Objeto de licitaçÅO


Será considerado aprovado o produto que obtiver um índice mínimo de 85% no teste de avaliação sensorial realizado pela equipe de provadores. 8.6.2



Baixar 299.9 Kb.
Página4/5
Encontro02.07.2019
Tamanho299.9 Kb.
1   2   3   4   5


8.6.1. Será considerado aprovado o produto que obtiver um índice mínimo de 85% no teste de avaliação sensorial realizado pela equipe de provadores.
8.6.2. Caso o produto não seja aprovado nos testes internos (subitens 8.6-A e 8.6-B, item 8), deste Folheto Descritivo o proponente poderá reapresentar nova amostra do produto, observado o disposto nos subitens 6.1 e 6.2, item 6 deste Anexo, uma única vez, em prazo determinado pela Administração, para corrigir os problemas eventualmente detectados e apontados pela equipe técnica do DAAA.

Será então realizada uma nova etapa de testes internos em até cinco dias.


8.6.3. A correção de eventuais problemas referentes ao produto não poderá alterar a composição declarada pelo fabricante na proposta da empresa que integrara a documentação do certame licitatório. O DAAA poderá solicitar a revisão do texto referente às informações gravadas na embalagem primária, sempre que estas se mostrarem insuficientes ou inadequadas para a perfeita compreensão dos usuários.
8.6 – C – DO TESTE E DA AVALIAÇÃO DE ACEITABILIDADE JUNTO AOS ALUNOS
1. Se o produto for aprovado nos testes previstos nos subitens 8.6-A e 8.6-B, item 8, deste anexo, o DAAA através do CENUT solicitará ao proponente, amostras do produto, empacotadas e separadas de modo a preparar um total de 300 porções, em 3 diferentes escolas a serem sorteadas pelo DAAA, sendo 100 porções preparadas e distribuídas em cada unidade – testes de campo.

As amostras devem estar disponíveis para testes em até cinco dias.


a. Os testes de campo do produto serão realizados em datas e horários previamente agendados pelo DAAA e poderão ser acompanhados pelo proponente, que não poderá interferir nem se manifestar durante o processo;
a.1. O horário do teste será o mesmo habitualmente utilizado pela escola para servir a refeição (merenda).
b. Cada teste será realizado numa escola sorteada e num horário diferente dos demais, buscando-se desse modo atingir diversos grupos etários e tipos de alunado de bairros / municípios variados;
c.Todas as etapas do processo de testes de campo serão registradas em ficha própria, e que serão assinadas por um representante da escola, pelo técnico responsável do DAAA e pelo proponente, sempre que este acompanhar o procedimento ou se fizer representar oficialmente, sendo entregue ao proponente uma cópia desde documento;
MODELO DE IMPRESSO PARA TESTE DE ACEITABILIDADE EM CAMPO
Objeto:_________________________________________________ Data: ___ / ___ / ___
Produto: ____________________________________________________________________


Processo: _____/_____/_____ Pregão: ________/________
Marca: ____________________________ Proponente: ____________________________
Escola: ______________________________________________ DE: _________________


Condições de realização do teste:
Horário do teste: ____________ Nº de alunos: ___________ Faixa etária: ___________

Instruções – Escala Hedônica:


  1. Peso “per capita” estabelecido: ____g.

  2. Porcionar 100 pratos com os “per capitas” estabelecidos.

  3. Entregar ficha de escala hedônica para os alunos consumidores

  4. Calcular a porcentagem de aceitabilidade considerando satisfatório (4 e 5)


Instruções – Teste de Resto Ingestão:


  1. Preparar o produto seguindo as instruções da embalagem, em volume suficiente para atender, no mínimo, 100 alunos. Não fracionar a embalagem.

  2. Servir 100 porções de ___g do produto preparado em utensílio adequado.

  3. Medir o volume que retornar (resto), após a ingestão pelas 100 crianças, em recipiente graduado.

  4. Indicador de aceitação (IA): _volume consumido X 100

volume servido


Resultados – Escala Hedônica:
A Alunos participantes (nº): _______________

B Quantidade de satisfatório (nº) - 4 e 5: _____ % = B x 100 = ____ %

C Porcentagem de aceitabilidade: __________ A
Resultados - Resto Ingestão
A (volume servido) : _____ g X 100 alunos = ________ g servidos.

B (resto) : volume retornado = _________ g.

C (volume consumido): volume servido – resto (A-B) = ________ g.

IA=



_
A
__C___



X 100 = __________ %




Responsáveis:


E
Carimbo da U.E.
mpresa: _____________________________________

DAAA: __________________________________
Escola: _____________________________________


d. Para fins de análise da aceitabilidade de um produto, serão considerados:

- Condições gerais do produto;

- Características organolépticas;

- Porcionamento “per capita” oficialmente registrado;

- Quantidade efetivamente consumida pelos alunos;

- Sobras recolhidas, após o consumo.










  1. Será considerado aprovado o produto que obtiver um índice mínimo de 90% no teste de resto ingestão ou mais de aceitabilidade nas três escolas visitadas, medido pelo consumo irrestrito dos escolares participantes do teste, ou ainda, um índice mínimo de 85% no teste de escala hedônica.




  1. Caso o produto não atinja o índice mínimo de aceitabilidade determinado por escola, será avaliada a média percentual dos demais testes. Caso a média não atinja o índice mínimo de 90% (nos testes de resto ingestão) ou índice mínimo de 85% (no teste de escala hedônica), será reprovado.


8.7. A equipe técnica do CENUT do DAAA, emitirá um parecer conclusivo a cada etapa de teste realizado para os subitens 8.6-A, 8.6-B e 8.6-C, item 8 deste Folheto.
8.8. O produto ofertado pelo licitante estará apto para ser registrado em Ata de Registro de Preço desde que satisfaça todas as condições constantes da proposta e estabelecidas neste Folheto Descritivo, cuja comprovação será feita através de aprovação em todas as etapas de análises e avaliações, consoante o disposto no item 5 (Documentação Técnica) e subitens 8.6-A, 8.6-B, e 8.6-C (Testes e Avaliação), item 8 deste Folheto.
8.8.1. Para a aprovação do produto objeto da licitação que trata o subitem 8.8. deste item 8, equipe técnica do CENUT do DAAA emitirá um Parecer Conclusivo Geral com os apontamentos das análises realizadas (documentação técnica em consonância com a proposta apresentada, proposta e amostra - testes e avaliações), em conformidade com os subitens 8.1, 8.6-A, 8.6-B e 8.6-C, todos do item 8, deste Folheto.

8.9. Caso haja reprovação da Documentação Técnica ou de qualquer das etapas de (Testes e Avaliação da Amostra), a equipe técnica do CENUT do DAAA emitirá um Parecer Conclusivo Motivado sobre a recusa do produto ofertado pelo licitante.
8.10. Os testes internos e externos deverão ser acompanhados do proponente ou se fizer representar oficialmente.

NOTA: No caso da pessoa que acompanhará os testes não ser representante legal da empresa, esta deverá estar devidamente credenciada mediante documento subscrito pelo representante legal da empresa.
Para todos os testes será preenchida a declaração abaixo:
DECLARAÇÃO

Eu, portador do RG representante da empresa estive presente na data participando e acompanhando os testes do produto______________________________

marca , local .
Empresa:

Nome:


Assinatura:

RG:


9. DO CONTROLE DE QUALIDADE POSTERIOR À CONTRATAÇÃO
9.1. Para toda contratação, a contratada obrigar-se-á a realizar análise do produto, na origem, de modo a confirmar as exigências do item 2, deste Folheto Descritivo, para Controle de Qualidade do lote a ser entregue, a ser feito através de coleta aleatória de amostras por:

  • laboratórios da Rede Oficial do Ministério da Agricultura para realização de análises de alimentos de origem animal. Deverá ser observada se as análises que são credenciadas atendem as exigências do item 2 e seus subitens; ou

  • laboratórios da Rede Oficial do Ministério da Saúde. Deverá ser observada se as análises que são credenciadas atendem as exigências do item 2 e seus subitens; ou

  • laboratórios credenciados pelo Ministério da Saúde para análise de alimentos para fins de registro ou controle. Deverá ser observada se as análises que são credenciadas atendem as exigências do item 2 e seus subitens; ou

  • laboratórios pertencentes às Universidades Federais ou Estaduais


9.1.1 Para verificação do atendimento de todas as características dos produtos adquiridos, das embalagens e dos lotes produzidos antes da entrega ao DAAA, há a exigência de laudos dos gêneros alimentícios não perecíveis, através de inspeção e análise desses produtos por Laboratórios Credenciados, de acordo com subitem 9.1. Estas análises laboratoriais solicitadas visam orientar o CENUT com relação ao atendimento das especificações do Folheto Descritivo do Edital, garantindo que o produto licitado seja aquele pretendido pelo DAAA. O laudo deverá ser disponibilizado para análise no prazo mínimo de 24 horas anteriores a entrega do produto.
9.1.2 O laboratório selecionado pela empresa para o controle de qualidade dos produtos adquiridos pelo DAAA, deverá realizar inspeção, coleta de amostras e análises dos alimentos dos lotes produzidos de acordo com o item II.1. (Inspeção e coleta na empresa e/ou Central de abastecimento) e seus respectivos subitens constantes da Portaria DSE Nº 001/96. (Anexo IX)
9.1.2.1. No laudo deverá constar o Modelo de Laudo de Inspeção/Reinspeção de acordo com o item II.1. (Inspeção e coleta na empresa e/ou Central de abastecimento), subitem 2 constante da Portaria DSE Nº 001/96. (Anexo IX)

Laboratório: ____________________________________







Laudo:

de inspeção 



de reinspeção 

Nº do Laudo:

DADOS DO ALIMENTO

1. Natureza / Tipo do Alimento:



2. Marca:

3. Registro:


4. Data de fabricação:



5. Data do vencimento:

6. Nome do fabricante / fornecedor / embalador:



7. Endereço do fabricante / fornecedor / embalador:



INSPEÇÃO / COLETA

8. Local:


9. Data / Hora:



10. Temperatura local ( ºC):

11. Total do lote / Nº de pilhas:

12. Nº de unidades inspecionadas:



RESULTADOS

13. Embalagem primária e secundária:



14. Rótulo da embalagem secundária:



15. Características organolépticas:

Aspecto:


Cor:

Odor:


16. Condições de Armazenagem:



17. Conclusão:



18. Data:


19. Assinatura / Carimbo:



9.1.2.2 Somente serão aceitos em nossa Central de Distribuição os produtos que concluírem com êxito todas as etapas e procedimentos de controle de qualidade preconizados na Portaria DSE Nº 001/96.
9.2 Após a entrega do produto adquirido, resultante de cada contrato, a equipe técnica do CENUT do DAAA poderá efetuar testes internos com amostras do produto, que deverá apresentar características idênticas às das amostras utilizadas e aprovadas nos testes anteriormente realizados, conforme subitem 8.6-A e 8.6-B, item 8, deste Folheto.
9.3. A qualquer tempo, antes do vencimento do prazo de validade do produto, o DAAA através da equipe técnica do CENUT poderá proceder a novos testes do produto, internos ou de campo, utilizando para tanto amostras disponíveis nos estoques da Central de Distribuição ou em qualquer escola da rede. No caso de testes em campo, ou quando a equipe julgar necessário, o proponente será convocado pelo DAAA para acompanhar os procedimentos que serão documentados pela equipe responsável;
9.3.1. Comprovadas alterações técnicas ou sensoriais nas características do produto e/ou embalagem, o proponente será notificado para substituir o produto devendo retirá-lo no local onde se encontrar, no prazo em que a Administração estabelecer, substituindo-o em parte ou no todo, por outro que atenda inteiramente às exigências contidas no Edital que disciplinou a licitação, não gerando quaisquer ônus para o contratante.
9.4. Em decorrência dos procedimentos descritos nos subitens 9.2 e 9.3, fica facultada ao contratante a exigência de laudo técnico nos laboratórios credenciados, sob ônus da contratada.
9.4.1. Comprovado o não atendimento integral das especificações constantes no item 2 deste Folheto Descritivo, o contratante poderá solicitar reanálise do produto não gerando quaisquer ônus para o contratante.
9.5. Caso julgue necessário, o DAAA através da equipe técnica do CENUT poderá submeter o produto a novo teste de aceitabilidade em campo, nos mesmos moldes dos testes realizados em conformidade com o subitem 8.6-C, item 8, deste Folheto.
9.6. Estando dentro do prazo de validade do produto e/ou embalagem e uma vez verificadas alterações (laudos e/ou testes), que justifiquem o procedimento de controle de qualidade, o DAAA encaminhará amostras do produto para exames nos laboratórios credenciados, observadas as normas da Portaria n. º 01/96, correndo por conta da contratada as despesas com todos os laudos.
9.7. Caso a data de validade da contra-prova vença durante o período de vigência do Registro de Preços será solicitado ao fornecedor novas amostras as quais serão submetidas a todas etapas de testes internos e se necessário também testes externos.
9.8. A qualquer momento, a equipe técnica do Departamento de Alimentação e Assistência ao Aluno poderá realizar uma visita às instalações da fábrica para acompanhar a produção destinada a Alimentação Escolar e averiguar as condições higiênico-sanitária do local, sob ônus da contratada.

_________________________



Diretor Técnico – CENUT













































































































































































Carimbo da U.E.






























Carimbo da U.E.






























































































Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande