Cp ( rp) Valcárcel



Baixar 11.54 Kb.
Encontro01.11.2017
Tamanho11.54 Kb.



Comunicado de
Imprensa


A Assembleia da UE dos representantes regionais e locais





COR/11/5

Bruxelas, 28 de Janeiro de 2011



A Europa tem de usar o Tratado de Lisboa para explorar o potencial turístico subaproveitado, afirma o Vice-Presidente do CR, Ramón Luis Valcárcel Siso

O pleno potencial da Europa enquanto primeiro destino turístico do mundo continua por explorar, e o poder local e regional deve tomar mais medidas para ajudar o sector do turismo a adaptar-se ao actual contexto económico difícil através da diversificação e do desenvolvimento de modelos empresariais mais sustentáveis. Estas são duas das mensagens principais do Primeiro Vice-Presidente do Comité das Regiões, Ramón Luis Valcárcel Siso (ES-PPE), cujo projecto de parecer sobre um novo quadro político para o turismo europeu foi adoptado na reunião plenária do CR, que decorreu hoje em Bruxelas.

Com a entrada em vigor do Tratado de Lisboa, em Dezembro de 2009, o turismo tornou-se um domínio de política paneuropeu, e Ramón Luis Valcárcel Siso congratulou-se com a oportunidade proporcionada para coordenar as políticas de turismo com outras iniciativas paneuropeias, tais como os transportes, o ambiente, a agricultura, a política social e a cultura. "Para explorar o seu potencial de primeiro destino turístico do mundo, a Europa tem de coordenar os esforços e as iniciativas relacionadas com o turismo, a fim de criar um sector turístico competitivo, moderno, sustentável e responsável", afirmou Ramón Luis Valcárcel Siso, presidente de Múrcia, uma das regiões turísticas mais populares de Espanha.

No seu parecer, Ramón Luis Valcárcel Siso sublinha a necessidade de o turismo se tornar sustentável em toda a Europa, não só em termos ambientais, mas também em termos económicos e sociais, chamando a atenção para o papel fundamental que o poder local e regional desempenha na gestão sustentável dos destinos turísticos. No entanto, dado que as empresas envolvidas no sector do turismo são principalmente pequenas e médias empresas (PME) e que muitos dos destinos turísticos na Europa ainda se concentram numa "época" em particular, em vez de oferecerem serviços durante todo o ano, o vice-presidente considera haver ainda muito por fazer.

O parecer propõe quatro eixos de acção, designadamente o estímulo da competitividade do sector turístico, por exemplo através da diversificação dos produtos turísticos ou de um aumento do turismo social e dos intercâmbios culturais; o desenvolvimento de um turismo sustentável através, por exemplo, da criação de uma marca de qualidade baseada num conjunto de critérios estritos desenvolvidos com a participação do poder local e regional; a consolidação da imagem da Europa enquanto "marca" unificada face ao resto do mundo; e a maximização da utilização de outras políticas e instrumentos de financiamento da UE, tais como o Fundo Agrícola de Desenvolvimento Rural ou o Fundo Social Europeu, para apoiar novas iniciativas turísticas e melhorar a oferta existente mediante, por exemplo, uma melhor formação do pessoal.

"A Europa tem muitas vantagens competitivas no sector do turismo: não só a riqueza da sua paisagem, como também as grandes oportunidades de crescimento do turismo baseado no seu património cultural, gastronómico, religioso, desportivo, etc. O novo papel do turismo que o Tratado de Lisboa atribuiu à Europa deverá conduzir a um maior apoio a todas as partes envolvidas no sector turístico, incluindo os órgãos de poder local e regional. As regiões cujo potencial turístico está subaproveitado precisarão de ajuda para o desenvolver, ao passo que as regiões com um sector turístico bem estabelecido precisarão de ajuda para diversificar a sua oferta, a fim de se manterem competitivas", assinalou o Primeiro Vice-Presidente, Ramón Luis Valcárcel Siso.

Visite o sítio Internet do CR: www.cor.europa.eu

O Comité das Regiões

O Comité das Regiões é a assembleia da UE dos representantes regionais e locais. A missão dos seus 344 membros oriundos dos 27 Estados-Membros da UE consiste em fazer participar os órgãos de poder regional e local e as comunidades que representam no processo decisório da UE, e informá-los sobre as políticas da União Europeia. A Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e o Conselho Europeu são obrigados a consultar o Comité em domínios de política que digam respeito às regiões e aos municípios. O Comité das Regiões pode recorrer ao Tribunal de Justiça da União Europeia caso veja os seus direitos violados ou entenda que um acto comunitário não respeita o princípio da subsidiariedade, designadamente as competências do poder regional ou local.



Para mais informações, contactar:

Chris Jones

Tel.: +32 (0)2 546 8751

christopher.jones@cor.europa.eu

Os comunicados de imprensa do CR podem ser consultados aqui.


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande