Sistema respiratório



Baixar 40.39 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho40.39 Kb.

SISTEMA RESPIRATÓRIO
Função - Transportar oxigênio, respiração, ventilação, trocas gasosas.
É composto de: Trato respiratório superior –

Via aérea superior (aquece e filtra o ar)

Trato aéreo inferior –

Pulmões (realiza as trocas gasosas)


Anatomia - Via aérea superior – boca, nariz, faringe (comum ao sistema respiratório e digestivo),laringe e traquéia.

Pulmões - Pulmão E: lóbulo superior e inferior.

Pulmão D: lóbulo superior, inferior e médio, Bronquíolos.
Respiração - Troca de Gasosa - Liberação de oxigênio para os tecidos através da corrente sanguínea, e a expulsão de gases residuais como dióxido de carbono. Feita por dois movimentos alternados:

INSPIRAÇÃO (movimento ativo com gasto energético)

EXPIRAÇÃO (movimento passivo, sem gasto energético).

VENTILAÇÃO DOS PULMÕES - É um processo automático rítmico e controlado por mecanismos centrais (centro respiratório e tronco encefálico). É a troca de gases entre o organismo e o meio externo.


A respiração é um processo vital, para a sobrevivência; sendo assim o enfermeiro deve reconhecer as anormalidades deste sistema. Sendo avaliado os seguintes dados.

FREQUÊNCIA, RITIMO, PROFUNDIDADE E SONS, emitidos durante o ciclo respiratório.

O centro respiratório sofre influência de fatores como: concentração de CO2 e O2, estresse, idade, posicionamento, prática de exercícios, estimulação nervosa e consumo de drogas.
No adulto a freqüência ventilatória varia em torno de 12 a 20 ciclos ventilatórios por minuto, denominado EUPINÉIA.

BRADPINÉIA - menor que 12 por minuto.

TAQUIPINÉIA - maior que 20 por minuto.

APNÉIA - Cessação dos ciclos respiratórios.

HIPOVENTILAÇÃO - Superficial e irregular

HIPERVENTILAÇÃO – Freqüência e profundidade da respiração aumentada.


CHEYNE-STOKES - Ciclo regular com freqüência e profundidade da respiração aumentada, logo após diminuindo até surgir a apnéia.

RESPIRAÇÃO DE BIOT - Ciclos normais seguidos de apnéia.

PLATPNÉIA - Dispnéia quando de pé.

ORTOPNÉIA - Dispnéia quando na posição dorsal.


A avaliação do sistema respiratório é fundamental em virtude da taxa de morbimortalidade associada às

afecções do trato respiratório.

Antes do exame físico o enfermeiro deve colher dados. Como: Queixas de dispnéia, tabagismo, habitação, tosse e dor torácica.

Após, passar ao exame físico que consiste em: aplicar as técnicas de inspeção, palpação, percussão e ausculta.

AUSCULTA PULMONAR - Avalia o fluxo de ar na área traqueobrônquica. Realizada para captar sons anormais da caixa torácica, que podem indicar condições patológicas do sistema respiratório.

São denominados ruídos adventícios, dentre os quais se destacam: Ronco, sibilo, estertores/crepitação, subcrepitante, cornagem, atrito pleural.


COMPLICAÇÕES
Tosse - Irritação da membrana mucosa, se destina a limpar as vias aéreas.

Avaliação da tosse - Seca e curta, forte e áspera, sibilante, fraca, dolorosa, crônica e produtiva.


Quando e em que posição aparece; À noite, na posição supina, após alimentação.
Quanto ao material expectorado: Claro e mucóide, espesso amarelado ou esverdeado, ferruginoso, fétida, rosa e espumosa.
Renite - Grupo de distúrbios caracterizados por inflamação e irritação das mucosas do nariz. Pode ser classificada como alérgica ou não alérgica. Pode ser aguda ou crônica.

Causas:


  • Fatores ambientais como: variação de temperatura ou umidade.

  • Odores

  • Alimentos

  • Infecções

  • Idade

  • Doenças sistêmica

  • Medicação ( anti-hipertensivos ou contraceptivos orais, descongestionantes nasais em uso prolongado).

Sintomas – Rinorréia (drenagem nasal excessiva, coriza), congestão nasal, secreção nasal(purulenta quando rinite purulenta), prurido nasal, espirros, cefaléia.
Resfriado Comum – Infecção do trato respiratório superior provocada por vírus.

Sintomas: Congestão nasal, rinorréia, espirros, dor de garganta, indisposição.


Sinusite aguda – Infecção secundária que progride para processo supurativo agudo quando há obstrução e infecção dos sítios para nasais. Causas

  • Septo desviado

  • Pólipos nasais

  • Tumores

  • Infecções virais

Sintomas - Dor facial, pressão na área sinusal afetada, obstrução nasal, fadiga, secreção nasal purulenta, cefaléia, plenitude e dor no ouvido, tosse, olfato diminuído, dor de garganta, edema palpebral


Sinusite Crônica – Quando a inflamação dos seios paranasais persistem por mais de 3 semanas em adultos e 2 semanas em crianças.
Pneumonia - Apresenta-se como um processo inflamatório que acomete o parênquima pulmonar, geralmente causada por microorganismo.

Causas:


      • Infecciosa - Bacteriana (streptococos pneumoniae), viral ou fungica

      • Química

      • Pós irradiação

      • Diminuição da resistência orgânica

      • Alcoolismo

      • Depressão do SNC

      • Doenças debilitantes

      • Permanência prolongada no leito

Sintomas - Início súbito, febre alta com calafrios, dor torácica/pleural (piora a respiração profunda e a tosse), cefaléia, tosse, taquipnéia.


Broncopneumonia - Quando o tecido pulmonar passa de esponjoso para inflamado mais sólido e com menor espaço aéreo, na BCP o comprometimento pulmonar é em forma de placas em torno dos bronquíolos e alvéolos.

Causas:


  • Vírus ou bactérias

  • aspiração de alimentos, vômitos, secreções nasofaringeas

  • irritantes químicos(inalados ou ingeridos)

  • desnutrição e maus hábitos de saúde

Sintomas: Febre, mal estar, dor torácica, taquicardia/taquipnéia, tosse seca passando a produtiva com escarro ferruginoso.



Abscesso Pulmonar – Lesão necrótica localizada no parênquima pulmonar, contendo material purulento. A lesão colaba e forma uma cavidade.
Causas: Aspiração de material

  • infectado do trato respiratório superior,

  • obstrução brônquica,

  • tuberculose,

  • traumatismo torácico.

Sintomas - Tosse produtiva abundante com odor fétido, febre baixa, mal estar geral, dor pleurítica.


Atelectasia – É a expansão incompleta dos pulmões pelo colabamento dos brônquios.
Causa

  • Acúmulo de secreções brônquicas na vias aéreas superiores

  • pneumotórax e hemotórax,

  • derrame pleural,

  • tumor intratorácico.

Sintomas - Dispnéia , cianose, dor pleural, prostração.



Derrame Pleural – É uma coleção de liquido no espaço pleural, normalmente é um processo patológico secundário á outras doenças. Este líquido pode ser: claro (exsudado), sanguinolento ou purulento.
Causas:

  • Tuberculose,

  • Pneumonia,

  • ICC,

  • infecções pulmonares virais,

  • tumores neoplásicos.

Sintomas-Febre, calafrios, dor torácica, dificuldade de respirar.


Doença pulmonar obstrutiva crônica - Designação

genérica para um conjunto de distúrbios respiratórios, são: asma pulmonar, bronquite crônica, enfisema.



Asma pulmonar - é uma doença pulmonar obstrutiva pela diminuição do calibre as ramificações dos brônquios e dos bronquíolos , devido a broncoespasmo, edema de mucosa brônquica e produção de muco espesso.
Causas - inalação de alergênicos (pó domiciliar), exercícios físicos exagerados,infecção do trato respiratório, resfriado comum, emoção intensa, preocupação ., medicações, frio intenso , poluição,

perfumes, inseticidas, cosméticos.


Sintomas - Dispnéia, sibilos, taquicardia, sudorese abundante, tosse seca passando produtiva com muco fino, deformação do tórax (peito de pombo)
Bronquite Crônica - Inflamação da mucosa brônquica , caracterizada por produção excessiva de secreção mucos na árvore brônquica.
Causas

  • Poluição ambiental

  • Fumo

  • Inalação de ar frio

  • Histórico familiar.

Sintomas - Tosse e expectoração mucóide ou purulenta, ruídos pulmonares, crises de dispnéia, cianose, susceptibilidade a infecções do trato respiratório.


Enfisema Pulmonar – Caracterizada pela destruição dos alvéolos, das terminações da árvore brônquica e pela perda da elasticidade pulmonar.
Causas: Está diretamente associado à bronquite

crônica ocupacional ou a dos fumantes, ocorre também como complicação em casos de infecções repetidas e/ou crônicas como a tuberculose.


Sintomas - Dispnéia progressiva, tosse produtiva,

Tempo expiratório prolongado, tórax em barril, infecções respiratórias freqüentes.


Síndrome do desconforto respiratório do adulto

Insuficiência respiratória aguda que se manifesta em pessoas sadias, com alterações pulmonares. Apresenta mortalidade superior à 50%.


Causas:Diretas e Indiretas
Diretas: Com a participação dos pulmões no processo inicial da doença: pneumonias, tuberculose, aspiração de suco gástrico, afogamento, inalação de fumaça, gases químicos e oxigênio.
Indiretas: Sem a participação dos pulmões no processo original da doença: choque, septicemia, traumatismos não torácico, pancreatite, infarto, intoxicação medicamentosa, linfoma, malária, embolia.
Sintomas: Inicia-se de forma latente (fase que pode chegar a 48horas), a seguir os alvéolos se enchem de liquido com diminuição da troca gasosa levando a dispnéia acentuada. Se não houver eliminação da doença de base ou do fator etiológico, o pulmão evolui para fibrose alveolar que leva a insuficiência pulmonar progressiva até a morte.

Faringite Aguda – Infecção ou inflamação da faringe.


Causas: Infecção viral -estreptococo beta-hemolítico do grupo A
Sintomas – Dor, linfonodos cervicais dolorosos e hipertrofiados

Febre, edema, lesão tissular, rubor e edema importante em úvula, palato mole, e pilares tonsilares.

Sem tratamento, pode trazer: mastoidite, adenite cervical, pneumonia, meningite, febre reumática ou nefrite.

Faringite Crônica – Inflamação persistente da faringe, comum em adultos que vivem em ambientes empoeirados, que usam muito a voz, sofrem tosse crônica, etilistas e tabagistas.

Três tipos são reconhecíveis: Hipertrófica

Atrófica


Granular crônica

Tonsilite e Adenoidite – Infecção ou inflamação .

As tonsilas são compostas de tecido linfático e estão situadas em cada lado da orofaringe.
Causas : Estreptococo beta do grupo A
Sintomas- Dor de garganta

Febre, roncos

Dificuldade de deglutir

Otalgia com drenagem

Resfriados freqüentes

Bronquite

Respiração ruidosa

Pode estender-se ao ouvido médio por meio das trompas auditivas e resultar em otite média aguda, podendo levar a ruptura dos tímpanos.


Laringite - Inflamação da laringe

Causas – Abuso vocal

Exposição a poeira, substâncias químicas, fumaça, poluentes.

Pode ser parte de uma infecção do trato respiratório superior.


Infecção das cordas vocais

Sintomas – Rouquidão ou afonia

Tosse intensa.
Tuberculose Pulmonar – Doença infecciosa que afeta principalmente o parênquima pulmonar, (meninges, rins, ossos, linfonodo, testículos). O agente é um bastonete aeróbico(Mycobacterium tuberculosis). Transmitida pelo ar, através de conversa, tosse, espirros, risos ou canto. As gotículas ficam suspensas e são inaladas.

Sintomas – Febre baixa

Tosse, pode ser produtiva ou haver escarro mucopurulento.

Sudorese noturna



Fadiga

Perda de peso



Edema Pulmonar


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande