Paulo ganem souto


MANEJO INTEGRADO DE RISCOS E AGRAVOS



Baixar 3.67 Mb.
Página3/58
Encontro21.10.2017
Tamanho3.67 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   58

MANEJO INTEGRADO

DE RISCOS E AGRAVOS



PLANEJAMENTO REPRODUTIVO

O planejamento reprodutivo é considerado pela Constituição Brasileira como direito de todo cidadão. Os serviços de saúde devem garantir atenção integral, para a concepção e contracepção, através de ações preventivas, educativas e assistenciais.




Cuidados pré-concepcionais:

  • Escutar e esclarecer possíveis dúvidas;

  • Orientar o registro do 1º dia dos ciclos menstruais;

  • Aferir dados vitais e peso pré-gravídico;

  • Realizar exame preventivo de CA do colo uterino caso seja necesário;

  • Investigar patologias crônicas ou uso prolongado de medicamentos que possam comprometer a fertilidade, a concepção e/ou o feto;

  • Adequar situação vacinal;

  • Prescrever ácido fólico no momento que suspender o método contraceptivo para engravidar.

  • Identificar fatores de risco genéticos - idade materna e/ou paterna avançada, filhos afetados em gestações anteriores, doença genética familiar, características étnicas especiais;

  • Orientar sobre ambiente familiar, saúde reprodutiva, prevenção de DSTs e outras infecções, alimentação e hábitos saudáveis;

  • Solicitar VDRL, HIV e sorologia para Hepatite B se não for imunizada.


Infertilidade conjugal é a ausência de gravidez em um casal com vida sexual ativa, com freqüência de coito de pelo menos 2 vezes por semana e sem uso de medidas anticonceptivas, em um período igual ou maior que um ano. Pode ser primária (ausência de gestação prévia) ou secundária (falha na concepção após uma ou mais gestações);

ABORDAGEM:



  • Escutar e esclarecer possíveis dúvidas;

  • Anamnese contendo: história do problema atual, história sexual, história menstrual, história obstétrica, história patológica pregressa e hábitos de vida do casal;

  • Exame físico: Geral e ginecológico - incluir toque bimanual e coleta de material para preventivo;

  • Solicitação de exames complementares: espermograma;

  • Encaminhamento dos casos sugestivos de infertilidade para a Unidade de Referência;

  • Orientação sobre cuidados que favoreçam a fecundação;

  • Esterilidade é a incapacidade definitiva de gestar.


Assistência à anticoncepção:

  • Escutar e esclarecer possíveis dúvidas;

  • Avaliação clínica;

  • Análise da escolha do método contraceptivo;

  • Inserção em atividades educativas;

  • Reavaliação periódica da indicação e aceitabilidade do método.


PLANEJAMENTO REPRODUTIVO / FLUXOGRAMA

Mulheres em idade fértil / Homem

Avaliação do risco reprodutivo



Orientar anticoncepção -

ver tabelas de tecnologias e métodos da anticoncepção.




Deseja engravidar?

Orientações gerais, avaliação médica e assistência à pré-concepção

Cuidados pré-concepcionais

Presente

Ausente

Não

Sim

Sim






Gravidez?



Sim


Não

Iniciar pré-natal - ver fluxo específico



Sugestivo de infertilidade?

Não


Encaminhar a UR com relatório



Acompanhar por 12 meses. O insucesso caracteriza infertilidade


TECNOLOGIAS E MÉTODOS DA ANTICONCEPÇÃO




M

E

T



O

D

O



S
C

O

M



P

O

R



T

A

M



E

N

T



A

I

S






TIPO

PONTOS-CHAVES

CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE

COMO FUNCIONA

APLICAÇÃO DO MÉTODO

CARACTERÍSTICAS

MÉTODOS COMPORTAMENTAIS

OGINO - KNAUS

"TABELINHA"

- Saber identificar o período fértil e duração do ciclo menstrual;

- Requer cooperação de ambos os parceiros;

- Não tem efeitos colaterais;

- Limitações de uso: pós-parto, amamentação, infecção.



- Ciclos menstruais regulares;

  • Ausência de co-morbidades (AVC, doença hepática, disfunção tireoidiana, CA cervical);

  • Ausência de DST, DIP e infecções vaginais;

  • Bom nível de compreensão.

O casal evita gravidez mudando o comportamento sexual, a partir do reconhecimento dos dias férteis.

Abstinência sexual durante período fértil, calculado subtraindo 18 do período mais curto e 11 do mais longo, a partir da observação do nº de dias dos últimos 6 ciclos.

  • Custo baixo ou inexistente;

  • Média eficácia quando usados corretamente;

  • Pode ser usado pela maioria dos casais;

  • Taxa de falha de 9 a 20%, exceto muco cervical que varia de 3 a 20 % e coito interrompido com 4 a 18%;

  • Resistência de alguns casais quanto à abstinência sexual;

  • Não protege DST/AIDS;

  • Possível dificuldade no reconhecimento do período fértil;

  • Estresse, febre, alcoolismo podem interferir no período fértil.




TEMPERATURA CORPORAL BASAL










Abstinência sexual baseada na relação entre ovulação e aumento da temperatura corporal em repouso







MUCO CERVICAL










Abstinência sexual a partir do aparecimento do muco cervical de consistência fluida e gelatinosa até o 4º dia do seu desaparecimento.







COITO INTERROMPIDO

- Não interfere na amamentação;

- Pode causar ejaculação precoce.



O uso NÃO está indicado quando:

- Homem com ejaculação precoce e com dificuldade de tirar o pênis da vagina antes da ejaculação.



Como a ejaculação ocorre fora do aparelho genital feminino, a fecundação não ocorre.

Ejaculação fora do aparelho genital feminino.




MÉTODOS CIRURGICOS

LIGADURA TUBÁRIA

  • Permanente;

  • Requer orientação e consentimento do cliente;

  • Requer avaliação pré-operatória

  • Afecções do trato genito-urinário, e DST´s devem ser tratadas antes da realização do procedimento.

- Esterilização voluntária (homem e mulher) com capacidade civil plena e maior de 25 anos ou com 2 filhos vivos;

- Ausência de câncer no trato geniturinário;



- Para casais que têm certeza que não querem ter mais filhos.


- Realização de pequena incisão no abdômen para ligar ou cortar as trompas de Falópio.

Após a realização do procedimento, a cliente deve ficar em repouso durante 2 ou 3 dias, podendo retomar as atividades sexuais após pelo menos 1 semana, caso não apresente dor.




  • Muito eficaz: Taxa de falha da ligadura tubária 0,5% e da vasectomia é de 0,1 a 0,15%;

  • Simples e Seguro;

  • Sem efeitos colaterais em longo prazo;

  • Não afeta o desempenho no prazer sexual;

  • Não protege DST/AIDS;

  • O pós-cirúrgico da vasectomia pode apresentar inchaço excessivo, hematoma escrotal e infecção na incisão.







VASECTOMIA







- Realização de pequena incisão no saco escrotal para ligação dos canais deferentes.

Após a realização do procedimento, deve-se aguardar 3 meses ou as 20 primeiras ejaculações para que a vasectomia possa ser considerada eficaz. Durante esse período aconselha-se utilização de outro método.





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   58


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande