Avaliação clínica e de resistência insulínica do tratamento periodontal em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2



Baixar 41.92 Kb.
Encontro29.11.2017
Tamanho41.92 Kb.



Avaliação clínica e de resistência insulínica do tratamento periodontal em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2
Bruna Martinazzo Bortolini (PIBIC/CNPq/Unioeste), Patricia Oehlmeyer Nassar (Orientador), e-mail: ponassar@yahoo.com
Universidade Estadual do Oeste do Paraná/Centro de Ciências Biológicas e da Saúde/Cascavel, PR
Grande área e área: Ciências da Saúde – Odontologia
Palavras-chave: Diabetes mellitus tipo 2, tratamento periodontal básico, inflamação.
Resumo
A destruição periodontal abrupta e a periodontite mais severa são observadas em indivíduos com diabetes não-controlada comparado com indivíduos com níveis de glicose sangüíneos bem controlados. O objetivo desta pesquisa foi avaliar e comparar o efeito clínico e da resistência insulínica, do tratamento periodontal básico em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 moderadamente compensados (MC) e descompensados (D), através dos parâmetros clínicos de profundidade de sondagem (PS), nível clínico de inserção (NI), fluido crevicular gengival (FCG) e tratamento atual do diabetes em adultos entre 25 e 75 anos. 20 pacientes foram distribuídos em 2 grupos, sendo 10 MC e 10 pacientes D. Os pacientes foram submetidos à avaliação clínica odontológica através de anamnese e questionário específico e ao tratamento periodontal básico. Eles foram avaliados por um período total de 9 meses, sendo que os exames clínicos e de FCG foram realizados nos períodos de 0, 3, 6 e 9 meses. Os resultados mostraram que no grupo de pacientes MC houve uma diminuição significativa tanto da PS quanto do NI ao final dos 9 meses. Já no grupo de pacientes D não houve uma mudança significativa destes parâmetros ao final deste período. Em relação ao FCG, os resultados mostraram que no grupo de pacientes MC a quantidade de fluido não se alterou, enquanto que no grupo de pacientes D houve um aumento significativo desta quantidade. Podemos concluir, portanto, que os pacientes com diabetes tipo 2 moderadamente compensados têm uma resposta mais favorável ao tratamento periodontal básico do que os pacientes descompensados.
Introdução

Diabetes mellitus tipo 2 é caracterizada pela função prejudicada da insulina devido a alterações nas moléculas de insulina e/ou os seus receptores celulares, é o tipo mais prevalente de diabetes mellitus entre a meia-idade (Santos et al., 2010).

A periodontite, uma doença inflamatória crônica comum, é causada pela infecção por gram-negativos e caracterizada pela formação de bolsa periodontal, perda de inserção de tecido conjuntivo e reabsorção óssea alveolar, que pode resultar em perda do dente (Sun et al., 2011). Vários estudos têm demonstrado que a prevalência da progressão e gravidade das doenças periodontais são superiores em indivíduos diabéticos quando comparado com os não-diabéticos, apoiando o diabetes mellitus como um fator de risco para periodontite (Santos et al., 2010). A destruição periodontal abrupta e a periodontite mais severa são observadas em indivíduos com diabetes não-controlada comparado com indivíduos com níveis de glicose sangüíneos bem controlados (Lee et al 2009).

Os marcadores de inflamação, que são comuns ao diabetes e a periodontite são uma indicação de controle da doença. O início e progressão de uma lesão inflamatória nos tecidos periodontais está positivamente associado com o fluxo de fluido crevicular gengival a partir do sulco gengival ou bolsa periodontal. Embora a relação clínica entre periodontite e diabetes mellitus esteja bem estabelecida, poucos estudos têm focado na resposta imunoinflamatória em sítios com periodontite em indivíduos com diabetes mellitus (Santos et al., 2010). Assim, o objetivo desta pesquisa foi de avaliar e comparar o efeito clínico e da resistência insulínica, do tratamento periodontal básico em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 moderadamente compensados e pobremente compensados, através dos parâmetros clínicos de profundidade de sondagem e nível clínico de inserção, fluido crevicular gengival e índice de massa.




Materiais e Métodos

Foram selecionados 20 pacientes, com faixa etária de 25 a 75 anos, sendo 10 portadores de Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) moderadamente compensados (MC) e 10 pacientes portadores de DM2 descompensados (D). Todos os pacientes foram submetidos ao tratamento periodontal básico. Como critérios de inclusão em ambos os grupos, os pacientes deveriam apresentar periodontite crônica moderada a severa, localizada ou generalizada, com pelo menos 4 sítios com profundidade de sondagem acima de 5mm e nível de inserção clínica maior ou igual a 4mm, não no mesmo dente, com sangramento à sondagem e inflamação gengival. No grupo I os pacientes deveriam ser portadores de DM2 MC (HbA1c < 8%). No grupo II os pacientes deveriam ser portadores de DM2 D (HbA1c > 8%). Como critérios de exclusão os pacientes deveriam apresentar história positiva nos últimos seis meses de antibioticoterapia de largo espectro, antiinflamatórios esteróides, anticoagulantes e imunossupressores, nos três meses antecessores ao estudo; história positiva de gestação ou amamentação; história positiva de qualquer tipo de problema sistêmico grave; história positiva de tratamento periodontal nos últimos 6 meses.


Avaliação clínica odontológica

1- Profundidade de sondagem (PS): distância do fundo de sulco até a margem gengival em seis pontos de cada dente. 2- Nível de inserção clínica (NI): também determinado nos mesmos pontos da profundidade de sondagem.



Dados do Diabetes:

Foi levantado o tempo de início e tratamento atual do diabetes.



Diagnóstico de Resistência a Insulina

a- IMC > 28,7 Kg/m2 ou b- IMC > 27 Kg/m2 e história familiar de diabetes



Análise do Fluido Crevicular Gengival (FCG)

Foram realizadas duas coletas por dente com tiras de papel filtro de 2x15mm; A área deveria estar seca com o biofilme dental removido, inseridas abaixo da margem gengival por 30 segundos. As tiras de papel foram colocadas imediatamente em solução alcoólica de ninhidrina a 0,2%. As tiras foram fotografadas e analisadas com um programa computador (Image Pro Plus®) para determinação da quantidade de fluído absorvido em mm2 (Lagos et al., 2011).

Após o exame clínico inicial, os pacientes foram divididos aleatoriamente em 2 grupos, de acordo com O QUADRO 1.

QUADRO 1: Distribuição dos 20 pacientes de acordo com os tratamentos propostos



Grupo 1: DM2 MC


Instrução e motivação de higiene oral. Raspagem supra e subgengival. Alisamento radicular e polimento coronário

controle mecânico (Técnica de Bass modificada+fio dental).

Terapia de manutenção

Grupo 2: DM2 D

Instrução e motivação de higiene oral. Raspagem supra e subgengival. Alisamento radicular e polimento coronário

controle mecânico (Técnica de Bass modificada+fio dental).

Terapia de manutenção

O tratamento consistiu de instrução e motivação de higiene oral, raspagem supragengival e subgengival, alisamento radicular e polimento coronário. Os pacientes foram avaliados por um período total de 9 meses, sendo que as avaliações clínicas e as coletas do fluido foram realizados nos períodos de 0, 3, 6 e 9 meses. Análise estatística: Os dados obtidos foram analisados e avaliados através dos testes ANOVA um critério, com nível de significância de 5%.

Resultados e Discussão

A tabela 1 mostra as médias da PS e do NI dos 4 períodos dos 2 grupos de acordo com o quadro 1. Os resultados da avaliação clínica mostraram que no grupo de pacientes MC houve uma diminuição significativa tanto da PS quanto do NI ao final dos 9 meses. Já no grupo de pacientes D não houve uma mudança significativa destes parâmetros ao final do período experimental, sugerindo uma resposta deficiente destes pacientes ao tratamento periodontal básico







Tabela 1. Valores da PS e NI em ambos os grupos nos períodos de 0, 3, 6 e 9 meses. Os valores representam média ± desvio padrão. Os resultados são expressos em milímetros.










Profundidade

de Sondagem

Nível de

Inserção




Grupo MC

Grupo D

Grupo MC

Grupo D

1º exame (0)

1,9 + 0,2 A

2,3 + 0,04 A

2,0 + 0,3 A

2,9 + 0,1 A

2º exame(3 meses)

1,7 + 0,1 B

2,1 + 0,1 B

1,8 + 0,2 AB

2,4 + 0,1 B

3º exame(6 meses)

1,2 + 0,01C

1,9 + 0,6 B

1,2 +0,06 C

2,3 +0,05 C

4º exame(9 meses)

1,6 ± 0,3 B

2,4 ± 0,5A

1,7 ± 0,3B

3,2 ± 0,8 A




Letras diferentes, (p<0,05) dados diferentes estatisticamente dentro de um mesmo grupo.

Dados do Diabetes

Os dados analisados mostraram que 57,1% faziam tratamento apenas com antidiabéticos orais, 7,1% faziam tratamento somente com insulina, 7,1% antidiabéticos orais e insulina e 28,7% faziam apenas o regime alimentar. 60% destes pacientes não tiveram mudança no regime de tratamento durante o período da pesquisa, 40% tiveram, sendo que a maioria teve aumento da dose. Apenas 1 paciente passou a controlar somente por alimentação e 1 foi por motivo de alergia.



Diagnóstico de Resistência à Insulina

33,3% dos pacientes apresentaram diagnóstico de resistência a insulina (IMC>28,7), enquanto 66,7% não apresentaram diagnóstico de resistência à insulina.



Análise do Fluido Crevicular Gengival

A tabela 2 mostra as médias da quantidade do FCG medido por área dos 4 períodos dos 2 grupos de acordo com o quadro 1. Os resultados mostraram que no grupo de pacientes MC a quantidade de fluido não se alterou ao final de 9 meses, enquanto que no grupo de pacientes D houve um aumento significativo da quantidade de fluido sugerindo que realmente o paciente diabético descompensado não tem uma boa resposta ao tratamento periodontal básico.






Tabela 2. Valores da Área do FCG. Os valores representam média + desvio padrão. Os resultados são expressos em pixels ao quadrado.




Grupo MC

Grupo D




1º exame (0)

6086,8 + 351,4 A

5681,6 + 144,4 A




2º exame (3 meses)

4648,4 + 281,3 B

4513,4 + 157,0 B




3º exame (6 meses)

4133,5 + 314,1C

4119,4 + 107,9 C




4º exame (9 meses)

5709,5 + 483,3A

6383,16 + 198,5D




Letras diferentes, (p<0,05) dados diferentes estatisticamente dentro de um mesmo grupo.

Conclusões

Podemos concluir, portanto, que os pacientes com diabetes tipo 2 moderadamente compensados têm uma resposta mais favorável ao tratamento periodontal básico do que os pacientes descompensados.


Agradecimentos

Agradecemos ao CNPq e à Unioeste pelo apoio na realização deste trabalho.


Referências

Lagos, m.l.p; Sant’Ana, a.c.p.; Greghi, s.l.a.; Passanezi, e. Keratinized Gingiva Determines a Homeostatic Behavior of Gingival Sulcus through Transudation of Gingival Crevice Fluid. International Journal of Dentistry, doi: 10.1155/2011/953135. Epub 2011 Nov 15, 2011.



Catálogo: eventos -> eaicti -> eaictiAnais -> arquivos
arquivos -> Avaliação do efeito da clorexidina e do hipoclorito de sódio na cimentação adesiva de pinos – estudo in vitro
arquivos -> Análise clinicopatológica de tumores malignos de glândula salivar provenientes de uma casuística de Cascavel (PR) diagnosticados entre os anos de 2001 a 2015
arquivos -> Análise morfométrica dos tecidos gengivais de ratos castrados e com periodontite experimental
arquivos -> Eletrodo de hidroxiapatita para determinação de matéria orgânica
arquivos -> Aplicabilidade da acupuntura auricular no controle da dor, depressão e incapacidade em pacientes portadores de disfunção temporomandibular
arquivos -> Avaliação clínica comparativa entre duas técnicas cirúrgicas para recobrimento radicular em classes I e II de Miller
arquivos -> Análise do conhecimento a respeito da psiconeuroimunologia e do uso da abordagem holística pelos enfermeiros do município de Foz do Iguaçu-pr na prática diária
arquivos -> Estudo morfométrico do plexo submucoso do jejuno de ratos em modelo experimental de câncer tumor de Walker-256
arquivos -> Avaliação da compactação do solo em sistema semeadura direta submetido ao trafego de conjuntos de transbordos graneleiros
arquivos -> Cateter central de inserção periférica: análise do uso na unidade de tratamento intensivo neonatal do Hospital Universitário do Oeste do Paraná


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande