Analec e os mercadores de liçÕES



Baixar 2.76 Mb.
Página15/37
Encontro24.10.2017
Tamanho2.76 Mb.
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   37

Para o texto: Desejo (T2347854)


De: Nalva

Apagar

24/09/2010 10:02

Que jardim maravilhoso é esse? Querida Aurem. Deste um belíssimo contraste nele através das letras, retratando com precisa fidelidade os delineios de toda a composição. Tive preocupação com o cão bravo. Já no tocante à música, me pus a pensar que estava lá, pois sou tecladista e compositor. Minhas músicas e letras no entanto eu as classifico como "sacros poemas musicais". Tenho a letra de alguns aqui no recanto, leia em "O CÂNTICO FINAL" mas não consegui ainda postar suas músicas, que são lindas também. Mas eu chego lá. Olha, Deus te abençoe por ter me visitado, sou fã dos meus visitantes e passo a ser um de seus admiradores. Leia-me mais, indico-lhe alguns cordéis, se é que tens afinidades para lê-los, vá em "O ANCIÃO E O PEREGRINO", "PESADELO NA ESTRADA", "ZECA LADÃO" Etc. Tenho textos em variedades, por favor visite-me e me escreva comentários. Vou ler mais dos seus, pois achei os que li, muito bons. Se puder me indicar irei direto. Abraços do filósofo Luzirmil.

Para o texto: JARDIM (T2510939)


De: AUREM MELO

Apagar

24/09/2010 09:42

Ri muito com essa das lesmas! Mas falando do "SINO E O MENINO FEIO" publiquei-o logo no início, em 05/07/2010. Vale dizer que sou novo no recanto. Descobri o site através de uma grande escritora do rio,(ela é de renome e não publica nada aqui para não ter problemas de seus empresários) que conhecendo meu trabalho e manias, passou-me um email incentivando-me a fazer aqui minhas publicações. Tenho bons livros também, embora na conta Premium. Indico-lhe a leitura de um, numa pequena literatura lá colocada com o título "A FESTA DA ILUSÃO" Se sentir de lê-lo, vá em E-livros e busque o título. As poetisas que leram me enviaram suas considerações. Fala sobre um humilde jovem,(na verdade era eu) que estava apaixonado pela sombra da saudade. Obrigado pela sua preciosa atenção, Kalena e até mais.

Para o texto: Três piadinhas , de salão, para desopilar o fígado e uma sugestão feminina.(T2002916)


De: kalena

Apagar

24/09/2010 09:24

Legal, Kalena. Eu gosto de fábulas. O Paulo Coelho tem uma boa. Vou lhe enviar por email. Aguarde. Ah! fiquei feliz pela sua disposição em verificar nos textos. Mas não seria preciso, seu título estava lindo; mas o outro ficou bom também. Geralmente quando vou por um título em algum texto, eu dou uma olhada lá, assim procuro colocar algum inédito, porém nem todos aparecem, assim tenho muitos que também são semelhantes a outros. Mas se todos nós, os recantistas fizéssemos tal consulta poderíamos ter uma diversificação de títulos. Abraços, ó simpática poetisa.

Para o texto: Os Dois Burros (T2463828)


De: kalena

Apagar

24/09/2010 08:36

Estive pesquisando, querida Kalena e encontrei mais dois títulos contendo o vocábulo sino. Busque em textos e escreva "A VOZ DOS SINOS" depois clique em buscar. Há dois publicados em forma de sonetos, com data anteriores à sua. Mas você é muito simpática, assim não há como te criticar, antes eu lhe dou os parabéns pela observação. Tudo que encontramos no recanto nos ensina algo. Peço que aceite minhas considerações Lu. Um abraço afetivo pra você.

Para o texto: A VOZ dos SINOS (T2517155)


De: kalena

Apagar

24/09/2010 08:18

Olá Kalena. Não fique triste nem estressada com possíveis títulos que venhas encontrar semelhantes aos seus. Geralmente não ocorrem plágios no recanto, entretanto os pensamentos sintomáticos das centenas de pessoas que aqui escrevem as vezes se entrelaçam e a inspiração vem, sem que um saiba o que outro escreveu, as vezes com o mesmo título, ou até mesmo com assuntos paralelos. Eu por exemplo tenho um texto em cordel cujo título é "O SINO E O MENINO FEIO", espero que não fiques magoada pelo título. Mas vou tentar mudar. Lá fala do tempo que eu batia o sino da catedral do arraial em que eu residia. Indico-lhe hoje o cordel: "O GRITO DA TERRA". Parabéns e um abraço do Luzir.

Para o texto: A VOZ dos SINOS (T2517155)


De: kalena

Apagar

24/09/2010 07:51

Para que tem quinze anos, um talento a altura do que possuis tem um alvissareiro horizonte de sucessos na trilha das literaturas. Em poucas palavras demonstras profundos pensamentos filosóficos, que geralmente são inspirações dos veteranos da poesia. Meus parabéns Carol, e muito grato pelo seu retorno. Desejo-lhe muito sucesso, e um dia quero ler um livro seu num *tablle (tela de leitura eletrônica). Continue aplicando sua inteligência, pois a cada dia ela será mais relimada. Aceite minhas leais consideraçãos - beijos pra você.

Para o texto: Pra ser feliz... (T2449213)


De: Carolina Passos

Apagar

24/09/2010 04:51

Bom dia Rangel. Sempre nas madrugados tiro tempo pra ler alguns colocados dos colegas. Clicando em seu "TEMPO BOM - MOCIDADE" após ler toda a crônica, invadiu-me uma nostalgia; isto por que férteis lembranças me vieram à mente. Meus parabéns pelo retrato perfeito. Você delineou e contrastou perfeitamente o nevoeiro da saudade que invade o coração dos poetas amadurecidos. Convido-te a conhecer-me através de um cordel meu: "ALÉM DOS MEUS PENSAMENTOS". Aceite as congratulações do filósofo Luzirmil. Desejo felicidades a você e a todos os seus.

Para o texto: TEMPO BOM: MOCIDADE (T2517095)


De: Rangel Alves da Costa

Apagar

23/09/2010 18:06

Esse negócio de cabelos pretos, recentemente me deixou amargurado, pelas rugas em contraponto. Após quarenta e cinco anos encontrei um antigo "amigo", que era vizinho de onde eu morava com minha familia. Eis nosso diálogo: -Olá, peregrino, (fora ele que me apelidara de peregrino. Na época ele tinha o apelido de vovô por ter os cabelos brancos de nascença) há quanto tempo que não nos vemos! Mas, caramba! seus cabelos estão pretos!? Cuidado, cara, a química da tinta, está deixando carecas muitos colegas de nosso tempo. -Ora, amigo eu não uso tinta, uso a solução literaturante no couro cabeludo. -Ei, o que vem a ser isto, cara? - quis saber ele. -Pensamentos para escrever, caro Eurípedes, quanto mais eu penso mais o sangue circula, sangue bom, meu chapa! com teores de poesia! Isto faz com que meus cabelos se conservem pretos. Taí peregrino - disse ele - pena que tens a caricatura dos velhos maracujás maduros! Aquelas palavras foram tão ofensivas, quanto as que ele sempre me falava em tempos idos. Mas cá pra mim, acredito que não sou muito enrugado não, pois minha esposa sempre diz: você está cada vez mais bonitão! Com isto eu vivo consolado, e que o velho vovô vá as favas. Bem, mudando de assunto na extensividade desse comentário, pergunto-lhe: Recebeu minha encomenda? Entendi num recebido seu, que sim, pois disse que vai ler e me retornar. Tomara que não venha te escandalizar com tantas colocações sobre minha vida, e parágrafos sem correções. Hoje, um fraterno que esteve comigo nas regiões de Petrolina, solicitou-me por email, o envio de um exemplar de: "OS HORIZONTES DAS CAATINGAS". Peço escusas pelas erratas que porventura venhas encontrar no correr da leitura, pois meus livros não passam por crivo corretivo. Visite-me em "AS PRIMEIRAS INVENÇÕES". Abraços e parabéns pelo seu "EU NO ARRAIÁ".

Para o texto: EU NO ARRAIÁ (T1657111)


De: Ysolda Cabral

Apagar

23/09/2010 17:22

Gosto tanto de balão, que escrevi um romance com o título: "OS NOMEADOS DE ILUZÊNIO NAS TRILHAS DO BALÃO" O interessante, querida Mavi, é que meu personagem principal é um professor de mágicas, cujo pseudônimo é ILUZÊNIO. Meu romance tem tudo a ver com sua crônica, inclusive fala de políticos que aprenderam a fazer mágicas para divertir os companheiros do congresso. Parabéns pela sua cômica alegoria. Um balão mágico deve ser legal, quando sua gôndola estiver cheia de políticos corruptos e cair no Rio Paracatú, sem que morra nenhum delas. Para-ca-tu é o nome de um rio onde um amigo meu caiu com seu balão "Zé Uz" e é uma palavra usada pelos políticos para que votem neles. Abraços pra você e parabéns pela previdente crônica .

Para o texto: "SUPER FANTÁSTICO, UM BALÃO MÁGICO" (T2516060)


De: MAVI

Apagar

23/09/2010 16:09

Eu, de tão fraco que sou acabo tendo medo dos dois! Em algumas noites frias e escuras em que estava a fazer alguma peregrinação, penso que vi até alguma assombração! Mas na verdade era alguma composição do predicado da segunda escuridão. Alguém frio e de alma escura, ao peregrino proporcionou séria desventura! Você tem razão, cara Luzia de temer a segunda; consequência que se evidencia cada dia mais em nosso mundo individualista. Abraços, siga para mais publicados meus: leia em cordel de Luzirmil:

Para o texto: Temor! (T1607481)


De: Luzia Ditzz

Apagar

23/09/2010 16:09

Eu, de tão fraco que sou acabo tendo medo dos dois! Em algumas noites frias e escuras em que estava a fazer alguma peregrinação, penso que vi até alguma assombração! Mas na verdade era alguma composição do predicado da segunda escuridão. Alguém frio e de alma escura, ao peregrino proporcionou séria desventura! Você tem razão, cara Luzia de temer a segunda; consequência que se evidencia cada dia mais em nosso mundo individualista. Abraços, siga para mais publicados meus: leia em cordel de Luzirmil:

Para o texto: Temor! (T1607481)


De: Luzia Ditzz

Apagar

23/09/2010 14:27

O futuro está prontinho, o difícil e saber aonde ele se encontra! o melhor é ir nessa sua frase, querida poetisa:"FUTURO SEM SABER...O SEGREDO É VIVER". Massa, minha filha!Eu, na qualidade de professor de filosofia te dou nata 10. Visite-me em "A REBELIÃO CONTRA ÁZUR". Abraços do filósofo Luzirmil. Voltarei por causa da foto, eu também sou pianista!

Para o texto: "Reflexão" (T2515757)


De: Yasmin Amira Di Amante

Apagar

23/09/2010 14:18

Intonsi nois dois pricisa fica junto nas isquinas, caro Sergio. Eu tomen tô meio lelé. Acridita que eu vi um radiar sozin na istrada e pensei qui era maquina di fatorgrafia jogada fora; vai daí qui parei u carro i catei. Chegano im casa é que pircibi que eu avia furtado arguma coisa do D.E.R. Visite-me caro colega, gostei de suas palavras humorísticas. Indico-lhe um de meus cordeis: "A CADELA E A MATILHA". Voltarei. Abraços do Luzirmil.

Para o texto: Pés-de-moleque (T2515721)


De: Sérgio Beni

Apagar

23/09/2010 05:18

Reúno-me aos cinco colegas que me antecederam nos elogios ao seu soneto. Também envio-lhe os parabéns; suas palavras tendem a nos envolver com as delícias que somente Heros, o deus grego, símbolo do amor afetivo, desfrutava. Fiquei feliz com sua disposição em atender meu pedido, me visitando. Aproveitando a deixa, peço que continue a me ler. Vou fazer o possível de ler também os seus, por enquanto, 41 textos, excluindo os que já lí. Olha, vou buscar no mapa para ver onde fica Iracemápolis, (Ah! lembrei-me: fica pelos lados de Limeira; tenho recordações de ter passado em sua cidade) assim terei uma idéia da direção de minhas orações em seu favor. Indico-lhe hoje: "O PERFIL DE LUZIRMIL", "ALÉM DOS MEUS PENSAMENTOS", "A FLOR FEITICEIRA" e "OS 7 ENCANTAMENTOS", Etc. Mas não precisa se preocupar em lê-los, são apenas indicativos. Isto por que tenho a mania de ler quase unicamente só os indicados. Abraços afetivos pra você, do Lu.

Para o texto: SONETO DA PAIXÃO (T2487551)


De: Mada Cosenza

Apagar

22/09/2010 21:13

As pessoas são boas, caro Léo. O ruim é o joio em forma de filosofia do mal que toma a mente de nossos semelhantes! Mas não te desespere por tudo que tens visto e assistido. Dias melhores virão, ainda que seja além túmulo e dias com outros formatos. Esperemos em Deus. Leia-me em "UM ÉPICO INSTRUTOR". Abraços amigos do Luzirmil.

Para o texto: Já não sei mais! (T2514451)


De: Léo

Apagar

22/09/2010 21:08

Criar é fácil, querida Carolina. O difícil é formar! Visite-me em "POR QUE EXISTIMOS?". Se gostar de poesia de amor visite-me em "A FEITICEIRA" - E parabéns pelo seu "CRIAR".

Para o texto: Criar (T2514452)


De: Carolina Passos

Apagar

22/09/2010 21:05

Busco nos girassóis as direções para os sete encantamentos, entre eles o amor, com suas três bases: afetivo, fraterno e divino. Sua poesia, "UMA TARDE, UM ROMANCE" refletida em palavras por ti escritas, traz-nos o langor da primavera. Parabéns Kathleen. Confraternizações do filósofo Luzirmil.

Para o texto: : : : UMA TARDE, UM ROMANCE : : : (T2514441)


De: Kathleen Lessa

Apagar

22/09/2010 21:00

Ler "VOU ARRISCAR" foi como ver entre as estrelas uma delas mais brilhante. Parabéns pela nobre prosa poética, querida poetisa. Falando sobre ver uma estrela diferente convido-te a ler um poema que coloquei no RL, com o título: "UMA JANELA NO CÉU". Ah! vejo na foto um teclado; sou técnico desses aparatos e também domino suas execuções. Tenho um PSR 520 de Yamaha e nas horas de folga fico tocando, inclusive minhas próprias composições. Abraços afetivos de Luzirmil.

Para o texto: Vou arriscar (T2514421)


De: Tatiane Gorska

Apagar

22/09/2010 20:52

Valeu, cara Suzana. Deus vai mudar o triste horizonte que se nos tem apresentado na área da política. Jamais uma oração feita com carinho ao Senhor, ficou perdida no espaço! Ela está subindo, tenha certeza. Algo vai ser feito! Visite-me em: "CLASSIFICADOS PELA CONVICÇÃO" ou "POR QUE EXISTIMOS?" Abraços do filósofo da convicção - Luzirmil.

Para o texto: Prece do eleitor (T2514413)


De: Suzana Duraes

Apagar

22/09/2010 20:46

A mágica da Lua é tão inebriante, quanto o perfume das rosas!Parabéns e abraços do Lu. Conheço Petrolina e imediações, mas Afogados! Onde fica isto, Querida Geneci? Visite-me em "ZECA LADÃO". Abraços afetivos do Lu.

Para o texto: ...AMO-TE LUA AMIGA (T2514409)


De: Geneci Almeida

Apagar

22/09/2010 20:43

Eu também gostaria muito! Evidenciando o céu como fizeste tudo seria maravilhoso! Parabéns pelo belo poema. Abraços.

Para o texto: "Azul da Cor do Céu..." (T2514404)


De: pequena grande diferença

Apagar

22/09/2010 20:40

É verdade Poeta! Isso acontece comigo também. parabéns e abraços do Lu.

Para o texto: "" DITADO COMPLICADO "" (T2514401)


De: Poeta Mineiro

Apagar

22/09/2010 20:26

Refleti minha lembrança em seus caquinhos de vidros. Até escrevi uma crônica "O BODE VELHO", pois realmente me ficou em recordação a longa viagem que fiz em julho de 2009, para o norte da Bahia e estado de Pernambuco. Leia minha crônica acima e outros textos meus, como o cordel "ZECA LADÃO", "O ANCIÃO E O PEREGRINO", etc. e me devolva um comentário. Parabéns pelo seu precioso texto sobre a aborrecida ampulheta, esta que aparece no monitor quando pede um tempo. Aceite um abraço afetivo do filósofo Luzirmil.

Para o texto: Entre os cacos da ampulheta... (T2514355)


De: Vanice Ferreira

Apagar

22/09/2010 20:06

Para fazer um tratado evidenciando assuntos sobre os velhos bodes, haja vista haver uma crônica minha com o titulo "O BODE VELHO", questionada por um leitor sobre meu abraço amigo num daqueles animais, propus-me a visitar todas as páginas dos colegas que tenham escrito algo a respeito.Lendo vossa preciosa crônica política vieram-me recordações dos anos em que Brasília estava sendo metodicamente concluída sobre os pilares da ditadura militar. Sua profundidade literária me deixou admirado! Achei importante o grau político de suas colocações, evidenciando o título ("BODE VELHO") para tão bela crônica brasiliana. Pelo seu "SOBRE O AUTOR" vejo que você reside em Montes Claros, metrópole pela qual já transitei por suas avenidas beira rio, 88 vezes, sendo 84 delas com destino a Cônego Marinho, (mais precisamente destinado ao Sertão Veredas) para atendimentos sociais aos Convictos da filosofia da C. Cristã. As demais vezes fui para Mangas e Montalvânia, fazendo via por esta sua bela cidade. Contando com sua compreensão, e perdão, por ter estendido este comentário venho indicar-lhe alguns textos meus, ficarei contente com alguma resposta sua em minhas páginas. Por eu gostar muito de cordel escrevi um, retratando um velhinho que mora na Serra do Gibão, no Sertão Veredas, seu título é: "O ANCIÃO E O PEREGRINO". De crônicas tenho alguns, tais como :"O BODE VELHO", "A ASA DELTA", "PÊSSEGOS E PEPINOS", etc. Peço mil perdões pela extensão. Aceite um abraço do filósofo Luzirmil.

Para o texto: Bode Velho (T2288301)


De: Pedro Henrique Argolo

Apagar

22/09/2010 18:07

Lendo seu "VOLTA PRA CASA" me vi envolvido pelas palavras com encaixes saudosos. Só me resta parabenizar-lhe por ter acrescentado no pensamento do filósofo Luzirmil, mais uma porção diversificativa de tudo que leio no RL. É maravilhoso saber que existem pensamentos ocultos, entretanto postos nestas páginas por alguém como você e outros, traduzem reflexivas ponderações nas meditações de um pensador! Obrigado pelo talento espelhado em sua poesia "A VOLTA PARA A CASA" Eu fui um que voltei! Convido-te a visitar-me num cordel de minha autoria: "ZECA LADÃO", ou "O ANCIÃO E O PEREGRINO". Abraços, caro colega.

Para o texto: VOLTA PRA CASA (T2514075)


De: Preto Moreno

Apagar

22/09/2010 17:48

Ah! Georgia! Um poema bonito igual ao seu, no meu caso, só quando olho no espelho! Sou um poeta sofredor a começar por meus sonhos: São todos irrealizáveis. O mais difícil é o sonho que tenho de voar para o céu. Mas tudo bem, sonhando já me realizo. Visite-me em minhas poesias: "DOMÍNIO DO AMOR" ou em meus cordéis, o "ZECA LADÃO", ou ainda "O ANCIÃO E O PEREGRINO". Ah! Estou com vontade ser presidente da república qualquer dia destes, e quem sabe eu ficando conhecido dos nobres colegas poetas e poetisas, eu venha ganhar alguma eleição futura. Desculpe-me pelas brincadeiras, sou um velho cômico e gosto de fazer amizades com os recantistas.

Para o texto: o presente (T2514058)


De: georgia patricia

Apagar

22/09/2010 13:46

Que legal, caro Minino. Esse vocábulo iniciado com a letra D dá para formar muitas frases. Acho que vou conseguir, fazer uma aqui. "A dureza durou durante a dura dor!". Olha, o nome da crônica de minha dor de barriga é: "O BODE VELHO" de Luzirmil. Leia e volte aqui. Gostei muito de sua crônica sobre as coisas duras. Cheguei a me lembrar de uma senhora de muito respeito, mas que tinha pavor de mandruvá duro.(lagartas gigantes). Parabéns e abraços fraternos pra você.

Para o texto: NOTHING IS FOREVER (T2510107)


De: minino caldas

Apagar

22/09/2010 12:42

Eu tenho o mesmo sentimento em relação às estrelas, meu caro Marco. Mas só na poesia. Pois colocar um forno atômico, ainda que fosse pequeno no coração, seria barra pesada! Envio-lhe um cordial abraço pra você, nobre colega. Leia em meus "pensamentos":"TUDO VEM DAS ESTRELAS". Deus te abençoe pela valorização que destes às minhas indicações. Você é nota dez! Parabéns e desejo sucessos pra você!

Para o texto: LUZ (T1785996)


De: Marco Aurelio Vieira

Apagar

22/09/2010 12:21

Belo pensamento, cara Nalva. Leia-me também. Tenho alguns sonetos e cordéis divertidos. Indico-lhe: "A CADELA E A MATILHA". Desculpe-me, te encontrei no Minino e me simpatizei com seu sorriso, procurando textos seus, achei uma grande filosofia. Abraços.

Para o texto: O cacto e o saber (T147387)


De: Nalva

Apagar

22/09/2010 12:17

Cê passou apertado, Minino! Rapaz eu também já passei por esses incovenientes. Se você ler uma crônica minha de uma viagem que fiz para Petrolina, vais ficar sabendo que entrei até num banheiro de mulheres de tão apressado que me encontrava! Depois ainda acabei me perdendo em meio às caatingas do sertão baiano. Vou procurar a crônica pra você ler. Ah! quanto ao texto que lhe indiquei, digo que eu também não consegui encontrar facilmente o meu "NUNCA É TARDE..." O problema é que eu lhe indiquei com a proposição "para" e lá está pra. ("NUNCA É TARDE PRA SABER")Mas eu pensei que fosse um grande poema sobre o lugar em que eu suponho onde mora Deus, no entanto são apenas duas frases. Vou procurar o poema e te indicarei. Minha cordial saudação pra você, e grato pela preciosíssima atenção. Até mais.

Para o texto: D I S E N T E R I A (T2510157)


De: minino caldas

Apagar

22/09/2010 08:08

Olá Marco.Se nos aprofundarmos nas raízes de sua pequena crônica vamos encontrar um universo de fatores e fundamentos, jamais imaginados! Meus parabéns, rapaz! Eu na qualidade de filósofo, tenho que dissertar um pouco de sua brilhante idéia. Escrevi um livro com o título: "RASANTES DO CONDOR BRANCO" cuja lembrança me veio à mente assim que li o título do seu texto. Suas colocações, embora subjetivas, entretanto descortinam os horizontes da sobrevivência. Nós, seres humanos "racionais" (estre aspas, pois nosso racionalismo está deixando a desejar) vivemos num patamar um pouco acima dos animais, mas também há uma boa porcentagem de fatores idênticos ao que acontece com eles. A gana de muitos semelhantes nossos, só não se concretiza contra os menos dotados, em razão de pertencermos a uma comunidade, com contingências, isto é, temos um livre arbítrio, porém barrado em certos níveis, por nossas leis. Os animais não contam com isto, assim ocorre o que relatas em seu testo: um mata o outro, ataca, rouba, enfim, são irracionais. Bem, não vou estender muito, mas friso aqui que sua inteligência, caro Marco, é muito iluminada. continue a nos brindar com seus textos. Li diversos deles e me senti enriquecido com mais teorias filosóficas. Visite-me em "VIVER NUM ETERNO TEMPO", ou "DE LUZIRMIL AOS RECANTISTAS",ainda poderá ler: "RELATOS DE UM ASSALTADO" enfim tenho muitos e gostaria que lesse alguns, assim me você me conhecerá melhor. Abraços a você e aos seus entes queridos.




Compartilhe com seus amigos:
1   ...   11   12   13   14   15   16   17   18   ...   37


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
união acórdãos
Universidade estadual
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande