Universidade federal da paraíba centro de ciências humanas, letras e artes departamento de letras clássicas e vernáculas licenciatura em letras/LÍngua brasileira de sinais modalidade: educaçÃo a distância



Baixar 0.53 Mb.
Página4/8
Encontro18.09.2019
Tamanho0.53 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8

LITERATURA VISUAL


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa. Diferentes tipos de produção literária em sinais: histórias visualizadas, o conto, as piadas, as poesias. As diferentes etapas utilizadas pelo contador de estórias para crianças surdas. Exploração visual e espacial das diferentes narrativas. As narrativas surdas: redescoberta da criação literária surda.

BIBLIOGRAFIA

BOSI, Alfredo (org). Leitura de poesia. São Paulo: Ática, 1996.

CHEVALIER, Jean & GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 1998.

JAUSS, Hans R. A história da literatura como provocação à teoria literária. Trad. Sérgio Tellaroli. São Paulo: Ática, 1994.

PORTO, Shirley B. das Neves. De poesia, muitas vozes, alguns sinais: vivências e descobertas na apreciação e leitura de poemas por surdos. Dissertação de mestrado/ Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino – UFCG, 2007.

RAMOS, Clélia Regina . Língua de Sinais e Literatura: Uma Proposta de Trabalho de Tradução Cultural. 1995. RJ. Dissertação de Mestrado/ Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1995. ( http://editora-arara-azul.com.br/novoeaa/dissertacao-emso-de-mestrado-3/)

SKLIAR, Carlos B. Historia de la sordera y de lãs personas sordas. (S/D mimeo).

____________. La educación de los sordos: Una reconstrucción histórica, cognitiva y pedagógica. Mendonza: EDIUNIC, 1997.



http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlo_Collodi

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlo_Collodi

http://www.handspeak.com/byte/m/index.php?byte=milesdot

1.2 FORMAÇÃO PEDAGÓGICA

FUNDAMENTOS ANTROPO-FILOSÓFICOS DA EDUCAÇÃO

Carga Horária: 60 horas

Créditos: 04

Pré-requisito: Nenhum

Ementa: Estudo dos saberes teóricos, do surgimento das ideias, do pensamento e das linguagens que dão suporte a ações substanciais que orientam processos de ensino-aprendizagem.

BILBLIOGRAFIA

ASSMANN, Hugo.  Reencantar a educação: rumo à sociedade aprendente. Petrópolis, Vozes, 1999. 

CHAUÍ, Marilena. Dos pré‐socráticos a Aristóteles. Vol. 1. 2ª ed. rev. ampl. São Paulo. Cia das Letras. 2002. 

_________, Convite à filosofia. 6ª ed. São Paulo. Atica. 1997. 

CURY, Carlos R. Jamil. Ideologia e educação brasileira: católicos e liberais. 3ª ed. São Paulo. Cortez/Associados. 1986. 

DESCARTES. Discurso do Método. São Paulo. Nova Cultural. 1999. 

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. 5ª edição. Rio de Janeiro, Paz Terra, 1975. 

_________. Pedagogia do Oprimido. 10ª ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1981. 

_________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro. Paz e Terra. 1996. 

________. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1997. 

_________. Política e educação. 5ª edição. São Paulo. Cortez. 2001. 

SKLIAR, C. A localização política da educação bilíngue para surdos. In: Atualidades para 

educação bilíngue para surdos. Porto Alegre: Editora Mediação, 1999. 

FUNDAMENTOS SÓCIO-HISTÓRICOS DA EDUCAÇÃO

Carga Horária: 60 horas

Créditos: 04

Pré-requisito: Nenhum



Ementa: Estudo da contribuição das ciências sociais e humanas para a compreensão do fenômeno educativo e sua aplicação no processo de formação do educador.

BIBLIOGRAFIA

BRITO, Lucinda Ferreira. Integração social & educação de surdos. Belo Horizonte: Autêntica,2006.

HALL, Stuart, (1997). A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, v. 22, n° 2, jul./dez., p. 17-46.

LOPES. Maura Corcini. Surdez & educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2007

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Petrópolis: Vozes, 1997.

MIORANDO, Tania Micheline. Formação de professores surdos: mais professores para a escola sonhada. In: Quadros , Ronice Müller (org.). Estudos surdos. [Petrópolis, RJ] : Arara Azul, 2006.

NARODOWSKI, Mariano. Comenius e a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2001

SKLIAR, Carlos. A invenção e a exclusão da alteridade “ deficiente” a partir dos significados da normalidade. Educação e realidade. Porto Alegre, v. 24, n. 2, jul/dez., 1999.



FUNDAMENTOS PSICOLÓGICOS DA EDUCAÇÃO

Carga Horária: 60 horas

Créditos: 04

Pré-requisito: Nenhum



Ementa: Estudo dos saberes teóricos sobre o desenvolvimento psicológico e a aprendizagem humana aplicados ao processo de ensino-aprendizagem.
BIBLIOGRAFIA
CUNHA, Marcos Vinicios. Psicologia da Educação. Rio de Janeiro: DPBA, 2000.

GEOVANINI, Fátima Cristina Melo. Da Psicanálise à surdez – uma escuta psicanalítica em instituição escolar para surdos. Revista Espaço, Rio de Janeiro: INES, n. 8, p. 16-20, dez. 1997.

GOLDFELD, Márcia. A criança surda: linguagem e cognição numa perspectiva sociointeracionista. São Paulo: Plexus, 2002.

GONÇALVES, Luis Alberto C.; SILVA, Petronílha Beatriz G. O jogo das diferenças: o multiculturalismo e seus contextos. Belo Horizonte: Autêntica, 1998.

LABORIT, Emmanuelle. O vôo da Gaivota. São Paulo: Best Seller, 1994.

LACAN, Jacques. Os complexos familiares. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1984.

LANE, Harlan. A máscara da benevolência: a comunidade surda amordaçada. Lisboa: Horizontes pedagógicos, 1992.

SOLÉ, Mara Cristina Petrucci. A clínica psicanalítica em língua de sinais: reflexões de uma analista ouvinte sobre essa prática. Correio da Associação psicanalítica de Porto Alegre (APPOA), Porto Alegre, ano IX, n.88, p.50-59, mar. 2001.

VORCARO, Ângela. Crianças na psicanálise: clínica, instituição, laço social. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 1999.
POLÍTICA E GESTÃO DA EDUCAÇÃO
Carga Horária: 60 horas

Créditos: 04

Pré-requisito: Nenhum
Ementa: O campo de estudo da disciplina e seu significado na formação do educador.A política, a legislação e as tendências educacionais para a Educação Básica, no contexto das mudanças estruturais e conjunturais da sociedade brasileira. Políticas para a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e o Ensino Médio no Brasil e, particularmente, na Paraíba, a partir da nova LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9394/96). Modelos organizacionais de escola e formas de gestão. Princípios e características da gestão escola participativa. Práticas organizacionais e administrativas na escola. Gestão educacional e desafios do cotidiano escolar. Profissionais da educação|: formação, carreira e organização política. Escolarização dos surdos: práticas e discursos

BIBLIOGRAFIA

AGUIAR, M.A.S. (Org.) Gestão da educação: impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cotez, 2006 b.


CANDAU, Vera maria. (Org.). Sociedade, educação e culturas: questões e propostas. Petrópolis, Rio de Janiero:Vozes, 2002.


CORRÊA, Vera. Globalização  e neoliberalismo: o que isso tem a ver com o professor? Rio de Janeiro: Quartet,2003.

DORZIAT, Ana. O outro da educação: pensando a surdez com base nos temas Identidade/Diferença, Currículo e Inclusão. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

GARCIA, Barbara Gerner. O multiculturalismo na educação dos surdos: a resistência e relevância da diversidade para a educação dos surdos. IN SKLIAR, C. (org). Atualidades para educação bilíngue para surdos. Porto Alegre: Editora Mediação, 1999. 

GENTILLI Pablo. Pedagogia da exclusão: o neoliberalismo e a crise da escola pública. Petrópolis: Vozes, 2005.

LÜCK, Heloisa. Concepções e Processos Democráticos de Gestão Educacional. Petrópolis: Vozes.2008.


SKLIAR, C. A localização política da educação bilíngue para surdos. In: Atualidades para  educação bilíngue para surdos. Porto Alegre: Editora Mediação, 1999. 

VARELA, Julia. Categorias espaço-temporais e socialização escolar: do individualismo ao narcisismo. IN: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Escola básica na virada do século: cultura, política e currículo. São Paulo: Cortez, 1996.



DIDÁTICA DA LIBRAS

Carga Horária: 60

Créditos: 04

Pré-requisito: Nenhum



Ementa: A didática e suas dimensões político-social, técnica humana e as implicações no desenvolvimento do processo de ensino aprendizagem; O objeto da didática; Pressupostos teóricos, históricos, filosóficos e sociais da didática; Tendências pedagógicas e a didática; Planejamento de ensino; O ato educativo e a relação professor-aluno. Propostas de ensino para educação de surdos com enfoque nas experiências visuais.

BIBLIOGRAFIA

CORAZZA, Sandra Mara. Planejamento de ensino como estratégia de política cultural. In: MOREIRA, Antônio Flávio B. (Org.). Currículo: Questões atuais. Campinas: Papirus, 1997.


PERLIN, Gladis. Surdos: cultura e Pedagogia. In: THOMA, Adriana da Silva; LOPES, Maura Corcini (Org.) A Invenção da Surdez II: Espaços e tempos de aprendizagem na educação de surdos. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2006.

REIS, Flaviane. Professores Surdos: Identificação ou “Modelo”. In: QUADROS, Ronice; PERLIN, Gládis (Orgs.). Estudos Surdos II. Rio de Janeiro, Editora Arara, 2007.

SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

SILVEIRA, Carolina Hessel. O Currículo de Língua de Sinais e os professores surdos: poder, identidade e cultura surda. In: QUADROS, Ronice; PERLIN, Gládis (Orgs.). Estudos Surdos II. Rio de Janeiro, Editora Arara, 2007.



1.3 ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE ENSINO

CARGA HORÁRIA TOTAL: 420 horas
ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Carga Horária: 60

Créditos: 04

Pré-requisito: Nenhum


Ementa: Avaliação dos referenciais teóricos institucionais que norteiam as políticas pedagógicas relativas ao ensino de LIBRAS no Fundamental. Avaliação de recursos didáticos para o ensino de LIBRAS no Fundamental. Observação da aplicação desses conteúdos na sala de aula do Ensino Fundamental.
BIBLIOGRAFIA

BRASIL(1998). Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Saberes e práticas da inclusão: desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos surdos. [2. ed.] / coordenação geral SEESP/MEC. - Brasília : MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006

MACIEL, Francisca Izabel Pereira, BAPTISTA, Mônica Correia e MOURÃO, Sara. (orgs.). A criança de 6 anos, a linguagem escrita e o ensino fundamental de nove anos: orientações para o trabalho com a linguagem escrita em turmas de crianças de seis anos de idade. Belo Horizonte : UFMG/FaE/CEALE, 2009.


CAVALCANTE, Marianne e DELGADO, Isabelle Cahino. O contexto bilíngue de aquisição da linguagem escrita na surdez. In CAVALCANTE, Marianne (org). Multimodalidade em aquisição da linguagem. João Pessoa: editora da UFPB, 2010
CORAZZA, Sandra Mara. Planejamento de ensino como estratégia de política cultural. In: MOREIRA, Antônio Flávio B. (Org.). Currículo: Questões atuais. Campinas: Papirus, 1997.

RODRIGUES, David. Questões preliminares sobre o desenvolvimento de políticas de Educação Inclusiva. In: Revista da Educação Especial / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial. v. 4, n. 1, p. 33-40, jan./jun. 2008


SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Orientações curriculares e proposição de expectativas de Aprendizagem para Educação Infantil e Ensino Fundamental: Língua Portuguesa para pessoa surda /Secretaria Municipal de Educação – São Paulo : SME / DOT, 2008.


ESTÁGIO SUPERVISIONADO II

Carga Horária: 60 horas

Créditos: 04

Pré-requisito: Estágio Supervisionado I


Ementa: Avaliação dos referenciais teóricos institucionais que norteiam as políticas pedagógicas relativas ao ensino de LIBRAS no Fundamental. Avaliação de recursos didáticos para o ensino de LIBRAS no Ensino Médio. Observação da aplicação desses conteúdos na sala de aula do Ensino Médio
BIBLIOGRAFIA

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio – língua portuguesa. Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, 2000.

BRASIL. Saberes e práticas da inclusão : desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos surdos. [2. ed.] / coordenação geral SEESP/MEC. - Brasília : MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006.

GERALDI, João Wanderley. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. Campinas, SP: Mercado de Letras: Associação de Leitura do Brasil, 1996. 150p.


REIS, Flaviane. Professores Surdos: Identificação ou “Modelo”. In: QUADROS, Ronice; PERLIN, Gládis (Orgs.). Estudos Surdos II. Rio de Janeiro, Editora Arara, 2007.

SILVEIRA, Carolina Hessel. O currículo de língua de sinais na educação de surdos. Florianópolis, 2006. Dissertação (Mestrado).

_________. O Currículo de Língua de Sinais e os professores surdos: poder, identidade e cultura surda. In: QUADROS, Ronice; PERLIN, Gládis (Orgs.). Estudos Surdos II. Rio de Janeiro, Editora Arara, 2007.
ESTÁGIO SUPERVISIONADO III

Carga Horária: 60 horas

Créditos: 04

Pré-requisitos: Estágio Supervisionado I


Ementa: Perspectivas de abordagem da literatura visual no Ensino Fundamental (poesia, prosa, drama). Avaliação dos referenciais teóricos institucionais que norteiam as políticas pedagógicas educacionais relativas ao ensino de Literatura no Ensino Fundamental. Avaliação de recursos didáticos para o Ensino Fundamental.

BIBLIOGRAFIA

BRASIL(1998). Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996

BRASIL. Saberes e práticas da inclusão : desenvolvendo competências para o atendimento às necessidades educacionais especiais de alunos surdos. [2. ed.] / coordenação geral SEESP/MEC. - Brasília : MEC, Secretaria de Educação Especial, 2006

Quadros, Ronice Müller e Sutton-Spence, Rachel. Poesia em língua de sinais: traços da identidade surda. In: Quadros, Ronice Müller (org.). Estudos surdos I. [Petrópolis, RJ] : Arara Azul, 2006.

RAMOS, Clélia Regina. Uma Leitura da Tradução de Alice no País das Maravilhas para a Língua Brasileira de Sinais”. 2000. RJ. Tese de doutorado defendida na Universidade Federal do Rio de Janeiro Faculdade de Letras, 2000. (http://editora-arara-azul.com.br/novoeaa/tese-em-curso-de-doutorado-2/)
SANTOS, Alckmar Luiz dos e RAMOS, Tânia Regina Oliveira. Introdução aos Estudos de Literatura. Material do curso Letras Libras UFSC. Florianópolis, 2006.

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV

Carga Horária : 60

Créditos: 04

Pré-requisitos: Estágio Supervisionado I


Ementa: Perspectivas de abordagem da literatura visual no Ensino Médio (poesia, prosa, drama). Avaliação dos referenciais teóricos institucionais que norteiam as políticas pedagógicas educacionais relativas ao ensino de Literatura no Ensino Médio. Avaliação de recursos didáticos para o Ensino Médio.

BIBLIOGRAFIA

ABREU, Márcia. Letras, Belas Letras, Boas Letras. In BOLOGNINI, Carmem Zink (org.) História da literatura: o discurso fundador. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

AUGUSTI, Valeria. Trajetórias de consagração: discursos da crítica sobre o Romance no Brasil oitocentista. Campinas: IEL/UNICAMP, 2006. (Tese de doutorado). Disponível em http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000379054 Acesso em 20/09/2009.

CHARTIER, Roger. O comércio do romance. In Inscrever e apagar. Cultura escrita e literatura. São Paulo: Ed. Unesp, 2007.



Ratio Studiorium. Disponível em http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/fontes_escritas/1_Jesuitico/ratio%20studiorum.htm

Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM). Secretaria de Educação Básica. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2000



1   2   3   4   5   6   7   8


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal