Saiba por que o mau hálito varia de pessoa para pessoa



Baixar 68.01 Kb.
Encontro21.10.2017
Tamanho68.01 Kb.

DENTES – HÁLITO - CLAREAMENTO

O tipo de cheiro e a intensidade com que está sendo exalado variam e podem ser classificados em uma escala para tornar seu tratamento mais fácil.


Segundo Ana Cristina Zanchet Gomes, periodontista e especialista no diagnóstico e tratamento da halitose, da clínica Hálito Curitiba, existem duas formas de classificar o hálito de uma pessoa: segundo a escala da distância e segundo os resultados dos aparelhos que medem o enxofre presente na boca do paciente.   

De acordo com a escala da distância (chamada de organoléptica), os índices vão de 0 a 4.

Essa medição, certificada por estudos científicos, é feita pela capacidade de percepção olfativa da equipe que está fazendo o exame e é classificada da seguinte forma:

0 = ausência de mau hálito


1 = odor natural de boca (não é considerado mau hálito)
2 = halitose da intimidade (sente-se leve odor a distância de 15 cm)
3 = halitose do interlocutor (sente-se o mau hálito ao conversar a distância de 50 cm)
4 = halitose social (sente-se o mau hálito a distância de 1 ou mais metros)  

Já os medidores de enxofre, como o Oralchroma, por exemplo, têm uma escala que vai de 1 a 7. “Pacientes com grau 1 são considerados com o hálito normal e pacientes com grau 7 possuem um altíssimo nível de gases presentes, o que indica que, além do problema bucal, ele tem outros problemas sistêmicos”, diz Alênio Calil, diretor da CETH (Centro de Excelência no Tratamento da Halitose)



O tipo do cheiro também pode variar
O cheiro que é exalado da boca do paciente também pode variar de pessoa para pessoa, isso porque existem mais de 60 fatores causadores do mau hálito.

Um ótimo exemplo é a halitose causada pelo uso de alguns antibióticos, sulfas e vitaminas do complexo B.

“Esse tipo de mau hálito causa um odor do próprio medicamento e/ou seus metabólicos”, diz Ana Cristina.

Quando a pessoa está com diarreia ou gastroenterites também pode ter mau hálito.

“Nesses casos, por causa da diarreia, a boca perde muita água facilitando a formação da saburra lingual, causando também um cheiro de esgoto na boca”, diz a especialista. 

Quem tem mau hálito por causa da diabetes, por exemplo, costuma apresentar um cheiro cetônico (mais ácido, semelhante ao cheiro de maçã velha).

Mas esse efeito na boca causa um desequilíbrio hídrico, ocasionando a diminuição do fluxo salivar e consequentemente, a saburra, que como já foi falado, tem cheiro de esgoto.

“Observa-se que, geralmente os fatores vêm juntos e os cheiros também ficam misturados e no final de tudo é cheiro ruim de qualquer jeito”, diz Ana Cristina. 

Essas variações acontecem porque em cada pessoa a halitose se manifesta de uma forma.

As causas podem ser por fatores diferentes, que exalam gases e cheiros diferentes, provenientes, às vezes, de partes do corpo diferentes.

“A halitose é manifestada pela somatória de alguns ou vários fatores causadores e/ou potencializadores do mau hálito.

De forma simples, podemos raciocinar que quanto mais desses fatores o portador tiver, maior o nível de halitose.

É o somatório (em geral) que faz o mau hálito ficar pior”, diz Ana Cristina. 

Cinco especialistas dão dicas de ouro contra mau hálito

Drogas, dormir de boca aberta e remédios para acne: saiba, segundo especialistas, como é possível evitar o mau hálito com dicas que você nem imaginava


Quem sofre com o mau hálito ou morre de medo de ter esse problema deve manter uma higienização bucal correta e frequente, além de visitar o dentista pelo menos duas vezes por ano.

Mas será que não há mais que possa ser feito ou mudado para evitar esse mal?

Claro que há. E para dar algumas dicas de ouro que podem salvar seu hálito, o Terra juntou cinco profissionais da odontologia especialistas no diagnóstico e no tratamento da halitose. 

Jacqueline x Saburra
Segundo Jacqueline Chaves Duarte, membro da Associação Brasileira de Odontologia e da ISBOR (International Society of Breath Odor Research), a saburra lingual (camada esbranquiçada que se fixa no fundo da língua) é uma das principais causas do mau hálito e, por isso, deve ser combatida. 

Para ela, não basta fazer uma escovação usando somente a escova de dente e o fio dental.

“Os raspadores linguais devem ser usados diariamente”, diz a especialista.

Eles eliminam as bactérias que causam o mau hálito e retiram os restos de comida que ficam depositados no fundo da língua.

E, para ajudar nessa higienização, Jacqueline indica beber pelo menos dois litros de água por dia para incentivar a produção de saliva, a “enxaguante natural” da boca. 

Ana Cristina x Maconha
“Drogas como a maconha ou a cocaína atuam no sistema nervoso diminuindo a ação do neurotransmissor que é responsável pelas secreções, entre elas, as glândulas salivares. Isso explica a “boca seca” após o uso dessas drogas”, diz Ana Cristina Zanchet, dentista responsável pela Clínica Hálito Curitiba. 

A boca seca permite que o ambiente bucal se torne mais agradável para as bactérias que produzem os compostos mau cheirosos e ainda causa a descamação da mucosa, contribuindo para a formação da saburra lingual.

“E se você consumir maconha e álcool juntos, terá uma redução expressiva da produção de saliva e assim, condições ainda maiores para alterar seu hálito”, diz Ana Cristina.

Olinda x Dormir de boca aberta
Segundo Olinda Tarzia, presidente da SOBREHALI (Sociedade Brasileira de Estudos da Halitose), dormir de boca aberta causa um grande ressecamento da boca, facilitando sua descamação.

“Para combater esse problema lubrifique a mucosa bucal e a língua com lubrificantes próprios ou, na pior das hipóteses, até mesmo com manteiga antes de se deitar”, diz a especialista. 

Umas das causas de se dormir de boca aberta são problemas na respiração ou algum corrimento nasal (normalmente alérgicos). “Nesses casos, é indicado procurar um otorrino para corrigir a respiração e usar soro fisiológico na forma de spray nasal ao acordar e ao se deitar”, diz Olinda. 

Ana Kolbe x Estresse
Com o aumento e a permanência de um nível alto de estresse na vida das pessoas, as glândulas supra-renais (que regulam o metabolismo da água e as reações do corpo humano ao estresse) liberam em grande quantidade hormônios como o da adrenalina e o cortisol, que deveriam ser produzidos apenas esporadicamente.

“Essa produção contínua provoca a inibição do funcionamento das glândulas salivares e a saliva passa a se apresentar em menor volume e com uma quantidade deficiente, ou seja, viscosa e pegajosa.

Assim, sem nosso ‘detergente bucal’ em sua melhor forma, acumulamos mais quantidade de saburra lingual”, diz Ana Kolbe, fundadora e presidente da Associação Baiana de Estudos e Pesquisas dos Odores da Boca (ABPO-BA).

Por isso, manter hábitos saudáveis como a prática de esportes e caminhadas e otimizar seu tempo para que ele não seja gasto inteiramente com trabalho e trânsito, podem mudar a qualidade da sua vida e do seu hálito. 



Fernanda Wakai x Roacutan (isotretinoína)
Esse remédio é muito conhecido entre as pessoas (principalmente entre jovens de 13 a 19 anos) que sofrem com acnes agressivas, pois, há alguns anos, ele vem sendo o que há de mais eficiente no combate a esse tipo de problema. 

Porém, quem usou ou já ouviu falar do Roacutan, sabe que o medicamento tem contra-indicações e possíveis efeitos colaterais. Esse remédio, feito à base de isotretinoína, resseca a pele, lábios e mucosa (do nariz e da boca), alterando o fluxo salivar e facilitando a descamação da parte interna da boca. 

“Com a quantidade de saliva reduzida e essa descamação (em que os resíduos acabam sendo depositados no fundo da língua) o ambiente fica propício para formação da saburra lingual.

O uso prolongado desse remédio (que normalmente acontece) causa uma halitose bastante perceptível”, diz Fernanda Wakai, cirurgiã-dentista, especialista no diagnóstico e tratamento da Halitose. 

Portanto, quem o usa deve reforçar a higienização bucal e o consumo de água para manter o fluxo salivar sempre na medida e inibir a formação da saburra. 

Suplementos de proteína podem causar mau hálito

Em busca da boa forma, muitos atletas consomem sem controle suplementos vitamínicos que podem causar saburra lingual e halitose


O verão está aí e a preocupação com o corpo já está a todo vapor. Mas é bom tomar cuidado com o tipo de produto que será usado para ajudar a chegar ao objetivo desejado, pois alguns suplementos de proteína podem causar mau hálito.  

Um dos motivos que levam uma pessoa a desenvolver a halitose de uma forma geral é a presença de bactérias anaeróbicas na boca (que se acumulam principalmente por causa da diminuição da saliva e da falta de higiene bucal).

Essas bactérias se alimentam, entre outras coisas, de muita proteína. 

“O suplemento é um alimento muito rico em proteína e, quando consumido em excesso, pode causar mau hálito, pois as bactérias que se alimentam dessas proteínas liberam os CSV (Compostos Sulfurados Voláteis) que são os gases do mau hálito”, diz Jacqueline Chaves Duarte, dentista responsável pela clínica Hálito Puro e membro da ISBOR (International Society of Breath Odor Research). 

Com o consumo constante desse tipo de suplemento, como fazem muitos atletas, as bactérias se proliferam com mais facilidade e rapidez, pois encontram na boca bastante alimento para isso.

A junção desses microorganismos com os restos de comida contribuem para a formação da saburra lingual (placa esbranquiçada que se forma no fundo da língua), uma das principais causas do mau hálito. 

“Quem faz o consumo desses suplementos com frequência deve beber pelo menos dois litros de água por dia e fazer uso diário do raspador de língua”, diz a especialista. 

Dietas
E se o problema é o consumo excessivo de proteínas, o cuidado também deve acontecer com dietas alimentícias ricas dessa substância.

O consumo excessivo de carne, ovos, leites e derivados pode causar na boca o mesmo distúrbio que o suplemento causa. Portanto, uma dieta balanceada, com todos os tipos de alimentos e vitaminas é o mais indicado para a saúde do corpo e da boca. 



Suplementos termogênicos
Outros inimigos do hálito fresco são os suplementos termogênicos. Isso porque após o consumo dessas substâncias, que aumentam a temperatura do corpo, o organismo intensifica a produção de suor para reequilibrar a temperatura alterada. 

“O suor em excesso faz o atleta perder muitos sais minerais e água e isto pode causar desidratação e boca seca.

A boca ressecada começa a descamar e essa escama acaba se depositando na língua, contribuindo também para a formação da saburra lingual”, diz Jacqueline. 

Higienização é tudo
Como é possível perceber, apesar do consumo desses suplementos prejudicar a saúde da boca e o frescor do hálito, não há a necessidade de parar de ingeri-los.

Mantendo a saúde bucal correta e em dia (com o uso de fio dental e raspadores linguais), consumindo bastante água e fazendo uma dieta balanceada, qualquer inimigo da boca terá menos chance de se desenvolver.  


Aaiba se água oxigenada é uma aliada no combate à halitose

A água oxigenada volume 10 tem função oxidante, mas seu efeito é lento, o ideal é optar por enxaguantes bucais a base de dióxido de cloro.


Uma das principais causas do mau hálito, a saburra lingual é uma camada esbranquiçada que se fixa no fundo da língua e é formada por bactérias, restos de alimentos e descamação da mucosa.

Esses resíduos se acumulam nessa região porque ela é a parte mais seca da língua e a mais difícil de ser higienizada. Justamente por isso, muitas pessoas fazem bochechos com água oxigenada volume 10 para eliminá-la.

Mas será que isso funciona? 

Segundo Olinda Tarzia, diretora científica do CETH (Centro de Excelência no Tratamento da Halitose), essa tática era muito usada antigamente, quando não existiam muitos produtos que combatiam a saburra.

“A gente fazia bochechos com a mistura de uma colher de sopa de água oxigenada volume 10 e meio copo de água.

Mas esse é um tratamento lento.

A água oxigenada, como o dióxido de cloro, é um produto oxidante, mas de menor ação”, diz Olinda.   

Por isso, hoje em dia não há mais a necessidade de se usar essa mistura para evitar o mau hálito.

Enxaguantes bucais a base de dióxido de cloro são facilmente encontrados em farmácias e supermercados e têm uma função mais eficiente no combate à saburra lingual

Segredinho da especialista
Segundo Olinda, um dos segredos para evitar a saburra lingual é manter o fluxo salivar dentro do padrão.

Quando a boca fica seca, ela se torna mais suscetível ao aparecimento de bactérias, pois é a saliva que a mantêm úmida e mais “limpa”. “A saliva é o “nosso enxaguante natural” porque tem ação antimicrobiana nos defendendo da instalação de bactérias patogênicas na boca”, diz a especialista. 

Por isso, qualquer medida que incentive a produção de saliva é bem-vinda.

“Quando observamos um paciente com esse tipo de problema costumamos sugerir, antes de partir para a medicação, que ele mastigue goma de mascar três vezes ao dia durante 10 minutos.

Ou então, pingue algumas gotas de limão sobre a língua a cada duas horas”, diz Olinda. 

Lembrando que o limão é adstringente e bactericida, ou seja, ele ajuda a eliminar as bactérias presentes na boca e no sistema digestivo, combatendo o mau hálito. 


Dentista esclarece dez mitos e verdades sobre clareamento

A Dra. Ana Carolina Martinez explica o que é válido quando o assunto é clarear os dentes.


Apesar de tanta fama e uma procura exagerada pelo clareamento dentário, esse procedimento ainda gera muitas dúvidas.

Para ajudar a entender como ele funciona, se faz mal, quando é recomendado, entre outras coisas, a dentista Ana Carolina Martinez, da Sorridents, esclarece os dez maiores mitos e verdades na hora de branquear os dentes. 



Clareamento deixa os dentes sensíveis.
Parcialmente verdade.

Realmente alguns pacientes podem apresentar sensibilidade durante ou após o tratamento.

Às vezes a penetração do peróxido (um agente ativo do gel clareador) no tecido da polpa causa sua inflamação (a polpa é conhecida como “nervo” do dente).

Ou ainda pode ocorrer a desidratação do dente por conta da sua exposição a uma temperatura elevada durante um longo período (procedimento comum do clareamento). 



Cremes dentais funcionam como clareadores.
Mito.

Os cremes dentais branqueadores possuem muito pouca quantidade de agentes ativos do clareamento dental.

Mas, por serem abrasivos, removem manchas externas e dão a impressão de dentes mais brancos. 

Clareamento enfraquece o dente.
Mito.

O clareamento consiste em uma reação química.

O gel clareador age no pigmento que ocasiona o escurecimento dental. Esse processo não é abrasivo e não afeta a estrutura dos dentes. 

Durante o clareamento não pode ingerir bebidas e alimentos com corantes. 
Verdade.

Durante o tratamento clareador alguns alimentos, bebidas ou produtos devem ser evitados, pois podem interferir no resultado final do tratamento.

A durabilidade da cor alcançada com o clareamento será reduzida se o paciente consumir excessivamente algumas bebidas como café ou chá preto ou ainda fumar. 

Qualquer pessoa pode fazer clareamento.
Parcialmente verdade.

Existem alguns casos em que o tratamento não é indicado como: em mulheres grávidas, crianças menores de 15 anos com o esmalte ainda não completamente formado, pessoa com implante, pacientes que apresentam doença periodontal e muitas restaurações, alérgico aos componentes da fórmula e pacientes com retração gengival.  



Os dentes escurecem com o passar dos anos.
Verdade.

O efeito do clareamento dental tem duração variada, mas na maioria das vezes a cor “satisfatória” pode ficar de um a três anos. Pessoas com uma exposição alta a agentes cromogênicos como o café e chá, por exemplo, necessitam de um tratamento de reforço a cada seis meses.

Para pessoas que tem uma exposição menor às substâncias que causam manchas, esses retoques são menos frequentes. 

Clareamentos caseiros não funcionam.
Mito.

Não existem tratamentos mais ou menos eficazes.

Na verdade, todos os tipos de clareamento seguem o mesmo princípio: a ação de um gel (peróxido de hidrogênio ou carbamida) em diferentes concentrações, que libera oxigênio que altera a cor do dente, através da oxidação causada nos pigmentos amarelados da dentina.  

Qualquer pessoa pode ficar com os dentes brancos após um clareamento.
Parcialmente verdade.

Isso vai depender da resposta biológica da estrutura dental de cada pessoa. 



Receitas caseiras como bicarbonato de sódio, limão, água oxigenada e casca de laranja clareiam os dentes.
Mito.

Estes produtos citados não possuem o potencial clareador.

O bicarbonato de sódio é abrasivo e irá realizar apenas um polimento da superfície externa do dente (esmalte). 

Clareamento provoca câncer.
Mito.

Não há relatos nem evidências de que os agentes clareadores venham a provocar o câncer. 


Coroa ou implante? Saiba o que os famosos fazem nos dentes


Um sorriso mais bonito e branco aumenta a auto-estima e traz status profissional e social.

Segundo Ricardo Ladorucki, especialista em odontologia estética, da clínica Sorriso Digital, os tratamentos mais procurados pelas pessoas são os clareamentos caseiros e a laser, seguidos por restaurações estéticas de dentes anteriores e posteriores.

“E esses tratamentos são procurados tanto por mulheres como por homens.

Claro que as mulheres ainda são maioria, mas a procura por parte dos homens só tem aumentado”. 

Quando se trata de famosos, é fácil perceber quem, com o passar dos anos, recorreu a tratamentos estéticos para tornar seu sorriso mais bonito.

“Famosos como Zac Efron, Morgan Freman, Cristiano Ronaldo, Gusttavo Lima, todos claramente mudaram, e muito, os seus sorrisos em busca de uma imagem mais agradável ao público, até porque eles vivem disso”, disse o especialista. 

Dentes branquíssimos, perfeitamente alinhados para não ter vergonha na hora das fotos.

O sorriso perfeito das celebridades é sonho de consumo de muita gente.

Descubra com essa galeria que é possível conquistar um sorriso de dar inveja. Isso porque muitas das beldades que desfilam por aí também precisaram pedir uma forcinha para o dentista.

As mudanças
Analisando alguns famosos que fizeram uso das maravilhas da odontologia estética, Ricardo conseguiu pontuar quais os tratamentos cada celebridade fez. 

Zac Efron: fechamento de diastema (espaçamento entre os dentes) com resina composta usada em restauração.

“Essa escolha foi feita porque a única necessidade era de fechamento do espaço.

Desta forma, o tratamento é semelhante a uma restauração”, disse Ricardo. 

Morgan Freeman: coroas de porcelana.

“Esse tratamento é muito usado quando é preciso reconstruir uma área maior do dente.

Isso ocorre em pacientes com mais idade e coloração comprometida”.

Ronaldinho Gaúcho: facetas em porcelana, que são películas destinadas a recobrir os dentes para melhorar seu visual e função.

“Escolha feita principalmente pelo formato dos dentes.

As facetas conseguem alinhar principalmente em casos onde o aparelho não consegue corrigir totalmente”. 

Cristiano Ronaldo: implante do dente lateral superior direito e facetas em porcelana ou resina para corrigir o alinhamento. 

Tom Cruise: coroas em porcelana.

“Provavelmente os dentes estavam escurecidos por conta de tratamentos de canal realizados e estavam levemente quebrados. Por isso, a escolha da coroa foi a mais indicada”. 



Ronaldo: facetas de porcelana. “Escolha feita para fechar o diastema”.

Gusttavo Lima: clareamento.

O problema é que o cantor exagerou na dose.

“Esse caso vale para alertar a todos que buscam dentes mais brancos.

O clareamento é uma técnica que trouxe beleza para os dentes, mas é fundamental que seja bem orientada.

Além da aparência artificial, existe o risco de prejudicar a gengiva e causar sensibilidade momentânea”. 

Óleo de coco clareia dente? Entenda e opte ou não pelo uso

Apesar da grande repercussão de métodos caseiros para branquear os dentes, especialistas enfatizam que este tipo de produto pode prejudicar a saúde bucal


Sem grana para fazer tratamentos estéticos em consultórios?

Então conheça um truque caseiro bastante diferente que famosas como Gwyneth Paltrow e Shailene Woodley estão usando para clarear os dentes: o bochecho com óleo de coco.

Segundo as atrizes, fazer gargarejo por vinte minutos com óleo de coco diariamente deixa os dentes mais brancos e as gengivas mais fortes.

Porém, esse método, desenvolvido pela medicina ayurvédica, não é unanimidade entre os especialistas.

“O uso de substâncias não específicas para promover o clareamento pode gerar lesões na mucosa e sensibilidade nos dentes”, diz o cirurgião-dentista Alexandre Bussab.

Porém, a Ayurveda acredita que essa prática ajuda a promover a desintoxicação oral e contribui para a limpeza das vias respiratórias.

Além disso, existem estudos irlandeses que garantem que o óleo de coco ajuda a combater a bactéria Streptococcus que causa doenças como a cárie e abscessos dentários, além de evitar aftas.

Morango - Morangos in natura são um prato cheio para quem quer manter os dentes brancos.

A fruta contém ácido málico, um adstringente natural que ajuda a retirar manchas.

Além da vitamina C, que ajuda a combater o acúmulo de placa.


Saiba como não errar a mão no clareamento dentário


Dentes branquinhos são sonho de consumo de muita gente, mas exagerar na dose pode trazer o resultado inverso do esperado: virar piada.

Nem as celebridades escapam desse deslize e viram alvo de chacota. 

Para evitar erros no tom do clareamento, o cirurgião-dentista deve fazer um planejamento levando em consideração a resposta do dente e a tonalidade da pele do paciente.

O procedimento é realizado por sessões e dificilmente os dentes ficam tão brancos logo de cara.

Assim, é possível prevenir um ‘estrago’.

“O planejamento do tratamento é importantíssimo e deve ser seguido com rigor.

Por isso que é melhor evitar o uso indiscriminado de kits de farmácias ou lojas especializadas, o que não deixa de ser uma automedicação”, afirma a dentista. 

Segundo Flávia, o branqueamento, associado a uma boa higiene bucal, pode deixar os dentes claros por anos.

Mas se for o caso de manutenção, as sessões podem ser feitas semestralmente.

“Para ter um efeito mais prolongado, o ideal é evitar, durante e após o tratamento, alimentos com pigmentos escuros, como café, suco de uva, açaí, feijão preto e o fumo”.


Aprenda com famosos a não errar no clareamento


Tom certo
Há muitos fatores que influenciam a cor do dente, como idade, higiene oral, tratamentos dentários anteriores, genética e outros. Por isso não existe regras e sim bom senso no planejamento e tratamento.

Naturalmente, o dente tem um tom amarelado e isso permanecerá mesmo com o clareamento.

Quem quiser os dentes ainda mais brancos, pode optar por facetas, conhecidas como lentes de contato.

Funcionam como se fossem unhas postiças, com formato e cor que o paciente escolher junto ao dentista. 

“É bom sempre lembrar que o clareamento dental tem algumas contra-indicações: crianças, gestantes, pacientes com sensibilidade, exposição radicular, doenças periodontais e gengivais não controladas e próteses ou restaurações extensas (o clareamento só clareia dente natural)”, fiz Flávia. 

Cinco tipos de clareamento têm prós e contras; confira


As opções para deixar os dentes brancos crescem a cada dia.

Mas existem tratamentos recomendados e seguros que, além de clarear o sorriso, não agridem a saúde da boca

Tiras adesivas, pastas branqueadoras e até água oxigenada.

As opções para deixar os dentes brancos crescem a cada dia, mas existem os tratamentos recomendados e seguros que, além de clarear o sorriso, não agridem a saúde da boca.



Molde caseiro
No clareamento caseiro, o cirurgião-dentista produz moldeiras que são entregues ao paciente junto com seringas do gel clareador e instruções de uso. 
Vantagens: o clareamento é feito separadamente nos dentes de cima e nos de baixo. Pode ser usado em períodos de 30 minutos durante o dia ou à noite durante o sono, segundo as recomendações do dentista.
Desvantagens: “o dentista estabelecerá a frequência de retorno ao consultório para avaliação dos resultados, que em média são atingidos com duas semanas de clareamento para cada arcada”, afirma o cirurgião-dentista Felipe Arcas, consultor científico da Associação Brasileira de Odontologia (ABO).

Água oxigenada
A água oxigenada é o principal componente de tinturas de cabelos, cremes de clareamento de pelos, entre outros procedimentos para mudança de coloração. 
Vantagens: é um método barato e que pode ser feito em casa.
Desvantagens: segundo o dentista e especialista em estética bucal, Joel Mauri dos Santos, é prejudicial usar o peróxido de hidrogênio (principal componente da água oxigenada) sem indicação, pois o produto apresenta diferentes comportamentos de acordo com seu pH, diluições e concentrações.

Sua ingestão libera radicais oxidativos (radicais livres, que estão ligados ao envelhecimento dos tecidos).

“Os efeitos negativos podem ser diferentes de pessoa para pessoa, como corrosão ou dano aos dentes, gengiva ou corpo”, afirma Santos.

Enxaguante
São usados após a escovação para promover a limpeza e clareamento.

Na opinião de Felipe Arcas, os enxaguantes devem ser vistos como coadjuvantes na manutenção do efeito clareador.


Vantagens: pode ser usado diariamente.
Desvantagens: “alguns enxaguatórios têm em sua composição o peróxido de hidrogênio que realmente possui propriedades clareadoras, mas a baixa concentração deste composto e o reduzido tempo de contato com os dentes fazem com que seus resultados sejam muito lentos quando comparado com as técnicas profissionais”, diz Arcas. 

Tiras clareadoras
As tiras clareadoras dão resultados melhores, uma vez que permanecem mais tempo em contato com os dentes e apresentam maior concentração de agente clareador.
Vantagens: podem ser usadas para quem quer clarear poucos tons. São práticas e indolores
Desvantagens: podem causar sensibilidade nos dentes e até pequenas úlceras.

“A desvantagem também está no comprimento das tiras, que muitas vezes ficam restritas aos dentes anteriores”, diz Felipe.



Creme dental 
Os cremes dentais removem manchas superficiais, o que ajuda na manutenção da cor natural ou dos resultados conseguidos com clareamento profissional. 
Vantagens: faz parte da higiene diária e o custo é baixo.
Desvantagens: “como são produtos que funcionam realizando abrasão na superfície dental, seu uso deve ser intercalado com pastas de menor abrasividade”.


Compartilhe com seus amigos:


©aneste.org 2020
enviar mensagem

    Página principal
Universidade federal
Prefeitura municipal
santa catarina
universidade federal
terapia intensiva
Excelentíssimo senhor
minas gerais
Universidade estadual
união acórdãos
prefeitura municipal
pregão presencial
reunião ordinária
educaçÃo universidade
público federal
outras providências
ensino superior
ensino fundamental
federal rural
Palavras chave
Colégio pedro
ministério público
senhor doutor
Dispõe sobre
Serviço público
Ministério público
língua portuguesa
Relatório técnico
conselho nacional
técnico científico
Concurso público
educaçÃo física
pregão eletrônico
consentimento informado
recursos humanos
ensino médio
concurso público
Curriculum vitae
Atividade física
sujeito passivo
ciências biológicas
científico período
Sociedade brasileira
desenvolvimento rural
catarina centro
física adaptada
Conselho nacional
espírito santo
direitos humanos
Memorial descritivo
conselho municipal
campina grande