Projeto de lei nº 1424, de 2009



Baixar 32.83 Kb.
Encontro07.10.2019
Tamanho32.83 Kb.


PROJETO DE LEI Nº 1424, DE 2009
Dispõe sobre a criação do Conselho Estadual da AVIAÇÃO CIVIL NO ESTADO DE SÃO PAULO.
A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:
Artigo 1º - Fica autorizado o Poder Público do Estado de São Paulo a criar o Conselho Estadual  da Aviação Civil do Estado de São Paulo.
Artigo 2º - O Conselho Estadual da Aviação Civil terá competência para desenvolver estudos, propor políticas e diretrizes  relacionadas à aviação civil no âmbito do Estado de São Paulo, assessorar os poderes públicos estabelecidos para que tomem decisões e representar o interesse da sociedade civil.
Artigo 3º – O Conselho Estadual de Aviação Civil será presidido pelo executivo estadual e  composto por 49 (quarenta e nove), membros de competência comprovada na área, assim representados:
I - 02 (dois) membros do transporte aéreo regular;

II - 02 (dois) membros do transporte aéreo não regular (táxi aéreo);

III - 01 (um) membro do transporte aéreo de carga;

IV - 01 (um) membro da aviação agrícola;

V - 02 (dois) membros da formação aeronauta;

VI - 01 (um) membro da formação prática em aero navegabilidade (aeroclubes/escolas de aviação);

VII - 01 (um) membro da formação teórica em  aero navegabilidade( Instituições de ensino aeronáutico );

VIII - 02 (dois) membros atuantes como aeroportuários;

IX - 01 (um) membro atuante em oficinas de manutenção aeronáutica;

X - 01 (um) membro representante de cada sindicato das diversas categorias;

XI - 01(um) membro da Secretaria dos Transportes, do Departamento Aeroportuário do Estado – DAP;

XII - 01 (um) membro da Secretaria de Desenvolvimento e Assuntos Internacionais – SEDAI;

XIII - 04 (quatro) representantes indicados de cada Associação e    Entidade,  devidamente constituídas de parentes e familiares de vitimas de acidentes aéreos ou  que tenham a sua atividade  ligada a aviação civil no estado como:


    1. ABRAPAVA Associação Brasileira dos Parentes e Amigos das Vítimas de Acidentes Aéreos;

    2. AFAVITAM Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Acidente da TAM;

    3. AMAM Associação dos moradores e amigos de Moema;

    4. AMEA Associação dos moradores do entorno do Aeroporto de Congonhas;

 

XIV - 01 (um) representante da ANAC - Agência Nacional de Aviação Civil;

XV - 02 (dois)  Deputados Estaduais representando a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo;

XVI - 01 (um)  Advogado representante  da OAB-SP;

XVII - 04  (quatro) membros da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, sendo:


  1. 01 (um) membro da Policia Civil ;

  2. 01 (um) membro do Corpo de Bombeiros;

  3. 01 (um) membro do Instituto de Criminalística;

  4. 01 (um) membro da Policia Militar do Estado;

XVIII - 01 (um) - membro da Defensoria Pública de São Paulo;

XIX - 01 (um) - membro do PROCON-SP;

XX - 01 (um) - membro da APM - (ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE MEDICINA) ;

XXI - 02 (dois) - membros do ITA - Instituto Tecnológico de Aeronáutica.
Parágrafo único: Todos terão  mandatos de 3 (três) anos, facultado a recondução.  
 

Artigo 4º – O Conselho Estadual de Aviação Civil reunir-se-á ordinariamente 4 (quatro) vezes ao ano, por convocação do poder executivo, e extraordinariamente, por convocação do poder executivo ou por um terço de seus membros, quando houver fato relevante no que diga respeito à aviação civil no estado de SÃO PAULO.
Parágrafo único: As reuniões serão realizadas com presença da maioria simples dos seus membros. 
Artigo 5º – O Conselho terá espaço apropriado cedido pelo poder público para o desenvolvimento de suas atividades. 

  

Artigo 6º -  O CEACESP - Conselho Estadual de Aviação Civil do Estado de São Paulo poderá instituir comissões de trabalho, de caráter temporário, destinadas ao estudo e elaboração de propostas sobre o tema AÉREOPORTUÁRIO e da AVIAÇÃO CIVIL, a serem submetidos à sua composição plenária

  

Artigo 7º - O Conselho poderá requisitar dos órgãos e entidades da Administração Pública Estadual, estudos, informações e documentos indispensáveis ao cumprimento de suas competências. 
Parágrafo único - Poderá também requisitar, em caráter transitório, sem prejuízo dos direitos e vantagens a que façam jus no órgão ou entidade de origem, servidores de qualquer órgão ou entidade da Administração Pública Estadual, necessários aos seus trabalhos. 
Artigo 8º - A participação no CEACESP – Conselho Estadual da Aviação Civil do Estado de São Paulo será considerada função relevante ao Estado e não será remunerada.
Parágrafo único - Quando o trabalho das comissões for em outras localidades, o Estado deverá disponibilizar ajuda de custo para o deslocamento, alimentação, e estadia da comissão.  

  

Artigo 9º - As despesas resultantes da execução desta lei correrão na conta do orçamento do Estado e suplementadas se necessário.  


Artigo 10 - O poder Executivo regulamentará esta lei no prazo de 90 (noventa) dias a partir da data de sua publicação.  
Artigo  11º- Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.


JUSTIFICATIVA



A criação do CEACESP - CONSELHO ESTADUAL DE AVIAÇÃO CIVIL DO ESTADO DE SÃO PAULO   tem como objetivo primordial, o papel de articulador entre Governo e Sociedade Civil, na colaboração de políticas e diretrizes específicas no que diz respeito a segurança,fiscalização e o pleno desenvolvimento de todos os sistemas do complexo aeroportuário e aviação civil estabelecidos no Estado de SÃO PAULO, com suas peculiaridades  e realidades distintas.

Este conselho será um órgão eminentemente constituído por representantes da Sociedade Civil, conta com o caráter consultivo do Governador do Estado , e que busca o diálogo constante na orientação dos melhores caminhos nas decisões políticas em relação ao controle, fiscalização e segurança de todos os aeroportos do Estado de SÃO PAULO.

Essa propositura nasce de um trabalho e debate, discutido por associações e entidades, ligadas hoje às questões que dizem respeito a segurança da aviação civil no Estado de São Paulo,  com a finalidade  de alertar a sociedade civil usuária  do sistema aéreo brasileiro.

A fragilidade organizacional do sistema aéreo brasileiro, e especificamente o espaço paulista, com o todo complexo aereportuário espalhado pelo estado nas suas diversas  cidades, obriga a sociedade civil a se reunir para vigiar e fiscalizar os desmandos, apontar irregularidades, denunciar fatos causadores de riscos eminentes de incidentes e acidentes aéreos, para que se faça sempre presente o processo de valorização da vida.

Tal fato será absolutamente abrangente, com a formatação de um Conselho multidisciplinar com atuação fiscalizatória e de aconselhamento, servindo como apoio a todas as organizações vinculadas ao sistema aéreo brasileiro.

Deverá obediência à hierarquia, passando os resultados dos trabalhos a todos os participantes do Conselho, promovendo estudos para o aprimoramento e estendendo para a segurança no setor aéreo nacional, que utilizam as infra-estruturas do Estado de São Paulo.

Não deixará de ser também, uma organização que servirá como banco de dados, o qual será útil para promover cobranças e recomendações, normas e leis não respeitadas e que possam ser identificadas como perigo eminente aos usuários do sistema aéreo em território paulista.
Por ser participativo, deverá estar pró- ativamente  atento no sentido de captar falhas e promover denúncias, cumprindo o que determina a letra da Lei, as normas vigentes e o que o bom senso.

O CEACESP passará informações relevantes ao Governo do Estado de São Paulo, através das atas das reuniões programadas ou extraordinárias, ou ainda de imediato se o assunto for de extrema gravidade.

A percepção dos idealizadores da criação do CEACESP, é fazer surgir uma instituição assemelhada ao FDA norte americano, o qual promove o balizamento e fiscalização no setor produtivo de alimentos , produtos químicos e farmacêuticos.  Aqui, voltado para um setor que deixa muito a desejar, principalmente por depender predominantemente de um duopólio no transporte aéreo comercial.

Os representantes das operadoras aéreas participarão do Conselho e poderão ser os formadores de opiniões dentro de suas organizações, para que a qualidade dos serviços e a segurança dos equipamentos de vôo, sejam prioritárias na rotina operacional e a lucratividade seja uma conseqüência e não um ponto de partida.

O Conselho, desde logo, reconhece o perigo que assola o Estado de São Paulo, em ficar na dependência concentrada de uma única organização e por considerar o setor aéreo de fundamental importância para o presente e para o futuro próximo.

  O total descontrole  dos órgãos competentes, ANAC e INFRAERO, refletem, por exemplo no uso do Aeroporto de Congonhas, que há anos são permissivos e não têm explicações plausíveis quanto ao desrespeito à capacidade operacional deste importante e crucial aeroporto, tendo desde 2002 dados amplamente públicos e divulgados que atestam este desrespeito, pois a capacidade operacional já divulgada e atestada por eles mesmos é de 12.000.000 de passageiros / ano. Em 2002, foram transportados 12.446.415, em 2003, 12.069.575, em 2004, 13.611.227, em 2005, 17.147.628, em 2006, 18.459.191, em 2007, 15.265.433, e em 2008, 13.672.301 passageiros.



Como aceitar apenas o controle Federal do uso de nossos aeroportos, se quem tem que controlar não controla? Afinal, estes dados são fundamentais e cruciais para entender que o lucro está acima da segurança e do bom senso, haja vista o último acidente, o qual teve liberação de pista molhada sem seu grooving estar pleno e funcional?

São Paulo não pode mais continuar a aceitar os desmandos federais, tendo que para isto criar esta importante e crucial ferramenta, na busca e conquista do uso correto de seu Complexo Aéreo Portuário, para o bem de sua população.

A Criação do CEACESP é a resposta de São Paulo para a solução destes problemas. 


Sala das Sessões, em 11-12-2009
a) Carlos Giannazi - PSOL



Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande