Ip/08/803 Bruxelas, 27 de Maio de 2008 Uma fonte ilimitada de endereços Internet ao dispor da Europa em 2010



Baixar 11.82 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho11.82 Kb.


IP/08/803

Bruxelas, 27 de Maio de 2008



Uma fonte ilimitada de endereços Internet ao dispor da Europa em 2010

A crescente procura de serviços baseados na Internet fará com que não haja, a breve trecho, e se nada for feito, endereços suficientes para responder às necessidades. Se os utilizadores e os fornecedores de serviços Internet forem encorajados a adoptar o mais recente protocolo Internet (versão 6 do IP, ou IPv6), o número de endereços IP aumentará consideravelmente, à semelhança do que aconteceu aquando da extensão dos números de telefone no século XX. A Comissão Europeia estabeleceu hoje um objectivo para a Europa: que, em 2010, 25% das empresas, das administrações públicas e dos particulares utilizem o IPv6. Para isso, a Comissão apela a uma acção concertada a nível europeu que prepare todos os actores para a mudança, que deve fazer-se em tempo útil e de modo eficiente para evitar custos suplementares para os consumidores e dar às empresas europeias inovadoras uma vantagem concorrencial.

"Podemos dizer, neste caso, com toda a pertinência, que «mais vale prevenir que remediar»", afirmou Viviane Reding, Comissária europeia responsável pela Sociedade da Informação e os Media. "No curto prazo, as empresas e as administrações públicas podem sentir-se tentadas a adaptar-se ao espartilho do velho sistema, limitando as suas necessidades, mas, se isso acontecer, a Europa ficará em má posição para tirar partido da mais recente tecnologia Internet, podendo enfrentar uma crise quando se esgotarem os endereços do velho sistema. A quantidade de endereços oferecida pelo IPv6 é superior a quantos grãos de areia existam em todas as praias do mundo. Assim que os europeus começarem a utilizar maciçamente as mais recentes inovações Internet, como as etiquetas inteligentes para lojas, fábricas e aeroportos, os sistemas de aquecimento e de iluminação inteligentes, que economizam energia, e as redes e sistemas de navegação incorporados nos veículos, a procura de endereços IP disparará, passando a ser mil vezes superior à actual. Apelo aos Estados-Membros para que garantam que o protocolo IPv6 seja amplamente utilizado pelas administrações públicas e as empresas a partir de 2010."

O IPv4, utilizado desde 1984, comporta 4300 milhões de endereços, dos quais apenas cerca de 700 milhões, o equivalente a 16%, estão ainda livres e disponíveis para novas ligações. O novo protocolo Internet, o IPv6, disponibilizará uma quantidade quase ilimitada de endereços IP, apoiando assim as novas aplicações que utilizam dispositivos que são demasiado numerosos ou dispendiosos para o IPv4. Passará a ser muito mais fácil para os utilizadores domésticos construírem as suas próprias redes privadas e ligá-las à Internet.

O IPv6 estimulará o surgimento de aplicações Internet mais inovadoras, em particular as baseadas na ligação em rede de um grande número de pequenos dispositivos simples. Por exemplo, a gestão da energia a nível da iluminação pública e dos edifícios inteligentes poderá ser melhorada e a Internet poderá ligar de um modo barato e fiável sensores de controlo remoto em aparelhos domésticos comuns. Estas aplicações, por sua vez, constituirão um incentivo e uma oportunidade para as empresas inovarem ainda mais, produzindo a próxima geração de aplicações Internet.

Os novos computadores e servidores vendidos pelos principais fabricantes já são, na sua maioria, compatíveis com o protocolo IPv6, mas o acesso a eles efectua-se apenas através dos seus velhos endereços IPv4. A rede "dorsal" europeia da Internet para a investigação, a rede "GEANT", já é 100% compatível com o IPv6, o que faz com que a Europa seja a região do mundo com maior adesão aos endereços IPv6. No entanto, este progresso tem de passar também para a Internet pública. É, pois, necessária uma acção concertada a nível europeu por parte de todos os intervenientes da indústria para garantir o rápido crescimento da utilização do protocolo IPv6, podendo as redes Internet "dorsais" funcionar tanto com o IPv4 como com o IPv6.

Entretanto, no Japão, a NTT (Nippon Telecom and Telegraph) já dispõe de uma rede "dorsal" pública a funcionar com o IPv6, e a China planeia implementar redes compatíveis com o IPv4 e o IPv6 antes dos Jogos Olímpicos de Pequim. O Governo dos Estados Unidos tornou obrigatória a compatibilidade com o IPv6 para todos os contratos públicos, mas na prática a sua tecnologia Internet continua a ser semelhante à da UE.

Numa Comunicação hoje adoptada, a Comissão apelou aos Estados-Membros para que coloquem o sector público europeu na linha da frente da implantação da nova tecnologia, procedendo à migração das suas próprias redes Internet, dos sítios Web do sector público e dos serviços de governo electrónico para o IPv6. A Comissão quer também que os sítios Web mais importantes da Europa assumam a liderança nesta matéria e espera obter o compromisso de, pelo menos, 100 dos principais operadores europeus de sítios Web, tais como empresas de radiodifusão ou serviços noticiosos em linha, antes do final de 2008. O próprio sítio Web da Comissão - Europa.eu - estará acessível via o protocolo IPv6 em 2010. Para incentivar a indústria europeia das TI a avançar, os Estados-Membros devem exigir a utilização do IPv6 como condição para os contratos públicos (como já fazem a Comissão Europeia e o Governo norte-americano), lançar campanhas de sensibilização junto das empresas e organizações e ajudá-las na transição.

A Comissão convida os principais intervenientes da indústria a participarem num evento de lançamento que terá lugar em Bruxelas, em 30 de Maio, no qual apresentará a sua iniciativa para acelerar a implantação do IPv6 na Europa.

Contexto:

A Comissão investiu 90 milhões de euros em investigação sobre o IPv6. Em 2002, lançou um plano de acção destinado a preparar a migração para o IPv6, incluindo a constituição de um grande grupo de peritos com experiência na implantação do IPv6 (IP/02/284). Em consequência disso, as redes de investigação europeias estão prontas para o IPv6, sendo a rede europeia GEANT (IP/08/354) líder mundial na implantação deste protocolo. Mais de 30 projectos europeus de I&D directamente relacionados com o IPv6 foram financiados através dos programas-quadro de investigação da UE.

O dossiê de imprensa, do qual consta a Comunicação relativa ao IPv6 hoje adoptada pela Comissão, pode ser consultado no seguinte endereço:

http://ec.europa.eu/information_society/newsroom/cf/itemdetail.cfm?item_id=4133

Anexo

Projected depletion of existing (IPv4) Internet addresses

Source:  Alex Band RIPE NCC, based on data generated by Geoff Huston APNIC






Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande