Universidade federal do rio grande do sul



Baixar 91.05 Kb.
Encontro19.02.2018
Tamanho91.05 Kb.



SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL

DO RIO GRANDE DO SUL

(NOME DA UNIDADE)

(NOME DO CURSO)


(Nome e Sobrenome dos Alunos)

(TÍTULO DO TRABALHO)

(Nome da Cidade)

(Ano)

nome E sobrenome doS alunoS

(TÍTULO DO TRABALHO)

Exemplo: Trabalho de investigação científica do Curso de Aprendizagem Comercial em Serviços Administrativos sobre inovação nas empresas do comércio de bens, serviços e turismo, visando atender as exigências da 7ª Feira de Projetos do SENAC-RS.


Orientador (a):

(Nome da Cidade)

(Ano)

AgradecimentoS
Quando desejado pelo autor, os agradecimentos devem ser apresentados logo após a folha de rosto, seguindo essa ordem. São apresentados como um capítulo, porém não numerado.
RESUMO
Consiste numa apresentação clara e concisa dos principais pontos do trabalho, permitindo ao leitor verificar a importância ou não da sua leitura na íntegra. Cada resumo deve ocupar no máximo uma folha com no mínimo 250 e no máximo 350 palavras. Fonte Times New Roman ou Arial, tamanho 12, espaçamento 1,0, sem parágrafos, justificado. Para informações adicionais com relação à redação consultar a NBR 6028 da ABNT. Quanto ao estilo, o resumo deve constituir-se por uma sequência de frases completas e não por uma enumeração de itens; a primeira frase sempre deve ser significativa, justificando o tema central Quanto à redação, recomenda-se dar preferência ao uso da terceira pessoa do singular e do verbo na voz ativa. Após o resumo devem constar palavras-chave relativas aos assuntos do projeto/pesquisa, separadas entre si por ponto.
Palavras-chave: ABNT. Formatação de documentos.

LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS
Todas as abreviaturas e siglas devem ser ordenadas alfabeticamente e seguidas de seus respectivos significados. Vide exemplo abaixo:
BR Brasil

SENAC-RS Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul

DR Departamento Regional

DN Departamento Nacional

UE Unidade Educacional
Sumário
No sumário, são apresentadas as principais seções do projeto, na mesma ordem em que nele aparecem, indicando, também, as respectivas páginas iniciais. O sumário deve ser estar localizado antes da introdução. Para maiores informações acessar a Norma NBR 6027 da ABNT. Os números indicadores das seções que compõem o sumário devem ficar alinhados à esquerda. A determinação da página das seções e subseções pode apresentar somente a página inicial ou ainda a página inicial e final, desde que separadas por hífen. Vide a seguir, exemplo de sumário.


2.1 Tema 8

2.2 Problema 8

2.3 Hipótese(s) 8

2.5 Objetivo geral 8

2.6 Objetivos específicos 8

4.1 Citação Indireta 10

4.2 Citação Direta 10

4.3 Citação de citação 11

5.1 Cronograma de atividades 13





  1. INTRODUÇÃO

A introdução deve contemplar uma ideia sucinta do conjunto do projeto de pesquisa (de onde surgiu a ideia, como o problema foi identificado, como a pesquisa foi organizada, o local e período de realização da pesquisa, sua importância para sociedade).

Sugere-se que a introdução possua textos pequenos, limitando-se a uma ou duas páginas.

A introdução deve se constituir no cartão de apresentação do projeto de pesquisa de forma a instigar o interesse do leitor.


  1. Problemática de Pesquisa



2.1 Tema

Deve contemplar o que se pretende investigar. Constitui-se em um aspecto ou uma área de interesse para a qual se deseja desenvolver ou provar alguma coisa. Deve ser descrito de forma clara e objetiva. É sobre o tema que o Referencial Teórico é realizado.



2.2 Problema

O problema da pesquisa sempre será uma pergunta, uma indagação para a qual prendemos dar uma resposta. Deve ser descrito de forma clara e objetiva. É uma lacuna dentro do tema de pesquisa que requer uma resposta ou solução.



2.3 Hipótese(s)

Solução ou soluções possíveis para o problema identificado.



2.5 Objetivo geral

O objetivo geral do projeto de pesquisa deve ser claro, coerente e sucinto para dizer o que o projeto quer. Indica a meta central do projeto de pesquisa. Deve refletir a razão de ser do projeto, podendo ser abrangente. Deve ser elaborado afirmativamente e iniciar com um verbo de ação.



2.6 Objetivos específicos

Devem estar bem relacionados com o título, com o contexto do projeto e com o objetivo geral, mantendo o foco. Devem possuir sentenças curtas. Deve ser redigido de forma clara o que se quer atingir, indicando os benefícios desejados para o público e área envolvida. Devem ser elaborados afirmativamente e iniciar com um verbo de ação.




  1. JUSTIFICATIVA

A justificativa deve contemplar a razão de ser do projeto a ser realizado ou pesquisa realizada. Não deverá haver dúvida do seu motivo, o fim a que se destina, devendo convencer o leitor da necessidade e relevância do que é proposto, dos seus objetivos. Deve apresentar de forma clara a sua contribuição social, ambiental, cultural, entre outras, do projeto e seus resultados.





  1. REFERENCIAL TEÓRICO

O referencial teórico é a fundamentação teórica e técnica do projeto. Espaço onde inserimos o que os autores pensam sobre as questões apresentadas no projeto. Deve-se dar atenção especial às normas técnicas para as citações e referências, organização de tabelas e quadros e a inserção de notas de rodapé.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define citação como a “menção de uma informação extraída de outra fonte” (ABNT, 2002, p. 1). As citações podem ser diretas ou indiretas. Existe ainda, a citação de citação, que é menos usada e menos recomendada também. Independente das formas das citações, todas devem trazer sempre a identificação da autoria (que pode ser pessoa ou entidade, como instituições, organizações, eventos, etc.).

4.1 Citação Indireta1

A citação indireta, conforme ABNT é um “texto baseado na obra do autor consultado” (ABNT, 2002, p. 2). Ou seja, é um texto que expressa a ideia, a crença, a convicção de outra pessoa. Deve sempre conter a autoria e ano do documento.


Exemplo 1 (com o nome da autoria no parágrafo):

A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada, conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982). Ou: Conforme a classificação proposta por Authier-Reiriz (1982), a ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada.


Exemplo 2 (com o nome da autoria no final do parágrafo e entre parênteses):

A ironia seria assim uma forma implícita de heterogeneidade mostrada (AUTHIER-REIRIZ, 1982).




4.2 Citação Direta2

A citação direta, conforme ABNT é uma “transcrição textual de parte da obra do autor consultado” (ABNT, 2002, p. 2). Ou seja, é a cópia fiel do texto do autor consultado.

Ainda de acordo com a ABNT “as citações diretas, no texto, de até três linhas, devem estar contidas entre aspas duplas” (ABNT, 2002, p. 2). Deve sempre conter a autoria, o ano e a página do documento.
Exemplo citação direta até três linhas:

A citação direta, conforme ABNT é uma “transcrição textual de parte da obra do autor consultado” (ABNT, 2002, p. 2).


Além da citação direta até três linhas, também existe a citação direta com mais de três linhas. De acordo com a ABNT, “as citações diretas, no texto, com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado e sem aspas” (ABNT, 2002, p. 2), com espaçamento simples.
Exemplo:
A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso de televisão, telefone, e computador Através de áudio-conferência, utilizando a companhia local de local, um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão (NICHOLS, 1993, p. 181).
Ou ainda:
Segundo Nichols (1993, p. 181),

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso de televisão, telefone, e computador Através de áudio-conferência, utilizando a companhia local de local, um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão.



4.3 Citação de citação3

Quanto à citação de uma citação, segundo a ABNT, ela é uma “citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original” (ABNT, 2002, p. 1).


Exemplo de citação de citação direta com mais de três linhas:

De acordo com Matheus e Silva (2006 apud TÁLAMO; CARVALHO, 2010, p. 749):


[...] os integrantes de uma rede de cooperação estabelecem laços de conexão entre si, responsáveis pela forma e configuração de rede, ou seja, formadores de taxonomias, além disso, esses laços estabelecidos são fundamentais ao fluxo de conhecimento e aprendizado ao longo da rede de cooperação.
Exemplo de citação de citação indireta:

No modelo serial de Gough (1972 apud NARDI, 1993), o ato de ler envolve um processamento serial que começa com uma fixação ocular sobre o texto, prosseguindo da esquerda para a direita de forma linear.


Cita-se primeiro a obra não consultada, seguido da expressão apud, e, após, a obra consultada.


  1. METODOLOGIA

A metodologia contempla a apresentação de como o projeto será realizado. Como a pesquisa será realizada. Consiste na descrição do seu passo a passo. Para tanto, recomenda-se:



  • Descrever os meios e as ações que serão utilizados para garantir o sucesso do projeto;

  • Relacionar uma ou mais ações (o que fazer?) para cada objetivo específico com suas respectivas metodologias (como será realizado?);



5.1 Cronograma de atividades





  • Descrever o período de execução, por fases e ações, especificando o responsável;

  • Definir o calendário sempre com uma margem de segurança, respeitando a capacidade física, organizacional e financeira da organização;

  • Desenvolver um quadro sintético e de fácil visualização para facilitar a compreensão das etapas do projeto. Vide exemplo abaixo:




Objetivo

Específico

O que

Como

Onde

Quem

Quanto (R$)

Quando

Descrever o objetivo específico

Descrever o que será feito (ações) para atingir o objetivo


Descrever como a ação será realizada


Citar o lugar onde serão realizadas as atividades


Mencionar o nome dos responsáveis para cada uma das ações



Mencionar o valor necessário para essa ação

Período de realização da ação



Inserir o número de linhas necessárias conforme o número de objetivos específicos





















  1. ORÇAMENTO




  • Detalhar os custos e gastos do projeto, mantendo coerência com todas as etapas, com maior ou menor detalhamento, segundo as exigências do agente financiador;

  • Fazer o orçamento com valores realistas, segundo sua realidade operacional, sem superestimar nem subestimar, segundo pesquisa de mercado;

  • Especificar as necessidades materiais e de recursos humanos;

  • Organizar as planilhas de custos e apresentar a memória de cálculo, se solicitado pelo agente financiador. Vide exemplo:




DESPESA

DETALHAMENTO

TOTAL

TIPO

QTDE

VALOR

DESCRIÇÃO

PLANEJADO

No início do projeto

REALIZADO

Durante a execução do da pesquisa

Custeio (material de consumo, horas técnicas, pagamento de terceiros)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Capital (livros e materiais/equipamentos permanentes)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Outros

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Total

 

 

 


  1. RESULTADOS

Nesse capítulo os resultados do projeto de pesquisa devem ser apresentados conforme previsto no cronograma. Os resultados podem ser parciais (para projetos de pesquisa em andamento) ou finais (para projetos de pesquisas finalizados). Sugere-se a apresentação dos resultados por objetivo especifico e, por fim, o resultado atingido face ao objetivo geral. É importante tangibilizar os resultados. Apresentar gráficos e tabelas que comprovem o resultado atingido até o momento.



  1. CONCLUSÕES

Deve contemplar o que foi efetivamente aprendido com o projeto de pesquisa, dúvidas remanescentes, inquietações, dificuldades e projeções futuras.


REFERÊNCIAS4
Monografia no todo (livros):
GOMES, L. G. F. F. Novela e sociedade no Brasil. Niterói: EdUFF, 1998.
IBICT. Manual de normas de editoração do IBICT. 2. ed. Brasília, DF, 1993. 41 p.

Monografia no todo em meio eletrônico:
KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.). Enciclopédia e dicionário digital 98. Direção geral de André Koogan Breikmam. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5 CD-ROM.
ALVES, Castro. Navio negreiro. [S.l.]: Virtual Books, 2000. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2002.

Parte de monografia (capítulo de livros):
ROMANO, Giovanni. Imagens da juventude na era moderna. In: LEVI, G.; SCHMIDT, J. (Org.). História dos jovens 2. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 7-16.

SANTOS, F. R. dos. A colonização da terra do Tucujús. In: ______. História do Amapá, 1o grau. 2. ed. Macapá: Valcan, 1994. cap. 3.



Parte de monografia em meio eletrônico:
MORFOLOGIA dos artrópodes. In: ENCICLOPÉDIA multimídia dos seres vivos. [S.l.]: Planeta DeAgostini, c1998. CD-ROM 9.
POLÍTICA. In: DICIONÁRIO da língua portuguesa. Lisboa: Priberam Informática, 1998. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 1999.
SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente. Tratados e organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In: _____. Entendendo o meio ambiente. São Paulo, 1999. v. 1. Disponível em: . Acesso em: 8 mar. 1999.

Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc.:
AS 500 maiores empresas do Brasil. Conjuntura Econômica, Rio de Janeiro, v. 38, n. 9, set. 1984. Edição especial.
MÃO-DE-OBRA e previdência. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, Rio de Janeiro, v. 7, 1983. Suplemento.
COSTA, V. R. À margem da lei. Em Pauta, Rio de Janeiro, n. 12, p.131-148, 1998.

Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc. em meio eletrônico:
VIEIRA, Cássio Leite; LOPES, Marcelo. A queda do cometa. Neo Interativa, Rio de Janeiro, n. 2, inverno 1994. 1 CD-ROM.
SILVA, M. M. L. Crimes da era digital. .Net, Rio de Janeiro, nov. 1998. Seção Ponto de Vista. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 1998.

Artigo e/ou matéria de jornal:
COSTURA x P.U.R. Aldus, São Paulo, ano 1, n. 1, nov. 1997. Encarte técnico, p. 8.
NAVES, P. Lagos andinos dão banho de beleza. Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 jun. 1999. Folha Turismo, Caderno 8, p. 13.
LEAL, L. N. MP fiscaliza com autonomia total. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 3, 25 abr. 1999.

Artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico:
SILVA, Ives Gandra da. Pena de morte para o nascituro. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 19 set. 1998. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 1998.
KELLY, R. Electronic publishing at APS: its not just online journalism. APS News Online, Los Angeles, Nov. 1996. Disponível em: . Acesso em: 25 nov.1998.


1 Exemplos retirados de: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. p. 2.

2 Exemplos retirados de: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. p. 2.

3 Exemplos retirados de: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. p. 6.

4 Exemplos retirados de: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro, 2002. p. 3-6.






©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal