O que fazer Quando você não sabe o que fazer Estratégias Bíblicas Para Confrontar as Crises



Baixar 401.93 Kb.
Página1/8
Encontro01.10.2019
Tamanho401.93 Kb.
  1   2   3   4   5   6   7   8

O que fazer...

Quando você não sabe o que fazer

Estratégias Bíblicas Para Confrontar as Crises

© Harvestime International Network

Conteúdo

PREFÁCIO: O QUE DEVERIA FAZER?

Um sol acinzentado estava obscurecido pela fumaça dos numerosos incêndios, formando uma estranha luz matutina sobre as ruas de Nairóbi, Quênia. A cena de meu apartamento no terceiro piso do hotel era de completa devastação. As janelas dos carros eram quebradas, os edifícios eram atingidos por balas, as lojas eram pilhadas, e corpos jaziam nas ruas. Após 19 anos de paz, a cidade de Nairóbi foi pega no fogo cruzado de uma sangrenta revolta entre poderes militares rivais tentando derrubar o governo.

Naquele nós estamos agendados para começar um instituto de treinamento para líderes cristãos africanos de todo o continente. O administrador do local que nós alugáramos para o instituto estava lutando pela revolta e não queria que nós iniciássemos as sessões. Devido ao sentimento antiamericano, o governo Queniano estava aconselhando aos Americanos a fugirem do país se eles pudessem encontrar uma saída. A tripulação de uma empresa de aviação Suíça que permaneceu no hotel onde eu estava ofereceu-me uma carona para outra cidade de onde eu poderia pegar um voo para a América, e eu estava seriamente considerando isso. Nosso coordenador nacional e os delegados africanos, contudo, queriam abrir o instituto de treinamento como agendado. A decisão final era minha, mas o que eu deveria fazer?

Para ser honesto, eu considerei seriamente em pegar um voo de volta para o refúgio seguro de meu lar na Califórnia, mas isso seria uma partida sábia ou covarde? Eu deveria permanecer em Nairóbi e abrir o instituto como agendado, a despeito do perigo? Se sim, isso poderia custar a vida de alguém – talvez a minha!

Embora cada dilema que nós enfrentamos na vida não seja tão dramático como a situação que eu enfrentei em Nairóbi, as circunstâncias complexas frequentemente resultam na mesma questão: “O que eu devo fazer?” Nós somos frequentemente ensinados que para acharmos a vontade de Deus nós devemos orar, estudar as Escrituras, ouvir a voz interior do Espírito Santo e analisar as circunstâncias. Mas o que acontece quando não há nenhuma visita angelical, nenhuma voz audível de Deus, nenhuma manifestação sobrenatural, nenhum tempo para buscar conselhos – mas você tem uma situação urgente e necessita de uma resposta imediata?

Em Crônicas 20, a Bíblia registra a história de um homem que enfrentou tal dilema. Um inimigo formidável estava rapidamente avançando para invadir a nação do Rei Josafá. Conforme o grande exército marchava em sua direção, Josafá reconheceu terrivelmente que ele não tinha nenhuma estratégia para enfrentar a crise. Ele não tinha tempo para pesquisar as Escrituras, marcar um encontro com um conselheiro cristão ou esperar pelas circunstâncias para agir. A história de Josafá começa com confusão, mas termina com conquista porque ele aprendeu o que fazer quando ele não sabia o que fazer – e você também pode! Uma vez que você dominar as estratégias que Josafá usou você pode aplicá-las a cada crise que encontrar.

Naquele dia terrível em Nairóbi, eu decidi abrir o instituto de treinamento como estava agendado, a despeito da contínua revolta e das advertências do governo. Centenas de nossos delegados africanos se prostraram diante de Deus e intercederam por Quênia até que umas 52 horas depois o Governo triunfou e o Presidente Daniel Moi publicamente deu glória a Deus por restaurar a paz a essa nação. Naquele dia, eu aprendi que minha vida, o destino espiritual dos outros e talvez até mesmo aquela inteira nação pode ser profundamente afetada pelo que eu faço quando eu não sei o que fazer.

Se você está buscando a vontade de Deus, mas você está confuso e perplexo – então este livro é para você! Como Josafá, uma vez que receba esta revelação, você nunca mais ficará com medo ou indeciso quando você não souber o que fazer.



O Autor

O TEXTO BÍBLICO

2 Crônicas 20.1-30:

1 Depois disto, os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos meunitas, vieram à peleja contra Josafá.

2 Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi.

3 Então, Josafá teve medo e se pôs a buscar ao SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá.

4 Judá se congregou para pedir socorro ao SENHOR; também de todas as cidades de Judá veio gente para buscar ao SENHOR.

5 Pôs-se Josafá em pé, na congregação de Judá e de Jerusalém, na Casa do SENHOR, diante do pátio novo,

6 e disse: Ah! SENHOR, Deus de nossos pais, porventura, não és tu Deus nos céus? Não és tu que dominas sobre todos os reinos dos povos? Na tua mão, está a força e o poder, e não há quem te possa resistir.

7 Porventura, ó nosso Deus, não lançaste fora os moradores desta terra de diante do teu povo de Israel e não a deste para sempre à posteridade de Abraão, teu amigo?

8 Habitaram nela e nela edificaram um santuário ao teu nome, dizendo:

9 Se algum mal nos sobrevier, espada por castigo, peste ou fome, nós nos apresentaremos diante desta casa e diante de ti, pois o teu nome está nesta casa; e clamaremos a ti na nossa angústia, e tu nos ouvirás e livrarás.

10 Agora, pois, eis que os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir, cujas terras não permitiste a Israel invadir, quando vinham da terra do Egito, mas deles se desviaram e não os destruíram,

11 eis que nos dão o pago, vindo para lançar-nos fora da tua possessão, que nos deste em herança.

12 Ah! Nosso Deus, acaso, não executarás tu o teu julgamento contra eles? Porque em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer; porém os nossos olhos estão postos em ti.

13 Todo o Judá estava em pé diante do SENHOR, como também as suas crianças, as suas mulheres e os seus filhos.

14 Então, veio o Espírito do SENHOR no meio da congregação, sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Benaia, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita, dos filhos de Asafe,

15 e disse: Dai ouvidos, todo o Judá e vós, moradores de Jerusalém, e tu, ó rei Josafá, ao que vos diz o SENHOR. Não temais, nem vos assusteis por causa desta grande multidão, pois a peleja não é vossa, mas de Deus.

16 Amanhã, descereis contra eles; eis que sobem pela ladeira de Ziz; encontrá-los-eis no fim do vale, defronte do deserto de Jeruel.

17 Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o SENHOR vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o SENHOR é convosco.

18 Então, Josafá se prostrou com o rosto em terra; e todo o Judá e os moradores de Jerusalém também se prostraram perante o SENHOR e o adoraram.

19 Dispuseram-se os levitas, dos filhos dos coatitas e dos coreítas, para louvarem o SENHOR, Deus de Israel, em voz alta, sobremaneira.

20 Pela manhã cedo, se levantaram e saíram ao deserto de Tecoa; ao saírem eles, pôs-se Josafá em pé e disse: Ouvi-me, ó Judá e vós, moradores de Jerusalém! Crede no SENHOR, vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas e prosperareis.

21 Aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o SENHOR, que, vestidos de ornamentos sagrados e marchando à frente do exército, louvassem a Deus, dizendo: Rendei graças ao SENHOR, porque a sua misericórdia dura para sempre.

22 Tendo eles começado a cantar e a dar louvores, pôs o SENHOR emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os do monte Seir que vieram contra Judá, e foram desbaratados.

23 Porque os filhos de Amom e de Moabe se levantaram contra os moradores do monte Seir, para os destruir e exterminar; e, tendo eles dado cabo dos moradores de Seir, ajudaram uns aos outros a destruir-se.

24 Tendo Judá chegado ao alto que olha para o deserto, procurou ver a multidão, e eis que eram corpos mortos, que jaziam em terra, sem nenhum sobrevivente.

25 Vieram Josafá e o seu povo para saquear os despojos e acharam entre os cadáveres riquezas em abundância e objetos preciosos; tomaram para si mais do que podiam levar e três dias saquearam o despojo, porque era muito.

26 Ao quarto dia, se ajuntaram no vale de Bênção, onde louvaram o SENHOR; por isso, chamaram àquele lugar vale de Bênção, até ao dia de hoje.

27 Então, voltaram todos os homens de Judá e de Jerusalém, e Josafá, à frente deles, e tornaram para Jerusalém com alegria, porque o SENHOR os alegrara com a vitória sobre seus inimigos.

28 Vieram para Jerusalém com alaúdes, harpas e trombetas, para a Casa do SENHOR.

29 Veio da parte de Deus o terror sobre todos os reinos daquelas terras, quando ouviram que o SENHOR havia pelejado contra os inimigos de Israel.

30 Assim, o reino de Josafá teve paz, porque Deus lhe dera repouso por todos os lados.

Capítulo Um

UMA MÁ NOTÍCIA

Depois disto, os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos meunitas, vieram à peleja contra Josafá. Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi (2ª Crônicas 20.1-2).

Sempre há “alguém” com uma má notícia. O registro bíblico está cheio com proclamações miseráveis:

- Moisés recebeu um relatório ruim a respeito das perigosas profundezas do Mar Vermelho que bloqueava o êxodo de Israel do Egito.

- Mensageiros vieram a Neemias descrevendo Jerusalém em ruínas com seus muros fortificados caídos e devastados.

- Noemi, uma mulher cuja história é registrada no livro de Rute, recebeu uma séria de relatórios ruins: seu marido e ambos os filhos morreram.

- O Rei Davi olhou para a planície e viu um mensageiro correndo com notícias do campo de batalha. Foi um relatório devastador de que seu filho, Absalão, estava morto.

- Um homem justo chamado Jó parecia ter uma 2 negativos (como se Jó necessitasse de alguém para lhe dizer o quão ruim as coisas estavam). Seu conselho foi para “maldiçoar a Deus e morrer”.

- Enquanto Jairo se apressava para chegar em casa com Jesus para ajudar a sua filha doente, um servo dele o encontrou com a trágica notícia de que sua filha havia morrido.

Há sempre “alguém” com uma má notícia. De fato, normalmente há “mais” de um “alguém” porque nós vivemos em um mundo orientado negativamente. Se você não crê nisso, observe o que acontece quando você compartilha um ideia inovadora. A resposta comum é que os outros começarão imediatamente a dizer por que seu plano não funcionará. Esta mentalidade negativa é tremendamente evidente nas notícias noturnas da televisão onde praticamente toda notícia diz respeito a crime, brigas políticas ou crises sociais. Até mesmo o relatório do clima e negativo. Por que não diz que há “80% de chances de fazer sol” ao invés de “20% de chances de chover”?

VOCÊ JÁ RECEBEU UMA MÁ NOTÍCIA?

O doutor disse que sua enfermidade é terminal? Você está sendo intimidado para divorciar-se ou batalhando pela custódia de seus filhos? Você está enfrentando a ruína financeira? O pediatra lhe disse que seu precioso bebê nunca será normal?

Talvez você tenha crescido em um ambiente negativo onde você constantemente ouviu “más notícias” de pais que declaravam “Eu lamento que você tenha nascido!” ou “Você é tão estupido... Você nunca valerá nada!”

Suas más notícias talvez sejam um documento escrito semelhante à carta ameaçadora recebida pelo Rei Ezequias nos tempos do Antigo Testamento. Talvez sua “má notícias” esteja em forma humana, alguém que está fielmente perseguindo você como a Rainha Jezabel perseguiu o profeta Elias.

Qualquer que seja a forma de sua “má notícia”, seja qual for a fonte, e a despeito de sua mensagem, o livro que você agora segura em suas mãos é sua resposta. Você aprenderá o que fazer quando você não sabe o que fazer, usando diretrizes bíblicas extraídas da história da batalha do Rei Josafá com as forças inimigas registradas em 2ª Crônicas 20.

UM REI QUE ANDOU NO CAMINHO DE DEUS

Josafá era o filho do Rei Asa e uma mulher chamada Azuba. Ele era um jovem de 35 anos quando ele se tornou rei sobre Judá:



E Josafá, filho de Asa, começou a reinar sobre Judá no quarto ano de Acabe, rei de Israel. Era Josafá da idade de trinta e cinco anos quando começou a reinar; e vinte e cinco anos reinou em Jerusalém. Sua mãe se chamava Azuba, filha de Sili. Ele andou em todos os caminhos de Asa, seu pai; não se desviou deles e fez o que era reto perante o SENHOR. Todavia, os altos não se tiraram; neles, o povo ainda sacrificava e queimava incenso (1ª Reis 22.41-44).

Os detalhes da administração de Josafá do reino de Judá estão registrados em 2ª Crônicas 17 a 19. Josafá imediatamente fortaleceu as forças militares de Judá, enviou sacerdotes e levitas por todo o reino para ensinar a lei de Deus, e estabeleceu um sistema de julgamento que era justo. Crônicas declara a seu respeito:



O SENHOR foi com Josafá, porque andou nos primeiros caminhos de Davi, seu pai, e não procurou a baalins. Antes, procurou ao Deus de seu pai e andou nos seus mandamentos e não segundo as obras de Israel. O SENHOR confirmou o reino nas suas mãos, e todo o Judá deu presentes a Josafá, o qual teve riquezas e glória em abundância. Tornou-se-lhe ousado o coração em seguir os caminhos do SENHOR, e ainda tirou os altos e os postes-ídolos de Judá (2º Crônicas 17.3-6).

Quando um homem escolhe o caminho de Deus não demorar para que seu compromisso seja desafiado. Isso foi exatamente o que aconteceu no relato registrado em 2ª Crônicas que abre com a frase “Depois disto...”. Depois de quê?

- Após Josafá ter feito um compromisso para andar no caminho de Deus.

- Após ele estabelecer o julgamento justo e instruções da lei de Deus.

- Em meio a tornar-se “ousado o coração em seguir os caminho do Senhor...”.

... Foi aí quando ele recebeu a má notícia:



Depois disto, os filhos de Moabe e os filhos de Amom, com alguns dos meunitas, vieram à peleja contra Josafá. Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi (2ª Crônicas 20.1-2).

Quando você está dando o seu melhor para viver para Deus, ordenando a sua vida e ministério por Sua Palavra, e estabelecendo-se em santidade – isso é quando Satanás e suas forças demoníacas lançam seus ataques mais severos.



PERDER TODO O TINO1

Quando Josafá ouviu que o inimigo tinha lhe cercado, ele clamou a Deus dizendo: “[...] em nós não há força para resistirmos a essa grande multidão que vem contra nós, e não sabemos nós o que fazer...” (2ª Crônicas 20.12). Este não é o modo como muitos de nós falam hoje em dia. Nós nos vangloriamos de nosso grande poder diante da adversidade. Nós declaramos, “Maior é o que está dentro de mim do que o que está no mundo”. Mas ao primeiro sinal de desastre, nós fugimos em medo e pânico. Nós realmente não sabemos o que fazer, mas nós agimos como se soubéssemos de tudo. Josafá humildemente admitiu a sua dependência de Deus.

Josafá perdeu todo o tino, o que significa que ele chegou ao fim de seus próprios recursos mentais e emocionais. Você já perdeu seu tino? Você está aí agora? Você sabe de onde a expressão “sai perícia se torno inútil” se originou? Você pode ficar surpreso em aprender que ela veio da Bíblia:

Pois ele falou e fez levantar o vento tempestuoso, que elevou as ondas do mar. Subiram até aos céus, desceram até aos abismos; no meio destas angústias, desfalecia-lhes a alma. Andaram, e cambalearam como ébrios, e perderam todo tino (Salmos 107.25-27).

Salmos 107 detalha com o que se parece perder o seu tino. Ele o compara ao ambiente incontrolável de uma tempestade furiosa:



Pois ele falou e fez levantar o vento tempestuoso, que elevou as ondas do mar (Salmos 107.25).

Seu “perder o tino” é um lugar de instabilidade marcado por “altos e baixos” espirituais, emocionais e mentais.



Subiram até aos céus, desceram até aos abismos; no meio destas angústias, desfalecia-lhes a alma (Salmos 107.26).

Ao perder o tino, a sua alma (seu homem interior) é “liquefeita” e você fica espiritualmente faminto:



Famintos e sedentos, desfalecia neles a alma. […] Subiram até aos céus, desceram até aos abismos; no meio destas angústias, desfalecia-lhes a alma (Salmos 107.5, 26).

“Perder o tino” é uma condição espiritual de anorexia paralela à anorexia física no corpo natural:



De modo que lhes abateu com trabalhos o coração – caíram, e não houve quem os socorresse. [...] Andaram, e cambalearam como ébrios, e perderam todo tino (Salmos 107.12, 27).

O seu “perder o tino” é comparado pelo salmista com o trabalho duro (Salmos 107.12). É um lugar solitário, um “caminho solitário” onde não há ninguém para ajudar:



Andaram errantes pelo deserto, por ermos caminhos, sem achar cidade em que habitassem. […] e não houve quem os socorresse (Salmos 107.4, 12).

Quando as dificuldades da vida o conduzem ao seu perder o tino, como elas fizeram com Josafá, as coisas parecem estar fora de controle. Salmos 107.25 indica, contudo, que os ventos tempestuosos e as ondas estão na verdade estão sob a autoridade de Deus. “Mas por que Ele permitiria uma tempestade devastadora em minha vida?” – você pergunta. “Por que permitiria que uma aliança inimiga se levante conta mim? Por que Ele permitiria que eu chegasse a perder o meu tino?”

Porque é na perda de seu tino – quando você se sente sozinho, sem poder e com medo – que você aprende o que fazer quando você não sabe o que fazer... e uma vez que você domine essas estratégias você poderá aplicá-las a cada dificuldade da vida que encontrar. Enquanto outros estão correndo ao redor e erguendo as mãos em desespero, você saberá exatamente o que fazer!

Capítulo Dois

UMA GRANDE MULTIDÃO

Então, vieram alguns que avisaram a Josafá, dizendo: Grande multidão vem contra ti dalém do mar e da Síria; eis que já estão em Hazazom-Tamar, que é En-Gedi (2ª Crônicas 20.2).

A multidão que veio contra Josafá era uma formidável aliança consistindo dos moabitas, amonitas e outros com eles. Para realmente compreender quem eram esses povos, nós necessitamos olhar um pouco de sua história.

Os moabitas eram descendentes de Moabe, o neto de Ló que foi concebido pelo incesto com sua filha mais velha (Gênesis 19.30-38). Seu território estava situado entre a fronteira leste do Mar Morto, sobre o platô entre o Mar Morto e o deserto da Arábia. Ao sul e oeste de Moabe estava a nação de Edom e ao norte estava Amon. Era uma área fértil para grãos e rebanhos, e uma das principais rotas de comércio passava da Síria ao Golfo de Ácaba, trazendo riqueza e cultura aos moabitas.

Quando os Israelitas acamparam em Moabe pouco antes de cruzar o Rio Jordão, as mulheres de Moabe incitaram os Israelitas a um ritual de imoralidade sexual que resultou no juízo de Deus contra Israel (Números 25.1-9).

As tribos de Rubem e Gade se estabeleceram ao nordeste de Moabe (Números 32.1-37). Quando a nação de Israel se tornou moralmente corrupta durante o período dos juízes, Eglom, um rei de Moabe, oprimiu a Israel e capturou o território leste do Rio Jordão assim como a Jericó. Eúde, o juiz, libertou Israel do controle de Eglom (Juízes 3.12-30).

Os moabitas também ameaçaram Israel quando Saul era rei (1ª Samuel 14.47). Davi eventualmente conquistou a Moabe e a nação permaneceu sujeita a Israel até depois da morte de Salomão (2ª Samuel 8.2). Onri, rei de Israel de 885-874 a.C., manteve Moabe sob seu controle, assim como o fez seu filho Acabe (874-853 a.C.) até que ele se preocupou em guerrear contra a Síria e Assíria, e Moabe se libertou.

O Rei Jorão de Israel, o Rei de Edom, e o Rei Josafá uniram forças para atacar Moabe por volta de 849 a.C. Eles falharam em conquistar os moabitas por causa de uma ato supersticioso quando o rei de Moabe sacrificou ao seu próprio filho para mostrar o quão profundamente ele acredita em sua causa (2ª Reis 3.1-27). Dado este breve histórico de pano de fundo, você já pode ver por que Josafá temia aos moabitas.

UMA ALIANÇA INIMIGA

A “grande multidão” que Josafá enfrentou era formada não apenas pelos Moabitas. Com eles estavam os amonitas, uma raça nômade que descendia do filho de Ló, Amon. Durante os dias do Êxodo, os israelitas foram instruídos por Deus para não se associarem com os Amonitas (Deuteronômio 23.3). Nenhuma razão é dada na Bíblia para a hostilidade entre as duas nações, mas a intriga continuou por diversos séculos.

Nos dias dos juízes, Eglom, Rei de Moabe, alistou a ajuda dos amonitas para tomar Jericó de Israel (Juízes 3.13). No tempo do Rei Saul, Naás, o rei amonita, planejou um ataque contra os israelitas vivendo em Jabes-Gileade, ameaçando arrancar o olho direito de todos os homens e desabilitá-los para a guerra. O Rei Saul respondeu ao seu apelo por ajuda e salvou-o de seu destino (1ª Samuel 11.1-11).

O deus principal dos amonitas era “Moloque”, a quem eles ofereciam sacrifícios humanos em orgias terríveis onde sua imagem era animada e os corpos de crianças vivas eram colocadas em seus braços (1ª Reis 11.7).

Os amonitas e moabitas criaram uma poderosa aliança – mas nós ainda não terminamos! Os “outros” com os moabitas e amonitas eram os Edomitas. Esse povo era descendente de Edom (Esaú) que se estabeleceu no Monte Seir e depôs seus habitantes originais (Deuteronômio 2.12).

Após os anos de peregrinação no deserto, quando Moisés queria levar a Israel para o norte de Canaã através de Edom, o rei de Edom recusou-lhes a passagem, forçando-os a tomar uma rota mais longa e mais difícil através do deserto para o leste (Números 20.14-21; Juízes 11.17, 18).

Durante o reino do Rei Saul, Israel lutou contra Edom (1ª Samuel 14.47) e depois o Rei Davi conquistou Edom, juntamente com um número de outros países adjacentes (2ª Samuel 8.13-14). Durante o tempo do Reino Dividido, um número de encontros hostis ocorreram entre o povo de Deus e Edom e os maus edomitas fora os únicos vizinhos de Israel a quem não se prometeu a misericórdia de Deus (Isaías 34.5-6; 63.1)2.

Essas três nações – os moabitas, amonitas e edomitas – eram de natureza violenta, hostis ao povo de Deus, cruéis e idólatras. Esta foi a composição da “grande multidão” que Josafá enfrentou!



E A SUA MULTIDÃO?

Agora pense por um instante... Qual é a composição da “grande multidão” que você enfrenta? Você pode pensar que sua “multidão” é uma pessoa que está infernizando a sua vida. Se você é um pastor controlado por um conselho eclesiástico carnal, você pode considerá-lo como sendo a sua grande multidão. Filhos sem controle, companheiros abusivos, colegas hostis – quem você pensa que compõe a grande multidão gerando a sua má notícia?

Se você identificou algum desses acima – filhos, colegas ou pessoas controladoras ou abusivas ao seu redor – você está errado. Seus inimigos não são esses levantando-se contra você. Seus inimigos verdadeiros estão apenas camuflados em “carne e sangue” e enquanto você perceber a sua batalha como sendo travada em um nível natural você continuará sendo aterrorizado pelo inimigo.

Por trás de cada “grande multidão” e cada “má notícia” há causas espirituais. O apóstolo Paulo explica:



Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes (Efésios 6.12).

Seu inimigo não é seu companheiro, seu colega ou seu abusador. Seu inimigo é o poder controlador por trás da grande multidão, as forças de Satanás e suas hostes demoníacas. Sua estratégia é similar à aliança inimiga que Josafá enfrentou, porque “o ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (João 10.10).

Você deve enfrentar o inimigo espiritual cm estratégias espirituais. É por isso que o apóstolo Paulo declara, “nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador” (1ª Coríntios 10.10).




Compartilhe com seus amigos:
  1   2   3   4   5   6   7   8


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande