Ufv / V mcpg / Março-2006/ Tecnologia e Alimentos / 250



Baixar 4.52 Kb.
Encontro30.06.2019
Tamanho4.52 Kb.

UFV / V MCPG / Março-2006/ Tecnologia e Alimentos / 250 
_______________________________________________________________

DESENVOLVIMENTO DE EMBALAGEM ATIVA COM INCORPORAÇÃO DE LACTASE

CUNHA, Luciana Rodrigues (Estudante); SOARES, Nilda de Fátima Ferreira (Orientador); ASSIS, Flávia Cristina Costa (Estudante); MELO, Nathália Ramos (Estudante); REREIRA, Alexandre Fontes (Estudante); SILVA, Camila Batista (Outro)



O leite é um complemento dietético de alto valor nutritivo por conter carboidratos, lipídios, proteínas e sais minerais. Entretanto, a inclusão do leite na dieta humana, pode ser prejudicial a certos indivíduos, devido à atividade reduzida ou ausência da lactase intestinal. Quando essa insuficiência ocorre, a lactose ingerida permanece no intestino delgado sem sofrer hidrólise, provocando um fluxo de água extracelular para o interior do duodeno e jejuno, bem como para o estômago, em razão da diferença da pressão osmótica A lactose não absorvida é fermentada pela microbiota do cólon, resultando em ácidos orgânicos, gases e o aumento do peristaltismo dos músculos do intestino, com manifestações de flatulência, fluxo intestinal anormal, cólica abdominais e diarréias com fezes aquosas.Torna-se necessário, então, o desenvolvimento de métodos para a preparação de leite livre da lactose. Assim, o desenvolvimento de embalagens ativas através da imobilização da lactase no polímero é uma alternativa em potencial. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência da enzima lactase incorporada em filme de base celulósica na redução do teor de lactose em leite. Os filmes foram preparados pelo método “cast” e imersos em frascos contendo 100 mL de leite pasteurizado integral, e mantidos a 40ºC por 4 horas. Durante esse período de incubação foi feito o acompanhamento da crioscopia do leite. O filme promoveu hidrólise de 94,4% da lactose após 4 horas de contato e mostrou-se estável à temperatura ambiente e de refrigeração. Portanto, o filme desenvolvido apresenta enorme potencialidade de ser usado como revestimento interno de embalagens cartonadas para acondicionar leite. O desenvolvimento deste produto irá atender a uma grande parcela de consumidores deficientes na enzima lactase que são privados de ingerir leite. (CNPq)




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal