Membro superior



Baixar 0.52 Mb.
Página5/5
Encontro24.10.2017
Tamanho0.52 Mb.
1   2   3   4   5

GLOTE

(aparelho vocal)

Compreende as pregas e processos vocais, junto com a rima da glote (abertura entre as pregas vocais).

PREGAS VESTIBULARES

(pregas vocais falsas)


Estendem-se entre as cartilagens tireóideas e aritenóideas, têm função de proteção.

TRAQUÉIA
Tubo fibrocartilagíneo sustentado por anéis traqueais incompletos, que mantêm a traquéia aberta. Na região posterior localiza-se o músculo traqueal (músculo liso).


  • Mede aproximadamente 2,5 cm de diâmetro e 10 a 12 cm de comprimento(adultos).




  • É revestida por tecido epitelial ciliado e produz um muco protetor, os quais, em conjunto, filtram as impurezas que chegam nesta região.




  • Carina: bifurcação inferior que forma os brônquios



BRÔNQUIOS PRINCIPAIS E SUAS DIVISÕES
Os brônquios principais são bifurcações da traquéia, neles, os anéis cartilaginosos são substituídos por placas irregulares de cartilagens. Existem dois brônquios principais: o esquerdo e o direito.

O brônquio principal esquerdo passa sob o arco da artéria aorta e cruza a frente do esôfago, podendo impedir a deglutição de grandes objetos. Por outro lado, o brônquio principal direito é mais vertical, mais calibroso e também mais curto que o esquerdo, sendo por isso, mais suscetível à aspiração de corpos estranhos.

Os brônquios principais entram nos pulmões e ramificam-se de maneira constante para formarem os cinco brônquios lobares ou secundários, dois seguem para o pulmão esquerdo e três para o pulmão direito para suprir cada um de seus lobos.

Dos brônquios segmentares originam-se aproximadamente 25 gerações de ramificações que terminam nos bronquíolos terminais os quais, por sua vez, transformam-se nos bronquíolos respiratórios que terminam no interior dos alvéolos pulmonares . Todas estas estruturas formam em conjunto a árvore brônquica.




PULMÕES:
São dois órgãos torácicos elásticos formados por tecido conjuntivo, rico em fibras colágenas e elásticas e células (pneumócitos). Apresentam-se separados pelo coração e grandes vasos do mediastino, são os órgãos vitais da respiração. Têm função de oxigenar o sangue (hematose).
Estruturas:
Cada pulmão possui um ápice que é a parte superior do pulmão próxima à 1ª costela, três faces (face costal, mediastinal e diafragmática) e três margens (face anterior, inferior e posterior).


  • Raiz do pulmão: é formada por estruturas que penetram nos pulmões: brônquios, nervos, vasos linfáticos e vasos sangüíneos.

  • Hilo do pulmão: área na face medial de cada pulmão, onde as estruturas que formam a raiz (brônquios, nervos, vasos linfáticos e sangüíneos) entram e saem dos pulmões.

  • Lobos: O pulmão direito divide-se em três lobos (superior, médio e inferior) e o pulmão esquerdo em 2 lobos (superior e inferior), sendo que entre os dois lobos esquerdos situa-se uma projeção denominada de língula.


ALVÉOLOS PULMONARES
Os alvéolos são cavidades diminutas que se encontram ao final dos ductos alveolares. Apresentam diâmetro médio de 1 a 2 mm e agrupam-se em forma de cachos – sacos alveolares. Suas paredes são muito tênues e estão compostas unicamente por uma capa de células epiteliares planas (0,2 micrômetros), pela quais as moléculas de oxigênio e de dióxido de carbono passam com facilidade.

A troca gasosa entre os alvéolos pulmonares e os capilares sanguíneos circundantes ocorre por difusão e é chamada de HEMATOSE. Um par de pulmões humanos possui cerca de 500 a 700 milhões de alvéolos pulmonares. Isso fornece uma superfície respiratória de aproximadamente 70m2, o que equivale a 40 vezes a área superficial do corpo inteiro.


PLEURA E CAVIDADE TORÁCICA
A cavidade torácica está separada do abdômen pelo diafragma. O centro da cavidade contém outras estruturas, entre os pulmões, as quais estão envolvidas numa área oblonga e larga chamada mediastino. O mediastino está limitado anteriormente pelo esterno, posteriormente pelo corpo das doze vértebras torácicas, superiormente pela entrada torácica e, inferiormente pelo diafragma. Os lados do mediastino são formados pela pleura mediastinal. O conteúdo dos espaços mediastinais inclui o pericárdio, o arco aórtico, o timo, o nervo vago, o esôfago, a traquéia e numerosos vasos sanguíneos.

Cada pulmão é envolvido por uma membrana serosa chamada pleura. Uma camada dessa pleura reveste toda a superfície do pulmão - pleura visceral. A outra camada chamada pleura parietal está em contato direto com o diafragma e a borda interna do tórax. Entre a pleura visceral e a pleura parietal está um espaço virtual, a cavidade pleural que contém um líquido para lubrificação.




FENÔMENOS RESPIRATÓRIOS





Tosse: é um mecanismo para desobstruir as vias aéreas. Resposta à irritação das vias respiratórias. Durante a tosse, um esforço expiratório forçado contra a glote fechada aumenta a pressão do ar no tórax. Após isso, a glote se abre repentinamente, reduzindo a pressão na traquéia e nos brônquios. A alta pressão que permanece ao redor da traquéia colapsa sua parede posterior. Como resultado o ar passa através da traquéia muito mais estreita com grande força e velocidade, soprando para fora material estranho e muco.





Espirro: pode ser descrito como uma tosse respiratória superior. Nos estados preparatórios, mais e mais ar é inspirado, e no clímax, o ar é expelido com uma força explosiva. Durante um espirro a glote é largamente aberta e o ar encontra sua principal resistência na boca ou nas cavidades nasais, de modo que a explosão expiratória serve para limpar as passagens do nariz ou da boca, assim como a tosse limpa os brônquios e a traquéia.






Bocejo: ajuda mais intensamente a respiração ventilando o pulmão de maneira mais completa. Na respiração ordinária, aparentemente nem todos os alvéolos pulmonares são ventilados igualmente, alguns de fato periodicamente se fecham. O sangue passando através dos alvéolos colapsados entra no sistema arterial sem ser oxigenado e dilui o conteúdo médio de oxigênio. Os alvéolos colapsados são abertos pela longa inspiração profunda do bocejo.




Soluço: resposta anormal que não serve a nenhum propósito conhecido. É uma contração espasmódica do diafragma, causado por substâncias no sangue ou por anormalidades circulatórias locais. As cordas vocais geralmente se abrem durante a inspiração (a vocalização é produzida normalmente durante a expiração) e estão aparentemente fechadas durante o soluço; as vibrações produzem o som característico. Soluços persistentes podem geralmente ser parados pela inalação de ar com 5 a 7% de gás carbônico.





SISTEMA DIGESTÓRIO

Sistema adaptado a fazer a quebra mecânica (física) e química dos alimentos.


Funções:


  • Ingestão,

  • Mastigação,

  • Deglutição,

  • Digestão,

  • Absorção e eliminação dos alimentos.



Divisões
Canal alimentar:
Cavidade bucal, faringe, esôfago, estômago, intestinos (delgado e grosso), reto, e ânus.

É aberto nas suas duas extremidades (boca e ânus).


Anexos:
Formado pelas glândulas salivares, o fígado e o pâncreas.
Boca:
Primeira porção do canal alimentar, comunica-se com o exterior através da rima bucal, e com a parte bucal da faringe, através do istmo das fauces.
Limites da boca:


  • Lateral - bochechas.

  • Superior - palato.

  • Inferior - músculos que constituem o assoalho da boca.




  • Estruturas nesta cavidade: gengivas, os dentes e a língua.


Divisões da boca:
1.Vestíbulo da boca:

Espaço limitado por um lado pelos lábios e. bochechas e por outro pelas gengivas e dentes

2.Cavidade bucal: todo restante, palatos, língua, úvula, etc.


3. Palato: Teto da cavidade bucal divide-se em: palato duro, anterior, ósseo, e o palato mole, posterior, muscular. Separa a cavidade nasal da cavidade bucal .
.Úvula: projeção do palato mole.
Arcos do palato:
1. Arco palatoglosso: lateralmente a úvula pregas mais anteriores.
2. Arco palatofaríngico: mais posterior, formado pelos mm. Palatofaríngicos.
Amígdalas (Tonsilas palatinas):
Situadas na fossa tonsilar entre os dois arcos. Auxiliam na defesa do organismo.



Língua
Órgão muscular revestido por mucosa e que exerce importantes funções na mastigação, na deglutição, gustação e na fonação (fala).




Dentes
Estruturas rígidas, esbranquiçadas, implantadas nas cavidades da maxila e da mandíbula, denominadas alvéolos dentários.

Estrutura dos dentes
Coroa: parte acima da gengiva.
Raiz: parte fixada no alvéolo dentário (implantação do dente).
Colo: transição entre a raiz e a coroa.






Marfim ou Dentina: é a maior parte do dente é recoberta pelo esmalte.

Número de dentes
Adultos: 8 incisivos, 4 caninos, 8 pré-molares e 12 molares.
Tipos de dentes
Incisivos (8) - coroa em bisel, com margem cortante e uma única raiz; estão situados anteriormente na arcada dentária.
Caninos (4) - coroa cônica, terminando em ponta, e raiz única; localizam-se lateralmente aos incisivos.
Pré-molares (8) - coroa apresentando dois tubérculos e raiz única ou bífida; situam-se na região lateral da arcada dentária, posteriormente aos caninos.
Molares (12) - possuem coroa com 3-5 tubérculos e duas ou três raízes; são posteriores aos pré-molares.

Glândulas salivares
São responsáveis pela secreção da saliva.
Saliva = água + enzimas (amilase salivar ou ptialina)
Principais glândulas salivares:

Glândula parótida - lateralmente na face e anteriormente ao ouvido externo. Seu canal excretor, ducto parotídico, abre-se ao nível do 2: molar superior.
Infecção = caxumba (parotidite)
Glândula submandibular - localiza-se anteriormente à parte mais inferior I parótida, protegida pelo corpo da mandíbula.O ducto submandibular abre-se no assoalho da boca, abaixo da língua, próximo ao plano mediano.
Glândula sublingual – é a menor das três, situando-se lateral e inferiormente à língua. Sua secreção é lançada na cavidade bucal, por canais que desembocam vários orifícios no assoalho da boca .
Faringe
Cavidade comum à passagem de ar (nasofaringe) alimento (orofaringe).
Esôfago
É um tubo muscular que liga a faringe ao estômago. Divide-se em três porções: cervical, torácica e abdominal.
Estômago
É um órgão muscular oco, que comunica-se com o esôfago (óstio cárdico) e com o intestino delgado (óstio pilórico).
Partes do estômago
a) Parte cárdica (cárdia) - corresponde à junção com o esôfago;
b) Fundo - situada superiormente a um plano horizontal que tangencia a junção esôfago-gástrica;
c) corpo - corresponde à maior parte do órgão;
d) parte pilórica - porção terminal, continuada pelo duodeno

INTESTINOS

Tubos musculares com função de absorção de nutrientes e reabsorção de água e sais minerais.


Divisões
Intestino delgado:
Tubo muscular de calibre fino (delgado) que possui vilosidades intestinais (absorção de alimentos). Subdivide-se em: duodeno, jejuno e íleo.
Intestino grosso:
Tubo muscular de calibre maior com função de reabsorção de água e sais minerais. As fezes são formadas em seu interior devido à reabsorção de água.
Órgãos anexos:
Fígado: Localiza-se abaixo do diafragma e à direita e uma pequena porção à esquerda no abdome.


  • Funções: Auxílio na digestão de carboidratos; lipídios (produz a bile) e proteínas.


Pâncreas:
Situa-se posteriormente ao estômago, fixa-se à parede abdominal posterior, é uma glândula mista (anfícrina).
Função:


  • Insulina e Glucagon;

  • Suco pancreático (peptidases)


SISTEMA ENDÓCRINO

Conjunto de órgãos que produzem secreções denominadas hormônios, lançados na corrente sangüínea e que irão atuar em outra parte do organismo, controlando ou auxiliando sua função. Os órgãos que têm sua função controlada e/ou regulada pelos hormônios são denominados órgãos-alvo.


Glândulas endócrinas:



  • São glândulas que lançam suas secreções diretamente na corrente sangüínea.


Secreções = Hormônios.


  • NÃO possuem ducto excretor por onde a secreção é conduzida.




Glândula hipófise:


  • Corpo ovóide, localizada na fossa hipofisial do osso esfenóide, faz parte do hipotálamo.




Glândula Tireóide:


  • Situa-se no plano mediano do pescoço, abraçando parte da traquéia e laringe.




  • Tem forma de H, possui dois lobos (direito e esquerdo) unidos pelo istmo.




Glândulas paratireóide:
Situa-se na metade medial da face posterior de cada lobo da tireóide, seu número vária de 2 a 6 e cada uma mede no máximo 6 milímetros.




Glândulas supra-renais (Adrenais):
São duas glândulas localizadas sobre os rins, divididas em duas partes independentes – medula e córtex - secretoras de hormônios diferentes. O córtex secreta três tipos de hormônios: os glicocorticóides, os mineralocorticóides e os androgênicos e a medula secreta adrenalina e noradrenalina.


Pâncreas:
É uma glândula mista ou anfícrina.
Ilhotas de Langerhans: porção endócrina, onde estão as células que secretam os dois hormônios: insulina e glucagon.


Gônadas:


  • Ovários: Estrógeno e progesterona.




  • Testículos: Testosterona.


Referências blibiográficas:

ABRAHAMS , P.H. , HUTCHINGS , R.T. , MARKS Jr. , S.C. Atlas colorido de Anatomia Humana de McMinn. São Paulo: Ed. Manole, 1999.


BONTRAGER, K.L. (1999). Tratado de técnica radiológica e base anatômica. 4a ed. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro. 770p.

CASTRO, S.V. (1973). Anatomia fundamental. McGraw-Hill do Brasil: Rio de Janeiro. 414p.

DANGELO, J.; FATTINI, C. A. Anatomia humana sistêmica e segmentar: para o estudante de medicina. São Paulo: Atheneu, 2002.

GARDNER, E. Anatomia: estudo regional do corpo humano. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.

GARDNER, Ernest. GRAY: Anatomia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.
GUYTON, A.C. (1988). Fisioloia Humana. 6a ed. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro. 564p.

JACOB, S.W.; FRANCONE, C.A.; LOSSOW, W.J. (1982). Anatomia e Fisiologia Humana. 5a ed. Guanabara: Rio de Janeiro. 569p.

JUHL, J.H.; CRUMMY, A.B.; KUHLMAN, J.E. (2000). Paul & Juhl – Interpretação Radiológica. 7a ed. Guanabara Koogan: Rio de Janeiro. 1187p.

MONIER, J.P.; TUBIANA, J.P. (1999). Manual de diagnóstico radiológico. 5a ed. MEDSI: Rio de Janeiro. 478p.

NETTER , F.H. : Atlas de Anatomia Humana. Porto Alegre: Artmed, 2000.
ROHEN , J.W. , Yokochi , C. , Lütjen-Drecoll , E. : Anatomia Humana: Atlas fotográfico de anatomia sistêmica e regional. São Paulo: Ed. Manole , 1997.
SOBOTTA, J. Atlas de anatomia humana. Rio de Janeiro: Guanabara, 2000.

SPENCE , A.P. : Anatomia Humana Básica. São Paulo: Ed. Manole, 1991.


SLEUTJES, L. (2004). Anatomia Humana. Difusão: São Caetano do Sul, SP. 351p.

SUTTON, D. (2003). Radiologia e Imaginologia para estudantes de medicina. 7a ed. Manole: Barueri, SP. 271p.

WALTER, R.; KOCH, R.M. (2002). Anatomia e fisiologia humana. 2a ed. Século XXI: Curitiba, PR. 123p.

WICKE, L. (1997). Atlas de anatomia radiológica. 5a ed. Revinter: Rio de Janeiro. 304p.

Sites para pesquisas:
http://www.npac.syr.edu/projects/3Dvisiblehuman/3dvisiblehuman.html

http://www.ama-assn.org/ama/pub/category/7140.html

http://www.bartleby.com/107/

http://web.sc.itc.keio.ac.jp/anatomy/osteologia/ (site em japonês mas com ótimas imagens dos ossos)

http://www.innerbody.com/htm/body.html

http://www.netanatomy.com/ (imagens radiográficas e dissecados)

http://elmedico.metropoliglobal.com/Images/rx.htm (imagens e textos com radiografias)

http://www.medstudents.com/content/resumos/anatomia(1).html

http://edtech.kennesaw.edu/web/humanbo.html

http://icarito.latercera.cl/especiales/cuerpo-humano/

http://www.sci.port.ac.uk/rad/anatomy/

http://www.medtropolis.com/VBody.asp

http://www.derrochasvip.com.ar/Rx/Torax.htm

http://faculty.tcc.cc.fl.us/scma/mccrackenb/axial_skeleton_lab.htm (fotos dos ossos esqueleto axial)

http://faculty.tcc.cc.fl.us/scma/mccrackenb/appendicular_skeleton_lab.htm (fotos dos ossos esqueleto apendicular)

http://www.fauxpress.com/kimball/med/sensory/ear.html

http://www.ocorpohumano.com.br/

http://www.montgomerycollege.edu/~wolexik/204_bone_pictures_page.htm

http://www.dartmouth.edu/~anatomy/index.html

http://nba.uth.tmc.edu/courses/gross2004/general/schedule_block1.htm





Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande