Estudo de Caso: gastrite



Baixar 31.36 Kb.
Encontro22.02.2018
Tamanho31.36 Kb.

Estudo de Caso: gastrite
Giselle Maria Gomes de Almeida1

Marislei Brasileiro2


1.Consulta de Enfermagem


    1. Identificação:

G.M.A, 25 anos, sexo feminino, brasileira, é casada há 3 anos. É natural de

Goiânia, católica, estudante universitária, vive com o marido.




    1. Expectativas e percepção:

A paciente espera que seu problema seja solucionado, pois se queixa de muita

dor abdominal mais ou menos 20 dias, esta dor se desloca de um quadrante para o outro. Percebe que essa dor se intensifica após as refeições. Diz também sentir fortes dores de cabeça freqüentemente. Não fumante. Não ingere bebida alcoólica.


1.3 Necessidades Básicas:

A paciente relata ter sono tranqüilo, o mesmo só é perturbado quando se

alimenta a noite. Não fumante. Nega ingestão de bebidas alcoólicas. Pratica exercícios regularmente; natação e hidroginástica. Mora em imóvel próprio, água tratada, esgoto encanado, energia elétrica, serviços de coleta de lixo 4 vezes por semana.


    1. Exame físico:

P/A: 110x90 mm hg, Pulso: 68 bpm, Respiração 19.1 pm, temperatura 36,4º c.

Seu estado nutricional é bom, mas a paciente relata não gostar muito de carne vermelha, e peixe. Apele encontra-se em boas condições, hidratada, sem lesões, sem cicatrizes aparentes, as mucosas são normocoradas, hidratadas e higienizadas, couro cabeludo limpo; hidratado,



1 Aluna do curso enfermagem 5º período, UNIP

2 Orientadora da disciplina de EIPS, do 5º periodo, UNIP

cavidade sem halitose, com ausência de cáries ou quaisquer outro problema . Abdome dolorido na região epigástrica, sem presença de vísceromegalias,sons da ausculta dentro da normalidade,membros superiores e inferiores sem alterações.


2 Análise integral

2.1 Aspectos anatômicos:

Segundo Dangelo e Fattini (2006), o sistema digestivo é composto por um canal

alimentar e órgãos anexos. Do primeiro fazem parte órgãos situados na cabeça, pescoço, tórax, abdome e pelve.Entre os anexos incluem-se as glândulas salivares, o fígado e o pâncreas. O canal alimentar inicia-se na cavidade bucal, continuando-se na faringe, esôfago, estômago, intestinos (delgado e grosso), para terminar no reto; que se abre no meio externo através do ânus. Assim suas funções são as de preensão, mastigação, deglutição, digestão e absorção dos alimentos e a expulsão dos resíduos eliminados sob a forma de fezes.

O estômago é uma dilatação do canal alimentar que se segue ao esôfago e se

continua no intestino.Está situado logo abaixo do diafragma, com sua maior porção à esquerda do plano mediano.Apresenta dois orifícios: um proximal, de comunicação com o esôfago, o óstio cárdico, e outro distal; óstio pilórico, que se comunica com a porção inicial do intestino delgado denominada duodeno. A forma e a posição do estômago variam de acordo com a idade, tipo constitucional, tipo de alimentação, posição indivíduo e o estado fisiológico do órgão.
2.2 Aspectos fisiológicos:

Segundo Guyton e Hall, gastrite significa inflamação da mucosa gástrica.

Essa afecção é muito comum na população como um todo, principalmente nos anos mais tardios da vida adulta. A inflamação da gastrite pode ser apenas superficial e, portanto, não muito prejudicial, ou pode penetrar profundamente na mucosa gástrica.

Segundo Brunner e Sudarth na gastrite, a mucosa gástrica fica edemaciada e

hiperemiada (congesta de líquido e sangue) e sofre erosão superficial: Ela secreta uma quantidade escassa de suco gástrico, contendo muito pouco ácido, porém muito muco. A ulceração superficial pode acontecer e levar a hemorragia.

2.3 Aspectos Bioquímicos:

Glicemia de Jejum

Soro

Resultado: 87 mg/dL


Uréia

Soro


Resultado: 21 mg/dL
Creatinina

Soro


Resultado: 0,60 mg/dL
TSH Ultra-Sensível

Soro


Resultado: 3,98 ul U/mL
T 4 Livre

Soro


Resultado: 1,31 ng/dL
Acido Úrico

Soro


Resultado: 4,3 mg/dL
Hemograma Completo

Sangue EDTA

Analito Resultado

ERITROGRAMA

Eritrócitos : 5,2 tera/L

Hemoglobina : 14,3 g/dL

Hematócrito : 39,8 %

VCM : 76,4 Fl

HCM : 27,4 pg

CHCM : 35,9 %

RDW : 12,4 %

LEUCOGRAMA

Leucócitos totais : 100%

Neutrófilos

Promielócitos : 0%

Mielócitos : 0%

Metamielócitos : 0%

Bastonetes : 2%

Segmentados : 64%

Linfócitos : 27%

Monócitos : 4%

Eosinófilos : 3%

Basófilos : 0%

Blastos : 0%

Plaquetas : 322.000 mL

Plaquetócrito : 0,275 %

Volume médio : 8,50 fL

PDW : 15,60 %


Endoscopia Digestiva:

Com diagnóstico de gastrite



Biópsia:

Helicobacter pilory: negativo

Ausência de sinais de maliguinidade

Ausência de folículos linfóides e coleções de neutrófilos.



2.4 Aspectos Farmacológicos:

Pantozol 40 mg___28 cap. – Tomar 1 comprimido em jejum durante 28 dias.

Ursacol 50 mg 1 caixa –Tomar 1 comprimido antes do almoço e do jantar.
2.5 Aspectos Biogenéticos:

Paciente refere que a mãe teve gastrite crônica e distúrbios intestinais.


2.6 Aspectos Microbiológicos:

Inexistente – Exame para verificar a presença de Helicobacter Pilory – negativo


2.7 Aspectos Psico-sociais:

A paciente encontra-se preocupada com as dores que sente, relata medo de outras

Doenças mais graves. Possui apoio da família.
2.8 Aspectos Epidemiológicos:

De acordo com Guyton e Hall é uma doença muito comum em toda população, mas

atinge principalmente, pessoas nos anos tardios de vida. Segundo Brunner e Sudarth a gastrite pode acontecer pelo uso excessivo de aspirina e outros agentes antiflamatórios não esteroidais (AINEs), ingestão excessiva de álcool, refluxo de bile e radioterapia, fatores da dieta como a cafeína e o fumo agravam a inflamação.
2.9 Aspectos Legais:

De acordo com a carta brasileira dos direitos do paciente, o mesmo tem direitos legais

de saber se será submetido a experiências, pesquisas ou praticas que afetem o seu tratamento ou sua dignidade ou de recusar submeter-se as mesmas.

Art. 37 – Ser honesto no relatório dos resultados de pesquisas.

De acordo com a lei 7.498/86 art. 35 – o enfermeiro tem direito de solicitar

conssentimento do cliente ou de seu representante legal, de preferência por escrito, para realizar ou participar de pesquisa ou atividade de ensino de enfermagem, mediante apresentação da informação completa dos objetivos, riscos e benefícios, da garantia do anonimato e sigilo, do respeito á privacidade e intimidade e sua liberdade de participar ou declinar de sua participação no momento que desejar.


3. Diagnóstico de Enfermagem

Com a base nos dados do histórico, os principais diagnósticos de enfermagem da

paciente podem incluir os seguintes:

- dor aguda após as refeições relacionada com a mucosa gástrica irritada.

- medo de si alimentar com receio da dor.

- ansiedade relacionada ao tratamento, relata medo do mesmo não curar a doença.

(Tratado de Enfermagem Médico Cirúrgico 2005 pg 1070)
4. Prescrição de Enfermagem

Diminuindo a ansiedade:

- Tranqüilizar a paciente com relação a dor, deixando claro que a terapia

farmacológica, juntamente com uma dieta correta são fatores indispensáveis para a cura da inflamação.

- Promovendo a nutrição correta.

- Deve-se desencorajar a ingestão de bebidas cafeinadas, porque a cafeína é um

estimulante do sistema nervoso central que aumenta a atividade gástrica e a secreção de pepsina. Também é importante evitar o consumo de álcool, fumo porque a nicotina reduz a secreção do bicarbonato pancreático e, assim, inibe a neutralização do ácido gástrico no duodeno (Eastwood, 1997). É importante também evitar o consumo de alimentos gordurosos, como frituras, por exemplo.

- Orientar a paciente no consumo de líquidos, para que a mesma consuma no mínimo

de 6 a 8 copos de água diariamente.
5. Evolução

- O plano prescrito esta sendo executado pela paciente; a mesma não reflete tanta

ansiedade, pois foi tranqüilizada sobre os aspectos de como curar a doença.

- Está realizando a mudança nutricional, e não têm mais medo de se alimentar pois a

terapia farmacológica, juntamente com a dieta já demonstra resultados positivos na melhoria da inflamação.
6. Prognóstico

- segurança emocional com relação ao tratamento, diminuindo a ansiedade.

- alivio da dor e desconforto gástrico.

- resolutividade da má nutrição, e ingestão de fatores irritantes na mucosa gástrica,



conseqüentemente da inflamação.
7. Referências
SMELTZER S.C; BARE B.G. Brunner e Sudarth - Tratado de Enfermagem Médica Cirúrgica. 10º ed. Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan, 2005.
DANGELO J.G; FATTINI C.A. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 2ª ed. São Paulo. Editora Atheneu, 2005.
COREN-GO Enfermagem, Legislação do exercício profissional, Lei 7498/86 art. 37.
GUYTON A. C.; HALL J. E. Fisiologia Humana e Mecanismos das Doenças. 6º ed. Rio de Janeiro. Editora Guanabara Koogan, 1998.


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande