Terra a-dourada Brasil


O Despertar da Visão Interior



Baixar 1.17 Mb.
Página10/23
Encontro02.07.2019
Tamanho1.17 Mb.
1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   23

O Despertar da Visão Interior

‰ capitulo 8 ‰

Práticas no corpo Etérico


É preferível não executar os exercícios deste capítulo logo no começo de uma sessão. Comece com algumas práticas de circulação energética para esquentar seu corpo etérico.

Pratique 8.1 A camada etérica como um todo


Sente-se com suas costas retas em uma posição de meditação. Mantenha seus olhos fechados ao longo da prática.

Esfregue suas mãos e fique imóvel durante alguns segundos, com as palmas para cima. Fique ciente da vibração nas mãos e no olho. Use a fricção na garganta para intensificar a vibração, e conectar o olho e as mãos.

Execute a circulação energética em alguns meridianos, como indicado na seção 6.3.

Então fique ciente simultaneamente da vibração em todas as linhas nas quais você trabalhou: consciência de todos os meridianos ao mesmo tempo. Conecte tudo ao seu olho através da fricção.

Então fique ciente da camada vibratória como um todo. Consciência de tudo aquilo que está vibrando, dentro e ao redor de seu corpo. Deixe sua percepção ser completamente absorvida na vibração.

Quando você sente a vibração por toda parte seu corpo, e nada além de vibração, significa que você mudou completamente sua consciência do corpo físico para o corpo etérico.


Pratique 8.2 O éter de vida


Repita prática 8.1: entre na percepção da camada etérica como um todo. Permaneça completamente imóvel e sinta a vibração por toda parte de seu corpo.

Então tente discernir: onde está a força de vida nesta vibração? O que é isso que mantém seu corpo físico vivo? Sintonize no conceito vida.


Dicas


Embora todo o corpo etérico tenha a ver com a força de vida, uma de suas camadas é mais especificamente relacionada à vida: o éter da vida. Ocultistas discerniram, tradicionalmente, quatro camadas no corpo etérico: o éter da vida, o éter químico, o éter de luz e o éter de calor. A palavra “camada” pode ser confusa porque os quatro éteres não são empilhados um em cima do outro, como camadas de um bolo. Na verdade, elas penetram uma na outra, como água penetra uma esponja.

A força de vida, realmente, é a energia mais preciosa. Conectar com o éter de vida é uma experiência muito especial. Apenas palavras não podem descrever a essência da consciência associada a isto. O éter de vida aparece como um princípio universal, certamente não limitado ao corpo físico. Se tentar localizar sua origem, sua consciência será levada para lugares misteriosos. Seguir os éteres até suas devidas fontes é uma poderosa técnica de clarividência e de viagem.



  • Tente repetir esta prática em diferentes momentos do dia, como de manhã e à noite, para sentir se nota qualquer diferença em sua energia de vida. Também dê uma olhada nela quando estiver se sentindo muito cansado.

Embora seja um pouco prematuro gastar muito tempo tentando discernir estas quatro camadas neste momento, é bom se lembrar desta quádrupla divisão do etérico. Isto facilitará discerni-las conforme sua percepção se desenvolve.

É interessante que sempre achemos mais fácil perceber o que nossa mente pode entender. Percepções para as quais não temos nenhum padrão de explicação provavelmente serão perdidas, especialmente quando são vagas no princípio.


Pratique 8.3 Explorando diferentes qualidades do etérico


Fique ciente de sua camada etérica como um todo como foi descrito na prática 8.1.

Permaneça completamente imóvel e tente discernir diferentes qualidades no éter.

Então explore várias partes do corpo e compare a diferença na qualidade de vibração de uma parte para outra. Se você pôde adquirir uma sensação do éter de vida, por exemplo, veja se ela pode ser achada igualmente em toda parte do corpo.

Primeiro compare os membros e o tronco. Que diferença pode sentir entre a vibração nos membros e no tronco?

Então compare o tronco e a cabeça. Como a vibração na cabeça difere da do tronco?

Então explore os órgãos, um depois do outro. A vibração é mais intensa em alguns deles?

Como a qualidade da vibração difere de um órgão para outro?

Você tem a impressão de que algum órgão ou parte do corpo são abundantes com força de vida? Sente que outros parecem vazios da mesma?


Dicas


  • Tradicionalmente, o fígado é o órgão do etérico e da força de vida – conseqüentemente a conexão entre as palavras “vivo” (live) e “fígado” (liver) pode ser achada em vários idiomas. Você concorda?

  • Se você está sofrendo de qualquer desordem física, inclua a área correspondente no exercício.

  • Pode ser interessante repetir esta prática em circunstâncias diferentes, por exemplo uma ou duas horas depois de uma comida pesada.

Pratique 8.4 Explorando os limites


Continue explorando a vibração fora dos limites de seu corpo físico. Tem limites definidos? Sua vibração se entrosa com a vibração de qualquer objeto ao seu redor?


Pratique 8.5 Explorando as circulações do etérico

Comece com o corpo inteiro. Fique ciente do corpo de energia como um todo e procure circulações.

Algumas destas circulações são mais intensas que outras? Existem grandes e pequenas?

Qualitativamente, você pode perceber diferenças entre vários fluxos? Alguns deles parecem mais mornos, e outros mais gelados? Alguns comunicam alguma sensação semelhante a um dos quatro elementos (fogo, água, ar ou terra)?

Explore parte por parte: a cabeça, o pescoço, os ombros e o topo do tórax, os braços, o tórax, o abdômen acima do umbigo, o abdômen abaixo do umbigo, as pernas.

Então volte para a percepção do corpo etérico como um todo, a vibração por toda parte do corpo.

Repita a sucessão algumas vezes.

Pratique 8.6 A vibração do etérico fora de seu corpo


Este exercício é melhor ser praticado na natureza, como em uma floresta por exemplo. Porém, um quintal com um pouco de grama e uma ou duas árvores é suficiente. Alguns vasos de plantas e um gato também servem!

Faça uma pequena meditação de terceiro olho (seção 3.7) e então aplique a prática 8.1 para reconectar com toda a camada vibratória dentro de você. Sinta a vibração da força de vida que penetra seu corpo. Ao mesmo tempo, permaneça completamente atento à vibração entre as sobrancelhas.

Então sintonize em uma árvore ou uma planta e tente perceber a vibração dentro dela. Não toque a planta, apenas se sintonize nela de longe. Continue explorando a qualidade da vibração da planta por alguns minutos.

Quão distante a vibração da planta se estende além de seus limites físicos?

Ao sintonizar na vibração da planta, você pode perceber qualquer circulação?

Então coloque suas mãos retas a alguns centímetros da planta, sem tocá-la. Repita a mesma sucessão: sinta a vibração da planta, explore suas qualidades.

Sintonize de longe em outra planta. Repita a mesma sucessão, mas ao mesmo tempo compare a qualidade da vibração da planta com aquela de antes. Então ponha suas mãos perto da planta e explore sua vibração novamente.

Repita o mesmo com plantas diferentes.

Então tente se sintonizar em animais e explorar a qualidade da vibração deles.

Dicas


  • Esta prática torna a natureza um campo fascinante para exploração. Apenas avance um passo adiante e a comunhão com a natureza se torna uma realidade tangível.

  • É ainda um fato confrontante e básico sobre percepção que uma vez que você pode sentir algo dentro de você, também pode sentir o mesmo fora de você. Por exemplo, quanto mais familiar você se torna com a vibração dentro de seu corpo, mais fácil se torna sentir tudo ao seu redor. Deveria ser enfatizado que esta observação não só se aplica à camada etérica mas para o espectro completo de percepção sutil.

Enquanto faz estes exercícios, não se esqueça de seu foco no olho: permaneça completamente consciente da vibração entre as sobrancelhas. O que quer que seja que você deseja contactar, sinta-o através do espaço entre as sobrancelhas.

Algumas correntes e lagos têm uma qualidade particularmente rica de vibração e comunicam bonitas forças de alma quando você se sintoniza nelas. O mesmo com o oceano. Passar um tempo na natureza ajudará a desenvolver sua percepção. Além de aumentar sua experiência da vibração, sintonizar nas forças da natureza provocarão vastas realizações.


Pratique 8.7 Vibração das refeições


Conforme a percepção da vibração fica mais familiar, é essencial integra-la em suas atividades diárias. Isto dará outra dimensão para sua palheta de experiências conscientes.

Na hora das refeições, por exemplo, brinque com a vibração. Sinta na comida antes e enquanto come. Comida engolida sem percepção é como veneno para a sua alma. Sentir a vibração te dará visões completamente diferentes do valor de certos alimentos. Mesmo alguns pratos de boa aparência podem, de repente, parecerem horríveis, enquanto outros desinteressantes ficam fascinantes.

Compare a vibração das comidas congeladas, comidas enlatadas, pratos cozinhados no microondas... Você pode sentir alguma diferença entre frutas e legumes orgânicos e não-orgânicos?

Aplique sua percepção quando for fazer compras. Você descobrirá que alguns legumes quase pulam para dentro de suas mãos.

Durante a digestão, é também bastante informativo se sintonizar em seu estômago (bem debaixo do coração, atrás das costelas esquerdas) e tentar sentir a vibração neste órgão ao executar a primeira parte da digestão. Você perceberá imediatamente que comidas diferentes criam tipos bem diferentes de vibração.

Prática 8.8 A vibração em seu banho


Entre em uma banheira.

Não só seus ombros mas também a parte de trás de sua cabeça e suas orelhas devem submergir na água. Uma boa posição é deitar na água com suas pernas cruzadas, quase do mesmo modo como quando você se senta de pernas cruzadas, assim seu tronco e sua cabeça flutuarão harmoniosamente e sem esforço. Mantenha os braços do seu lado ao invés de na barriga, para expandir o peito.

Posição certa

Porém, se suas pernas estão em uma posição como na figura abaixo, o que é incorreto, seu tronco tende a afundar na água e seus músculos abdominais ficam tensos.

Posição errada

Se você está familiarizado com Hatha-ioga, você também pode tentar tomar banho em matsyasana, postura do peixe.

Mas a posição mostrada no começo desta seção é suficiente. Você precisa ficar confortável e de alguma maneira imóvel o maior tempo possível, assim é preferível adotar uma posição sem esforço.

Assuma a posição e relaxe durante algum tempo na banheira.

Edifique a vibração no olho e fique ciente de sua vibração etérica como um todo. Respire com a fricção na garganta. A fricção assumirá uma nova dimensão com suas orelhas na água.

Então fique ciente da vibração da água. Esqueça completamente de seu corpo, apenas se sintonize na água. “Torne-se” a água e sinta sua vibração. Você descobrirá que nem todas as águas tem as mesmas qualidades. Até mesmo de um dia para o outro, a vibração da água da mesma banheira pode variar significativamente.

Então, depois de um tempo suficiente, comece a sentir a interação entre a vibração da água e sua própria vibração. Como a última é afetada pela primeira?

Dicas


  • Diz-se que o corpo físico é relacionado ao elemento terra, o corpo astral ao elemento ar, o Self ao elemento fogo e o corpo etérico ao elemento água. É então bastante apropriado explorar profundamente seu etérico enquanto na água. Não hesite em repetir todas as práticas deste capítulo e descubra as qualidades, circulações e limites de seu etérico enquanto estiver na banheira.

Nunca perca uma ocasião para sintonizar na vibração sempre que estiver na água. Você se surpreenderá quão refrescado você se sente depois de tomar um banho de acordo com estes princípios. Você também pode incorporar um pouco de óleos essenciais e várias substâncias (naturais) no banho e descobrir se pode sentir qualquer modificação na qualidade da vibração (na água e em você). Óleos essenciais são sutis: é quando você se sintoniza na energia deles que pode se beneficiar da maioria de seus efeitos.

  • Um excelente suco para pôr em uma banheira pode ser preparado ralando um pouco de gengibre e ferver em fogo baixo durante dez minutos. Coe e coloque o líquido na água da banheira. O efeito de limpeza na pele é notável.

  • Esta nova percepção da água tornará mais fascinante tomar banho em lagos, rios, cachoeiras ou no oceano. Mas não o tornará, necessariamente, mais atraído a piscinas públicas, nas quais, às vezes, todos os tipos de vibrações indesejáveis se acumulam.

Prática 8.9 Excreção etérica ao término de um banho


Ao término de seu banho, enquanto estiver completamente ciente da vibração por toda parte de seu corpo, procure por energias dentro de você que pareçam obscuras ou negativas. Passe um minuto explorando e sentindo as vibrações indesejáveis.

Então libere as vibrações negativas na vibração da água. Use exalações longas, conscientes, acompanhadas por uma fricção na garganta vigorosa, enquanto empurra as vibrações indesejáveis para fora de sua camada etérica. Esta é uma das chaves de excreção etérica: funciona melhor ao exalar, e melhor ainda se você exala “com intenção”, pondo tudo de você na ação de empurrar a respiração para fora em vez de exalar mecanicamente. Para este propósito particular de excreção, faça fricção enquanto exala, não enquanto inala. E a fricção deve ser significativamente mais intensa que a habitual.

Não demore muito na banheira depois que você termina o processo de excreção.

Dicas


Tente usar esta técnica quando estiver sofrendo de uma enxaqueca. Quando aplicada cedo o bastante, no começo da crise, freqüentemente dá resultados excelentes.

  • As práticas deste capítulo certamente abrem novas perspectivas em relação à hidroterapia.

  • Depois desta prática de excreção não permita que ninguém entre na banheira. Deixe a água ir embora. Sob circunstâncias normais, não há nenhuma necessidade para se preocupar por demais em ter que limpar a própria banheira. Ainda assim, você deve ter cuidado se muitas pessoas estão usando a mesma banheira. (Gurus hindus puseram grande ênfase em ter seu próprio banheiro privado.)

  • Algumas pessoas tendem a sentir incômodo se tiram o tampão e deixam sair a água enquanto ainda estão no banho, como se um pouco da própria energia fosse levada embora. Experimente e veja se isso te diz alguma coisa.

8.10 prática de Loo


Quanto mais você exercita sua capacidade de excreção etérica, mais ela se desenvolverá em uma função tangível. Você sentirá certas vibrações etéricas deixarem seu corpo etérico tão claramente quanto sente as fezes deixarem seu corpo físico.

Certas excreções etéricas podem acontecer sem qualquer excreção física, porém, deve ficar claro que supõe-se que todas as excreções físicas são acompanhadas de etéricas. Mas devido ao que os homeopatas chamam de miasma psórico inerente à população, excreções etéricas não são nada como deveriam ser.

Fique ciente de sua camada de vibração enquanto urina ou defeca. Coloque-se liberando vibrações etéricas negativas ao mesmo tempo que físicas. Você ficará realmente surpreendido com a intensidade dos resultados e do bem-estar geral que é gerado.


  • Embora eles normalmente passem desapercebidos, fortes e inesperados movimentos de energia acontecem enquanto você urina e defeca. Isto explicaria o fato de que um número significante de pacientes que sofrem do coração morrem quando vão ao banheiro.

Pratique 8.11 Liberando na terra


Conforme sua capacidade para excreção etérica se desenvolve, fica possível operar não apenas purificacões na água, mas também na terra.

Tire seus sapatos e meias, e coloque suas solas e palmas na terra.

Mantenha seus olhos fechados. Empenhe a fricção na garganta, sinta a vibração em seu olho e por toda parte de seu corpo. Então se esqueça de seu corpo e sinta a vibração da terra.

Depois de 1 ou 2 minutos comece a excretar vibrações etéricas na terra. Use exalações profundas, reforçadas por uma fricção forte. Ponha as vibrações não desejadas na terra enquanto o ar está saindo de sua boca. Para a terra, estas não são vibrações nocivas. Elas serão transformadas em adubos e processadas em renovadas forças da natureza.

Dicas


  • Esta prática também pode ser eficiente para liberar raiva ou tensão.

  • Como com qualquer coisa poderosa, esta técnica deve ser usada com moderação. Caso contrário, pode resultar em uma certa diminuição de suas energias.

Pratique 8.12 Abraçando árvore


Este é outro exercício relacionado a excreção etérica. Da próxima vez que estiver em uma floresta, escolha e sintonize em uma árvore grande, com a qual você sinta afinidade.

Então vá e abrace a árvore. Adquira o máximo de contato de superfície possível: segure o tronco com seus braços, aperte seu tórax, sua barriga e suas pernas contra ele.

Libere qualquer vibração em excesso na árvore. Excrete-as do mesmo modo como faz na água da banheira. Apresente-as como um presente para a árvore. Agradeça a árvore quando terminar.

Dicas


  • Quanto a energias negativas, primeiro tente liberar na água ou na terra. Mantenha as árvores para vibrações mais sutis ou para o tipo de energia que está realmente impossibilitado de liberar por qualquer outro meio. De qualquer maneira, você não fere a árvore fazendo isto, mas a presenteia com algo valioso. Embora para você a vibração relacionada a um humor deprimido ou o começo de uma gripe possa parecer negativa, para a árvore é uma energia altamente evoluida e sofisticada. Se você usar sua sensibilidade, poderá escolher árvores que anseiam pelo que você está tentando eliminar.

  • Esta técnica pode fazer milagres. Mas você tem que ficar contra a árvore o tempo suficiente, uns 10 a 15 minutos, ou mais se puder. Você precisa dar a árvore tempo o bastante para receber o que você está tentando dar.

Prática 8.13 Chorando


Derramar lágrimas pode ser uma ocasião para liberar tensão emocional e energias indesejáveis, especialmente se você usa sua nova capacidade de excreção etérica. Ponha tudo de que você quer se ver livre nas lágrimas.

Poder chorar (à vontade, se possível!) é uma valiosa habilidade no caminho da auto-transformação, pois te permite limpar a fundo o coração. Se você é o tipo de pessoa que nunca consegue chorar, eu sugiro que você se esforce para recuperar esta habilidade. Use qualquer truque que puder, desde descascar cebola até métodos mais sofisticados de arte dramática.

Por outro lado, se você é o tipo de pessoa que chora demais, pode ser que liberando mais através de suas lágrimas, você não precisará chorar tanto, a idéia é aumentar a qualidade para reduzir a quantidade.

Pratique 8.14 Chupando o cítrico


Você conseguiria pegar uma laranja ou uma toranja e fazer o mesmo?

Deite-se. Ponha uma boa, saudável (e de preferência orgânica) laranja sobre seu esterno, contra a pele.

Feche seus olhos. Fique ciente da vibração no olho. Fique ciente da vibração de seu corpo por toda parte, e em seu tórax em particular. Então fique ciente da vibração dentro da fruta.

Comece a puxar a vibração da fruta para sua própria camada de vibração.


Prática 8.15 Bocejando


Bocejar é um desses pequenos movimentos internos que podem liberar grandes ondas de energia inesperadamente. Bocejar pode ser considerado como uma circulação energética formal: é uma ação, um movimento físico que pode ser seguido por um movimento de energia ou onda etérica. Como acontece com todos as circulações energéticas, o movimento de energia é mais importante que o movimento físico. Mas como descrevemos antes (seção 6.3), este movimento de energia tem que ser permitido, caso contrário não acontecerá, ou só acontecerá fracamente. É uma dessas funções naturais que nosso corpo etérico não executa mais automaticamente.

Suprimir um bocejo é um condicionando perverso vindo da educação repressiva. Quando plenamente executado, o bocejo liberta o coração, como faz o choro. Também liberta muitas tensões que, caso contrário, se acumulariam nos olhos, por conseqüencia a pequena lágrima que aparece no canto dos olhos depois de um bocejo completo, generoso.

Vamos ver como você pode tirar mais proveito de bocejar. Se observar de seu olho, verá que quando boceja, a maioria das pessoas tende a liberar energias pela boca. Se você puder se dar conta desta liberação de energia e ampliá-la “com intenção”, ao bocejar, isso já será uma melhora significante.

Mas há um modo mais iluminado de bocejar. O princípio geral é bocejar para cima. Você tem que manipular todos os músculos da parte de trás da garganta para o movimento de energia ser dirigido para cima, para o topo da cabeça, ao invés de horizontalmente pela boca. Enquanto boceja, tente prolongar a faringe. A boca não tem que estar muito aberta, na verdade, pode ser mantida quase fechada. Foque toda sua atenção no topo da parte de trás da garganta, atrás da cavidade nasal. Esta área, no telhado da faringe, é muito associada com o metabolismo do néctar da imortalidade.


Dicas


  • Se você for rápido o bastante, pode usar também o espirro como uma liberação de energia.

  • Você deve ter notado como bocejar é contagioso. Em uma série de conferências dadas em Kassel, em junho e julho de1909, Rudolf Steiner explicou que, na Atlantida, influências subconscientes passavam mais livremente entre seres humanos. Um homem poderoso podia elevar o braço, e apenas com o jogo destas influências subconscientes, todas as pessoas ao redor dele se sentiam compelidas a erguer os respectivos braços automaticamente. Bocejar foi o que restou deste tipo de inclinação.


8.16 o lado certo do anel


Então coloque o anel, e fique novamente consciente da vibração no olho e no dedo. Permaneça imóvel por mais ou menos um meio minuto.

Então tire o anel, vire-o e o coloque de volta de outro modo. (Um anel tem dois lados. Assim depois que você coloca o anel no outro lado do círculo, o lado que era mais perto da junta está agora mais longe dela.)

Fique imóvel novamente, sintonize na vibração no olho e no dedo. Execute a fricção na garganta. Compare a vibração com o que você estava sentindo na outra posição. A corrente de vibração gerada pelo anel parece, freqüentemente, bem diferente.

Qual é o jeito certo? Tente cada posição algumas vezes, até que possa decidir qual parece ser a melhor, a “certa”, a que melhor sustenta sua energia, e qual você sente como a “errada”, retrógrada e que funciona contra você.


Dicas


  • Muita força pode ser armazenada em um anel, com ou sem uma pedra montada. Quanto mais potente o anel, mais importante é usá-lo do lado certo.

  • Um pêndulo também pode ser usado para confirmar o lado “certo” do anel.

8.17 Uma nota sobre relógios de pulso


Fique atento! Vistos do olho, relógios parecem muito mais tóxicos do que normalmente se acredita. Isto se aplica especialmente a relógios de quartzo: é como uma chicotada lançada em seu corpo etérico a cada vibração do relógio. Mas até mesmo sem quartzo, todos os relógios tendem a criar um campo etérico perverso e são uma interferência principal no fluxo natural de suas energias.

Aqui vai uma experiência simples para o convencer do efeito pernicioso dos relógios. Para isto, você precisará de um amigo e um pêndulo. (Uma chave ou um anel no final de uma linha de algodão de 15 centímetros (3-inch) fará perfeitamente o papel de pêndulo. É melhor evitar linha sintética).

Peça para seu amigo que tire o relógio. Segure o pêndulo em uma de suas mãos, e com a outra meçca o pulso da mão direita de seu amigo. Isso levando em consideração que seu amigo sempre usa o relógio do lado esquerdo. Se ele usa o relógio do lado direito, então comece medindo o pulso da mão esquerda.

Enquanto segura o pêndulo em uma mão e mede o pulsocom a outra, vá para o olho, fique ciente da vibração, e respire com uma fricção leve. Então sintonize na energia da pulsação. Tente sentir a vibração na artéria. O pêndulo começará a girar em uma direção.

Agora repita a operação com a outra mão de seu amigo. Sintonize na vibração da pulsação. Você verá que na maioria dos casos o pêndulo começa virando na outra direção. Este fato é bastante normal: isto apenas mostra que a energia de cada braço tem uma polaridade diferente.

Então repita a operação depois de pedir a seu amigo que coloque o relógio. Meça o pulso da mão com o relógio, sintonize-se, e... surpresa! O pêndulo ou deixa de girar, ou gira na direção oposta de quando estava sem o relógio. Isto significa que o relógio de pulso cancela ou inverte a polaridade de energia do braço no qual é usado – uma observação realmente confrontante!

Não há nenhum lugar certo para usar relógio em seu corpo. Enfermeiras tem o hábito de prender o relógio perto do coração, o que, certamente, não é aconselhável. Contanto que o relógio esteja em contato com o corpo, ou muito perto dele (menos de 1 ou 2 polegadas fora), cria uma interferência principal em seu etérico. Essa é a razão pela qual o efeito será basicamente o mesmo se você decide manter o relógio em seu bolso em vez de usá-lo em seu pulso.

Um relógio deveria ser levado em uma bolsa, e não em você. Por exemplo, é muito possível prender o relógio de certo modo à correia de sua bolsa que facilite ver de longe. Por que não começar uma nova moda ?







1   ...   6   7   8   9   10   11   12   13   ...   23


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal