Programa escola cidadã: um processo em construçÃo unirio / município de queimados



Baixar 49.83 Kb.
Encontro11.07.2019
Tamanho49.83 Kb.


PROGRAMA ESCOLA CIDADÃ: UM PROCESSO EM CONSTRUÇÃO UNIRIO / MUNICÍPIO DE QUEIMADOS
Alba Lúcia Castelo Branco

albacbranco@unirio.br

Malvina Tania Tuttman



tuttman@unirio.br

Nilci da Silva Guimarães


nilcisg@terra.com.br

Regina Guedes Moreira Guimarães


rgguima@unirio.br

UNIVERSIDADE DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO / Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários - PROEX


Resumo

O Programa, realizado desde 1995 junto ao Município de Queimados/RJ, desenvolve-se por meio de metodologia participativa. Em seu planejamento, execução e avaliação, atuam profissionais e acadêmicos das diferentes áreas de conhecimento da Universidade, profissionais do Poder Público municipal, das escolas da Rede Oficial de Ensino, Alunos do Ensino Fundamental, Associação de Moradores e a Comunidade de diferentes bairros, contando, em 2003, com a parceria da Secretaria de Estado de Defesa Civil. Ações como as que objetivam um trabalho interdisciplinar entre profissionais das áreas da educação, saúde, cultura e tecnologia, que procuram registrar o processo histórico de criação do Município de Queimados, confirmam a necessidade de, atendendo às demandas da comunidade, possibilitar a fusão entre entidades que expressem sua força social de forma participativa.

Introdução
A Universidade do Rio de Janeiro (UNIRIO), Instituição Pública de Ensino Superior, tem claro, em seu Projeto Político-Pedagógico e, conseqüentemente, no currículo dos seus cursos, que suas atividades devem envolver as funções de ensino, pesquisa e extensão. Dessa forma, o currículo deixa de ser entendido como apenas uma lista de disciplinas, a ser cumprida em sala de aula, e passa a incorporar outras ações, que permitem ao aluno e ao profissional da Universidade a vivência de experiências concretas que os auxiliem a perceber melhor a realidade e as possibilidades da comunidade universitária de efetivar o seu compromisso social.
Tal percepção traz, ainda, outras implicações para o desenvolvimento do currículo, que passa a ter como ponto de partida a discussão daquela prática vivida, permitindo o arejamento dos conteúdos, a partir do confronto de saberes e pela construção de novos conhecimentos.
Com esse entendimento, reúnem-se, no Programa de Extensão Escola Cidadã: Um Processo em Construção UNIRIO/Município de Queimados, possibilidades de serem efetivadas ações conjuntas de ensino, pesquisa e extensão que exercitem essa concepção de currículo e, ainda, promovam um redimensionamento do pensar e agir da Universidade.
O Programa de Extensão, no exercício do trabalho cooperativo, vem procurando fundir reflexões teóricas ocorridas em áreas de conhecimento específicas a ações prático-educativas, visando à expansão da qualidade de vida da população residente no Município de Queimados, bem como uma formação cidadã e profissional do aluno e do professor da Universidade.
Nesse sentido, suas ações são organizadas em função das necessidades observadas e reforçadas nos encontros ocorridos com o poder público do município, com professores e professoras da rede oficial de ensino e com representantes da Associação de Moradores dos Bairros onde tais ações são desenvolvidas, buscando contribuir para o atendimento de demandas sociais da comunidade.
Tem como objetivo ampliar a rede interdisciplinar de cooperação técnica e científica entre a UNIRIO e o Município de Queimados, a partir do desenvolvimento de ações de Extensão, integradas ao ensino e à pesquisa, envolvendo aspectos educacionais, culturais, de saúde e tecnológicos, contribuindo para a formulação, implementação, acompanhamento e reformulação de políticas públicas definidas, como essenciais, pelo Município.
O trabalho baseia-se em alguns pressupostos que o fundamentam. Assim, tendo consciência de que o sistema educacional, hoje, apresenta sérias deficiências, entende o Programa que faz-se imprescindível melhorar a sua qualidade, valorizando o profissional da educação, a partir de uma política séria de formação e aperfeiçoamento, bem como tendo por base condições dignas de trabalho e remuneração.
Outro fundamento considera que todas as crianças que chegam à escola fundamental têm capacidade de aprender, pois as que não têm nem chegam aos bancos escolares - grande índice de mortalidade infantil por vários fatores, principalmente por desnutrição. Desta forma, é tarefa dos profissionais de ensino encontrar caminhos que revertam o grau elevado de fracasso escolar no ensino básico, em especial nas classes de Alfabetização.
O Programa, também, acredita que só a partir de um trabalho integrado, onde o senso de coletividade esteja acima de interesses individuais, é que se pode realizar o processo de transformação que a escola fundamental exige. Torna-se essencial que profissionais das várias áreas do conhecimento atuem contribuindo com a sua especificidade, bem como o Estado e as Organizações da Sociedade Civil, em aspectos como saúde, meio ambiente, educação, cultura e tecnologia.
É pressuposto, ainda, que os problemas do ensino básico estão diretamente relacionados com questões sociais, políticas, econômicas e culturais, tornando-se importante não só o intercâmbio direto da universidade com os alunos e profissionais da rede oficial de ensino, mas, também, com toda a comunidade.
Considerando que a formação acadêmica do futuro profissional deve estar vinculada à realidade social, é fundamental que as Instituições Públicas de Ensino Superior possam ampliar o espaço da sala de aula, oferecendo oportunidades de desenvolvimento de atividades, a partir do currículo, que estabeleçam o elo com esta realidade e possibilitem um redimensionamento das práticas pedagógicas.

Caracterização do Programa em uma perspectiva participativa
A opção por desenvolver ações em parceria com o Município de Queimados, localizado na Baixada Fluminense/Estado do Rio de Janeiro atendeu ao critério da Universidade apoiar municípios em seu processo inicial de emancipação.

Iniciando-se em 1995, o Programa realizou um Primeiro Seminário, objetivando apresentar e discutir a proposta de trabalho, elaborada em conjunto com o Município, tanto para a comunidade da UNIRIO como para os profissionais da Rede Oficial de Ensino do Município de Queimados, tendo em vista definir caminhos para a sua efetivação. No seu processo de desenvolvimento, foram realizadas atividades de Educação Continuada envolvendo cerca de 200 professores e demais profissionais das Escolas Públicas do Município, priorizando, a partir das indicações do mesmo, áreas tais como: Ambiente Alfabetizador; política de inclusão de pessoas com deficiências no âmbito da Saúde e/ou da Educação; Gestão Escolar Participativa; Dietas balanceadas para os escolares; Metodologias de Ensino.


Em 1996, promoveu-se o Seminário de Avaliação das ações do ano anterior, sendo apresentados indicadores para a elaboração do planejamento para aquele ano. Deu-se prosseguimento à Educação Continuada de professores; foi implantado o Centro Integrado de Divulgação e Pesquisa; criou-se a 1a Biblioteca Pública do Município (com total orientação da Escola de Biblioteconomia da UNIRIO, desde o projeto físico à obtenção de acervo e perfil do usuário, indicado pela comunidade local); foi elaborado o Caderno de Integração Social, com ênfase no Município de Queimados (para atender à demanda de professores e alunos), e realizou-se a I Jornada de Educação Especial.
Em 1997, diferentes ações foram desenvolvidas, entre elas: Educação Continuada de Profissionais de Educação; Diagnóstico em Saúde dos alunos das classes de alfabetização e 1a série, totalizando o atendimento a cerca de 300 escolares; Produção de material pedagógico; Atuação junto às instâncias governamentais quanto à participação na definição de políticas públicas para o Município; lançamento do livro “Manual de Procedimentos para levantamento Genealógico – Queimados quem sou eu?”; realização da Exposição Memória do Bairro, no Palácio Itamaraty / RJ, sobre o Bairro Belmont, envolvendo professores, alunos e a comunidade local; realização da II Jornada de Educação Especial.
O Projeto Memória do Bairro, em 1997, desenvolvido pela Escola de Museologia da UNIRIO, juntamente com a Escola Municipal Professora Scintilla Exel, objetivou a recuperação da memória, construção da identidade cultural dos estudantes e integração da Escola com a Comunidade. As discussões sobre as condições do Bairro e as soluções dos problemas existentes fizeram com que os alunos sugerissem a reativação da Associação de Moradores, indicando reivindicações junto às autoridades competentes, que beneficiassem os moradores do Bairro.
Os alunos e professores mobilizaram a população a participar do Programa e iniciaram os estudos sobre a formação do Bairro. Vale ressaltar que, a cada descoberta, se ampliava o engajamento e a procura de novas histórias, por meio de entrevistas com os moradores antigos, fotografias, acrósticos, etc. Esta rica experiência proporcionou, gradativamente, uma mudança de visão do bairro e do Município pelos alunos e moradores que, a partir desta motivação, passaram a ter um outro olhar sobre o Bairro e a se orgulhar do Município.
Em 1998 e 1999, por falta de financiamento para o Programa, as atividades voltaram-se para o desenvolvimento de pesquisas, produção de artigos e divulgação na comunidade científica. Realizaram-se a III e IV Jornadas de Educação Especial. As atividades que foram desenvolvidas nos anos anteriores tiveram continuidade, a partir do comprometimento da equipe do Programa e da crescente credibilidade do mesmo junto à população do município.
No ano de 2000, o Programa Escola Cidadã recebeu apoio financeiro da Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação (SESu/MEC) – Universidade Solidária (UniSol). Suas ações concentraram-se nos bairros Belmont, Vila Scintilla, Jardim da Fonte, Jardim Vista Alegre e adjacências.
Para o aprofundamento do trabalho, foi realizada uma pesquisa visando a obter os dados epidemiológicos da população residente nos bairros anteriormente citados, com o objetivo de coletar informações sobre as reais necessidades e a qualidade de vida da comunidade.

Para o fortalecimento do trabalho participativo inerente ao Programa, foi realizado o 1º Fórum de Debates com a Comunidade e a 1ª Mostra das Atividades, na Escola Municipal Professora Scintilla Exel, com objetivo de integrar e ampliar a participação da Comunidade nos trabalhos desenvolvidos. Foi estabelecida, assim, parceria com a Associação de Moradores.


O Plano de Ação de 2001 foi ampliado, incorporando no Programa, além da Secretaria de Educação e Cultura, as Secretarias de Saúde, Meio Ambiente, Desenvolvimento Rural e Assuntos Fundiários. Continuou-se a atuar com os profissionais das Escolas Municipais, a Associação de Moradores e a Comunidade dos bairros envolvidos no Programa. Contou-se, também, com a importante contribuição da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ).
O 2º Fórum de Debates com a Comunidade e a 2ª Mostra das Atividades tiveram a participação da população na organização de Ações Comunitárias. A Universidade se fez presente com 92 profissionais e alunos representativos das diferentes Unidades Acadêmicas da UNIRIO
Foram desenvolvidos, por meio de encontros, palestras e debates com a comunidade escolar e local, temas voltados para a prevenção e promoção em saúde, tais como: Educação Nutricional; Saúde Sexual e Sexualidade; Prevenção do Câncer de Mama e Cérvico-uterino; Prevenção da Hipertensão Arterial; Prevenção de Acidentes na Infância. Para os profissionais de Educação, foi dado destaque à Educação Continuada visando à Organização de um Sistema de Avaliação Escolar. A Escola de Arquivologia desenvolveu um trabalho conjunto com a Associação de Moradores no que se refere à organização arquivística de sua documentação.
Como produtos das ações do Programa foram elaboradas Cartilhas em Saúde (Educação Nutricional, Prevenção de Parasitoses, Prevenção de Acidentes, Prevenção de Hipertensão Arterial, Prevenção de Câncer de Mama e Cérvico-Uterino), Meio Ambiente e Avaliação Educacional, para serem utilizadas como material pedagógico pelos professores da Rede Municipal de Educação.
Em 2002, ocorreu o 3º Fórum de Debates com a Comunidade e a 3ª Mostra de Atividades. Nesta oportunidade, foram formados 4 grupos de discussão, a partir de necessidades apontadas, anteriormente, pela população do Município: Saúde da Mulher, Escola de Horário Integral, Inclusão Digital, Hipertensão Arterial. Destes grupos participaram, além da comunidade, profissionais e alunos de várias áreas de conhecimento desenvolvidas pela Universidade, em um exercício de interdisciplinaridade. Das narrativas surgidas nos diferentes locais de discussão, surgiu o Plano de Ação para o ano de 2002/1º semestre de 2003.
Em relação à Formação Continuada de Professores, foram realizados cursos/oficinas, para atualização do trabalho docente. Temas como Sexo, Eros e Educação Escolar proporcionaram o estímulo às narrativas sobre fatos ligados ao sexual e seu conseqüente trabalho educativo, sob o viés das redes dos saberes. Observou-se o aumento do grupo em cada aula / oficina oferecida. Muitas escolas, a partir desta ação extensionista, perceberam a importância do trabalho sistemático com a temática, questão evidenciada na mostra pedagógica realizada no Município, em novembro de 2002.
Outro tema abordado, por solicitação da Secretaria de Educação e dos professores, relacionou-se à Alfabetização no Regime de Progressão Continuada. Dentro desta temática, foram discutidas questões tais como Metodologia de Ensino, Avaliação do Rendimento Escolar/Sistema de Avaliação Escolar e Organização de Atividades de Reforço da Aprendizagem. Desta forma, o trabalho contribuiu para o desenvolvimento, o acompanhamento, a discussão e o repensar de políticas públicas ligadas à Alfabetização, dentro do novo Regime adotado.
Destaca-se, também, as Consultorias realizadas pelo Núcleo Escola Pública de Horário Integral (NEPHI), em conjunto com o Setor de Pediatria da Escola de Medicina, ambos da UNIRIO, para a implantação de uma Escola de Educação Infantil de Horário Integral, no Município.
Dentro, ainda, da Formação Continuada dos profissionais do ensino público, foi realizado um trabalho, a partir de encenações teatrais realizadas pelos alunos da área de Teatro. Por se tratar de trabalho de cunho pedagógico, as apresentações geraram oficinas junto aos professores, contribuindo para a ampliação da formação docente.
A comunidade, também, levantou questões, durante o Fórum/2002, relativas à Alimentação e Nutrição. Isto gerou, dentro do Programa, a organização de um Projeto de Educação Nutricional, que teve por objetivo proporcionar atividades práticas que permitissem à população envolvida, no processo, a escolha consciente de condutas alimentares saudáveis, respeitando preferências, aspectos econômicos, disponibilidade de alimentos e problemas de saúde apresentados.
Outra questão apontada pela comunidade disse respeito a um trabalho voltado para a juventude local e sua inserção social. Assim, o Programa voltou-se para a qualificação dos alunos do ensino público, visando a minimizar possíveis subempregos e combater a exploração dos jovens, por falta de alternativas de trabalho, devido à ausência de formação básica necessária. Foi organizado um Projeto voltado para a inclusão digital, tendo em vista uma formação tecnológica dos mesmos que possibilite maior participação dos adolescentes, atuando, com maiores condições, no mercado de trabalho.

O Programa em 2003


O Programa, em 2003, continua ocorrendo por meio de Metodologias Participativas, integrando os partícipes desde o processo de planejamento à avaliação do trabalho realizado.
As ações desenvolvidas surgiram das reflexões entre profissionais das áreas de Ciências Humanas, da Saúde, da Cultura e da Ciência e Tecnologia, tendo sempre presente o significado de cada uma dessas áreas no processo de democratização qualitativa da Educação Infantil e do Ensino Fundamental. Nesse sentido, professores, alunos e técnicos-administrativos atuantes nas Unidades Acadêmicas da UNIRIO, em conjunto com a Prefeitura do Município de Queimados, a Representação da Associação de Moradores local e a Secretaria de Defesa Civil/RJ – Programa Saúde na Escola, definiram ações que se complementam, na busca da interdisciplinaridade.
Exemplificando tal característica, ressalta-se que, nas ações referentes à capacitação de professores, não são realizadas, apenas, a análise específica de conteúdos pedagógicos, mas, também, se apresentam possibilidades de discussões mais amplas, envolvendo questões sociais, culturais, de saúde e tecnológicas. Da mesma forma, as ações diretamente voltadas para o alunado da Rede Oficial de Ensino do Município de Queimados proporcionam uma ação voltada para o traçar de perfil do seu corpo discente, enfocando aspectos sociais, psicológicos e nutricionais.
Na etapa preparatória do trabalho, foi realizado encontro das equipes Coordenadoras do Programa representando a UNIRIO e a Secretaria de Educação, Cultura e Desporto e demais partícipes, para revisão e redefinição da estrutura administrativa/pedagógica, visando ao desenvolvimento do Programa. Ocorreram, ainda, reuniões com profissionais da Universidade, da Secretaria de Educação e Cultura e demais partícipes para detalhamento dos projetos e demais ações do Programa, de acordo com a realidade do Município de Queimados.
Após este processo de planejamento participativo, iniciaram-se as ações do Programa em 2003.
Como um Programa voltado para a indissociabilidade entre a Extensão, o Ensino e a Pesquisa, no que se refere ao Ensino, inclui disciplinas curriculares dos cursos de graduação, que se desenvolvem a partir do exercício teórico-prático, tendo por base a realidade do Município de Queimados.
Em relação à Pesquisa, o Programa vem utilizando, continuamente, métodos de pesquisa participante que realimentam a prática e a teoria exercitadas, como, por exemplo, aquelas que investigam a prática docente do Município de Queimados antes e após a implantação do Programa de Educação Continuada, bem como diagnóstico cooperativo sobre o trabalho precoce das crianças oriundas da Rede Pública de Ensino.
Também foi implantado um Programa de Formação Continuada para professores e equipes técnico-pedagógicas, lotados nas Escolas e na Secretaria de Educação. Estabeleceu-se um espaço solidário para inclusão social e tecnológica.
Outra ação diz respeito à orientação técnico-científica para a implantação de Bibliotecas Infanto-juvenis, nas escolas Públicas do Município, bem como de Programa Nutricional com alunos e profissionais das escolas e com a comunidade.
Estão sendo desenvolvidas ações relacionadas à estruturação de políticas públicas voltadas para a erradicação do trabalho infantil, no Município de Queimados.
Coerentemente com a Metodologia empregada no Programa, tais ações desenvolvem-se de forma participativa, considerando as narrativas dos profissionais e da comunidade de Queimados. Por tanto, os diagnósticos realizados, o processo ensino-aprendizagem desenvolvido, a construção e socialização de conhecimentos, bem como a tomada de decisões são realizados de forma coletiva.

Com a finalidade de oferecer aos profissionais e alunos da UNIRIO melhores condições de infra-estrutura para o desenvolvimento da Metodologia do Programa e das demais ações acadêmicas de extensão, está sendo criado um espaço denominado Laboratório de Metodologias Participativas, para estudos, pesquisas, produção de materiais pedagógicos, visando a apoiar a dinamização de ações voltadas para a efetivação de políticas sociais.


Para esta construção coletiva e desenvolvimento da etapa de avaliação do trabalho, são realizadas reuniões periódicas da equipe da Universidade, tendo em vista o acompanhamento contínuo do Programa.
Com o mesmo propósito de avaliação, ocorre Fórum de debates com a representação da Comunidade do Município e do Poder Público e Grupos Focais com a participação de representação da Universidade, do Poder Público do Município e da Associação de Moradores.
As narrativas / depoimentos surgidos no decorrer das ações avaliativas são analisados considerando os seguintes indicadores: Impacto social junto à Comunidade; Produção de material pedagógico; Integração Universidade / Comunidade; Produção científica; Interdisciplinaridade; Integração da ação de extensão desenvolvida com a formação do estudante.

Os resultados da Avaliação realizada pela Equipe Interna da Universidade e pelo Município são divulgados por meio de relatórios encaminhados a todos os envolvidos no processo.

Assim, acredita-se que o Programa Escola Cidadã : Um Processo em Construção UNIRIO/Município de Queimados, ao desenvolver as ações integradas de Extensão, Ensino e Pesquisa, certamente, contribui para o processo de transformação do pensar e do agir da Universidade, ampliando o exercício de Metodologias Participativas na academia.




Referências Bibliográficas

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.


BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Belém: Basa, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n.248, 23 dez.1996.


BRASIL. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Brasília: 2001. Disponível em: < http://www.unirio.br/propg/extensao/planoed.doc >. Acessado em: 22/abr./02.

COELHO, Ildeu Moreira. Diretrizes curriculares e ensino de graduação. Disponível em: < http://www.abmes.org.br/Abmes/Publica/Revista/estud22/est22-02.htm >.


FARIA, Dóris Santos de. (Org.) Construção conceitual da extensão universitária na América Latina. Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Avaliação da Extensão Universitária. (Documento de trabalho 2000/2001) Disponível em:< http://www.ufmg.br/proex/renex/index.php >.


FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Indissociabilidade entre Ensino-Pesquisa-Extensão e a Flexibilização Curricular: uma visão da extensão –Texto preliminar. Anais do XVIII Encontro Nacional de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. Florianópolis: UFSC, Pró-Reitoria de Cultura e Extensão, 2002. p:118-144.

FÓRUM NACIONAL DE PRÓ-REITORES DE GRADUAÇÃO DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS. Textos das oficinas do ForGRAD. Curitiba, 2001.

FÓRUM NACIONAL DE PRÓ-REITORES DE GRADUAÇÃO DAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS. Resgatando espaços e construindo idéias: ForGRAD 1997 a 2002. Niterói: EdUFF, 2002.


FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Plano Nacional de Extensão Universitária. Ilhéus: Editus, 2001. (Coleção Extensão Universitária; v.1)

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS. Sistema de Dados e Informações: Base Operacional de acordo com o Plano Nacional de Extensão. Rio de Janeiro: NAPE, UERJ, 2001. (Coleção Extensão Universitária; v.2)

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? 10 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FUNDO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A INFÂNCIA. A infância Brasileira nos anos 90. Brasília UNICEF, 1998. Disponível em < www.mpt.gov.br/trab inf/geral/instituiçoes.htm >. Acessado em 2003.

GURGEL, Roberto Mauro. Extensão Universitária: comunicação ou domesticação? São Paulo: Cortez; Autores Associados, UFC, 1986.

MORIN, Edgar. Para sair do século XX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertane Brasil,1998.

NOGUEIRA, Maria das Dores Pimentel. (Org.) Extensão Universitária: diretrizes conceituais e políticas. Belo Horizonte: PROEX/UFMG; o Fórum, 2000.

SANTOS, Boaventura de Souza. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 3 ed. São Paulo: Cortez, 1997.

SGUISSARD, Valdemar, SILVA Jr., João dos Reis. Novas faces da educação superior no Brasil: reforma do estado e mudança na produção. Bragança Paulista: EDUSF, 1999.

SILVA, Maria das Graças Martins da. Extensão: a face social da universidade? Campo Grande, MS: UFMS, 2000.

SOUSA, Ana Luiza Lima. A história da extensão universitária. Campinas, SP: Alínea, 2000.

TUTTMAN, Malvina Tania. LDB e a flexibilização curricular. In: Encontro de Pró-Reitores de Extensão da Regional Sudeste, 1999. Alfenas Trabalho apresentado... Alfenas, 1999.

TUTTMAN, Malvina Tania. Extensão universitária: a construção de novos caminhos. In: DURHAM, Eunice R., SAMPAIO, Helena (Org.) O ensino superior em transformação. São Paulo:USP / Núcleo de Pesquisa sobre o Ensino Superior, 2001.



UNESCO. Tendências da educação superior para o século XXI. In: Conferência Mundial sobre ensino superior – Paris, 1998. Anais..., Brasília: UNESCO, 1999.







Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande