Cadastrado: Adriana Fonseca Borges


- Educação em saúde bucal para pré-escolares



Baixar 491.95 Kb.
Página4/11
Encontro21.10.2017
Tamanho491.95 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11

54 - Educação em saúde bucal para pré-escolares

Daniela Cristina Biasoto, Fernanda Lopez Rosell, Tavani Cruz Alexandre, Aylton Valsecki Júnior, Silvio Rocha Corrêa da Silva

O projeto de extensão universitária é realizado, durante o ano letivo, em Centros de Educação e Recreação (CERs) da prefeitura municipal de Araraquara com o objetivo de estimular a criança, na fase pré-escolar, ao auto-cuidado em saúde bucal esclarecendo os mecanismos de saúde /doença no corpo humano. As atividades são realizadas por alunos de graduação do curso de Odontologia e consistem de ações educativas que trabalham a percepção da criança sobre o corpo e a cavidade bucal. Anualmente participam do projeto de 300 a 400 crianças de 5 e 6 anos de idade. Os acadêmicos de odontologia utilizam como recursos educativos: gravuras, pôsteres, vídeos, marionetes, canções, material áudio-visual, jogos e brincadeiras sobre a saúde bucal. Além de promover a saúde bucal no ambiente escolar, lugar onde a criança forma e renova seus hábitos, o projeto também visa uma formação mais humanística e voltada para a promoção de saúde do futuro cirurgião-dentista. Palavras-chave: Educação infantil; saúde bucal.

55 - Manifestações bucais em pacientes pediátricos imunocomprometidos (HIV positivos-aids)

Dayane Souza Marques, Elisa Maria Aparecida Giro, Cyneu Aguiar Pansani

A Síndrome da Imunodeficiência adquirida (AIDS) é uma infecção cujo agente etiológico é o vírus da imunodeficiência humana (HIV). Esta doença caracteriza-se por imunossupressão profunda, principalmente dos linfócitos T CD4, levando ao surgimento de diversas infecções oportunistas. A transmissão do vírus HIV é influenciada por diversas variáveis e as três formas principais de transmissão são: através do contato perinatal de mães infectadas para suas crianças (transmissão vertical), através de contato sexual e da exposição ao sangue e produtos sangüíneos infectados. Dentre as infecções oportunistas, as manifestações orais aparecem como um dos primeiros sintomas clínicos sendo as mais freqüentes: candidose, Sarcoma de Kaposi, leucoplasia pilosa, infecção pelo herpes simples e quelite angular. Essas lesões, não ocorrem somente, devido ao baixo número de linfócitos T CD4, mas também, pela presença de xerostomia e pela ausência de terapia anti-retroviral. Este trabalho objetiva a abordagem de algumas manifestações orais associadas à infecção pelo HIV, salientando importância de uma adequada correta anamnese e exame clínico, para o diagnóstico e tratamento precoce, impedindo a disseminação de lesões de origem infecciosa para outras regiões do organismo. Palavras-chave: Síndrome da Imunodeficiência Adquirida; criança; manifestações bucais.
56 - Grade palatina no tratamento da mordida aberta anterior dentária

Débora da Silva Lopes Salles, Dirceu Barnabé Ravelli, Luana Paz Sampaio Dib, Savana de Alencar Maia, Denise Rocha Goes

A mordida aberta anterior é uma das más oclusões de maior comprometimento estético-funcional, caracterizando-se pelo trespasse vertical negativo e dentes posteriores em oclusão. Sua etiologia é bastante variável, envolvendo hábitos bucais deletérios (sucção digital ou chupeta), amígdalas hipertróficas, respiração bucal, entre outros. O tratamento envolve uma abordagem multidisciplinar e depende da etiologia, idade de intervenção, bem como das características individuais de cada paciente. A mordida aberta anterior dentária geralmente apresenta prognóstico favorável, independente da mecanoterapia aplicada. Já a mordida aberta anterior esquelética requer o controle do crescimento vertical facial e a intrusão dos dentes posteriores, seja através de forças ortodônticas ou pelo reposicionamento das bases apicais, através da cirurgia ortognática. O objetivo deste trabalho é apresentar o caso clínico da paciente L.R., 9 anos, gênero feminino, que apresentava mordida aberta anterior dentária, associada à hábito de sucção de chupeta e que foi tratada com o auxílio da grade palatina fixa. Palavras-chave: Grade palatina; má oclusão; mordida aberta.
57 - Excelência estética com sistema resinoso contemporâneo

Débora Dramis Soares, Adriano Augusto Melo de Mendonça, Milko Villarroel, Maria Salete Machado Candido, Darlon Martins Lima

A Odontologia Restauradora, a cada dia, é desafiada a solucionar problemas estéticos. Inúmeras são as alternativas de resolução quando se tem o auxílio de materiais resinosos que em mãos adestradas dos profissionais odontológicos possibilitam transformações e correções sobre estruturas dentais comprometidas estética e funcionalmente. Desta maneira, o presente trabalho tem o objetivo de relatar um caso clínico onde foram confeccionadas facetas diretas com resina composta nos dentes ântero-superiores. Para tanto, todas as técnicas modernas de condicionamento ácido e aplicação de sistemas adesivos foram empregadas para obtenção de adequada adesão. Para reconstrução dos dentes anteriores, o sistema Opallis no matiz A com saturação 1, 2 e 3 foram empregados além da resina de efeito (incisal neutral). Ao final de todos os incrementos posicionados, os procedimentos de acabamento e polimento com auxílio de pontas diamantadas, discos Sof-lex e de feltro foram realizados para que se obtivesse a devolução de forma, contorno, textura, função e estética. Palavras-chave: Resina composta; facetas diretas; estética.
58 - Aparelho de avanço mandibular: uma alternativa para o controle da apnéia obstrutiva do sono

Denise de Souza Matos, Carolini Satiko Tanaka, Ana Elisa Plácido Moya, Daniela Aparecida de Godoi Gonçalves, Andréa Azevedo Lazarin, Cinara Maria Camparis


A apnéia é caracterizada por episódios recorrentes de obstrução das vias aéreas superiores durante o sono com duração mínima de 10 segundos e pode classificar-se em apnéia obstrutiva, central e mista. Entre os fatores associados à síndrome da apnéia obstrutiva do sono temos algumas características craniofaciais predisponentes, tais como retrusão mandibular, macroglossia, amígdalas hipertróficas, além dos fatores de risco como a obesidade, idade, ingestão de medicamentos miorrelaxantes e o tabagismo. A prevalência é de 9% em homens e 4% em mulheres e nos homens a faixa etária mais atingida é dos 40-60 anos e, nas mulheres, após a menopausa, podendo afetar também crianças e adolescentes. A síndrome é caracterizada como uma doença multifatorial e o tratamento é multidisciplinar, havendo diversas possibilidades como a eliminação de fatores de risco, intervenções farmacológicas, tratamento cirúrgico ou ainda a utilização de aparelhos intrabucais. O presente trabalho tem como objetivo realizar uma revisão de literatura e relatar um caso clínico em que foi utilizado o aparelho de avanço mandibular para o controle da apnéia obstrutiva do sono. Palavras-chave: Apnéia; sono; terapia.
59 - Contribuição do projeto missionário “Uma Semana pra Jesus” no aprendizado de acadêmicos em odontologia

Edileuza do Socorro Honório Caixeta, Hellen Cássia dos Santos Siqueira, Valquiria Rezende da Silva, Janaína Câmara Zambelli, Victor Gabriel Santos Ferreira, Lúcia Coelho Garcia Pereira

O 11º Projeto missionário “Uma Semana pra Jesus” foi um evento da Igreja Metodista onde voluntários doaram seu trabalho em prol da comunidade da cidade de São Gabriel do Oeste – MS envolvendo inclusive outros profissionais da área da saúde. O curso de odontologia da UniEVANGÉLICA ofereceu atendimento à população carente, contando com uma equipe de treze acadêmicos, um professor e dois técnicos. As atividades ocorreram em duas escolas municipais e o aprendizado diário foi relatado por meio de um questionário dirigido a fim de verificar a importância da extensão na formação profissional. Na análise das respostas obtidas pode-se observar que os acadêmicos tomaram como experiência a rapidez na busca de soluções diante dos problemas enfrentados, aumento da agilidade e capacidade técnica. O relacionamento com o paciente, o trabalho em equipe, a maior dinâmica nos procedimentos odontológicos e a prática de virtudes como a paciência também foram relatados. De forma geral, as atividades acadêmicas, seja na supervisão da escovação dental, prevenção bucal ou atendimento clínico, ações oferecidas pelo curso, muito puderam contribuir para o aprendizado técnico-científico e reavaliação dos valores humanos, melhorando a convivência social e a troca de saberes entre a universidade e a população. Palavras-chave: Relação comunidade-instituição.
60 - Possível participação da cartilagem de Meckel na morfogênese da mandíbula

Eduardo Buozi Moffa, Paulo Sérgio Cerri, Estela Sasso-Cerri

Estudos têm demonstrado que fatores de crescimento, oriundos de elementos condrogênicos, induzem a osteogênese. Com o objetivo de verificar uma possível participação da cartilagem na formação óssea, foi proposto avaliar as mudanças morfológicas que ocorrem na cartilagem de Meckel (CM) e no osso mandibular (OM) durante a morfogênese. Cabeças de embriões de galinha com 7, 9, 11,15 e 19 dias foram processadas para inclusão em parafina. Nos cortes corados com Alcian Blue e Picrosírus foram obtidas: a densidade de volume do OM (VvOM), bem como a área e número de condrócitos da CM. Nos embriões de 7 dias, foram observados vasos sangüíneos (VS) próximos à CM; a partir do 9º dia, trabéculas ósseas rodeando VS mostraram-se em progressivo desenvolvimento até o 19º dia, quando a CM mostrou evidentes características degenerativas. Do 9º-11º dia, foi verificado um aumento concomitante da VvOM (80%) e da CM (40%).A partir do 11º dia, a CM diminuiu gradativamente, reduzindo 50 % do 15º-19º dia, quando a VvOM mostrou um aumento de apenas 20%.A formação do OM ocorre por processo intramembranoso adjacente à CM e parece depender de fatores angiogênicos. Além da participação do mesênquima, os resultados sugerem que a CM, enquanto está estrutural e funcionalmente íntegra, deve exercer algum papel indutor sobre a osteogênese mandibular. Palavras-chave: Cartilagem; osteogênese; morfologia.
61 - Microabrasão de esmalte: opção de procedimento estético conservador na odontologia do Século XXI

Elaine Cristina Consolmagno, Adilson Yoshio Furuse, Leonardo Fernandes da Cunha, Rafael Francisco Lia Mondelli, José Mondelli

Procedimentos conservadores como clareamento dentário, remineralização e microabrasão de esmalte são citados na literatura para tratamento de pigmentações e hipoplasias de esmalte visando o menor desgaste possível da estrutura dentária. O objetivo deste trabalho é demonstrar a microabrasão do esmalte como alternativa no tratamento estético de manchas no esmalte. Além de conservador e de fácil execução, é um procedimento rápido, de baixo custo e com resultados muito satisfatórios. Paciente do gênero feminino, 22 anos, estava insatisfeita pela presença de finas linhas brancas opacas cruzando toda a superfície de seus dentes anteriores. Após exame clínico diagnosticou-se um grau “muito leve” de fluorose. Foi realizado isolamento absoluto do campo operatório; profilaxia; aplicação intermitente de pasta a base de pedra-pomes e ácido fosfórico em proporções iguais, por 10s, com borracha abrasiva em baixa rotação. Foram feitas duas aplicações com lavagem abundante dos dentes entre elas. Posteriormente, polimento dos dentes com disco de feltro e pasta para polimento e aplicação tópica de flúor fosfato acidulado, por 4 minutos. O resultado estético foi satisfatório, pois as finas linhas brancas opacas decorrentes da fluorose deixaram de ser visualizadas. Palavras-chave: Microabrasão do esmalte, estética dentária, hipoplasia do esmalte dentário.
62 - Desgaste de dentes permanentes pela microabrasão

Elcilaine Rizzato Azevedo, Luciana Monti Lima, Lourdes dos Santos-Pinto, Angela Cristina Cilense Zuanon

Microabrasão do esmalte consiste na remoção de manchas ou defeitos por meio do desgaste do esmalte pela abrasão mecânica provocada por agente abrasivo e erosão química por ação de um ácido. O objetivo deste estudo foi comparar o desgaste do esmalte após microabrasão realizada por método mecânico e manual associados à pasta composta de ácido fosfórico a 37% e pedra pomes. Dez 3º molares permanentes extraídos foram seccionados no sentido vestíbulo/lingual, fornecendo espécimes pareados para os 2 grupos experimentais: Grupo E (método manual – espátula plástica) e Grupo T (método mecânico – taça de borracha em baixa rotação). A microabrasão nas faces vestibulares foi realizada com 10 aplicações de 20s, intercaladas por 20s de lavagem em ambos os grupos. As medidas de espessura do esmalte, em lupa estereoscópica, antes e após o desgaste foram analisadas estatisticamente pelo teste T pareado. Os resultados demonstraram não haver diferença estatisticamente significante no desgaste de ambos os grupos (p=0,49). O Grupo E apresentou média de 304,74µm de desgaste (21,20% da espessura total do esmalte) e o Grupo T com média de 338,35µm de desgaste (23,62% da espessura total do esmalte). Pode-se concluir que ambas as técnicas podem ser indicadas, pois não apresentam diferenças entre si. Palavras-chave: Microabrasão do esmalte; esmalte; estética.
63 - Infiltração marginal em cavidades classe V: efeito de sistema adesivo e preparo cavitário

Elen Massaro Nunes, Darlon Martins Lima, Adriano Augusto Melo de Mendonça, Milko Villarroel, Taylane Soffener Berlanga de Araújo, Maria Salete Machado Candido

Este estudo analisou a influência de dois sistemas adesivos, e o tratamento das margens cavitárias no controle da microinfiltração marginal. Preparos classe V foram executados na face vestibular de 80 dentes bovinos, divididos em oito grupos: Grupo I:bisel em esmalte + Master Bond; Grupo II:bisel em esmalte + Clearfil SE Bond 2; Grupo III:ausência de bisel + Master Bond; Grupo IV:ausência de bisel + Clearfil SE Bond 2; Grupo V:ausência de bisel + Master Bond em sobre-contorno; Grupo VI:ausência de bisel + Clearfil SE Bond 2 em sobre-contorno; Grupo VII:bisel em toda extensão do ângulo cavo-superficial + Master Bond; Grupo VIII:bisel em toda extensão do ângulo cavo-superficial + Clearfil SE Bond 2. Concluiu-se que: a)os sistemas adesivos apresentaram estatisticamente o mesmo comportamento; b)existe diferença estatisticamente significante entre as técnicas de preparos utilizados sendo que os realizados nos Grupo I e Grupo II, nos Grupos VII e VIII, apresentaram comportamento semelhante e melhores resultados para redução da microinfiltração; c)os preparos do Grupo III e Grupo IV apresentaram maiores índices de microinfiltração, semelhantes aos Grupos V e VI; d)a região cervical apresentou maior nível de microinfiltração quando comparada com a região incisal. Palavras-chave: Adesividade; infiltração dentária; adesivos dentinários.
64 - Alta–rotação X sistema CVDentus: avaliação da consulta odontológica

Érika Botelho Josgrilberg, Murilo de Sousa Guimarães, Rita de Cássia Loiola Cordeiro

O sistema CVDentus sugere oferecer maior conforto e menor sensibilidade dolorosa ao paciente devido ao menor ruído e vibração entre outros. Comparamos este sistema com a Alta –rotação no tempo de consulta e na satisfação de 21 crianças entre 7-12 anos e portadoras de lesões de cárie oclusal nos dentes 16 e 26. A técnica de manejo “dizer-mostrar-fazer” foi utilizada em todas as consultas e a seqüência do tratamento foi padronizada alternando aleatoriamente apenas o sistema utilizado para a remoção da lesão. Esses pacientes demonstraram por meio da “escala facial” seu estado emocional antes e após o tratamento cujo tempo foi cronometrado. Embora sem diferença estatística significante, na análise descritiva observamos maior tempo de consulta quando utilizada alta-rotação quando comparada ao CVDentus (42,9% e 33,3%). Ao final da consulta 38,09% apresentou maior satisfação quando utilizado o Sistema CVDentus e 33,3% com o alta-rotação. Concluímos que o atendimento do paciente infantil não sofreu modificações com o uso da nova tecnologia. Palavras-chave: Tecnologia odontológica; ultra-som.
65 - Hemangioma cavernoso labial em criança: relato de caso clínico
Érika Dorigatti de Ávila, Marisa Aparecida Cabrini Gabrielli, Nicolau Conte Neto, Eduardo Hochuli Vieira
Hemangioma são tumores benignos da infância que se caracterizam por uma fase de crescimento rápido com proliferação de células endoteliais, ocorrendo em 10 a 12% das crianças com um ano de idade. Sua localização mais comum é nos lábios, na língua, mucosa jugal e no palato. Em geral, a ausência ao nascimento auxilia no diagnóstico diferencial de malformação vascular. Aproximadamente 50% dos casos de hemangioma mostram completa resolução e 90% deles resolvem-se até aos nove anos de idade. As complicações ocorrem em apenas 20% dos casos onde o problema mais comum é a ulceração com ou sem infecção. O tratamento depende da localização, do tamanho da lesão, da idade do paciente e de seu estágio evolutivo. A cirurgia, geralmente é indicada quando não há resposta aos tratamentos sistêmicos ou por razões estéticas, podendo ser empregada sob forma de exérese simples com ou sem plástica. Apresentaremos um caso de hemangioma cavernoso labial em uma criança de 04 anos de idade, que devido ao tamanho da lesão, foi submetido a 03 sessões de esclerose vascular e após estas sessões submetidas à exérese da lesão, com acompanhamento clínico de 04 anos de pós-operatório. Palavras-chave: Tumor benigno; hemangioma; tumor vascular.

66 - Cisto de erupção: características clínicas e abordagem terapêutica

Évelin Mabel do Couto Souza, Juliana Oliveira Gondim, Débora da Silva Lopes Salles, Elisa Maria Aparecida Giro

O cisto de erupção consiste em uma anomalia benigna associada a um dente em erupção. Esta alteração acomete apenas tecidos moles e caracteriza-se por retardar o irrompimento dentário, podendo ocorrer em dentes decíduos, permanentes e supranumerários. Este trabalho tem como objetivo relatar um caso clínico de dente associado à presença deste cisto odontogênico, abordando características clínicas, conduta terapêutica e a importância do conhecimento desta anomalia pelo cirurgião-dentista. O paciente apresentava a gengiva, na região correspondente ao incisivo central superior direito permanente em erupção, dilatada e azulada e relatava desconforto e dor. A ulectomia foi o tratamento de eleição e este procedimento envolve a anestesia local da mucosa gengival, incisão circunferencial em torno do bordo mesial do dente, exérese do tecido, exposição dental e hemostasia. Pode-se observar que a ulectomia é uma técnica cirúrgica que possibilita a livre erupção do dente retido, de fácil execução para o profissional e de rápida recuperação para o paciente. Palavras-chave: Cistos odontogênicos; dentição permanente; erupção dentária.

67 - Susceptibilidade de cepas ATCC e resistentes a fluconazol de C. glabrata à terapia fotodinâmica

Ewerton Garcia de Oliveira Mima, Livia Nordi Dovigo, Vanderlei Salvador Bagnato, Carlos Eduardo Vergani, Eunice Teresinha Giampaolo, Ana Cláudia Pavarina

A C. glabrata (Cg) é isolada de candidoses bucais recorrentes e apresenta resistência intrínseca a antifúngicos. A Terapia Fotodinâmica (PDT) tem sido indicada como uma alternativa aos antimicrobianos. Este estudo avaliou a efetividade da PDT na inativação de Cg, cepas ATCC e resistente a fluconazol (R), por meio da utilização do agente fotossensibilizador Photogem® (Fs) e da iluminação com LEDs azuis (L). Suspensões celulares das cepas foram transferidas para placas de orifícios, tratadas com cinco concentrações de Fs (2,5; 5; 10; 25 e 50 mg/L) e expostas a quatro doses de L (10,5; 18; 25,5 e 37,5 J/cm2). Suspensões adicionais foram tratadas somente com Fs ou L, (29 condições para cada cepa). O controle constitui-se de amostras que não receberam Fs nem L. Diluições seriadas das amostras foram plaqueadas em Agar Sabouraud. Após 48h a 37ºC, as colônias foram quantificadas. Os dados (ufc/mL) foram submetidos ao teste t de Student (p<0,05). Para a cepa ATCC, foi observada ausência de colônias viáveis após o tratamento com 10, 25 e 50 mg/L de Fs seguido de 37,5 J/cm2 de L. Sob a mesma dose de L, as cepas R foram inativadas somente com 25 e 50 mg/L de Fs. Foi concluído que todas as cepas foram inativadas em determinadas condições experimentais, e as cepas R foram menos susceptíveis a PDT. Palavras-chave: Cândida; fotoquimioterapia. FAPESP 05/02
68 - Análise microscópica do reparo tecidual em incisões com bisturi, termocautério e laser de Er-Yag em dorso de ratos

Fabiana Gomes Néspoli, Clóvis Monteiro Bramante, Ivaldo Gomes de Moraes, Norberti Bernardinelli, Roberto Brandão Garcia, Renato Menezes Silva

Avaliou-se o processo de reparo em incisões realizadas com bisturi, termocautério e laser de Er-YAG. Foram selecionados 5 ratos (Norvegicus, albinos) e após anestesia, tricotomia e anti-sepsia, três incisões foram realizadas em seu dorso, sendo as feridas cirúrgicas suturadas posteriormente. Aos 7 e 14 dias foram mortos 2 e 3 animais, respectivamente, para o processamento histológico (HE). Nas incisões realizadas com bisturi, aos 7 dias, notou-se uma espessa camada superficial com restos celulares e tecido de granulação subjacente. Aos 14 dias observou-se epitélio estratificado pavimentoso queratinizado e tecido de granulação. No reparo das incisões com termocautério, aos 7 dias a superfície apresentava-se ulcerada com micro abscessos e tecido de granulação subjacente rico em macrófagos e linfócitos. Aos 14 dias a região apresentou-se ulcerada, com volume aumentado e tecido de granulação. Para as incisões realizadas com laser observaram-se, ao 7° dia, superfície ulcerada com tecido amorfo, micro abscessos e tecido de granulação infiltrado principalmente por macrófagos. Aos 14 dias a área apresentava epitélio estratificado pavimentoso queratinizado e tecido de granulação. Concluiu-se que as incisões realizadas com bisturi apresentaram processo de reparo tecidual mais rápido e uniforme que as realizadas com laser.
69 - Projeto Comunidade Sorriso

Fabiano Jeremias, Sara Monteiro de Castro, Juliana Trosdorf Nogueira, Lígia Nunes de Moraes Ribeiro, Margareth da Mata, Denise de Souza Matos, Fernanda Lopez Rosell


Realizado junto às comunidades da Pastoral da Criança de Araraquara, criado em 2006, coordenado pela Profª Drª Fernanda L. Rosell e o acadêmico Fabiano Jeremias. Fundamenta-se na responsabilidade social, estreitando os laços entre Universidade-Comunidade, aprimorando o conhecimento acadêmico e promovendo troca de experiências. Promovido pelo DAFOA e Grupo PET, consiste em visitas mensais por uma equipe (coordenadores e acadêmicos voluntários) da FOAr-UNESP. Atividades de entretenimento e informação relacionadas à saúde bucal são realizadas de forma interativa e motivadora a crianças, gestantes e mães, demonstrando a importância da promoção de saúde, através de linguagem e recursos adequados às necessidades de saúde destas comunidades. Exames clínicos são realizados para detecção e prevenção de doenças bucais com entrega de folhetos informativos e encaminhamento para as Clínicas da Faculdade. As crianças aprendem a cuidar da saúde bucal através de atividades lúdicas e ao término destas, recebem um Kit de higiene bucal para escovação supervisionada. Este projeto propicia aos acadêmicos a vivência da realidade de saúde bucal das comunidades, atuando como agentes promotores de saúde, estimulando a responsabilidade enquanto cidadãos e promovendo o crescimento pessoal e profissional. Palavras-chave: Pastoral da criança; promoção de saúde bucal.
70 - Procedimentos protético-periodontais para otimização da estética em implantodontia

Fabiano Perez, João Gustavo Rabelo Ribeiro, Luciano Pedrin Carvalho Ferreira, José Cláudio Martins Segalla


O fator estético tem sido, dentro da odontologia atual, o principal motivo que faz com que os pacientes busquem tratamentos restauradores. Dentro deste conceito, é extremamente importante que o profissional atente-se não somente ao material restaurador utilizado, mas também a uma estética mais ampla, como o aspecto de normalidade e saúde dos tecidos moles adjacentes à restauração. Em casos de próteses unitárias anteriores sobre implantes, esses aspectos ganham ainda maior importância, devido às dificuldades e limitações que, muitas vezes, estão envolvidas. O caso clínico apresentado mostra uma abordagem que priorizou a estética desde o momento da reabertura do implante, sendo que o desenho do retalho e a colocação imediata de uma coroa provisória, proporcionaram um condicionamento estético adequado dos tecidos periimplantares e formação de papilas interproximais. Depois disso, foi utilizado um pilar protético e coroa PROCERA, os quais promovem melhores características estéticas devido às suas propriedades ópticas. Palavras-chave: Porcelana dentária; implante dentário; estética dentária.


Compartilhe com seus amigos:
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande