Ano/semestre: 2012/1 curso: História fase: 3



Baixar 73.19 Kb.
Encontro07.10.2019
Tamanho73.19 Kb.


Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Centro de Ciências Humanas e da Educação – FAED




PLANO DE ENSINO


  1. DEPARTAMENTO:


História

ANO/SEMESTRE:

2012/1
  1. CURSO:


História

FASE: 3a.




DISCIPLINA:

Prática Curricular Imagem e Som I

TURNO: Vespertino




CARGA HORÁRIA:

144h

CRÉDITOS: 8




PROFESSOR(A):

Michele Bete Petry e Rafael Hagemeyer
      1. 1 EMENTA


Formas contemporâneas de expressão da imagem. Fontes visuais, história visual. O som e seus sentidos. Formas de registro e difusão sonoras. Projeto de história visual e/ou expressão sonora em instituição escolar.


      1. 2 HORÁRIO DAS AULAS

                  1. DIA DA SEMANA

        HORÁRIO

        CRÉDITOS

        Sexta-feira

        13h30/17h50

        4

        Créditos (4h) a cumprir no espaço do Laboratório de Imagem e Som e nas Instituições Escolares

        Durante a semana no LIS e em horário a definir nas escolas ou outras Instituições

        4

      2. 3 OBJETIVOS



3.1 OBJETIVO GERAL

Capacitar o aluno a produzir meios de narrativa histórica para além da produção textual.


3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Capacitar o aluno a utilizar artefatos didáticos visuais e auditivos em sala de aula para o ensino de História.

Estimular a reflexão crítica para perceber e identificar o anacronismo das produções de reconstituição histórica (atlas históricos, gráficos, música, filmes de ficção e documentário), contextualizando-os devidamente.

Promover a produção de narrativas e conhecimento na área de história utilizando-se de mídia digital audiovisual e sonora .

Projetar e implementar projetos culturais utilizando-se destas linguagens, destinados a escolas, associações, empresas e outras instituições.




      1. 4 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


Unidade 1: A imagem estática: gravuras, pinturas e fotografias na construção da história.

Unidade 2: Projeto; levantamento de fontes, discussão teórica e metodologia.

Unidade 3: O audiovisual: ficção, documentário e gêneros híbridos de vídeo-história.

Unidade 4: Roteiro e edição: o plano, a montagem e a ideia de História.






      1. 5 METODOLOGIA


Aulas expositivas e dialogadas.

Atividades em grupos/dinâmicas

Oficinas relacionadas à produção, captura, edição e difusão de imagem e som.

Elaboração de podcasts

Avaliações individuais e de grupo.

Elaboração de Projeto Cultural.





      1. 6 CRONOGRAMA DAS AULAS

            1. Mês

Dias

Fevereiro

17 – Apresentação da disciplina e do Plano de Enisno.

24 – Organização de equipes, projetos e campos de estágio.



Março



02 – Introdução à pesquisa com Imagem e Som

Avaliação de produções anteriores na disciplina – Relatório de questões

09 – A Pesquisa iconográfica e a Escola de Viena

Fichamento iconográfico e crítica das fontes

16 – Metodologia de elaboração de projetos

23 – Feriado Florianópolis

30 - A produção videográfica: a fotografia e o audiovisual

Animação de imagens




Abril

.


06 – O rádio: música, notícia e História

Pesquisa e produção musical, narração e dramatização

13 – Sexta-feira Santa

20 – A História documental: fontes e indícios

Roteiro de Documentário e gravação de entrevistas

27 – Prova




Maio

04 – A Ficção histórica: o limite do verossímil

Roteiro de ficção histórica

11 – História e teatro: a reencenação da História

Dramatização e cenário

18 – História e narração: contando a história

Gravação em estúdio

25 – Edição das imagens: ritmo e seqüência de argumentos

Edição de vídeo



Junho

01 – Edição do som: sincronização e ambientação sonora

Edição de áudio

08 – Recesso Corpus Christi

15 – Finalização dos trabalhos

22 – Apresentação dos produtos audiovisuais e dos projetos

29 – Finalização e entrega dos projetos




Observação importante

Parte significativa das atividades práticas será realizada no contra-turno, durante a sexta-feira ou no sábado pela manhã.



      1. 7 AVALIAÇÃO


ATIVIDADE

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

PESO

Avaliação individual – prova



Clareza, objetividade, coerência na argumentação e referência à bibliografia discutida no curso.


2.0


Processo de elaboração de projeto



Adequação formal do projeto, atenção aos prazos e às correções solicitadas, exeqüibilidade da proposta.


3.0

Participação individual nas oficinas e no estágio no contra-turno.

Assiduidade, comprometimento com as atividades programadas, pontualidade e envolvimento com o grupo.


3.0

Avaliação em aula - exercícios em sala e no Laboratório

Participação nas atividades programadas, bom emprego do tempo disponível para a atividade, envolvimento com o grupo.


2.0



      1. 8 BIBLIOGRAFIA


1. BÁSICA
AUMONT, Jacques et al. A estética do filme. Campinas, SP: Papirus, 1995.

BENJAMIN, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Obras escolhidas, v. 2. São Paulo: Brasiliense,

_______. O narrador. Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Obras escolhidas, v. 2. São Paulo: Brasiliense,

BERCHMANS, Tony. A Música do filme. A música do filme: tudo o que você gostaria de saber sobre a música de cinema. São Paulo: Escrituras Editora, 2006.

BORGES, maria Eliza Linhares. História & Fotografia. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

BURKE, Peter. Testemunha Ocular: história e imagem. Bauru, SP: Edusc, 2004.

LIMA, Luiz Costa (org). Teoria da Cultura de Massas. RJ: Paz e Terra, 2002.

ROSENSTONE, Robert. A História nos filmes, os filmes na história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.

DUBOIS, Phillipe. Por uma estética da imagem do vídeo. In: DUBOIS, Phillipe. Cinema, vídeo, Godard. São Paulo: Cosac&Naify, 2004.

FERRO, Marc. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, ANO?

GINZBURG, Carlo. Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: Mitos, emblemas, sinais: morfologia da história. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

MARTÍN-BARBERO, Jesus e, REY, Germán. Os exercícios do ver. Hegemonia audiovisual e ficção televisiva. São Paulo: Senac edit.,

RAMOS, Alcides Freire. Canibalismo dos Fracos. Cinema e história do Brasil. Bauru, SP: EDUSC,

SÁ, Leonardo. O sentido do som. In: Rede Imaginária. Televisão e Democracia (Org. Adauto Novaes). São Paulo: Companhia das Letras, ANO?

SALIBA, Elias Thomé. Raízes do riso: a representação humorística na história brasileira: da Belle Époque aos primeiros tempos do rádio. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

VALENTE, Heloísa de A . Duarte. As vozes da canção na mídia. SP: Via Lettera/Fapesp, 2003.

_______ . Os cantos da voz: entre o ruído e o silêncio. São Paulo, Edit. Annablume, 1999.

WHITE, Hayden. Meta-história. A imaginação histórica do século XIX. São Paulo: Edusp, 1992.

WARBURG, Aby. Imagens da região dos índios Pueblo na América do Norte. Tradução de Jason Campelo e revisão técnica de Roberto Conduru. Revista Concinnitas, ano 6, volume 1, número 8, julho de 2005.

WÖLFFLIN, Heinrich. Conceitos fundamentais da história da arte. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo: Paz e Terras, 2005.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à poesia oral. São Paulo, Edit. HUCITEC, 1997.



2. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
CALABRE, Lia. O rádio na sintonia do tempo: radionovelas e cotidiano (1940-1946). Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2006.

DIAS, Marcia Tosta. Os donos da voz: indústria fonográfica brasileira e mundialização da cultura. São Paulo: Editora Boitempo, 2000.



Dossiê Música & Indústria Fonográfica. In: Revista ArtCultura: Revista de História, Cultura e Arte, v. 10, n. 16, jan.-jun. 2008 – Uberlândia: Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de História.

ECO, Umberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 2006.

GOMBRICH, E.H. A história da arte. Tradução de Álvaro Cabral. 16ª ed. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

LEITE, Sidney Ferreira. Cinema Brasileiro: das origens à Retomada. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2005. (Coleção História do Povo Brasileiro)

MORAES, José Geraldo Vinci de. História e música: canção popular e conhecimento histórico. In: Revista Brasileira de História, São Paulo, ANPUH/Humanitas Publicações, vol. 20, n.39, 2000, pp.203-21.

NAPOLITANO, Marcos. História & Música – história cultural da música popular. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

SACKS, Oliver. Alucinações musicais. Relatos sobre a música e o cérebro. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

PANOFSKY, Erwin. Significado nas artes visuais. Tradução de Maria Clara F. Kneese e J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva, 2009.

ULHÔA, Martha Tupinambá de. A pesquisa e análise da música popular gravada. In: Projeto Matrizes Musicais Brasileiras (http://wwww.unirio.br/mpb/matrizes/atividades.htm)

VALENTE, Heloísa de A . Duarte. (Org.) Música e Mídia: novas abordagens sobre a canção. São Paulo: Via Lettera, Fapesp, 2007.

ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. São Paulo: Cosac Naif, 2007.

3. SITES E BLOGS


Fundação Franklin Martins: http://www.franklinmartins.com.br/
Museu da Imagem e do Som / RJ: http://www.mis.rj.gov.br/
Instituto Moreira Salles: http://ims.uol.com.br/
Chiadophon: http://chiadofone.blogspot.com/
Cinemateca Brasileira: http://www.cinemateca.com.br/
História da Rádio no Brasil: http://www.locutor.info/


Catálogo: arquivos -> id submenu -> 110
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação – faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Centro de Ciências Humanas e da Educação faed
110 -> Ano/semestre: 2012-1 curso: história fase
110 -> Ano/semestre: 012. Curso: História fase
110 -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação cche
110 -> Ano/semestre: 2012/1 curso: História fase
110 -> Ano/semestre: 2012/1 curso: História fase


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande