Ufv / XVIII sic / outubro de 2008 / veterinária


UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



Baixar 315.39 Kb.
Página5/9
Encontro21.10.2017
Tamanho315.39 Kb.
1   2   3   4   5   6   7   8   9

UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



DIRETRIZES BÁSICAS PARA A SOLTURA NA NATUREZA DE ANIMAIS SILVESTRES: REVISÃO DE LITERATURA

MARCELO GROSSI MACHADO (Estagiário voluntário/UFV), KÍSSIA FERREIRA PEREIRA (Estagiário voluntário/UFV), LETÍCIA BERGO COELHO FERREIRA (Estagiário voluntário/UFV), GUILHERME DE SOUSA CAMPONÊZ (Estagiário voluntário/UFV), LISIEUX FRANCO FUZESSY (Estagiário voluntário/UFV), PABLO SANTOS RODRIGUES (Estagiário voluntário/UFV), LEANES CRUZ DA SILVA (Estagiário voluntário/UFV), JÚNIA PAULA SANTOS (Estagiário voluntário/UFV), TARCIZIO ANTONIO REGO DE PAULA (Orientador/UFV)

A soltura em ambiente natural de animais apreendidos, recolhidos ou doados/devolvidos é uma importante ferramenta de manutenção da fauna local e preservação da natureza. Nesse intuito, o IBAMA fornece normas, por meio de dispositivos legais, tais como Portarias e Instruções Normativas, de todos os protocolos que devem ser seguidos para uma soltura e pós-soltura (monitoramento) corretos, objetivando o êxito da soltura. Entre tais regras podemos citar algumas, englobadas em três grandes grupos: regras ambientais, jurídico-legais e logísticas. Entre as ambientais são incluídas aquelas que preservam as relações ecológicas, tais como observação quantitativa e qualitativamente de toda fauna local, relações em cadeias tróficas, presença de outros indivíduos de mesma espécie e mensuração da área de abrangência e territorialidade; e aquelas que visam à sanidade animal e a higidez de seu ecossistema: neste ponto são solicitados diversos diagnósticos veterinários negativos de várias patologias, específicas para cada grupo animal. Entre os protocolos jurídico-legais se incluem aquelas que permitem todos os trâmites legais do processo, tais como ficha civil ou jurídica (Certidão Negativa) do proprietário do local escolhido para soltura (em caso de estabelecimento privado), retirada de uma série de documentações do animal e do processo aberto, tais como GTA (Guia de Trânsito Animal) de Silvestres, permissões do IBAMA. Entre as instruções logísticas destacam-se aquelas que solicitam veículo, contenções, transporte, método de soltura e método de monitoramento corretos, específicos a cada grupo animal. Dessa maneira, seguindo tudo o que é solicitado, é possível obter uma ação efetiva, importantíssima para a recuperação da fauna tão degradada, mas principalmente realizar uma ação de acordo com as diretrizes e portarias dos órgãos competentes, minimizando possíveis solturas desastrosas. (CETAS-UFV )

UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EFEITO DO FUNGO Paecilomyces lilacinus SOBRE OVOS DE Taenia saginata

FERNANDA VIEIRA CASTEJON (Estagiário voluntário/UFV), FABIO RIBEIRO BRAGA (Não Bolsista/UFV), JULIANA MILANI ARAUJO (Não Bolsista/UFV), ANDRÉ RICARDO E SILVA (Não Bolsista/UFV), ROGÉRIO OLIVA CARVALHO (Não Bolsista/UFV), ALEXANDRE DE OLIVEIRA TAVELA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), JACKSON VICTOR DE ARAUJO (Orientador/UFV)

 Paecilomyces lilacinus é um fungo de solo, parasita facultativo de ovos de helmintos. O cestódeo Taenia saginata é responsável pela teniíase humana, e sua forma larval produz a cisticercose, em bovinos, considerada uma zoonose endêmica nos países em desenvolvimento. Esse estudo teve como objetivo demonstrar a eficácia ovicida do fungo P. lilacinus sobre ovos de T. saginata. Primeiramente, o fungo nematófago foi mantido em tubos de ensaio a 4º C contendo corn-meal-ágar 2% (AA 2%) e no escuro durante 10 dias, para o seu crescimento. Discos de cultura de 4 mm de diâmetro foram transferidos para placas de Petri de 9,0 cm diâmetro contendo 20 mL de ágar-água 2% durante 10 dias. Os ovos de T. saginata utilizados, após passarem por análise morfológica de integridade, foram vertidos sobre a superfície das placas de Petri contendo o meio AA 2% com o isolado fúngico crescido por 10 dias e sem fungo como controle, sendo feitas 10 repetições para cada grupo. Cada placa continha mil ovos. Ao final de 10 dias, aproximadamente cem ovos foram retirados de cada placa (contendo o fungo e controle), sendo então avaliados em objetiva de 40x de acordo com parâmetros de penetração dos ovos. Foi observado efeito lítico com alteração morfológica do embrião e da casca, além de penetração de hifas e colonização interna do ovo. Os dados foram submetidos ao teste não paramétrico de Friedman com 5% de probabilidade. Houve atividade ovicida (p<0,05) em relação ao grupo controle no décimo dia e colonização interna dos ovos de 25,5 %. Tais resultados demonstram que o fungo P. lilacinus apresentou eficácia in vitro sobre ovos de T. saginata em condições laboratoriais.

 

 


UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EFEITO DO NÍVEL DE INGESTÃO DE ALIMENTOS SOBRE A EXCREÇÃO URINÁRIA DE CREATININA EM BOVINOS NELORE

LUCIANA LOUZADA PRATES (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), RILENE FERREIRA DINIZ VALADARES (Orientador/UFV), ANALÍVIA MARTINS BARBOSA (Bolsista CNPq/UFV)


Em ruminantes, para que a produção microbiana ruminal e outros parâmetros de interesse nutricional possam ser determinados de forma rápida e rotineira, é de fundamental importância a determinação do volume urinário diário. Para que este volume possa ser estimado, tem sido utilizada a excreção de creatinina na urina. Considerando ainda que a maior parte do rebanho nacional é criado a pasto, o conhecimento da excreção de creatinina torna-se ainda mais necessário, uma vez que, nessa condição, é praticamente impossível fazer coleta total de urina. O objetivo deste trabalho foi determinar o efeito do consumo de alimentos sobre a excreção de creatinina. Para isso, utilizaram-se oito novilhas Nelore, com peso inicial de aproximadamente 250 kg, mantidas em confinamento no Laboratório de Animais (DZO/UFV), alimentadas à base de silagem de milho e concentrado nas proporções 60 e 40% na base da matéria seca (MS), respectivamente. As dietas foram fornecidas ao nível de 1,2; 1,6; 2,0 e 2,4% do peso vivo (PV), constituindo os tratamentos experimentais. Foram utilizados dois quadrados latinos 4 x 4, balanceados, com quatro animais, quatro tratamentos e quatro períodos experimentais. Realizaram-se análises de MS, cinzas (CZ), extrato etéreo (EE), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) nas amostras de alimentos, sobras e fezes, assim como determinação de creatinina nas amostras de urina. Os consumos de matéria seca e orgânica foram compatíveis com cada tratamento; os consumos de PB, EE, FDN e CNF refletiram o progressivo aumento de consumo de MS, visto serem as dietas de mesma composição. As digestibilidades dos nutrientes apresentaram relação inversa com o consumo. Não foi observado efeito do consumo (P>0,05) sobre a excreção de creatinina, obtendo-se média de 25,30 ± 1,557 mg/kg PV. Conclui-se que a creatinina pode ser utilizada como indicador da produção urinária, independente do nível de ingestão de alimentos.


UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EFEITO OVICIDA DE FUNGOS NEMATÓFAGOS SOBRE OVOS DE Taenia taeniaeformis

CAMILA DOMINGUES FERREIRA ALVES (Estagiário voluntário/UFV), FABIO RIBEIRO BRAGA (Não Bolsista/UFV), JACKSON VICTOR DE ARAUJO (Orientador/UFV), ROGÉRIO OLIVA CARVALHO (Bolsista CAPES/UFV), ANDRÉ RICARDO E SILVA (Não Bolsista/UFV), JULIANA MILANI ARAUJO (Não Bolsista/UFV), ALEXANDRE DE OLIVEIRA TAVELA (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), PAULO RENATO DOS SANTOS COSTA (Colaborador/UFV), SEBASTIÃO RODRIGO FERREIRA (Voluntário/)



Taenia taeniaeformis é um cestóide cosmopolita parasito do intestino delgado de gatos (Felis catus) e outros carnívoros. Nos gatos, as infecções por cestóides causam poucos prejuízos e transtornos, mas, sugere-se tratamento e controle dessas infecções. Alguns organismos como fungos, bactérias, vírus, protozoários, entre outros, são reconhecidos como antagonistas naturais de helmintos parasitos gastrintestinais, podendo ser utilizados como uma alternativa viável no controle destes parasitos. O efeito ovicida dos fungos nematófagos Monacrosporium sinense (SF53), Monacrosporium thaumasium (NF34) e Pochonia chlamydosporia (VC1) sobre ovos de Taenia taeniaeformis foi avaliado em condições laboratoriais. Os ovos foram vertidos em placas de Petri contendo o meio ágar água 2% com os isolados fúngicos crescidos por 10 dias e sem fungo (controle), sendo feitas 10 repetições para cada grupo. Nos tratamentos, cada placa continha mil ovos de T. taeniaeformis com apenas um dos isolados fúngicos. Nos intervalos de sete e 14 dias, cem ovos foram retirados de cada placa contendo o isolado e do controle sendo então avaliados em objetiva de 40x de acordo com os seguintes parâmetros: efeito tipo 1, fisiológico e bioquímico sem prejuízo morfológico à casca do ovo, onde hifas são observadas aderidas à casca; tipo 2, efeito lítico com alteração morfológica da casca e embrião, sem penetração de hifas através da casca e tipo 3, efeito lítico com alteração morfológica do embrião e da casca, além de penetração de hifas e colonização interna do ovo. Ao final do ensaio experimental o fungo P. chlamydosporia demonstrou atividade ovicida (p< 0,01) em relação às outras espécies sobre ovos de T. taeniaeformis, apresentando principalmente resultados percentuais para a colonização interna dos ovos (efeito tipo 3) de 32,2% e 54,0% respectivamente aos sete e 14 dias. Esses resultados demonstraram que o fungo P. chlamydosporia teve eficácia in vitro sobre os ovos de T. taeniaeformis, ao contrário dos demais fungos, que não apresentaram o efeito do tipo 3.


UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EFEITO OVICIDA DOS FUNGOS NEMATÓFAGOS Pochonia chlamydosporia, Duddingtonia flagrans e Monacrosporium thaumasium

LUIZA NEME FRASSY (Estagiário voluntário/UFV), JULIANA MILANI ARAUJO (Não Bolsista/UFV), JACKSON VICTOR DE ARAUJO (Orientador/UFV), FABIO RIBEIRO BRAGA (Não Bolsista/UFV), ROGÉRIO OLIVA CARVALHO (Bolsista CAPES/UFV), ANDRÉ RICARDO E SILVA (Não Bolsista/UFV), SEBASTIÃO RODRIGO FERREIRA (Voluntário/)

As infecções helmínticas ainda permanecem como um importante problema para a saúde pública. Dentre essas infecções causadas por helmintos parasitos gastrintestinais em seres humanos está o complexo teníase/cisticercose, uma zoonose que afeta até 77 milhões de pessoas e é causada por cestóides da família Taenidae, como a Taenia saginata.. O complexo teníase/cisticercose por T. saginata apresenta uma distribuição cosmopolita e está amplamente difundido na maioria dos países onde existe a atividade pecuária bovina. Várias medidas podem ser aplicadas no controle do complexo teníase/cisticercose, mas a principal estratégia consiste na interrupção do ciclo evolutivo do parasito. Contudo, medidas alternativas que possam ser empregadas no combate à disseminação ambiental, deste, e de outros parasitos gastrintestinais e suas formas infectantes são importantes, como o uso de antagonistas naturais de helmintos. Os Fungos nematófagos são divididos em endoparasitas, predadores e parasitas de ovos. O efeito ovicida dos fungos nematófagos Pochonia chlamydosporia (VC1), Duddingtonia flagrans (AC001) e Monacrosporium thaumasium (NF34) sobre ovos de T. saginata foi avaliado em condições laboratoriais. Os ovos de T. saginata foram vertidos em placas com ágar-água 2% contendo os isolados fúngicos crescidos e sem fungo como controle, sendo observados no quinto, décimo e décimo quinto dias. Ao final do ensaio experimental o fungo P. chlamydosporia demonstrou atividade ovicida (p<0,05) em relação às duas outras espécies sobre os ovos de T. saginata, apresentando principalmente resultados percentuais para a colonização interna do ovo de 12,8% (VC1) e 2,2% (VC4); 18,1% (VC1) e 7,0% (VC4); 9,76% (VC1) e 8,0% (VC4) respectivamente aos cinco, 10 e 15 dias. Esses resultados demonstraram que o fungo P. chlamydosporia apresentou eficácia in vitro sobre os ovos de Taenia saginata ao contrário dos demais fungos. D. flagrans e M. thaumasium. 
UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EFEITOS DO THIODAN NA MORFOLOGIA DE TESTÍCULOS DE JOVENS DE TILÁPIA NILÓTICA (Oreochromis niloticus)  

VIVIAN ROCHA DE FREITAS (Bolsista IC /projeto/UFV), LAERCIO DOS ANJOS BENJAMIM (Orientador/UFV), LUZ NATÁLIA FRANCO MONTOYA (Não Bolsista/UFV), MARLENE ISABEL VARGAS VILORIA (Co-orientador/UFV), SERGIO LUIS PINTO DA MATTA (Co-orientador/UFV), ANN HONOR MOUNTEER (Co-orientador/UFV), LINO ROBERTO FERREIRA (Colaborador/UFV), ANTONIO ALBERTO DA SILVA (Colaborador/UFV)

Agrotóxicos são amplamente utilizados no controle de plantas daninhas. Entretanto, levam ao aumento na contaminação do solo, despertando o interesse de pesquisas que avaliem indicadores biológicos. Investigações das alterações morfológicas nos órgãos internos dos peixes podem ser úteis como bioindicadores da poluição em ambientes aquáticos. Este estudo visou avaliar alterações provocadas pelo efeito agudo do Thiodan® nos testículos de tilápias nilóticas (Oreochromis niloticus). O teste de toxicidade aguda utilizou 40 peixes em quatro repetições com três diferentes concentrações do Thiodan® (0.5, 1.0, 1.4mg/L), e um grupo-controle. Fragmentos de testículos foram fixados em Bouin, desidratados em álcool etílico, incluídos em historesina, seccionados e corados com hematoxilina-eosina, azul de toluidina, tricrômico de Gomori e Giemsa. A análise da água constou da avaliação de pH, dureza, amônia total e tóxica, oxigênio dissolvido e condutividade elétrica, encontrando-se todos dentro dos parâmetros normais para pisciculturas. Foram registrados comprimento total, comprimento-padrão e peso corporal dos animais após o período experimental, não encontrando diferença estatística entre os grupos. Os testículos são pares, localizados dorsalmente na cavidade celomática e fixados pelo mesórquio. Histologicamente, apresentam organização tubular seminífera cística e, ao corte transversal, mostram aspecto triangular a oval. O parênquima testicular apresentou compartimento intersticial evidente, início da formação de cistos de espermatogônias e formação dos ductos espermáticos, grande população de células indiferenciadas em um parênquima testicular constituído principalmente de tecido conjuntivo, e poucas células de Leydig. Os animais encontravam-se em maturação inicial, apresentando desde espermatogônia primária (G1) até espermatócitos secundários (E2). Nos grupos tratados com 1,0 e 1,4µg/L, observou-se alteração no arranjo estrutural, na morfologia dos cistos, diminuição populacional, degeneração e tumefação de células germinativas, e necrose parcial ou total do parênquima testicular. A maior percentagem de tecido necrosado observada na concentração de 1,4µg/L demonstra que maior concentração do produto na água gera maior dano tecidual no testículo.
UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EFICIÊNCIA REPRODUTIVA DE VACAS LEITEIRAS CRIADAS EM SISTEMA FREE-STALL

PEDRO TEIXEIRA DA SILVA (Estagiário voluntário/UFV), JOSE DOMINGOS GUIMARAES (Orientador/UFV), ERICK FONSECA DE CASTILHO (Não Bolsista/UFV), MARIA IGNEZ LEAO (Colaborador/UFV), BRUNO LUIS FILGUEIRAS RODRIGUES (Não Bolsista/UFV), ROGÉRIO OLIVEIRA PINHO (Não Bolsista/UFV), LEONARDO FRANCO MARTINS (Bolsista CAPES/UFV), MAURÍCIO HOSHINO DA COSTA BARROS (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), RENAN MOREIRA PARAIZO (Estagiário voluntário/UFV)

A produção leiteira brasileira está entre as dez maiores produções mundiais. Porém, a eficiência reprodutiva apresenta desempenho inferior aos esperados. A carência de mão-de-obra qualificada, manejo reprodutivo, nutricional e sanitário inadequados são os principais fatores a serem corrigidos para otimizar os índices reprodutivos. O objetivo deste estudo foi avaliar os índices reprodutivos de vacas leiteiras criadas em sistema Free-stall. As médias dos índices reprodutivos (idade ao 1° parto - I1P; 1° período de serviço – 1PS; período de serviço geral – PS; intervalo de partos – IP; n° de inseminações/1ª concepção – NI1C; n° de inseminações/concepção geral – NIC; e taxa de fertilidade - TF) foram obtidas no banco de dados da Unidade de Ensino, Pesquisa e Extensão – Gado de Leite/UFV. Foi empregado o programa Excel Microsoft® utilizando análise descritiva. Atualmente, o rebanho é constituído por 111 fêmeas, sendo 73 animais (65,77 %) em reprodução (23 novilhas e 50 vacas adultas) e 38 bezerras/novilhas (34,23 %) de reposição. A taxa de prenhez atual dos animais em reprodução é de 46,58 % (n=34). Os valores médios obtidos dos índices reprodutivos foram: I1P = 805,7 dias (26,5 meses); 1PS = 142,4 dias (4,7 meses); PS = 155,6 dias (5,1 meses); IP = 420 dias (13,8 meses); NI1C = 1,4; NIC = 1,7; TF = 85,4 %. Todos os índices estudados estão dentro da normalidade, exceto o PS que está superior aos esperados (80 a 120 dias). Estes valores superiores justificam-se pela presença de alguns animais idosos que interferem na média geral dos índices. Os mesmos não podem ser descartados do rebanho devido ainda apresentarem alta produção leiteira (≥ 6.000 kg/lactação; ≥ 20 kg/dia). Concluiu-se que apesar dos animais serem criados em sistema Free-stall, onde se observa estresse dos animais decorrente do confinamento, os índices reprodutivos estudados são semelhantes aos registrados nos grandes centros de produção leiteira.
UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



EQUIVALÊNCIA ENTRE OS TESTES DE COAGULASE E TERMONUCLEASE NA IDENTIFICAÇÃO DE ESTAFILOCOCOS ISOLADOS DE LEITE CRU E QUEIJO FRESCAL

GABRIELA NOGUEIRA VIÇOSA (Bolsista PROBIC/FAPEMIG/UFV), PAULA MENDONÇA MORAES (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), ANDERSON KEIZO YAMAZI (Estagiário voluntário/UFV), MARIA BEATRIZ TASSINARI ORTOLANI (Bolsista CAPES/UFV), LUIS AUGUSTO NERO (Orientador/UFV)

Estafilococos produtores de enterotoxinas são considerados importantes agentes causadores de toxinfecções alimentares, frequentemente associados a alimentos de origem animal. A pesquisa de suas enterotoxinas em alimentos é uma atividade extremamente laboriosa e algumas de suas características bioquímicas, como a produção de coagulase e termonuclease, são utilizadas para se determinar o potencial enterotoxigênico desses microrganismos. Contudo, algumas espécies de estafilococos apresentam resultados divergentes para ambos os testes, o que poderia comprometer os resultados obtidos de acordo com a sua concentração na microbiota do alimento analisado. O objetivo deste trabalho foi verificar a correspondência entre os resultados dos testes da coagulase e termonuclease em culturas de estafilococos isoladas de leite cru e queijo frescal. 693 culturas de estafilococos isoladas de leite cru e queijo frescal por diferentes metodologias e meios de cultura foram recuperadas em caldo BHI e submetidas ao teste da coagulase em plasma de cavalo e ao teste da termonuclease em ágar DNAse com azul de toluidina (após aquecimento a 100°C por 15 min). Para o teste da coagulase, a presença de aglutinação no fundo do tubo foi considerada como resultado positivo. Para o teste da termonuclease, a presença de halos de coloração rosa foi considerada como resultado positivo. Os resultados obtidos para cada cultura testada foram agrupados e comparados para verificação de correspondência entre os testes realizados. 641 (92,5%) culturas apresentaram resultados concordantes para os dois testes, e apenas 52 (7,5%) apresentaram resultados discordantes. Algumas espécies de estafilococos apresentam perfis distintos para ambos os testes, como Staphylococcus delphini, S. chromogens e S. simulans. Assim, devido à baixa incidência de espécies de estafilococos isoladas de leite cru e queijo frescal com resultados não concordantes, os testes de coagulase e termonuclease podem ser realizados de forma independente quando não seja possível a realização simultânea dos mesmos, sem que haja comprometimento dos resultados.
UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



ESTUDO RETROSPECTIVO DOS TUMORES CUTÂNEOS DIAGNÓSTICADOS EM CÃES E GATOS NO SERVIÇO DE PATOLOGIA VETERINÁRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA

BRENO SOUZA SALGADO (Estagiário voluntário/UFV), VINICIUS WINTER VIANA (Não Bolsista/UFV), JOÃO PAULO MACHADO (Bolsista CNPq/UFV), JULIANA EVANGELISTA BEZERRIL (Não Bolsista/UFV), FABRÍCIO LUCIANI VALENTE (Bolsista FAPEMIG/UFV), GABRIEL DOMINGOS CARVALHO (Não Bolsista/UFV), CAIO DE PAULA MARCHI (Estagiário voluntário/UFV), JOAO CARLOS PEREIRA DA SILVA (Colaborador/UFV), LISSANDRO GONCALVES CONCEICAO (Colaborador/UFV), MARLENE ISABEL VARGAS VILORIA (Orientador/UFV)

Tumores cutâneos são frequentemente encontrados em animais domésticos, dadas diversas características intrínsecas da pele que é composta por variados tipos celulares potencialmente capazes de sofrer transformação neoplásica. Além disso, está sujeita a fatores genéticos, agentes internos envolvidos na produção de tumores e está exposta a diversos fatores químicos, físicos e biopatogênicos como agentes infecciosos, raios ultravioleta solares e poluentes ambientais que podem iniciar ou promover desenvolvimento tumoral. Neste contexto, tumor significa aumento de volume, neoplásico ou não. Objetivou-se neste trabalho avaliar a ocorrência de tumores cutâneos em cães e gatos e diagnósticos firmados no Serviço de Patologia Veterinária(SPV)-Departamento de Veterinária (DVT) da Universidade Federal de Viçosa, entre 2003 e 2007. Os diagnósticos foram instituídos sobre amostras cutâneas provenientes de exames pós-mortem ou sobre biópsias de pele recebidas pelo SPV-DVT, sendo os dados obtidos dos arquivos de diagnóstico do Laboratório de Histopatologia-DVT. No período analisado foram realizados 302 diagnósticos histopatológicos suspeitos de enfermidades neoplásicas em cães e 19 em felinos. Deste total, 86 amostras caninas mostraram-se não neoplásicas, enquanto que das 19 amostras de gatos verificadas 8 apresentaram-se da mesma maneira. Do total de neoplasmas de cães, o mastocitoma foi mais frequente (11.6%), seguido de carcinoma de células escamosas (5,5%), hemangioma e hemangiossarcoma (4.6%). Por sua vez, nos felinos, o adenocarcinoma (45.4%) foi mais obsevado, seguido por hemangiossarcoma, fibrossarcoma, schwannoma, condrossarcoma e adenoma apócrino (9.1%). Dos 216 neoplasmas cutâneos caninos, 205 afetaram cães diferentes, sendo que 14 cães apresentavam simultâneamente dois tipos de dermatopatia neoplásica diferentes e 2 cães mostraram três tipos de neoplasia cutânea com diagnóstico diferente. É importante, assim, estar atento às informações clínicas e anamnésicas, visto que neoplasmas são mais representativos que os tumores não neoplásicos como dermatopatias, porém, em muitos casos, a falta de informações dificulta o diagnóstico correto e compromente futuras avaliações epidemiológicas.
UFV / XVIII SIC / OUTUBRO DE 2008 / VETERINÁRIA CCB



ETIDRONATO E PRAVASTATINA NA REPARAÇÃO DE FRATURAS EM TÍBIAS DE RATAS OSTEOPORÓTICAS AVALIADAS POR MARCADORES BIOQUIMICOS.

GLÁUCIA GUIMARÃES AMARAL (Bolsista PIBIC/CNPq/UFV), ALOISIO DA SILVA PINTO (Orientador/UFV), RICARDO JUNQUEIRA DEL CARLO (Colaborador/UFV), CLAUDIO CESAR FONSECA (Colaborador/UFV), TANIA TOLEDO DE OLIVEIRA (Colaborador/UFV), CARLOS ANTÔNIO CARDOSO (Colaborador/)

A osteoporose é uma desordem do tecido ósseo caracterizada pelo comprometimento da força do osso, que predispõe a um aumento no risco de fraturas. O presente experimento visou comparar os efeitos de etidronato e pravastatina através de marcadores bioquímicos na reparação de fraturas em ratas osteoporóticas induzidas com dexametasona. Foram utilizadas 28 ratas da raça Wistar, adultas, pesando em média 250g. A indução osteoporótica com dexametasona foi feita por via intramuscular, na dose de 7,5 mg/Kg de peso corporal, durante cinco semanas. Passado este período, os animais, anestesiados, foram submetidos à fratura fechada, sendo em seguida distribuídos aleatoriamente em quatro grupos experimentais de sete animais. O grupo 1, controle, foi composto por ratas normais submetidas somente ao procedimento de fratura; a partir do grupo 2, houve o uso de glicocorticóide e o procedimento de fratura, sendo que os grupos 3 e 4 foram tratados com etidronato (0,25mg/Kg) e pravastatina (1mg/Kg), respectivamente, por via oral, diariamente, durante 30 dias Aos 35 dias, após a fratura, os animais foram eutanasiados, coletando-se amostras de sangue para a dosagem dos níveis séricos de cálcio, fósforo, albumina, proteínas totais, utilizando o Aparelho Multiparamétrico de Bioquímica (Alizé) e fosfatase alcalina óssea (FAO), utilizando o equipamento de quimioluminescência Access Immunossay System da Beckman Coulter. Os valores obtidos não revelam alteração com os tratamentos medicamentosos para cálcio, fósforo, albumina e proteínas totais em relação àqueles dos animais do grupo controle e do glicocorticóide, bem como entre eles. No entanto, apesar de os valores da fosfatase alcalina óssea não terem mostrado significância entre os grupos 1 e 2, apresentaram diferenças significativas entre estes grupos e os tratados com medicamentos. Os resultados demonstram que os fármacos utilizados possuem atividade reparadora do tecido ósseo, visto que o aumento deste parâmetro reflete ação metabólica positiva da atividade óssea, sugerindo seu uso nesta patologia clínica.




1   2   3   4   5   6   7   8   9


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal