Grupo de Apoio Nutricional Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional gan / emtn hc hospital das clínicas elaboraçÃo elisabeth Dreyer



Baixar 341.61 Kb.
Página7/11
Encontro21.10.2017
Tamanho341.61 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

Infusão da NP





    • A NP é infundida em bomba de infusão (BI), de forma contínua, em 24 horas. Alterações da velocidade de infusão devem ser evitadas e o volume infundido rigorosamente controlado.

  • Para evitar oscilações do gotejamento e as conseqüentes alterações nas concentrações séricas da glicose e de triglicérides.

    • A infusão cíclica, normalmente noturna, é realizada excepcionalmente no HC e segue um protocolo específico.

    • A bolsa de NP não deve permanecer em infusão por mais de 24 horas.

    • Por conter lipídios, o risco de crescimento bacteriano ou fúngico na NP aumenta consideravelmente após 24 horas.

  • O horário padronizado, para instalação de NP, é 22 horas. Se, após 24 horas, a solução não for totalmente infundida, esta deverá ser desprezada e o volume desprezado anotado na folha de controles do paciente.

  • Retirar as bolsas de NP da farmácia duas horas antes de sua instalação, para atingirem a temperatura ambiente.

  • Caso a instalação da NP seja postergada, a bolsa deverá permanecer na geladeira exclusiva de NP da farmácia e retirada duas horas antes do momento de sua instalação efetiva.

  • Nestes casos, instalar a NP logo que possível, no gotejamento calculado para 24 horas de infusão e desprezar a sobra às 22 horas, quando for instalar a nova bolsa de NP.

      • Verificar a integridade da embalagem;

      • Observar a solução quanto à:

  • Homogeneidade (detectar alterações como agregação dos glóbulos de gordura ou separação das fases)

  • Ausência de corpos estranhos;

  • Temperatura.

      • Conferir o rótulo:

  • Nome do paciente, leito, registro hospitalar;

  • Data e hora de manipulação, prazo de validade;

  • Composição (confirmar com o pedido anexado à prescrição médica);

  • Osmolaridade;

  • Via de acesso;

  • Volume total;

  • Velocidade de infusão.

  • Devolver a bolsa à farmácia caso sejam detectadas anormalidades, registrando o ocorrido.

  • A NP é inviolável até o final de sua administração (Portaria SVS/MS. No 272/98)

  • O equipo é fornecido pela farmácia com as bolsas e deve ser trocado com a bolsa a cada 24 horas.

  • Instalação da bolsa de NP

  • Por determinação do COREN-SP, este procedimento deve ser realizado por um enfermeiro, por ser considerado um procedimento de alta complexidade.

  • Lavar as mãos para manipular a bolsa de NP.

  • Conectar o equipo à bolsa, no balcão do posto de enfermagem ou no carrinho de medicações;

  • Suspender a bolsa de NP com a sua capa protetora no suporte de soro;

  • Abrir a roleta, enchendo o equipo com a NP;

  • Pinçar o equipo da bolsa que estava em uso, retirá-lo da BI;

  • Montar o equipo novo na BI;

  • Programar a BI de acordo com o rótulo da bolsa de NP;

  • Calçar luvas de procedimento;

  • Clampear o cateter para evitar entrada de ar;

  • Desconectar o equipo do soro ou da NP que estava sendo infundida;

  • Proceder à anti-sepsia da conexão por fricção com álcool a 70o;

  • Realizar a lavagem do cateter com 10ml de SF;

  • Conectar o equipo da NP;

  • Iniciar a infusão;

  • Verificar o gotejamento;

  • Cobrir a bolsa de NP com a bolsa protetora;

  • A exposição à luz é um dos fatores causais da peroxidação dos lipídeos e de liberação de fatores tóxicos.

  • Checar a instalação da NP na prescrição médica, anotando o horário de instalação;

  • Anotar, na folha de controles do paciente, o volume instalado e, eventualmente, o volume que foi desprezado.

  • Evitar interrupções da infusão da NP, inclusive para encaminhar o paciente para procedimentos e exames.

  • Quanto mais manipulações do sistema, maior o risco de infecção relacionada ao cateter.

  • Encaminhar o paciente com a bomba de infusão em bateria.

  • Em caso de cirurgia, suspender a NP, instalar SG10% e identificar a via da NP, para evitar que a equipe de anestesia a utilize para outros fins.

  • Em caso de interrupção brusca da NP, instalar SG10%, na mesma velocidade de infusão, durante oito horas, para evitar a ocorrência de hipoglicemia, e comunicar o médico responsável.

  • Para facilitar a distribuição dos equipos, foi padronizada a utilização de bombas de infusão da marca Lifemed® para NP. Estes equipamentos devem ser limpos diariamente com pano umedecido em álcool a 70o; caso sejam detectados defeitos ou anormalidades no gotejamento, encaminhá-los à Unidade Respiratória/Central de Equipamentos para manutenção.



  1. Assistência ao paciente





  • Orientar o paciente e sua família quanto à terapia, mantendo-os informados sobre a sua evolução.

  • Observar sinais e sintomas de complicações; registrar as ocorrências na evolução de enfermagem, comunicar o médico responsável.

  • Controlar os dados vitais conforme rotina.

  • Realizar o controle da glicemia capilar a cada 6 horas nas primeiras 72 horas, espaçando este controle para 12 horas em caso de estabilidade, ou conforme prescrição médica ou de enfermagem.

  • Controlar a diurese e realizar balanço hídrico.

  • Sempre que possível, pesar o paciente semanalmente; a altura deve ser verificada na admissão do paciente.

  • Realizar exame físico conforme rotina do serviço, observando o grau de hidratação, a presença de edema, queixas de fome ou sede, alterações do nível de consciência, sinais de deficiência de vitaminas.

  • Em caso de bacteremia com suspeita de contaminação de NP, seguir as seguintes recomendações da CCIH/HC:

      • Suspender imediatamente a infusão;

      • Com a bolsa ainda suspensa no suporte de soro, colher uma amostra da NP por punção no dispositivo apropriado, após desinfecção com álcool a 70o; transferir este material assepticamente para um frasco de hemocultura devidamente identificado.

      • Na retirada da bolsa do suporte pode ocorrer contaminação bacteriana ascendente.

      • Colher simultaneamente uma amostra de sangue periférico para hemocultura;

      • Enviar os frascos para o laboratório de microbiologia;

      • Desprezar a bolsa e o sistema de infusão;

      • Registrar o ocorrido no prontuário do paciente;

      • Notificar a CCIH/HC e o GAN/EMTN - HC (farmacêutico).



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande