Duciomar gomes da costa


conteúdo do plano diretor de belém



Baixar 0.95 Mb.
Página6/16
Encontro08.10.2019
Tamanho0.95 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16

conteúdo do plano diretor de belém


O PLANO DIRETOR DE BELÉM é o instrumento básico da política de desenvolvimento urbano e do processo de planejamento municipal, com base no que estabelece a Constituição Federal, em seus artigos 182 e 183; na Lei Federal 10.257/2001, o Estatuto da Cidade e a Lei Orgânica do Município. O Plano Diretor de Belém deverá ser complementado em sua instrumentalização por planos setoriais e leis específicas. Dispõe e define diretrizes para a elaboração dos planos setoriais que devem incorporar os objetivos, princípios, diretrizes e prioridades nele contidas, bem como das políticas sociais.

O Plano Diretor é um instrumento técnico e político importante, uma vez que indica as políticas, os princípios e as diretrizes para o reordenamento da ocupação físico-territorial do município e orienta a administração pública nas ações que visam combater os principais problemas que desafiam o governo e comprometem o bem estar da população.

A estrutura proposta está dividida organizada da seguinte forma:

TÍTULO I – DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

TÍTULO II – DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS, DAS DIRETRIZES E DOS OBJETIVOS GERAIS DA POLÍTICA DE GESTÃO URBANA

Capítulo I – Dos princípios fundamentais

Capítulo II – Das diretrizes gerais

Capítulo III – Dos objetivos gerais

TÍTULO III – DOS OBJETIVOS E DAS DIRETRIZES SETORIAIS DA POLÍTICA DE GESTÃO URBANA

Capítulo I – Da Política de Desenvolvimento Econômico

Capítulo II – Das Políticas Sociais

Capítulo III – Da Política de Infra-Estrutura e Meio-Ambiente

TÍTULO IV – DO ORDENAMENTO TERRITORIAL

Capítulo I – Da Estrutura Espacial

Capítulo II – Da Divisão Territorial

Capítulo III – Dos Parâmetros e Instrumentos

TÍTULO V – DA GESTÃO DEMOCRÁTICA DA POLÍTICA URBANA

Capítulo I – Dos Objetivos da Gestão Democrática

Capítulo II – Do Sistema de Planejamento e Gestão

Capítulo III – Dos Instrumentos de Democratização

Capítulo IV – Da Revisão do Plano Diretor

















TÍTULO I – DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES




Em atendimento ao disposto no art. 182, § 1º, da Constituição Federal, ao Título VI, Capítulo II da Lei Orgânica do Município de Belém e às disposições constantes da Lei Federal nº 10.257, de 10 de julho de 2001 – Estatuto da Cidade, a política de gestão urbana do Município de Belém será regulada de acordo com as disposições deste Plano Diretor.




















TÍTULO II – DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS, DAS DIRETRIZES E DOS OBJETIVOS GERAIS DA POLÍTICA DE GESTÃO URBANA






CAPÍTULO I

Dos princípios fundamentais






CAPÍTULO II

Das diretrizes gerais






CAPÍTULO III

Dos objetivos gerais






Capítulo I – DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS


São quatro os princípios fundamentais que pautarão a política urbana:

Função Social da Cidade

A função social da cidade no Município de Belém corresponde ao direito à cidade para todos e todas, o que compreende os direitos à terra urbanizada, à moradia, ao saneamento ambiental, à infra-estrutura e serviços públicos, ao transporte coletivo, à mobilidade e acessibilidade, ao emprego, trabalho e renda, à assistência social, bem como aos espaços públicos e ao patrimônio ambiental e cultural do Município.



Função Social da Propriedade Urbana

Para que a propriedade imobiliária cumpra sua função social deverá ser utilizada como suporte de atividades ou usos de interesse do Município, como:



  • Habitação, especialmente habitação de interesse social;

  • Atividades econômicas geradoras de emprego, trabalho e renda e que contribuam para o financiamento da cidade;

  • Preservação do meio ambiente;

  • Preservação do patrimônio cultural.

Para garantir a função social da propriedade urbana, o uso e a ocupação do solo deverão ser compatíveis com a oferta de infra-estrutura, saneamento e serviços públicos e comunitários e levar em conta o respeito ao direito de vizinhança, a segurança do patrimônio público e privado, a preservação e recuperação do ambiente natural e construído.

Sustentabilidade

Sustentabilidade é entendida como desenvolvimento local socialmente justo, ambientalmente equilibrado, economicamente viável, culturalmente diversificado e política e institucionalmente democrático, de forma a garantir qualidade de vida para as presentes e futuras gerações. Neste princípio se fundamentam as proposições do ordenamento territorial - macrozoneamento e zoneamento.



Gestão Democrática

Princípio que norteia a gestão da política urbana, garantindo a participação da população em todas as decisões de interesse público por meio das associações representativas dos diversos segmentos da sociedade. A Gestão Democrática será melhor detalhada no Título IV do Plano Diretor, refletindo-se na previsão de um Sistema Municipal de Planejamento e Gestão.


Capítulo II – Das Diretrizes GeraIs


As diretrizes da política urbana garantirão a função social da cidade e da propriedade urbana, bem como da gestão democrática e da sustentabilidade:

  1. Potencializar a integração do Município de Belém à sua região metropolitana, articulando as suas infra-estruturas físicas e recursos naturais, bem como determinados serviços, com os dos municípios a ele conurbados;

  2. Promover as condições básicas de habitabilidade por meio do acesso de toda a população à terra urbanizada, à moradia e ao saneamento ambiental bem como da garantia de acessibilidade aos equipamentos e serviços públicos;

  3. Implementar estratégias de ordenamento da estrutura espacial da cidade, valorizando os elementos naturais, assegurando à toda população o acesso à infra-estrutura, equipamentos e políticas sociais e promovendo o equilíbrio do meio ambiente;

  4. Elevar a qualidade do ambiente urbano por meio da proteção dos ambientes natural e construído;

  5. Ordenar e controlar o uso e a ocupação do solo com vistas a respeitar e valorizar a diversidade espacial e cultural do Município com as suas diferentes paisagens formadas pelo patrimônio natural e construído, em sua área continental e insular;

  6. Proibir a utilização inadequada e a retenção especulativa de imóveis urbanos bem como o parcelamento do solo, o adensamento populacional e o uso das edificações de forma incompatível com a infra-estrutura urbana;

  7. Garantir a efetiva participação da sociedade no processo de formulação, implementação, controle e revisão do Plano Diretor do Município de Belém, assim como nos planos setoriais e leis específicas necessárias à sua aplicação; e

  8. Atuar na promoção da dinâmica econômica mediante regulação da distribuição espacialmente equilibrada e o estímulo à implantação e manutenção de atividades que promovam e ampliem o acesso ao emprego, trabalho e renda.



Capítulo III – Dos Objetivos GeraIs


São objetivos gerais da Política Urbana:

  1. Integrar as infra-estruturas físicas, os elementos naturais, bem como determinados serviços do município conurbado ao Município de Belém;

  2. Reconhecer a diversidade espacial como elemento da identidade urbanística;

  3. Reconhecer a importância dos espaços públicos, como áreas insubstituíveis para a expressão da vida coletiva;

  4. Promover o desenvolvimento econômico, de forma social e ambientalmente sustentável;

  5. Integrar o planejamento local às questões regionais, através da articulação com os demais municípios vizinhos ou com interesses afins.

  6. Manter e ampliar os programas de preservação do patrimônio natural e construído;

  7. Garantir o direito à moradia digna, através de programas e instrumentos adequados às populações de baixa renda;

  8. Promover o acesso aos equipamentos e serviços urbanos e às políticas públicas;

  9. Garantir a acessibilidade universal, entendida como a possibilidade de acesso de todos os cidadãos a qualquer ponto do território, através da rede viária e do sistema de transporte público;

  10. Promover condições adequadas de mobilidade urbana sustentável;

  11. Definir intervenções urbanísticas onde a iniciativa privada deve ser chamada a participar;

  12. Reconhecer e integrar os diversos fóruns de participação na gestão da cidade.



















TÍTULO IIi – DOS OBJETIVOS E DAS DIRETRIZES SETORIAIS DA POLÍTICA DE GESTÃO URBANA






CAPÍTULO I

Da Política de Desenvolvimento Econômico






CAPÍTULO II

Das Políticas Sociais






CAPÍTULO III

Da Política de Infra-estrutura e Meio-Ambiente




Capítulo I - Da Política de Desenvolvimento Econômico


A política de desenvolvimento econômico do Município deve estar sintonizada com a dinâmica econômica da cidade, articulada com o desenvolvimento social, cultural, tecnológico e à proteção do meio ambiente, objetivando a redução das desigualdades sociais e espaciais e a melhoria da qualidade de vida da população.

Deve também estar articulada com as políticas de desenvolvimento dos municípios da Região Metropolitana de Belém, e com as outras esferas de poder.



São diretrizes da política urbana para o desenvolvimento econômico:

  1. Garantir o equilíbrio entre os interesses econômicos, sociais, culturais, ambientais e tecnológicos no desenvolvimento econômico;

  2. Consolidar o Município de Belém como pólo regional de aglomeração de comércio e serviço;

  3. Estimular o empreendedorismo, valorizando e capacitando o associativismo e o cooperativismo, como alternativas para a geração de trabalho e renda;

  4. Apoiar a indústria de transformação de produtos regionais, de reciclagem e o artesanato;

  5. Apoiar a criação e a implementação de redes de cooperação empresarial de micros, pequenas e médias empresas nos vários setores e segmentos das cadeias produtivas locais, metropolitanas e regionais;

  6. Consolidar e ampliar parcerias com o setor privado na implementação da política de desenvolvimento econômico do Município;

  7. Integrar e fortalecer as atividades econômicas entre as regiões insular e continental;

  8. Fomentar, orientar e capacitar as atividades econômicas do setor primário, agregando valor às cadeias produtivas das ilhas do Município respeitando a proteção do meio ambiente;

  9. Estabelecer políticas de incentivos fiscais para o setor produtivo, em especial as micro e pequenas empresas, no sentido da promoção do desenvolvimento econômico local;

  10. Ampliar e disponibilizar linhas de crédito, prioritariamente aos micros e pequenos empreendimentos formais e informais, com ênfase na economia popular;

  11. Criar mecanismos para redução progressiva da situação da informalidade nas atividades econômicas no Município através de política própria que transforme os trabalhadores informais em empreendedores populares;

  12. Estimular a desconcentração espacial das atividades econômicas de comércio e serviços através do fortalecimento e da requalificação física dos subcentros de São Brás, Entroncamento, Mosqueiro e Icoaraci;

  13. Melhorar as condições de funcionamento das atividades econômicas do Centro Comercial principal da Cidade;

  14. Requalificar as áreas de orlas do Município estabelecendo as atividades sócio-econômicas e usos compatíveis com o desenvolvimento humano e a preservação do meio ambiente;

  15. Organizar e orientar a modernização da rede de abastecimento alimentar do Município;

  16. Definir um modelo de co-gestão dos espaços públicos explorados economicamente;

  17. Promover e incentivar o turismo como atividade estratégica de desenvolvimento econômico, cultural e social do Município por meio do fomento, capacitação e adequação de recursos;

  18. Promover os produtos turísticos dos diversos segmentos como história e cultura, esporte e aventura, negócios e eventos profissionais, turismo de natureza, de entretenimento e lazer urbano; contemplando as diversidades culturais e naturais da cidade;

  19. Criar e fortalecer imagem que corresponda aos produtos turísticos dos segmentos específicos e prioritários, para divulgá-la e promovê-la nos diversos mercados potenciais nacional e internacional;

  20. Fomentar políticas de geração de emprego, trabalho e renda por meio da qualificação e requalificação profissional, bem como a intermediação de mão-de-obra;

  21. Apoiar a criação e a consolidação de incubadoras tecnológicas e gerenciais;

  22. Melhorar as condições de funcionamento dos corredores de comércio e serviços;

  23. Criar mecanismos para inserção de Belém nas principais cadeias produtivas do Pará;

  24. Fomentar políticas para dinamização e reabilitação sócio-econômica, cultural e turística no Centro Histórico de Belém e nas áreas com potencial acervo do patrimônio cultural;

  25. Melhorar as condições de funcionamento e de gestão das feiras e mercados.

Deverá ser elaborado no prazo máximo de 18 meses, o Plano de Desenvolvimento Econômico de Belém, o qual definirá as diretrizes específicas para o desenvolvimento do Município, entre outras disposições.



PROPOSTA: Discutir a questão do PORTO de Belém pelo menos indicando e encaminhando a realização de um estudo de viabilidade econômica.



Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   16


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande