Surto de sarampo na indonésia



Baixar 18.84 Kb.
Encontro08.01.2018
Tamanho18.84 Kb.


SURTO DE SARAMPO NA INDONÉSIA


A OMS informou na quinta-feira a ocorrência de um surto de sarampo na Ilha Sumba, sudoeste de Jacarta, capital da Indonésia.

Até o momento foram confirmados 711 casos e três óbitos.

A UNICEF, OMS e o governo local estão promovendo uma campanha de vacinação para conter a epidemia.

Eles planejam vacinar mais de 200.000 crianças entre 06 meses a 15 anos na Ilha de ocorrência do surto. O porta-voz da UNICEF informa que a causa do surto é a baixa cobertura vacinal e particularmente porque são áreas remotas, distantes e vulneráveis tanto ao sarampo como a pólio.

SURTO DE SARAMPO NAS ILHAS MALDIVAS
De acordo com a nota enviada pela OPS/Brasil em 24 de agosto, temos a seguinte informação sobre a situação do sarampo nas Ilhas Maldivas:

Até o momento 1095 casos de sarampo foram confirmados, com um pico epidêmico entre as semanas 25 e 26 (27 de junho - 04 de julho).

Embora eles não tenham os dados caso a caso, os últimos casos confirmados são reportados da capital, Male.

Informes recentes indicam que os casos ocorreram em pessoas acima de 15 anos de idade.

Novas informações serão enviadas nas próximas semanas.


SURTO DE SARAMPO EM HANSEN E BAVÁRIA, ALEMANHA – 2005




Fonte: eurosurverllance. Org/EW/2005/050728 asp

Dados Informados em 28/07/2005.


No primeiro semestre de 2005, aconteceram novos focos regionais de Sarampo. Apesar da incidência nacional de casos permanecer baixa (

SITUAÇÃO EM HASSEN

Desde o início de 2005, vários casos de sarampo em grupos familiares foram notificados nas cidades de Frankfurt e Offenbach.Várias famílias envolvidas optaram por não vacinar seus filhos por diferentes razões. Muitos pacientes não procuraram por serviços médicos, e os casos foram notificados somente após um paciente ter sido admitido em um hospital com complicações. Após investigações, feitas pela Secretaria Municipal de Saúde junto às famílias dos doentes e médicos, foram detectados 65 casos de sarampo, dos quais 19 casos acontecidos no final de 2004.


Um novo surto com 96 casos foi notificado no povoado de Wetterau-Kreis, agrupados em 25 focos, entre eles 15 aglomerados familiares em diferentes residências, e 2 pequenos focos em escolas. Apesar de intensas investigações das secretarias de saúde responsáveis não foi constatada nenhuma ligação entre diversos aglomerados e aos casos isolados. Neste surto foram hospitalizadas 06 crianças e 04 adultos, uma menina de 14 anos veio a óbito. Crianças na faixa etária de 01 a 04 anos (26 casos) e 10 a 14 anos (26 casos) foram considerados os mais graves. Na mesma época também foram notificados 19 casos na zona rural de Gieben entre outros locais, levando a um acúmulo de casos.
No total, foram notificados 223 casos de Sarampo entre janeiro a maio de 2005, com incidência de 14/100.000 hab. Crianças de 01 a 04 anos de idade foi o grupo mais afetado e 96% dos pacientes não eram vacinados. Apesar da incidência nos adultos ter sido apenas 2/100.000 hab, o número de hospitalização desta faixa etária foi de 34%.
A cobertura vacinal de primeira dose da tríplice viral para crianças de 06 anos de idade, nesta região é relativamente alta (94% a 96%). Entretanto, para a segunda dose a cobertura está entre 55% a 62%. O elevado número de casos isolados e focos com pequenos números de casos podem ser explicados pela grande proporção de pessoas vacinadas na população.
Genotipagens de 12 amostras identificou o vírus D4 (isolado com 100% de homologia); provavelmente importado da Romênia o qual não causava surto na região da Europa Central há 15 anos.

SITUAÇÃO NA BAVÁRIA

Desde março de 2005, 242 casos de Sarampo foram reportados aos arredores de Munique. Crianças em idade escolar foi o grupo mais afetado. Incidência no grupo etário de 05 a 09 anos de idade foi de 114 casos/100.000 para o grupo de 10-14 anos de idade. De 8 hospitalizações, 5 pertenciam ao grupo etário de 20 anos e mais, 97% dos pacientes não eram vacinados. Na Bavária, a cobertura vacinal para a primeira dose da tríplice viral é inferior à Estadual, e para a segunda dose está entre 13% e 77% (média de 44%). A maioria dos surtos estava vinculada a escolas ou creches e investigações estabeleceram ligação entre instituições. A Bavária concentra crianças não vacinadas e algumas áreas, e campanhas locais têm sido ignoradas pelos pais o que pode explicar o padrão de transmissão.


A genotipagem de 14 amostras provenientes do surto da Bavária identificou o genótipo D6 que circula na Europa desde o início dos anos 90, e, também, o seu seqüenciamento mostrou 100% de homologia com 4 casos notificados na Suíça. Um caso surgido na Áustria mostra ligação com esse surto.

CONCLUSÕES


Os atuais surtos de sarampo em Hessen e Bavária não têm nenhuma relação epidemiológica entre si. Os exames laboratoriais mostraram que são vírus de sorogrupos diferentes. Além dos tipos diferentes de vírus, os dois surtos diferenciam-se pela maneira de se propagar. Apesar do número de notificação ter sido semelhante nas duas regiões observa-se que ocorrerem situações epidemiológicas diversas que podem, em parte, ser explicadas pela cobertura vacinal da segunda dose da tríplice viral ser mais alta na região de Hessen.

Em Hessen, o surto caracterizou-se por uma evolução gradual, com vários pequenos focos e casos isolados em famílias; Na Bavária, houve uma eclosão de casos em Instituições infantis e escolas.

Os dois surtos deixam claro que apesar da diminuição da incidência de casos de Sarampo na Alemanha, como conseqüência de uma melhoria da cobertura vacinal e uma boa vigilância, o potencial para Surtos locais ainda existe.



SITUAÇÃO DA ALEMANHA – 2004 A 2005

ANO



Nº DE CASOS
INCIDÊNCIA

2001

6024

7,37/1000.000 hab

2002

4657

5,7/100.000 hab

2003

777

0,9/100.000 hab

2004

121

0,15/100.000 hab

2005

465

até maio/2005





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal