Universidade federal da paraíba centro de ciências humanas, letras e artes departamento de letras clássicas e vernáculas licenciatura em letras/LÍngua brasileira de sinais modalidade: educaçÃo a distância



Baixar 0.53 Mb.
Página3/8
Encontro18.09.2019
Tamanho0.53 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8

BIBLIOGRAFIA


AUSTIN, J. L. _____. Quando dizer é fazer: palavras e ação. Porto Alegre: Artes Médicas,1990.

BENVENISTE, Émile. Problemas de linguística geral I.2ª ed. Campinas, SP: Pontes, 1989.

_____. Problemas de linguística geral II. Campinas, SP: Pontes, 1989.

DASCAL, M. (org.) Fundamentos metodológicos da linguística: Semântica. Vol. III, Campinas, UNICAMP, 1982.

DUCROT, Oswald. Princípios de Semântica Linguística: dizer e não dizer. São Paulo: Cultrix,1977.

ILARI et alii. Semântica. São Paulo: Ática, 1992.

MOURA, H. Significação e Contexto – Uma introdução a questões de semântica e pragmática. Florianópolis: Insular, 1999.

QUADROS, Ronice Muller; KARNOPP, Lodenir Becker. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

VOGT, Carlos. Linguagem, Pragmática e Ideologia. São Paulo: Editora Hucitec/Funcamp, 1980.

Fonte: http://www.webartigos.com/articles/7127/1/Da-Linguistica-a-Pragmatica/pagina1.html#ixzz1IebBXYmc





LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO I


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa: Concepções de leitura. A relação leitor, texto e autor. Reflexões teórico-práticas: abordagem de diferentes gêneros textuais/discursivos.

BIBLIOGRAFIA

 

BAHKTIN, M. [1979]. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 



ROJO, R. H. (org.) A Prática de Linguagem em Sala de Aula – praticando os PCN. São Paulo: EDUC; Campinas, SP: Mercado de Letras, 2000. 

BIASI‐RODRIGUES, Bernadete. A diversidade de gêneros textuais no ensino: um novo modismo? In: Perspectiva, Florianópolis, v.20, n.01, 2002, p.49‐73 

BRASIL. SEF. Parâmetros Curriculares Nacionais: primeiro e segundo ciclos do ensino fundamental: Língua Portuguesa. Brasília, MEC/SEF, 1997. 

BRONCKART, Jean‐Paul. Atividades de linguagem, textos e discursos. São Paulo: Educ, 1999. 

LAJOLO, M. e ZILBERMAN, R.  A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática, 1998. 

FARIA, Sandra Patrícia de. Ao pé da letra, não! mitos que permeiam o ensino da leitura para surdos. In: Quadros, Ronice Müller (org.). Estudos surdos. [Petrópolis, RJ] : Arara Azul, 2006.

MANGUEL, A. Uma história e leitura.  São Paulo: Companhia das Letras, 1998. 

SALLES, Heloisa Maria Moreira Lima ET AL. Ensino de Língua Portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. V. 01. Brasília: MEC, SEESP, 2004.( Programa Nacional de Apoio à Educação dos Surdos). Disponível em http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lpvol1.pdf

SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Projeto Toda Força ao 1º Ano: contemplando as especificidades dos alunos surdos / Secretaria Municipal de Educação. – São Paulo : SME / DOT, 2007.



LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO II


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa: Concepções de escrita. Papel da escrita e o lugar de escritor na sociedade. Reflexões teórico-práticas: produção de textos, pertencentes a diferentes gêneros textuais/discursivos.


BIBLIOGRAFIA


ANTUNES, Irandé. Lutar com palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005.

BAHKTIN, M. [1979]. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 

DECHANDTIN, Sônia Brocharo. A apropriação da escrita por crianças surdas. In: Quadros, Ronice Müller (org.). Estudos surdos I. [Petrópolis, RJ] : Arara Azul, 2006.

FERNANDES, S. É possível ser surdo em português? língua de sinais e escrita: em busca de uma aproximação. In: SKLIAR, C. (org.). Atualidade da educação bilíngüe para surdos: interface entre pedagogia e lingüística. V. 2, Porto Alegre: Editora Mediação, 1999.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. São Paulo: Cortez, 2001. 

____. Gêneros  textuais: definição e  funcionalidade.  In: A. P. Dionísio et al.  (orgs.). Gêneros  textuais & ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002. 

___. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola editorial, 2008.

PÉCORA, Alcir. Problemas de redação. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ROJO, R. H. (org.) A Prática de Linguagem em Sala de Aula Praticando os PCN. São Paulo: EDUC; Campinas, SP: Mercado de Letras, 2000.

OLIVEIRA, Luciana A. A Escrita do surdo: Relação texto e concepção. In: revista on-line. 2002 (www.educacaoonline.pro.br).


QUADROS, Ronice M. Idéias para ensinar português para alunos surdos. Brasília: MEC, SEESP, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port_surdos.pdf. Data de acesso: novembro de 2008


SÃO PAULO (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Projeto Toda Força ao 1º Ano: contemplando as especificidades dos alunos surdos / Secretaria Municipal de Educação. – São Paulo : SME / DOT, 2007.

AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM


Carga Horária: 60 horas

Créditos: 4



Ementa: Teorias da aquisição. Desenvolvimento linguístico na criança. Cognição e linguagem. Contribuições da área para o ensino.

BIBLIOGRAFIA

CAVALCANTI, Wanilda Maria A. ET AL. Algumas considerações a respeito da aquisição da língua portuguesa por surdos usuários de Libras. In: Cavalcante, Marianne B., FARIA, Evangelina M. B., LEITÃO, Márcio M. (org.) Aquisição da linguagem e processamento linguístico: perspectivas teóricas e práticas. João Pessoa: Editora da UFPB, 2011

FARIA, Evangelina, ALVES, Edneia de Oliveira, BATISTA, Marie Gorett Dantas de A e MONTEIRO, Regina de Fátima F. V. Língua de sinais: um instrumento viabilizador do desenvolvimento cognitivo e interacional do surdo. In: Dorziat, Ana (org).Estudos surdos: diferentes olhares. Porto Alegre: Mediação, 2011

FLETCHER, Paul. Compêndio da linguagem da criança. Posto Alegre: Artes Médicas, 1997.

LAMPRECHT, Regina Ritter. Aquisição da linguagem: questões e análises. Porto Alegre: EDIPURS, 1999.

KARNOPP, L. (1999) Aquisição Fonológica na Língua Brasileira de Sinais: estudo longitudinal de uma criança surda. Tese de Doutorado, PUCRS.

SCARPA, Éster. Aquisição da linguagem. In Mussalim. Introdução à Linguística: domínios e fronteiras, v 2, S.Paulo: Cortez, 2001.

VIGOTSKY, L. Pensamento e linguagem. São Paulo:Martins Fontes, 1998





1   2   3   4   5   6   7   8


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal