pontos quânticos é o primeiro e fundamental passo para futuras aplicações e pesquisas. Neste trabalho apresentamos nossos resultados na síntese de pontos quânticos CdTe, CdSe e CdSe:Mn2+. Estes pontos quânticos apresentam picos de absorção bem definidos e são altamente luminescentes na região do visível. Estas características podem ser sintonizadas a partir das condições de síntese e/ou por processamentos posteriores. Foram realizadas várias sínteses nas quais variamos algusn parâmetros a fim da obtenção da melhor rota de produção. Estas nanopartículas são caracterizadas através de Espectroscopia de Absorção Óptica, Fotoluminescência e difração de Raios-X. Conseguimos o sucesso de seu uso como marcadores fluorescentes através da marcação de macrófagos, com os quais obtivemos imagens de microscopia confocal e também mapas de fluorescência através de excitação por absorção de dois fótons, demonstrando a capacidade e qualidade de nosso processo de síntese.

Nanocristais - Síntese - Marcadores celulares

E310

RECONSTRUÇÃO DE CHUVEIROS ATMOSFÉRICOS EXTENSOS UTILIZANDO TELESCÓPIOS DE FLUORESCÊNCIA E DETECTORES DE SUPERFÍCIE


Alain-Jacques Lucien de Burlet (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Carola Dobrigkeit Chinellato (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin”, UNICAMP
Inserido no projeto da construção do Observatório Pierre Auger na cidade de Malargüe na Argentina, este projeto consiste em estudar técnicas de reconstrução da energia de partículas primárias da radiação cósmica através dos chuveiros atmosféricos extensos por elas gerados. Este tipo de estudo é importante, tendo em vista que um dos principais objetivos do Observatório é estudar o espectro de energia dos Raios Cósmicos. Neste trabalho, foi desenvolvido um programa de simulação para ambos o telescópio e a luz de fluorescência, emitida devido à passagem de partículas do chuveiro na atmosfera. Através deste programa de simulação, foram estudados dois modelos de reconstrução diferentes, de forma a entender qual modelo é mais eficiente. Além disso, foi possível avaliar a capacidade de detecção do telescópio de fluorescência para chuveiros de diferentes partículas primárias.

Raios cósmicos - Monte Carlo - Simulação

E311

MONITORAMENTO DA FORMAÇÃO DE CAMADAS DE TENSO-ATIVOS EM SUBSTRATO DE OURO EMPREGANDO A EQCM


Wyllerson Evaristo Gomes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. David Mendez Soares (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Tenso-ativos são moléculas anfipáticas, possuindo um grupo polar e uma ou mais cadeias não polares. Elas formam estruturas auto-organizadas em solução, chamadas micelas. Membranas celulares também são constituídas por estas moléculas, o que justifica o grande interesse no estudo das mesmas. A EQCM (Electrochemical Quartz Crystal Microbalance) vem sendo utilizada em muitos trabalhos para acompanhar o processo de formação das camadas de tenso-ativos em meio aquoso sobre superfícies sólidas. Para filmes finos depositados sobre o eletrodo de ouro da micro-balança, existe uma correspondência direta entre a variação de massa e a variação da freqüência de ressonância da mesma. Neste trabalho, empregou-se a EQCM para o monitoramento do processo de adsorção dos tenso-ativos Dodecil Sulfato de Sódio (SDS) e Brometo de Cetil Trimetil Amônio (CTAB) sobre a superfície do eletrodo. Também mediu-se a variação temporal de potencial de circuito aberto durante o processo. Durante as adições de SDS ou CTAB à solução aquosa (concentração final abaixo da cmc) acompanhou-se a dinâmica de formação de camadas organizadas dos tenso-ativos e a neutralização das cargas na superfície formada pelos respectivos contra-íons (Na+ ou Br-). Posteriormente, as bicamadas formadas foram detectadas utilizando o AFM (Atomic Force Microscopy) através de medidas de força vs. distancia do eletrodo.

SDS - CTAB - EQCM

E312

ESTUDO DE SUPERFÍCIES E NANOBASTÕES METÁLICOS UTILIZANDO DINÂMICA MOLECULAR COM UM POTENCIAL EMPÍRICO


Giovani Manzeppi Faccin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Edison Zacarias da Silva (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Neste trabalho estudamos modelos simples de um pequeno nanobastão e de falhas em superfícies de ouro utilizando dinâmica molecular clássica com um potencial empírico de muitos corpos no ensemble canônico (N,V,T). Através das simulações algumas propriedades térmicas e mecânicas destes materiais são estimadas, gerando assim informação sobre o comportamento destas estruturas no estado sólido, na transição sólido-líquido e também em situações nas quais deformações estruturais são induzidas por um agente externo.

Dinâmica molecular - Metais - Simulação

E313

LINHAS LASERS DE 12CH3OH E OUTROS ISÓTOPOS NO INFRAVERMELHO LONGÍNQUO


Fábio Rogério de Moraes (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Elza da Costa Cruz Vasconcellos (Orientadora), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
O laser pode ser descrito numa maneira simplificada, como sendo uma fonte luminosa que utiliza a luz emitida por um átomo ou molécula para estimular a emissão de mais luz por outros átomos ou moléculas, e, neste processo, amplificar a luz original. Esses átomos ou moléculas são previamente preparados, ou seja, excitados para energias mais altas. Ao perderem a energia armazenada o fazem pela emissão de luz que inicia todo o processo em cadeia. O estudo é dirigido ao laser de metanol (12CH3OH) e seu estimulo feito pelo laser de CO2, sendo levantado um estudo sobre as novas linhas de do laser de metanol da última década além de outros isótopos como 12CH2DOH, 12CD3OH e 12CH3OD, onde D é o deutério, isótopo do hidrogênio. Pode-se atribuir a esse estudo algumas das suas aplicações nas indústrias (automotivas e aeroespaciais, entre outras) e também em outros ramos da ciência (como a medicina), mostrando-se assim uma área de grande interesse multidisciplinar. Serão tratados também, as tecnologias dos lasers de emissão contínua (comum) e os lasers pulsados que podem fornecer uma grande quantidade de energia em um único pulso de luz.

Laser - Infravermelho longínquo - Metanol

E314

LINHAS LASER OBTIDAS DE ISÓTOPOS DE METANOL NO INFRAVERMELHO LONGÍNQUO


Luis Fernando da Silva Ribeiro (Bolsista SAE/UNICAMP) e Profa. Dra. Elza da Costa Cruz Vasconcellos (Orientadora), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Desde os anos 60 o laser tem sido objeto de estudo de vários pesquisadores, esta fonte de radiação eletromagnética basicamente é obtida através dos níveis de energia de um átomo ou molécula, ou melhor, da variação destes níveis de energia. Onde um átomo ou molécula excitado num determinado nível energético emite radiação ao atingir um estado de equilíbrio natural ou um estado energético mais favorável. Essa radiação tem um aproveitamento devido ao seu caráter energético e ondulatório que pode ser utilizada como fonte de energia para as mais variadas aplicações.

O estudo é dirigido ao laser de metanol, obtido através do estímulo de uma fonte laser de CO2, e tem grande importância devido a variedade de linhas laser obtidas de diferentes comprimentos de onda e intensidades. A molécula de metanol tem por isso recebido destaque no estudo de novas fontes laser e diversos experimentos e dados têm sido obtidos nos últimos dez anos, tornando-se assim de fundamental importância a síntese desses resultados, com isso proporcionando aos pesquisadores da área um material de referência no desenvolvimento e pesquisa científica.

Laser - Metanol - CO2

E315

CRISTALIZAÇÃO INDUZIDA POR ALUMÍNIO EM FILMES FINOS DE GERMÂNIO AMORFO HIDROGENADO – O PAPEL DO HIDROGÊNIO NA CRISTALIZAÇÃ


Lucas Romano Muniz (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Ivan Emilio Chambouleyron (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Neste projeto comparamos os mecanismos de cristalização induzidos pelo alumínio nos filmes de a-Ge(Al) com aqueles filmes de germânio amorfo hidrogenados [a-Ge:H(Al)]. Estes últimos filmes foram depositados sobre Vidro Corning 7059 e sobre discos de c-Si muito puros. Eles contêm quantidades variadas e controladas de alumínio (impureza), como no caso sem hidrogênio. Fizemos estudos comparativos entre os Espectros Raman dos filmes com e sem hidrogênio recozidos a temperaturas crescentes até a cristalização total do filme. Desta maneira conseguiremos estabelecer o papel e a influência da presença do hidrogênio na rede amorfa do germânio. O objetivo deste projeto visa investigar a influência da presença do hidrogênio na rede amorfa do germânio sobre a temperatura de cristalização dos filmes. A natureza desta influência, bem como os mecanismos microscópicos responsáveis pela cristalização a baixas temperaturas, poderão ser estabelecidos da comparação com os resultados obtidos em filmes idênticos, mas em hidrogenar. Acreditamos assim poder contribuir para uma melhor compreensão dos processos de cristalização parcial do germânio amorfo através da análise dos Espectros de Espalhamento Raman de amostras com e sem hidrogênio e, assim completar a caracterização deste tipo de semicondutor. Poderemos também fazer um estudo comparativo das quantidades de alumínio presentes nas amostras, e conseguir estabelecer como os Espectros Raman são alterados nas amostras com e sem a presença de hidrogênio para uma mesma concentração de alumínio. Verificaremos assim a faixa de concentração necessária para induzir a cristalização parcial ou total dos filmes.

Filmes finos - Germânio - Alumínio

E316

INFORMAÇÃO QUÂNTICA CRIPTOGRAFADA USANDO MEIOS CONTÍNUOS


Rafael Lessa Menezes (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. José Antônio Roversi (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
As comunicações eletrônicas entre quaisquer pessoas são hoje uma realidade, em grande medida, graças aos desenvolvimentos da criptografia no último quartel do século XX. A criptografia é a ciência que se preocupa com a elaboração de métodos seguros para esconder as informações em transito de partes não autorizadas. O desenvolvimento da criptografia quântica começou com idéias apresentadas na década de 80 com a proposta de Bennett e Brassard em 1984 (o BB84) e a realização experimental de um protocolo criptográfico quântico em 1990 que gerou um boom em pesquisas na área. Atualmente a distribuição quântica de chaves já é uma realidade no mercado de segurança de informação, pelo menos para curtas distâncias. Foram realizados, durante um semestre, estudos em criptografia clássica, abordando protocolos simétricos e assimétricos, análise de protocolos, problemas de distribuição de chaves criptográficas. Uma introdução aos formalismos e problemas da teoria de informação, da mecânica quântica, e da informação quântica foram feitos. O formalismo de sistemas simples de dois níveis, utilizados na distribuição quântica de chaves em criptografia, foi analisado. A polarização da molécula de amônia, como apresentada por Feynman, e as polarizações verticais e horizontais de fótons serviram de modelos básicos de sistema simples de dois níveis. As “comunicações quânticas” serão, e têm sido, realidades graças também ao desenvolvimento da criptografia quântica.

Criptografia - Criptografia quântica - Informação quântica

E317

ESTIMATIVA DA TENSÃO CONGELADA EM FIOS MAGNÉTICOS AMORFOS A BASE DE COBALTO USANDO O EFEITO DA MAGNETO-IMPEDÂNCIA GIGANTE


Diogo Broch Canola (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Knobel (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
O efeito da Magneto-Impedância Gigante é caracterizado pela mudança brusca da impedância complexa (Z = R + iX) em materiais magnéticos moles sob influência de campos magnéticos externos. A solução das equações de Maxwell para o problema de uma amostra magnética (fio ou fita) sendo percorrida por uma corrente alternada revela a dependência de sua impedância com a permeabilidade magnética transversal e com a freqüência da corrente de excitação [1]. Esses parâmetros determinam a profundidade de penetração magnética que nos dá uma idéia de quanto o campo magnético circular penetra no interior da amostra. Em materiais com geometria cilíndrica o valor da freqüência combinado com a permeabilidade magnética () pode determinar cascas cilíndricas concêntricas por onde a corrente efetivamente flui. Neste trabalho apresentaremos uma maneira de estimar a tensão congelada no interior das cascas cilíndricas originadas no intervalo de 1 f 5 MHz. Os resultados apontam para uma possível distribuição radial de tensões congeladas que pode estar relacionada com um gradiente de temperatura existente no processo de fabricação do fio. [1] L. D. Landau e E. M. Lifschitz, Electrodynamics of Continuous Media, p 195 (1984).

Magneto-impedância gigante - Materiais amorfos - Anisotropias

E318

FENOMENOLOGIA DAS OSCILAÇÕES QUÂNTICAS DE NEUTRINOS VIA PACOTES DE ONDA


João de Abreu Barbosa Coelho (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Marcelo Moraes Guzzo (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Os dados experimentais de neutrinos solares, atmosféricos, de aceleradores e reatores nucleares mostram que estes sofrem oscilações quânticas de sabor. O fenômeno de oscilação está intrinsecamente ligado a uma propriedade fundamental da mecânica quântica, a superposição de estados. Considera-se os neutrinos como superposições de autoestados de massa e a abordagem fenomenológica usual considera-os ondas planas. As ondas planas são apenas aproximações da natureza dos autoestados de massa, já que os últimos têm dimensão finita e as ondas planas são infinitas. Para neutrinos de fontes muito distantes, este formalismo pode não funcionar, pois não leva em conta que autoestados de massa de dimensões finitas deixarão de se superpor em determinado ponto. Neste trabalho estudou-se a fenomenologia das oscilações de sabor de neutrinos usando ondas planas e pacotes de onda para fins de comparação. Tais estudos foram discutidos em reuniões semanais com um grupo de iniciação científica da área de física de partículas. Verificamos que, para todos os casos, exceto supernovas, a aproximação no modelo de ondas planas é satisfatória e deduzimos um comprimento de coerência para estimar em que casos poderíamos encontrar divergências entre os formalismos usados.

Oscilações de neutrinos - Pacotes de onda - Quântica

E319

OSCILAÇÃO DE SABORES DOS NEUTRINOS E OS NEUTRINOS SOLARES


Priscila Massetto de Aquino (Bolsista SAE/UNICAMP) e Prof. Dr. Marcelo Moraes Guzzo (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Reações no interior do núcleo solar liberam uma grande quantidade de energia responsável por toda luz e calor provenientes do sol, e produzem um fluxo intenso de neutrinos eletrônicos que, por sua vez, carregam uma parte desta energia. Desde a década de 70, alguns experimentos vêm sendo realizados com o objetivo de detectar estes neutrinos solares (sendo possível identificá-los através de sua energia). Os primeiros resultados já mostraram que o fluxo obtido era de apenas 1/3 do valor esperado, e experimentos posteriores somente confirmaram este problema, que foi chamado de "Problema do Neutrino Solar". Neste presente trabalho quisemos entender como o "Modelo de Oscilação de Sabores de Neutrinos" consegue resolver este "desaparecimento de neutrinos".

Neutrinos solares - Oscilação de sabores - Modelo solar

E320

STRUCTURAL PROPERTIES OF PROTEIN CRYSTALS FROM XYLLELA FASTIDIOSA


Gabriela Simone Lorite (Bolsista PIBIC/CNPq) e Profa. Dra. Mônica Alonso Cotta (Orientadora), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
Different proteins are found in the human body, bacteria, plants and animals. The protein structure is indispensable for correctly determining the biological function of these macromolecules, which may lead to the development of new drugs, for example. Protein crystallization is a key process for the study of the protein structure and, consequently, its function. In this work we show the study of protein crystallization mechanisms by Atomic Force Microscopy (AFM). Crystallized proteins were prepared in tampon solution. A special experimental methodology was developed for imaging the crystals in the very viscous solution where they grow, in order to prevent a strong dampening of the signal. Several protein crystals were imaged, showing either the presence of small crystallites or wider and smoother surfaces, more characteristic of crystal growth. In particular, protein crystals of the phytopathologic bacterium Xyllela Fastidiosa (XF) were more thoroughly analyzed. This protein is involved in the stabilization of the cellular wall in stress episodes. We have observed nanowire structures superimposed on the typical crystalline surface. The nanowires were ~ 1,5nm in height. The hypothesis of lysosime contamination of the Xyllela samples was investigated, since lysosime was used to extract the XF protein of the bacterium and also shows the formation of similar structures. However, samples with no lysosime also presented the nanowires on the crystal surface, indicating the possibility of a different route in the crystallization dynamics of the XF protein.

Protein crystals - AFM - Xyllela fastidiosa

E321

ESPECTROSCOPIA DE GRADE DUPLA NO TOKAMAK NOVA-UNICAMP


Rafael Henrique Zerbetto (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Munemasa Machida (Orientador), Instituto de Física "Gleb Wataghin" - IFGW, UNICAMP
O tokamak é uma máquina promissora para a obtenção de energia elétrica a partir da fusão termonuclear controlada, que poderá ser uma importante fonte de energia em um futuro próximo. Para que se possa controlar as reações de fusão, é necessário desenvolver diagnósticos que permitam determinar parâmetros importantes do plasma produzido em seu interior. Neste trabalho foram feitas medidas de temperatura iônica através do alargamento Doppler das quatro primeiras linhas espectrais da série de Balmer do hidrogênio. O uso de um espectrômetro de grade dupla nos permite obter valores mais precisos destas temperaturas, pois sua resolução espectral é cerca de quatro vezes melhor do que a de um espectrômetro de grade simples, resultando em medições mais precisas do alargamento Doppler. A partir da curva de alargamento instrumental do espectrômetro pode-se obter sua resolução espectral. Para a linha H, correspondente à transição eletrônica menos energética da série, foi encontrada a temperatura mais baixa, enquanto para a linha H, a mais energética dentre as analisadas, foi encontrada a temperatura mais alta. Este método também pode ser aplicado a outros tipos de plasmas, inclusive plasmas frios.

Fusão controlada - Tokamak - Diagnóstico de plasmas

E322

ESTUDO DE CONTATO ÔHMICO NOS SISTEMAS GaAs/InGaP E InGaAs/InP


Júlio César Bertin (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Newton Cesário Frateschi (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
O desenvolvimento de contatos ôhmicos é de fundamental importância para dispositivos eletrônicos e optoeletrônicos, especialmente em dispositivos com tamanhos reduzidos onde torna-se crucial a redução da resistência elétrica.

Afim de realizar um estudo sistemático de contatos, foi desenvolvido um sistema automatizado de tratamento térmico de amostras de semicondutores com metalização. Realizamos uma série de medidas usando o método TLM, variando a temperatura de recozimento do material e o tempo desse tratamento, de tal forma a permitir uma otimização da resistividade de contato.

Nesse trabalho, apresentaremos os resultados da caracterização de contatos ôhmicos usando a liga Au/Ge/Ni em camadas de InP e GaAs tipo-n e usando Ti/Pt/Au em camadas de GaAs e InGaAs tipo-p. Por fim, os valores otimizados de contato serão aplicados à fabricação de diodos, para verificarmos características elétricas como resistência em série, fator de idealidade e corrente de fuga.

Contatos ôhmicos - Semicondutores - Resistividade de contato

E323

FONTE DE LARGA BANDA ESPECTRAL COM EMISSÃO POTENTE NA REGIÃO DO INFRAVERMELHO PRÓXIMO (BANDA C)


Tacita Ansanello Ramos (Bolsista FAPESP) e Prof. Dr. Newton Cesário Frateschi (Orientador), Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
A fabricação de um emissor de grande intensidade de luz “branca”, isto é, pouco coerente, e em apenas uma direção é de interesse para imageamento infravermelho. Para tal, requer-se primeiramente que a emissão do laser seja baseada na amplificação de emissão espontânea, evitando-se ao máximo a formação de modos ópticos ressonantes. No intuito de eliminar a formação de modos ressoante e ao mesmo tempo permitir a reflexão dos fótons em um dos espelhos do laser, buscando a emissão de luz em apenas uma direção, é necessário desenvolver camadas anti-refletoras e refletoras, a serem depositadas nos espelhos do laser. Com uma corrente aplicada ao laser, fótons são gerados dentro da cavidade óptica e ao atingirem a camada refletora retornaram saindo do laser apenas através da camada anti-refletora. Neste trabalho, apresentaremos os resultados do desenvolvimento de um emissor de luz a partir da fabricação de lasers de semicondutor do tipo ridge (5 um x 1um), emitindo em 1500 nm, e do desenvolvimento de camadas anti-refletoras utilizando a mistura de 50%de SiO e 50% de SiO2 gerando uma refletividade do espelho 100 vezes menor que antes da deposição, e de camadas refletoras feitas como espelhos de Bragg com camadas de Si e SiO2, gerando uma refletividade próxima a 80%.

Emissor de luz - Infravermelho próximo - Laser de semicondutor

E324

ESTUDO DO EFEITO MAGNETOCALORICO


Braulio Uehara Trava (Bolsista PIBIC/CNPq) e Prof. Dr. Sergio Gama, Instituto de Física “Gleb Wataghin” - IFGW, UNICAMP
O efeito magnetocalórico corresponde ao aumento de temperatura quando um corpo magneticamente ordenado é submetido adiabaticamente a um campo magnético. O efeito é reversível, ou seja, corresponde também ao abaixamento de temperatura quando o corpo é retirado do campo. O efeito é mais intenso nas vizinhanças da transição de fase magnética, ou seja, ao redor da temperatura de Curie. De grande interesse são os materiais que apresentam transições magnéticas de primeira ordem, em geral acopladas a transições estruturais. Dentre estes, destacam-se os compostos do tipo MnAs1-xSbx, para os quais o efeito magnetocalórico é gigante e que apresentam temperatura de Curie ao redor de 300K para x=0,1. O presente projeto de iniciação propôs a síntese deste composto através da técnica de encapsulamento em cadinho de nióbio, mas os resultados ficaram longe do esperado, portanto mudamos o método primeiramente utilizando um forno de resistência de grafite de alta pressão e com máxima temperatura de 1600ºC e no momento estamos sintetizando a amostra em um tubo de quartzo que é levado á um forno tubular que alcança uma temperatura de 1200ºC. As amostras assim obtidas foram submetidas a caracterização estrutural (utilizando metalografia e difração de raios-X), magnética e magnetocalórica (utilizando o magnetômetro SQUID).

Síntese - MnAsSb - Efeito magnetocalórico






Compartilhe com seus amigos:
1   ...   35   36   37   38   39   40   41   42   ...   80


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande