Sebenta de anatomia humana I ano lectivo 2007/2008 terminologia anatómica



Baixar 426.38 Kb.
Página3/5
Encontro21.10.2017
Tamanho426.38 Kb.
1   2   3   4   5

OMOPLATA
- ocupa o espaço da 2ª à 7ª costelas

- osso grande, achatado e triangular

- ligada ao esterno pela clavícula que a mantém na sua posição lateral mas com grande mobilidade em relação ao tórax

- a omoplata é constituída por um corpo, uma espinha que termina lateralmente no acrómio e uma apófise coracóide.

- o corpo da escápula é triangular e tem, portanto:
Costal Superior

2 faces 3 bordos Lateral

(*1) Dorsal (*2) Medial
Superior

3 ângulos Lateral

(*3) Medial



  • (*1) – A face costal, côncava, está aplicada contra o tórax, do qual se separa pelo músculo serreado anterior. A concavidade da superfície costal é denominada fossa subescapular e apresenta várias cristas baixas que marcam as ligações tendíneas intramusculares.

- A face dorsal é dividida pela espinha em duas partes desiguais. A parte superior, menor e a superfície superior da espinha formam a fossa supra-espinhal. A maior extensão da parte inferior da face dorsal é côncava e juntamente com a superfície inferior da espinha formam a fossa infra-espinhal.




  • (*2) – O bordo superior é fino e cortante, sendo interrompido na junção com a apófise coracóide pela incisura escapular. Esta incisura marca a raiz da apófise coracóide (que se localiza acima da cavidade glenóide).

- O bordo lateral é uma crista delgada porém rugosa, marcada na sua parte superior pelo tubérculo infragenoidal. É neste que se situa a cavidade glenóide orientada anterolateralmente.


- O bordo medial é liso e geralmente côncavo, por vezes recto.


  • (*3) – O ângulo superior marca a junção dos bordos superior e medial.

- O ângulo lateral está na junção dos bordos lateral e superior. Este ângulo é espessado para formar a cabeça da escápula. A face lateral da cabeça forma a cavidade glenóide.


- O ângulo inferior está na junção dos bordos medial e lateral. Move-se extensamente quando o braço é abduzido. Na posição anatómica está aproximadamente ao nível da apófise espinhosa da sétima vértebra torácica e situa-se sobre a sétima costela ou o sétimo espaço intercostal.

- A cavidade glenóide está dirigida para a frente e lateralmente e articula-se com a cabeça do úmero. É em geral piriforme, um pouco mais estreita em cima do que em baixo e apresenta uma ligeira incisura no bordo anterior. O tubérculo supraglenóide é uma pequena área rugosa, imediatamente acima da parte superior da borda da cavidade glenóide.


- A espinha da omoplata é uma lâmina triangular, cuja margem anterior está unida ao corpo do osso, e que é continuada lateralmente com o acrómio.
- O acrómio, que se ossifica independentemente, é a projecção lateral da espinha da omoplata, da qual pode estar separado por cartilagem e tecido fibroso. O acrómio encontra-se posterior à apófise coracóide.
- A apófise coracóide, localizada acima do colo e da cavidade glenóide, projecta-se para a frente e um pouco lateralmente. Consiste numa parte vertical, que é achatada supero-inferiormente, e numa parte horizontal, que pode formar uma articulação sinovial com o tubérculo conóideo da clavícula
ÚMERO
- Osso longo

- Proximalmente articula-se com a cavidade glenóide da omoplata

- Distalmente articula-se com o rádio e com o cúbito.

Proximal (cabeça) (*4)

- 2 extremidades

Distal (côndilo e epicôndilos medial e lateral) (*5)
Anterior

3 bordos Medial

- corpo Lateral



(*6) Antero-lateral: tuberosidade deltóidea

3 faces Antero-medial: sulco intertubercular

Posterior: largo sulco para o nervo radial


  • (*4) Extremidade proximal do úmero:

- consiste na cabeça, no colo anatómico e nos 2 tubérculos (maior e menor) separados um do outro por um sulco intertubercular que se prolonga para o corpo do úmero.
- a cabeça orienta-se medialmente para cima e para trás. É lisa e arredondada

- o colo anatómico é uma ligeira constrição vizinha à cabeça (circunda a cabeça).


- o tubérculo maior projecta-se lateralmente além do acrómio.

O tubérculo menor forma a parte mais anterior da extremidade proximal do úmero, distalmente ao colo anatómico.

O sulco intertubercular separa os tubérculos maior e menor e passa distalmente ao corpo.
- o colo cirúrgico liga a extremidade proximal do úmero ao corpo e sofre frequentemente fracturas. É menos definido do que o colo cirúrgico.


  • (*6) Corpo do úmero:

- O bordo medial é continuado, em cima, pela crista do tubérculo menor e, em baixo, pela crista supracondilar medial.
- o bordo anterior é continuado para cima pela crista do tubérculo maior, e para baixo pela crista que separa a tróclea do capítulo.
- o bordo lateral, apagado superiormente, continua para baixo com a crista supracondilar lateral.
- a face posterior é marcada por um largo e mal definido sulco para o nervo radial, que se dirige para baixo e lateralmente.
- a face antero-lateral apresenta, próximo do seu centro uma grande área áspera, a tuberosidade deltóidea, para a inserção do músculo deltóide.
- a parte mais superior da face antero-medial forma o soalho rugoso do sulco intertubercular. O resto da face é liso.


  • (*5) Extremidade distal do úmero:

- é constituída pelo côndilo e pelos 2 epicôndilos medial e lateral.
- o côndilo inclui a tróclea, o capítulo e as fossas coronóide, fossa olecraniana e fossa radial.


  • a tróclea é a estrutura mais medial e sulcada. Articula-se com a chanfradura troclear do cúbito.

  • o capítulo é mais lateral e arredondada. Articula-se com a cabeça do rádio.

  • a fossa coronóide situa-se acima da tróclea anteriormente e a fossa olecraniana posteriormente.

  • a fossa radial é mais posterior e situa-se acima do capítulo.

- o epicôndilo medial aponta +/- para a mesma direcção da cabeça do úmero, é rugosa anteriormente e dá origem aos músculos flexores do antebraço.


- o epicôndilo lateral dá origem aos músculos supinador, extensores do antebraço e ancónio.
COTOVELO E ANTEBRAÇO
As estruturas envolvidas na articulação do cotovelo são:

  • A extremidade distal do úmero (já foi referido)

  • A extremidade proximal do rádio (*7)

  • A extremidade proximal do cúbito (*9)


RÁDIO
- É o mais curto e mais lateral dos 2 ossos do antebraço.
(*7) Extremidade proximal do rádio
- a cabeça na sua parte proximal é côncava e articular-se com o capítulo do úmero. É mais larga medialmente em termos de área articular onde se articula com o cúbito.
- a tuberosidade do rádio está localizada anteromedialmente, imediatamente distal ao colo, que separa a extremidade superior do corpo.
Corpo
Anterior Anterior

Faces Posterior 3 bordos Posterior

Lateral Interósseo (*8)
(*8) Bordo interósseo: dá inserção à membrana interóssea.
Extremidade distal do rádio
- é dilatada

Medial - incisura cubital do rádio (côncava e os bordos inferiores dão inserção ao disco).

- Faces Lateral – apófise estilóide



Anterior (é lisa)

Dorsal (é convexa) – tubérculo dorsal
CÚBITO
- É o mais longo e mais medial dos 2 ossos do antebraço. Articula-se com o úmero em cima, com o disco articular em baixo e com o rádio lateralmente.
(*9) Extremidade proximal do cúbito
- a extremidade proximal inclui o olecrânio, a apófise coronóide, incisura troclear e incisura radial.

  • olecrâneo: é a projecção para trás do cotovelo. A face posterior é lisa. A face anterior, que forma a parte superior da incisura troclear está separada da parte inferior da incisura por uma crista ou sulco transverso. Uma crista longitudinal divide a incisura troclear em partes medial e lateral que se articula com as partes correspondentes da tróclea e do úmero.




  • Apófise coracóide: projecta-se anteriormente e aloja-se na fossa coronóide do úmero quando o antebraço está flectido. A sua superfície superior forma a parte inferior da incisura troclear. A tuberosidade do cúbito é uma área rugosa na superfície anterior da apófise coronóide (onde está a área para a inserção do músculo braquial),

A incisura radial é uma superfície articular na face lateral da apófise coronóide que articula com a cabeça do rádio.
Corpo

Anterior Anterior

Faces Posterior 3 bordos Posterior

Medial Interósseo

Extremidade distal do cúbito
- Inclui a cabeça do cúbito com a sua apófise estilóide.


  • Apófise estilóide: é pequena e cónica, medial e posterior ao resto da cabeça, da qual está separada por um sulco onde está inserido o disco articular (*10).



(*10) Disco articular: separa o cúbito dos ossos do carpo e a face inferior da cabeça está articulada a ele.
NOTA: A cabeça pode ser facilmente vista e sentida no antebraço em pronação, mas é mascarada pelo rádio em supinação.

PUNHO E MÃO


As estruturas envolvidas na articulação do punho ou articulação radiocarpiana são:

  • A extremidade distal do rádio (já foi referido).

  • Os ossos da fila proximal do carpo.


Carpo

- são 8 ossos divididos em 2 filas, proximal e distal.

- são ossos curtos

- o carpo é um local de transferência de forças


- Fila proximal: (no sentido lateral para medial)

  • Escafóide: forma de barco porque não é estável.

  • Semilunar: face articular em forma de meia-lua.

  • Piramidal: tem uma faceta articular muito redonda mas tem outras de outras formas.

  • Pisiforme: só tem uma faceta articular (redonda).

- Fila distal: (no sentido lateral para medial)



  • Trapézio: tem um sulco muito marcado.

  • Trapezóide: tem forma de botinha.

  • Grande osso: é o maior tem uma cabeça arredondada.

  • Unciforme ou Ganchoso: tem uma apófise em forma de gancho.

NOTA: O escafóide e o trapézio juntos formam a tabaqueira anatómica.
Mão

Os ossos da mão são:

- 5 Metacarpos:


  • Ossos longos (2 epífises e 1 diáfise)

  • Epífise proximal (base do metacarpo – entra na articulação carpometacarpiana)

  • Epífise distal (zona da cabeça dos metacarpos – entra na articulação metacarpofalangiana, articulando com a falange proximal respectiva)

  • Apresentam uma superfície articular redonda

- Ossos sesamóides:

  • Orientam tendões

- 14 Falanges:

  • Constituem os ossos dos dedos

  • Os dedos apresentam 3 falanges (proximal, média e distal)

Falange Proximal: na sua base apresenta uma única superfície articular côncava para articular com a cabeça do metacarpo.

Falange intermédia: na cabeça é igual à proximal. Na base apresenta duas superfícies articulares separadas por uma crista.

Falange distal: mais pequena, a sua extremidade é formada por uma tuberosidade (superfície rugosa na cabeça).

  • O polegar apresenta apenas 2 falanges (proximal e distal)



Ossos do Membro Inferior
O membro inferior está adaptado para…

- Sustentação do peso

- Locomoção

- Manutenção da posição bípede


ANCA E COXA
OSSO COXAL (ou osso ilíaco)
-São 2

- Unem o sacro ao fémur

- Formam a conexão óssea entre o tronco e o membro inferior

- Formam as paredes anterior e lateral da pélvis óssea

- Cada osso coxal é constituído por três ossos fusionados ao nível do acetábulo (*14):


  • Ílio (*11) (forma quase 2/5 do acetábulo)

  • Ísquio (*12) (forma um pouco mais de 2/5 do acetábulo)

  • Púbis (*13) (forma cerca de 1/5 do acetábulo)


Cintura pélvica

- Os 2 ossos coxais são o componente apendicular e o sacro é o componente axial.

- Tem como principais funções:



  • Suporte e protecção dos órgãos pélvicos

  • Suporte do peso corporal

  • Actua na locomoção

  • Dá fixação aos músculos

  • Transmite o peso da coluna vertebral para os membros inferiores


(*14) ACETÁBULO

- Está orientado lateralmente, anteriormente e inferiormente. É uma grande cavidade do lado externo do osso coxal que vai articular com a cabeça do fémur

- A região inferior é aberta – incisura acetabular



- A depressão áspera no assoalho do acetábulo, em cima da incisura, é a fossa acetabular.

- O restante do acetábulo, a faceta semi-lunar, é liso e articula-se com a cabeça do fémur.

- É na região lateral que os 3 ossos (ílio, ísquio e púbis) se unem para formar um único osso.

- O acetábulo é criado por um conjunto de 5 partes:

2 ligadas ao ílio

2 ligadas ao ísquio

1 ligada ao púbis
BURACO OBTURADOR

- O buraco obturador é limitado pelo púbis e pelo ísquio e os seus respectivos ramos.

- Este buraco é fechado, excepto no sulco obturador, por uma membrana obturadora delgada e forte que está fixa às margens do buraco.


(*11) ÍLIO

- Corresponde à porção póstero-superior do osso coxal

- Apresenta um corpo e uma asa separados pela linha áspera

- O corpo do ílio articula-se com o ísquio e com o púbis. Posteriormente, estende-se, das margens do acetábulo, uma linha ténue que marca a fusão do ílio com o ísquio. A eminência iliopúbica marca a fusão do ílio com o púbis.

- A asa no seu limite superior tem a crista ilíaca que está limitada:

Antero - superiormente pela EIAS

Póstero – superiormente pela EIPS

Antero – inferiormente pela EIAI

Póstero – inferiormente pela EIPI



NOTA: EIAS – espinha ilíaca ântero-superior.
- Na asa antero-lateralmente encontra-se a fossa ilíaca que posteriormente tem a faceta auricular (tem a forma de orelha).

- Existem ainda três linhas glúteas que se dirigem para a incisura isquiática maior:



Posterior – à frente (1cm) da EIPS

Anterior – atrás (4cm) da EIAS

Inferior – acima da EIAS
(*12) ISQUIO

- Corresponde à porção postero-inferior do osso coxal

- Apresenta um corpo (mais superior) e um ramo (mais inferior)

- O corpo tem a extremidade superior e a extremidade inferior. A extremidade superior funde-se com o púbis e o ílio formando parte do acetábulo. A extremidade inferior livre e a porção inferior áspera da face dorsal formam a tuberosidade isquiática.

- O ramo projecta-se da extremidade inferior e funde-se como ramo inferior do púbis, abaixo do buraco obturador.

- No corpo encontra-se a espinha isquiática. Entre esta e a EIPI está a incisura isquiática maior, abaixo da qual, o bordo é marcado por uma espinha isquiática triangular e aguçada. A incisura isquiática menor é arredondada no bordo posterior, entre a espinha e a tuberosidade.
NOTA: No sentido superior – inferior temos:

Incisura isquiática maior

Espinha isquiática

Incisura isquiática menor

Tuberosidade isquiática
(*13) PÚBIS

- Corresponde à porção anterior do osso coxal

- É dividido num corpo e 2 ramos, o superior e o inferior.

- O corpo é uma larga porção de osso comprimida que se encontra medial aos 2 ramos. Une-se ao corpo do púbis do lado oposto no plano mediano para formar a sínfise púbica. O bordo anterior do corpo é áspero e é a crista púbica. A porção lateral inferior é o proeminente tubérculo púbico.

- O ramo superior estende-se para cima, para trás e lateralmente ao acetábulo, onde se funde com o ílio e com o ísquio.

- O ramo inferior é uma barra curta que se estende do corpo do púbis para trás, para baixo e lateralmente. Este funde-se com o ramo do ísquio.
FÉMUR
-É o osso mais longo e mais pesado do corpo

- Apresenta um corpo (ou diáfise) e duas extremidades, superior e inferior


Uma cabeça

- Extremidade superior Um colo



(*15) Dois trocanteres (maior e menor)
Côndilo medial

-Extremidade inferior

(*16) Côndilo lateral
NOTA: O lado ao qual pertence o fémur pode ser determinado quando a cabeça se volta para cima e medialmente, e a convexidade do corpo se volta para a frente.
(*15) Extremidade superior (proximal)

- Participa na articulação coxo-femural

- A cabeça do fémur é arredondada, forma cerca de 2/3 de uma esfera e volta-se para cima, medialmente e um pouco para a frente.

- A faceta da cabeça do fémur (ou fóvea) é uma depressão à qual está preso o ligamento da cabeça do fémur. Esta localiza-se um pouco atrás e abaixo do centro da cabeça.

- O colo é uma grossa barra de osso, um tanto rectangular em secção transversal, que une a cabeça ao corpo na região dos trocanteres. O colo, excepto na região anterior, é separado da cabeça por um bordo aguçado. Anteriormente o colo e o corpo estão separados pela linha intertrocantérica. Atrás o colo é liso sendo cerca de 2/5 dele intracapsulares.

- O trocanter maior, colocado lateralmente, projecta-se por cima da junção do corpo ao colo. Apresenta as faces medial e lateral, e as margens superior, anterior e posterior. A margem posterior continua em baixo com a crista intertrocantérica, que termina no trocanter menor. A face medial apresenta uma depressão áspera, a fossa trocantérica. A crista intertrocantérica une os 2 trocanteres posteriormente.

- O trocanter menor é arredondado, cónico e estende-se medialmente da porção póstero-medial da junção do corpo ao colo.


Corpo do fémur

Anterior Medial

- Faces Medial - Bordos

Lateral Lateral

- As faces anterior, medial e lateral encontra-se na porção média, além disso o corpo apresenta uma face posterior nas suas porções superior e inferior.

- Os bordos medial e lateral são pouco definidos, mas no terço médio o corpo possui um proeminente bordo posterior, a linha áspera. Esta apresenta os lábios medial e lateral. O lábio lateral é contínuo, em cima, com a tuberosidade glútea. A linha pectínea estende-se do dorso do trocanter menor até à linha áspera.
(*16) Extremidade inferior (distal)

- É constituída por 2 côndilos recurvados em espiral que são contínuos à frente mas separados, atrás e em baixo, pela fossa intercondiliana.

- Anteriormente os côndilos formam a superfície rotuliana, que é dividida em duas partes desiguais. A parte lateral é mais ampla e estende-se mais proximalmente, articulando-se com a faceta articular lateral da rótula. A parte medial é mais estreita e articula-se com a faceta articular medial da rótula.

- A face inferior do côndilo lateral é ampla e plana, a do côndilo medial é estreita e curva.

- A face posterior do côndilo medial é mais larga e mais plana do que a do lateral. As faces posteriores de ambos articulam-se com a tíbia apenas durante a flexão.

- A face medial do côndilo medial é áspera e convexa. A sua porção mais proeminente é o epicôndilo medial.

- O epicôndilo lateral é menor que o medial e é uma proeminência na face lateral do côndilo lateral.



RÓTULA
- É o maior osso sesamóide e tem cerca de 5cm de diâmetro.

- Está inserida no tendão de inserção do músculo quadricípite.

- Tem forma de pirâmide.
Anterior Superior

- Faces - Bordos Medial

Articular Lateral
- Ápice
- A face anterior é convexa de lado a lado e de cima para baixo.

- O bordo superior ou base inclina-se para baixo e para a frente. Os bordos medial e lateral convergem para o ápice.



- O ápice está voltado anteriormente e inferiormente.

JOELHO E PERNA


- Os joelhos aproximam-se da linha mediana de modo a centralizar a massa corporal e assim reforçar o equilíbrio.

- Os ossos da perna estão muito unidos com perda de rotação do perónio (facto importante na sustentação de peso)

- A transferência de peso faz-se para a tíbia visto que esta é mais volumosa, o perónio da apenas sustentação.
TÍBIA
- É, a seguir ao fémur o osso mais longo e mais pesado do corpo.

- Está localizada anteriormente e medialmente na perna.

- Apresenta um corpo e duas extremidades, superior e inferior.
Extremidade superior (proximal)

- É larga

- A sua superfície superior participa na articulação do joelho

- Apresenta:

1   2   3   4   5


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal