Terra a-dourada Brasil


O Despertar da Visão Interior



Baixar 1.17 Mb.
Página14/23
Encontro02.07.2019
Tamanho1.17 Mb.
1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   23

O Despertar da Visão Interior

‰ capitulo 12 ‰

Linha de energia, linhas telúricas e poços de energia

12.1 A primeira reação sempre que se escuta falar sobre câncer.


O interesse pelas linhas de energia se originou aproximadamente em 1930, na Europa, principalmente na Alemanha e na França, em cidades pequenas o bastante para que toda a população fosse tratada por um ou dois médicos. Alguns deles ficavam chocados pelo fato de que, em certas casas, os casos de câncer surgiam com uma freqüência fora do comum. O médico da família vinha e tratava a mãe que tinha câncer. A mãe morria. Cinco anos depois, ele voltava para ver a filha, exatamente com o mesmo câncer, que com a morte da mãe, tinha passado a dormir na cama principal. Ou então uma mulher que perdera o marido com câncer. Ela torna a se casar e alguns anos depois, o marido novo, dormindo na mesma cama e no mesmo lugar que o primeiro, adquire exatamente o mesmo câncer.

Vários casos semelhantes despertaram a curiosidade dos médicos que decidiram buscar a ajuda de radiestesistas profissionais. O resultado foi a descoberta de linhas então chamadas de “raios telúricos” prejudiciais. Ninguém sabe, de fato, do que estas linhas são feitas, mas habituou-se chamá-las de linhas de raios telúricos, ou linhas telúricas. Como nenhum raio tenha sido identificado em relação a estas linhas, eu evitarei o termo enganoso “linhas de raios telúricos”, e me referirei a elas somente como “linhas telúricas”.

A intensidade das linhas varia de um lugar para outro. O fato essencial é que sempre que os radiestesistas investigavam a casa de um paciente com câncer, eles achavam linhas telúricas de intensidade nociva, ou onde a cama do paciente ficava ou em um lugar onde o mesmo passava muito tempo, como uma escrivaninha, por exemplo.

Isso resultou, durante algumas décadas na Alemanha, em uma luta na qual muitas autoridades médicas respeitáveis tentaram contestar toda a teoria. Foram estudados milhares de casos, por volta de trinta ou cinqüenta mil pacientes de câncer, e os resultados foram tão esmagadores em favor da existência destas linhas telúricas prejudiciais que aqueles que as negavam acabaram por se transformar em seus defensores mais ardentes.

Deve ser enfatizado que estas pessoas não eram obscuros transmissores de energia curativa, mas cientistas e professores de artes médicas que estavam arriscando sua reputação e carreira. A conclusão confrontante, quase unânime foi: é muito improvável que o câncer aconteça, a menos que você tenha dormido regularmente ou tenha ficado em uma linha nociva. Essas linhas telúricas prejudiciais foram achadas nas casas de quase 99% dos pacientes de câncer.

Em fevereiro de 1987, chegou a fase onde o próprio Governo alemão Ocidental começou a investir milhões em um programa de pesquisa para investigar os efeitos de linhas telúricas em organismos vivos.

Não se deve desconsiderar a importância de outros fatores certos na gênese de câncer, como uma dieta pobre ou tensão emocional. Uma doença, e especialmente uma doença séria como o câncer, sempre é o resultado de uma combinação de causas. Ainda assim, as estatísticas dos cientistas alemães são tais que sempre que ouvimos “câncer”, nosso primeiro reflexo deveria ser: Verifique as linhas! E então mude a cama, ou até mesmo de casa, dependendo do que achou. Remover o paciente da linha nociva não é o bastante para curar a desordem, contudo parece ser um fator importante para aumentar as chances de cura do paciente.

Também foram incriminadas linhas telúricas prejudiciais em outros processos patológicos como a morte repentina de um bebê que não estava doente, problemas de juntas, de coração, enxaquecas, varizes, incontinência noturna e alguns outros.

Uma reação comum quando dormimos em uma linha tóxica é ter sonhos ruins, insônia ou noites difíceis que resultam em fadiga. A sensação de estar mais cansado pela manhã do que antes de ir para cama é freqüentemente descrita por pacientes. Muito típico, por exemplo, é o caso de crianças encontradas todas as manhãs com a cabeça voltada para o outro lado da cama, tentando escapar da linha inconscientemente. (figura XII.1 a e XII.1b.)





12.2 Os fatos normalmente observados sobre as linhas


  • As linhas fazem uma grade por toda a superfície da terra. Nesta grade, elas estão separadas por aproximadamente 2.5 metros, entretanto isto varia ligeiramente de um lugar para outro.

  • As linhas não são limitadas à superfície da Terra. Se uma linha é achada no andar térreo de uma casa, a mesma linha será encontrada exatamente no mesmo lugar em cada um dos andares.

  • Essas linhas da grade são, às vezes, fortemente nocivas, outras vezes mais leves e não tão tóxicas. Ainda assim, nunca é aconselhável dormir ou sentar-se em uma linha.

  • Os cruzamentos de linhas são particularmente nocivos.

  • Nas redondezas de uma falha geológica, a intensidade tóxica das linhas é reforçada.

  • Um riacho subterrâneo cria uma linha extra particularmente nociva, o que também torna todas as outras linhas ao redor mais tóxicas. Quanto mais intenso o fluxo de água, mais nociva a linha.

    • Tubos de água, em uma casa ou debaixo dela, agem como pequenos riachos subterrâneos.

    • Cabos elétricos criam linhas adicionais.

    • Quando uma casa é construída como uma gaiola Faraday, com metal e fios elétricos por todos os lugares, as linhas são reforçadas e somam-se linhas extras. Isto torna os arranha-céus um desastre ecológico.

    • A força e largura das linhas são:

- reforçadas durante tempestades e tempos chuvosos.

- multiplicadas por dois entre 1 e 2 da manhã

- multiplicadas por três na Lua Cheia.


  • A maioria dos organismos vivos adoecem quando localizados sobre as linhas: plantas morrem, árvores adquirem crescimentos cancerosos, todos os processos de apodrecimento são favorecidos. Os cruzamentos de linhas são então lugares muito bons para pôr o seu composto, mas não sua cama.

  • Por outro lado, certas plantas e animais parecem prosperar nas linhas. Isto acontece com o carvalho, a árvore sagrada do Druidas, mais do que com qualquer outro. Muitos deles, enormes e mais velhos, são achados em linhas fortes. Outros árvores apreciadoras de linhas são os salgueiros, ashes, pinheiros... Entre outras plantas: mistletoe, cogumelos, aspargo...

Formigas amam as linhas, que se ajustam bem com sua função de limpadoras de tudo aquilo que está apodrecendo na natureza. Normalmente formigueiros são achados em linhas pesadas, e isto deve torná-lo cauteloso sempre que houver um deles perto de sua casa.

Diferente dos cachorros, diz-se que os gatos buscam as linhas. Então, tipicamente, um lugar que favorece o seu gato não é um bom lugar para você, embora minha experiência com gatos mostra que os gatos de hoje buscam muito mais almofadas que linhas telúricas. Assim sendo, se seu gato vai diretamente para o seu travesseiro cada vez que você acha um lugar novo para sua cama, não entre em pânico.

Os besouros e cupins também são atraídos pelas linhas. Assim como o são os parasitas e micróbios (conseqüentemente os processos de apodrecimento).

12.3 Canais de energia e linhas telúricas


No sentido exato, deve ser feita uma distinção entre canais de energia e linhas telúricas. As linhas telúricas fazem uma grade quadrada que descrevemos há pouco. Elas são incriminadas pela gênese do câncer e de várias outras doenças. Estas linha telúricas, que muitas pessoas chamam raios de linhas telúricas, são também chamadas algumas vezes de cadeia de Hartmann ou o grade de Hartmann.

Por outro lado, os canais de energia também são linhas de energia telúrica, mas de uma natureza diferente. Eles não fazem uma grade quadrada e a distância entre eles é muito maior, estando, às vezes, separados até centenas de quilômetros. Canais de energia não são nocivos à saúde. Eles estão espalhados por toda parte do planeta mais como linhas de intensidade espiritual. Segundo é dito, lugares santos como Glastonbury ou a Catedral de Chartres, por exemplo, localizam-se em canais de energia.

Na prática, entretanto, muitos radiestesistas tendem a usar o mesmo termo “linhas telúricas”, tanto para as linhas telúricas quanto para os canais de energia.

Neste capítulo, nós lidaremos com as linhas telúricas da teia de Hartmann, como são achadas em todos os lugares e abrangem a todos. Deve ser entendido que além dessa, existem outras grades de linhas telúricas; mas para simplificar as coisas, não nos preocuparemos com elas no princípio.


12.4 O que são estas linhas?


Ninguém realmente conhece a natureza exata destas linhas. O termo “raios telúricos” é confuso. Embora o fenômeno inteiro pareça como um tipo de radiação telúrica, nenhum “raio” de fato chegou a ser identificado.

No nível da clarividência, estas linhas telúricas não parecem como linhas, mas como paredes. Isto também poderia ser deduzido do fato de que uma linha achada no solo de um edifício será descoberta no mesmo lugar em cada andar do mesmo.

Do terceiro olho, estas paredes podem ser vistas como um tipo de energia enfumaçada. Quanto mais tóxica é uma linha, mais nebulosa, densa e espessa a energia enfumaçada parece ser. Por exemplo, em tempo de chuva ou ao redor da Lua Cheia as paredes parecem significativamente mais largas e mais escuras.

Quanto mais tóxica é uma linha, mais dá um sensação de enjôo quando nos sintonizamos nela.

As linhas, e especialmente as mais nocivas, parecem concentrar energias negativas. Este efeito é maior no cruzamento de linhas. Em outras palavras, as linhas agem como latas de lixo e juntam toda a “sujeira etérica” de um quarto.

As casas que parecem ter vibrações ruins e onde a maioria das pessoas se sentem incômodas de estar, normalmente são construídas em uma grade de linhas nocivas. Quando uma entidade, ou parasita não-físico, é achado em um quarto, quase sempre está em um cruzamento de linhas.


12.5 Poços de energia


Sempre que houver um dragão, há uma princesa! Poços de energia são a contraparte positiva das linhas telúricas prejudiciais. Poços de energia são mais misteriosos, e certamente não tão bem documentados como as linhas.

Se você leu as aventuras de Carlos Castañeda, você provavelmente se lembra como Don Juan o fez procurar “por seu ponto” em um quarto, o lugar onde ele estaria protegido e seguro. Isso é um poço de energia. Poços de energia são pontos dotados de propriedades curativas e espirituais, lugares onde é mais fácil rezar ou meditar e conectar com mundos espirituais. Quando um anjo quer derramar sua luz em um quarto, um poço de energia é um bom lugar para ele descer.

No nível da clarividência, alguns vêem os poços de energia como uma coluna de luz, ou como um gêiser de luz (embora eles não sejam associados com qualquer modificação de temperatura). Freqüentemente, o diâmetro da coluna varia entre 1.5 a 2 pés (45-60cm), e possivelmente maior se você achar um dos grandes.

Da mesma maneira que as linhas podem ser classificadas de acordo com sua toxidade, os poços têm tamanhos, intensidades e potencial curativo diferentes. Mas ao contrário das primeiras e da grade que formam, eles parecem não ter qualquer padrão regular de distribuição, ao menos nenhum que eu conheça.


12.6 Linhas e prática espiritual


Se você quer aprender sobre energia, dentro de você e ao seu redor, tem que estar atento quanto às linhas, porque a grade de um lugar determina a qualidade de energia daquele lugar, e por conseguinte a qualidade de sua própria energia sempre que estiver lá.

Não existe um organismo vivo fechado. Mais ainda no nível energético do que no nível da matéria, você é permanentemente envolvido em múltiplas trocas com seu ambiente. Para se tornar clarividente e estabelecer contato com seu Eu Superior, é preciso uma profunda transformação em seus corpos sutis. Esta alquimia será nutrida ou impedida de acordo com a posição que você está na grade, fazendo-a trabalhar para você ou contra você. É então essencial verificar a grade do lugar onde você vive e ter certeza de que não está dormindo nem meditando em uma linha.

Esta regra é ainda mais importante quando você passa por períodos mais longos de meditação, por exemplo durante um curso ou um retiro. Enquanto medita, seu corpo de energia, ou corpo etérico, abre-se significativamente, e as trocas de energia com seu ambiente são aumentadas.

Se você medita sentado em uma linha, especialmente por longos períodos de tempo, você corre um alto risco de absorver energias negativas. Você pode se sentir incômodo e inquieto. Estes são sintomas muito comuns quando você passa por longos períodos de meditação, e certamente não precisa estar em uma linha para se sentir assim, mas se estiver, a agitação tomará proporções muitas maiores. E se a linha for ruim, não há nenhum limite para o dano que você pode causar a seu corpo. Professores de meditação devem estar particularmente atentos à grade da sala onde eles dão aulas, pois os estudantes tendem a encher todo o espaço disponível, e é muito provável que alguns deles acabem se sentando no lugar errado.

Estamos introduzindo aqui esse conceito não é tão difundido atualmente, embora no passado muitas culturas tradicionais estivessem familiarizadas com ele: os resultados da prática espiritual dependem do lugar onde é realizada. Isto não só se aplica à área geral, ou ao edifício. Dentro de um quarto, diferentes lugares podem induzir a experiências completamente diferentes.

Achar o lugar certo para você é tão importante quanto achar a técnica certa ou ensinar.

O mesmo se aplica à cura e terapia em geral. Se você coloca sua cama de massagem ou de acupuntura em um poço de energia, seus resultados serão dez vezes melhor, pois será muito mais fácil para um ajudante invisível vir e te dar uma mão. O poço fará metade do trabalho para você, se não mais. Mas se você pratica algo como acupuntura, regressão ou renascimento em uma linha tóxica, você pode acabar deixando seus clientes ainda pior com o tratamento.

Achar as linhas é extremamente simples! Pelo menos nos treinamentos da Clairvision School 80% dos estudantes conseguem achar logo na primeira vez que tentam, uma vez que tenham seguido – e apenas seguido, nem mesmo dominado – as técnicas preliminares de abertura do terceiro olho, como indicadas neste livro.


12.7 Encontrando as linhas: o equipamento


Você precisará de duas barras em L e duas canetas esferográficas tipo BIC.










As barras são feitas de arame espesso. O lado mais longo do L tem aproximadamente 40 centímetros (400 milímetros) ou 15 polegadas. O lado menor é aproximadamente 12 centímetros (120 milímetros), ou 4.5 polegadas.(figura XII.7 a) Alguns milímetros de diferença não farão nenhuma diferença de qualquer modo.

Uma boa maneira de fazer as barras é pegando cabides de arame e os cortar como indicado acima. Se não tiver nenhum cabide de arame disponível, pode usar qualquer arame de metal, contanto que seja rígido o bastante para sustentar a forma em L.

Uma boa maneira de fazer as barras é pegando cabides de arame e os cortar como indicado acima. Se não tiver nenhum cabide de arame disponível, pode usar qualquer arame de metal, contanto que seja rígido o bastante para sustentar a forma em L.

Então pegue as duas canetas. Remova o refil de tinta e fique apenas com o invólucro de plástico. Insira nele a menor parte de sua barra. (figura XII.7 b) Isto é tudo que você precisa para a verificação das linhas.

IMPORTANTE: suas barras devem poder girar livremente dentro dos invólucros, então esteja certo de: 1) que você fez um ângulo de 90 graus exato entre as duas partes de sua barra, e não uma curva progressiva; (figura XII.7 c)2) que em cada lado do L, o arame está o mais reto possível. Se o lado menor da barra estiver curvada, mesmo que ligeiramente, causará uma fricção não desejada, que impedirá o livre movimento da barra.

Eu sugiro que você sempre deixe duas barras prontas no porta malas do seu carro, assim você os tem à mão sempre que precisar.


12.8 Aprendendo a atitude “olho-barriga” para verificar linhas.


Realizar uma busca radiestésica tem a ver com um estado de consciência “olho-barriga”. Isto significa estar atento tanto no terceiro olho quanto na área debaixo do umbigo. Para desenvolver essa consciência, primeiro pratique caminhando ao redor da sala e mantendo uma forte consciência da área de umbigo, ou, mais precisamente, do centro de energia que fica uma polegada embaixo do umbigo. Você não precisa localizar exatamente o centro, só esteja ciente da área embaixo do umbigo. Caminhe “a partir da barriga”. Imagine que você é um vaqueiro ou um policial americano, ambos são normalmente muito bons para caminhar “a partir da barriga”, ou caminhe como um mestre japonês de artes marciais.

As linhas são feitas de uma energia etérica muito próximas ao plano físico. Do ponto de vista experimental, a palavra chave para etérico é vibração. Basicamente falando, sempre que você sente uma vibração, você sente o etérico. Algumas vibrações etéricas são tão minúsculas e sutis, que são um meio termo entre uma luz e uma vibração. Outras, como aquelas que você sente quando se sintoniza nas linhas, são “mais densas” e mais tangíveis fisicamente. Para perceber as linhas, você tem que estar atento da vibração em sua barriga e não se deixar fllutuar por alguma luz sobre sua cabeça. Quanto mais você estiver com a vibração, mais próximo você estará da percepção das linhas.

Então reestabeleça sua consciência centrada no olho. Pratique alguns segundos de reconexão: Fique ciente da vibração entre as sobrancelhas, respire com a fricção na garganta, e conecte a fricção com a vibração no olho.

Mantenha uma firme consciência da vibração no olho enquanto, ao mesmo tempo, permanece consciente da área embaixo do umbigo. Você fica atento a ambas. Pratique caminhar ao redor do quarto com sua consciência “olho-barriga”. Você notará que uma forte vibração no olho te permite estar ainda mais presente em sua barriga. Várias técnicas de proteção que serão detalhadas nos Capítulos 18 e 20 são baseadas no fortalecimento da energia através da manutenção de um firme foco no olho e na barriga simultaneamente.


12.9 Técnica de Radiestesia


Figura XII.9 A : Errado, muito alto - pg181



Figura XII.9B : Certo - pg181



Segure uma barra em cada mão, na mesma altura de seu umbigo. Se você segurar as barras como se estivesse segurando armas, você provavelmente terá a altura e a consciência da barriga certas: mais uma vez não é hora para devaneios, mas estar muito bem enraizado na vibração.

Um erro comum é bloquear as barras com os dedos polegares, sendo que estas devem permanecer livres para girar.



Certo


Errado


Comece caminhando lentamente, como um tigre, com uma forte consciência da vibração tanto no olho quanto embaixo do umbigo. As barras permanecem apontadas para frente. Mantenha as mãos firmes para evitar qualquer movimento das barras. Quando elas balançarem deverá ser devido à uma linha, e não por causa de seus próprios movimentos ao caminhar. Esteja atento a qualquer sensação que venha de sua barriga. Continue respirando com a fricção na garganta e caminhando lentamente.

Ao cruzar uma linha:







1) as barras giram se colocam paralelas à linha. (Figura XII.9e) Sendo assim, para determinar a direção da linha, basta olhar a direção apontada por suas barras. Não faz diferença se as barras giram para direita ou para esquerda, ou se vai cada uma para um lado. (Figura XII.9f)

2) Ao cruzar uma linha, durante uma fração de segundo antes das barras virarem, uma sensação bem “física” pode ser sentida na barriga. Isto é o que eu chamarei de “sinal da barriga”. De fato, não é uma sensação muito agradável. Quanto mais tóxica a linha é, maior o incômodo em sua barriga. Esta é uma maneira simples de determinar quão tóxica a linha é.

Assim que você tiver uma noção da orientação geral da grade, é preferível caminhar de forma perpendicular às linhas, assim terá uma clara rotação das barras cada vez que cruzar as linhas. (Se você caminhar quase que paralelo às linhas, suas barras irão girar bem de leve nos cruzamento.) Uma boa idéia é ter um rolo de fita crepe com você, e utilizá-la para marcar as linhas no chão para lembrar as suas posições posteriormente.

Considerando que as linhas fazem um grade mais ou menos perpendicular, você achará freqüentemente dois grupos de linhas, sendo estes paralelos um ao outro. Uma vez que tenha explorado todas as linhas paralelas de um grupo, comece a caminhar de forma perpendicular a elas, explorando a segunda parte da grade.

E se você achar uma linha que não se ajusta com o grade, uma linha diagonal, por exemplo? Isso indica que você localizou algo adicional à grade natural, como um cabo elétrico, uma tubulação de água, ou até mesmo um riacho subterrâneo (Figura XII.9g). Vá (ainda mais) para seu olho, sintonize na linha, e tente descobrir o que é. Cabos elétricos normalmente fazem linhas moderadas. Água subterrânea cria o tipo de linhas que o deixam com o estômago “embrulhado” ao se sintonizar nelas. Já as tubulações de água ficam numa categoria entre as duas primeiras e dependem do volume de água que flui por eles.

12.10 Verificando as linhas: o que fazer e o que não fazer.


  • Se suas barras começam a girar antes mesmo que você comece a caminhar, considere a possibilidade de que você pode estar em uma linha! Dê um ou dois passos e tente novamente.

  • Suponha que você ache uma linha devido a um fio elétrico, e não há nenhum fio debaixo do solo, o que isso significa?1 Possivelmente o fio está no teto! As linhas não são geradas apenas sobre um fio ou uma tubulação, mas também debaixo deles.

  • Não procure linhas por longos períodos em um mesmo dia. A menos que você seja muito treinado, a prática pode levar à exaustão quando ultrapassa mais que meia hora. Há uma simples razão para isto: para perceber algo, você tem que se sintonizar nesse algo. Se você quer encontrar as linhas, tem que se conectar com a energia delas. Considerando que as mesmas são, por natureza, nocivas, pode-se entender facilmente por que a radiestesia é um esporte exaustivo.

Por isto, não é aconselhável procurar linhas quando você está com baixa energia ou deprimido. A radiestesia não é uma boa atividade para mulheres grávidas, ou para crianças.

  • Depois de verificar as linhas, lave suas mãos em água corrente durante um bom tempo, de acordo com o método explicado na seção IV.12. Tomar um banho seria ainda melhor.

  • Há muitas associações de radiestesistas, e a maioria deles organiza dias de busca de linhas telúricas. Pode ser uma boa idéia unir-se a um deles durante um ou dois domingos, só para conferir se sua técnica de radiestesia é precisa.

12.11 O sinal da barriga


No Capítulo XI foi discutido como, pela arte de se sintonizar, uma pessoa pode fazer com que as qualidades de um objeto “se tornem vivas” dentro de sua consciência. Para o clarividente aprendiz, procurar linhas é um dos exemplos mais notáveis deste processo. As linhas provam ser particularmente fáceis de se sintonizar, e ao cruzar uma delas com as barras, um efeito tangível acontece na área de umbigo, ao redor do chakra manipura da tradição indiana. É uma sensação abdominal, muito “física”, inconfundível. O processo da radiestesia é um exemplo claro de como podemos nos sintonizar em algo, e então como resposta sentir uma modificação da nossa energia.

Como conseqüência deste efeito tangível, normalmente os estudantes têm uma surpresa agradável: eles tendem a achar as linhas nos mesmos lugares, mesmo que estejam praticando a radiestesia pela primeira vez.

Verificar linhas telúricas é, provavelmente, a percepção extra-sensorial mais fácil de demonstrar e reproduzir. Se qualquer pessoa fosse tentar demonstrar, cientificamente, qualquer tipo fenômeno de P.E.S., eu certamente lhe aconselharia que trabalhasse com linhas telúricas.

Quanto ao “sinal da barriga”, é interessante notar que uma certa fração da população parece incapacitada de praticar a radiestesia, aproximadamente 10% dos estudantes que vejo. Parece haver uma correlação entre a esta inabilidade e bloqueios emocionais na área abdominal. Em outras palavras, estes radiestesistas impotentes são sistematicamente aqueles com maiores obstruções de energia na área do umbigo. Quando estes estudantes passam por um processo de regressão e liberam os bloqueios de suas barrigas, eles ganham, ou melhor, recuperam a capacidade de praticar a radiestesia corretamente.


12.12 Sentindo as linhas sem barras


Uma vez que você possa localizar as linhas da grade de acordo com o método de radiestesia indicado acima, a próxima fase é sentir as linhas sem as barras. Isto é algo que surpreenderá seus amigos radiestesistas. É realmente uma situação cômica: como pode você, que só pratica a radiestesia há algumas semanas, não só achar as linhas como também achá-las sem barras, enquanto eles têm trabalhado no assunto durante anos e não tem nenhuma pista de como fazer isso? Isto é porque sua habilidade vem de um treinamento sistemático de percepção, e não de uma prática isolada.

Uma vez que se tenha uma forte consciência no olho, não é muito difícil sentir as linhas com suas mãos, sem barras.

Comece a caminhar lentamente pelo quarto, com suas mãos à frente. (figura XII.12).Como antes, mantenha uma firme consciência da vibração, tanto no olho quanto embaixo do umbigo. Respire com a fricção na garganta para ampliar a vibração.

Sintonize nas linhas com sua barriga.

Quando você passar por uma linha, suas mãos sentirão uma leve resistência, como se você estivesse encontrando algo mais espesso e mais denso do que apenas o ar do quarto. Às vezes, também há uma leve vibração nas mãos quando você “toca” uma linha. Dê um passo para atrás e caminhe lentamente para a linha de novo. Se concentre nesta sensação, aprenda a reconhecê-la.

De fato, é mais apropriado usar a palavra “parede” ao invés de linha, porque o que você sente é realmente como uma parede de vibração, semelhante a uma parede de fumaça etérica.

Como sempre, há um segredo: pratique, pratique, pratique! Praticando, poderá entrar em um quarto e reconhecer imediatamente onde as linhas estão e quão nocivas elas são. Você não precisará de nenhuma barra. Você nem mesmo terá necessidade de caminhar pelo quarto.

12.13 Vendo as linhas


Ver as linhas, ou melhor, as paredes de energia enfumaçadas, não é muito mais difícil que ver halos de luz ao redor de pessoas. As técnicas a serem usadas são exatamente as mesmas que já descrevemos nos capítulos sobre Visão.

Aplique o triplo processo de visão:

1) Estado de imobilidade e foco no olho, piscando o menos possível.

2) Não procure as linhas, fique ciente do fato de ver, ou estado de visão. Se não consegue chegar ao estado de visão, apenas sinta a imagem à sua frente ao invés de olhá-la.

3) Tente sentir de seu coração, e neste caso, também de sua barriga ao mesmo tempo. Se achar difícil estar ao mesmo tempo no olho, no coração e na barriga, mantenha-se apenas no olho e na barriga. Olhe pela barriga, através do olho. Se isto também for difícil, foque principalmente no centro de barriga, uma polegada embaixo do umbigo.

Dicas para novatos


  • Quanto mais pessoas na sala estiverem em seus olhos, mais fácil será a visão.

  • Você achará mais fácil ver as linhas se tiver outra pessoa no ambiente procurando por elas com barras de radiestesia.

  • Na minha experiência, quando vários novatos juntos tentam se sintonizar em um objeto ou vê-lo de forma clarividente, isto cria uma grande nuvem de energia caótica no ambiente, e mesmo clarividentes treinados têm dificuldade de discernir uma coisa qualquer. Às vezes demora uma meia hora antes que qualquer um possa perceber qualquer coisa novamente.

O mesmo se aplica à linhas telúricas: se muitos estudantes sem experiência tentam vê-las ao mesmo tempo, é bem provável que depois de trinta segundos, ninguém possa ver mais coisa alguma.

  • Pratique ver as linhas próximo à Lua Cheia e à noite, quando as linhas estão mais largas.

Prática XII.14 A aura de um radiestesista


Uma prática interessante é se sentar quietamente, realizar o processo de tripla visão, e observar a aura de alguém que está praticando a radiestesia. Cada vez que ele cruza uma linha, você pode ver uma mudança nas cores e na intensidade de sua aura. Mesmo que você não esteja vendo cores claramente, não achará muito difícil sentir a modificação que acontece na energia da pessoa.

Tente também se sintonizar na energia da barriga da pessoa. Quando ela cruza uma linha, você poderá sentir nela o “sinal da barriga”. Se a linha for realmente tóxica, você pode facilmente sentir-se um pouco enjoado, mesmo de longe, apenas por se sintonizar na barriga do radiestesista.


Prática 12.15 Diagnosticando stress geopático


Conforme você avança, desenvolve uma interessante habilidade em diagnose: sentir a impressão deixada pelas linhas nas pessoas. Se alguém dorme por meses em uma linha, isso deixa um rastro na energia dela, e você pode ver e sentir de fato a energia da linha nela.

Esta prática é muito menos difícil do que parece. Você precisa ter desenvolvido o reconhecimento de um sentimento gerado pelas linhas. Isto significa que você precisa saber exatamente qual a sensação proveniente da energia de uma linha. Assim, ao se sintonizar em alguém, você procura a mesma sensação. Se ela tiver linhas telúricas nocivas imprimidas em sua energia, isto significa que ela sofre do chamado “stress geopático”, você reconhecerá a “sensação da linha”, tal e qual como quando se sintoniza na grade. Isto lhe dá a capacidade de suspeitar muito rapidamente se uma doença é devido a uma linha tóxica.


12.16 Achando poços de energia


Os poços de energia são um assunto muito mais misterioso do que as linhas telúricas nocivas. Muito pouco foi escrito sobre eles. Achar os poços requer uma grande compreensão das forças telúricas, requer que você cultive um certo respeito pela terra, que você estime suas energias.

Para achar poços de energia você precisa de duas qualidades principais: respeito e familiaridade. Não é você que encontra os poços, é a terra que os mostra para você, se sentir que é uma boa pessoa.

O que é uma boa pessoa, do ponto de vista da terra? Você chega com sua cabeça cheia da atividade mental gerada pela vida moderna, mas a terra vibra em uma freqüência bem diferente. O primeiro passo é se sintonizar na terra, vibrar na mesma freqüência que ela.

A terra também é sensível ao seu magnetismo. Aprecia e respeita as pessoas de uma certa densidade. Você tem que estar estabilizado em sua barriga e conectar essa energia da barriga com a terra, ancorando a força de seus chakras mais baixos no solo. Assim, antes de explorar a própria casa, é bom passar alguns minutos caminhando ao redor dela, sentir a energia da área e se conectar a ela.

Uma vez que você esteja na disposição interna correta, como encontrar os poços? Se você alcançou uma certa clarividência, é bem simples: tem apenas que dar uma olhada ao seu redor. Um poço de energia parece um pouco como uma fonte de energia, um “gêiser”, uma coluna de luz. Mesmo que você não ache fácil ver auras, pratique o triplo processo de visão e esquadrinhe o espaço do ambiente a partir de seu olho. Se você estiver sintonizado à energia do lugar, um inesperado flash de visão pode acontecer.

Então comece a caminhar muito lentamente pelo ambiente, palmas à frente, como se estivesse tentando sentir as linhas sem barras (seção XII.12). Há uma palavra alemã que não pode ser traduzida: gemütlich, que significa “cheio de sentimento”, agradável e confortável para a alma, e essa é exatamente a sensação de um poço de energia.

Em minha experiência, os poços de energia são freqüentemente achados adjacentes a uma linha telúrica (mas não na linha). Sendo assim, não se preocupe se encontrar um na extremidade de uma linha, não há nada de errado com isto.

O tamanho dos poços de energia varia. Os que vemos em Sydney têm, freqüentemente, entre um e dois pés de diâmetro (30 a 60cm), ou possivelmente um pouco mais.

Mas em locais sagrados dos aborígines, por exemplo, onde se pode encontrar poços bem maiores.

Certos locais são realmente mágicos, com poços de energia por toda parte, como fogos de artifício imaginários. Entrando nestes locais com a consciência certa, você é transportado para outra dimensão de existência.

Poços de energia diferentes têm propriedades diferentes. Alguns têm um valor mais inspirador, outros de cura. Você tem que se sintonizar no ser do poço para descobrir, mas seja muito gentil, porque estes seres são tímidos. Olhe sem olhar, sintonize como que à distância, caso contrário eles esconderão sua energia e o se tornarão indetectável para o seu olho. Apenas quando ganhar uma certa familiaridade com o pequeno ser atrás do poço que ele lhe revelará todos seus segredos.

Tudo sobre poços de energia ainda está para ser descoberto!


12.17 É possível neutralizar linhas telúricas nocivas?


Radiestesistas fizeram muitas tentativas para neutralizar as linhas nocivas. Foram projetados muitos dispositivos, como barras de cobre de várias formas, rolos condutores, aparato eletromagnético, velas, luminárias de óleo, mandalas e símbolos mágicos debaixo do tapete. Depois de ter testado muitos desses, concluí que nada realmente funciona. Alguns dispositivos trazem uma melhora temporária, mas nunca vi um que durasse. Depois de alguns semanas ou no máximo alguns meses, a grade recupera seu caráter nocivo.

Talvez a resposta seja de uma natureza diferente. Embora algumas destas linhas sejam ruins para nossa saúde, eles não são necessariamente ruins para a Terra. As linhas são para a Terra o que os meridianos de acupuntura são para o nosso corpo.

Por que deveríamos tentar bloquear estes fluxos?

Talvez a solução não esteja em tentar corrigir a grade natural da Terra, mas em colocar nossas casas em lugares apropriados e favoráveis para a vida humana. A grade não é nociva por inteiro, muitos lugares têm uma energia adorável. Se você constrói uma casa bem em cima de um riacho subterrâneo, certamente terá uma grade nociva ao redor da casa, mas se você constrói a mesma casa cinqüenta metros para fora, pode não encontrar nenhuma conseqüência desfavorável.

Na Austrália, onde as energias telúricas são particularmente fortes, vi algumas casas que foram construídas em solos de cemitérios aborígines ou em locais que os aborígines tinham tradicionalmente julgado impróprios para a habitação humana.

Nestas casas, as pessoas ficavam doentes e brigavam o tempo todo, faliam, cometiam suicídio... Até mesmo os gatos, que normalmente se sentem bem nas linhas, escondiam-se nos armários e tinham colapsos nervosos. Seria mais razoável começar uma guerra contra a terra a fim de limpar tal lugar, ou deveríamos considerar que nenhuma casa jamais fosse construída lá?

O verdadeiro problema é que não estamos vivendo em harmonia com as energias da Terra. Colocamos nossas construções de acordo com considerações mentais, desenhando no mapa uns quadrados bem simétricos. Estamos desconectados da terra, nem mesmo a consultamos antes de construir. E então, quando as vibrações na casa são terríveis, queremos que a tecnologia venha em nosso socorro para parar o fluxo telúrico natural e transformar nosso lugar fantasmagórico em um pequeno e simples chalé.

A verdadeira resposta é apresentar aos arquitetos e construtores a ciência das linhas telúricas e poços de energia. E no que se refere à cada um de nós, devemos conferir a grade e as vibrações de uma casa antes de se mudar para ela.

Na prática, o que você pode fazer? Verifique sua casa detalhadamente através da radiestesia. Sempre há uma grade de linhas, separadas por 2 a 2.5 metros. Mas em muitos casos, a grade não é particularmente nociva. Ainda assim, você precisa ter certeza de que nenhuma linha cruza sua cama, que não medita sobre uma linha e que nenhum dos lugares onde você se senta regularmente está em uma linha. Não hesite em mudar os móveis de lugar.

A segunda fase é começar a caçar, (com suavidade!) por toda parte da casa, os poços de energia, e explorar o que pode ganhar deles. Tudo isso significa que você tem que reconsiderar seus hábitos e começar a usar o espaço em harmonia com a energia da casa. Se você conseguir projetar o interior de sua casa de tal forma que medita, dorme, come, trabalha, em poços de energia, os benefícios serão imensos no que se refere à sua saúde física, mental e espiritual.

E se a grade for nociva, ou cheia de linhas adicionais, ou se a casa foi projetada de tal modo que onde quer que você coloque sua cama está em um cruzamento de linhas? Meu conselho é: mude-se! O despertar espiritual é um processo de abertura, não pode acontecer sem contratempos em um lugar onde as vibrações são tóxicas. Quando você passa por transições profundas, precisa de um ambiente que o apoie, e não que trabalhe contra você. Vá e ache um lugar que é 100% correto para você estar. Esta é uma parte importante da busca espiritual, e portanto, se sua motivação estiver correta, o universo o apoiará.

12.18 Uma geografia de iluminação espiritual


Se você realmente quer saber sobre energia, sugiro que se empenhe para perceber as linhas até alcançar o ponto em que pode saber imediatamente onde elas estão assim que entrar em um quarto. Não importa que você não possa vê-las a princípio, mas tem que desenvolver sua sensação a ponto de poder abrir a porta, sintonizar, e sentir onde as linhas estão sem ter nem que caminhar pelo quarto. Isto estruturará uma conexão profunda com as energias da terra.

Assim, ao visitar um lugar novo, você evitará as linhas automaticamente, e escolherá o lugar certo para se sentar. Isto acontecerá espontaneamente, sem que você tenha nem que pensar a respeito. Você apenas se sentará em algum lugar, e mais tarde perceberá que está novamente em um poço de energia. E se, por alguma razão, acontecer sempre de se sentar em uma linha, receberá imediatamente um sinal de sua barriga, e desejará mover-se. Você não precisará nem mesmo ver as linhas de forma clarividente para alcançar essa fase. É suficiente treinar-se a fim de sentí-las sistematicamente.

Conforme você se torna mais consciente dessas energias telúricas, você se surpreenderá ao ver que algumas pessoas continuam indo diretamente de uma linha para outra, devido a algum tipo de estranho magnetismo. Se há um cruzamento ruim em algum lugar de sua sala, elas caminham diretamente para lá e se sentam. Se há alguma casa fantasmagórica na cidade disponível, elas se apressam em alugá-la. E mesmo se a casa delas é bastante sã em relação às linhas, elas conseguem pôr a cama no pior cruzamento que podem achar. De certo modo, você pode dizer que estas pessoas desenvolveram uma sensibilidade às linhas, mas usam-nas, inconscientemente, contra si mesmas. Estes kamikazes de linhas telúricas se beneficiariam grandemente de trabalhar em seus olhos e aprender a aplicar a radiestesia. Ainda assim, você verá que muitos deles se recusam obstinadamente a tentar, ou simplesmente reconhecer a existência das linhas.

Isto o leva a sentir que há uma correspondência entre nossa própria qualidade energética e os lugares onde nos sentamos, seja em nossa própria casa ou até mesmo em um restaurante, cinema ou casa de um amigo. Isto significa que muitas pessoas escolhem lugares prejudiciais, inconscientemente, para perpetuarem a própria energia desordenada e desequilibrada, mas isto também significa que escolhendo, sistematicamente, lugares de energia de alta qualidade, podemos influenciar nosso estado de saúde e consciência positivamente, talvez muito mais que possamos imaginar. Também sugere que duas pessoas possam viver no mesmo ambiente e ainda assim estarem em dois mundos diferentes, um ficando sistematicamente em linhas, e o outro em poços de energia.

Agora que chegamos ao fim deste capítulo, tenho um favor a pedir: o conhecimento sobre as linhas é bem simples, e as dificuldades que pode evitar são enormes. Por favor, fale sobre linhas telúricas. Discuta o assunto com seus amigos e parentes. Nunca desperdice uma oportunidade para fazer deste um tema viável. Se você é jornalista, escreva sobre isto ou divulgue o assunto em rádio ou televisão. Se você é um médico, explique a seus pacientes sobre as linhas. Isso não deteriorará sua reputação, devido à vasta quantidade de evidência científica disponível para comprovar o fenômeno. Deve ser entendido como um ato da mais alta compaixão despertar o máximo de interesse possível sobre este assunto.





1   ...   10   11   12   13   14   15   16   17   ...   23


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal