Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página33/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   ...   29   30   31   32   33   34   35   36   37

Para o texto: Contos do eremita: A chuva e a tempestade (T2401754)


De: Dija Darkdija

Apagar

30/07/2010 13:35

Oi, Regina. Faça-me uma visita para que eu me inspire em algum seus poemas e lhe escreva um carro de palavras. Gosto de comentar meus visitantes. E parabéns por este, em que você procura, além de tudo, os amigos. Abraços.

Para o texto: Meus amigos (T2388341)


De: Regina Coeli Carvalho

Apagar

30/07/2010 13:28

Oi, querida Drag. Agora tive um tempinho para lhe enviar algumas palavras. Primeiramente agradecendo-lhe por ter me feito mais visitas. Pude ler outro tanto de textos seus e voltei neste, da esperança, para lhe contar um sonho que tive: "Vi uma escada de madeira, dessas que os pedreiros usam, porém faltando sete degraus. Seu topo se encostava numa espécie de pneu gigante, contendo todos os matizes do arco-íris e abrangendo boa parte do cosmo, num ponto muito alto. Mesmo parecendo estar mui distante, porém eu divisei um jovem sentado na beirada daquele círculo prismático, momento em que ele acenou-me convidando-me a subir. -Mas como subir? - falei - faltam muitos degraus! -Ora - disse ele - venha voando. No momento vi que meu corpo se tornou leve e num impulso fui me ascendendo para o alto, chegando em segundos perto do jovem, cujos olhos pareciam duas pérolas e um perfume ao seu redor me embriagou de tão cheiroso. Curioso eu perguntei: -Quem é você? e que lugar é este? -Eu sou um anjo, caro poeta, e aqui é o céu, cujo nome é Luzirmil. - Não vai me dizer que estou no céu? - falei ao maravilhoso jovem. Está sim, ó poeta, vais levar um recado ao teu meio. Está sentido este perfume? - Sim - falei - Respire fundo e saibas que sua palavras na terra terão sempre a essência do céu. Saibas porém que não deverás falar de religião, apenas da virtude ESPERANÇA, sob a força desta virtude você deverá aconselhar os desesperados. Vá agora e faça também perfumados, todos os seus poemas, isto é, limpos e meditativos. -Ah! querida Drag, pena que depois que voei de regresso para o mundo baixo só penso em voltar para ficar lá. Mas estou pregando a esperança para as pessoas. A você mesmo, eu digo: Não te desespere por nada, nem pelos desejos da carne que nós dá o prazer de viver, nem por outros tipos de prazeres. A esperança te diz: A seu tempo serás satisfeita em teus desejos; tenha mais esperança e ela virá trazer tudo que almejas. Abraços e grato pela sua prestimosa visita

Para o texto: Esperança... (T2312139)


De: DRAGONFLY

Apagar

30/07/2010 11:53

Terra da Cora! Ah! é por isto que tens um talento e tanto! Certamente há interações psicossomáticas entre vocês. Obrigado pela sua visita, querida SL. Seu poema acima me enterneceu o ser. Eu também sempre rogo ao Senhor das Luzes para estar ao meu lado. Falando de sua Goiás: ela seria uma cidade dentro do estado de seu próprio nome? Gostaria de conhecer. Conheço várias daí, inclusive a capital, onde me admirei por ver tantos balõezinhos geográficos demarcando os cruzamentos das ruas. Conheci também Inhumas, Anápolis e alguns arraias dos quais nem me lembro os nomes. Então você é de Ribeirão Preto? Isso é muito bom, pois estamos sendo representados no grande estado de Goiás por uma ilustre pessoa, que é você. Abraços e obrigado pela preciosa atenção. Vou continuar lendo seus artigos. Até.

Para o texto: fUGITIVA DO AMOR - ORAÇÃO (T2401833)


De: Stéla Lúcia

Apagar

30/07/2010 10:19

Olá, José. Grande nome! Foi mais do que o do faraó, tipo assim, lá pelo Egito Afora. Rapaz recebi uma visita sua e fiquei de queixo caído, tipo assim, me senti pequeno, uai. Você é dez e mais alguns pontos extras! Aceite um pouco de palavras como forma de sintonia de um poeta fraquinho, no intelecto de um grande compositor, tipo assim, que és! você é de mais, rapaz. Li toda sua primeira página, por isto demorei lhe responder por aqui. Voltei no "TIPO ASSIM" por que aqui em casa, tenho um neto e uma filha que intercala, esse conjunto adverbial em tudo. É coisa global mesmo! Bem, como gosto de escrever comentários eu citaria que o conteúdo de seus textos são da classe dos profissionais, ou me engano? Gostei da foto da moto e das perípecias, tipo assim, relatadas para se habilitar. Seus assuntos são deliciosos de ler; as fotos são de resoluções aprimoradas! Enfim indo lá para a plataforma da Petrobrás, e sabendo do engano que tiveram contigo, lembrei-me de uma viagem turística que fiz para o rio, lá por 1982. Fui de avião, junto à minha esposa e uma escritora, minha irmã, Irene Coimbra (encontre ela ai no Recanto). A aeronave nos deixou no Santos Dumont, de onde tomamos um ônibus para uma cidade litorânea por nome Itacuruçá; dali embarcamos num saveiro para uma ilha, não muito longe da costa. Era um domingo contudo estava havendo lá uma reunião, tipo assim: de confraternização de alguns projetistas da Petrobrás. Você acredita que ao entrar no no ambiente me confundiram com um dos engenheiros deles! Mais tarde vi a razão, era, tipo assim, tal qual eu. Nunca vi meus traços tão parecidos com outra pessoa como com o tal engenheiro. Os enganos foram tantos que cheguei a ser abraçado por diversos amigos dele. Fiquei abobalhado e deixei a coisa rolar. Chegando ele ao restaurante foi desfeito o engano, porém devido nossa fiel aparência nos convidaram a sentarmo-nos com eles à grande mesa da refeição. Tudo virou festa. Epa! lá se foram os dois mil carac. Abraços a você amigo

Para o texto: TIPO ASSIM... (T1764114)


De: Jose Carlos Cavalcante

Apagar

30/07/2010 09:23

Tudo, no pouco! minha querida poetisa! Simples palavras que traduzidas para as manobras automotivas traduzem o raciocínio da força nas subidas, freada nas descidas, estacionar nas retas... enfim és mesmo uma grande Poeta! Beijos multicoloridos pra você! Ah! coloquei hoje meu sofrimento pela flor feiticeira em "A FLOR E O POETA". Vá lá. Se não achar muito, ou se tiver tempo leia. Como sofri!

Para o texto: POETA - (Série Pequenos Poemas n.105) (T2407920)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

30/07/2010 03:27

As encruzilhadas existem mesmo, Márcia. Fiz uma visita em sua página e me vi envolvido pela beleza e pelo amor. Beleza na expressão do sentimento poético; amor na concepção literária profunda, de uma alma transparente, como certamente é a sua. Ajuntei os dois vocábulos e coloquei-os sobre o pedestal de seu nome: "Márcia", para ficar olhando de um ponto baixo. Eu já sofri muito, ó adorável poetiza, por este nome! Nem a morte, nem a dor, nada... Tentei sair das penumbras de uma paixão de encruzilhada, entretanto as trevas mais densas ficavam! Escrevi: A "Flor e o Poeta"...escrevi: "a Sombra de uma Flor Chamada Márcia" escrevi: "A Paixão Pela Feiticeira". Tentei...tentei sair da encruzilhada pelas vielas da poesia, no entanto eu só queria morrer! A "flor", sua xará? Nem tomou conhecimento que nos bastidores do palco havia um artista, cuja maior esperança era contracenar com ela nos atos da peça chamada vida! Ah! nobre poetisa! Seus poemas, associados ao seu nome, por momentos emitiram relâmpagos de lembranças de um feitiço que quase me sucumbiu! Perdão pelo desabafo. Acredito que são fatores oriundos da sombra. Bem, obrigado por nos premiar com poesias tão belas! Ore pelo poeta das estradas, acene-me. Abraços afetivos à você, grande compositora. Visite-me, assim terei mais uma flor colorindo as áureas de meu jardim. Até.

Para o texto: ENCRUZILHADA (T2370468)


De: MarciaRocha

Apagar

30/07/2010 02:31

Bom dia Nat. "Sem oração a Deus nós nos perdemos nas vias do desespero"! Assim penso. Muito obrigado pelas palavras dirigidas ao Senhor. Também eu me vejo envolvido nelas. Muito obrigado também pela visita em meu humilde canto. Abraços a você e a toda a sua família. Visite www.icopere.com e coloque lá uma oração também. Deus te abençoe.

Para o texto: AMPARO DIVINO (T2293961)


De: Nativa

Apagar

29/07/2010 17:37

Parabéns, cara Maith. Li seus cordéis e fiquei feliz com eles. Esse daqui... no início pensei que eras brava mesmo, mas ao finalizar vi que tens um bondoso coração. Visite-me também. Ah! tenho amigos em Sorocaba, mas não adianta citá-los aqui, sua cidade é uma megalópolis! Abraços fraternos a você e aos seus entes queridos.

Para o texto: QUANDO ME ZANGO = EC (T1753627)


De: Maith

Apagar

29/07/2010 17:32

Ao final: Senhor, em Vós confio. Só nele mesmo, cara Serelepe. Li cinco, mas voltarei a ler mais. Ah! eu tenho um site por nome "Caminho do Céu" visite através do www.icopere.com peço também visitar-me aqui em "O Parecer de Cristo" e outros. Procure em atores, pelo meu pseudônimo: luzirmil. Abraços e que tenhas muita luz. "Se com Deus estamos sofrendo, sem Ele então o que será de nós?" Visitei-a através da página da Patrícia, perdão. Até

Para o texto: Confio em Vós (T457812)


De: Serelepe

Apagar

29/07/2010 17:23

Olá, Serelepe. Comigo acontece pior! Muitas vezes fico procurando o óculos impaciente, quando minha querida esposa chega perto e me diz. Uai, você não usa mais este que está pendurado em seu pescoço? Muito boas suas crônicas, Parabéns. Li diversas. Bem agora vou lá para suas as orações, aprecio muito. Até.

Para o texto: Sem óculos não dá! (T700137)


De: Serelepe

Apagar

29/07/2010 17:17

Ah! Todas elas me enterneceram. Amo as orações. Li suas seis e me senti feliz. Como é bom achar no recanto pessoas que tem poesia para orações. São elas que mudam algum destino nosso que estiver programado para o mal! Deus te ilumine sempre, querida Patrícia. Eu sou um peregrino, e Nosso Senhor Jesus Cristo é meu companheiro de jornadas. Leia em e-livros "UM VIOLINO NAS JORNADAS" Visite-me em "O Parecer de Cristo". Me alegro em ser visitado por quem tem amor Nele. Desculpe-me pela visita, mas descobri suas orações e quis lê-las todas. Deus seja sempre contigo. Abraços fraternos pra você.

Para o texto: Pai de Amor!!!! (T359346)


De: PATRICIA PESSOA

Apagar

29/07/2010 17:07

Nilda toda a oração me toca profundamente. Desculpe a visita, é que achei suas carinhosas palavras para com a Leninha e me senti feliz com elas. Deus te abençoe, e ore pelos peregrinos, eu sou um deles.

Para o texto: Sou Jesus! (T1331806)


De: Nilda Dias Tavares

Apagar

29/07/2010 17:02

Ora, ora, Maria Helena! Que beleza de versinhos. Seja como for, demorando ou não, o importante é você ter esse belo dom de compor. Quanto aos meus textos, eu também faço poucos. Não sou nada de maquininha não! Tem dia que faço dois, tem dia que faço, mais; entretanto tem tempo que fico dias sem compor uma única frase. Das reflexões que ponho no recanto são compostos através dos tempos. Tiro dos cadernos e outros manuscritos meus. Nós os poetas somos todos iguais. Não é sempre que somos inspirados a escrever, as vezes é até aborrecido escrever todo dia. Ah! um porém. Agora que descobri o Recanto, tenho tirado mais tempo para digitar, porém comentários, pois gosto de me relacionar com todos os colegas, cujos nomes vão aparecendo nos entrantes. Falando nisto estou compondo um cordel falando da ojeriza que tenho de três coisas: BANCO, AUTOMÓVEL E COMPUTADOR. Se eu pudesse eu ficaria longe desses três ocupantes de meu tempo! Ah! se ficaria! No banco, ficar nas malfadadas filas pra receber a minguada aposentadoria; no carro velho, por necessitar sempre ir em algum lugar; já no computador para ficar conectado na fatídica rede. Sim minha filha! aqui estamos indo para a fatalidade. Bom, já descolei mais de mil e quatrocentos caracteres pra você. Vou parando antes que eles freiem. Abraços, e mais um vez parabéns pela nobre inspiração da "Face da Lua" Ah! Você sabe o peso da lua? não? leia em meu cordel "João Boa vida" e saberá seu peso. Até.

Para o texto: Faces da lua (T1368612)


De: Maria Helena Camilo

Apagar

29/07/2010 09:33

Um vassalo enamorado? Só o titulo já traduz a grandeza de seu lindo poema, querida Silvia. A quântica perceptiva de qualquer poesia se fundamenta no impressionável teor da composição, a começar do título. Meus parabéns, e obrigado pelos elogios às minhas pobres quadrinhas. Abraços de afetos pra você!

Para o texto: O ENAMORADO (Vassalo) - Série Personagem n.26 - Silvia Regina(T2399057)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

29/07/2010 05:42

Olá, Fênix. Encontrando uma visita sua nas páginas da Katia, senti de comentar um texto seu. Parei nesse das estrelas ocas. Puxa vida! Você trouxe à luz um assunto que sempre procurei atinar. Veja meu perfil e outros textos e verá por que me encantei com sua linda, objetiva e conselheira crônica. Abraços, e caso me retorne lhe escreverei um carro de palavras.

Para o texto: "ESTRELAS OCAS" (T2396892)


De: FenixRJ

Apagar

29/07/2010 05:31

Oh! Recebi uma importante visita! A sua, Kátia! Olha, nobre companheira de letras, valeu a pena descobrir mais pessoas maravilhosas. Li todos os seus textos, menos o herótico. Pode notar que de 1241 leituras deve ter subido mais 33, pois reli dois textos. Não sei por que, mas todas a fotos de pessoas, sorridentes irradiam um carisma mais profundo. Lendo seu perfil e textos, concluí que você é inteligente, comunicativa e graciosa. Muito obrigado pelo retorno à minha visita em suas páginas. Fiquei deveras contente. O único problema é que causo transtorno aos que comigo correspondem, pois meus assuntos são longos, e muitos certamente nem os lê por falta de tempo. Tem alguns comentários que chegam aos dois mil caracteres. Sabe por que faço isto, Katia? É devido uma filosofia minha que reza o seguinte: Quando estou a escrever cartas (isto quando são do lado bom) para alguém, seja homem ou mulher, fico o tempo todo sintonizado na inteligência da pessoa em questão. Tal sintonia é uma espécie de afeição, que no ângulo psicossomático me trazem ganhos intelectuais, entende? Assim, em se tratando deste bem, digito, ou escrevo muitas palavras. Afinal eu sou um escritor profissional e palavras nunca me faltam. Leia livros meus. Possuo aproximadamente 2000 lançamentos, 25 obras comerciais, com cerca de 200 páginas cada, e um tanto de livretos. Entretanto aqui no recanto sou novo ainda, e tenho colocado apenas 7, no e-livros...Bem, acho que chega de me sintonizar em sua alma de poeta, quando você estiver lendo tudo isto, evidentemente estarás me sintonizando também. Puxa vida! Vai passar dos 1900 caracteres! Leia um cordelzinho meu, cujo título é: "O Amor e o vinho". Quanto aos seus, irei lendo os que você escrever,(menos os heróticos) tenha certeza. Já tenho mais de 300 poetas do recanto em meu coração de beija-flor. Acho que sou o único peregrino que peregrina aqui no Recanto. Abraços afetivos pra você e seus entes queridos. Até.

Para o texto: Amizade (T2390246)


De: Kátia Pereira

Apagar

28/07/2010 22:04

Quem sabe! Oh! é Lindo! Carmem. Ó Porto Alégre! Estive aí em 1978 e nuca mais consegui fazer outra viagem para o sul como aquela. Meus parabéns colega de letras e xará de minha mamãe que já foi com Deus há cinco anos atrás, com noventa e dois de idade! Abraços pra você.

Para o texto: ***QUEM SABE UM DIA*** (T2405295)


De: CARMEM ARAUJO

Apagar

28/07/2010 21:32

Os delírios são fatores/ que nos levam a amplidão/ num encontro de amores/ que sufoca por paixão. Dou aqui meus parabéns / a você cara Maria/ pois nos dá como presente / bons delírios todo dia! Abraços a você e família.

Para o texto: DELIRIO DE AMOR.. (T1974512)


De: Maria Luiza D Errico Nieto

Apagar

28/07/2010 21:12

Ah! A saudade desenfreada é triste mesmo, ó adorável poetisa! Meus parabéns. És rica em poesias no recanto, assim como são todas elas ricas em sentimento e acalanto! Abraços afetivos pra você.

Para o texto: MEU MENINO... (T2405013)


De: Esther Gonçalves

Apagar

28/07/2010 21:07

É verdade! E te digo mais, querida Irlene, há mais espinhos que rosas. Li diversos textos seus, todos são muito bons. Parabéns.

Para o texto: ***CREIAM*** (T2190611)


De: Irlene Chagas

Apagar

28/07/2010 20:59

Legal Katia! Não posso preencher a laguna de teus sentimentos mas posso parabenizá-la pelas colocações. Estou dando uma passada nos entrantes e mandando abraços para todos. Afinal são todos poetas, meus irmãos de filosofia. Quanto a encher o quadro de comentários para você, eu poderia contar-lhe uma longa história, porém não caberia em 2000 caracteres! Leia em "João Boa Vida" de hoje, ou nas dezenas de textos do Luzirmil que gosta de fazer amigos. Abraços afetivos pra você1

Para o texto: ESPERO! (T2405140)


De: Kátia Pereira

Apagar
28/07/2010 20:51

Também creio na Paz plena! Encontrei-a muitas vezes nas jornadas, porém longas, temerosas. Ah! Nati. Quer ver como foi: dê uma busca em e-livros e leia as 193 páginas de "Um Violino nas Jornadas" de sete meses nas regiões centrais de Minas. Parabéns por me lembrar de crer. Abraços e que vivas sob a Luz divina! O peregrino de Luzirmil.

Para o texto: *** COM DEUS A JORNADA É LEVE *** (T2405132)
De: Nativa

Apagar

28/07/2010 20:42

Belo! Quantos eu já fiz também! O tempo do amor! Parabéns Poetisa! Desejo-lhe realizações!

Para o texto: Não sei (T2405106)


De: Christiany Santos

Apagar

28/07/2010 20:40

Obrigado Gaja! Por nos proporcionar um coro contigo em seu "Obrigada meu Deus! meu querido Pai" Que ele nos tenha sempre em Seus braços. Parabéns. Abraços.

Para o texto: Obrigada Deus! Meu querido Pai! (T2405107)


De: Gaja

Apagar

28/07/2010 20:36

É verdade, nobre pensadora. Penso que a alma é armação do nosso corpo equilibrado pelo nosso ser, que deve ser essa tal essência da alma que você divisa. Parabéns e um afetivo abraço pra você!

Para o texto: intangível (T2405108)


De: Ariane Fagundes

Apagar

28/07/2010 20:32

É. Colega. MM nas iniciais já é um bom sinal! eu não entendo de futebol, mas aprecio poetas que entendem. Abraços.

Para o texto: É ISSO AI, MANO! (T2405109)


De: Sildete Pereira

Apagar

28/07/2010 20:30

Sábia criança! Ah! Um dia um rapaz que dizia-se ateu me fez pergunta semelhante. Eu fiquei em silencio. Aí ele disse: Ah! dessa você não conseguiu sair, cara! Engana-te - falei - Deus é o próprio silêncio de minha voz! Parabéns e Abraços Coch.

Para o texto: A sábia criança (T2405111)


De: Cochrane Lacroix

Apagar

28/07/2010 20:24

Realmente. A saudade vem dos momentos que vivemos junto de alguém no passado! Abraços, colega.

Para o texto: A SAUDADE DO POETA (T2405115)


De: GIL DE OLIVE

Apagar

28/07/2010 20:22

Breve, porém lindo - abraços poeta.

Para o texto: Cruzamentos (T2405116)


De: Sandro Nadine

Apagar














Obrigado Katia. 

Recebi aqui e fiquei contente. Eu também tenho, desde meu tempo de adolescente, a mania de ler e escrever. Cada dia coloco 15 textos no recanto, pois abri a conta premiun. Percebo que livros não são muito acessados, por conseguinte estou colocando nas páginas dos textos, alguns lances de meus vários livros escritos. Hoje coloquei a lembrança da Laré, contida num glossário meu , cujo título é "CALENDAS DE UMA VIDA". Ontem coloquei "A FLOR FEITICEIRA" de um outro intitulado "DUAS LUZES NO HORIZONTE" . Meus lançamentos geralmente contém de 150 a 220 páginas.

Olha, sou-lhe imensamente grato pela sua atenção. Ofereço-lho um soneto de improviso agora:


Conheci, lá no recanto

Kátia, maravilhosa!

Tive dela a atenção

Como um perfume de rosa!


Se todos seres humanos

Tivessem esse carisma,

Nosso mundo seria outro

E viveríamos sem cisma!


Vai, soneto, por favor

Nesta mensagem de amor

Levar à Katia querida
Este poema corrente

De um poeta displicente

Que nas letras tem a vida!
28/07/2010 19:05

Olá, nobre colega Aldemar. Encontrando um comentário seu, me vi no dever de visitar-te também. Como sempre faço, li toda a sua primeira página de cordel, retornando neste: "Era melhor não ter ido". Muito bom, e me despertou um marcante sentimento de saudade que carrego na alma, por lembrar de uma fazenda, no flanco norte de uma serra, onde havia uma venda à beira da estrada, que em seu sentido sul arribava a montanha num ponto menos acentuado. Lá pelos idos anos de 61 havia uma venda com intenso movimento, aliás, por ali tudo era movimentado, a começar do gado, dos cafezais cuidados por colonos, das festanças; quase todos os sábados havia bailes na sede da "Fazenda da Venda", como era chamada. Na dita venda, nos horários em que ficava aberta, trabalhavam duas lindas meninas gêmeas. Ah, Caro colega, de tanto eu buscar cachaça para meu pai, acabei me apaixonando por uma delas. Até hoje ela é uma das sombras dos amores afetivos que tem me acompanhado! Tenho muitos desses tais acompanhamentos. Mas a alma do poeta é assim mesmo, está sempre envolvida com a bruma das recordações, não é caro Aldemar? Recentemente, após 50 anos encontrei uma das meninas! Não se lembrou de mim de maneira alguma. Mas eu a reconheci pelas informações, pois de aparência jamais eu a reconheceria! Mas assim mesmo teria sido melhor se eu não a tivesse visto, pois mesmo transformada pela velhice, eu me quedei ante a saudade, pela lembrança da menina do balcão, tão bonita, tão amável e atenciosa que era. A venda se resume hoje nisso que você retratou em seu cordel: está completamente acabada, desdeixada e podre! Tem alguém morando numa casa alquebrada mas parecendo ser uma catacumba de cemitério! Mas assim mesmo passo por lá de vez em quando e faço uma poesia para marcar os momentos. Bem, chega de tomar seu tempo caro Aldemar. Gastei 1926 caracteres, daqui a pouco completa dois mil e me cortam. Abraços fraternos pra você.

Para o texto: ERA MELHOR NÃO TER IDO. (T2403800)
De: aldemaralves

Apagar

28/07/2010 16:59

Aí! Paulo! bravo! Sua Catarina saiu mais bem do que a minha! Muito bem arranjado! Você é dez mesmo! Estou tendo-o como um trovador lá de Montalvânia, quando nos encontramos eu na sanfona e ele num violão, costumamos passar pelo menos três horas trocando versos, sempre começamos com a ultima palavra proferida por cada um. Você deve ser repentista também, não? Afinal sua cara não nega; é daqueles sérios por fora mas brincalhão por dentro! Falando da minha porca Catarina, aliás não era minha, mas de um amigo por nome Renato de um lugar chamado Cochos, onde cheguei numa tarde e fui convidado a ver o chiqueiro. A coitada da porca estava morre-não-morre. Acho que era a tal de gripe suína, porém ninguém falava naquilo ainda, pois faz mais de cinco anos. O fato é que naquele dia mesmo eu havia feito um franguinho engolir uma dose boa de água com creolina. Na verdade dei para matar, pois os caroços na cabeça do bichinho dava tristeza de ver. Vendo ali, aquela marrã quase morta, pensei em aplicar o mesmo: faze-la beber creolina com água. Para tanto, o Renato, seu dono, amavelmente aceitou minha idéia, assim misturamos o "remédio" na água, que ficou branquinha como um leite; a seguir botamos na boca da porca fazendo-a engolir goela abaixo. Você acredita, Paulo, segundo me disse o Renato, no outro dia Catarina estava boa! Viveu por lá mais uns três anos produzindo uma série de descendentes, por fim o Renato a vendeu para não ser seu algoz. Lendo os seus textos deu-me vontade compor um cordel com a história dos dois animais, ou seja, do franguinho Arquibaldo e da porca Catarina. Mas para tanto preciso ler muitos cordéis modernos, como os seus e de outros colegas, assim a rima entra na cabeça de novo, pois já tem saído muito com a idade. Eu já li praticamente todos do João Ferreira de Almeida e outros nordestinos de renome, agora são os nossos. Chega de te perturbar com meus comentários, se foram 2000 caracteres. Vamos em frente Paulo. Abraços fraternos a você e aos seus.

Para o texto: Catharina, a porca (T681951)


De: Paulo Kostella

Apagar

28/07/2010 16:25

Para um peregrino abientalista, seus versinhos tocaram-me profundamente, querida Ione. "O Verde Morreu",o pior está por vir. Ainda bem que os poetas defendem a natureza, como você fez, escrevendo esta breve lamentação. Li sua primeira página inteirinha e fiquei contente por saber que, como outros que tenho visitado, você também tem uma grande sensibilidade pela poesia, simples, leve porém tocante. Obrigado pela visita e faça-o sempre. Tenho também vários textos relativos à ecologia, pois sou ativista voluntário pelo Green Peace, mas não sou de briga. Conselheiro e instrutor sim. Bem, vou me despedindo todavia dizendo-te que qualquer hora voltarei; é tão bem ter amigos correspondentes por aqui. Leia meu "O Bode Velho", aqui; "História de Juveal" em e-livros "João Boa Vida", aqui também. Enquanto isto irei lendo os seus também. Abraços afetivos pra você. (ignore os erros, por favor)

Para o texto: O verde morreu (T1994012)


De: Ione Sak

Apagar

28/07/2010 15:44

Tudo bem, Maria Helena. Mas não precisava me fazer chorar. Seu cordel me fez lembrar muitas passagens nas quais eu assisti as ações do preconceito. Uma recentemente, quando me encontrava consertando um órgão musical dentro de um templo no qual havia uns rapazes colocando cortinas novas. Tal trabalho fora solicitado pelo pastor, que inclusive havia ganhado de uma casa do ramo, mas cujo proprietário ele não conhecia. Certo momento entrou lá um homem barbudo, com roupas rotas e relativamente sujas, aparentando ser um indigente. Coincidentemente o pastor ali chegou para ver o belo trabalho que os trabalhadores faziam, vendo porém o homem todo desarrumado dentro da igreja, simplesmente o expulsou, dizendo que ali não era lugar de pessoas sujas. O homem saiu, entretanto lá fora ele disse: O senhor está pondo pra fora de sua igreja justamente o dono da empresa que faz e vende cortinas. Eu ia doar todas para o templo, inclusive a mão de obra; contudo mudei de idéia. Indo até a porta pediu para seus funcionários retirarem as que já haviam colocado e pararem com o trabalho. Depois dirigindo-se ao pastor disse: O senhor é mal educado e não respeita o semelhante. Por meu lado, percebi que o pastor ficou deveras envergonhado. No caso do seu cordel a ocorrência foi muito emotiva para um Peregrino de Luzirmil, que sou eu. Abraços afetivos pra você, querida poetisa. Assim que puder retornarei em suas páginas. Leia em e-livros "A História de Juvenal" (era meu pai, que já partiu, porém tendo 101 1nos)

Para o texto: Precisa-se de um coração (T1109147)


De: Maria Helena Camilo

Apagar

28/07/2010 14:21

Paulo, parabéns. Você e mesmo nota dez, rapaz. Orgulho-e por tê-lo encontrado por aqui. Qualquer dia destes vamos compor um cordel juntos, você de lá e eu de cá. Podemos irradiar um jogo, usando alguns nomes de nossos amigos, os poetas da Recanto. Obrigado pelo retorno, nobre companheiro. E continue. Agora vou lá pra Catarina. Aguarde. Eu dei tal nome a uma porca lá pelas bandas de Januária, inclusive a um franguinho que estava com a cabeça toda encaroçada, despejei criolina nele e fi-lo beber também água com aquela composição, dando-lhe o nome de Arquibaldo. Você acredita que o franguinho cresceu e acabou na panela depois de alguns meses!Abraços.

Para o texto: Testamento do Judas 2008 (T927854)


De: Paulo Kostella

Apagar

28/07/2010 13:44

Ah! o Limite! Entre o céu e a terra! Último ele de seu acróstico! penúltima letra de seu sobrenome! Região entre seus textos e seu perfil. Você é dez. Pena que eu não tenho 101 anos! Mas brincadeira à parte, agradeço-lhe pela visita, nobre colega. Pelo que entendi no perfil, você é doutora odontológica, animada, instruída e...cheia de vida. Foi muito bom te conhecer, entre as centenas de amigos do recanto você fará parte de minha lista. Vou continuar lendo seus textos, talvez não os heróticos, por motivos da pressão subir; mas os demais espero ler, como tenho lido as centenas de muitos colegas. Abraços afetivos pra você e entes queridos.

Para o texto: ACRÓSTICO -BIOGRÁFICO (T1475910)


De: franmello

Apagar

28/07/2010 13:21

Olá Claudia. As Marias são tantas, mas conheci recentemente uma que não quer ser chamada de Maria, não, mas sim Merlie! Perguntei a ela por que mudara o nome, ai ela me disse: Tá Loco moço. Cumessaru a mi chamá di Maria vai cum as otras. Eu sei lá o qui significa! Claudia obrigado por suas poesias, pude ler algumas (e vou ler mais) a partir de comentários seus que achei nos dos meus leitores. Um abraço afetivo pra você!

Para o texto: A casa das nove Marias(à minha mãe) (T1710647)


De: Claúdia Maria

Apagar

28/07/2010 13:07

Puxa vida! Gabriela! És metagramática! Gosto de suas palavras. Ainda bem que nesses últimos cinquenta anos já decorei 12% dos vocábulos menos usados do Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa do Aurélio, se não eu ficaria confuso por não saber os significados de algumas palavras suas! Mas a doce ambrósia não é nada saborosa, não. É uma velhinha ranheta que conheço! Estou aqui analisando e saboreando "O TEU BEIJO". Como é bom! As palavras soam com timbres de liturgia erudita. Certamente és ambidestra e ilativa em suas escolhas. Acredito que só em algum hiperbório podemos encontrar poemas como os seus. Teu catear tem um acalanto que não se pode acantoar, pois sua frondosidade não possui melania. Olha, meu parco saber tem que ser relimado para que eu possa me nivelar às suas iátricas, não medícas, porém sem hégiras. Mil Abraços afetivos pra você e abraços fraternos para os seus entes queridos. (por favor ignore os erros)

Para o texto: TEU BEIJO (T1923723)


De: Gabriella Leite

Apagar

28/07/2010 11:36

Olô Sofia Lor... Oh! Perdão, Marcela. Voltei ao Bioma, reli e tirei mais sabores literários. Digo-lhe que já estive em muitos lugarejos praticamente em todas as regiões que você descreveu no poema; sempre para dar instruções ambientais e consertar órgãos de minhas igrejas neste Brasil gigante. Olha, sentir-me-ei honrado se souber que você leu pelo menos os dois textos: "BODE VELHO" e "JOÃO BOA VIDA". Encontre-os em procurar textos, digitando os títulos e procurando ver se são de Luzirmil, que sou eu. Caso assim o fizer, leia e mande-me um (ainda que seja pequenino) comentário. Eu gosto de escrever longos trechos para os amigos/as poetas, contudo nem todos tem rapidez em digitar, ou tempo suficiente para comentar como eu faço. Acho que é mania. hoje já fiz vários, sempre com muitas palavras. Mais um abraço afetivo pra você. E por favor,ignore os erros.

Para o texto: Biomas Brasileiros (parte II) (T2256858)


De: marcela sonhadora

Apagar

28/07/2010 11:00

Olá Marcela. Sou-lhe muito agradecido pela visita. Li diversos textos seus, inclusive todos os cordéis. Num deles você traduziu a palavra caatingas. Gostei, pois fiquei sabendo de mais um sinônimo que não conhecia. Ah! Marcela! Em julho do ano passado me perdi numa região de caatingas ao norte da Bahia. Se não fosse um bode velho que apareceu em meio àquela as tranqueiras espinhosas, não sei o que teria sido de mim. Até escrevi uma crônica dos fatos. Está aqui no Recanto, depois lhe enviarei o lugar. Gostei de sua maneira de compor. Desculpe-me a ousadia, mas vendo sua bela foto percebi que tens os ares de uma estrela de cinema lá dos anos 58 (Sofia Loren) Eu era um adolescente mas me apaixonei por ela! Faço questão que venhas ler outros textos meus, e vou continuar lendo os seus. Um abraço afetivo pra você e abraços fraternos aos seus entes queridos.

Para o texto: Minha Existência (T2255005)


De: marcela sonhadora

Apagar

28/07/2010 09:25

Essa do tatu foi de lanhar! gostei deste também, cara Ivany. Obrigado pelo retorno. Ah! coloquei hoje um cordel de um conto em prosa que ouvi de um ancião chamado Juvenil. Acredito que fiz um bom arranjo. Dê uma lida e comente. Sua opinião será bem vinda. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: COMO ARRANCA TATU DO OCO (T779635)


De: Ivany Fulini Sversuti

Apagar

28/07/2010 07:13

Olá Silvia, andei procurando alguns contos sobre julgamentos e encontrei o seu. Parabéns, sua redação foi muito bem colocada. Teria um fundo de verdade? Bem, de qualquer forma, tenha acontecido ou não, gostei de lê-la. Peço desculpas por visitá-la sem convite, mas eu faço muito isso. Quanto aos tais julgamentos, imagine que um dia eu assisti um num horário em que o Corintians jogava e quando ocorreu um gol, o juís pulou da cadeira e gritou: Gol! gol! gol! Meu time marcou um gol! O danado estava com uma mini-teve sob a tribuna e enquanto ouvia o promotor e o advogado, não tirava os olhos da telinha! Com a alegria pelo gol, ele disse para o réu: -Que time você torce? -Corintians - disse o réu.No momento ele bateu a martelo e disse Absolvido! O promotor ficou fula, pois estava fazendo de tudo para condenar o rapaz, que realmente tinha que ficar preso algum tempo, pois aprontara alguma desordem na sociedade. Mas você tem razão justiça tem muita cegueira! Abraços afetivos pra você.

Para o texto: CEGA - (Conto Minimalista n.45) - Silvia Regina (T2189495)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

27/07/2010 18:27

O gato passou apertado, mas vingou com o prejuízo. Eta molecagem! Me lembrei das que eu fazia também, mas caí por três vezes dentro de cisternas abandonadas. A gente era doido pra furtar frutas dos quintais alheios, e daí aconteciam as piores façanhas, restando galos na testa, cortes na barriga, enfim, havia derramamento de sangue em quase todas as aventuras. Obrigado Ivany. Vou ler mais alguns compostos seus nos dias futuros. Visite-me, sou um peregrino sério gostei das molecagens, pois me fizeram recordar as minhas. Abraços.

Para o texto: MINHAS DOCES MOLECAGENS (T1822144)


De: Ivany Fulini Sversuti

Apagar

27/07/2010 18:15

Você não é fácil! Caro Paulo. Achei sua visita num comentário por aqui e senti de lhe enviar este, após ter lido o poligrota. Muito bom mesmo. As palavras estrangeiras para nós são boas para isto mesmo! Mas não é qualquer um que compõe palavras tão arranjadas como as suas. Meus parabéns, vou me acostumar a ler seus cordéis, gosto muito dessa forma de literatura. *Ah! sô minero tambéim, mais nasci pros ladus di berlândia. Abraços fraternos pra você.

Para o texto: O Poligrota (T1149814)


De: Paulo Kostella

Apagar

27/07/2010 18:05

Mulher do Campo! Eta beleza de mulher! Lembrei de minha mamãe. Pude vê-la dando esses batentes por muitos anos. Maria Helena Camilo! parabéns a você pelo cordel! Sou um admirador e também compositor, por isto gostei de seus versos bem arranjados. Estou terminando um do "Padre Boa Vida", breve vou colocá-lo aqui. Mando-lhe dois abraços, afetivo e fraterno, e obrigado por nos presentear com seus belos textos, são muito bons.

Para o texto: Mulher do campo (T1117099)


De: Maria Helena Camilo

Apagar

27/07/2010 13:09

Olá, meu caro Infeto! Nem sei como comentar! Mas inicio minhas palavras com erros, por que o certo seria igualá-las com as do rapaz da entrevista.Muito boa mesmo! Parabéns. Bem,primeiramente agradeço sua honrada visita à página do Luzirmil, e depois falar um pouco da Bahia. Salvador! Pensar que no dia 6 de julho de 2009 estive quase a conhecer esta famosa capital. Sabe o que houve: Fui fazer um trabalho em Petrolina. Para tanto segui em meu carro, viajando sozinho, desde minha casa rumo àquele *mundão *véio do Pernambuco. Ao passar por Jequié cruzei a faixa contínua e logo vi os guardas. Não é preciso dizer que fui multado! dali segui com a cuca quente, pelo ocorrido. Cheguei à tardinha em feira de Santana, mas ao invés de me informar da saída para Capim Grosso, fiquei foi de olho numa bússola existente no painel do carro e cheguei o pé no acelerador. O problema é que aquele orientador de direção tinha apresentado uma pane e indicava norte o tempo todo, eu porém, segui por uma auto estrada, até que desconfiei que para a direção que eu deveria ir, pelo mapa não havia pista dupla. Só fui atinar que estava indo para Salvador, quando após uns setenta quilômetros perguntei um carroceiro que seguia pelo acostamento do lado de minha mão, para onde ia aquela via, vindo ele a me informar que Salvador estava perto. Tive que voltar para Feira e seguir com um atraso de uma hora...Bem, desculpe-me, caro Infeto por tomar o lugar do rapaz das *palavranças. Gostei da primeira e certamente vou apreciar muitas leituras suas ainda. Abraços de um Peregrino.

Para o texto: O Inventeiro de Palavriação. (T1925555)


De: Infeto

Apagar

27/07/2010 10:31

Bianca, enviei-lhe um comentário da "Oração por Um Amigo", você o recebeu? Parece-me que ouve algum impedimento no envio. De qualquer maneira se não o recebeu, aceite através deste meu agradecimento e parabéns pela sua grande inteligência. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: Eu (T2348431)


De: Bianca Francisco

Apagar

27/07/2010 10:23

Olá, Bianca! Você me faz lembrar alguém cujo nome era Branca. Na verdade ela era morena; as vezes eu a chamava de Preta também. Oh! saudade! Pela foto que apresentas tens ares com a musa de minhas lembranças. Olhe, dei uma lida em seus textos das primeiras páginas, inclusive os dois eróticos, embora eu não tenha lá muita afinidade para tais literaturas, mas li os seus a título de complemento. Bem, sou-lhe agradecido de coração por ter me visitado. Saber que pessoas inteligentes como você e outras, tiraram um tempinho para ler algum artigo deste peregrino! é muito reconfortanto! Quanto a todos os que li, de você, concluí que vou ler mais. Suas palavras tem o profundo carinho da boa literatura. E Deus lhe pague por esta oração tão linda; digo que ao final das palavras me senti envolvido por ela. Continue, querida, a nos presentear com suas composições. Termino desejando-lhe felicidades e enviando-lhe dois abraços: um afetivo e um fraterno. E que Deus venha sempre a te iluminar.

Para o texto: Oração por um amigo... (T2385336)


De: Bianca Francisco

Apagar
27/07/2010 07:40

Olá Betânia. Fazendo um giro nos vários textos do Recanto deparei-me com "Amor nas Rimas". Meus parabéns. Eu também tenho muito amor nelas. Nestes anos todos nas quais tenho vivido, já compus mais de dez mil versos rimados e sempre estou a procura de novas inspirações para compor mais. Pelo que notei, você é uma grande poetisa e escritora. Vou visitar-lhe mais vezes. Abraços a você e aos seus.

Para o texto: Amor nas rimas (T2401831)
De: Betânia Uchôa

Apagar

27/07/2010 07:33

A autêntica poesia grafada pela pena de um nobre poeta como você, caro Otávio, representa a essência da inteligência. Lendo "Filhos Infinitos" e alguns outros textos seus, relativos, me senti participante dessa inteligência, cujo mecanismo é usado para distribuir reflexões abstratas, subjetivas, mas de alto performance literário. Obrigado, caro Otávio, por nos trazer palavras com *subsidios que dão aos leitores a vontade de aprender mais. Abraços a você e aos seus.

Para o texto: Filhos infinitos e brilhos de Orfeu (T1327187)


De: OTAVIO JM

Apagar
27/07/2010 09:48

Bom dia, Henri. Venho por meio deste comentário, não só parabenizar-te pelo artista que és, como também agradecer-lhe pela visita. Desejo-lhe paz, saúde e muitos poemas mais, com os mesmos sucessos que te cercam. Pude ler vários textos seus e achei-os inteligentíssimos. Muito obrigado por nos presentear com eles, e aceite um abraço do Mensageiro de Luzirmil.

Para o texto: PLANETA EGOCÊNTRICO (T2173678)
De: HENRICABILIO

Apagar

27/07/2010 08:04

É isso mesmo, Reinodalira. Pão de milho é delicioso, não o é porém, a via pelo qual ele chega ao nosso estômago, inclusive quando a gente come meio embuchado! E tal qual você acentuou, tem aquele que sofreu pra produzir o milho! Muito obrigado pela bela mensagem de seu poema. Abraços.

Para o texto: PÃO DE MILHO (T2392613)


De: reinodalira

Apagar
27/07/2010 07:09

Olá, Prezado missionário. Recebas a Paz. Gostei de suas palavras. Eu sempre tive a idéia de que vivemos mascarados. Em minhas meditações, sempre me vejo numa espécie de canoa, ao qual dou o nome de hipocrisia. Meus pensamentos constantemente declinam para ocultar de mim mesmo, os pensamentos faltos de caráter. Meus parabéns, (permita-me chamá-lo de irmão) caro irmão. Eu também tenho sido um missionário, mas sempre fazendo conjecturas negativas sobre essa realidade humana: O uso da máscara. Mas acredito que é algo relacionado com o amor próprio. "Amar ao próximo como a nós mesmos" ainda está longe de ser uma prática estendida; e não havendo as ações desta divina frase sobre toda a humanidade, a gente tem que entrar na dança carnavalesca das máscaras. Mas vamos seguindo, não é assim, nobre missionário? Sua luta, assim como a minha, certamente conta com o aval de Deus, e aos poucos a sinceridade das pessoas haverá de sobressair-se das nefastas máscaras da hipocrisia. Meus parabéns pela notável crônica, lendo-a por inteiro e atenciosamente, colhi dela um bom resultado, pois eu vivo tentando sair desse fator negativo, que é o uso máscaras, mas no tempo presente tem sido até necessárias em alguns casos. Abraços fraternos a você e aos seus entes queridos, do "Mensageiro de Luzirmil" - leia pelo menos meu perfil e acene-me. Deus seja sempre sua luz.

Para o texto: COM QUE MÁSCARA VOU? (T2401783)
De: Bosco Esmeraldo

Apagar

26/07/2010 18:37

Olá Poesya! Visitando a página da professora Cássia resolvi fazer umas visitas aos seus visitantes. Com isto encontrei seus sonetos! São lindos. Li todos eles e parei nesse da esperança. Parabéns pelas lindas inspirações. Visite-me também, tenho alguns pequenos livros bons de serem lidos pelos colegas do Recanto. Olha voltarei a ler mais dos seus, pois vi que tens dedicação com a família. Eu sou conhecido como "O MENSAGEIRO DE LUZIRMIL" mas só levo mensagens de esperança. E Cristo é a Esperança. Abraços a você e aos seus entes queridos.

Para o texto: Soneto Esperança (T2134640)


De: Poesya

Apagar

26/07/2010 18:28

Olá Cássia. A saudade me fez retornar às suas páginas. Passei pela "vida", fiquei um pouco sob o "sol" e parti para esta humorística da copa. Daqui lhe mando meu aceno. Você é nota dez! Essa bailarininha tão aprumadinha, porém nervosa com a perda da copa é um barato. Ainda bem que temos a cozinha, um lugar de alto valor onde podemos, a partir dela pensar na janta! Falando nisso acabo de ser chamado pela Nita a ir jantar. Pena que a colega está longe, embora não tanto, mas certamente não dá pra vir aqui. Ah! um dia destes conversei com o Cardoso. Ele mora ai em Pirapetinga, em cuja residência cheguei a pernoitar numa de minhas peregrinações ao leste do Brasil. Bem, chega de lhe aborrecer! Abraços a você e aos seus, querida poetisa e professora! Acene-me, pelo menos.

Para o texto: COPA (T2328797)


De: cassiateixeira

Apagar

26/07/2010 18:10

Eis-me aqui, Gladys. Voltei a ler o "Pequeno Enredo" para lhe transmitir meu sincero agradecimento pelo retorno às minhas palavras. Fiquei tão feliz! Fui lá em seu e-livro e me emocionei. Para quem faz da música uma arte preferida, ouvir um piano daquele, dando cobertura às analéctas palavras! Obrigado, ó gentil poetisa! Pena que nosso mundo é muito grande e evidentemente nos perderemos pelas enfumaçadas brisas do vento! Abraços a você e aos seus entes queridos.

Para o texto: Pequeno enredo (T2398330)


De: Gladys

Apagar

26/07/2010 17:20

Olá, Cristiano. Apreciei a história, que rapa que o padre deu, hein? Obrigado colega, por nos presentear com tão belas histórias. Visite-me qualquer dia, assim trocaremos palavras. Abraços fraternos a você, meu irmão de letras! Deus te abençoe sempre.

Para o texto: GOLPE PERFEITO (T2259535)


De: Christiano Nunes

Apagar

26/07/2010 17:04

Oh! Estela. Como é bom encontrar pessoas que amam a Deus. obrigado pelo belo depoimento, no qual engrandecestes o nome de Deus. Visite-me no www.icopere.com, ou nas páginas do recanto. Quando alguém fala em Deus da forma que você falou, fico muito feliz. Obrigado, nobre poetiza. Que Deus seja sempre a luz que te norteie.

Para o texto: DEUS O GRANDE PAI...Ciranda como DEUS transformou a sua vida. (T179146)


De: Stellamaris

Apagar

26/07/2010 16:40

Olá, Dedete! Que bom! Os professores são raízes que sustentam nossa nação! Ah! Você sumiu! Ainda bem que fiz umas visitas em meus recebidos e te encontrei. Pude apreciar mais um tanto de suas belas composições. Abraços e parabéns nobre poetiza!

Para o texto: SOU PROFESSORA.... (T1867237)


De: dedete

Apagar

26/07/2010 16:27

Olá Gladys. Primeiro quero parabenizar-te pela inteligência demonstrada em seus publicados. Parei aqui, na TELA, após ter lido todos os demais da primeira página. Digo-lhe que são ótimos. Desculpe-me pela ousadia em visitá-la sem ser convidado, ocorre que tenho a mania de ler também as *criatividades dos amigos dos poetas que me visitam. Deu-se então, que tendo recebido a visita do inteligente Joseoli, li todos os comentários da primeira página dele e os demais das páginas dos autores que o visitaram. Ora, uma vez que os leio, faço-me notar com algum comentário, que sempre é longo, pois gosto de digitar, tanto o teclado de letras como teclados musicais, isto por que também sou músico e compositor. Mas falando sobre o terrível sonho do Joseoli, penso que um mundo sem as musas da alma do homem, deve ser cruel! Meus parabéns às mulheres. Nem em sonhos devem desaparecer! Bem, vou parar aqui, pois tenho que digitar para mais cinco visitantes ainda alheios à minha existência no Recanto; quem sabe eles me encontrarão também. Um abraço afetivo pra você.

Para o texto: TELA (T2312130)


De: Gladys

Apagar

26/07/2010 15:53

Que horror de sonho, Joseoli! Rapaz! dei uma lida em seus textos. São ótimos! Parei um pouco no político e me lembrei do arroz servido nos self-services por esses restaurantes brasileiros. Nunca se acha um arroz a altura dos que a gente aprecia! Será que uma candidata, já que é uma mulher, poderá melhorar, pelo menos o Arrozselv? Abraços a você, ó inteligente amigo do Recanto.

Para o texto: VÔTE!!! (T2383155)


De: Joseoli

Apagar

26/07/2010 06:20

Olá, Gabriela. Nesta manhã pus-me a ler cartas de diversos autores, no recanto. Encontrei esta em suas páginas e pude lê-la por inteiro. Parabéns! Continuo pensando que Camões, o grande compositor dos poemas e antologias *metagramáticas, lhe concedeu, talvez por um lápso, da interação *interpsicossamática, um pouco, ou até muito, de seu dom. No magicar se suas palavras encontrei sabenças para intuir que o áureo tempo aplicado em ler sua carta auferiu-me indúcias de saberes aulistas. Peço-lhe perdão, por não encontrar falas que dignifiquem a altura, tão alta expressividade gramatical oriundos de uma pensadora, e certamente grande poetiza! Aceite um abraço afetivo de Luzirmil.

Para o texto: Ansiedade (T1891753)


De: Gabriella Leite

Apagar

25/07/2010 22:10

Caramba! Gabriela. São verdadeiros borrões, não, porém de tintas, mas de compreensão! Parabéns. Olha, já me dei ao trabalho de publicar a "História de Juvenal"referente aos conselhos. Faça uma visita em meus e-livros e veja seu desfecho. Eles, os conselhos, não foram por mim criados, porém vieram de boca em boca pelos antigos, até chegarem a Luzirmil. Meu pai me contou a história, (entretanto dos quatro conselhos) lá pelos anos de 1953. Eu tinha nove anos, mas nunca, jamais esqueci do belíssimo conto. Acrescentei nele um conselho a mais, também não sei de quem foi sua criatividade. Bem, desejo-lhe uma boa noite. Caso você venha ler o conto, comente. Abraços fraternos a você.

Para o texto: BORRÕES (T2397182)


De: Gabriella Leite

Apagar

25/07/2010 08:18

Bom dia Tildé. Diante de sua prestimosa visita, passei a conhecer-te e por conseguinte fiz uma visita em sua página de humor. Parabéns. Li todos eles e parei neste aqui para comentar. Ainda bem que tudo se renova, até nossos visitantes que surgem são boas novidades. Aceite um abraço de agradecimento pela breve, porém valiosa visita às minhas páginas. Aceite um abraço amigo, e que tenhas sempre o sucesso ao seu lado.

Para o texto: Renovação (T2394370)


De: Tildé

Apagar

25/07/2010 07:50

Bom dia Gabriela. Pelo que notei em sua bela poesia certamente tens a ciência poética de Camões. Suas dulcíloquas palavras, com gramínias de beleza, em analéctas escritas, demonstram sua destreza. Muito obrigado pela matinal visita. Eu já estava ficando triste, pois havia mais de 24 horas que colega nenhum me visitava. E olha! seu sorriso na foto, associado à sua curiosidade em saber o desfecho dos conselhos apontados em minhas quadrinhas trouxe-me o ideal de publicar a parte do livro "TIMBRELINO HISTÓRIAS DE UM VIOLINO" que contém os conselhos. Aguarde, breve vou colocar em e-livros. Faça uma visita em www.icopere.com e participe. Receba um fraternal abraço do Peregrino Luzirmil.

Para o texto: AVESSO DESFEITO (T1902609)


De: Gabriella Leite

Apagar

24/07/2010 17:59

Noelzy encontre o amor na "festa da ilusão". Coloquei hoje em e-livros no recanto. E obrigado por nos presentear com "O trem e o amor" lindo poema! Parabéns e aceite um abraço fraternos de Luzirmil.

Para o texto: O Trem e o Amor... (T2217152)


De: Flor da Vida

Apagar

24/07/2010 07:46

Bom dia, Hélio. Muito obrigado pela nova visita. Pude ler todos os seus sonetos, resultando disso mais conhecimentos e vislumbres. Seus textos, assim como seus comentários incentivam os poetas menores a galgar a escada da poesia. Muito obrigado pelas palavras. Aceite um abraço fraterno do Peregrino de Luzirmil e dê alguns abraços amigos nas pessoas de seu convívio aí de Hortolândia. Ah! Em breve vou publicar no e-livros um pequeno romance intitulado "A FESTA DA ILUZÃO". Faça lá uma visita.

Para o texto: AMIZADE FRATERNA (T2318159)


De: heliojsilva

Apagar

24/07/2010 07:30

Bom dia, Suelzy. Voltei para te agradecer pela nova portentosa visita. Puxa vida! Você disse palavras que não mereço delas as virtudes! Olha, parei em "ALMA CARENTE" por ter lido a página inteira de suas mensagens. Você é nota dez mesmo! Certamente tens sofrido muito com o amor afetivo, pois só quem já passou pelas peripécias do cupido pode ter tanta inspiração para se desabafar em belos poemas inerentes. Sou seu fã. Escrevo estas palavras, desejando-lhe a felicidade que tanto foge dos poetas. Mas vamos alcançá-la! ainda que num outro plano, pois Deus já me revelou que os poetas e poetisas da Terra são Seus tesouros. Abraços fraternos a você e seus entes queridos.

Para o texto: Alma carente... (T2024850)


De: Flor da Vida

Apagar

24/07/2010 07:09

Bom dia, caro Wilson. Obrigado pela sua preciosa visita. Tendo um tempinho pude visitá-lo também e ler suas dezoito mensagens, voltando nesta: "MÃE". Muito linda! Para quem sempre teve um grande carinho com a mãe, como eu, me vi participante de seus versos. Pena que minha mamãe já partiu para habitar novamente nas estrelas! Mas a vejo sempre, num daqueles astros longínquos. Li também algumas mensagens de seus afastamentos, mas graças a Deus você continua conosco. Eu também faço minhas despedidas; isto ocorre em razão de ser instrutor para a conservação ambiental, embora voluntário, entretanto periodicamente sou convocado para ajudar no combate a incêndios e outros fatores, geralmente nas distantes regiões do Sertão Veredas. Tais viagens são longas e demoradas, além de serem arriscadas; por isto as vezes eu me despeço. Mas digo que fico ansioso para retornar e começar a digitar palavras para nossas páginas mundiais. Sou novo no Recanto ainda; ontem completou um mês que descobri esse canal, onde posso me associar com aqueles que têm os mesmos ideais que me enlaçam. Escrevo há muitos anos, e já publiquei muitos livros, mas nunca tive sucesso em suas vendas. Encontrei no Recanto das Letras, uma forma, ainda que não seja de vender minhas literaturas, mas pelo menos ficar conhecido. Bem, por hora despeço-me, até que haja outra oportunidade de conversar contigo pelos comentários. Abraços

Para o texto: MÃE ! (T2243687)


De: WRAMOSS

Apagar

23/07/2010 14:22

Olá, amigo Rui. Só de contemplar a foto dessas crianças a gente já se sente bem. Muito obrigado, permita-me designá-lo de doutor, pois os veterinários me são caros. Afinal sou um acirrado defensor dos animais. Tenho dois gatos que ultimamente têm sido clientes de uma clínica perto de minha casa. Olha, gostei muito de sua história sobre os sete pecados capitais. Ela trouxe-me o desejo de publicar aqui um pequeno livro meu, ao qual dei o título de "A FESTA DA ILUSÃO". Agradeço-lhe pelas inteligentes palavras colocadas em minha página. Aceite um abraço fraterno deste seu admirador. (COIMBRA "O MENSAGEIRO DE LUZIRMIL")

Para o texto: OS SETE PECADOS CAPITAIS (T2345502)


De: Ruy Silva Barbosa

Apagar

23/07/2010 08:28

Olá Dedete. Com tais descobertas, nossa tecnologia atual deve ser legada aos primórdios. Recentemente li um artigo citando que foi encontrada uma clave pré-histórica contendo câmera e sistema de monitoramento para auto ataque. Teriam os homens das cavernas realmente uma evolução ao nível de nossos tempos? Bem, mais uma vez agradeço-lhe pela nobre visita. Aceite um abraço fraterno de Luzirmil.

Para o texto: HUMOR DOS MINEIROS ... (T2232194)


De: dedete

Apagar

23/07/2010 07:59

"Nunca deixe um amigo sem resposta". Frase bem colocada, minha cara DRAGONFLY. Faço-a aqui como forma de agradecimento pela sua visita em minhas páginas. Pude ler alguns textos seus, inclusive de seus amigos publicados em suas páginas. Li todos os das orações; achei-os lindos e com profundo toque de poder da positiva fé. Obrigado, amiga de letras, por ter tirado um tempo para ler textos deste peregrino. Aceite meu votos de sincera amizade.

Para o texto: Vida... (T2380789)


De: DRAGONFLY

Apagar

23/07/2010 07:42

A rosa tem seu encanto, no perfume e colorido, seu cordel tem a beleza, e um profundo sentido, dou-lhe aqui os parabéns, pelo tanto que já vens, nos alegrando em seus lidos! Abraços, caro Miguel.

Para o texto: HOJE VOU ME ENROLAR. (T2394414)


De: Miguel Jacó

Apagar

22/07/2010 17:48

Olá, Édson! Me emocionei com o lamento do menino. Seria você tão dedicada criança? Bem, felicito-lhe pela bela crônica da vida. Meu avô era português também, contudo não cheguei a conhecê-lo. Segundo meus pais, quando ele faleceu, com 104 anos, eu ainda não existia. Foi lá pelos anos trinta do século passado. Bem, caro colega, estou aqui mais uma vez, para agradecê-lo pela visita e palavras de otimismo. Deus cumpriu o que você profetizou no comentário. Sobre aquele meu pensamento, digo que poderia ser o final; afinal fiz uma viagem de 2600km por rodovias de tráfego pesado, onde os motoristas das carretas não respeitam os viajantes. Naquelas vias do norte de Minas há um verdadeiro transtorno, onde o direito dos motoristas de carro deixa a desejar. Abraços, nobre colega, e parabéns por suas colocações literárias de fino gosto.

Para o texto: Só um dedo de prosa e uma lágrima (T2367591)


De: edson gonçalves ferreira

Apagar

22/07/2010 17:10

Juli, aqui é Luzirmil. Muito precisa a sua pergunta. As respostas coadizem, porém, positivamente com a filosofia da negativa. O que é o caos? Ah! Tem tantos fatores negativos que ocorrem no transitar desta palavra, quer na fome, frio e dor; contudo havendo um gesto de amor vindo da poesia, tudo pode ser suplantado. Obrigado, amiga, pelo carinho, inclusive pelo email que me enviou contendo belas palavras. Aceite um Abraço deste companheiro de letras.

Para o texto: Há quem encontre POESIA no "caos"? (T2384848)


De: Juli Lima

Apagar

22/07/2010 16:52

Olá, Otávio. Belo pensamento sobre o encontro! É isso mesmo, amigo. A gente se encontrando, encontra tudo de bom, inclusive os amigos que temos no recanto. Você tem notado que no Recanto das Letras a gente se encontra? E que tal encontro acontece de duas formas? com a gente mesmo e com os prezados amigos, como você e outros. Bem, cá estou depois de ter feito um giro pelo Serão Veredas. Parti de Ribeirão Preto no sábado, as doze horas do dia dezessete, pernoitei em Lagoa Formosa, de onde, no dia 18 segui tendo por companhia um colega de trabalhos voluntários na área da ecologia. Rodei um total de 2600km, retornando hoje dia 23. Muito grato, caro Otávio, pela visita na página do pensamento, que poderia ser o final,(já acrescentei lá algumas palavras) já que o movimento nas estradas estão perigosos para nosso corpo frágil. Vamos continuar, pois graças a Deus, a viagem foi maravilhosa. Nem mesmo um pneu da condução veio a se esvaziar, embora tenhamos andado em precárias estradas. Abraços, caro colega.

Para o texto: OTIMISMO... ÓTIMO + MESMO (T2207659)


De: OTAVIO JM

Apagar

22/07/2010 16:24

Ah! Quantas vezes, irmã Adelaide eu suscitei de Deus, asas para voar...voar...voar, mas pensando em nunca retornar!Quero agradecer-lhe pelas palavras de carinho. Talvez tenhas percebido, através de minhas literaturas, com seus ângulos lapidados e direcionados para as diversas filosofias do recanto, menos a erótica, que eu também tenho muito amor no Senhor das Luzes, inclusive é Ele a luz da minha inteligência, sem a qual eu não poderia louvá-Lo!Quero mais uma vez lhe agradecer pela visita, desta vez à Janela do Céu. Deus te abençoe, cara pastora Adelaide, e receba meus parabéns pelas belas frases.

Para o texto: BATER ASAS E VOAR (T2371185)


De: Pastora Ademilde Tostes

Apagar

22/07/2010 15:50

Olá Flor da Vida. Aqui é o Luzirmil. Muito obrigado pelas palavras. Precisei deixar nosso convívio por uns seis dias. Sou técnico ambientalista e constantemente me convocam para trabalhos, ainda que voluntários, porém necessários, lá pelas margens do rio São Francisco, nas regiões de Januária. Escolhi sua frase para responder-lhe em razão de que realmente nossas portas nunca ficam totalmente fechadas. Já completei o pensamento da viagem, vá lá e leia.Abraços, e vamos continuar a levar poesias para o mundo.

Para o texto: Porta do céu... (T2105522)


De: Flor da Vida

Apagar

17/07/2010 09:05

Olá! Dedete! Que saudade! Que legal que você voltou! foi bom, pois pude ler mais poesias suas, e como são belas! Nesta aqui, do seu olhar? O que vejo? Vejo teu ser interior (o espírito) que jamais mente irradiando beleza e sinceridade ao olhar dos poetas *tríplicos. Quanto a ser perfeito todos somos, *uai! Imagine alguém tendo corpo mas não tendo vida, ou que tenha o corpo com vida, mas não tenha a presença de espírito! Você, além dos três fatores, tem os encantamentos, retratados, não só no corpo, mas também na inteligência. Gostei de sua visita, vou publicá-la embora tenha achado nela uma pontinha de crítica não concordativa. Mas valeu, querida. Que tenhas sempre a divina proteção em suas três composições do existir! Aceite um abraços de um peregrino.

Para o texto: FALANDO AO TEU CORAÇÃO... (T2376413)


De: dedete

Apagar

17/07/2010 05:39

É uma grande verdade, nobre Djalma. A saudade é uma sombra presente no sentimento de que viveu suas virtudes. A gente só tem saudade das coisas boas que ficaram, quer no tempo, quer na distância; sejam de pessoas, lugares, enfim até de certos momentos da vida. Meu sincero abraço pra você e aos seus entes queridos. Agradeço-lhe mais uma vez por visitar minhas páginas.

Para o texto: Amar o perdido (T2282320)


De: Djalma CMF

Apagar

17/07/2010 05:30

Olá, querida amiga Flor. Aplausos mil para suas *dulcíloquas palavras dirigidas para nossas mães. Sem muito assunto por agora, desejo-lhe um bom dia e cheio de paz. Mais uma vez, obrigado pelas palavras de carinho em seus comentários sobre meus escritos.

Para o texto: Amor de mãe... (T2378181)


De: Flor da Vida

Apagar

17/07/2010 05:15

Olá, As. Bom dia pra você. Pude ler tudo que escreveu em seus seis reflexivos textos. Muito bons. Seus pensamentos diferem da maioria dos poetas e pensadores do Recanto, que geralmente são voltados para os haréns da vida . Achei sua crônica um barato, isto no sentido *admirativo; inclusive me identifiquei no trocadilho: "Sou eu sendo você sem ser eu, mas sou eu". Parabáns, e obrigado pelas visitas. Por sua colocação, sobre "Os pensamentos que geram ideologias...pensei em mudar para um sentido menos drástico. Vivo aprendendo e você me ensinou algo que eu não sabia. Abraços. (por favor, ignore os erros aqui contidos) (*do meu dicionário particular)

Para o texto: Narrativa (T2355098)


De: As Espada

Apagar

16/07/2010 14:31

Olá Fábio. Cá estou mais uma vez para lhe fazer um sincero agradecimento pelas apreciações de minhas colocações no Recanto. Pena que meu tempo hoje está um tanto restrito, caso contrário eu iria ler e comentar diversos colocados seus. Mas fa-lo-ei assim que o tempo se me apresentar disponível. Aceite um grande abraço deste poeta, seu colega de sentimentos e admiração. Até breve e que Deus continue te iluminando, nobre amigo Fábio. E viva o povo brasileiro!

Para o texto: Viva o Povo Brasileiro (T2338454)


De: fabio brandao

Apagar

16/07/2010 14:13

Olá Gio, escolhi FITAR para lhe agradecer pela visita e dizer-lhe que mais uma vez fiquei contente com sua preciosa atenção. Nunca me esqueça, viu; assim também sempre estarei me lembrando de comentar, ainda que não todos que possa a ler, mas pelo menos alguns textos seus. Abraços, querida.

Para o texto: Fitar (T2377576)


De: Gio Amor

Apagar

16/07/2010 14:04

Meu nobre Caruso! Ante sua quântica inteligência sinto-me pequeno para lhe enviar palavras! No meu *autodidatismo porém, modéstia à parte: especialista em captar essências dos talentos elevados como o seu e outros de seu quilate, me vi, quase que obrigado a lhe enviar este humilde comentário. A preciosidade de suas, (ainda que poucas, pois gostaria de ler mais) palavras comentadas em um texto meu, elevaram-me a moral, dando-me reflexiva meditação para apor-lhe meu agradecimento. Li seu perfil, onde já de início me senti valorizado por tão portentosa visita aos meus escritos. Acirrou-se-me mais ainda a atenção para contigo, ao ler todo o conteúdo de seu discurso, por cujas colocações parabenizo-lhe com profunda estima. Oliveira Caruso! dois vocábulos usados mais como sobrenomes, sendo que o primeiro tenho como complemento final de meu nome inteiro; o segundo designa um grande cantor de óperas! Um tenor de tempos idos. Olha, meu amigo, este espaço é pouco para o muito que eu gostaria de comentar seu discurso, principalmente no que toca à musica. Em tempo, embora eu seja autodidata em tudo, também sou músico e compositor, dominando instrumentos, tais como piano, violino, violão e principalmente minha velha "harmonica" (acordeão)a qual denominei de "SOFRIDA", pois desde que a adquiri, há 40 anos atrás, nunca mais (para não armazenar fungos) a coloquei dentro de seu estojo, assim ela tem sofrido muitos revezes, mas conservo-a afinada. Bem, vou terminando por aqui, fazendo um sincero agradecimento por teres descido a escada e visitado o porão deste humilde peregrino. Desejo que sejas sempre um protegido das forças celestes. Abraços, amigo. Até.

Para o texto: POESIAS DE PAPEL (T2097340)


De: oliveira caruso

Apagar
Para o texto: ALÉM do horizonte visto... (T2330494)
De: Juli Lima Com. em 16/07/2010 09:34
Juli, sou eu, Luzirmil! Muito obrigado por visitar-me. Na grandeza de uma inteligência como a sua, eu, como um peregrino caminhante nas estradas (nos tempos atuais mais acomodado) senti-me mui pequeno, porém me vislumbrei com seus textos! Você prima na revelação de grandes pensamentos poéticos! Olha, busquei alguns lá no início, depois aleatoriamente fui abrindo suas páginas, aqui e acolá, fazendo por fim, uma parada neste pensamento: "Além do Horizonte Visto..." Quantas vezes, eu seguia por uma longa rodovia, a pé, buscando com as visões do pensamento, ver, além do horizonte estendido, o que estaria me aguardando nas longas JORNADAS (leia uma delas em e-livros com o título: "UM VIOLINO NAS...") que se me apresentariam no tempo e espaço pela frente! Oh! Juli! Seus pensamentos sobre o vocábulo "horizonte" me trouxe em recordação o tanto que já andei visando alcançar metas desconhecidas! Muito já escrevi também sobre este substantivo que se expande, não só na percepção dos olhos, como em muitos fatores de nossa vida! Quando leio, em algum artigo sobre astronomia, a frase: "HORIZONTE DOS EVENTOS" sinto ânsias por conhecê-lo e transpô-lo, porém por mais que tenha caminhado na tentativa de realizar tal façanha, não consegui! Acredito em sua frase, querida; é muito bela. Tenho viva esperança de entrever a eternidade, onde as poesias se transformarão em aquarelas maravilhosas, porém reais, compostas nos jardins de encantos que a gente sempre vê nos desenhos de contos de fadas. Obrigado, Juli, por levar meus devaneios além das trilhas perdidas na pobreza deste nosso mundo, cujos horizontes, têm duas performances...(da vida na esperança) e da morte (no encerramento e escurecer do picadeiro). Oh! Lágrimas... Abraços querida Juli. E lembra-te que passei a ser teu admirador. Que Deus nos leve a encontrarmo-nos num horizonte de paz e de vida eterna. Amém

PENSAMENTO DE LUZIRMIL

 

Assim diz seu pai:



“O que tenho a lhe dizer, filha, é que os poetas amam os poetas, as dores de um atinge o coração de outro, isto quando são poetas de verdade! Agradeço-lhe pela poesia de sentimento por minha partida. Mas estou bem, muito bem mesmo!  Alegra-te com seus colegas de poesias, componha-as mas que sejam poemas limpos, como os que há  no lugar onde me encontro!  Aqui é tudo tão lindo!  Abraços, filha”.

 

De Luzirmil:



Tamara ,  agradeço-lhe por suas  palavras de retorno em “VAMOS CAMINHAR”. As noites escuras representam nossas dores e sofrimentos, nossos bons pensamentos representam a esperança de um mundo futurâmico ao ângulo do espírito, onde as mazelas religiosas não existirão, mas sim um arco-íris de luzes multicoloridas do qual certamente seu pai já faz parte. Ele esta numa órbita ordenada, em torno da estrela maior:  DEUS, sem o  caos existente no Universo, seja ele em forma de turbilhões de energias estelares, seja em forma de turbilhões de pensamentos onde o bem se mescla com o mal!  Abraços, ó poetisa!




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   29   30   31   32   33   34   35   36   37


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande