Workshop de criatividade prof. J. Predebon- 1998



Baixar 36.96 Kb.
Encontro21.09.2019
Tamanho36.96 Kb.

BIBLIOGRAFIA SOBRE INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE

(Até onde se torna válida a indicação de livros sobre o tema)

Vem dos Gregos uma imagem preciosa sobre a luta da espécie humana para conquistar o conhecimento. Ensinaram eles imaginar a luz como o saber, e a escuridão como a ignorância. Temos todos, portanto, um halo de luz, que representa a soma de nossos conhecimentos e, em volta, a escuridão, que seria a noite do nosso não-saber. Pois bem, visualizando esses dois campos, percebemos que quanto mais aumentarmos o nosso saber, maior o nosso halo, maior será o nosso contato com a escuridão do que ainda não sabemos. Em resumo, quanto mais sei, mais sei que pouco sei. Por isso Goethe afirmou ser tolice o homem querer explicar tudo.

Mas, em vez de se entristecer com essa constatação, poderemos nos alegrar por ver inesgotável a possibilidade de nossas explorações, isso se nos conciliarmos com a limitada condição humana. É aprender sem nunca chegar ao fim da aprendizagem. Essa reflexão obviamente cai como uma luva quando falamos dos avanços da ciência e da tecnologia, estudados na disciplina que hoje comumente se conhece como “inovação”. Como então encarar o desafio implícito nessas considerações, para se pesquisar os ganhos não lineares do conhecimento, e, mais ainda, para aproveitar o conhecimento e nos qualificarmos como pessoas inovadoras? Como estudar a matéria? O que ler? Que exercícios fazer?



Enfrento esse tipo de pergunta desde 1986, quando comecei a lecionar criatividade. Por força de ter sido sempre um profissional de criação publicitária, comecei a responder a indagação com alguma facilidade. Organizei uma cuidadosa bibliografia sobre o tema, pus-me fornecê-la, além de consultá-la como interessado. Como um pesquisador feliz pela oportunidade, pus-me a aplicar os seus conceitos, principalmente na orientação dos alunos. Assim meu halo de conhecimentos do tema foi aumentando, e, descobri, minhas certezas diminuindo. As fontes continuavam sendo recomendáveis, mas a complexidade minava minha confiança inicial. Hoje, e particularmente aqui neste texto, faço um balanço da bibliografia que usei, primeiramente nas aulas de criatividade, e posteriormente nas aulas de inovação. Verifico que durante os 16 anos em que “estou” professor, acabei compilando uma extensa bibliografia, das que acabam desencorajando o leigo. Com o cuidado de não ser omisso, além dos livros comecei a recomendar filmes. E agora, sites. Mas amanhã, quem sabe, em um refluxo, talvez eu esteja recomendando prioritariamente “interlocutores presenciais”, isto é, conversas pessoais com gente que tenha informações para trocar. Penso que poderei fazer isso convencido de estar seguindo uma lógica didática, para certamente perceber depois que devemos fazer um caminho de volta à simplicidade, desistindo de abarcar o intangível universo do conhecimento, para procurar as fontes da velha e boa sabedoria, que hoje sabemos, se alicerça menos no ganho cognitivo do que na prática do humanismo. Boas “trocas de figurinhas” com gente interessante valerão tanto como bons livros. Nada tenho contra os “chats” da internet, mas continuarei recomendando conversas ao vivo, onde a comunicação é mais rica e fecunda. Prevejo também que continuarei recomendando técnicas de “elaboração de receitas” para que cada pessoa trace o seu caminho ideal na sua noite do não saber. Consultar listas de livros é um passo inicial, para tentarmos imaginar os títulos e autores que nos “pegarão a veia”, o que talvez só seja possível descobrir depois, ao folhear os livros em uma livraria ou biblioteca. Nada muito diferente do que navegar na Internet, para os adeptos. Essa procura, contudo, renderá muito mais se a pessoa tiver traçado um plano geral de viagem, onde colocará seu destino ideal, suas alternativas úteis e seu trajeto preferencial. O plano leva em conta suas peculiaridades de formação e de personalidade, e por isso é individual. Ele deve contemplar primeiramente a maneira de ser da pessoa, suas prioridades, sua dose de disciplina usual, seus valores, tudo, enfim, que possa indicar uma meta “cabível” para a pessoa. Programas ambiciosos demais trarão sentimentos de culpa e frustração. Para traçar seu plano, portanto, primeiro é conhecer-se, dominar suas qualidades e defeitos. Aí é possível determinar-se um programa, e ter um planejamento operacional, quantificado talvez em horas semanais, e especificado em autores e/ou tipos de livros a consultar. Fazer resumos e anotações é útil, bem como ter alguém para discutir as descobertas. Estas sugestões mostram como a receita precisa ser individual, e como ela só pode ser teoricamente esboçada em um texto como este.

Porém, para não ficar só na área da teoria, adiantarei aqui alguns livros que, como antibióticos de amplo espectro, abarcam mais áreas de interesse particular dentro do tema. Depois desses, remeterei os interessados à minha relação completa, fora deste texto. Aqui, penso que meia dúzia dos livros mais gerais já será útil. Dois sobre criatividade, e cito um dos meus livros por questão de coerência, o terceiro sobre os estudos do funcionamento da mente, domínio útil para uma orientação própria, e os outros três sobre inovação. Os que não foram traduzidos, indico no original.

Sobre criatividade: The Act of Creation, Arthur Koestler, Arkana Penguin, U.K., 1989 e Criatividade Abrindo o Lado Inovador da Mente - J. Predebon , Atlas, SP, 2003.

Sobre a mente, para tentar usá-la melhor, Undiscovered Mind, John Horgan, Touchstone Book, N.Y., 1999



Sobre inovação: Liderando Mudança, John Kotter, Campus, SP, 1997 // Gestão da Mudança, Ruben Bauer, Atlas, SP, 1999 // Big Change, Paul Taffinder, Wiley & Sons, U.K., 1998 // O Crescimento pela Inovação, Claytoin M Christensen, Campus 2003

Os outros livros da minha bibliografia estão na relação, que, como este texto, fica disponível no site <www.predebon.com.br> e cuja consulta pode gerar algum comentário que eu desde já agradeço.


(A RELAÇÃO ESTÁ AQUI, A SEGUIR)

BIBLIOGRAFIA DE INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE - José Predebon - 2004
Livros em 3 categorias,

todos em ordem alfabética: a) INOVADORES (ESPECULATIVOS E/OU DISRUPTIVOS)



b) CLÁSSICOS (BASICAMENTE ÚTEIS)

c) PECULIARES (QUANTO ÀS INFORMAÇÕES CONTIDAS)
a)

CRIATIVIDADE: ABRINDO O LADO INOVADOR DA MENTE - J. Predebon - Editora Atlas -, 5a ed atualizada 2003 - Descrição, exploração e recomendações sobre o uso da abordagem das Aberturas para a Criatividade, do autor.

GESTÃO DA MUDANÇA - R Bauer – Atlas 1999 –Teoria da complexidade e seu uso em mudanças nas organizações.

O CRESCIMENTO PELA INOVAÇÃO – Christensen – Campus 2003 – Aplicação prática das teorias da outra importante obra do autor, O Dilema da Inovação, cujo conteúdo também está presente aqui.



OPEN INNOVATION – Henry W. Chesbrough –Harvard B.S.Press – 2003 – Teoria revolucionária que propõe explicar sucessos e fracassos reais dos processos de inovação em grandes organizações contemporâneas.
b)

A CORAGEM DE CRIAR - Rollo May - N Fronteira 1982 - Abordagem atitudinal, de um “papa” da psicologia humanista.

CRIATIVIDADE - Eunice M.L.Soriano de Alencar - Edunb -1993 -Visão concisa do tema criatividade, baseada na “Psicologia da Criatividade”, de 1986, da autora, a maior autoridade acadêmica brasileira no assunto

LIDERANDO MUDANÇA - John P. Kotter– Campus 1997 Obra clássica no tema das mudanças organizacionais

O PODER CRIADOR DA MENTE - A. Osborn - Ibrasa - O pensamento não lógico, relatado pelo inventor do brainstorm.

SEIS CHAPÉUS – De Bono = Vértice 1986 – O mais conhecido livro do mais notório autor sobre criatividade.

SER CRIATIVO - Stephen Nachmanovich - Summus - Visão artística/poética/metafórica da criatividade

THE ACT OF CREATION - Arthur Koestler – Arkana 1968 Clássico estudo da criatividade por renomado cientista

UM TOK NA CUCA - R Von Oech - Cultura 1988 - Leve e bem humorado best seller, s/ criatividade sem medo do erro.
c)

A ARTE DA INOVAÇÃO – Tom Kelley – Futura, 2001 – Descrição dos processos criativos dos designers da IDEO.

AHA! – Jordan Ayan – Negócio, 1997 – Modelos e receitas para a prática da criatividade profissional.

BIG CHANGE - Paul Taffinder – J Wiley & Sons - Casos reais de mudança em grandes organizações.

CRIATIVIDADE – B. Clegg e P. Birch – Manual com dicas práticas para mudança de estilo de trabalho.

CRIATIVIDADE E PROCESSOS DE CRIAÇÃO-Fayga Ostrenewer-Vozes (Foco no tema a partir das artes)

CRIATIVIDADE HOJE - J.Predebon Ed Atlas 1999, 3a ed 2002 (Treino, aprendizagem e ensino da criatividade)

CRIATIVIDADE NO TRABALHO E NA VIDA - Roberto Menna Barreto - Summus - 1997 (Abrangente visão da criatividade, baseada na grande experiência do autor, que até 2003 já dirigira mais de 500 seminários sobre o tema)

E SE? –D.Allan, Kingdon, Murrin, Rudkin – Best Seller, 1998 – Relato da experiência dos autores em criativ. profissional

ESPÍRITO CRIATIVO – Goleman, Kaufman e Ray – Cultrix 1992 – Estudo série de entrevistas em série de TV

GERÊNCIA DA CRIATIVIDADE- Eunice Soriano de Alencar-Makron - (Foco nas organizações)

GERENCIANDO MUDANÇAS – Ichak Adizes, Pioneira, 1991 – Famosa obra sobre transformações em empresas

GRANDE IDÉIA - Charles Thompson - Saraiva - Técnicas e dicas para o desenvolvimento da criatividade

HANDBOOK OR CREATIVITY – R.J.Sternberg – Cambridge, 1999 – Coleção de textos sobre o tema, diversos autores

IDEA WISE – S.,Rivkin & Seitel – Wiley, 2002 – Executivo relata seus métodos para transformar idéia em inovação

IDÉIAS MALUCAS QUE FUNCIONAM – R.I.Sutton, Campus, 2002 – Sugestões de criatividade em empresas

JAMMING - John Kao - Campus – Livro em português. Criativ. em empresas, do prof. em Harvard e Stanford

MAKING CHANGE WORK FOR YOU - A. Hardinghan - Sheldon Business Book -Inovação na empresa, com foco nas políticas de relações humanas.

MANAGING CREATIVITY AND INNOVATION – Harvand B. School Press – 2003 –Visão didádica do tema

MUDANÇA – Div., da Harvard Business Review 2000 – Coletânea de textos sobre o tema e descrição de casos.

MUDANDO PARA MELHOR - Equipe da Price Waterheouse – Atlas 1996 (relatos e análises de casos reais) / CORPORATE CREATIVITY - Robinson & Sterm - Berret , Uso da criatividade nas grandes organizações

MUDANDO PARA MELHOR – Equipe da Price Waterhouse – Atlas – Práticas de mudança, em casos reais

TAKING CHARGE OF CHANGE – Douglas K. Smith – Addison Wesley, 1996 – Mudança prof., com foco em equipes

THE EUREKA EFFECT – D. Perkins – WWNorton, 2000 – Sobre criatividade profissional, com uso de metáforas

THE INNOVATION WAVE – Von Stamm – Wiley, 2003 – Manual de procedimentos inovadores em organizações

THINKERTOYS - M.. Michalko - Cultura - Livro em português. Dicas, recursos, e exercícios de criatividade.

WHEN SPARK FLY – L. Swap – Harvard B.S.Press, 1999 –Obra abrangente s/ o processo criativo em organizações.
(ATENÇÃO, VEJA NO VERSO SUGESTÕES DE LEITURA PARALELA)

BIBLIOGRAFIA DE INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE – (fls 2) J Predebon - 2004

LEITURA PARALELA

Alguns livros que, por motivos vários, recomendo para interessados nos temas “Inovação” e “Criatividade”.

(livros também separados nas 3 categorias de inovadores, clássicos e peculiares e em ordem alfabética)

a)

COMPLEXIDADE E ORGANIZAÇÕES – Márcia Esteves Agostinho – Atlas 2003 – Uma abordagem gerencial com base na teoria da Complexidade, e que tangencia o tema “Complexidade”



CONVIVENCIALIDADE – Div. autores, org. de Agostinho, Bauer e Predebon– Atlas 2002 – Visão moderna das relações humanas, principalmente no trabalho, dentro do emergente tema “convivencialidade”, ligado a estudos da complexidade.

EMERGÊNCIA, a dinâmica de rede em formigas, cérebros, cidades e softwares – Jorge Sahar Editor 2001 – Visão da nova ciência, derivada da complexidade, e especulações sobre sua ação no futuro.

GYM CERVEAU – Monique Le Poncin – Stock, 1987 – Teoria e prática científicas de exercícios p/desenv. do cérebro

NÃO ZERO, A LÓGICA DO DESTINO HUMANO – Robert Wright – Campus, 2000 – Visão antropológica, notadamente moderna e otimista, do desenvolvimento humano.

THE UNDICOVERED MIND – J. Horgan – Touchstone, 1999 O “estado da arte” da ciência estudando cérebro/mente. 

b)

A IMAGINAÇÃO DE MARKETING – T. Levitt, Atlas, 1985 – Obra precursora das tendências da criativ. no marketing

A SABEDORIA DA INSEGURANÇA – Alan Watts – Record, 1951- Visão filosófica s/ o bloqueio vindo do medo do futuro

ADMINISTRANDO EM TEMPO DE GRANDES MUDANÇAS – .P. Drucker Pioneira, 1985– Tema inovação p/Drucker.

AWAKENING INTUITION – Frances E. Vaughan, Doubleday, 1945 – Clássico sobre o tema intuição e seu uso

O PODER DO MITO - J.Campbell - Palas Athena, 1988 – Tratado s/ influências dos mitos e ritos na sociedade moderna

THE FIFTH DISCIPLINE -Peter M. Senge - Doubleday/Century, 1992 - A teoria da organização que aprende, exemplos e receitas para a empresa moderna. Existe uma tradução/condensação em português, com muitas falhas.

TOWARD A PSYCHOLOGY OF BEING – Abraham Maslow – VNR, 1968 – Visão básica sobre a personalidade criativa

c)

A NOVA CIÊNCIA DA MENTE – Howard Gardner, Edusp – Ciëncia da Cognição, abordagem multidisciplinar



A PRÁTICA DA CRIATIVIDADE – G.M.Prince, Cultrix, 1970 – Um dos primeiros teóricos que focalizou o tema

BRAIN BOOSTERS FOR BUSINESS ADVANTAGE – A. B. VanGundy - Pfeiffer, 1995 - Dicas práticas e exercícios

BRAIN FITNESS – R. Goldman, Doubleday – Informações sobre exercícios para melhorar o desempenho mental

CIÊNCIA, ORDEN Y CREATIVIDAD – David Bohm & Peat – Kairós, Barcelona, l987 – Raízes da criativ. no mundo

CRIATIVIDADE EM PROPAGANDA – R. Menna Barreto – Summus 1978 - Famosa e ótima obra no tema.

FREEING THE CREATIVE SPIRIT – Adriana Diaz – Harper 1983 – Dicas de criatividade a partir do desenho

GESTÃO DAS MUDANÇAS – Pedro Mandelli et al, Campus, 2003 – Estudo sobre a integração de estratégias e pessoas

INOVAÇÃO – Kanter, Kao & Wiersema – Negócio, 1997 – Pensamento inov. na 3M, Dupont, GE, Pfizer e Rubbermaid

MARCA – Stalimir Vieira – Loyola, 2002 – No Branding, tese de que “o que o coração não sente, os olhos não vêem”

MENTES QUE CRIAM – Howard Gardner – Artes Médicas, 1993 – Casos biográficos, pelo autor de Estruturas da Mente

NUTS! - K. & J. Freiberg, Editora Manole – História da criatividade em uso no caso da Southwest Airlines

O CAMINHO DA HABILIDADE - T. Tulku - Cultrix - Breve e ótimo estudo s/ desenv. Pessoal e profissional

O MISTÉRIO DA INTUIÇÃO – Brian Inglis, Cultrix – Informações sobre o nosso “sexto sentido” e seu uso.

PONTO DE RUPTURA E TRANSFORMAÇÃO - G.Land e B. Jarman - Cultrix Estudo sobre inovação na empresa, feito principalmente como releitura do Ponto de Mutação, do Capra

PROPAGANDA, PROFISSIONAIS ENSINAM COMO SE FAZ - Div. Autores, organização de J. Predebon -Atlas 2000 (testemunhos profissionais, com capítulo sobre criatividade na propaganda)

SABEDORIA INCOMUM - F. Capra - Cultrix - Relato das pesquisas de Capra para escrever O Tao da Física e O Ponto de Mutação, com uma alta porcentagens das informações dessas duas obras clássicas.

THE OWNER’S MANUAL FOR THE BRAIN – P. J. Howard, Bard Press – Tudo s/o funcionamento do cérebro.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal