Terra a-dourada Brasil


O Despertar da Visão Interior



Baixar 1.17 Mb.
Página13/23
Encontro02.07.2019
Tamanho1.17 Mb.
1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   ...   23

O Despertar da Visão Interior

‰ capitulo 11 ‰

A arte de se sintonizar

11.1 Sintonizando


Vamos começar com um exercício simples. Pegue, por exemplo, um cristal e uma outra pedra qualquer, achada no mato. Se você não tem um cristal, apenas pegue duas pedras de cores e texturas diferentes. Você também precisa de uma flor ou um punhado de folhas. Sente-se em uma posição confortável e coloque os objetos à sua frente. Tenha certeza de que suas costas estão retas. Comece a contemplar o cristal, ou uma das pedras.

Aplique o triplo processo de visão:

1) Fique ciente entre as sobrancelhas. Permaneça imóvel. Pisque o menos possível.

2) Em vez de olhar qualquer detalhe da imagem à sua frente, fique ciente do fato de ver, que chamamos “estado de visão”. Se isso não for possível, tente, simplesmente, sentir a imagem à sua frente em vez de olhá-la.

3) Sinta o objeto de seu coração. Receba-o em seu coração, pelo olho.

Permaneça com o primeiro objeto durante 2 ou 3 minutos. Então aplique o mesmo processo à segunda pedra, durante dois minutos ou mais. Proceda da mesma maneira com o terceiro objeto.

Ficará claro que você obtém sentimentos bem diferentes de cada uma das pedras, das folhas e flores. É claro que estes objetos têm qualidades diferentes de vibração, mas você também fica diferente quando se abre a um ou o outro. Cada objeto te faz vibrar em uma freqüência distinta. Quanto mais sensível você se torna, mais claro fica o contraste interno ao se sintonizar em objetos ou pessoas.

“Sintonizar” é a capacidade para ressonar em harmonia com um objeto, um animal, uma pessoa. “Sintonizar” evita o uso da consciência mental ordinária. É um modo direto de conhecimento e experiência que diferem em muitas formas da mente ordinária.

Um ponto chave é que sempre que você olha um objeto usando a mente, a mente o “mata”. O objeto está cheio de energia e vibrações, tem uma vida própria. Várias leis da natureza estão ativas dentro dele. E o que você consegue usando a sua menta ? Uma réplica morta que poderia ser chamada de cartão postal mental. A essência da informação se perdeu.

Quando você “se sintoniza” em um objeto, acontece o contrário. Você deixa as qualidades do objeto ficarem vivas dentro de você. Não é mais um cartão postal que você recebe, mas um sentimento de vida.

Repita o exercício com vários cores. Aplique o processo triplo de visão em paredes, roupas e objetos de matizes diferentes. Cada vez, tente se sintonizar na cor. Abra-se para ela. Deixe as qualidades da cor se manifestarem vivas dentro de você.

O resultado é mágico. Cores diferente o movem em direções diferentes e geram toda uma gama de efeitos dentro de você. Cores e luzes começam a te alimentar: o azul do céu, por exemplo, ou a luz das estrelas, ou até mesmo o amarelo de uma Camiseta... Você pode literalmente “beber” as cores e as respectivas energias. Você obtém forças delas que fortalecem sua alma. Isto te permite entender porque crianças pequenas, que ainda não estão vivendo somente dentro de uma estrutura mental, são tão fascinadas por cores e luz.

Outra distinção chave entre o modo mental de perceber, e desta técnica de se “sintonizar”, é que o primeiro está baseado em separação, enquanto que o segundo é um processo de unidade. Quando você recebe uma imagem mental de um objeto ou pessoa, não há nenhuma conexão verdadeira entre o objeto e a imagem. Mas quando você “se sintoniza” em um objeto, você se torna o objeto.

Por exemplo, se o gato está tentando confundí-lo quanto ao fato de você já ter lhe dado o jantar ou não, você se sintoniza no gato, e você se torna o gato. E então, pode sentir tudo aquilo que o gato sente. Você pode perceber o mundo como o gato o vê, de forma completamente diferente. Você sente o instinto do gato fluir por você, você sabe exatamente como é ser um gato. E você também pode sentir se o estômago de seu gato está cheio ou vazio!

É um conhecimento por identidade, um processo fascinante, que te dá uma profunda compreensão intuitiva da natureza de objetos e seres. Você penetra a lógica deles por dentro, porque você se torna o que eles são.

“Sintonizar” te dá acesso a uma nova e rica gama de sentimentos e sensações. Você descobre uma paleta de experiências internas que sua mente nem mesmo suspeitava que pudesse existir. Você fica vasto. Pela arte de “se sintonizar”, muitas coisas simples da vida, como olhar as estrelas, nadar no oceano, alimentar o gato, se tornam absolutamente fascinantes. Você participa na vida do universo, em vez de percebê-la como uma série de cartões postais.

Por exemplo, no centro de retiro de nossa escola nos planaltos de New South Wales, tem uma águia que vem nos observar quando estamos trabalhando fora. Se você se sintoniza na águia, ela pára a 20 metros acima de sua cabeça e te contempla. É um permanecer quieto completo, um momento de verdade. Se você eleva seus braços para a águia e começa a girar lentamente, a águia gira com você. Lentamente, como se estivesse suspensa no ar, a águia o segue em uma dança imóvel. Então, se você “se tornar” a águia, é uma explosão interna.

Simplesmente não há palavras para descrever tal coisa. Pessoas que nunca experimentaram qualquer coisa do gênero, podem ser inteligentes e prósperas, não obstante não vivem em nada diferente de uma gaiola.


Prática 11.2 Bebendo cores


Aplique o triplo processo de visão (foco imóvel no olho, estado de visão, sentindo do coração) e se sintonize em várias cores. Qualquer objeto ou planta pode ser usado, ou até mesmo paredes... Se se sintonizar em roupas, é melhor que sejam novas o bastante para que suas cores ainda estejam frescas.

Sintonize na cor. Não preste atenção à natureza do próprio objeto. Sintonize na cor e nada mais, como se você estivesse bebendo-a. Deixe a energia dela fluir em seu ser. Ressone com isto. Não apenas olhe-a ou mesmo veja-a: torne-se a cor.

Repita o exercício com cores diferente e veja como você fica diferente, de uma para outra. Deixe-se ficar fluido sob a influência da cor. Deixe-a tomar o controle. Deixe-a invadir sua energia.

Dicas


  • Por que não aplicar esta percepção do espírito das cores para reconsiderar o modo como escolhe suas roupas e como se veste?

  • Nenhuma cor física na Terra é tão pura quanto essas vindas das estrelas. Olhar fixamente as estrelas com um terceiro olho aberto é uma experiência sem igual, e que conduz às mais surpreendentes e iluminadas visões.

Aprenda a reconhecer as estrelas com um manual astronômico, e sintonize nelas. Você logo descobrirá que suas energias variam grandemente de uma para outra. Uma estrela dourada como Arcturus (Alfa Bootis), por exemplo, desperta abundância na coração e esquenta seu Espírito. Algumas outras, como Algol ou Rasalhague, estão para as estrelas assim como as orquídeas estão para as flores: a beleza delas é, às vezes, traiçoeira.

Estrelas, especialmente quando vistas com nosso triplo processo de visão, provarão ser uma fonte inesgotável de inspiração e de centralização. De maneira interessante, videntes de vfárias tradições perceberam constelações como o lugar de habitação de seres espirituais bem elevados.


11.3 Flores, plantas e seres elementais


Vamos pegar o exemplo de uma flor para descrever alguns dos mecanismos básicos de percepção sutil. Olhando uma flor com a mente, percebemos uma forma, algumas cores, um perfume. Mas o que perceberíamos se nos sintonizássemos na flor? Isso traria um sensação relacionada à natureza da flor, sua qualidade de vibração. Por exemplo, é óbvio que uma rosa, um girassol e uma orquídea comunicam sensações bem diferentes quando nos abrimos à elas. Muitas pessoas têm um entendimento natural, intuitivo, da natureza das plantas.

Porém, sintonizar em algo é mais que uma sensibilidade vaga; é uma abertura metafísica.

Quando você se sintoniza, todo seu corpo de energia começa a ressonar com a planta. Você pode sentir fluxos de luz correndo ao seu redor. É como entrar em outra dimensão. A planta fica viva em você. Com esta explosão interna vem um “estado de saber”, como um pacote de informação no qual são incluídas todas as propriedades da planta. A planta o inspira com o sentido de como usar tudo isso.

Vamos descrever em outras palavras: a imagem física e o cheiro físico nada mais são do que uma casca. Aplicando o triplo processo de visão (foco imóvel no olho, estado de visão, sentindo do coração), você percebe uma variedade de cores não-físicas, cheiros e gostos - o que poderíamos chamar a aura da planta, sua vibração não-física.

Se você vai além disto, você chega a ver algo totalmente surpreendente: um ser.

Você pode de fato ver um pequeno ser, que é como a essência da planta, e ao qual alguns ocultistas ocidentais chamaram de “deva” da planta, de uma palavra Sanskrita que significa deidade.1 Você percebe que a aura da planta, suas cores e outras qualidades sutis, são como a roupa desse ser, esse pequeno deva. Todas as propriedades físicas e sutis da planta não são nada além do que as conseqüências da natureza deste ser. Pode-se dizer que o ser mostra sua personalidade através da planta: suas cores, seus cheiros, suas propriedades medicinais. E este ser tem uma vida própria, você pode falar e pode estabelecer uma troca com ele...

Se você quer ter uma chance para entender quaisquer de suas percepções não-físicas, sugiro que gaste algum tempo meditando no seguinte princípio:

Sempre que houver uma vibração, haverá um ser vivo atrás desta. A vibração é somente a vestimenta do ser. É sua aparência externa, e qualquer coisa que pode ser percebida na vibração, é, simplesmente, a manifestação externa do ser. Assim, a menos que você contate o ser, estará perdendo a essência do objeto: estará percebendo apenas suas conseqüências.

Este princípio é universal e não se aplica só a plantas e outros organismos vivos. Por exemplo, quando se sintoniza na cor de uma parede, primeiro você recebe sua energia viva, isto é, sua vibração. Mas se você for além disso, o que pode ver? Atrás da vibração da cor, pode ser percebida uma multidão de pequenos seres elementais. Isto não é fácil porque os elementais são espertos, eles se escondem o tempo todo. Você precisa de um estado muito silencioso e fixo de consciência para poder vê-los com seu olho. (Tudo isso te faz querer saber o que tem, exatamente, dentro de uma lata de tinta.)

O mesmo se aplica para fogo, ar, vento e água: atrás da vibração e da aura das substâncias, pode-se perceber os seres elementais. Mas eu não aconselharia que você começasse com eles a exercitar os seus talentos de clarividência, porque eles são extremamente tímidos, e especialistas em se esconderem.


11.4 Lutando contra a rigidez mental


Para ser capaz de se abrir e se sintonizar em um objeto, você precisa partir de um espaço de amor. Empatia é uma das chaves para permitir que as qualidades do objeto ou da pessoa se tornem “vivas” dentro de você.

Você também precisa de um certo grau de abertura e flexibilidade. Se você é muito rígido, nunca poderá vibrar com coisas que não são como você. A parte sua que é feita de condicionamentos e só opera por reações, o manas-mente, é como uma gaiola. Você vive em sua mente como viveria em uma gaiola, sempre limitada a mesma gama de pensamentos, emoções, reações. É como se você estivesse vendo o mundo com óculos coloridos, por sua vez feito apenas de azul-verde, verde, e amarelo-verde, por exemplo. “Sintonizar” é como um modo quebrar a gaiola mental e começar a “ser” em um espectro expandido de freqüências.

Claro que, só quando você sai de uma gaiola que percebe que estava em uma gaiola. Se sempre viveu em uma gaiola, então, para você, não é uma gaiola, é o universo inteiro. Sintonizar-se te permite quebrar limites, introduzindo padrões inesperados de ser em sua consciência. A luz que vem de certas estrelas, por exemplo, te permite vibrar em freqüências muito estranhas, diferente de qualquer coisa que você possa experimentar na Terra. Mas certamente você não tem que ir tão longe para explodir os limites de sua gaiola.

Se você puder se tornar seu gato ou simplesmente a planta de seu vaso, apenas durante alguns segundos, isso já seria um extraordinário rompante.

Outra qualidade necessária para a arte de se sintonizar, e que é desenvolvida pela prática, é a capacidade para esquecer seu pequeno self por algum tempo. Se você vive muito como sua gaiola, então não sobra nenhum espaço para qualquer outra coisa. Você tem que se livrar de sua personalidade superficial por um momento. Você tem que cultivar uma quietude interna extrema, uma ausência completa de reação. Você tem que ficar vazio, fazer uma abstração de qualquer coisa pessoal. Isto dá um descanso refrescante, e uma sensação de relatividade no que diz respeito a seus pequenos problemas.

Em relação ao seu Ego, ou Eu Superior, algo paradoxal é experimentado: “Sintonizar” não oculta seu Self, revela-o. É sendo mais seu próprio Self que você consegue “se tornar” um objeto. A parte sua que é capaz de vibrar em harmonia com qualquer coisa no universo é o Self, precisamente porque Ele é universal. Então, “tornando-se” algo diferente de você, você perde o pequeno Self, revelando o verdadeiro Self. Percebendo o mundo, você descobre o Self, e esse é exatamente o trabalho da Clairvision.

Isto não é uma sensação vaga ou uma visão intelectual. É uma freqüência hiperdensa de ser. É uma experiência mais objetiva que colocar sua mão no fogo. Sintonizando-se em um objeto, e se tornando o objeto, você se torna seu Self. Você é seu Self, dez mil vezes mais que quando pensa no objeto com sua mente. Sempre que você pensa no objeto, você não é seu Self, você é absorvido pela gaiola.

O tempo veio inverter o provérbio clássico do filósofo francês Descartes: “cogito ergo sum” (penso, logo existo). Uma visão mais elevada revela exatamente o oposto: "Eu penso, então eu não sou." É parando a mente que você pode sair da gaiola, e dizer: "eu não penso, então eu sou." O estilo de trabalho da Clairvision o convida a usar a percepção para alcançar essa fase.


11.5 Árvores


Vamos retomar nossos exercícios práticos, desta vez focando em árvores. Há muita sabedoria armazenada nas árvores, daí a reverência para com elas nas escolas Célticas de iniciação, por exemplo. É significante que a tradição budista insista tanto no fato que Shakyamuni Buddha alcançou sua iluminação debaixo de uma árvore, chamada cientificamente de Ficus religiosa, em Bodhgaya. Na Austrália, temos uma árvore surpreendente, da mesma família, chamada Moreton Bay Fig (Ficus macrophylla) que parece um pouco com um banyan. É uma árvore enorme, magnífica, sempre pronta a aconselhar. Se você puder achar uma árvore de energia equivalente, é uma bênção.

Sempre que você tiver que passar por uma grande mudança interna, você pode se sentar debaixo da árvore e meditar. Ela o ajudará.


Prática 11.6


Sintonizar-se é uma habilidade que se desenvolve gradualmente. No princípio, você se sintoniza 10% no objeto, o que significa que você apenas adquire uma certa sensação. É então uma questão de intensificar a conexão e de livrar-se de sua personalidade superficial por um total silêncio e quietude interna. Você deixa as qualidades do objeto ficarem vivas em você até que alcança a fase onde se torna o objeto de fato.

Para desenvolver sua capacidade de se sintonizar, recomendo que você pratique com várias espécies de árvores. Sintonize, e aprenda a vibrar com elas. Você descobrirá que árvores diferentes têm energias completamente diferentes.

Aqui estão algumas sugestões de como descobrir as propriedades e qualidades das árvores. Nosso método será explorar sua própria sensação conforme você se sintoniza em árvores.

Quando você se sintoniza na árvore:

-Sua energia tende a se expandir, ou parece contida?

-A árvore lhe dá um sensação de suavidade, ou de uma dureza árdua?

-Você está tendo uma sensação mais Yang (ativo, etc.) ou mais Yin (receptivo, etc.)?

-A energia da árvore é mais semelhante ao elemento terra, água, ar ou fogo?

-A energia da árvore tem uma ressonância maior com sua barriga, seu tórax, sua garganta, ou sua cabeça? (Ao tentar entender as propriedades de qualquer planta ou substância, é sempre uma boa idéia sentir com qual chakra ela tem ressonância.)

-Você tem a sensação de estar protegido quando se sintoniza na árvore? Algumas árvores podem envolvê-lo dentro de seus galhos como um anjo o levaria em suas asas.

-Tente sentir qual é a especialidade desta árvore. Para que ela poderia ser boa, do ponto de vista medicinal?

Vá praticando de uma árvore para outra.


Dicas


  • Árvores são realmente boas quando você está aprendendo a se sintonizar, porque elas têm uma natureza generosa, e gostam de comunicar a própria energia. Eu conheço várias pessoas que tiveram uma grande abertura de percepção quando se sintonizaram em uma árvore. Algumas árvores literalmente conversam com você. Quando você se torna mais perceptivo, não é raro que ao passar por uma árvore, você tenha simplesmente que parar, porque a árvore está te chamando. Não hesite em abraçar árvores!

  • Lembre-se da prática 8.12: se você tem uma mágoa ou uma energia perversa da qual não consegue se libertar, abrace uma árvore por um longo tempo, e peça a ela que leve isso de você. Os resultados podem surpreendê-lo. (A energia não é nociva para a árvore como é para você.) Conforme sua capacidade para se sintonizar se desenvolve, você poderá aplicar este exercício com maior intensidade.

  • Há um costume bonito que é plantar uma árvore quando uma criança nasce. (Enterre a placenta na terra próximo à árvore.) Assim a criança e a árvore terão quadros astrológicos semelhantes. Claro que, não é muito fácil plantar a árvore no momento do nascimento (embora isso pudesse ser bem divertido). Dessa forma, você pode proceder da seguinte maneira: anote o minuto que a cabeça da criança sai e peça a alguém para plantar a árvore no dia seguinte, exatamente na mesma hora. Com exceção da Lua, os corpos celestiais não se movem muito por um dia, e 24 horas depois eles têm quase a mesma posição que tiveram o dia anterior. Uma outra época ótima de plantar uma árvore é na Lua Nova que precede o nascimento. Se a criança não nascer na até a Lua Cheia, então plante outra. Estas duas árvores, a da Lua Nova e da Lua Cheia, terão um significado particular à criança.

Escolha uma boa árvore, na qual a criança, e mais tarde o adulto, poderá refletir a si mesma.

11.7 Sensações sexuais


Freqüentemente, as pessoas dizem que nunca conseguem entender completamente o que seus namorados ou namoradas sentem ou pensam, só porque são de sexos diferentes (como se uma mulher experimentar nela mesma o que um homem sente, e vice-versa).

De fato não há nada mais falso. Pela arte da sintonização, você ganha a possibilidade de sentir todas as sensações e sentimentos que pertencem ao outro sexo. Por exemplo, um homem vem a saber em seu próprio corpo como é ter seios, ter um útero, menstruar, estar grávida... E por isso não quero dizer algum tipo de entendimento teórico ou intelectual, mas a real e direta experiência da sensação, exatamente como se ele estivesse dentro de um corpo feminino. Isto também se aplica a uma vasta gama de atitudes emocionais.

Este processo pode ser considerado virtualmente como uma iniciação. Uma vez alcançado, o modo de se relacionar com o outro sexo mudará dramaticamente: será muito menos complicado e baseado em uma verdadeira compreensão. Vários problemas psicológicos ligados às relações com o sexo oposto (e que normalmente cobrem vários outros problemas) desaparecerão automaticamente.

Nesta fase, pode ser interessante mencionar um fato sobre o corpo etérico (camada de força de vida, ou prana em Sanskrito, ou Qi em Chinês). Esotéricos como Steiner apontaram freqüentemente para o fato de que o corpo etérico de uma mulher é masculino, e de um homem é feminino. Isto cria um meio interno que facilita grandemente o acesso às sensações do outro sexo.

Com a expansão da percepção, um ser humano tende a ser visto não tanto como uma mulher ao invés de um homem, ou um homem ao invés de uma mulher, mas como uma totalidade feita de duas polaridades. Neste contexto, conceitos como a guerra dos sexos perdem o sentido. Todos temos um homem e uma mulher dentro de nós, e ambos devem ser trazidos à luz.

Entretanto, seria bastante falso acreditar que o resultado é um ser de um gênero misturado ou assexual. Pelo contrário, o processo contribui para discernir entre

as duas polaridades, alcançando a feminilidade da pessoa, para uma mulher, ou a masculinidade da pessoa, para um homem. Perceber o polo masculino ajuda a feminilidade de uma mulher a florescer. Quando um homem não está em contato como seu polo feminino, a masculinidade dele é uma fachada bruta, muito mais frágil do que sua atitude chauvinista tenta demonstrar.

Shiva-linga

Nas tradição da Índia, há um símbolo que ilustra este conceito: o Shiva-linga. O Shiva-linga é um falo ereto, e seu significado simbólico vai muito além de conotações genitais. Você o encontra por toda parte nos altares de templos da Índia. Se você der uma olhada mais profunda em um Shiva-linga, você notará que o falo na verdade descansa em um yoni, que significa um orgão gerador feminino. Isto simboliza que apenas quando está na base de sua polaridade oposta que a força masculina pode ser estabelecida fortemente.

11.8 Como você come influencia seus pensamentos


Há um campo onde a arte de se sintonizar lhe dará resultados particularmente rápidos e espetaculares: comendo. Sintonize na comida enquanto está em seu prato e em sua boca, e sua comida se tornará inesperadamente uma intensa experiência. Alguns legumes, como cenoura ou raiz de beterraba, e algumas frutas, como limão, são dotadas de energias que explodirá literalmente em sua boca. Ao invés do processo se localizar apenas em sua área digestiva, é como se seu corpo inteiro estivesse participando e recebendo vibrações da comida. Como conseqüência, você pode acabar reduzindo seu consumo tipo fast food. Sintonizando nas comidas e observando suas reações para com ela, fica possível trabalhar com precisão uma dieta adequada à você, sem uma atitude dogmática. Também fica claro que o estado de consciência na qual você ingere a comida pode ter tanta influência em seu sistema quanto a qualidade da própria comida.

Esta dimensão parece estar completamente perdida pela maioria dos sistemas modernos de nutrição. Se pacientes que sofrem de câncer, alergias ou parasitas vão ver um naturopata, eles recebem imediatamente uma lista de comidas que devem ou não devem comer. Mas não é dito quase nada sobre o modo como a comida deveria ser comida.

Pegue, por exemplo, um grupo das pessoas que estão comendo exatamente a mesma comida. Alguns terminarão com parasitas intestinais e outros não. Ao olho clarividente, parece que algumas vezes, quando a mente está “parasitada” é que a área digestiva tende a reter parasitas. Em astrologia esta conexão é simbolizada pelo fato de que o signo de Virgem e seu planeta Mercúrio são os regentes tanto da mente quanto dos intestinos.

Vimos como a capacidade de se sintonizar é diretamente oposta à rigidez mental. Quanto mais fixada em estereótipos a mente está, mais difícil é o acesso a um alcance maior de sensações. De fato, há uma conexão interessante entre o estado mental no qual você come e seu nível de flexibilidade mental: dependendo de como você come, a rigidez aumenta ou diminui. Cada vez que você engole a comida sem nenhuma consciência ou percepção de suas qualidades energéticas, a rigidez da mente é significativamente encorajada.

Em outras palavras, quando você come pela mente, você alimenta a mente! Um selo mental é imprimido sobre a comida, e toda sua estrutura fica mais mental.

Visto do olho, parece que um dos principais truques que a mente usa para manter sua hegemonia é fazer com que você coma sem consciência.

Por outro lado, ressonando em harmonia com a matéria da comida, você desenvolve a flexibilidade de sua substância mental, e sua capacidade geral para se sintonizar aumenta. Na declaração comum de “que o corpo é feito daquilo que você come”, pode-se somar outro: “a mente é feita de como você come”. Claro que, muitos outros fatores além da nutrição tem um papel na dinâmica da camada mental. Ainda assim, a pessoa pode ter uma ação principal nessa dinâmica da mente regulando a entrada de comida e o estado de consciência nas refeições. Isso é por que Gandhi dizia: “Quando o sentido do gosto está sob controle, todos os sentidos estão sob controle."

Outro fator que pode influenciar positivamente o processo de alquimia interna é uma regularidade bastante rígida das horas das refeições. O corpo astral é intensamente envolvido no processo de digestão. Seguindo uma rotina de intervalo entre as refeições, você faz o corpo astral trabalhar com regularidade, e isto imprime uma sensação de ritmo.

Ritmo é exatamente o que falta no corpo astral. O corpo astral é a camada na qual as emoções acontecem. Agora, pegue algumas atividades rítmicas básicas do corpo físico, como a batida do coração e a respiração. Assim que você sofre uma emoção, a freqüência de ambos se torna irregular! Presentemente, nosso corpo astral é o inimigo do ritmo: qualquer onda grande no corpo astral tende a prejudicar as cadências do corpo físico. No que diz respeito ao ritmo, toda a educação do corpo astral ainda precisa ser empreendida.

Daí a importância de comer diariamente no mesmo horário, e evitar comer entre as refeições. Os benefícios não serão apenas físicos, mas também psicológicos. Imprimindo uma sensação de ritmo no corpo astral, você reforça toda sua estrutura o que aumenta a estabilidade emocional, a claridade mental, tolerância e tenacidade. Uma certa força da alma é nutrida, o que facilita sua conexão com mundos superiores.

Além desta perspectiva espiritual, deveria ser regularidade no horário das refeições deveria ser uma recomendação básica para pacientes que sofrem de várias desordens como câncer, asma, alergias, infestação de parasita, etc. Se você conseguir que as crianças adotem uma certa regularidade em seus intervalos de refeição, você as ajuda a se estruturarem e a se desenvolverem harmoniosamente.

Em termos dos ritmos do corpo, há uma invenção moderna que prova ser um desastre: horário de verão. Queensland, um dos estados da Austrália, rejeitou isto em plebiscito, porque esta medida “perturba o gado”. Atrás desta observação bem humorada, há profundos mecanismos relacionados a corpos sutis. Animais têm um corpo etérico e um corpo astral. Quando o ritmo de suas vidas é afetado, vários problemas acontecem. O resultado é uma produtividade reduzida, o que é notado imediatamente pelos fazendeiros.

Seria tolo acreditar que o corpo humano não sofre desta interrupção de ritmos naturais que acontecem uma, duas vezes ao ano. O número de doenças severas e do desgaste do corpo influenciado por horários de verão, é provavelmente muito maior do que pensamos. Espera-se que dêem mais atenção a este problema e que mais pesquisadores estudem seus efeitos.

11.9 Algumas sugestões de como se comunicar com anjos


Vamos terminar este capítulo abordando como a arte de se sintonizar pode ser aplicada na comunicação com seres espirituais mais elevados. Durante a meditação, uma experiência comum é ver luzes não-físicas e cores. Assim que seu terceiro olho abre, você vê muitas destas luzes. Pode acontecer que você tenha alcançado uma fase onde vê todos os tipos de luzes em sua meditação, e deseja saber como ir mais adiante. Estas luzes são muito agradáveis e o processo dá uma certa serenidade, mas qual é o próximo passo? Esse é o momento para se lembrar do que foi discutido anteriormente neste capítulo: sempre que há uma vibração ou uma luz, há um ser atrás dela. As cores que aparecem à sua frente são como roupas, a aparência externa de seres não-físicos. O próximo passo é se sintonizar nas luzes para discernir a presença dos seres atrás delas.

Outra experiência que pode acontecer, durante meditação ou fora dela, é sentir a presença de um anjo ou de algum ser espiritual superior ao seu redor.

Esta experiência é comum depois uma grande (e sincera) liberação emocional ao praticar as técnicas Clairvision de regressão. Dá a sensação da descida de uma energia supremamente calma que te envolve e espalha luz em todo seu ser.

O que isso tem a ver com um anjo? Há a sensação que o momento é precioso, e que se a pessoa não exibe a receptividade certa, muito da experiência pode ser perdida. Algumas pessoas tendem a tentar conversar com o anjo, perguntar todos os tipos de coisas ou até mesmo canalizar o anjo, deixar o anjo falar por eles em resposta às perguntas de outras pessoas. O problema com esta atitude é que ela tenta estabelecer uma comunicação mental com um ser que vem de muito além da mente. É um grande desperdício. Esta linda presença super-consciente está perto de você, e você a limita com os conceitos de sua mente. Em termos do exemplo dado anteriormente, é como tentar ajustar o anjo em sua gaiola.

A abordagem das técnicas Clairvision é diferente: você permanece extremamente silencioso, e se sintoniza no anjo. Se torna o anjo. Deixa sua glória ficar viva em você. Você adquirirá infinitamente mais sabedoria, porque a experiência não está limitada por qualquer filtro mental. Pelo contrário, permite que alguns padrões completamente novos de consciência se iniciem em você. Serão ativadas muitas atividades dinâmicas e funções operacionais do Eu Superior que amadurecerá lentamente mais tarde. Em termos de sua própria experiência, lhe dará um vislumbre dos estados de consciência que vem a seguir, e ativa as sementes da transformação que conduz a eles.

Esta abordagem baseada na sintonia é semelhante a uma antiga expressão Sanskrita:

“Devam bhutva, devam yajnet”

“Para adorar um deus, primeiro se torne o deus”







1   ...   9   10   11   12   13   14   15   16   ...   23


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal