Sociedade brasileira de terapia intensiva



Baixar 19.76 Kb.
Encontro24.10.2017
Tamanho19.76 Kb.

SOBRATI

SOCIEDADE BRASILEIRA DE TERAPIA INTENSIVA

A ATUAÇÃO DO CIRURGIÃO DENTISTA NAS EQUIPES MULTIPROFISSIONAIS DENTRO DO AMBIENTE HOSPITALAR

Tese para obtenção do Título de Mestrado Profissionalizante, na SOBRATI – Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva, na área de Odontologia na Unidade de Terapia Intensiva.



Dr. Keller De Martini
Orientadora: Professora Elaine Cristina Cappellano

Outubro/2013


RESUMO

Com o grande progresso das pesquisas atuais, tanto na área médica, como odontológica, evidencia-se a forte inter-relação entre doenças bucais e sistêmicas, indicando a necessidade crescente do cirurgião dentista (CD) fazer parte das equipes multiprofissionais envolvidas no atendimento de pacientes hospitalizados.

O descuido com a condição oral do paciente internado interfere no seu quadro clínico, prolongando seu período de internação, gerando diminuição no número de vagas disponíveis e consequentemente aumento dos gastos hospitalares, além de facilitar o surgimento de infecções, entre elas à pneumonia nosocomial ou hospitalar, uma das mais recorrentes em pacientes de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), responsável por altas taxas de morbidade e mortalidade sendo que seu estabelecimento se dá mais comumente pela aspiração do conteúdo presente na boca e faringe.

Palavras-chave: Doenças Sistêmicas, Infecções, Pneumonia Nosocomial.

ABSTRACT

With the great progress of the current researches, both for in the medical and odontology areas, it is evidenced the strong interrelation among buccal and systemic diseases, indicating the surgeon dentist's growing need, to do part of the multiprofessional teams work involved in the hospitalized patients' service.

The negligence with the interned patient's oral condition interferes in their clinical picture, prolonging their internment period, generating decrease in the number of available vacancies and consequently increase of the hospital expenses, besides facilitating the occurrence of infections, among them the nosocomial pneumonia or hospital pneumonia, one of the most appealing in patients in the Intensive Care Unit (ICU) , responsible for high morbidity and mortality taxes, and its establishment feels more commonly for the aspiration of the present content in the mouth and pharynx.

Key- word:Systemic Diseases, Infections, Nosocomial Pneumonia

INTRODUÇÃO

Alterações bucais, como a doença periodontal, podem atuar como foco de disseminação de microrganismos patogênicos com efeito metastático, especialmente em pacientes com saúde comprometida. Pesquisas científicas que analisam grupos tratados e grupos controle, com parâmetros de riscos similares para infecção, demonstram uma diminuição significativa na incidência dos casos de pneumonias, do uso de antibióticos não profiláticos e nas taxas de mortalidade no grupo submetido à atenção odontológica.



Revisão de literatura

A cavidade bucal sofre contínua colonização apresentando uma vasta microbiota, representada por várias espécies de bactérias, fungos e vírus, onde o biofilme serve de reservatório permanente para microrganismos, podendo ocasionar processos infecciosos à distância. Procedimentos odontológicos simples, de baixa complexidade e de baixos custos, podem prevenir inúmeras complicações e diminuir expressivamente os custos com a saúde (1).

Estudos relacionam a presença da doença periodontal com o desenvolvimento de cardiopatias, aumentando sua incidência em 25%, podendo levar a morte e internação por doenças cardiovasculares em pacientes com periodontite quando comparados com pacientes sem alteração periodontal (2).

A pneumonia nosocomial, para Toledo e Cruz (2009), é a segunda causa de infecção hospitalar e a responsável por taxas significativas de morbidade e mortalidade em pacientes de todas as idades. Engloba de 10% a 15% das infecções hospitalares, sendo que de 20% a 50% dos pacientes afetados por este tipo de pneumonia falecem.

É essencial que pacientes de UTI tenham cuidados de higiene oral, com a participação de um cirurgião dentista, suficientes durante sua internação com o objetivo de prevenir a instalação de lesões orais e possíveis complicações de doenças bucais já existentes (3).

A presença de patógenos respiratórios no biofilme bucal de pacientes internados em UTI pode servir de reservatório para microrganismos associados com pneumonia nosocomial (4).

Em pacientes intubados, com pneumonia, a estada hospitalar pode ser prolongada em média entre 10 a 13 dias com aumento significativo nos custos com diagnóstico e tratamento dessa infecção (5).

Objetivo

Este trabalho tem como objetivo certificar a importância da atuação do CD na promoção de saúde bucal e assim evitar que doenças bucais interfiram no quadro sistêmico do paciente, de modo a reduzir seu período de internação hospitalar e melhorar seu prognóstico.



Discussão

Autores são unanimes ao afirmarem que procedimentos odontológicos simples, de baixa complexidade e de baixos custos, podem prevenir inúmeras complicações e diminuir expressivamente os custos com a saúde do paciente no ambiente hospitalar e na UTI (1,5). Para que isso ocorra, é essencial que estes pacientes recebam cuidados de higiene oral, com a participação de um CD, durante sua internação com o objetivo de prevenir a instalação de lesões orais e possíveis complicações de doenças bucais já existentes (1, 2, 3,4).



Conclusão

A presença do CD, no ambiente hospitalar, promove ações terapêuticas, instituindo protocolo de promoção de saúde, através da realização de procedimentos preventivos, curativos e paliativos, buscando sempre a diminuição de focos de infecção e equilíbrio das condições de saúde bucal e promoção de saúde, além da diminuição do tempo e custo de internação.



Referências Bibliográficas

  1. Toledo BG, Cruz I. The importance of the oral hygiene in Intensive Care Unit as a way of prevention of nosocomial infection. Journal of Specialized Nursing Care, v. 2, n. 1, p. 1-13, 2009.

  2. Amato R. Interproximal gingival inflammation related to the conversion of a bleeding to a nonbleeding state. J Periodontol, v. 57, n. 2, p. 63-8, feb 1986.

  3. Moraes TMN, Silva A, Knobel E, Avi ALRO, Lia RCCL. Pacientes em Unidades de Terapia Intensiva: atuação conjunta dos médicos e dos cirurgiões-dentistas. In: Serrano Jn CV, Oliveira MCM, Lotufo RFM, Moraes RGB, Morais TMN. Cardiologia e Odontologia uma visão integrada. 1ºEd (Santos). São Paulo: 2007.

  4. Oliveira LCBS, Carneiro PPM, Fisher RG; Tinoco BEM. A presença de patógenos respiratórios no biofilme bucal de pacientes com pneumonia nosocomial. Rev. Bras Ter Intensiva. 2007: 20-24; v19; n4.

  5. Scannapieco FA, Bush RB, Paju S. Associations between periodontal disease and risck for nosocomial bacterial pneumonia and chronic obstructive pulmonary disease. A systematic rewiew. Ann Periodontol, 2003; 8:54-69.





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal