Ufv / VIII simpos / outubro de 2008 / veterinária estenose esofágica intramural causada por esofagite por refluxo – relato de caso



Baixar 5.07 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho5.07 Kb.






UFV / VIII SIMPOS / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA



ESTENOSE ESOFÁGICA INTRAMURAL CAUSADA POR ESOFAGITE POR REFLUXO – RELATO DE CASO

LAILA DE PAULA BONFÁ (Não Bolsista/UFV), PAULO RENATO DOS SANTOS COSTA (Orientador/UFV), TATIANA SCHMITZ DUARTE (Colaborador/UFV), FABIANO LUIZ DULCE DE OLIVEIRA (Não Bolsista/UFV), FÁBIO MEDICI ALVARENGA (Não Bolsista/UFV)



Estenose esofágica intramural pode ocorrer após intensa esofagite, decorrente da fibrose associada ao processo cicatricial. As principais causas de esofagite são refluxo gastroesofageano de ácido gástrico e enzimas durante anestesia geral e corpos estranhos. Sinais clínicos de regurgitação, disfagia, apetite voraz e perda de peso, em animais alertas, sugerem obstrução esofágica parcial. Os sinais clínicos ocorrem 5-14 dias após o início de uma lesão. O diagnóstico é possível com radiografias contrastadas e endoscopia que ao mesmo tempo permite o tratamento, por meio de cateterização com velas progressivamente maiores passadas pela estenose resultando em dilatação da mesma, repetido em intervalos de 5-7 dias com o número total determinado pela resposta clínica, ou por dilatação por cateter com balão que é o método preferido devido a sua menor probabilidade de perfuração e devem ser realizados geralmente 2-5 vezes em intervalos de 5-7 dias. O tratamento cirúrgico poderá ser indicado se a estenose for demasiadamente pequena para passar um dilatador ou caso se consiga uma dilatação inadequada após muitas tentativas. Recomendam-se a administração de prednisolona por 10-14 dias para evitar cicatrização adicional, antibióticoterapia, nutrição adequada, metoclopramida, ranitidina, sucralfato e omeprazol. Descreve-se o caso de dois cães, macho e fêmea, Setter Irlandês e Poodle, com 14 e 2 anos de idade, respectivamente, atendidos no Hospital Veterinário da UFV com queixa de regurgitação e histórico de anestesia recente. A endoscopia foi utilizada para o diagnóstico e tratamento das estenoses, através da dilatação das mesmas com velas e cateter com balão. Recomendou-se enrofloxacino, meloxicam, sucralfato, metoclopramida, prednisona e omeprazol para ambos os animais. O Poodle apresentou melhora clínica após única seção de dilatação enquanto o outro paciente não teve melhora mesmo após várias seções indo a óbito. Portanto estenoses esofágicas podem ser tratadas com êxito, porém fatores como infecção e alterações sistêmicas podem impedir resultados satisfatórios.




Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande