Treinamento para brigadistas



Baixar 385.87 Kb.
Página1/4
Encontro25.05.2018
Tamanho385.87 Kb.
  1   2   3   4




I N D I C E






Conteúdo

Página



INDICE






I.

INTRODUÇÃO




3

II.

TEORIA DO FOGO




4

III.

PROPAGAÇÃO DO FOGO




9

IV.

CLASSES DE INCÊNDIO




10

V.

PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS




11

VI.

MÉTODOS DE EXTINÇÃO




13

VII.

AGENTES EXTINTORES




14

VIII.

EQUIPAMENTOS DE COMBATE À INCÊNDIOS




17

IX.

EQUIPAMENTOS DE DETECÇÃO, ALARMES E COMUNICAÇÃO




21

X.

TÉCNICAS DE COMBATE A INCÊNDIOS E ABANDONO DE ÁREA




22

XI.

ANÁLISE DE VÍTIMAS




24

XII.

VIAS AÉREAS




25

XIII.

RCP – RESSUCITAÇÃO CARDIO PULMONAR




25

XIV.

ESTADO DE CHOQUE




28

XV.

HEMORRAGIAS




29

XVI.

FRATURAS



31

XVII.

FERIMENTOS




34

XVIII.

QUEIMADURAS




35

XIX.

EMERGÊNCIAS CLÍNICAS




36

XX.

TRANSPORTE DE VÍTIMAS




40



BIBLIOGRAFIA / ELABORAÇÃO




44



ANEXO I – CRONOGRAMA DE AVALIAÇÃO DA VÍTIMA




45



ANEXO II – GLOSSÁRIO




46



  1. INTRODUÇÃO

Um dos maiores marcos da humanidade foi, sem dúvida, o domínio do fogo pelo ser humano. A partir daí ele pode se aquecer, cozinhar os alimentos e fundir o metal para a fabricação de utensílios e máquinas, tornando desta forma possível o desenvolvimento.


O fogo, do ponto de vista acima descrito nos é benéfico e de real necessidade, porém a partir do momento que nos foge do controle passa a ser causador de danos à propriedades, pessoas e meio ambiente.
Ainda hoje, quando o fogo ameaça, a reação do homem moderno é idêntica à dos primitivos: FUGIR.
O homem primitivo fugia por desconhecer a natureza do fogo, já o homem moderno conhece as origens do fogo, sabe que se trata de um fenômeno químico e também conhece todas as maneiras de combatê-lo.
Todos nós sabemos que fugir é a atitude mais errada pois:


  • O fogo sempre começa pequeno, com exceção das grandes explosões;




  • O homem conhece a natureza do fogo e possui os equipamentos necessários para combatê-lo.

Nada como uma Brigada de Incêndio bem treinada para definir os caminhos que o fogo pode tomar.


Pela sua rapidez de intervenção na primeira fase do incêndio, poderá conter as chamas que em segunda instância poderiam gerar graves conseqüências.
Somente a Brigada de Incêndio conhece realmente as instalações, perigos específicos e meios de extinção de que a empresa dispõe, e sabe como proceder para salvar vidas e o patrimônio.
Elas são de real importância em edificações comerciais, residenciais, públicos, centros comerciais e especialmente nas indústrias, ajudando sobremaneira em incêndios de vulto especialmente pelos conhecimentos das particularidades das instalações, processos e produtos manipulados.
Vamos treiná-los para que sejam brigadistas atuantes, com bons conhecimentos das técnicas de prevenção e combate sinistros e técnicas de primeiros socorros, melhorando a cada dia seu desempenho como profissionais, cidadãos e desenvolver em todos o espirito de trabalho em grupo, fundamental para se realizar o controle das emergências, tanto no local de trabalho como na comunidade.
ATRIBUIÇÕES DE UMA BRIGADA DE INCÊNDIOS


  1. Combater princípios de incêndio, efetuar salvamentos e exercer a prevenção de acordo com as normas existentes.




  1. Avaliar todos os riscos existentes na planta.




  1. Realizar inspeções gerais dos equipamentos de combate a incêndio.




  1. Conhecer todas as rotas de fuga existente e realizar inspeções gerais nas mesmas.




  1. Elaborar relatórios das irregularidades encontradas.




  1. Promover as medidas de segurança propostas pelo Coordenador de Emergência (Técnico de Segurança).




  1. Conhecer os locais de alarme de incêndio e o princípio de acionamento de todo o sistema.




  1. Conhecer todas as instalações da fábrica.




  1. Conhecer o princípio de funcionamento e acionamento de todos os extintores.




  1. Atender rapidamente à qualquer chamado de emergência.




  1. Agir de maneira rápida, enérgica e convincente em situações de emergência qualquer que seja ela.




  1. Verificar se os locais onde existe a proibição de se acender fósforos, utilizar chamas ou fumar estão sendo respeitados.




  1. Atuar nos sinistros sempre utilizando os seus EPI’s, sem se esquecer jamais que deve servir de exemplo para os outros.




  1. Orientar a população fixa e flutuante sobre as normas de segurança e prevenção, bem como das rotas de fuga e áreas de escape.




  1. Participar ativamente de exercícios e simulados.




  1. Controlar o tráfego de pessoas e veículos de modo a facilitar a atuação das equipes de combate e socorristas.




  1. Prestar qualquer tipo de apoio, na ocasião do sinistro, caso não lhe caiba missão específica.




  1. Remover materiais combustíveis com o intuito de facilitar a entrada de equipamentos de combate a incêndios.




  1. Isolar e proteger equipamentos, máquinas, arquivos etc., ainda não atingidos pelo fogo.




  1. Orientar o Corpo de Bombeiros da Polícia Militar quando da sua chegada.



  1. TEORIA DO FOGO

O fogo é um tipo de queima, de oxidação. É um fenômeno químico, uma reação que provoca profundas alterações nas substâncias que queimam.


Oxidação significa uma transformação de um composto ou material da qual participa o oxigênio. Ela pode ser:


  • LENTA, como no caso da ferrugem, que é uma queima sem chamas.







  • INSTANTÂNEA, como na explosão de uma dinamite.

Esta reação química que libera luz e calor é chamada de COMBUSTÃO.


Portanto, a combustão é a reação química de oxidação que libera luz e calor radiante e tem como resultado gases tais como vapor d’água, gás carbônico, enxofre, etc., podendo ainda, dependendo do material que está queimando liberar gases ácidos ou altamente tóxicos.

A fim de melhor explicar vamos nos utilizar do TRIÂNGULO DO FOGO, que se compõe de três elementos:










COMBUSTÍVEL
É o elemento que alimenta o fogo e facilita a sua propagação e, com pequenas exceções, compreende todos os materiais sólidos, líquidos e gasosos.


  • LÍQUIDOS: gasolina, álcool, éter, acetona, etc..




  • SÓLIDOS: madeira, papel, papelão, plásticos, tecidos, etc..




  • GASOSOS: butano, metano, propano, etc..

A maioria dos materiais de origem orgânica, devem sofrer transformações para a forma de vapores ou gases antes de ocorrer a combustão.


O combustível também é chamado de agente redutor.
COMBURENTE
É o elemento que ativa e dá vida ao fogo. Trata-se do oxigênio ( O2 ) presente na atmosfera, na proporção de 21% ao nível do mar, sendo o restante constituído por 78% de nitrogênio (N2) e 1% de outros gases como argônio, hélio, gás carbônico, etc..
Para que se ocorra o fogo (chamas), é necessário que se tenha pelo menos 16% de oxigênio presente no ambiente.
CALOR
É o elemento que dá início ao fogo, que o mantém e amplia a sua propagação. Ele eleva a temperatura de um combustível até um ponto no qual uma quantidade suficiente de vapores seja obtida para ocorrer a combustão.
Podemos então concluir que para que possamos ter fogo, é necessário que tenhamos os três elementos - COMBUSTÍVEL, CALOR E COMBURENTE – na proporção exata para a queima e se retirarmos qualquer um deles não haverá a combustão.
COMPONENTES DO FOGO
Podemos dizer que o fogo é a parte visível de uma combustão e consequentemente este pode apresentar-se de duas maneiras diferentes as quais podem aparecer isoladamente ou em conjunto:


  • Como brasas

  • Como Chamas

Normalmente estas apresentações físicas do fogo são determinadas pelo combustível, sendo que se for líquido ou gasoso, o fogo terá sempre a forma de chamas, pois os líquidos se transformam em vapores antes de queimar.


Se for sólido, o fogo poderá apresentar-se na forma de chamas e brasas ou somente brasas.
CHAMAS_E_BRASAS'>TEMPERATURA DAS CHAMAS E BRASAS
É muito importante o conhecimento das temperaturas das chamas e brasas em um incêndio. Com a prática e como a cor das mesmas variam de acordo com as temperaturas, observou-se o seguinte:


CHAMAS

O C

O F

Vermelho visível à luz do dia

515

957

Vermelho pálido

1.000

1.832

Vermelho alaranjado

1.100

2.012

Amarelo alaranjado

1.200

2.192

Amarelo esbranquiçado

1.300

2.372

Branco brilhante

1.400

2.550




BRASAS

O C

O F

Início da combustão = vermelho

400

752

Vermelho escuro

700

1.292

Vermelho pálido

900

1.652

Amarelo

1.100

2.012

Começo de azul

1.300

2.372

Azul claro

1.500

2.732



  1   2   3   4


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal