Tipos de decolagem



Baixar 25.26 Kb.
Encontro07.05.2018
Tamanho25.26 Kb.

TIPOS DE DECOLAGEM:
A DECOLAGEM é a arrancada do psicossoma (corpo astral) quando se desprende do corpo físico, é uma das sensações

mais espetaculares quando realizada conscientemente. Porém em alguns casos ela é traumática, principalmente quando feita de forma irregular.


01.13.01 – CLÁSSICA: É considerada normal quando o corpo astral, sobe e faz um arco ficando de pé próximo aos pés do corpo físico. Porém pode ser lenta, rápida ou muito rápida.
01.13.02 – TORVELINHO: Quando o corpo sai girando para cima como se fosse uma hélice. Geralmente esse giro acompanha a rotação dos chakras.
01.13.03 – ROLAMENTO: Geralmente o rolamento é lateral, o psicossoma sai girando como se fosse uma tora de madeira rolando na água, podendo ser lenta ou rápida, tanto a movimentação sobre si mesmo quanto a movimentação de direção. Parece que esse tipo de projeção é controlada pela mente criptoconsciente, que evita alguns problemas como ventilador de teto ligado, cônjuge dormindo agarrado no corpo pode provocar essa saída, que em 90% é involuntária e inconsciente.
01.13.04 – AFUNDAMENTO: É padrão SAIR para cima. Geralmente o afundamento é apenas uma impressão de estar afundando no colchão, devido a retração para baixo devido a densidade do volume do corpo etérico, é uma expansão momentânea que causa essa sensação. Pode ocorrer do corpo sair para o lado e cair até o chão rolar embaixo da cama, mas é raro sair para baixo, mesmo estando deitado de bruços.
01.13.05 – INSTABILIDADES: Saídas de balanceios, gangorra, vibrando, ondulando lateralmente ou para cima e para baixo, acontecem e são causados pela motricidade, força motora de complexidade ainda não entendida pela literatura projetiva, apenas sabe-se que é causada pelo cordão astral e a mente criptoconsciente.
01.13.06 – LENTA: Uma subida lenta como se fosse um balão boiando com o corpo na horizontal (deitado no ar),permite o corpo saborear a liberdade extrafísica, principalmente nas decolagens semiconscientes, dando a sensação de vôo.
01.13.07 – RÁPIDA: São subidas bruscas, violentas e assustadoras tal velocidade atingida, tanto na decolagem quanto no ACOPLAMENTO, causando uma repercussão muito grande (sobressalto) quando na volta para o físico.

Também acontece do corpo sair a uma velocidade espantosa e parar de súbito nos limites da FAIXA DE ATIVIDADE DO CORDÃO ASTRAL, neste caso a sensação é extraordinariamente forte quando se está lúcido ou semilúcido.


01.13.08 – PESADA: São em sua maioria decolagens semiconscientes, carregadas de densidade etérica, oriunda de bloqueios, sujeiras astrais que se grudam no duplo etérico, causando esse peso e até a cegueira astral.
01.13.09 – PARCIAL: Quando parte do corpo sai, geralmente os membros, também ocorre sentar na cama, levantar uma perna, cair um braço, abrir, as mini-descoincidências, como virar o corpo na cama e só o corpo astral sai ficando parte do corpo dentro do corpo humano.
01.13.10 – TRENDELEMBURG: É considerado uma projeção parcial, mas caracteriza-se pelo psicossoma (corpo astral)sair ficando preso pela cabeça, formando um L ou seja os pés ficam para cima plantando uma bananeira, nestes casos existe um bloqueio nos chakras coronário ou frontal, causado pela retração total do cordão astral, que não se libera.
OBSERVAÇÕES FINAIS: Uma vez projetado, deve-se sempre procurar se afastar do corpo físico. O corpo astral dentro da faixa de atividade do cordão astral estará sobre o controle da mente criptoconsciente que é senhora da situação, essa mente faz parte do inconsciente. Enquanto estivermos nesta faixa, seremos simples marionetes, portanto

PROCURE E DESEJE SE AFASTAR PARA BEM LONGE DO CORPO FÍSICO.




SINTOMAS PROJETIVOS



04.1.02 - ENTORPECIMENTO FÍSICO: A causa do entorpecimento físico está na desativação do sistema nervoso através da inibição das terminações nervosas. É um sinal que a projeção se prepara para ser realizada.

Sinônimos: insensibilidade, torpor físico, relaxamento corpóreo, anestesia orgânica.

Freqüência: A queda da freqüência cardíaca, diminuição dos batimentos do coração, constitui o fator básico para predispor o organismo humano ao estado de entorpecimento.

04.1.03 – BALLONNEMENT (BALONAMENTO): Sensação de inflar, dilatação, estufamento, fenômeno bolha, sensação de balão inflando, sensação de deformação no corpo.
04.1.04 – CATALEPSIA ASTRAL: Paralisia do Sono, catalepsia Projetiva. Uma das sensações mais sentidas pelas pessoas, A medicina chama isso de paralisia noturna, paralisia do sono, Mas na realidade é quando o corpo astral começa o desprendimento, ele está querendo se libertar dos enlaces do corpo físico, se estivermos acordados sentiremos esse desconforto de não poder
mexer com o corpo. Para sair deste estado é só mexer com uma extremidade dos membros (dedinho), engolir seco.

Mas se continuarmos quietinho virá o segundo sintoma, as vezes até simultaneamente com a CATALEPSIA acontece o ESTADO VIBRACIONAL.

Nota-se por relatos de vários projetores que enquanto o corpo astral projetado estiver deitado na vertical, estará sempre em estado cataleptico ou parcialmente cataléptico.
04.1.05 – ESTADO VIBRACIONAL (E.V.): Este é confortante e espetacular, se assemelha a um choque elétrico de 2 volts, sutil e gostoso, formigamento, podemos manipular esse estado e fazê-lo percorrer o corpo. Se caracteriza por ser a mudança de freqüência do corpo astral, realizando então a soltura do corpo astral do corpo físico. É uma atividade motora interna, é benigno, as vezes essa vibração produz um barulho como um chiado, parecendo um rádio fora de sintonia, enxame de abelhas.
04.1.06 – SONS INTRACRANIANOS: São simultâneos a decolagem, podem ser: Silvos, sibilos, som metálico, batidas, estalos e tem relação direta com o estado vibracional.

Onomatopéia: Bam, zaam, blammm, sizzz, tirrrrô, zinnng; clack, chiiii, urrrrruuuuriiiii, etc.
04.1.07 – HIPNAGOGIA: Alucinações, onirismo, estado alfa, ele começa logo no início da decolagem, pode durar alguns segundos ou até 15 minutos em alguns casos. Caracteriza-se por imagens, sons, cheiros. Vozes, gritos, conversas, imagens diversas, túneis, cheiros florais.

Ver fantasmas, vultos, escutar músicas, cores, fumaças coloridas, bolas de luz, sensação de toque, sentir-se agarrado, puxado, empurrado.


04.1.08 – PRÉ-DECOLAGEM: Preliminares de uma projeção astral, nelas estão inclusas todas essas características, flashes, balanceamento do corpo, afundamento, expansão corpórea, latejamento no frontal ou no topo da cabeça, visões fugazes, onirismo, sensação de estar sendo observado, saída parcial, perda da lucidez. Projeção de Trendelemburg (saída de todo o corpo exceto da cabeça). Na pré-decolagem o corpo astral se desprende mas não se eleva, fica solto porém dentro do corpo físico.
04.1.09 – ESTADO TRANSICIONAL: Ocorre justamente quando o corpo decide sair, pode elevar-se, pode afundar, saída lateral, este estado costuma produzir sonhos de vôos, este estado não é a decolagem, é apenas e impulso inicial chamado deMINIDESCOINCIDÊNCIA, SEMIDECOLAGEM, poderíamos dizer que um estado entre a PRÉ-DECOLAGEM e a DECOLAGEM.
04.1.10 – INSTABILIDADE DO PSICOSSOMA (CORPO ASTRAL):

Balanço estrafísico, flutuação, gangorra, ondulção extrafísica, turbulência extrafísica. Essa instabilidade pode abreviar

uma projeção astral caso o projetor se assuste, o retorno se fará imediato
04.1.11 – VISÃO DUPLA EXTRAFÍSICA: Ver dois lugares ao mesmo tempo, visualização de dois lugares ao mesmo tempo.

Ocorre sempre na fase pré-projetiva. Podemos ver o quarto, e um lugar distante, segundo alguns projetores é ocasionado pela expansão da consciência. Temos também : Dupla-Audição, duplo-tato, dupla-motricidade.

Visão preto e branco, distorcida, projeção astral as cegas, são originadas da falta de lucidez e do excesso de matéria etérica (densidades, excrescências astrais - sujeira ambiental). Recomenda-se maior contado com a natureza, pés descalços, energização dos chakras (Ver técnicas de energização).
04.1.12 – BRADICINESIA EXTRAFÍSICA: Condição de morosidade nos movimentos, falta de motricidade, conhecido por fenômeno SLOW-MOTION (Câmara Lenta), caracterizado pela densidade excessiva do duplo etérico, também pode ser do ambiente astral, cordão astral

grosso denso, ansiedade e/ou medo provocam também esse processo.


04.1.13 – OUTROS SINTOMAS: Latejamento em partes do corpo, visão dupla, balanceamento, sensação de ser agarrado, sensação de afundamento, pressão na cabeça , quentura corporal na hora do relaxamento, aceleração das batidas cardíacas, falta de ar.

04.1.14 – PARAPSICOLEPSIA: Blecaute consciencial, curto-circuito consciencial, amnésia consciencial , lapso momentâneo. Este blecaute sempre ocorre no momento difícil do estado transicional e decolagem, quando é difícil manter a lucidez. O blecaute faz lembrar uma lâmpada elétrica que diminui a claridade por um breve momento
04.1.15 - ESTADO VIBRACIONAL FRACO: O estado vibracional se vier fraco não produzirá a viagem astral. A causa disso é o receio e a ansiedade.

Para produzir um estado vibracional forte de qualidade, é preciso fazê-lo circular pelo corpo pelo simples ato da vontade, quando ele ficar forte naturalmente acontece o desencaixe e o corpo sobe.


04.1.16 - CORAÇÃO DISPARA NA HORA DO EV: Para tu veres o quanto é importante a calma, tranqüilidade e SABER RESPIRAR.

Esse controle é que vai segurar e cadenciar o processo. Vai vir a vontade de engolir, impressão de salivação em excesso, sensação de falta de ar. O que fazer então?

FICAR COMPLETAMENTE IMÓVEL, esquecer o corpo físico, isso é fundamental.

Se o coração acelerar quem vai controlá-lo é a respiração, lenta e compassada, depois a falta de ar vier não dê bola ela

é uma sensação falsa, porque o PSICOSSOMA (CORPO ASTRAL) não necessita respirar. Vai notar que são impressões quase todas falsas. Tranqüilidade, controle respiratório e a tua projeção vai acontecer naturalmente.
04.1.17 - ABRIR OS OLHOS NA HORA DA DECOLAGEM:

Na falta de experiência é bom não fazer isso. Ao abrir os olhos pode repercutir no corpo físico e tu acabas voltando frustando uma experiência que é muito marcante.

Uma decolagem é algo que a gente faz 1000 vezes e sempre adora, tal é a sensação maravilhosa de flutuar.

Geralmente saímos enxergando no astral, mas se isso não ocorrer, DESEJE ENXERGAR, O ATO DE ABRIR AS

PÁLPEBRAS DOS OLHOS PERTO DO FÍSICO, é arriscado. Primeiro se afaste, mesmo sem ver nada vai saber disso.
04.1.18 – CORDÃO ASTRAL: O cordão astral traz a sensação de estar puxando, tocando, agarrando e até mesmo ser um ser estranho nos

observando. As vezes pulsa energeticamente. Mesmo sem vê-lo as vezes sente-se essa sensação estranha de ter alguém nos agarrando.


04.1.19 – SENTIDOS DO CORPO FÍSICO: Os sentidos no astral são variáveis. A audição pode ser fraca, dupla (em dois lugares ao mesmo tempo), audição sensível como escutar pequenos ruídos internos do corpo, como escutar barulhos externos como grilos, ratos caminhando, etc. Da mesma forma o olfato e a visão podem sofrer variações enormes. A visão está no item 04.1.11




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal