Ministério da saúDE


Protocolo de pré-medicação ao uso de soros heterólogos



Baixar 1.08 Mb.
Página10/15
Encontro21.10.2017
Tamanho1.08 Mb.
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15

Protocolo de pré-medicação ao uso de soros heterólogos





- Antagonistas dos receptores H1 da histamina: Crianças Adultos

(dose máxima)

Maleato de dextroclorfeniramina 0,08 mg/kg 5 mg



ou

Prometazina 0,5 mg/kg 50 mg

- Antagonistas dos receptores H2 da histamina:

Cimetidina 10 mg/kg 300 mg



ou

Ranitidina 1,5 mg/kg 50 mg

- Corticosteróide:

Hidrocortisona 10 mg/kg 500 mg



Atenção: a aplicação do soro anti-rábico heterólogo deverá ser realizada 20 a 30 minutos após a aplicação da pré-medicação acima (esquema parenteral).



  • Opção 2. Via Oral




  • Antagonistas dos receptores H1: Maleato de dextroclorfeniramina - solução oral (xarope), contém 0,4 mg/ml (genérico). Administrar 0,2 mg/kg de peso, atingindo no máximo 5 mg.




  • Antagonista dos receptores H2 :

Cimetidina - comprimido revestido, contendo 200 mg ou 400 mg (genérico). Administrar 20 a 30 mg/kg, atingindo no máximo 400 mg ou

Ranitidina - comprimido revestido contendo 150 mg ou 300 mg ( genérico) Administrar 1,0 a 2,0 mg/kg de peso, atingindo no máximo 300 mg.


  • Corticosteróide:

Hidrocortisona: na dose de 10 mg/kg, com dose máxima de 1000mg. Será sempre administrada por via venosa ou

Dexametasona (fosfato), na dose 2 mg ou 4 mg, com dose máxima de 20 mg. Pode ser administrada por via intra-muscular.

Atenção: a aplicação do soro anti-rábico heterólogo deverá ser realizada aproximadamente 2 (duas) horas após a aplicação da pré-medicação acima (esquema oral).



  • Opção 3 . Esquema Misto


- Por via Oral

Antagonista dos receptores H1: Maleato de dextroclorfeniramina, solução oral (xarope), contém 0,4 mg/ml (genérico). Administrar 0,2 mg/kg de peso, atingindo no máximo 5 mg.
Esta medicação pela via oral deverá ser administrada 60 minutos antes da soroterapia.
- Por via Parenteral

Antagonistas dos receptores H2 : Cimetidina, na dose de 10 mg/kg de peso, dose máxima de 300 mg ou Ranitidina, na dose de 3 mg/kg, dose máxima de 100 mg, pela via venosa, lentamente.
Hidrocortisona, na dose de 10 mg/kg por via venosa, dose máxima de 1000mg, ou Dexametasona, na dose de 2 mg ou 4 mg, dose máxima de 20 mg, por via intra-muscular.




Atenção: As medicações, pela via parenteral, deverão ser administradas 20 a 30 minutos antes do soro.Heterólogo
OBS - O esquema que utiliza somente a via parenteral é o mais conhecido e o que acumula experiência clinica positiva já publicada

Anexo 1


Descrição e conduta frente a alguns eventos adversos comuns a vários imunobiológicos

1. Introdução


As vacinas estão entre os produtos de maior segurança de uso. Entretanto, é possível que haja reações até mesmo graves, com a sua utilização. No que se refere à utilização de imunização passiva, os eventos adversos são muito mais freqüentes após a aplicação de produtos de origem não-humana (soros preparados em eqüinos). A orientação dada a seguir destina-se aos serviços de rotina de imunização, com os seus recursos habituais. Não é orientação impositiva, devendo ser adaptada às circunstâncias operacionais e à experiência e treinamento de cada grupo.

2. Manifestações locais

Podem ocorrer após a aplicação de qualquer vacina. Os casos de abscesso geralmente encontram-se associados com infecção secundária e erros na técnica de aplicação. Estas reações são conseqüência da introdução da agulha e do conteúdo vacinal no tecido muscular. A hiperestesia se produz pela irritação dos terminais nervosos locais. O eritema se deve a vasodilatação reativa, que favorece a absorção.

O prurido e as pápulas urticariformes são conseqüências da liberação de histamina e serotoninas e outras substâncias vasoativas O enfartamento ganglionar revela a atividade das células retículo endoteliais e dos macrófagos para eliminar os restos da vacina.

Os abscessos ocorrem quando há a contaminação no local de inoculação e estão normalmente relacionados à erro de técnica.



2.1. Notificação e investigação


Notificar e investigar os casos com abscessos ou outras reações locais muito intensas (edema e/ou vermelhidão extensos, limitação de movimentos acentuada e duradoura); notificar também o aumento exagerado de determinada(s) reação(ões) locais associada(s) eventualmente a erros de técnica ou a lote vacinal (“surtos”).

2.2. Conduta

a) Tratamento


1 - Analgésico, se necessário;

2 - Compressas frias, nas primeiras 24-48 horas após a aplicação, nos casos de dor e reação locais intensas.

3 - Os abscessos devem ser submetidos a avaliação médica, para conduta apropriada.

b) Contra-indicação para doses subseqüentes


Não há.

3. Febre


Elevação da temperatura axilar acima de 37ºC. É uma resposta fisiológica à administração de antígenos, com produção de citocinas inflamatórias que atuam no hipotálamo, com liberação de prostaglandinas e elevação da temperatura. Promove a resposta imunológica. Pode também ocorrer pela administração de substâncias tóxicas contaminantes, como a endotoxina, ou ser secundária a processos inflamatórios inespecíficos, como abscessos locais.

Pode ocorrer logo após a aplicação de vacinas não vivas (como na vacina tetravalente , vacina meningocócica B/C, etc.) ou alguns dias depois de vacinas vivas (como na vacina tríplice viral). É possível que se deva a alguma infecção intercorrente ou desidratação, a criança deve ser examinada quando a febre for alta ou fugir do padrão esperado para o tipo de vacina aplicada.





Compartilhe com seus amigos:
1   ...   7   8   9   10   11   12   13   14   15


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande