Universidade do estado de santa catarina udesc



Baixar 45.52 Kb.
Encontro07.05.2018
Tamanho45.52 Kb.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC

CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI

DIREÇÃO DE ENSINO – DEN


PLANO DE ENSINO



DEPARTAMENTO: ENGENHARIA SANITÁRIA
DISCIPLINA: TRATAMENTO E CONTROLE DE EFLUENTES INDUSTRIAIS SIGLA: TEES IVB


PROFESSOR(A): TIAGO JOSÉ BELLI E-mail: tiago.belli@udesc.br


CARGA HORÁRIA TOTAL: 54 h TEORIA: 54 h PRÁTICA: 0 h
CURSO(S): BACHARELADO ENGENHARIA SANITÁRIA
SEMESTRE/ANO: II/2016 PRÉ-REQUISITOS:
OBJETIVO GERAL DO CURSO:

O Curso de Engenharia Sanitária do Centro de Educação Superior do Alto Vale do Itajaí – CEAVI, da UDESC/ Ibirama, objetiva formar profissionais da engenharia habilitados à preservação, ao controle, à avaliação, à medida e à limitação das influências negativas das atividades humanas sobre o meio ambiente, de modo a atender as necessidades de proteção e utilização dos recursos naturais de forma sustentável, aliando novas metodologias e tecnologias na exploração, uso e tratamento da água, nos projetos de obras de saneamento, que envolvem sistemas de abastecimento de água, sistemas de esgotamento sanitário, sistemas de limpeza urbana, bem como no desenvolvimento de políticas e ações no meio ambiente que busquem o monitoramento, o controle, a recuperação e a preservação da qualidade ambiental e da saúde pública.



EMENTA:

Efeitos dos Efluentes Líquidos Industriais nos Corpos d'água. Características e Classificação dos Efluentes Líquidos Industriais. Principais Parâmetros de Projeto. Cálculo de Cargas em Misturas (Industrial e Doméstico). Metodologia de Tratamento: Metodologia Implant End of Pipe; Caracterização dos Efluentes. Coleta de Amostras (Campanhas). Estudo de Tratabilidade. Estudo em Piloto e Otimização. Projeto Hidráulico-Sanitário. Tratamento dos Efluentes em Mistura (Doméstico e industrial). Processos Unitários de Tratamento. Processos de Tratamento Específicos: Tratamento de Curtumes; Tratamento de Industrias Farmacêuticas; Tratamento de Indústrias Alimentícias; Tratamento de Indústria de Álcool/açúcar; papel/papel; galvanoplastia, Indústria Têxtil, Indústria de Petróleo, tratamento de Matadouros de Animais e Abatedores de Aves.


OBJETIVO GERAL DA DISCIPLINA

Proporcionar ao aluno conhecimentos sobre métodos de tratamento e controle de efluentes industriais bem como estudar seus efeitos nos corpos d’água.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS/DISCIPLINA:

Objetivo específico 1: Introduzir conteúdos relacionados à autodepuração e a eutrofização de corpos d’água;

Objetivo específico 2: Abordar questões relacionadas a quantificação de cargas poluidoras;

Objetivo específico 3 :Apresentar as características de efluentes industriais específicos e sua problemática ambiental

Objetivo específico 4: Estudar novas técnicas de tratamento de efluentes

Objetivo específico 5: Apresentar operações, processos e sistemas de tratamento de efluentes industriais.


CRONOGRAMA DAS ATIVIDADES:



Data

Horário

H.A.

Conteúdo

01

04/08

09:20 – 11:50

03

Apresentação do Plano de Ensino e Aprendizagem

02

11/08

09:20 – 11:50

03

Poluição por matéria orgânica e autodepuração dos cursos d’água

Impacto do lançamento de efluentes nos corpos hídricos



03

18/08

09:20 – 11:50

03

Continuação: impacto do lançamento de efluentes em corpos hídricos

04

25/08

09:20 – 11:50

03

Eutrofização dos corpos d’água

05

01/09

09:20 – 11:50

03

Características dos Efluentes Industriais

06

08/09

09:20 – 11:50

03

Princípios da remoção de matéria orgânica e nutrientes

07

15/09

09:20 – 11:50

03

Princípios da remoção de matéria orgânica e nutrientes – Continuação

08

22/09

09:20 – 11:50

03

Primeira Avaliação: Prova (P1)

09

29/09

09:20 – 11:50

03

Sistemas biológicos de tratamento de efluentes

10

06/10

09:20 – 11:50

03

Processo de separação por membranas e biorreatores à membrana para tratamento de efluentes

11

13/10

09:20 – 11:50

03

Grânulos aeróbios no tratamento de efluentes

12

20/10

09:20 – 11:50

03

Processo Anammox no tratamento de efluentes

13

27/10

09:20 – 11:50

03

Operações, Processos e Sistemas de Tratamento Físico-químico de efluentes

14

03/11

09:20 – 11:50

03

Operações, Processos e Sistemas de Tratamento Físico-químico de efluentes - Continuação

15

10/11

09:20 – 11:50

03

Segunda avaliação – Prova (P2)

16

17/11

09:20 – 11:50

03

Visita técnica a ETE industrial -

Terceira avaliação: Relatório de visita técnica (R)

17

24/11

09:20 – 11:50

03

Elaboração de seminário (S) – Tema: processos de tratamento específicos

18

01/12

09:20 – 11:50

03

Quarta Avaliação – S1 e Entrega do relatório (R)




08/12

09:20 – 11:50

03

Exame

















METODOLOGIA PROPOSTA:

O programa será desenvolvido através de aulas expositivas dialogadas, utilização de vídeos e aulas de exercícios.


AVALIAÇÃO:

O aluno será avaliado através de 02 (duas) provas (P1 e P2), 01 (um) seminário (S1) e um (01) relatório de visita técnica (R1), que serão realizadas ao longo do semestre letivo, com média final calculada da seguinte forma:

MF=(P1+P2+R1+S1)/4

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Planejamento de amostragem de efluentes e corpos receptores: procedimento. Rio de Janeiro: ABNT, 1987. 14 p. (Número de chamada: 628.35 A849p 1987 N)


NUVOLARI, Ariovaldo. Esgoto sanitário: coleta, transporte, tratamento e reúso agrícola. São Paulo: E. Blücher, 2003. 520 p. (Número de chamada: 628.3 E75)

SPERLING, Marcos Von. Lodos ativados. Belo Horizonte: UFMG/DESA, 2012. 428 p. (Princípios do tratamento biológico de água residuárias. (Número de chamada: 628.39 S749l 3.ed. 2012)


BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALBUQUERQUE, Letícia. Poluentes orgânicos persistentes: uma análise da convenção de Estocolmo. Curitiba: Juruá, 2006. 197 p. ISBN 85-362-0681-0 (broch.) (Número de chamada: 363.73 A345p)


JARDIM, Arnaldo; YOSHIDA, Consuelo; MACHADO FILHO, José Valverde; PHILIPPI JUNIOR, Arlindo (Ed). Política nacional, gestão e gerenciamento de resíduos sólidos. Barueri: Manole, 2012. 732 p (Coleção Ambiental). ISBN 9788520433799 (broch.). (Número de chamada: 628.44 P769 2012)
NUNES, Alves José. Tratamento físico-químico de águas residuárias industriais. 3.ed. Aracaju: Gráfica e Editora Triunfo Ltda. 2001. (CAV - Número de chamada: 628.3 N972t)
PROSAB. Programas de Pesquisa em Saneamento Básico. Processos de desinfecção e desinfetantes alternativos na produção de água potável. USP – São Carlos: Prosab, 2001. 149p. Disponível em: < http://www.finep.gov.br/prosab/livros/LuizDaniel.pdf> Acesso em: Mar. de 2015.
RESOLUÇÃO CONAMA n°357, de 17 de Março de 2005. – Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências.
RESOLUÇÃO CONAMA n°430, de 13 de Maio de 2011. – Dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes, complementa e altera a Resolução nº 357, de 17 de março de 2005, do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA.
SPERLING, Marcos von. Introdução a qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 1 ed. Belo Horizontes: UFMG- Escola de Biblioteconomia, 1995. 240 p. (CCT - Número de chamada: 628.3 S749i)
SPERLING, Marcos Von. Princípios básicos do tratamento de esgotos. Belo Horizonte: UFMG/DESA, 1996. 211 p. (Princípios do tratamento biológico de águas residuais, 2) (CCT - Número de chamada: 628.3 S749p)
: arquivos -> id submenu
id submenu -> Anexo j resumo
id submenu -> Práticas agroecológicas e gênero como forma de resistência da ruralidade
id submenu -> Universidade do estado de santa catarina udesc
id submenu -> Desempenho zootécnico, sanitário e preservação de suínos da raça moura
id submenu -> Universidade do estado de santa catarina
id submenu -> Termo de referência das despesas
id submenu -> Diagnóstico Molecular de Tristeza Parasitária Bovina no Planalto Catarinense, e Desenvolvimento de Multiplex pcr para Detecção de Babesia bigemina, Babesia bovis e Anaplasma marginale
id submenu -> Universidade do estado de santa catarina udesc
id submenu -> Portaria xxx/2004/cav
id submenu -> Universidade do Estado de Santa Catarina udesc centro de Ciências Humanas e da Educação – faed




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal