Formulário de cotaçÃO



Baixar 77.56 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho77.56 Kb.








ESPECIFICACAO TECNICA PARA
AQUISICAO DE CONJUNTO DE APROXIMACAO AO FOGO


QUANTIDADE

EQUIPAMENTOS

PREÇO UNITÁRIO

VALOR TOTAL

02

Blusão ¾ de aproximação e combate a incêndio nível B, confeccionados em quatro camadas de tecidos de alta resistência mecânica e abrasiva (fibras meta-aramida e para aramida). 01 tamanho G e outro tamanho GG

R$ 1.800,00

R$ 3.600,00

02

Calça de aproximação e combate a incêndio nível B (01 tamanho G e outra tamanho GG)

R$ 1.200,00

R$ 2.400

02

Balaclava malha dupla abertura frontal AF 400g

R$ 90,00

R$ 180,00

02

Bota de bombeiro para combate a incêndio (01 tamanho 41 e outra no tamanho 42)

R$ 350,00

R$ 700,00

02

Luva de aproximação em para-aramida e meta-aramida

R$ 200,00

R$ 400,00

02

Capacete para bombeiro, tamanho único.

R$ 1.400,00

R$ 2.800,00




TOTAL:

R$ 5.040,00

R$ 10.080,00

JULHO 2009


CONJUNTO DE APROXIMAÇÃO AO FOGO
Blusão 3/4:
Composição das camadas de proteção:
1.ª Camada : Tecido atua como camada externa com alto índice de resistência mecânica, tipo plano construção em tela 1X1 no sistema Rip Stop, composto de 60% fibra para-aramida e 40% fibra meta-aramida, 100% antichama, com gramatura não inferior a 215grs/m². Deverá ter tratamento contra raios ultravioleta (UV) e tratamento de hidro-repelente incolor. Deverá ter resistência a rompimento da fibra superior a 220 libras força no urdume e 210 libras força na trama. Sua resistência a abrasão deverá ser de no mínimo de 90 ciclos. Após 5 lavagens o tecido não poderá encolher maior que 1%, a sua resistência a tração após 5 lavagens não poderá ser menor que 20 libras no urdume e 20 libras na trama, a absorção de água não poderá ser maior que 7% após 5 lavagens.
2ª. Camada: Camada interna que atua como barreira de vapor e líquidos. O material da barreira de vapor e líquidos deve ser um laminado de duas camadas de 142,8 gramas por metro quadrado, composto de uma membrana bicomponente interna e o substrato de meta-aramida não tecido agulhada de 102 gramas por metro quadrado. A membrana bicomponente interna deve ser composta de uma matriz de PTFE (politetrafluoretileno) expandido tendo um revestimento contínuo hidrófilo (isto é, que tem afinidade com água) e oleofóbico (isto é, que tem aversão pelo óleo) que é impregnado dentro da matriz de PTFE expandido.
3ª. e 4ª Camadas: As camadas atuam como barreira de calor e forro interno para contato com o bombeiro seu peso não poderá ser inferior a 400grs/m², a 3ª. camada é formada por feltro de manta agulhada de 100% meta-aramida com 2mm de espessura no mínimo e não podendo ter menos de 300grs/m², sua estabilidade dimensional não poderá ser maior que 3% no sentido do urdume e 3% no sentido da trama. Deverá ser unida a 4ª camada que é um tecido de forro para contato com o corpo do bombeiro, este forro deverá ser plano e do tipo tela 1X1 100% em aramida composto de (93% meta-aramida, 5% para-aramida e 2% fibra anti-estática) com gramatura não inferior a 100grs/m², as costuras de união da 3ª e 4ª camadas deverão ser trapezoidais de no mínimo 80mm em cada lateral da costura.
Confecção do Blusão:


  • Gola com no mínimo 100mm de altura por 510mm a 560mm de comprimento total conforme o tamanho do blusão. Deverá possuir velcro argola (fêmea) medindo 50mm por 50mm fixo no lado esquerdo da gola e velcro gancho (macho) medindo 50mm por 50mm fixo no lado direito da gola. Deverá possuir pala protetora de fechamento com as mesmas camadas de proteção do blusão, medindo 130mm de altura e 170mm de comprimento costurada do lado direito da gola, possui do lado externo da mesma velcro gancho (macho) de 50mm por 50mm e do lado interno velcro argola (fêmea) de 50mm por 50mm para fechamento junto a gola.

  • Mangas tipo raglã com fole nos punhos internos, medindo 80mm pelo interior, deverá possuir trava de ajuste de 200mm de comprimento por 25mm de largura na mesma camada externa da blusão com fechamento em velcro de 25mm na cor preta.

  • Punhos em malha dupla de fibra 100% aramida com 400gr/m² total, formando um punho interno para inibir à penetração de líquidos, chamas e calor. Na extremidade dos punhos deverá possuir um cabedal com a mesma fibra da camada externa para encaixe do dedo polegar.

  • Fechamento do blusão deverá ser através de zíper não metálico, que deverá resistir a produtos químicos. Deverá possuir lapela de fechamento fixada na vertical em toda a extensão do blusão, costurada do lado direito, a lapela deverá ter no mínimo 100mm de largura, e em sua parte interna deverá possuir velcro de 50mm de largura na cor preta, fixado na vertical, que atuará como fechamento para proteção do zíper.

  • Deverá possuir dois bolsos da mesma camada externa do blusão, posicionados na parte inferior em cada lateral do blusão, deverão ser sanfonados com abertura não inferior a 50mm, suas dimensões são de 170mm de largura por 250mm de altura com uma abertura de 20mm em cada um dos cantos inferiores para drenagem de líquidos, o fechamento dos bolsos deverá ser através de lapela protetora de 90mm de altura por 170mm de largura, com fechamento em velcro de 50mm por 50mm posicionado no meio da lapela.

  • Deverá possuir um bolso porta rádio HT com duas aberturas na parte do fundo para escoamento de líquidos, o fechamento do bolso deverá ser através de tampa com encaixe para a antena e velcro de 50mm por 50mm, deverá ser fixado no lado esquerdo superior do peito.

  • Parte interna do blusão deverá possuir um barramento com 40mm de altura em toda sua extensão da mesma camada externa, fixada na estrutura da camada externa sem manta térmica, este barramento se faz necessário para que os líquidos retidos pela barreira de vapor possam fluir de dentro da blusão.

  • Faixa reflexiva forrada em tecido de 100% meta-aramida na cor amarela com uma tarja no centro na cor cinza com largura de 50mm, com micros esferas de vidro e deverá possuir 500cândelas/m² de reflexibilidade no mínimo. Deverá ser fixada em todo barramento, peito abaixo das axilas e passando abaixo do bolso porta rádio, nas costas e nos punhos.

  • Nas costas acima da faixa refletiva deverá possuir adesivo ignífugo na cor cinza com no mínimo 130 candelas/m² os dizeres BOMBEIRO centralizadas em relação as costas.

  • Na parte interna da gola deverá possuir gancho da mesma camada externa do blusão que servirá para pendurar em posição de descanso.

  • Todas as costuras deverão ser realizadas com linha de 100% fibra aramida de 3 cabos torcidos entre si, e não poderão ter menos que quatro pontos por centímetro linear.

  • As costuras internas da barreira contra líquidos e vapores deverão ser seladas com fita termo fixável através de roletes de pressão, essa fita é em 100% PTFE ignífugo com aproximadamente 20mm de largura e em uma de suas faces deverá possuir o adesivo para a selagem das costuras.

  • Na parte interna do blusão deverá constar as seguintes etiquetas: do fabricante da blusão contendo o número do CNPJ, número do Certificado de Aprovação - CA expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, identificação da composição das camadas protetoras da blusão, instrução de lavagem, número do lote, data de fabricação, etiqueta de homologação do fabricante das faixas refletivas e tamanho do blusão.

Medidas do Blusão:




TAMANHO

(G)

(GG)

Comprimento

850mm

860 mm

Tórax

660mm

690 mm

Costas

660mm

690 mm

Cava da Manga

340mm

340 mm

Mangas

820mm

830 mm


Calça:
Composição das camadas de proteção:
As camadas de proteção são idênticas às do blusão.
Composição da calça:


  • Calça com cós e elástico de 50mm de largura embutido na parte traseira da cintura, com braguilha fechada com zíper não metálico e tampa de fechamento triangular com velcro de 50mm.

  • Deverá possuir suspensórios de elastano de alta resistência fixos na parte traseira no cós, com largura de 35mm na cor vermelho na parte externa e branco na parte interna. Deverá possuir resistência à tração superior a 230Kgf com percentual de alongamento não superior a 140% do seu tamanho original. Na extremidade frontal do suspensório estão fixados dois fechos tipo macho de 50mm de largura não metálicos, para engate rápido e na parte inferior costurado ao cós engate tipo fêmea de 50mm de largura não metálico, com resistência a tração de 190 Kgf/cm². Seu desenho em paralelo na parte da frente e em X na parte das costas.

  • Reforço externo na altura dos joelhos com a mesma camada externa da calça, medindo de 200mm de largura por 280mm na altura.

  • Faixa reflexiva forrada em tecido de 100% meta-aramida na cor amarela com uma tarja no centro na cor cinza com largura de 50mm, com micros esferas de vidro e deverá possuir 500cândelas/m² de reflexibilidade no mínimo. Deverá ser fixada em todo barramento de cada perna da calça 100mm acima do término da mesma.

  • As costuras internas da barreira contra líquidos e vapores deverão ser seladas com fita termo fixável através de roletes de pressão, essa fita é em 100% PTFE ignífugo com aproximadamente 20mm de largura e em uma de suas faces deverá possuir o adesivo para a selagem das costuras.

  • Na parte interna da calça deverá constar as seguintes etiquetas: do fabricante da calça contendo o número do CNPJ, número do Certificado de Aprovação - CA expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, identificação da composição das camadas protetoras da calça, instrução de lavagem, número do lote, data de fabricação, etiqueta de homologação do fabricante das faixas refletivas e tamanho da calça.

Medidas da calça:







(G)

(GG)

Comprimento

1070 mm

1080 mm

Cintura dobrada

550 mm

580 mm

Entre Pernas

770 mm

780 mm

Boca Perna dobrada

290 mm

290 mm


Luva de combate á incêndio:
Luva de proteção em tecido de fibra 100% para-aramida na face palmar, modelo 5 dedos (gunn) dorso sem emendas, tira de reforço do mesmo material entre os dedos polegar e indicador, punho de 100mm em malha dupla com 400grs/m² total em fibra 100% para-aramida com protetor de artéria do mesmo material da face palmar, dorso em tecido da camada externa do blusão e da calça, forração interna em filme de poliuretano 100% ignífugo com 80 g/m² e feltro em fibra 100% meta-aramida com 180 g/m², impermeabilidade, mantendo a respirabilidade, estanqueidade de fora para dentro, respiração de dentro para fora, não permitindo a passagem de vapores, mantendo a integridade física sem provocar excesso de transpiração conciliado a barreira térmica proporcionando uma camada extra resistente as temperaturas. Na parte interna da luva deverá constar as seguintes etiquetas: do fabricante da luva contendo o número do CNPJ, número do Certificado de Aprovação - CA expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, número do lote, data de fabricação.

Capacete de Bombeiro padrão Americano
Tem por objetivo a proteção da cabeça e face do bombeiro e deve ser construído respeitando as normas definidas nesta especificação, segundo as orientações a seguir:

  • Casco - externo : deverá ser moldado em material ignífugo reforçado em fibra 100% para-aramida não podendo ser construído 100% em termoplásticos injetados ou fibra de vidro, seu acabamento superficial deverá ser liso e brilhante na cor preto. Os materiais empregados não deverão ser condutores de eletricidade. Seu desenho deverá permitir o escoamento da água de forma que está escorra para a parte traseira do casco, ou seja, o mesmo deverá ter uma aba em toda a sua lateral. O desenho deverá ser ergonômico e permitir a manutenção de todos os movimentos naturais, deverá ser ajustado de maneira correta a viseira de proteção facial, não permitindo que essa esteja afastada do casco. Seu acabamento externo deverá ser de fácil limpeza e brilhante, resistente a arranhões e a raios U.V. Deverá trazer na parte traseira uma argola não metálica, fixada através de parafuso plástico ao casco externo. Essa argola deverá permitir o armazenamento do capacete. O casco deverá ter as seguintes dimensões: 370mm de comprimento, 290mm de largura e altura de 180 mm.

  • Viseira : deverá ser construída em policarbonato de alto impacto com 3,0mm de espessura, de forma que se ajuste ao contorno do casco-externo do capacete. Na sua parte superior deverá ter uma pequena aba, quando a viseira for abaixada a fim de proteger o rosto do usuário, essa aba será encostada na parte frontal do casco externo, essa aba deverá ter largura de 4mm. Deverá possibilitar o uso de equipamentos de respiração autônoma. Seus componentes de ajuste devem permitir sua substituição e seu fácil manuseio.

  • Casco interno : deverá ser construído em espuma de alta densidade resistente a impacto, encapsulada em plástico com tratamento retardante a chama. Deverá ser inserido no casco externo de forma que seja possível sua substituição e fácil manutenção. Nesse casco interno deverá estar fixada a suspensão através de um anel.

  • Suspensão do capacete : deverá ser através de 6 cintas de 20mm de largura aproximadamente que se distribuem radialmente dentro do casco interno, de forma que permitam que a cabeça do usuário não tenha contato com o fundo do casco interno. Deverá permitir que sua profundidade seja regulada.

  • Carneira : construída de forma que permita o ajuste do perímetro da cabeça entre 54 e 64 cm, deverá fazer uso de uma sistema de catraca a fim de propiciar esse ajuste sem a necessidade de remoção do capacete da cabeça. Deverá permitir a mudança de sua posição através de velcro, permitindo que a carneira seja posicionada para frente e para trás, para cima ou para baixo, permitindo que a posição relativa do capacete em relação a cabeça do usuário seja acomodada a sua necessidade ergométrica. A carneira deverá ser construída de maneira que sua parte frontal esteja em contato com a testa do usuário e sua parte posterior com a nuca, permitindo que o capacete se bem ajustado não caia da cabeça do usuário mesmo sem o uso de cinta jugular. Toda a extensão da carneira que fizer em contato com a cabeça do usuário deverá ser envolta em uma proteção de couro para maior conforto.

  • Proteção de nuca : a proteção térmica da nuca deverá ser construída em tecido duplo do tipo com a seguinte composição 93%meta-aramida, 5% para-aramida e 2% fibra anti-estática, com gramatura total de 400grs/m². Deve ser construído de maneira que proteja a nuca, e também a face exposta pela viseira. Deverá ser provida de uma faixa de velcro para sua fixação ao casco externo, que permita sua fácil remoção para limpeza, mas que não permita sua perda acidental. Sua dimensão não deverá ser inferior a 180mm de altura por 470mm de comprimento.

  • Tira de fixação jugular : deverá ser construído em material ignífugo a base de para-aramida com largura não inferior a 18mm, com fixação rápida e ajustável sob o queixo de forma que permita a fixação segura do capacete e não impeça a fala normal do usuário. O excedente da tira de fixação deverá ser fixada por intermédio de aplicações de velcro, impedindo que esta fique pendente ou saliente de forma que possa enroscar-se a algum objeto.

  • Faixas refletivas: Deverá possuir 5 faixas refletivas na cor prata de 25mm de largura e 100mm de comprimento posicionadas em toda a volta do casco externo fixadas na base da aba lateral.

  • Certificação: O capacete deverá ser certificado conforme a NFPA: (National Fire Protection Association) 1971 - 2000 Standard for Structural Fire Fighting - EUA. e AS: Norma Australiana AS4067 – 1994, a conformidade com a norma acima referida deverá ser comprovada através de pelo menos 1 laboratório independente como por exemplo UL® Underwriters Laboratories, o fabricante do capacete deverá ser certificado ISO9000, deverá constar o número do CNPJ da empresa fornecedora, número do Certificado de Aprovação - CA expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego – MTE do importador.


Bota de Bombeiro


  • Deverá ser construída em borracha natural vulcanizada, na cor preta com uma faixa amarela também em borracha natural de aproximadamente 15mm envolvendo toda a borda da bota com o solado, essa borda promoverá suporte lateral não permitindo deformações, deverá haver outra faixa amarela de aproximadamente 30mm envolvendo toda a borda do cano da bota na sua parte superior promovendo assim maior integridade a boca do cano. Deverá ter na parte frontal do cano uma proteção de tíbia com dimensões aproximadas de 80mm de comprimento X 60mm de largura e espessura de 4mm na cor amarelo, essa proteção deverá ser de borracha natural com textura. Deverá obrigatoriamente trazer gravada no cano de forma indelével a norma que atende e os instituto que a testaram. Deverá ser resistente a choque elétrico trazendo gravado também o símbolo do teste de resistência(  - letra Grega Ômega). Deverá ser construída de tal forma que seja totalmente estanque até a cota de 350mm, essa altura deverá ser medida a partir do piso. Deverá seguir a recomendações a seguir:

  • Altura do cano: 330 mm contados da palmilha na região do tornozelo até a borda do cano.

  • Revestimento do cano: o cano deverá ser revestido internamente em tecido reforçada com espessura mínima de 0,5mm. Essa construção promoverá conforto é resistência a corte.

  • Alça de calçar: a borda superior do cano deverá ser dotada de duas alças para facilitar o calçamento, as alças deverão estar dispostas uma em cada lateral no cano e não poderão ter dimensão inferior a 70mm de largura X 20mm de altura, permitindo assim que se introduza pelo menos 3 dedos da mão ao suportá-la no calçar.

  • Biqueira de aço: a biqueira deverá ser em aço tratado de forma que não oxide comprometendo a segurança e durabilidade do calçado, deverá estar em conformidade com as normas do final desta especificação.

  • Palmilha interna em aço: deverá ser em aço tratado de forma que não oxide comprometendo a segurança e durabilidade do calçado, promoverá resistência a perfuração em conformidade com as normas do final desta especificação.

  • Sola Externa: deverá ser em peça única de borracha moldada sobre pressão, com desenho antiderrapante, em conformidade com as normas do final desta especificação.

  • Desenho : Deverá obedecer a um padrão de conforto, seguindo o contorno anatômico da perna. A parte frontal da bota deverá ter largura suficiente para o pé entrar facilmente.

  • Isolação Elétrica: Deverá ser certificada contra riscos de choque elétrico por laboratório independente. Deverá trazer gravada na própria bota o nome ou símbolo do instituto certificador do teste.

  • Certificação: A bota deverá ser certificada pela EN Euro Norma 345 Edição 1996, ANSI-Z41-1991 Standard for personal protective footwear, CSA-2195-92 Protective footwear, deverá constar o número do CNPJ da empresa fornecedora, número do Certificado de Aprovação - CA expedido pelo Ministério do Trabalho e Emprego – MTE do importador.



Capuz tipo balaclava.
Capuz confeccionado em malha dupla tipo single jersey composto de 93% de meta-aramida, 5% de para-aramida e 2% de fibra carbono, com gramatura de 400gr/m² total, deverá ter o desenho tipo balaclava. Deverá possuir abertura frontal desde acima dos olhos até o inicio do queixo, para melhor ajuste da máscara do equipamento autônomo a sua cor é bege natural e o seu tamanho é único. Não deverá propagar chama e a resistência da malha ao estouro deverá ser superior a 110lbf/pol². Deverá constar na parte interna do capuz a etiqueta com nome do fabricante, CNPJ, numero do Certificado de Aprovação do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE.

Os participantes deverão apresentar junto com o envelope de Habilitação os seguintes documentos:





  • Certificado de Aprovação do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE dos itens mencionados na descrição técnica com o número de cadastramento junto ao Ministério.




  • Certificado da camada externa do blusão e da calça onde comprove o atendimento as Normas NFPA 1971-2000 e CAN/CGSB 155.1-98, este certificado deverá ser emitido por laboratório independente. Os documentos deverão ser apresentados através de copias autenticadas dos documentos originais. Em caso de certificação em língua estrangeira, deverá ser apresentada com a devida chancela do Corpo Consular do país de origem e deverá ser apresentada a tradução para o português, através de tradutor juramentado.




  • Certificado da segunda camada barreira de vapor do blusão e da calça onde comprove o atendimento as Normas NFPA 1971-2000 e 1976 - 2000, este certificado deverá ser emitido por laboratório independente. Os documentos deverão ser apresentados através de copias autenticadas dos documentos originais. Em caso de certificação em língua estrangeira, deverá ser apresentada com a devida chancela do Corpo Consular do país de origem e deverá ser apresentada a tradução para o português, através de tradutor juramentado.




  • Certificado de dados técnicos emitido pelo fabricante do tecido da terceira e quarta camada, barreira térmica e forro interno do blusão e da calça, onde comprove que a sua resistência à ruptura na trama seja superior a 150Lb e no urdume a 110Lb, sua resistência ao rasgamento deverá ser superior a 30Lb na trama e no urdume, sua estabilidade dimensional de no mínimo 4% para ambos os sentidos de trama e urdume, a área de carbonização após teste de flamabilidade não poderá ser superior a 2” (polegadas). Os documentos deverão ser apresentados através de copias autenticadas dos documentos originais. Em caso de certificação em língua estrangeira, deverá ser apresentada com a devida chancela do Corpo Consular do país de origem e deverá ser apresentada a tradução para o português, através de tradutor juramentado.




  • Certificado de conformidade da bota com a Norma Européia 345 Edição 1998, este certificado deverá ser emitido por laboratório independente. Os documentos deverão ser apresentados através de copias autenticadas dos documentos originais. Em caso de certificação em língua estrangeira, deverá ser apresentada com a devida chancela do Corpo Consular do país de origem e deverá ser apresentada a tradução para o português, através de tradutor juramentado.




  • Certificado de conformidade do capacete com a Norma NFPA: (National Fire Protection Association) 1971 - 2000 Standard for Structural Fire Fighting - EUA. e AS: Norma Australiana AS4067 – 1994, e certificado ISO 9000 do fabricante do capacete, estes certificados deverão ser emitido por laboratório independente. Os documentos deverão ser apresentados através de copias autenticadas dos documentos originais. Em caso de certificação em língua estrangeira, deverá ser apresentada com a devida chancela do Corpo Consular do país de origem e deverá ser apresentada a tradução para o português, através de tradutor juramentado.




  • Certificado de teste da malha da balaclava onde comprove os resultados de flamabilidade e resistência ao estouro. Este certificado deverá ser emitido em nome do licitante e deverá ser reconhecido pelo INMETRO.




  • Certificado de teste do elástico do suspensório onde comprove os resultados de resistência a ruptura e alongamento. Este certificado deverá ser emitido em nome do licitante e deverá ser reconhecido pelo INMETRO.




  • Certificado de teste das costuras com máquina de ponto corrente de 02 agulhas, onde comprove que o resultado do teste de esgarçamento na trama e no urdume, comprove que a mesma não esgarçou, e que a resistência a ruptura da costura na trama não seja inferior a 66 kgf e no urdume de 76 kgf.




  • Garantia do capacete de no mínimo 12 meses.




  • Carta onde comprove ser distribuidor autorizado do produto, quando não for fabricante, essa comprovação deverá ser através de documentos registrados legalmente, a empresa participante do certame deverá comprovar seu registro como importador de equipamentos de proteção individual quando se tratar de produto importado, e deverá apresentar certificado de capacidade técnica para o fornecimento de peças de reposição para o capacete.




  • Declaração de fornecimento de peças de reposição por no mínimo 24 meses. Esse documento deverá ser fornecido em cópia autenticada, com reconhecimento de firma do responsável que responda juridicamente pela empresa fornecedora.




  • Garantia do fabricante do blusão e da calça, por no mínimo 12 meses. Deverá estar constando que todas as despesas provenientes da eventual utilização da garantia serão por conta do fornecedor.




  • Garantia das botas de no mínimo 12 meses. Deverá ser dado pelo fornecedor. Constando ser total a troca em caso das mesmas apresentarem defeitos em seu uso normal, na atividade a que se destinam. Esse documento deverá ser em cópia autenticada, com reconhecimento de firma do responsável que responda juridicamente pela empresa fornecedora.




  • Carta de homologação do fabricante das faixas refletivas e laudos de teste de flamabilidade e reflexibilidade.




  • Os documentos deverão ser apresentados em original ou cópia autenticada, quando se tratar de documentos de origem estrangeira os mesmos deverão apresentar o selo ou chancela do corpo consular do país de origem acompanhados da tradução juramentada para o português.







Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande