Disciplina: Projetos I



Baixar 19.64 Kb.
Encontro12.09.2019
Tamanho19.64 Kb.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

DISCIPLINA: Projetos I

ALUNA: Renata Espíndola Martins 0023837-6

PROF.: Renato Cislaghi

Aplicativo Cliente Servidor Multicamadas para controle de uma rede de lojas via WEB utilizando Java


Introdução
O modelo de aplicação Cliente-Servidor se encaixa perfeitamente em redes de computadores, onde um Servidor é responsável em prover serviços para outras máquinas da rede. Extrapolando este sistema para a Internet, o que temos é uma enorme rede mundial, interligando cidades e países, com grande potencial de desenvolvimento de serviços que podem ser utilizados por diversas máquinas em qualquer ponto do globo.

No âmbito empresarial, a corrida pela Internet no Brasil vem crescendo de forma rápida. As empresas estão se atualizando para acompanhar as mudanças e participar deste fenômeno que é a Internet. O primeiro passo para as empresas foi simplesmente aparecer na Internet, geralmente na forma de um site, apenas como uma vitrine virtual. O segundo passo foi oferecer serviços a clientes através do site na Internet. A compra e venda de produtos, e o atendimento bancário via Internet são algumas das inúmeras facilidades oferecidas aos clientes nos dias de hoje. O terceiro passo é utilizar toda essa infraestrutura chamada Internet, que conecta internamente as empresas e também as conecta com fornecedores e clientes, para automatizar e agilizar os processos de controle da empresa, transações entre filiais, e relacionamentos com fornecedores e clientes.


Arquitetura Cliente/Servidor duas camadas
Com a arquitetura cliente/servidor 2 camadas, a interface do sistema é usualmente colocada na máquina do cliente e os serviços de banco de dados são usualmente colocados em um servidor que em geral é uma máquina mais potente, capaz de servir vários clientes. O processamento é separado entre o cliente e o servidor de banco de dados. O servidor de banco de dados possui stored procedures( funções armazenadas ) e triggers ( gatilhos, que disparadores de funções ). Existem uma variedade de produtos comerciais que fornecem ferramentas para simplificar o desenvolvimento de aplicações para a arquitetura cliente/servidor 2 camadas.

A arquitetura cliente/servidor com 2 camadas é uma boa solução para a computação distribuída quando os grupos de trabalho são na ordem de dezenas ou centenas de pessoas interagindo no sistema simultaneamente. Certamente há algumas limitações. Quando o número de usuários excede a casa das centenas, a performance tende a deteriorar. Esta limitação é resultado do servidor mantendo a conexão “viva” com cada cliente, mesmo quando nenhum trabalho está sendo feito. Uma segunda limitação da arquitetura em 2 camadas é que a implementação de serviços utilizando funções de um determinado fabricante de banco de dados tente a restringir a flexibilidade. Finalmente, as implementações de arquiteturas 2 camadas fornecem uma limitada flexibilidade em mover ou reparticionar funcionalidades do sistema de um servidor para outro, sem manualmente re-gerar todo o código da aplicação.


Considerações
A arquitetura de software em duas camadas é bastante usada em processamentos não críticos e onde a manutenção e o processamento do sistema não são complexos. Este design é usado freqüentemente onde a quantidade de transações entre cliente e servidor é pequena. A arquitetura 2 camadas funciona bem para um ambiente em que as regras de negócio não mudem muito freqüentemente, e quando o grupo de usuários esperado é de no máximo 100, como por exemplo em uma empresa de pequeno porte.

Arquitetura Cliente/Servidor três camadas
A arquitetura cliente/servidor em três camadas, também conhecida como arquitetura cliente/servidor multicamadas, surgiu para suprir as limitações que da arquitetura em duas camadas. Na arquitetura em três camadas, uma camada intermediária foi adicionada entre a camada cliente e o servidor. Existem uma variedade de formas diferentes de se implementar esta camada intermediária, como servidores de mensagens, servidores de aplicação e monitores de processamento de transições.

A camada intermediária pode armazenar requisições de clientes em uma fila, então o cliente pode requisitar seu pedido à camada intermediária e desconectar, pois a camada intermediária vai acessar o banco de dados e retornar a resposta ao cliente posteriormente. A camada intermediária também fornece serviços diferenciados dependendo da prioridade do trabalho, e agendamento de tarefas. A arquitetura em três camadas tem mostrado uma melhora de performance para grandes grupos de usuários, na casa dos milhares, e possui uma flexibilidade maior se comparado com a arquitetura duas camadas.

Flexibilidade pode ser bem simples a ponto de particionar código da aplicação em módulos e colocá-los em diferentes computadores se tornar uma simples operação de “arrastar e soltar” com o mouse. Uma limitação da arquitetura em três camadas é que o desenvolvimento de aplicações neste modelo é mais difícil do que o desenvolvimento em duas camadas.

Considerações


Construir uma aplicação em três camadas é um trabalho complexo. Ferramentas de desenvolvimento que suportam a arquitetura três camadas ainda não fornecem todas os serviços desejados para suporte ao desenvolvimento de aplicações distribuídas. Um problema que pode surgir é que a separação da interface com o usuário, o processamento lógico da aplicação e a lógica de banco de dados nem sempre é tão óbvia. Alguns processos lógicos podem aparecem em todas as três camadas.

A colocação de uma função em uma determinada camada pode ser feita baseada em alguns critérios como os seguintes:


• Facilidade de desenvolvimento e teste

• Facilidade na administração do serviço

• Escalabilidade dos servidores

• Performance, levando em conta processamento e tráfego na rede.



Metodologia
A arquitetura Cliente-Servidor consiste em um servidor central contendo a aplicação que será acessada via Internet pelas diversas máquinas das que também estarão conectadas à Internet. A aplicação utilizou o modelo MVC (Model View Controller) que separa a aplicação em três componentes distintos, o modelo, a interface e o controlador.
Cada um destes componentes possuem responsabilidades:
• O modelo representa os dados e a lógica da aplicação. O modelo em geral é a aplicação em si, que transforma os dados da forma que o usuário requisitou, e possui uma interface que pode ser acessada pelo controlador.
• A interface transforma os dados do modelo. Ela acessa as informações do modelo e a mostra ao usuário da forma que ela tem q ser apresentada. A interface se modifica, quando os dados do modelo se modificam. A interface também repassa as requisições do usuário para o controlador.
• O controlador define o comportamento da aplicação. Ele despacha as requisições dos usuários e controla a apresentação dos dados. O controlador interpreta as entradas do usuário e mapeia estas entradas para o modelo, e seleciona qual será a próxima interface a ser mostrada ao usuário.
Conclusão final
O modelo de processamento cliente/servidor não é o final da evolução do ambiente de computação e a solução de todos os problemas, mas existem vários motivos para utilizá-lo, sendo especialmente adequado para ambientes de sistemas distribuídos na Internet.

Aplicações cliente/servidor podem ser desenvolvidas utilizando-se diversas técnicas de programação. O trabalho apresentou de forma sucinta as diversas formas de organização das camadas que constituem as aplicações cliente/servidor.

O objetivo principal deste trabalho foi explorar as diversas técnicas de desenvolvimento de aplicações servidoras mostrando suas principais vantagens e empregar estas técnicas diretamente na resolução de um problema, no caso a implantação de um sistema de controle de estoque de uma rede de lojas.

A implementação utilizou o modelo Model-View-Controler, que consiste em separar na aplicação, os módulos responsáveis pelo modelo, pela apresentação e pelo controle de fluxo das informações, e tem se tornado um padrão nas aplicações para Internet pelos benefícios que traz ao desenvolvimento.




Bibliografia



[1] Oliveira, Henrique Eduardo M. - Aplicativo Cliente Servidor Multicamadas para controle de uma

rede de lojas via WEB utilizando Java, Florianópolis, Maio 2003. - http://www.inf.ufsc.br/~leandro/ensino/grad/orientacoes/tcc_Henrique_Oliveira.pdf


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande