Textos Amostrados – Folha de São Paulo (1994)



Baixar 215.4 Kb.
Página6/6
Encontro21.10.2017
Tamanho215.4 Kb.
1   2   3   4   5   6

Certamente os hospitais terão de fazer tudo que as demais empresas privadas estão executando com grande sucesso no Brasil. Racionalização da utilização de seu quadro de funcionários, uma maior terceirização de muitos de seus serviços, a aceleração da adoção de técnicas de controle total de qualidade, além de evitar depender de financiamentos bancários. Novas técnicas de atendimento, de menor custo unitário, deverão ser adotadas.

Além de tudo isto será indispensável dotar a categoria dos hospitais privados de melhor representação dos seus interesses, de forma a recuperar a imagem de sustentáculo básico do setor de saúde, que merece a prioridade devida.

Muitos dos hospitais possuem algum tipo de plano de saúde. A conglomeração de muitos destes planos, já reformulado na forma de seguro saúde, por uma entidade controlada pelos hospitais, e que não tenha fins lucrativos, poderia ser uma alternativa que deve ser considerada a fim de reduzir a atual dependência dos hospitais em relação aos grupos de saúde em grupo.

- 16 de fevereiro: (921 palavras)

Todo o mercado de informática respira multimídia. Eventos e feiras dão amplo destaque ao assunto e a mídia confere alta prioridade a tudo relacionado ao tema. Curiosamente, porém, a literatura em português sobre multimídia é escassa. Nosso mercado editorial de informática é forte e vasto, mas conta com apenas seis títulos sobre o tema. É agradável, no entanto, constatar que todos os textos são de ótima qualidade.

O primeiro livro lançado no Brasil sobre o assunto continua sendo o único de autor nacional. É o livro Multimídia, Conceituação, Aplicação e Tecnologia, de Eduardo Chaves, professor da Unicamp. Chaves é filósofo e educador e conhece bastante informática. Seu texto educa, informa e reforça a convicção de que a multimídia veio para ficar. É o melhor livro conceitual sobre o assunto, muito bem fundamentado as notas de rodapé são um banho de cultura, mas não aborda desenvolvimento de aplicações foi lançado em mil novecentos e noventa e um.

Três disquetes acompanham o livro e moldam uma obra bastante original em sua concepção. O leitor é estimulado a instalar os discos logo no início do texto. Os dez capítulos iniciais mesclam ensinamentos sobre o uso dos discos com conceitos básicos sobre multimídia, o que facilita a inserção do leitor leigo no tema. A segunda metade do livro reforça os conceitos, aponta usos da tecnologia e dá vários exemplos. O livro é fácil de entender, muito motivador e tem produção gráfica primorosa.

Outra obra muito facilitadora para o leigo no assunto é Multimídia para novos usuários. Dividido em duas partes, o texto na primeira informa tudo o que é básico no assunto. Na segunda parte, a autora ensina a construir uma aplicação.

A rigor, é permitido ao leitor sair do zero até a construção de uma aplicação. O livro tem várias páginas coloridas e apêndices muito ricos com glossários, listas de publicações e programas relacionados à multimídia.

Iniciantes

O livro Multimídia, da Ciência Moderna, também é dirigido a iniciantes. A primeira parte do texto dá o pontapé inicial na multimídia, abordando dispositivos de som, imagem, a combinação de ambos e as ferramentas multimídia do Windows. A segunda parte aprofunda o assunto. A terceira parte, Explosão multimídia, explica mais cuidadosamente a animação, a interface entre computadores e instrumentos musicais e o uso do vídeo. Finalmente, a quarta parte é um superguia de compras, com cerca de cento e cinqüenta páginas, para produtos. Embora apresente alguns pequenos erros de revisão, o texto é fácil de ler e é também acompanhado por um disco com programas e exemplos.

Com um enfoque mais particularizado, encontra-se disponível nas livrarias, através da eletecê Editora, o Manual de Multimídia Ibeeme. O texto é algo ultrapassado mil novecentos e noventa e um, quase só aborda os produtos Ibeeme, mas didático e excelente para quem vai gerenciar equipes envolvidas em visão geral do assunto, dos produtos da Ibeeme, das tecnologias de mídia, de áreas de aplicação e futuro. O texto se concentra no ciclo de desenvolvimento, apresentando fluxogramas, fichas de verificação, planilhas de orçamento e instrumentos para planejamento de gerência de projetos multimídia.

A obra é bastante extensa com quase setecentas páginas e trata cada assunto de forma muito detalhada. A partir daí, o autor vai tratando de som, síntese musical e Midi, técnicas de áudio digital, placas, imagens, animação, vídeo digital, como criar produções multimídia e a multimídia no futuro.

É muito bem ilustrado, e contém muitos gráficos, tabelas e dicas. Um livro para ajudar usuários avançados.

Literatura correlata.

Existem no mercado alguns livros que embora não sejam especialmente dirigidos à multimídia, abordam assuntos cuja tangência com essa última é muito grande.

Os autores fornecem exemplos de programas e um disco com os fontes dos mesmos.

O texto começa por explicar como funciona a visão e evolui por imagens tridimensionais, técnicas de visualização, uso do computador para visualização em três dimensões, aplicações do computador para atividades profissionais e de lazer.

O tema mais frequente, porém, na literatura paralela à multimídia, é o da realidade e dos mundos virtuais. Mundos Virtuais e Multimídia é um desses livros. Reúne uma coletânea de artigos bastante profundos, basedos em um evento ocorrido em Genebra, em outubro de noventa e dois.

Outras publicações.

Realidade Virtual, Kit do explorador, é uma delas. O texto define o que é realidade virtual e traz um disquete que permite ao leitor conhecer como funcionam as simulações da realidade no computador.

Aventuras em realidade virtual, introduz o conceito de vida artificial, discute a inteligência artificial, os vírus de computador, os robôs, o cérebro de silício e os programas comerciais disponíveis que mostram a realidade virtual. Há um disquete de demonstração e é um livro interessante de ler para quem quer entender melhor o que toda essa terminologia quer dizer.



Uma obra mais extensa é Realidade Virtual e a exploração do espaço cibernético.

O texto inicia uma discussão sobre a interação homem computador, passa pelo histórico do assunto, elenca os atuais trabalhos, analisa a realidade virtual como negócio e apresenta aplicações nas forças armadas, medicina, educação e treinamento. É bem ilustrado, denso, porém acessível. Começando pelo título, Extravagâncias em Realidade Virtual, é uma obra diferente. Começa por afirmar e demonstrar que a realidade virtual já está aqui, explica o que ela é e como funciona, deriva para a diversão virtual, explica os fractais, o que é ciberespaço e discute o futuro nesse assunto. Tudo isso acompanhado de um Cedê Rom e com texto claro, farta e ricamente ilustrado. Para compreender o tema, nada mais indicado.


1   2   3   4   5   6


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal