Edital de seleçÃo para ingresso no programa de pós-graduaçÃo em ciências veterinárias mestrado – Áreas de concentraçÃo em saúde animal e produçÃo animal



Baixar 128.27 Kb.
Encontro26.10.2017
Tamanho128.27 Kb.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

Faculdade de Medicina Veterinária

Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias

Av. Pará, 1720 – Bloco 2T sala 102 – Campus Umuarama – Uberlândia, MG - 38400-902



Fone: (0xx) 34-3218-2494 – mesvet@ufu.br



EDITAL DE SELEÇÃO Nº 001/2010 PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS NÍVEL MESTRADO – ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO: SAÚDE ANIMAL E PRODUÇÃO ANIMAL – TURMA 2010/1
O Diretor da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia, Prof. Dr. César Augusto Garcia e o Coordenador do Programa referenciado, Prof. Dr. André Luiz Quagliatto Santos, no uso das atribuições que lhes confere o Estatuto da Universidade Federal de Uberlândia, fazem saber a todos quantos o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que serão abertas as inscrições ao processo de seleção para o Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias - Mestrado - Áreas de concentração em Saúde Animal e em Produção Animal - turma 2010/1, com ingresso em março de 2010 e defesa de dissertação até fevereiro de 2012.

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

    1. O processo seletivo será regido por este edital, pelas resoluções nº 27/2003 e 12/2008 do Conselho de Pesquisa e Pós-graduação (CONPEP) e pelo estatuto e regimento geral da UFU e demais disposições legais pertinentes.

    2. Será nomeada pelo Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal de Uberlândia comissão examinadora, conforme previsão contida na Portaria R. 134/2005.

    3. O número de vagas está estabelecido no item 5.



2. DATA, LOCAL E HORÁRIO DAS INSCRIÇÕES:

    1. Data: As inscrições estarão abertas no período de 01 a 05 de fevereiro de 2010.

    2. Local: As inscrições serão feitas na Secretaria do Programa de Pós-Graduação da FAMEV– Campus Umuarama – Bloco 2T – Sala 102 - Telefone: (0xx34) 3218-2494 – Uberlândia–MG.

    3. Horário: das 8:30 às 11:00 e das 14:00 às 17:00 horas.


As inscrições poderão ser feitas pessoalmente, por procuração na Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias ou pelo correio (via SEDEX), sendo considerada a data de postagem até o dia 05/02/2010, no seguinte endereço:

Universidade Federal de Uberlândia

Faculdade de Medicina Veterinária

Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias


Av. Ceará s/n, Bloco 2 T, Sala 102 - Campus Umuarama

38400-902 - Uberlândia – MG.




3. DA INSCRIÇÃO E DA DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA:

    1. Poderão se inscrever portadores de diploma de curso superior de graduação em Medicina Veterinária e áreas afins, cujos currículos sejam compatíveis com o Programa.




    1. Documentos necessários:

  1. Formulários de inscrição devidamente preenchidos, disponíveis na Secretaria e no site http://www.mestrado.famev.ufu.br.

  2. Duas cartas de apresentação do candidato conforme modelo disponível na Secretaria e no site.

  3. Histórico escolar da graduação; Curriculum Vitae modelo Lattes – CNPq atualizado com documentos comprobatórios. Serão considerados, para efeito de pontuação, os dados apenas dos últimos cinco anos (http://lattes.cnpq.br/pl/).

  4. Duas fotocópias do diploma de graduação de nível pleno ou de declaração de conclusão do curso de graduação; certidão de nascimento ou de casamento; título de eleitor; cédula de identidade (RG); documento militar; CPF; (Se estrangeiro – comprovante de estar em situação regular no país e prova de revalidação do diploma de graduação ou equivalente, exceto para estudantes de convênio).

  5. Duas fotos 3x4 atuais;

  6. Comprovante de pagamento de taxa de inscrição no valor de R$ 60,00, a ser paga via GRU (simples) – Guia de Recolhimento da União gerada via internet pelo site www.ufu.br GRU – SERVIÇOS EDUCACIONAIS – TAXA DE SELEÇÃO MESTRADO COPCV.

  7. O simples pagamento da taxa de inscrição não confere ao candidato o direito de submeter-se à seleção.

  8. Termo de compromisso de dedicação exclusiva ao programa.


4. DO DEFERIMENTO DA INSCRIÇÃO

    1. A inscrição será deferida ou não após análise da documentação em 11 de fevereiro de 2010, mediante publicação no quadro de avisos do Programa e no site http://www.mestrado.famev.ufu.br.


5. DO NÚMERO DE VAGAS:

    1. O numero total de vagas para alunos regulares será de 15 (quinze).

O número de vagas e orientadores poderá sofrer mudanças em função do descredenciamento ou credenciamento de professores.

    1. Não haverá vagas para alunos especiais.

    2. No ato da inscrição o candidato deverá optar pela área de concentração e pela linha de pesquisa- Área: Saúde Animal - Linhas: a) Clínica médica e investigação etiológica, b) Morfologia e c) Anestesiologia e Cirurgia. Área: Produção Animal - Linhas: a) Produção de forragens, nutrição e alimentação animal, b) Biotécnicas e eficiência reprodutiva e c) Manejo e eficiência de produção dos animais, seus derivados e subprodutos.

    3. No ato da segunda matrícula (final do primeiro semestre) o aluno deverá apresentar o projeto de pesquisa a ser desenvolvido para sua dissertação, bem como o plano de estudos, sem os quais não poderá matricular-se.


6. DO PREENCHIMENTO DAS VAGAS:

    1. O preenchimento das vagas dar-se-á mediante processo seletivo que ocorrerá no período de 22 a 24 de fevereiro de 2010 e inclui:

  • EXAME DE PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESTRANGEIRA (INGLÊS), de caráter eliminatório (peso 1). A prova de proficiência consistirá de duas partes consecutivas: 40 (quarenta) questões de múltipla escolha sobre gramática e vocabulário em nível elementar (valor 40%) e Interpretação de um texto científico (valor 60%).

A suficiência em língua inglesa será alcançada mediante a obtenção de nota 5,0 (cinco) num total de 10 (dez) pontos. A prova de proficiência dar-se-á em 22 de fevereiro de 2010, das 09 às 11 horas.


O candidato deverá agendar, com 2 dias úteis de antecedência, no mínimo, sua prova de proficiência na instituição credenciada denominada Cultura Inglesa Uberlândia, situada nesta cidade de Uberlândia – MG na Av. João Pinheiro, nº 808. CEP: 38400-126, Centro, Uberlândia MG, e-mail: unidade1@culturainglesauberlandia.com.br; luizpedro@culturainglesauberlandia.com.br,

telefones: (34) 3235-2786; 3236-8704; 3235-7747; onde serão realizadas as provas.


O candidato deverá recolher junto a instituição credenciada a taxa de R$ 40,00 para a realização da prova de proficiência.

A aprovação no exame de proficiência terá a validade de 24 meses.



  • Do aluno estrangeiro exigir-se-á proficiência em língua portuguesa, caráter eliminatório, exceto para os naturais da comunidade lusófona (deverão se submeter ao exame de proficiência em inglês). Serão considerados aprovados, os candidatos que, atingindo proficiência na língua portuguesa, atingirem a nota mínima de 7,0 a qual se realizará no dia 22 de fevereiro de 2010, das 14 às 16 horas, na sala 54 - bloco 2D, Campus Umuarama da Universidade Federal de Uberlândia.




  • PROVA ESCRITA (peso 1) de conhecimento específico na linha de pesquisa pretendida. O programa para a prova específica será de acordo com o anexo 2 (Os temas e a bibliografia servem de orientação, cabendo ao candidato ampliar seu campo de preparação). Serão atribuidas notas de zero a 10,0, sendo considerados aprovados os candidatos que atingirem 6,0 (seis). A prova será realizada no dia 23 de fevereiro de 2010, das 14 às 16h30min na sala 54, bloco 2D, Campus Umuarama da Universidade Federal de Uberlândia.

  • ANÁLISE DO CURRICULUM VITAE comprovado (peso 1) a qual será realizada a partir do dia 23 de fevereiro de 2010, após às 16:30 horas, na secretaria do Programa. Serão atribuídos pontos para as atividades comprovadas de acordo com o anexo 1. A maior pontuação obtida entre os candidatos será considerada, para efeitos classificatórios, como nota 10. A pontuação dos demais candidatos será transformada em valores proporcionais, tomando-se como referência esta nota 10. Ressalte-se que a pontuação atribuída a cada categoria de titulação será pontuada uma única vez e que esta etapa é apenas classificatória. Serão pontuados os dados dos últimos 5 anos (2005 a 2009).

  • PROVA ORAL (peso 1) de caráter classificatório a ser realizada no dia 24 de fevereiro de 2010 a partir das 08 horas, com duração média de 30 minutos para cada candidato, a ser realizada na sala de Reuniões da FAMEV - Bloco 2T, Campus Umuarama, sendo atribuído nota de zero a 10,0 pontos. Serão avaliados: 01. Expressão oral de idéias e articulação do raciocínio; 02. Conhecimentos gerais de assuntos relacionados à pesquisa e a pós-graduação; 03. Capacidade de argumentação do candidato; 04. Consistência teórico-metodológica e 05. Capacidade de inserção na linha de pesquisa escolhida e disponibilidade para dedicação exclusiva ao curso. Para cada item será atribuída a nota de zero (0) a dois (02) pontos. Após soma simples, o candidato receberá no final dessa avaliação, uma nota de zero a dez.


7. RESULTADO FINAL

    1. Os resultados do exame de proficiência em língua estrangeira e exame em língua portuguesa serão publicados até às 13 horas do dia 23 de fevereiro de 2010 e da prova escrita de conhecimento específico, no dia 23 de fevereiro de 2010 até 23 horas no site http://www.mestrado.famev.ufu.br/ e no quadro de avisos do Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias.

    2. O resultado final, compreendendo as notas detalhadas de cada etapa, será afixado no quadro de avisos do Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias e no site http://www.mestrado.famev.ufu.br/, a partir do dia 26 de fevereiro de 2010.


8. DOS RECURSOS

    1. Serão admitidos recursos quanto:

- Ao deferimento da inscrição;

- À aplicação das provas;

- Às questões das provas;

- Ao resultado das provas;



    1. O prazo para interposição de recurso será de 2 (dois) dias úteis após a concretização do evento que lhes disser respeito (deferimento da inscrição, aplicação das provas, divulgação dos resultados das provas) tendo como termo inicial o primeiro dia útil subseqüente à data do evento a ser recorrido.

    2. O candidato poderá recorrer em três instâncias em graus sucessivos, a saber: primeira instância ao Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, segunda instância Conselho da FAMEV e terceira instância CONPEP.

    3. O candidato deverá ser claro, consistente e objetivo em seu pleito. Recurso intempestivo será preliminarmente indeferido.

    4. Nos eventuais recursos sobre as questões da prova escrita deverá constar a bibliográfica consultada.

    5. Os candidatos deverão encaminhar o recurso em três vias à secretaria do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.

    6. O(s) ponto(s) relativo(s) à(s) questão(ões) eventualmente anulada(s) será(ão) atribuído(s) a todos os candidatos presentes à prova, independentemente de formulação de recurso.


9. DISPOSIÇÕES FINAIS

    1. A inscrição do candidato implicará o conhecimento e a tácita aceitação das normas e condições para o processo seletivo contidas neste edital e nas demais normas pertinentes à matéria.

    2. O candidato deverá comparecer ao local das provas e entrevistas com 15 minutos de antecedência.

    3. Em hipótese alguma será admitida a entrada de candidato após o horário previsto.

    4. Não serão fornecidas, por telefone, informações quanto aos locais, datas e horários de prova, classificação e aprovação dos candidatos. Estas informações poderão ser obtidas no site http://www.mestrado.famev.ufu.br/, ou pessoalmente na secretaria do Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias.

    5. A comissão examinadora se reserva o direito de não preencher todas as vagas.

    6. Os candidatos classificados além do número oficial de vagas poderão ser chamados conforme a disposição de vagas.

    7. As matrículas dos candidatos aprovados serão efetuadas na secretaria do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, segundo o regulamento do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, as normas gerais de funcionamento da Pós-graduação da UFU, o regulamento geral da UFU e o calendário do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias;

    8. A qualquer tempo poder-se-á anular a inscrição, as provas, a entrevista e a matrícula do candidato, desde que verificada qualquer falsidade nas declarações e/ou quaisquer irregularidades nas provas, entrevista e/ou nos documentos apresentados, ressalvando-se ao candidato o direito de recorrer da decisão tomada.

    9. O candidato, portador ou não de deficiência, que necessitar de condição especial para a realização das provas deverá solicitá-la no ato de sua inscrição impreterivelmente. A solicitação de condições especiais será atendida segundo os critérios de viabilidade e de razoabilidade.

  • A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realização das provas deverá levar um acompanhante, que ficará em sala reservada para essa finalidade e que será responsável pela guarda da criança. A candidata que não levar acompanhante não realizará as provas.

  • Não será acrescido, em hipótese alguma, tempo adicional no que se refere ao item 6 e seus subitens, independentemente do tempo consumido para este fim.

    1. A documentação de inscrição dos candidatos não selecionados estará à disposição dos mesmos, durante quinze dias após a divulgação do resultado final, na secretaria do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias. Após este prazo será eliminada.

    2. Os casos omissos serão resolvidos pela comissão examinadora conjuntamente com o colegiado do programa.

Dado e passado na Secretaria do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, aos 15 dias do mês de dezembro de 2009, nesta cidade de Uberlândia, Estado de Minas Gerais, para o que vai assinado pelo Diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e por mim, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias.

Prof. Dr. César Augusto Garcia Prof. Dr. André Luiz Quagliatto Santos

Diretor da FAMEV Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias



ANEXO 1

Serão pontuados os dados dos últimos 5 anos (2005 a 2009)

Atividade

Pontos


No Itens

Total


1. Artigos publicados ou aceitos para publicação em periódicos científicos especializados nacionais com corpo editorial – área de Medicina Veterinária.

Qualis A1 – 25

Qualis A2 – 23

Qualis B1 – 20

Qualis B2 – 18

Qualis B3 - 16 Qualis B4 – 14

Qualis B5 – 12

Qualis C – 08

S/Q - 05








2. Artigos publicados ou aceitos para publicação em periódicos científicos especializados estrangeiros com corpo editorial – área de Medicina Veterinária.

Qualis A1 – 25

Qualis A2 – 23

Qualis B1 – 20

Qualis B2 – 18

Qualis B3 - 16 Qualis B4 – 14

Qualis B5 – 12

Qualis C – 08

S/Q - 05








3. Artigos de divulgação científica, tecnológica e artística ou notas curtas em periódicos científicos (máximo de 5 pontos)

01








4. Comunicações em Congresso Científico










4.1. Resumos publicados em anais (máximo de 5 pontos)

0,5







4.2. Trabalhos completos publicados em anais (máximo de 10 pontos)

2,5







5. Livros Técnicos










5.1. Livros publicados (com ISBN) E= área específica, A= afim, D= diversa

E 25, A 15, D 10







5.2. Capítulos de livros publicados (com ISBN) E= área específica, A= afim, D= diversa

E 12, A 06, D 03







5.3. Traduções de livros ou capítulos

03







6. Bolsas de Iniciação Científica

03/ano







7. Relatórios técnicos (máximo de 5 pontos)

01







8. Pareceres “ad hoc” (máximo de 2 pontos)

0,2







9. Consultorias (pelo menos 20 horas) (máximo de 1 ponto)

0,2







10. Atividades Profissionais não acadêmicas (mais de 12 meses)

0,5/ano







12 Participações em bancas de Monografia de Bacharelado (máximo de 2 pontos)

0,2







13. Palestras e conferências ministradas










13.1. Eventos Científicos (máximo de 10 pontos)

01







13.2. Eventos acadêmicos (máximo de 5 pontos)

0,5







13.3. Eventos de extensão (máximo de 2,5 pontos)

0,5







14. Mini-Cursos Ministrados (em área específica)










14.1. Até 8 horas ou sem carga horária especificada (máximo de 3 pontos)

0,3







14.2. De 9 a 30 horas (máximo de 6 pontos)

0,6







14.3. Acima de 30 horas (máximo de 9 pontos)

01







15. Participação em Mini-Cursos










15.1. Até 8 horas ou sem carga horária especificada (máximo de 1 ponto)

0,1







15.2. De 9 a 30 horas (máximo de 2 pontos)

0,2







15.3. Acima de 30 horas (máximo de 3 pontos)

0,3







15. Participação em Congressos e Simpósios (máximo de 1 ponto)

0,1







16. Monitoria em disciplinas da graduação (por semestre, máximo de 6 pontos)

1,5







17. Docente graduação (pontos por ano)

E= área específica, A= afim, D= diversa

E 04, A 03, D 02







18. Docente ensino fundamental (pontos por ano)

0,8







19. Docente ensino médio (pontos por ano)

01







20. Docente ensino técnico agropecuário (pontos por ano)

1,5







21. Aperfeiçoamento E= área específica, A= afim, D= diversa

E 05, A 03, D 02







22. Especialização E= área específica, A= afim, D= diversa

E 10, A 06, D 04







23. Residência E= área específica, A= afim, D= diversa

E 10, A 06, D 04







24. Estágio (não considerar obrigatório) Máximo de 1,5 pontos

0,001/hora







25. Programa de Educação Tutorial (PET) – Tempo mínimo 2 anos

1 ponto/ano







ANEXO 2

CONTEÚDO DAS PROVAS ESPECÍFICAS

OBS.: Os temas e a bibliografia servem de orientação cabendo ao candidato ampliar seu campo de preparação.





  1. PRODUÇÃO DE FORRAGENS, NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL




  • Solos para pastagens - Correção do solo e adubação

  • Interação clima-solo-planta-animal

  • Plantas C3, C4 e CAM e as especificidades das forrageiras

  • Propagação e utilização das forrageiras

  • Características gerais da família das gramíneas

  • Características gerais da família das leguminosas

  • Implantação de pastagens

  • Manejo de pastagens

  • Sistemas de formação de pastagens

  • Avaliação e quantificação das pastagens

  • Silagem

  • Feno e Fenação

  • Grãos, farelos e farinhas de uso em rações

  • Microbiologia do rúmen

  • Alimentação de bovinos

  • Nutrição de Monogástrico

  • Nutrição animal básica.

  • Tubo gástrico intestinal comparado

  • Energia dos alimentos

  • Proteínas

  • Minerais

  • Vitaminas

  • Aditivos e suplementos

  • Alimentação de animais poligástricos e monogástricos


BIBLIOGRAFIA BÁSICA:


  1. Anais dos Simpósios de Produção de Forrageiras. FUNARB. UFV, Viçosa. 2000.

  2. Anais dos Simpósios sobre Pastagens. FEALQ, Piracicaba, SP, 1995.

  3. Anais das Reuniões Anuais da Sociedade Brasileira de Zootecnia(SBZ),1990.

  4. ANDRIGUETTO, J. M. Nutrição animal. 4.ed. São Paulo. SP: Nobel, 1983. 430 p.

  5. AGUIAR, A. P. Manejo de pastagens, 2000.

  6. AGUIAR, A P. Adubos e Adubação, 2001.

  7. AGUIAR, A P. Conservação do solo, 2001.

  8. BENEDETTI, E. Produção de leite a Pasto – Bases Práticas, 2002.

  9. BENEDETTI, E. Leguminosas na Produção de Ruminantes nos Trópicos. 2005.

  10. CARVALHO, F.A.N.; BARBOSA, F.A.; McDOWELL, L.R. Nutrição de Bovinos a Pasto. Papel Form Editora ltda., 2003. 438p.

  11. NUNES, I. J. Nutrição animal básica. 2ed. FEP-MVZ: Belo Horizonte, 1998. 388 p

  12. ROSTAGNO, H. S. Composição de alimentos e exigências nutricionais de aves e suínos e tabelas brasileiras. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 1985. 59 p.

  13. SILVA, D. Análise de alimentos; métodos químicos e biológicos. Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, 1981. 166 p.

  14. TEIXEIRA, A.S. Alimentos e Alimentação dos Animais. Lavras: Ed. FAEPE, 1997. 173p

  15. TEIXEIRA, J.C. – Fisiologia Digestiva dos Animais Ruminantes. Lavras: Edições FAEPE, 1996..212p




  1. BIOTÉCNICAS E EFICIÊNCIA REPRODUTIVA.




  • Fisiologia e endocrinologia do macho e da fêmea

  • Biotecnologias aplicadas à reprodução animal

  • Uso da ultra-sonografia na reprodução animal

  • Genética Molecular-marcadores moleculares

  • Manejo reprodutivo em criatórios de bovinos

  • Métodos alternativos para se alcançar eficiência reprodutiva máxima

  • Estação de monta

  • Seleção de reprodutores



BIBLIOGRAFIA BÁSICA:


  1. GONÇALVES, P. B. D. Biotécnicas aplicadas à reprodução animal. Porto Alegre: Varela. 2002. 340p.

  2. HAFEZ, E. S. E.; HAFEZ, B. Reprodução Animal. Manole, Barueri, 70 ed., 2004. 513 p.

  3. KAHN, W., VOLKMANN, D., KENNEY, R. Veterinary reproductive ultrasonography. London: Mosby-Wolfe, 1994, 256p.

  4. KNOBIL, E.; NEILL, J.D. The physiology of Reproduction. 2. ed., New York: Raven Press, 1994. 1878p.

  5. PALMA, G.A. Biotecnologia de la reproduccion. Argentina: INTA. 2001. 701 p.

  6. VALLE, E.R., ANDREOTTI, R., THIAGO, L.R.S. Estratégias para aumento da eficiência reprodutiva e produtiva em bovinos de corte. Campo Grande: EMBRAPA-CNPGC, 1998. 80 P. (Documento 71).


  1. MANEJO E EFICIÊNCIA DE PRODUÇÃO DOS ANIMAIS, SEUS DERIVADOS E SUBPRODUTOS.




  • Hereditariedade e meio ambiente

  • Correlações genéticas, ambientes e fenotípicas

  • A cadeia produtiva da carne bovina

  • Manejo geral e medidas de produtividade da bovinocultura de corte efetuadas na unidade de produção

  • Importância da pecuária leiteira

  • A importância dos índices zootécnicos na condução da atividade leiteira

  • Manejo e criação de gado leiteiro

  • Estudo da Bioclimatologia Animal

  • Produção de carne suína de machos inteiros e bem estar animal

  • Qualidade de carne suína

  • Mercado de exportação para a carne suína

  • Inspeção e tecnologia de Carnes e Derivados

  • Inspeção e Tecnologia do Leite e Derivados

  • Contagem de células somáticas (CCS) no leite cru

  • Avicultura e Ornitopatologia



BIBLIOGRAFIA BÁSICA:


  1. BERCHIERI, JR., A.; MACARI, M. Doenças das aves. Facta. 2000.

  2. BOGNER, H. Tecnologia de la Carne. Zaragoza: Acribia,1969. 118p. il.

  3. CALNEK, B. W. et al. Diseases of Poultry. 10. ed. American Association of Avian Pathologists. Iowa State University Press. Ames, Iowa, USA 1997.

  4. DEPARTAMENTO NACIONAL DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL. Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Pasteurizado. Instrução Normativa N. 51, de 18 de setembro de 2002.

  5. FURTADO, M. M. A arte e a ciência do queijo. São Paulo: Globo, 1991, 297p.

  6. GERMANO, L.M.P., GERMANO, S.I.M.. Higiene e vigilância sanitária de alimentos. 2. ed. – revista e ampliada, Varela editora e livraria, 2003. p.653.

  7. LARANJA DA FONSECA, Qualidade do leite e controle da mastite. Sao Paulo: Lemos Editorial, 2000

  8. LOBATO, J. F. P.; BARCELLOS, J. O. J.; KESSLER, A.M. Produção de Bovinos de Corte. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1999. 346p.

  9. MORENG, R. E., AVENS, J. S. Ciência e produção de aves. São Paulo: Roca, 1990. 380p.

  10. PARDI, C.M. SANTOS. F.I. SOUZA, R.E. PARDI, S.E. Ciência, Higiene e Tecnologia de Carne. Goiânia: Editora UFG, v. 2, 1983.

  11. PEREIRA, J. C. C. Fundamentos de bioclimatologia aplicados à produção animal. Belo Horizonte: FEPMVZ, 2005. 195p.

  12. PEREIRA, J.C.C. Melhoramento Genético Aplicado à Produção Animal. FEPMVZ: Belo Horizonte, 2004. 609p.
  13. PRICE, J.F. Ciência de la Carne e de los Produtos Carnicos. Zaragoza: Acribia,1976. 668p. il


  14. SILVA, R. G. Introdução à Bioclimatologia Animal. São Paulo: Nobel, 2000. 286p.

  15. SILVA, I. J. O. Ambiência na produção de aves em clima tropical. Piracicaba: NUPEA, 2001. v. 1 e 2.

  16. SILVA, I. J. O. Ambiência e qualidade na produção industrial de suínos. Piracicaba: FEALQ, 1999. 247p

  17. SQUIRE, E. J. Applied Animal Endocrinology. 1. ed. Cambridge: CAB International, 2003. 234p.

  18. TRONCO, V. M. Manual para inspeção da qualidade do leite. Santa Maria: UFSM, 1997, 166p

  19. VALLE, E.R., ANDREOTTI, R., THIAGO, L.R.S. Estratégias para aumento da eficiência reprodutiva e produtiva em bovinos de corte. Campo Grande: EMBRAPA-CNPGC, 1998. 80 P. (Documento 71).

  20. www.cnpsa.embrapa.br


  1. CLÍNICA MÉDICA E INVESTIGAÇÃO ETIOLÓGICA.




  • Doenças Bacterianas dos Animais de produção

  • Doenças Parasitárias dos Animais de produção

  • Doenças Viróticas dos Animais de produção

  • O processo inflamatório e a reparação tecidual

  • Medicina de Animais Selvagens.

  • Toxicologia Veterinária

  • Hematologia clínica

  • Clínica de Pequenos Animais

  • Clínica de Grandes Animais

  • Conceitos Básicos em Epidemiologia

  • Relação Hospedeiro-parasita



BIBLIOGRAFIA BÁSICA:


  1. BLOOD, D.C., RADOSTIS, O. M. Clínica veterinária/ tradução de Adriana Alonso Novais. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1991. 1263p.

  2. Bogliolo, L. Patologia Geral. 3.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004. 367 p.

  3. BUCK, W.B.; OSWEILLER,G.D. Toxicologia Veterinária y Diagnostica. Zaragosa: Acribia, 1973. 343 p.

  4. COELHO, H.E. Patologia Geral Veterinária. Uberlândia, 1998. 142 p.

  5. CORREA, F.R.; MENDEZ,M.C.; SCHILD,A.N. Intoxicações por Plantas e Micotoxinas em Animais Domésticos. Montevideo: Hemisfério Sur, 1994. 339 p.
  6. CORREA, W.M. & CORREA, C.N.M. Enfermidades infecciosas dos mamiferos domesticos. 2.ed. Rio de Janeiro: Medsi, 1992. 843p.


  7. CÔRTES, J.A. Epidemiologia - Conceitos e Princípios fundamentais. São Paulo: Livraria Varela, 1993. 227p.

  8. ETTINGER, J. S. Tratado de medicina interna veterinária em pequenos animais. 3. ed. São Paulo: Manole, v. 1-2, 1992. 1730p.

  9. FERREIRA NETO, J.M.; VIANA, E. S.; MAGALHÃES. L. M. Patologia Clínica Veterinária. Belo Horizonte: Rabelo, 1981. 293 p.

  10. FORTES, E. Parasitologia veterinária. Porto Alegre: Sulina, 1997. 396p.

  11. GARCIA-NAVARRO, C.E.K.; PACHALY, J.R. Manual de Hematologia Veterinária. São Paulo: Varela. 1994. 169 p.

  12. FOWLER, M. Zoo & wild animal medicine, Current therapy 3. Philadelphia: Mosby, 1993. 582 p.

  13. KUMAR, M.D., ABBAS, A.K.., FAUSTO, M.D. Pathologic basis of disease. Elsevier Saunders, 7th edition, Philadelphia, Pennsylvania, 2005, pp. 1525.

  14. MCGAWIN, M.D.; ZACHARY, J.F. Pathologic Basis of Veterinary Disease. Mosby Elsevier, 4th edition, St. Louis, Missouri, 2007, pp. 1476.

  15. Perez-Tamayo, R. Introducción a la Patología. Mecanismos de la Enfermedad. Editora Medica Panamericana, Buenos Aires, 2ª edição, 1987, 670pp

  16. LORENZ, M.D., CORNELIUS, L.M.Terapia clínica em pequenos animais. Rio de Janeiro, Interlivros Edições Ltda. 1996, 465p.

  17. NELSON, R. W. Medicina interna de pequenos animais. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2001

  18. PACHALY, J. R. Medicina de animas selvagens. 1992. 209 f. Apostila – Curitiba, 1992.

  19. ROMERO, H.Q. Parasitologia y enfermedades parasitarias de animales domesticos. México: Editorial Limusa, 1988. 865p.



  1. MORFOLOGIA




  • Citologia

  • Histologia

  • Embriologia Geral

  • Anatomia Animal

  • Morfolisiologia veterinária


BIBLIOGRAFIA BÁSICA


  1. BACHA, W.J. & WOOD, L.M. Atlas Colorido de Histologia Veterinária. 2. ed. São Paulo: Roca, 2003.

  2. CORMACK, D.H. Histologia. 9. ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1991.

  3. DUKES, H. H.; SWENSON, M. J., Fisiologia dos Animais Domésticos. 11. ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1996. 856 p.

  4. DYCE; SACK; WENSING Tratado de anatomia veterinária. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1997. 663p.

  5. EDE, D.A. Anatomia de las aves. Zaragoza: Acribia, 1965. 136p.

  6. EVANS, H.E.; CHRISTENSEN, G. C. Miller’s Anatomy of the dog. 2. ed., Philadelphia: W.B. Saunders Company, 1979, 161p.

  7. FRANDSON, R. D. Anatomia e fisiologia dos animais domésticos. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1979, 429p.

  8. GARCIA, S.M.L.; FERNÁNDEZ, C.G. Embriologia. 2ª ed. Porto Alegre, Artmed, 2001.

  9. GETTY, R. ed. Sisson/Grossman’ Anatomia dos animais domésticos. 5. ed. Rio de Janeiro: Interamericana, 1981. 2000p.

  10. JAMES G. CUNNINGHAM – Tratado de Fisiologia Veterinária – 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 2004. 596 p.

  11. JUNQUEIRA, L.C.U.; CARNEIRO, J. Histologia Básica. 10. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2004.

  12. JUNQUEIRA, L. C. U.; CARNEIRO, J. Biologia Celular e Molecular. 8. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2005.

  13. KOLB, E. Fisiologia Veterinária. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1984 637 p.

  14. NODEN, D. M.; LAHUNTA, A. Embriologia de los animales domésticos. Zaragoza: Acribia. 1990. 399p.


  1. ANESTESIOLOGIA E CIRURGIA.




  • Profilaxia da Infecção em cirurgia veterinária

  • Fases fundamentais da Técnica Cirúrgica

  • Cuidados no Pré, Trans e Pós-operatório

  • Patologias do Parto

  • Oftalmologia veterinária

  • Laparatomia exploratória do rume em bovinos

  • Enfermidades do casco e da região coronária em bovinos e eqüinos

  • Introdução à Anestesiologia

  • Medicação Pré-anestésica (MPA)

  • Anestesia Geral

  • Anestesia Loco-regional

  • Bloqueadores Neuro-musculares

  • Princípios gerais de diagnóstico e tratamento de fraturas



BIBLIOGRAFIA BÁSICA


  1. ARTHUR, G.H. Reprodução e obstetrícia em Veterinária. 4. ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogam, 1979. 573 p.

  2. BERNIS. W. O., EURIDES, D., BERNIS, W. O. F. Manual de oftalmologia veterinária. Belo Horizonte, 1989. 73p.

  3. BOJRAB, M. J. Cirurgia dos pequenos animais. 2. ed. São Paulo: Roca, 1991. 854p.

  4. BOJRAB, M.J. Técnicas atuais em cirurgia de pequenos animais. 3.ed. São Paulo: Roca, 2005, 896p

  5. FANTONI, D. T., CORTOPASSI, SRG Anestesia em cães e gatos. São Paulo: Roca. 2002.

  6. FOSSUM, T.H. Cirurgia de pequenos animais. São Paulo: Roca, 2002. 1335p.

  7. GELATT, K.N. Manual de oftalmologia veterinária. São Paulo: Manole, 2003. 594p.

  8. GIOSO, M.A. Odontologia Veterinária para clinico de Pequenos Animais. 3 ed. São Paulo: USP, 1994.

  9. LUMB, Willian V.; JONES, E.W. Anestesia Veterinária. 3ª ed.. 1996. Compañia Editorial Continental S/A., 687p.

  10. MASSONE, F. Anestesiologia veterinária, farmacologia e técnicas. Guanabara Koogan, 4ª. ed., 252p. 2003.

  11. MEYER, J.; BOOTH, Mc DONALD. Farmacologia e terapêutica em veterinária. 4ª ed., Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,. 1983. 1000p.

  12. NOAKES, D. E. Fertilidade e Obstetrícia em bovinos . 1. ed. São Paulo: Varela, 1991. 137 p.

  13. PARRA, Osório Miguel; SAAD, William A. Técnica operatória fundamental: descrição das manobras operatórias básicas. Rio de Janeiro: Atheneu, 1987. 556p. (Cirúrgica)

  14. PETERSEN-JONES, S.M. Manual de oftalmología en pequeños animales. Barcelona: Romanyà, 1999. 316p.

  15. ROBERTS, S.J. Veterinary obstetric and genital diseases. 4 ed., Ithaca: Edward Brothers, 1993. 1021p.

  16. SLATTER, D. Manual de cirurgia de pequenos animais. 2.ed. 2V. São Paulo; Manole, 2002. 2830p.

  17. TONG, P. Odontologia Veterinária em Pequenos Animais. São Paulo, 1995.

  18. TURNER, A.S., McILWRAITH, C.W. Técnica cirúrgica em animais de grande porte. São Paulo: Roca, 2002. 341p. TURNER, A.S., McILWRAITH, C.W. Técnica cirúrgica em animais de grande porte. São Paulo: Roca, 2002. 341p.





Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande