Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página18/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   37

Para o texto: CAMA DE GATO - Silvia Regina (T746506)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

17/09/2010 09:55

Oi, Olguinha. Te encontrei ali na Neusi e interessei-me em te visitar. Ia lhe mandar este comentário, no texto sobre o mar, pois foi muito bem composto; com ondas, ventos, navios e outros fatores, que enfeitaram sua poesia. Ocorreu que o sistema para comentário não abriu, assim vim neste aqui, que também ficou muito bom, mesmo por que você grafou com letras maiúsculas que DEUS É PERFEITO. Achei muito boa a sua inspiração. Ah! sobre o outro - do mar - eu ia comentar lá devido uma ocorrência que se deu comigo anos atrás, quando eu e mais cinco companheiros fomos atravessar o Rio Grande, inclusive levando nossos instrumentos musicais, para tocar uns hinos na casa de um fraterno que morava ribeirinho à margem oposta. O fato é que por um movimento brusco que fizemos dentro da canoa ela virou antes de aportarmos. Minha harmônica "sofrida" quase foi embora, mas fui esperto e segurei-a com os dentes, pelas correias, conseguindo nadar para a margem, mas com bastante aflição, pois distava uns cinquenta metros de onde a canoa virou. Cada um fez o que pode para se salvar. O irmão que tocava um bombardão o perdeu seu nas águas do rio e nunca mais foi encontrado. De minha parte para que a "sofrida" não viesse a se danificar, eu a desmontei e pus seus elementos, inclusive o fole, para se secarem ao sol, que por sinal estava muito quente, como o sol do seu mar. Seu poema sobre o mar me fez ver o horizonte ondulante do reino de Netuno, além de me recordar do aperto que passamos com as muitas águas do Rio Grande. Desculpe-me pela extensão dos assuntos, mas tenho a mania de escrever e quando não estou compondo meus textos, gosto de compor comentários. Meus parabéns pelos seus publicados e aceite um abraço afetivo do Luzirmil.

Para o texto: }}} AO SOM DO VENTO {{{ (T2499287)


De: olguinha costa

Apagar

16/09/2010 22:44

Que interessante, professora Marlene! O menino não enxergava corretamente e se sentia acanhado de dizer aos outros!? Sua crônica serviu para fazer minhas ponderações. As vezes tenho ido em alguma missão de atendimentos, nas regiões carentes do norte de Minas e encontro tantos problemas sociais que as vezes poderiam ser solucionados com alguma investigação mais profunda. Doravante passarei a observar as atitudes, mormente das crianças, que sempre é o alvo de nossos atendimentos. Ah! Deus te abençoe pela leitura de minha prosa poética. A flor ainda está viva, porém feliz com o jardineiro lhe que apresentei. Até fui padrinho de casamento; sofrendo evidentemente! Mas ninguém soube que um poeta sofreu em silêncio, só os confrades do recanto. Hoje escrevi dois cordéis "O MAMÃO DOURADO" e "VOLTANDO À ALEGRIA". Abraços, cara professora.

Para o texto: Brincar e chorar tem tempo (T2502430)


De: Marlene Cerviglieri

Apagar

16/09/2010 21:14

Olá Ysolda, que bom encontrá-la em minha página de hoje! A Nita faz doce de abobora, cozinhando-as com casca e tudo, depois do aboborão bem cozido ela a parte em talhas, tira as sementes e com a polpa faz uma deliciosa massa ,misturando rapadura moída. Precisa ver que delícia. A interação do gosto da abóbora com a rapadura, quando a gente come, faz água sair da boca, a ponto de ocorrer o que ocorreu com o cão do meu texto: "TRÊS PROVÉRBIOS"! A gente baba! Ah! Mudando de assunto, hoje rastreei sua encomenda, mas ainda está em via. Aguarde e leia o livro de um pouco de minha vida e a viagem ao estado de Pernambuco em julho de 2009. Avise-me ao receber. Abraços afetivos pra você.

Para o texto: PENSAMENTO FILOSÓFICO (T1610904)


De: Ysolda Cabral

Apagar

16/09/2010 21:03

Lindo, Lindoval! Um habitante onde mora o gado tem o acalento dos sagrados animais da Índia! Deles nos vem o portentoso leite e a substanciosa carne para nos alimentar! Obrigado pelo retorno, caro capitão, até me esqueci dessa graduação carreirista. Eu já fui tenente, porém num posto de flanco tocando boiada. Lembra do Jair Rodrigues, em sua "DISPARADA". Os boiadeiros usavam as graduações militares para se auto denominarem autoridade no conduzir boiada e tropas de burros (isto décadas atrás) pois hoje os boiadeiros são caminhoneiros, que entendem muito de caminhão e um pouco de bois. Uma abração pra você e seus entes queridos, caro capitão poeta.

Para o texto: DO SERTÃO INCORPORE A SUA ALMA/E HABITE NO CHÃO QUE O GADO MORA...(T1293758)


De: lealrodrigues

Apagar

16/09/2010 20:49

Diz um ditado de Luzirmil, que a afronta se combate com a indiferença. Já ocorreu-me de ser ofendido, *fiz tipo assim: botei meu ofensor no gelo. Passando-se algum tempo ele procurou-me perguntando-me se eu o esquecera. Oportunamente lhe falei: Ora, você pisou na bola e a prendeu, assim precisei sair do gramado. Mas voltando às suas personagens: "A COBRA E AGUIAZINHA", a segunda não deixou por menos! não é mesmo querida Neusi. Pela foto, a cobra se tornou futuramente uma transitória amiga íntima da águia, já que foi para seu estômago e depois para a moela, e dali...Parabéns pelo belo texto, ó nobre poetisa. Mando-lhe um afetivo abraço.

Para o texto: A COBRA E A AGUIAZINHA(Fábula) (T2500318)


De: Neusi Sardá

Apagar

16/09/2010 13:19

Muito boa, sua canção do exímio, caro Le. Eu escrevi a canção do escorpião, assim:"Minha terra tem montanhas, E nas pedras escorpiões; Seus aguihões ferem menos, que minhas recordações!" (De um poema meu no final do livro de 250 páginas, também de minha autoria: "CALENDAS DE UMA VIDA". Abraços e meus parabéns pela canção.

Para o texto: Canção do Exímio (T2501466)


De: Le Vay

Apagar

16/09/2010 13:10

Cetelhas de felicidades pra você Silvia. Meus parabéns por mais este lindo soneto centelhante. Se não o fizeste ainda, visite-me em "TRÊS PROVÉRBIOS". Um abraço afetivo pra você.

Para o texto: A CENTELHA --- (Soneto n.155) --- Silvia Regina (T2498898)


De: Silvia Regina Costa Lima

Apagar

16/09/2010 06:57

Us pulíticus, inté qui são genti boa! onti veiu um aqui im casa e mi sardo cum boa tardi, cum muita aligria, coisa qui faiz tempo que nem meus visim faiz. Us cara são bão memo! Será qui é pur causa das eileição nu meis qui vem?Olá, Aldemar. Gostei da sua chegada ao céu. Mas te confundiram, rapaz! Abraços, nobre colega.

Para o texto: LÁ TODO CANDIDATO É FICHA SUJA. (T2500849)


De: aldemaralves

Apagar

15/09/2010 21:12

Sua ciranda me fez lembrar dos dias em que fui cirandado pela uma paixão por uma flor, busque e leia: "A FLOR FEITICEIRA". Parabéns pela sua cirandinha e aceite um forte abraço de Luzirmil.

Para o texto: Estranho amor (T1658307)


De: Maria Socorro Costa

Apagar

15/09/2010 21:07

Olha só, Teca! Quanta gente boa te comentando! Mas também! Vale a pena te ler. Meus parabéns e grato pela portentosa visita. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: Anoitece... (T2479480)


De: Teca

Apagar

15/09/2010 21:02

Só mesmo com a força da oração é que venceremos, cara Maria. Obrigado pela visita ao Luzirmil. Abraços afetivos pra você.

Para o texto: Deus (T800267)


De: Maria Socorro Costa

Apagar

15/09/2010 20:14

Ah! Vânia! Sua carta ficou boa, porém os correios de hoje deixam a desejar. Só entregam cartas registradas, pois tenho postado algumas simples, e além de não serem entregues não devolvem também. Parabéns por suas palavras. Leia o meu soneto "VOZ E OLHAR DE POESIA" e comente. Ficarei contente sabendo que alguém leu. Congratulações.

Para o texto: Pode virar poesia... (T2500146)


De: Vania Lopez

Apagar

15/09/2010 18:00

Interessante assunto, nobre colega Beatriz. É por isto quesempre coloco em algum texto meu apontamentos sobre as induções psicossomáticas. Teria havido relatividade interativa de seres entre você e a Atiz? Bem se não houve, mas pelo menos aqui na rede virtual fica o alicerce da amizade. Eu sou fã da Atiz e passarei a ser seu fã também, pois a cada novo amigo, ou amiga que arranjo no RL aumenta meu poder de raciocínio, já que recebo sua interações através de seus textos. Parabéns pela redação e aceite um abraço de Luzirmil.

Para o texto: UM CASO MISTERIOSO (T2499916)


De: Beatriz Cruz

Apagar

15/09/2010 13:05

Ah! Não Renato! Esse eu preciso dele em meu email para enviá-lo, (evidentemente contendo seu nome de autor) para meus amigos. É demais! Moço! Me vi debaixo do meu "PÉ DE MACAÚBA E O TEMPO". Rapaz! gostei barbaridade! Ah! mas falando sobre Vitória, acho que a coisa por aí não é tão ruim como pintas. Há dois anos atrás estive aí; ocasião em que me confundi no trânsito e entrei numa contramão, dando de cara com uma viatura policial. Eu estava numa Sprinter com mercadorias. Na hora deram sinal para que eu parasse. Abordando-me eles, (estavam em três policiais) tentei lhes explicar que estava apavorado numa cidade que eu não conhecia, por conseguinte não prestara atenção às placas indicativas, ocorrendo aquele fato. -E onde o senhor pretendia ir - disse um sargento. - Estou a procura da CCB, numa missão de entrega de mercadorias para serem distribuídas aos pobres daquela comunidade. -Muito bem- disse o policial - manobre a van e siga-nos vamos para a delegacia. Nervoso, porém contendo algum ímpeto, fiz o que o sargento mandou e os acompanhei metodicamente pelas ruas de Vila Velha, sendo que em vinte minutos me levaram, justamente em frente à CCB, local de meu destino. -É aqui, amigo, onde querias chegar? - inquiriu-me o policial. -Ah! pensei que estavam me conduzindo para a delegacia. É aqui mesmo. - falei. -Ora, pela placa notamos que o senhor nada conhecia por aqui, assim viemos traze-lo. Foi assim, nobre colega Ranato, que fiquei fã de Vitória, e principalmente dos policiais, que além de me levarem onde eu tinha que ir, não me multaram. E viva Vila Velha e o grande Renato, que me fez reviver com risos e saudades, meu tempo de menino. Se puder envie-me o cordel pelo icopere.literdive@gmail.com. Reenviar-lhe-ei o conteúdo dos enviados as meus amigos de infância. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: Lembranças da infância. (T2499193)


De: Renato Lima

Apagar

15/09/2010 11:59

Noeli,voltei para dizer-lhe que indiquei-lhe um texto errado, o exato é "RELATOS DE UM ASSALTADO" Leia e veja o que o rapaz passou de aperto. Mande-me seus adoráveis comentários e indique-me textos seus.

Para o texto: LER - ATO DE PRAZER (T1576175)


De: Noeli Lazarotto

Apagar

15/09/2010 11:08

Gostei muito de seu artigo, cara Noeli. Pouco estive em escolas, entretanto muito tenho lido. Tal tenho feito, a ponto de contabilizar em minha memória, cerca de nove mil vocábulos. O interessante é que, quem muito lê, tem um pouco de tudo, como dizem: de médico e de louco e até mais, no meu caso, até de astrônomo! Parabenizo-lhe pelo previdente artigo. Para nós recantistas, incentivar à leitura é um ato de dever. Quanto a isto, agradeço-lhe pelo maravilhoso comentário que fizeste recentemente de um texto meu: "TRÊS PROVÉRBIOS". Muito obrigado, querida colega. Hoje escrevi "NARRATIVAS DE UM ASSALTADO"

Para o texto: LER - ATO DE PRAZER (T1576175)


De: Noeli Lazarotto

Apagar

15/09/2010 10:50

É verdade Elida. Principalmente as tais cobras criadas! Hão de se devorarem! Parabéns pelo pensamento. Abraços de Luzirmil

Para o texto: Cobras (T2499204)


De: Elida Almeida

Apagar

14/09/2010 22:09

Magnífico! Moço! pra saber todas essas siglas governamentais é preciso ser um catedrátido da panelinha! Parabéns Renato.

Para o texto: Regime militar. (T2206124)


De: Renato Lima

Apagar
14/09/2010 22:05

Bem diz a Noeli, e bem colocas em seu cordel as peripécias valorosas da renúncia. Nem dá pra comentar, pois os companheiros já disseram tudo! Parabéns por este também Renato.

Para o texto: Renúncia (T2236293)
De: Renato Lima

Apagar

14/09/2010 22:00

A natureza do mar, representada nas palavras do seu cordel, tende a nos fazer meditar na sabedoria de Deus ao construir tão arrojado logo no planeta. Parabéns por este também, caro Renato. Nota dez.

Para o texto: O mar. (T2240248)


De: Renato Lima

Apagar

14/09/2010 21:55

Excelente, caro companheiro! Minha mãe foi isso daí pra muitas crianças recem nascidas. Parabéns.

Para o texto: Mãe de leite. (T2242514)


De: Renato Lima

Apagar

14/09/2010 21:52

Muito bom esse também, caro Renato! Vou para outro agora. Abraços.

Para o texto: O retrato (baseado em fato real) (T2497095)


De: Renato Lima

Apagar

14/09/2010 21:47

Boa noite Malu. Vim aqui em seu silêncio para fazer um pequeno comentário sobre este substantivo abstrato, que muito me encanta. Nestes dias, só estou tendo silêncio quando vou para o Sertão Veredas, longe das potentes antenas de FM e telefonia. Não sei se é impressão minha, mas parece-me sentir no cérebro, não só um contínuo tinir de portadoras misturadas, como também as modulações dessas emissões. Tem horas que aumentam o tinido, a ponto da gente ficar sem lugar para descansar a mente. São 24 horas de emissões de rádios FM com até 40.000 wats de potências, agora acrescidas destas bandas largas, embora menos potentes, entretanto muito mais penetrantes. Nosso meio ambiente já é um forno de microondas, que só não nos cozinha, pela dispersividade. Oh! Malu! Quem dera houvesse o silêncio das ondas hertezianas! Já não estou aguentando mais essa "gastura", que noite e dia contamina a paz da atmosfera! Bem, desabafei com você, a raiva que estou tendo das ondas de rádios e telefonia. Quero o silêncio para ficar atento, como você testifica. Abraços, querida poetisa.

Para o texto: Silêncio (T2465022)


De: malu Dab

Apagar

14/09/2010 18:23

Ler seus cordéis é ser contemplado com degraus de sabedoria!Tenho até relido alguns, por achá-los de conteúdos mais do que instrutivos. Mais uma vez meus parabéns e grato pela sua honrosa visita.

Para o texto: Persona non grata (T2454469)


De: Renato Lima

Apagar

14/09/2010 18:12

Dá pra imaginar? Nobre colega. Belo pensamento subjetivo. Parabéns. Quero lhe agradecer pela leitura de minha crônica sobre o sepultamento do meu irmão. Muito obrigado pelos pêsames, e vamos continuar até nosso tempo se esgotar. Abraços.

Para o texto: Deus (T675391)


De: Erik Kurkowski Weber

Apagar

14/09/2010 18:07

Muito bom seu pensamento, viu Betãnia. Para se conquistar um coração, que as vezes foi ferido, é necessário que o conquistador seja bom mesmo; pois uma alma abatida é difícil de retornar ao que era. Sobre o meu "TRÊS PROVÉRBIOS" o cão tinha suas razões, e a jaqueira também, o casal, entretanto não. Daqueles três embolos com os quais me entrevi o que me deixou mais abatido foi a briga do casal, pelo mau procedimento,tanto do homem como da mulher, pois me desacataram. Nunca mais me atrevi a dar conselhos em tais situações. Abraços e parabéns pelos seus publicados. Indico-lhe: "PENSAMENTO ILUMINADO".

Para o texto: Frase (T2428651)


De: Betânia

Apagar

14/09/2010 13:48

Você se lembra da onda de saudações, quando algum conhecido encontrava um colega e dizia: "tudo azul companheiro?". Teria analogias com a existência desse morro? Ah! Claro que tem!-Você dirá: Pelo que vemos dos satélites, a Terra é um verdadeiro morro azul! Sem pretensão você descreveu a beleza da libertação dos escravos, com a beleza de nosso planeta morro! Um carinhoso abraço e meus sinceros agradecimentos pela visita, nobre companheiro de letras. Indico-lhe hoje: "O PISAR NA BOLA É BOM". Até.

Para o texto: Libertação (T2255785)


De: JPonto

Apagar

14/09/2010 13:35

Seu "COMO ENRIQUECER" ficou muito bom, caro Djalma. Ao final do meu, nossas palavras são análogas, embora de ângulos diferentes. Indico-lhe o cordel: "TRAJETÓRIA DE UM VALENTE" Um homem pobre, mas que se enquadrou perfeitamente em sua teoria de enriquecimento. Leia o meu texto ralativo. Bem, gostei de sua crônica, portanto vou ler outros publicados seus. Caso dê preferências, indique-me por comentário. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: COMO ENRIQUECER (T790787)


De: djalma pereira guedes

Apagar

4/09/2010 13:27

Autêntica subjetividade! meu nobre colega de letras! Parabéns. Riqueza é isso daí! Saber bolar! Abraços de Luzirmil

Para o texto: Como Enriquecer (T497412)


De: Erik Kurkowski Weber

Apagar

14/09/2010 13:23

Hah, hah, hah... esse foi de rir mesmo, meu caro Sigmar!Muito bem arranjada essa sua forma de enriquecer. E tens toda razão! Carácas! Abraços e parabéns.

Para o texto: COMO ENRIQUECER (T119417)


De: Sigmar Montemor

Apagar

14/09/2010 13:17

Palavras eruditas! Certamente tem te sintonizado na interativa psicossomática de Camões, ó nobre colega! Meus parabéns pelas prodigiosas catorze linhas de seu notável soneto. Bem, não posso expressar o alto valor de seu intelecto, entretanto posso apreciá-lo em suas literaturas no Recanto. Mudando de assunto, seria o nobre colega de letras, um oficial da classe dos tenentes, ou dos majores? Bem, o importante é que és um poeta e valoriza seus companheiros com palavras de incentivo como fizeste no comentário de "UMA NOVA ALEGRIA". Muito obrigado pelo valor dado a um simples peregrino, poeta e voluntário ambiental. Indico-lhe hoje "COMO ENRIQUECER". Abraços.

Para o texto: LÁGRIMA... (T2494516)


De: lealrodrigues

Apagar

14/09/2010 08:48

Amar também se aprende valorizando. Você, cara Malene, certamente tens a sabedoria do amor, haja vista o carinho com que trataste um poeta peregrino. Vim aqui, no primeiro texto seu no RL para lê-lo e comentar, não só sobre ele, mas aos demais seus que li. Acertadamente és uma professora na arte de escrever crônicas de amor. Meus parabéns! Fiquei feliz com sua pronta resposta ao meu comentário. Parabenizo-lhe também pelo número de leitores conquistados. Continue nos brindando com suas poesias e letras. Abraços afetivos de Luzirmil a você!

Para o texto: Aprendendo a amar. (T192102)


De: Malene

Apagar

13/09/2010 21:07

Pequena, porém bela crônica sobre o abraço, cara Marlene. Parabéns pelas notáveis letras. Abraços de Luzirmil para você.

Para o texto: Foi só um abraço! (T2496177)


De: Malene

Apagar

13/09/2010 21:04

Belas palavras, Paulo. Mas ficar sem coração não dá! Ah! Mas você fala do coração "SER". Aí ficaria assim: Meu ser tem fortes asas, porém com ele não posso voar, pois ele só voa sozinho, para meu amor encontrar! Desculpe-me pela brincadeira, Paulo. bem vindo ao Recanto. Abraços a você caro colega, e siga em frente.

Para o texto: Asas (T2496159)


De: Paulo Rioh

Apagar

13/09/2010 20:51

É isso mesmo, caro Zaymon. Seja, seja, para o bem e nunca, nunca, para o mal! Sua coluna de frases me fizeram lembrar de uma vez em que fui me confessar, num tempo em que eu era aficcionado à igreja católica, vindo o sacerdote, após minha confissão, a dar-me algumas sentenças com o radical "nunca devo" as quais eu deveria repetí-las por cem vezes; isso em troca do perdão pelas minhas faltas. Cumpri a ordem, mas até hoje martelam em minha cabeça! Entretanto foi bom, pois a lembrança do que "nunca devo fazer" ficou registrada em meu sub consciente através dos anos, me livrando de muitos tropeços na vida! Parabéns pela bela coluna do "seja positivo e nunca negativo"! Abraços.

Para o texto: NA LINHA DO TREM (T2480617)


De: Zaymon Zarondy

Apagar

13/09/2010 19:01

Eu tenho sido isso que você diz na poesia, cara Eliane. Vivo procurando saber por que existimos, numa vida construída com tanta sabedoria por um Criador enigmático, mas que respeitamos. Até escrevi no RL;"POR QUE EXISTIMOS?". Meus parabéns pelos versinhos sábios. Abraços de Luzirmil.

Para o texto: VIVER É A MAIOR SABEDORIA (T2495911)




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   14   15   16   17   18   19   20   21   ...   37


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande