Artículo original



Baixar 21.92 Kb.
Encontro02.07.2019
Tamanho21.92 Kb.

Texto de apoio ao curso de Especialização

Atividade Física Adaptada e Saúde


Prof. Dr. Luzimar Teixeira
Óxido Nítrico e Asma

O óxido nítrico possui pelo menos quatro ações a nível pulmonar: como vasodilatador, broncodilatador, transmissor não colinérgico, não adrenérgico e como mediador inflamatório 41, 42.

 


  • Papel do óxido nítrico como vasodilatador

Existe uma síntese contínua de óxido nítrico nos vasos pulmonares o qual desempenha um papel importante na manutenção do fluxo sangüíneo e na relação ventilação/perfusão. A diminuição da liberação do óxido nítrico pode estar relacionada a vasoconstrição pulmonar hipóxica. Entretanto, altas concentrações de óxido nítrico podem ocasionar efeitos adversos na permeabilidade capilar resultando em edema e extravasamento de fluidos. Em condições inflamatórias pulmonares como na asma a indução da óxido nítrico sintetase a nível endotelial e epitelial pode contribuir com a hiperemia da mucosa, estreitamento das vias aéreas e broncoconstrição.

 


  • Papel do óxido nítrico como broncodilatador

Na asma as altas concentrações de óxido nítrico produzida pela indução da óxido nítrico sintetase pode suprimir a atividade da óxido nítrico sintetase constitucional e ocasionar um aumento da concentração de calcio intracelular com constrição da via aérea. Altas concentrações de óxido nítrico produzem através da óxido nítrico sintetase induzível uma diminuição da atividade da óxido nítrico sintetase constitucional. Na asma o epitélio é freqüentemente lesado o qual pode também alterar a produção de óxido nítrico pela óxido nítrico sintetase constitucional podendo contribuir com o broncoespasmo. É provável que a deficiência de produção endógena do óxido nítrico após uma infecção viral seja devida a uma disfunção da óxido nítrico sintetase constitucional. O efeito do óxido nítrico como broncodilatador em humanos tem sido desapontador. Altas concentrações de óxido nítrico ( > que 20.000 partes por bilhão) ocasionam um aumento da resistência de vias aéreas em indivíduos sadios.

 


  • Papel do óxido nítrico como neurotransmissor

Existem evidências de que o óxido nítrico possa ter uma função de neurotransmissor pela inibição das vias nervosas não adrenérgicas, não colinérgicas ou purinérgicas.

 


  • Papel do óxido nítrico como mediador inflamatório

Os macrófagos expressam a óxido nítrico sintetase induzível após a exposição a citocinas, particularmente ao fator de necrose tumoral alfa, interferon gama e interleucina 1 beta, bem como as endotoxinas. Portanto, o óxido nítrico contribui para este efeito citotóxico. A atividade citotóxica dos macrófagos bem como do nitrito e nitrato formados são bloqueadas pela inibição da óxido nítrico sintetase induzível pela utilização de glicocorticóides.

As maiores evidências da importância do óxido nítrico na asma foram demonstradas através do estudo de Kharitonov S.A. et al, 1994 43, avaliando a concentração de óxido nítrico no ar expirado através da medida por quemiluminescência. Observou-se um aumento significante nos pacientes com asma que não utilizavam corticóide por via oral ou inalatório comparativamente aos pacientes controles e aos pacientes em tratamento com corticóide. A concentração de óxido nítrico no ar exalado foi reduzida pela inalação de um análogo da arginina (L-NMMA - NG - monometil - L - arginina) o qual inibe a síntese de óxido nítrico. Entretanto, a inibição da via inflamatória do óxido nítrico na asma ainda necessita de mais estudos.

 

Referências Bibliográficas

 

1 - Center for Disease Control. Asthma mortality and hospitalization among children and young adults-United States, 1980 – 1993. MMWR 1996, 45:350-3.



2 - Qureshi F. Management of children with acute asthma in the emergency department. Ped Emerg Care 1999, 15:206-14.

3 - Cohen NH, Eigen H, Shaughnessy TE. Status asthmaticus. Crit Care Clin 1997, 13:459-76.

4 - Carvalho, WB,; Oliveira NF: Estado de mal asmático. In: Matsumoto, T.; Carvalho WB; Hirschheimer MR: Terapia Intensiva Pediátrica – 2ª edição. São Paulo, Atheneu, 1997, p 301-314.

5 - Burns J: Update on the management of acute severe asthma in the pediatric patient. Current concepts in Pediatric Critical Care 1999, p 79-89.

6 - Shapiro GG, Furukawa CT, Pierson WE, et al. Double-blind evaluation of methylprednisolone versus placebo for acute asthma episodes. Pediatrics 1983, 71:510-14.

7 - Younger RE, Gerber PS, Herrod HG, et al, Intravenous methylprednisolone efficacy in status asthmaticus of childhood. Pediatrics 1987, 80:225-30.

8 - Tal A, Levy N, Bearman JE, et al. Methylprednisolone therapy for acute asthma in infants and toddlers: A controlled clinical trial. Pediatrics 1990, 86:350-6.

9 - Nelson HS. Adrenergic therapy of bronchial asthma. J Allergy Clin Imunol 1986, 77:771-85.

10 - Tal A, Pasterkamp H, Leahy F. Arterial oxygen desaturation following salbutamol inhalation in acute asthma. Chest 1984, 86:868-9.

11 - Maury E, Ioos V, Lepecq B, et al. A paradoxal effect of bronchodilators. Chest 1997, 111:1766-7.

12 - Partridge MR, Saunders KB. Site of action of ipratropium bromide and clinical and physiological determinants of response in patients with asthma. Thorax 1981, 36:530-3.

13 - Bryant DH, Rogers P. Effect of ipratropium bromide nebulizer solution with and without preservatives in the treatment of acute and stable asthma. Chest 1992, 102:742-7.

14 - National Asthma Education and Prevention Program. Expert Panel Report II: Guidelines for the diagnosis and management of asthma. Bethesda, MD. National Heart, Lung, and Blood Institute, February 1997 NIH nº 97-51A.

15 - Weinberger M, Hendeles L. Theophylline in asthma. N Engl J Med 1996, 334:1380-8.

16 - Ciarallo L, Sauer AH, Shannon MW. Intravenous magnesium therapy for moderate to severe pediatric asthma: results of a randomized, placebo controlled trial. J Pediatr 1996, 129:809-14.

17 - Bloch H, Silverman R, Mancherje N, et al. Intravenous magnesium as an adjunct in the treatment of acute asthma. Chest 1995, 107:1576-81.

18 - Mills R, Leadbeater M, Ravalia A . Intravenous magnesium sulfate in the management of refractory bronchospasm in a ventilated asthmatic. Anaesthesia 1997, 52:782-5.

19 - Green SM, Rothrock SG. Intravenous magnesium for acute asthma: failure to decrease emergency treatment duration need for hospitalization. Ann Emerg Med 1992, 21:260-5.

20 - Tiffany BR, Berk WA, Todd IK, et al, Magnesium bolus or infusion fails to improve expiratory flow in acute asthma exacerbations. Chest 1993, 104:831-4.

21 - Scarfone RJ, Loiselle JM, Joffe MD, et al. Magnesium sulfate in the emergency department treatment of acute asthma in children. Pediatrics 1998, 102S:711.

22 - Scarfone RJ, Loiselle JM, Joffe MD, Mull CC, Stiller S, Thompson K, Gracely EJ. A randomized trial of magnesium in the emergency department treatment of children with asthma. Ann Emerg Med 2000, 36:572-8.

23 – Spivey WH, Sicobeloff EM, Levin RM. Effect of magnesium chloride on rabbit bronchial smoth muscle . Ann Emerg Med 1990; 19:1107-12.

24 - Anderson M, Svartengren M, Bylin G, et al. Depositons in asthmatics of particles inhaled in air or in helium-ogygen. Am Rev Respir Dis 1993, 147:524-8.

25 - Green SM, Johnson NE. Ketamine sedation for pediatric procedures: Part 2, Review and implications. Ann Emerg Med 1990, 19:1033-46.

26 - Saulnier FF, Durocher AV, Deturck RA, Lefébvre MC, Wattel FE. Respiratory and hemodynamic effects of halothane in status asthmaticus. Inte Care Med 1990, 16:104-7.

27 - Schwartz SJ. Treatment of status asthmaticus with halothane. JAMA 1984, 251:2688-9.

28 - Bierman M, Brown M, Muren O, et al. Prolonged isoflurane anesthesia in status asthmaticus. Crit Care Med 1986, 14:832-3.

29 - Parnass S, Feld J, Chamberlin W, Segil L. Status asthmaticus treated with isoflurane and enflurane. Anesth Analg 1987, 66:193-5.

30 - Maltais F, Sovilj M, Goldberg P et al. Respiratory mechanics in status asthmaticus. Effects of inhalational anesthesia. Chest 1994; 106:1401-6.

31 - Shivaram U, Miro AM, Cash ME, et al: Cardiopulmonary responses to continuous positive airway pressure in acute asthma. J Crit Care 1993, 8:87.

32 - Meduri GU, Cook TR, Turner RE, Cohen M, Leeper KV: Noninvasive positive pressure ventilation in status asthmaticus. Chest 1996, 110:767-74.

33 - Darioli R, Perret C: Mechanical controlled hypoventilation in status asthmaticus. Am Rev Respir Dis 1984, 129:385-7.

34 - Tuxen DV. Permissive hypercapnic ventilation. Am J Respir Crit Care Med 1994, 150:870-4.

35 - Bellomo R. Mclaughlin P.; Tai E.; et al: Asthma requiring mechanical ventilation. A low morbidity approach. Chest 1994,105:891-6.

36 - Tuxen D.V.; Lane S.: The effects of ventilatory pattern on hyperinflation, airway pressures, and circulation in mechanical ventilation of patients with severe air-flow obstruction. Am Rev Respir Dis 1987, 136:872-9.

37 - Kuppfer Y.; Okreut D.G.; Twersky R.A.; et al.: Disuse atrophy in a ventilated patient with status asthmaticus receiving neuromuscular blockade. Crit Care Med 1987, 15:795.

38 - Douglass J.A.; Tuxen D.V.; Horne M.; et al: Myopathy in severe asthma. Am Rev Respir Dis 1992,146:517-9.

39 - Leatherman JW, Fluegel WL, David WS, et al. Muscle weakness in mechanically ventilated patients with severe asthma. Am J Crit Care Med 1996, 153:1686-90.

40 - Behbehani NA, Al-Mane F, D’yachkova Y, Pare P, Fitzgerald JM: Myopathy following mechanical ventilation for acute severe asthma: the role of muscle relaxants and corticosteroids. Chest 1999, 115:1627-31.

41 - Ashutosh K: Nitric oxide and asthma: a review. Curr Opinion Pulm Med 2000; 6:21-5.



42 - DeNicola LR, Kissoon N, Duckworth LJ, Blake KV, Murphy SP, Silkoff PE. Exhaled nitric oxide as an indicator of severity of asthmatic inflammation Ped Emerg Care 2000, 16:290 –5.

43 - Kharitonov SA, Yates DH, Robbins RA, Logan-Sinclair R, Shinebourne EA, Barnes PJ. Increased nitric oxide in exhaled air of asthmatics. Lancet 1994, 343:133-5.
Catálogo: wp-content -> uploads -> 2009
2009 -> Faculdades Metropolitanas Unidas – fmu
2009 -> Se você está se preparando para ser mamãe, inclua uma avaliação do seu estilo de vida e de seu companheiro para garantir que vocês dois estão no melhor momento físico e mental para que isso aconteça
2009 -> Exame físico geral
2009 -> Termo de ciência e consentimento
2009 -> Este manual tem por finalidade possibilitar aos nao especialistas diagnosticar e tratar de uma maneira correta as cefaleias. Para tal, apos uma breve revisao dos quadros clinicos menciona-se as possibilidades terapeuticas
2009 -> O que é Plasticidade Cerebral
2009 -> O ouvido, órgão responsável pela audição, está dividido em três partes: ouvido externo, ouvido médio e ouvido interno
2009 -> Trauma ao Nascimento
2009 -> Texto de apoio ao curso de Especialização
2009 -> Unaerp universidade de Ribeirão Preto-Campus Guarujá


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande