Paulo ganem souto


TUBERCULOSE PULMONAR COM BACILOSCOPIA POSITIVA/FLUXOGRAMA



Baixar 3.67 Mb.
Página28/58
Encontro21.10.2017
Tamanho3.67 Mb.
1   ...   24   25   26   27   28   29   30   31   ...   58

TUBERCULOSE PULMONAR COM BACILOSCOPIA POSITIVA/FLUXOGRAMA




Tratamento

Orientação / seguimento

ADULTO


Assintomático

Sintomático

Realizar Raio X de tórax se disponível

Orientação

Exame de escarro

Positivo

Negativo

CRIANÇAS

ATÉ 15 ANOS



Assintomático


Sintomático

Orientação

Tratamento

Medicação sintomática

Seguimento


Sugestivo de TB + sintomas clínicos


Normal

e sem sintomas clínicos

Raio X de tórax e/ ou baciloscopia na presença de escarro




Vacinadas


Não vacinadas


BCG


Raio X tórax


Não reator


Reator

Reator


PPD


Tratamento


Quimioprofilaxia

Sugestivo de TB + sintomas clínicos


Normal e sem sintomas clínicos







TUBERCULOSE / CONTINUAÇÃO

QUIMIOPROFILAXIA DA TUBERCULOSE



Dose: A quimioprofilaxia deve ser administrada a pessoas infectadas pelo M. tuberculosis, com a isoniazida na dosagem de 10 mg/kg de peso, com total máximo de 300 mg diariamente, durante seis meses.

Indicações:

  • Recém-nascidos coabitantes de foco tuberculoso ativo. A isoniazida é administrada por três meses e, após esse período, faz-se a prova tuberculínica. Se a criança for reatora, a quimioprofilaxia deve ser mantida por mais três meses; senão interrompe-se o uso da isoniazida e vacina-se com BCG.

  • Crianças menores de 15 anos, não vacinadas com BCG, que tiveram contato com um caso de tuberculose bacilífera, sem sinais compatíveis de tuberculose doença, reatores à tuberculina de 10 mm ou mais (em caso de contágio recente, a prova tuberculínica pode estar negativa. Deve-se portanto, nesse caso, repetir a prova tuberculínica entre 40 a 60 dias. Se a resposta for positiva, indica-se a profilaxia; se negativo, vacina-se com BCG).

  • Indivíduos com viragem tuberculínica recente (até 12 meses), isto é, que tiveram um aumento na resposta tuberculínica de, no mínimo, 10mm.

  • População indígena. Neste grupo, a quimioprofilaxia está indicada em todo o contato de tuberculose bacilífero, reator forte ao PPD, independente da idade e do estado vacinal, após avaliação clínica e afastada a possibilidade de tuberculose-doença, através de baciloscopia e do exame radiológico.

  • Imunodeprimidos por uso de drogas ou por doenças imunodepressoras e contatos intradomiciliares de tuberculosos, sob criteriosa decisão médica. Reatores fortes à tuberculina, sem sinais de tuberculose ativa, mas com condições clínicas associadas a alto risco de desenvolvê-la, como: alcoolismo, diabetes insulinodependente, silicose, nefropatias graves, sarcoidose, linfomas, pacientes com uso prolongado de corticosteróides em dose de imunodepressão, pacientes submetidos à quimioterapia antineoplásica, tratamento com imunodepressores, portadores de imagens radiográficas compatíveis com tuberculose inativa, sem história de quimioterapia prévia.

Observação: Estes casos deverão ser encaminhados a uma unidade de referência para tuberculose. Co-infectados HIV e M. tuberculosis Œ este grupo deve ser submetido a prova tuberculínica, sendo de 5 mm em vez de 10 mm, o limite da reação ao PPD, para considerar-se uma pessoa infectada pelo M. tuberculosis.



CRITÉRIOS PARA ENCERRAMENTO DO TRATAMENTO NAS UNIDADES DE SAÚDE



Alta por cura: Pulmonares inicialmente positivos - a alta por cura será dada se, durante o tratamento, o paciente apresentar duas baciloscopias negativas: uma na fase de acompanhamento e outra no final do tratamento(cura).

Alta por completar o tratamento: A alta será dada com base em critérios clínicos e radiológicos, quando: o paciente não tiver realizado o exame de escarro por ausência de expectoração, e tiver alta com base em dados clínicos e exames complementares; casos de tuberculose pulmonar inicialmente negativos; casos de tuberculose extrapulmonar.

Alta por abandono de tratamento: Será dada ao doente que deixou de comparecer à unidade por mais de 30 dias consecutivos, após a data prevista para seu retorno. Nos casos de tratamento supervisionado, o prazo de 30 dias conta a partir da última tomada da droga. A visita domiciliar realizada pela equipe de saúde, tem como um dos objetivos, evitar que o doente abandone o tratamento.

Alta por mudança de diagnóstico: Será dada quando for constatado erro no diagnóstico.

Alta por óbito: Será dada por ocasião do conhecimento da morte do paciente, durante o tratamento e independentemente da causa.

Alta por falência: Será dada quando houver persistência da positividade do escarro ao final do 4.º ou 5.º mês de tratamento. Os doentes que no início do tratamento são fortemente positivos (+ + ou + + +) e mantêm essa situação até o 4.º mês, ou os que apresentam positividade inicial seguida de negativação e nova positividade por dois meses consecutivos, a partir do 4.º mês de tratamento, são classificados como caso de falência. O aparecimento de poucos bacilos no exame direto do escarro, na altura do 5.º ou 6.º mês do tratamento, isoladamente, não significa, necessariamente a falência do tratamento. O paciente deverá ser acompanhado com exames bacteriológicos para melhor definição.



Compartilhe com seus amigos:
1   ...   24   25   26   27   28   29   30   31   ...   58


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande