News release template Portugese



Baixar 17.78 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho17.78 Kb.





NOVO relatório do EMCDDA E DA Europol SOBRE AS novas drogas no mercado

Novas drogas alteram profundamente o mercado europeu das drogas


(28.5.2013, LISBOA – SOB EMBARGO até às 10:00 UTC/hora de Lisboa) O número, tipo e disponibilidade de novas drogas na Europa continuou a aumentar em 2012, de acordo com um relatório hoje divulgado pelo EMCDDA e pela Europol (1). A globalização, o progresso tecnológico e a Internet permitiram o desenvolvimento de um mercado aberto a novas drogas que acarreta desafios significativos para a saúde pública, para a aplicação das leis e para a tomada de decisões políticas.

Até há cerca de 10 anos, a maior parte das novas substâncias psicoativas que surgiam no mercado europeu da droga era produzida em laboratórios clandestinos ou proveniente de medicamentos desviados e vendida diretamente no mercado de drogas ilícitas. Embora a situação se mantenha, o aparecimento de um comércio próspero de «euforizantes legais» na Internet e em lojas especializadas em zonas urbanas causou uma profunda mudança no mercado da droga. Atualmente, estas substâncias, frequentemente produzidas na China e na Índia, são agora importadas a granel para a Europa, onde são processadas, embaladas e vendidas como «euforizantes legais». Estas substâncias podem acabar também por ser vendidas nas ruas, como substitutas das anfetaminas, do ecstasy, da heroína ou da cocaína.

Em 2012, foram oficialmente notificadas pela primeira vez, setenta e três (73) novas substâncias psicoativas através do sistema de alerta rápido da UE (2), o que confirma a tendência para o aumento do número de novas substâncias notificadas em cada ano: 49 em 2011, 41 em 2010 e 24 em 2009. Em 2012, a lista de substâncias notificadas foi dominada por 30 canabinóides sintéticos, que imitam os efeitos da canábis (3). O sistema de alerta rápido da UE monitoriza atualmente mais de 280 novas substâncias psicoativas, sendo que o número de substâncias notificadas nos últimos dois anos corresponde a mais de metade do número total de substâncias notificadas desde 2005.

Através do sistema de alerta rápido, as agências recolhem e analisam informações sobre todas estas substâncias, o que lhes permite identificar danos, avaliar o grau de envolvimento do crime organizado e, se necessário, tomar medidas para salvaguardar a saúde pública. Estas informações, fornecidas pelos Estados-Membros da União Europeia, permitiram, em 2012, avaliar os riscos de duas substâncias muito diferentes que foram associadas a mais de 40 mortes na Europa. A primeira, a 4 MA (um estimulante) era vendida como anfetamina no mercado das drogas ilícitas, enquanto que a segunda, a 5 IT (referenciada como produzindo efeitos simultaneamente estimulantes e alucinogénios), era vendida tanto no mercado dos «euforizantes legais» como no mercado ilícito (4). Ainda em 2012, e para além das avaliações de risco, o EMCDDA emitiu uma série de alertas de saúde pública para a rede do sistema de alerta rápido, chamando a atenção para danos relacionados tanto com as novas substâncias como com as drogas controladas.



Wolfgang Götz, Diretor do EMCDDA, afirma que: «Monitorizar novas drogas é mais do que contar números. Este relatório revela claramente que o sistema de alerta rápido desempenha um papel essencial para assegurar o acesso da UE e dos Estados-Membros à mais recente informação disponível sobre as novas substâncias psicoativas e sobre os danos que essas substâncias podem causar, contribuindo para permitir que em toda a União Europeia possam ser tomadas as medidas adequadas para salvaguardar a saúde pública.»

Segundo o relatório, agora, mais do que nunca, é necessário obter informação atualizada e cientificamente rigorosa sobre as novas substâncias provenientes de toda a Europa e do exterior. Embora a capacidade operacional do sistema de alerta rápido tenha continuado a expandir-se, o relatório evidencia algumas dificuldades inerentes na monitorização deste mercado de drogas emergente, como a identificação de novas substâncias cada vez mais complexas e a interpretação de dados limitados sobre os níveis de consumo.


Rob Wainwright, Diretor da Europol, afirma: «O fenómeno das novas drogas é agora reconhecido como um problema global e como um mercado globalizado, o que o torna particularmente difícil de controlar. O relatório revela que o crime organizado está envolvido na produção de novas drogas, que é um mercado em rápido desenvolvimento e expansão, com baixos riscos e lucros elevados.»
Notas

(1) «EMCDDA–Europol 2012 annual report on the implementation of Council Decision 2005/387/JHA in accordance with Article 10 of Council Decision 2005/387/JHA on the information exchange, risk-assessment and control of new psychoactive substances» [Relatório anual 2012 do EMCDDA Europol sobre a aplicação da Decisão 2005/387/JAI do Conselho relativa ao intercâmbio de informações, avaliação de riscos e controlo de novas substâncias psicoativas, nos termos do artigo 10.º dessa Decisão]. A Decisão do Conselho constitui o instrumento jurídico em três etapas através do qual a Europa monitoriza e empreende ações em relação a novas substâncias.

O relatório de 2012 (o oitavo relativo à aplicação da decisão) encontra se disponível em inglês em: www.emcdda.europa.eu/publications/implementation-reports

Ver lista de substâncias no anexo 1.


Para mais informações sobre a Decisão do Conselho de 2005 e os relatórios supramencionados, consultar www.emcdda.europa.eu/drug-situation/new-drugs
(2) O sistema de alerta rápido dota os Estados Membros da UE de um mecanismo de intercâmbio de informações para comunicar o aparecimento de novas substâncias psicoativas, que é um elemento fundamental do sistema acelerado de avaliação e combate às novas drogas. O sistema de alerta rápido possui «capacidades de comunicação» significativas, que agilizam o intercâmbio e a triangulação de informações das fontes existentes. Para mais informações, consultar www.emcdda.europa.eu/themes/new-drugs/early-warning e a brochura publicada em www.emcdda.europa.eu/html.cfm/index40105EN.html
(3) Para mais informações sobre canabinóides sintéticos, ver «Drug profiles» em

www.emcdda.europa.eu/publications/drug-profiles/synthetic-cannabinoids
(4) Em março de 2013, o Conselho da União Europeia decidiu que a 4 MA deveria ser sujeita a medidas de controlo em toda a UE. Consultar comunicado N.º 2/2013 em www.emcdda.europa.eu/news/2013/2

Em breve — Terceiro fórum internacional sobre novas drogas

O EMCDDA irá organizar o «Terceiro fórum internacional sobre novas drogas» em 27 e 28 de junho em Lisboa.

Para mais informações, consultar www.emcdda.europa.eu


Contacto: Kathy Robertson, Relações media

Cais do Sodré, 1249-289 Lisboa, Portugal • Tel. (351) 211 21 02 00


press@emcdda.europa.euwww.emcdda.europa.eu

PT — N.º 5/2013






Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande