Só hoje resolvi sentar para escrever o que se passou comigo nesses 976 dias no cárcere



Baixar 4.11 Mb.
Página5/8
Encontro08.10.2019
Tamanho4.11 Mb.
1   2   3   4   5   6   7   8

2008

73201JAN08, terça-feira.


“O melhor modo de extinguir o mito é obrigá-lo a viver. A verdadeira vingança será vê-lo execrado e perseguido longe do poder, como uma besta acuada. Assim são aniquilados os opressores.”

(Jô Soares)


Eu não estou feliz e penso na minha família como nunca antes. O que fazem eles agora? Sentirão minha falta ou não? O que será que eles têm como alimento pro almoço de hoje?

A Revista veja de 26DEZ07, na página 55, traz uma reportagem do caso do garoto de Bauru. Um comentário inteligente e contundente do escritor André Petry condenando a atitude dos policiais e transformando o garoto num “anjinho”. De fato, era um marginal que deveria ser entregue à Justiça e não morto de uma maneira tão cruel e desumana. Mas o Estado é culpado por seus homens medíocres e despreparados. Li o artigo e enviei uma carta ao escritor dizendo o que achei do seu discurso em defesa da vida. Sei que ele não me responderá.


73302JAN08, quarta-feira.
“Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.”

(Getúlio Vargas)

Choveu, após muitos dias de calor intenso; uma modesta chuvinha, mas o suficiente para refrescar um pouco.

É desagradável ter que conversar com o Edinan depois de tudo o que ele me fez, mas ele não é o pior dos muitos que aqui habitam; voltei a falar com ele, mas sempre com ressalvas. E ele se queixou que foi demitido do seu atual trabalho.

O Roger é mesmo um merda no xadrez, pois não consegue me derrotar. Justo eu que não consigo ganhar de quase ninguém.
73403JAN08, quinta-feira.
“Une compagnie formée exclusivement de grands hommes serait peu nombreuse et triste. Les grands hommes ne peuvent se souffrir les uns les autres et ils n’ont guère d’esprit. Il est bon de les mêler aux autres.”

(Anatole France)


A alegria de hoje foi ter visto a minha idolatrada Dilaine que retornou das suas merecidas férias. Que o Davi dela me perdoe, mas eu a acho linda em todos os aspectos; e tenho dito! Sou apaixonado pelo jeito gostoso dela andar e sorrir, de se produzir e de ser gentil comigo. Que Deus esteja sempre com ela; “Divina Mulher”! Será que eu estou amando no cárcere? Tomara que o marido dela não seja ciumento.

E por falar em romantismo, o “Zé” me deu uma triste notícia sobre sua ex-amante. Contou-me ele que soube recentemente através de uma carta de um amigo dele que ela faleceu em setembro passado, na última semana do mês. O fato se confirmou mais tarde através de uma visita sua. Só então ele me contou que sempre lhe escrevera cartas de amor, mas sem nunca dizer que estava preso, ainda que suspeitasse que ela soubesse. As más línguas estão sempre prontas pra isso. Não que ele tivesse vergonha de estar preso, mas só queria poupá-la porque acreditava que ela o amava tanto quanto ele. “Mia dolce Italiana è morta”; e chorou nos meus ombros. “La mia Galeazzi; ma petite fleur; mia dolce signorina; madame Butterfly; minha loirinha; etc.” Ah! Davi! Como sofro! Chorei com ele!


73504JAN08, sexta-feira.
È finita la commedia”

(Zé)
Um dia nublado, bem típico da capital paulistana, tão sombrio quanto o coração do Zé e o meu.

Pedi para vários colegas que me trouxessem selos de carta quando retornassem à prisão após o indulto de Natal, mas só o “Tio Chico” (Dionísio) se lembrou de mim e me trouxe 90 selos de um centavo.
73605JAN08, sábado.
“Sinto-me pequeno beija-flor à sombra das colossais asas da Águia de Haia.” (Ao se comparar a Rui Barbosa)
(Jô Soares)
Tamanha é a vontade de relatar tudo o que vejo e ouço que às vezes eu acabo me perdendo em meio a um montão de anotações que precisam ser selecionadas e organizadas. Tudo pra dizer que esses dias vieram ao PMRG (Presídio Militar Romão Gomes) uma comissão para apurar o crime de Bauru no qual figuram o Roger e mais cinco policiais. Estavam presentes uns Delegados de Polícia de Bauru, uma Deputada Federal, Heloísa Pietá do PT, representantes dos Direitos Humanos e da OAB de São Paulo para ouvir os PMs sobre o brutal assassinato do garotinho em Bauru. Foi um dia inteirinho de interrogatório dos seis policiais envolvidos na tragédia que abalou a sociedade brasileira.

Após tudo isso, o Roger veio orar comigo no espaço ecumênico e ele me parecia muito entristecido. Lemos o capítulo três do livro do Rei Salomão; Eclesiastes e o capítulo 13 da primeira carta de são Paulo aos Coríntios.

Recebi uma carta do meu amigo Sandro me falando do passeio que fez com sua esposa Amélia por ocasião do aniversário dela; eles foram até Sandovalina onde ela tem parentesco e me falou de seus projetos para o futuro. Como é bom ter projetos! O meu único projeto agora é sair daqui!
73706JAN08, domingo.
“O outro veneno é mais virulento ainda: chama-se inveja. Mora na estante dos herbanários da alma.”

(Jô Soares)


Consegui uma segunda lista com o nome de todos os atuais presos com a data de hoje. Agora os conheço por nome e sobrenome e número e já colei no meu diário. A lista é por ordem alfabética e vai de Abner Antônio Pereira Nunes até Wilson Soares dos Santos Maciel, o “Chico Bento”.
73807JAN08, segunda-feira.
“A alma é tocada pela beleza e pelo sofrimento.”

(John Ortberg)


O Roger leu este autor e me emprestou o livro dele que se intitula: Deus está mais perto do que você pensa. É um pastor da Igreja Presbiteriana na Califórnia – EUA. Ainda vive e nasceu em 1957 em Illinois.

Faz um dia lindo, mas a tristeza insiste em habitar o meu peito. Nada é legal na prisão, nem mesmo a legalidade ou a ilegalidade. Aqui nós não temos direitos, aliás, o que se comenta é que nosso único direito é o de não ter direitos. É a mais pura verdade! Se você mostrar que conhece os seus direitos e deseja lutar por eles, vai lhe acontecer o mesmo que aconteceu com o colega Belarmino que é advogado e muito entendido das leis. Ele teve os melhores professores no seu Curso de Direito e os militares por não saberem argumentar com ele, usaram a força bruta e a “autoridade” que lhes é conferida por este Estado insano e o jogaram numa prisão comum. Um homem com um grande potencial intelectual que é jogado no lixo e que poderia ser aproveitado pelo Estado que o formou na Academia do Barro Branco que é considerada a melhor do país. Pobre Estado! Pobre PM! Grande e rico amigo Rodrigo Belarmino!

Confessei meu “amor” à Dilaine. E que fique bem claro que disse a ela a minha profunda admiração e respeito que tenho por ela. Nada mais. Ela me retribuiu dizendo que sou gentil e educado. Eu preferia um beijo.
73908JAN08, terça-feira.
“A questão é: Um ser humano pode apegar-se a Deus diante do sofrimento? Afinal, o sofrimento é o teste do amor.”

(John Ortberg)


Acordei pensando nos sonhos que tive e fiquei tentando interpretá-los como se eu fosse algum profeta ou coisa parecida. Não os compreendo nunca. Eles me atormentam!

Três colegas desceram pra subseção porque dormiram em alojamentos que não era o deles; o Honório, o Quirino e o Feitosa. Alguém os delatou, mas dizem que o Honório vai subir e os outros ficarão porque ele não tem culpa de não ter visto os dois colegas dormindo no alojamento onde ele é o mais antigo. Quanta bobeira por nada! E eu soube que o Di Lúcia virá morar no alojamento quatro onde estou. E qual a explicação? Nenhuma. Aqui somos nada, ninguém, merdas, etc. fazem o que querem conosco a qualquer momento e nada podemos dizer.

Sinto saudades da Inês, disse o Zé. Eu também.
74009JAN08, quarta-feira.
“Ninguém escreve um livro intitulado Onde está Deus quando tudo está bem. Ninguém ganha na loteria e clama: Por que eu ó Deus?”

(John Ortberg)


Recebi a visita do Dr. Dejair da Associação querendo saber a razão da minha desistência de ser associado e eu fui curto e breve; não acredito no trabalho de vocês e não vou pagar pra continuar preso. É só isso e minha decisão é irrevogável. Daqui uma semana eu terei minha resposta da desfiliação, ele me disse e se foi. Graças a Deus.

De tanto eu falar bem da comida, parece que agora passaremos por um período de recessão. É preciso um ajuste nas finanças, ouvi dizer.


74110JAN08, quinta-feira.
“Há anos eu ajudei a realizar uma pesquisa que perguntava às pessoas o que mais havia contribuído para o crescimento espiritual delas. A resposta número um foi o sofrimento.”

(John Ortberg)


Conversei com o Cabo Adilson e falei a ele que fiquei chateado por ele ter sido o responsável pela descida dos colegas. Disse a ele que poderia ter sido resolvido de outra forma, mas ele disse que a disciplina precisa ser mantida a todo custo e que eles falavam demais. Disse-me: “Aqui as paredes têm ouvidos” Não é bom falar demais Davi, aprenda isso. As palavras de ordem são: “sim senhor e não senhor.” Aqui é uma prisão e nada mais disse. Gosto dele, apesar de sua seriedade, pois ele sempre foi justo e educado, o que é raro entre militares.
74211JAN08, sexta-feira.
“O momento mais importante da sua vida é agora. Não porque ela seja agradável, feliz ou fácil. Cada instante que se foi é irrecuperavelmente passado. Nunca mais volta. Se você vive lá, perde sua vida.”

(John Ortberg)


Fiz um poema pra “ela”, mas não revelarei ao leitor; é segredo de túmulo. Ela disse ter amado. Isso me agradou.

Mas nesta manhã que me parecia a menos infeliz de todas, fui surpreendido com a notícia da morte da minha irmã Matilde. Ela nos deixou com apenas 54 anos de vida e eu chorei porque eu a amava muito, apesar de nossas brigas, Que me perdoe a Marcília, mas a Matilde sempre foi minha irmã de verdade; a preferida. Ela me ensinou a escrever e a ler com muita dedicação. A ela eu dedico todos os meus escritos. (Eu preciso chorar de novo leitor). Como descrever um sentimento que não se traduz em palavras? O silêncio me invadiu desde o momento que eu soube da trágica notícia e emudeci. Senti-me menor ainda do que já sou aqui neste inferno. Ninguém pode me ajudar e nem sentir a minha desolação e dor. Mesmo entre tantos, minha dor é única e inexplicável. Onde está Deus agora?

Ainda não perdi minha fé e nem vou perdê-la, mas onde é que VOCÊ está meu Deus? Por que fez isso comigo? Mãe que não sepultei e agora a irmã que não sepultarei! Por quê? Peço perdão pelos pecados praticados contra ambas e nada mais.
74312JAN08, sábado.
Ainda muito sentido com a morte da minha irmã que deverá ser sepultada nesta manhã sem que eu lhe dê o meu último adeus. Isto me faz pequeno e infeliz. É a segunda sensação idêntica em menos de dois anos.

Tentei ligar em casa e me recorri à seção penal para pedir autorização, mas o Feliciano que sempre foi tão educado e gentil comigo, desta vez não o foi; senti que a natureza se conspirava contra mim. Não consigo entender por que as pessoas estão sempre nervosas e indisponíveis para servir. Às vezes penso que os PMs que aqui trabalham são mais estressados e problemáticos que nós.

Por vezes me sinto tão fraco e incapaz de suportar o fardo que me foi entregue por Deus. É claro que Deus não gostaria que eu estivesse aqui e a culpa é toda minha, mas eu acredito que Ele sabia sim de tudo isso e não permitiria que isso me acontecesse se eu não fosse capaz de suportar. Ele está segurando-me pelas mãos; eu sei.

Afastei-me de todos hoje pra poder curtir a minha dor e sofrimento. Três pancadas fortes e profundas! Minha cabeça sangra, mas não se curvará!


74413JAN08, domingo.
O primeiro domingo sem minha irmã. Que Deus dê a ela o repouso dos justos. Ela foi muito importante na minha educação e não se cansava de ajudar quem dela precisasse. Nunca teve muito porque o que lhe pertencia era de todos.

Conversei muito com a mãe do “Gaba”, a Ana Maria, e ela me passou as notícias de casa como de costume. Disse-me que minha irmã Marcília virá aqui domingo que vem. Ganhei muitos “biro-biros” dos colegas “Tonho”, Emerson, Apoena, “Presuntinho” e do próprio “Gaba”.


74514JAN08, segunda-feira.
Aguardo com ansiedade a volta da Procuradora Elizabeth para que ela possa fazer um novo pedido de avaliação médica pra mim. Ela só voltará em fevereiro, mas as más línguas dizem que ela não mais atuará aqui no PMRG. Só faltava isso ser verdade! É muito azar pra um cristão! Não acredito que ela nos deixará. Não acredito nesses vagabundos que falam pra mais o que desconhecem.

Ganhei um livro em francês do colega Nascimento que se chama La Pluie Sur La Mer de Roger Ykor. Eu estava precisando mesmo de outro livro em língua francesa, pois é a única maneira que tenho de me manter atualizado com o idioma. Merci mon copain! Vou começar a leitura imediatamente.

Todos os alojamentos foram agraciados com um ventilador. Os internos agora ficarão mais “fresquinhos” e o calor do cárcere diminuirá. É uma maneira de pensar que preso também é gente, apesar dos crimes cometidos por nós. Esses malditos moradores da Rua dez merecem ser tratados com dignidade. Ah! Ah! Ah!
74615JAN08, terça-feira.
Falei com a “Divina Mulher” e ela amou o acróstico que lhe fiz. Ela me disse que não sabe onde guardará, pois se alguém pegar será muito perigoso. Entendo-a.

Ganhei de empréstimo um rádio do Roger e fiquei chateado em dizer-lhe que não gosto de ouvir rádio através de fone de ouvido. Gosto de música, mas nunca terei um radinho pra ouvir desta forma; não me sinto à vontade. Mesmo assim fiquei com ele, mas pretendo devolvê-lo em breve. Eu não consigo ler ouvindo música, mas consigo escrever. Interessante isso! Não escrevo se houver necessidade de concentração.

Não tivemos a reunião católica porque o Sr. Antônio está doente, foi o que nos informou o colega Ivam. Mesmo assim, oramos por ele e por todos sem a presença deles. Eles são gentis e fiéis amigos de oração das terças-feiras e quando não vêm é porque algo de indesejável acontece.

As irmãs Luiza e Inês são legais, mas a primeira é mais fechada consigo mesmo e não permite muita aproximação. A Inês é mais doce, gentil, aberta ao diálogo, inteligente e mais participativa que a outra, muito embora seja a Luiza quem toca violão e canta conosco. Ambas são vaidosas, mas o Zé não é nada bobo e nem eu; a Inês é mais interessante. Elas estão sempre bem vestidas e perfumadas, sempre elegantes e prontas para trazer a palavra a esses incorrigíveis militares. Eu amo a Inês! E que não saiba o Zé.


74716JAN08, quarta-feira.
O Edinan, “sabão-de-mula”, é um avarento e miserável que não reparte o que é seu com ninguém, mas vive de olho nas coisas dos outros. Se ele estiver de bom humor é capaz até de oferecer alguma bolachinha, do contrário, jamais.

Ele adora fazer suco e beber com o Pinho que é seu amigo das horas da comilança. Eles se dão super bem porque são da mesma estirpe.

Gosto de ouvir o Dey cantar e tocar e vejo que ele, apesar de extremamente violento e perigoso, não é “vacilão” e não se envolve em intrigas com quem o respeita e o trata com educação. Ele é um cara educado que não perturba ninguém. Só não o provoque! Ele me presenteia sempre com yogurtes e chocolates. Vou sempre tê-lo em minha memória como um bom colega; um amigo.

O “Brécha”, O Marco Antônio, foi embora hoje. Falam que ele era metido a pedreiro e que assentou uma janela de cabeça para baixo. Eu não vi, mas acredito. Ele adorava conversar com a Mariângela e sempre eu o via dando cigarros e fumando ao lado dela nos fundos da padaria. Ah! Se o Major Spinieli o pegasse!


74817JAN08, quinta-feira.
Decidi me afastar das reuniões religiosas por me sentir injustiçado demais. Quero ficar só e longe de todos, na medida do possível. Quero e preciso de um pouco de tempo pra mim; de ficar só, para refletir ainda mais sobre a dura pena que tenho cumprido. Não darei explicações.

Estou com uma ferida enorme na alma que jamais se cicatrizará e isto marcará minha vida como um animal que é marcado por seu dono. As inscrições PMRG ficarão em minhas costas e na minha alma, como bem observou meu amigo Canella. Nunca mais usarei camisetas amarelas e nem calças cáqui, nem jogarei dominó ou xadrez. Odeio tudo isso.

Pensei que só eu não fosse bem atendido pela maldita dentista do PMRG, mas o Bianchi me mostrou o cartão de agendamento dele, que guardo comigo em meu diário, para comprovar que ela não está nem aí conosco. Mas certamente vai querer me processar por chamá-la de maldita e a Justiça me prenderá de novo. Todavia, não terá a mesma atitude em relação a ela que rouba o Estado deixando de cumprir o seu dever e fazer jus pelo seu salário muito bem pago em dia pelo povo. Eis os dias da consulta do colega que acabou desistindo, assim como eu: 10jan08 para 10h00, 11jan08 para 08h30 e 17jan08 para 11h00. Ninguém merece tanto descaso. Graças a Deus o Tenente dentista Rubião me atendeu e muito bem sem nem marcar hora. Ele sempre dizia sorrindo; “A hora é agora”. Que deus o abençoe sempre. São três vezes marcadas que tenho como prova, mas o colega disse-me que foram nove vezes que ela marcou e não o atendeu. Outros reclamam que ela é uma “açougueira” e que trabalha muito mal. Nunca simpatizei com ela, apesar de me fazer lembrar alguém especial.

Fui falar com o Christian e percebi que ele conversava na UIS com a dentista e as outras policiais que lá estavam e que falavam sobre a morte de um coronel aqui nas proximidades do PMRG e que a TV não parava de anunciar. Ouvi que a dentista disse rindo que isso é muito bom porque é um lugar a mais e que agora, quem sabe, o Major poderia ser promovido. E riram! Nem fiquei mais lá. Deixei pra outra oportunidade a minha conversa com o Doutor. Ele me trata bem e eu passei a gostar dele.


74918JAN08, sexta-feira.
De novo ninguém cantou como os comandantes desejavam e a bronca correu solta e com razão. O Major ficou furioso e os Tenentes Joly e Domingos execraram-nos sem piedade. Eu ri! Fiquei assustado com as possíveis punições, mas não deixei de rir até chorar! Até canários se recusam a cantar nas gaiolas. Por que nós temos que cantar? Pro inferno o desgraçado do Romão Gomes! Eu estou preso e triste; não canto.

O Tenente Domingos humilhou os PMS dizendo que eles são pagos pra fazer só isso e ainda não fazem e que muitos reclamam de pagar quatro reais pelo café da manhã aqui no presídio (por mês), mas depois acabam comendo e bebendo escondidos durante a noite só pra não pagarem. E se propôs a pagar por esses covardes que não têm coragem de assumir por seus erros; que era só falar com ele e não agir desta forma. Gostei dos dizeres dele e passei a admirá-lo. Achei que ele poderia ter dito de uma maneira mais educada, mas esses covardes não merecem. Quando um PM pega um “paisano” eles não têm piedade e são arbitrários, violentos, perversos, etc.

Foram decretadas as prisões preventivas do Roger e do Emerson e demais PMs do caso de Bauru. Era o esperado diante do clamor público.
75019JAN08, sábado.
Glória a Deus! Os colegas Quirino e Feitosa retornaram ao terceiro estágio de onde eles não deviam ter saído. Eles se queixaram que foram denunciados pelo Artilheiro e todos confirmam isso. O Artilheiro não me parece um delator, mas aqui ninguém parece, mas é.

Eu não tenho medo de PM, mas tenho que me submeter às humilhações por questão de estratégia. Jogando no campo deles não dá pra querer ganhar o jogo sem uma excelente estratégia.

Choveu esta tarde e os colegas tiveram que montar as lonas sob a chuva pra receber seus familiares amanhã. É triste isso!

Recebi uma carta da Inês comunicando-me que teremos missa com o Padre Marcos Vinícius dia 22jan08.


75120JAN08, domingo.
O tempo continua nublado e talvez minha irmã não venha por causa disso, mas vou aguardar.

Felizmente ela veio e me trouxe bolo de cenoura, croissants, café e refrigerantes. Falou e chorou pela morte de nossa irmã e fez o que pedi a ela junto à Associação. Trouxe-me o documento protocolado e eu agora já não sou mais associado daquela merda; protocolo número 0195 de 10jan08.

Dei a ela algumas coisas pra que ela levasse embora e ela me falou sobre os documentos das casas que estavam com ela e que a Cidinha não anda muito bem do coração.

Recebi uma carta da Cidinha que me listou os últimos desejos da Matilde, são eles: não vender nenhuma das casas, paciência com o Júnior e com a Marcília, não brigar com o Dr. Rodolfo e esquecer os meus inimigos.
75221JAN08, segunda-feira.
Não chove, mas faz frio.

Ontem eu enviei uma carta pela minha irmã ao TJM para dizer que o que fazem comigo é injusto e desnecessário, pois não sou bandido e minha pena é vergonhosa diante dos crimes que me acusam.

O bom é saber que não mais pagarei a Associação e poderei dar essa grana pro meu filho e mulher. Bem melhor do que dar pra esta corja de ladrões.
75322JAN08, terça-feira.

“Escrever era sua única fuga, o único meio de sobrevivência. Era uma trégua num mundo cruel, embora aparentemente confortável. (Sobre Gabriella no convento)

(Danielle Stell)
Leio Danielle Stell, literatura americana, Um longo Caminho para Casa.

Inacreditável, mas encontrei quatro esfirras no meu armário e que me foram dadas pelo Ednan. Será que ele está doente?

Tivemos a missa com o Padre Marcos e eu pedi que ele a rezasse em memória da minha mãe e da minha irmã. Assim foi feito e eu fiz as orações da comunidade, como de costume.
75423JAN08, quarta-feira.
“É impressionante a quantidade de pessoas que não têm com quem desabafar e são dominadas pelo pânico diante de problemas que o resto de nós não acha tão ruins assim, ou tão importantes.”

(Danielle Stell)


Ontem, ao término da missa, eu pedi para que a Inês telefonasse para a Cidinha e dissesse a ela para me escrever contando sobre sua saúde com urgência.

Todavia, esta manhã eu recebi uma carta me contando outras fofocas. De que a irmã do meu ex-cunhado esteve em Maracaí e que estava muito brava com minha irmã Marcília por ela ter ficado com as jóias da falecida, isto é, a Zilda que era cunhada da minha falecida irmã queria as jóias para ela. Que problemão! Quem teria direito às jóias? A irmã da falecida ou a cunhada? Que o leitor decida; eu “tô” fora.

Pasmem diante do que vou lhes narrar agora. Fiz um documento solicitando permissão para telefonar em minha casa porque queria falar com minha esposa para saber sobre a saúde dela e indicar-lhe os procedimentos para que ela pudesse buscar socorro médico pago e urgente em Assis, cidade vizinha de Maracai.

Não bastasse a demora pra conseguir esta permissão, eu fui terrivelmente humilhado em razão de uma confusão criada pelos imprudentes, relapsos, ineficientes, preguiçosos, vagabundos, etc. desses militares. Ocorre que temos que solicitar o documento na semana anterior (sexta-feira), redigir o documento, entregar na terça-feira, aguardar que o comandante tome conhecimento na quarta-feira se estiver de bom humor e com vontade de “trabalhar”, aguardar o despacho de uns três “superiores”, no mínimo, depois ser comunicado com um sim ou não. No meu caso foi não e com a o agravante de ter no despacho que eu mentia ao afirmar que fazia muito tempo que não falava com minha mulher, pois eu havia recebido a visita dela em 30DEZ07, portanto, há menos de trinta dias.

Fiquei furioso ao ser chamado de mentiroso e fui explicar que algo estava errado porque faz mais de ano que minha esposa não vem me ver e que eu não falo com ela por telefone e que só fiz o pedido para telefonar porque soube que ela está muito mal de saúde. E quem veio me visitar no dia mencionado foi minha irmã que mora aqui em São Paulo e que a cada trinta ou sessenta dias me visita. E se houvesse alguém mentindo este alguém não era eu. Diante desta minha afirmação, a Sd Fem PM Fátima (Assistente Social) comunicou o Capitão Luco que eu a tinha chamado de mentirosa. Meu Deus! Eu não disse nada disso!

Ela me mandou embora e disse que iria verificar se houve alguma confusão de cadastro conforme eu lhe explicara e pedira para constatar em minha presença, pois eu estava certo de que não havia errado no preenchimento. Ela se recusou a fazer isso em minha presença e disse que eu solicitasse através de documento esta revisão. Brincadeira! Isso levaria mais de uma semana. Saí desolado e achei que não adiantava argumentar mais e o melhor era desistir de tudo.

Menos de uma hora depois eu fui chamado na presença do Capitão Luco e do Tenente chefe da seção penal que havia despachado o documento e me chamado de mentiroso, para ser novamente humilhado por eles, reafirmando que eu era mentiroso e que eu não tinha o direito de chamar a Assistente Social de mentirosa; o que não fiz. Disse a eles que havia um mal entendido na história e que minha irmã estava cadastrada como minha esposa e vice-versa; só poderia ser isso. Ou as duas estavam cadastradas como minha esposa. Que era preciso verificar. O Capitão Luco ficou furioso e me mostrou umas partes que eu fiz dizendo que queria telefonar para meu advogado e que telefonava pra minha casa, pois eu sempre colocava o número de casa e do advogado. Confirmei que fazia isso porque nem sempre era possível encontrar e falar com meu advogado e passava as instruções para minha mulher e que isso não era mentira já que estava documentado e assinado por mim.

E pra finalizar, após terem me feito desculpar com a Assistente, terem me feito chorar (como o Alécio), disseram que iriam verificar possíveis confusões e que eu não tocasse mais no assunto ao sair da sala, sob pena de eu ser regredido de estágio. Então saí. Indignado com tudo e todos, mas saí; cabisbaixo e derrotado pela covardia de todos eles.

O Capitão me prometeu que puniria o culpado pelo erro e depois começou a me dizer palavras de conforto dizendo que eu não dava trabalho, que era inteligente, que precisava ser mais cauteloso, que eu era educado, enfim, etc. Pedi a ele que não punisse ninguém e que encerrássemos o caso. E não me permitiram telefonar. E nem me regrediram.

Os colegas ficaram curiosos para saberem o que eu tanto falei com o Capitão. Contei o caso pros mais chegados e nada disse aos demais por medo de voltar à subseção. Fui covarde! Tive medo! Pra mim, medo também é sinônimo de covardia quando a gente tem certeza que está agindo corretamente e desiste da luta. Outros, talvez não pensem assim.


75524JAN08, quinta-feira.
“O ato de escrever sempre liberava alguma coisa em seu íntimo. Era como se não fosse ela própria escrevendo, mas um espírito que atuasse através dela.”

(Danielle Stell)


Muitos estavam curiosos para saberem da bronca que levei do Capitão e aos poucos eu contei pra muitos deles; pro “Tonho”, Quirino, Moralles, Hélio, etc. Não dá pra manter no peito tanta injustiça!

E quanto a Assistente Social, eu acho incompetente e um zero à esquerda. Ela está aqui “pró-forma”, para preencher um cargo e nada mais. Nunca soube que ela tivesse resolvido nada, nenhum problema de ninguém e só ouço reclamações dela. Ela vive o dia inteiro fumando, batendo papo e tomando café como uma viciada alucinada. É verdade que tive boas conversas com ela e eu a admirava por outras situações e por ela ter sido sempre educada comigo anteriormente. Talvez eu me reconsidere mais adiante. Pois todos somos sujeitos a erros; ela também.

Interessante foi ouvir o comentário que o Belarmino havia sido espancado lá na prisão de Tremembé. O Dey e o Di Lúcia é que comentavam isso; não acreditei, se bem que isso é possível.
75625JAN08, sexta-feira.
“Quero que comece a escrever todos os dias. É bom para o coração, a alma, a mente, a saúde e o corpo.”

(Danielle Stell)


É o aniversário da cidade de São Paulo e me lembrei que meu não tão querido pai também faz aniversário hoje. E só me lembrei porque vi numa cópia de sua identidade por ocasião da divisão dos terrenos em Maracai. São Paulo completa 454 anos e meu pai eu não sei e nem quero saber; talvez 77!

Estou gripado, com tosse e o peito carregado. Nariz escorrendo e dor de cabeça. Não é fácil adoecer na prisão, por isso é bom dar graças a Deus quando se está bom.

Não vejo há dias a minha “Divina Mulher”, a minha musa inspiradora do cárcere. Ela é única! Há outras, mas que não se igualam a ela. Ah! Doce e meiga “Di”! E eu já falei das outras; da “Penélope Charmosa”, Cristiane, Terezinha, Herraiz, Wedekin, uma médica que vem às sextas-feiras, etc. E lindas mesmo são as coleguinhas do Dr. Christian; ele não é nada bobo!

Sonhei esta manhã com a Dona Amélia que já é falecida e sua filha Maria também falecida que estavam chorando por causa do Sr Aparecido. Elas me disseram tristes por ele estar só.


75726JAN08, sábado.
“É comum que as pessoas fracas congratulem os outros por sua força para que elas próprias não precisem ser fortes.”

(Danielle Stell)


Chove! E eu ouço e coleciono histórias destes vermes militares que culpam tudo e todos por seus infortúnios. Roubam, matam, estupram e depois querem se eximir da culpa. Dizem que são as mulheres as culpadas pelos seus fracassos. Acabo de ouvir o Dey falar que viveu com muitas delas e que só está aqui preso por causa de uma dessas vagabundas (são palavras dele). Ele morou com a “Rô”, Lidiane e Sheila. Esta última era sua ex-amante, mas é por causa da primeira que ele está aqui. Segundo ele, ela espancava a sua filhinha “Tifany” (perdoe-me se errei na grafia, caro leitor) diuturnamente e sem piedade. E foi em razão disso que a pequena morreu e ele está aqui como co-autor do crime monstruoso, estúpido, fútil, banal, sem justificativas, hediondo, etc. Não que ele tenha espancado a pequena, não é isso que quero dizer, mas se ele sabia por que não fez algo para impedir tantas agressões? Ou deixasse essa demente. Ele não estaria aqui se não compactuasse com tanta covardia. É por isso que este diário não pode ter outro título!

Vou procurar um analista ao sair daqui. Essas histórias monstruosas me chocam, me ferem, me agridem sobremaneira. Pombas, gaivotas e gaviões! Eu não sou bandido!

Ouvi dizer que já encontraram o militar que matou o Coronel nestes últimos dias aqui na Zona Norte de São Paulo.

Pior é ouvir as mesmas histórias do Gabarron. Mas eu gosto dele, apesar de tudo; e ainda tem o fato de a mãe dele me ajudar. Ele quer me convencer de sua inocência, mas não é a mim que ele deve dizer isso. Eu acredito nele e sei que os surtos psicóticos são incontroláveis porque eu tenho um problema parecido com o dele, mas em menor intensidade e “periculosidade”. Somos perigosos! O ser humano é mau!


75827JAN08, domingo.
“Descobri que os altos e baixos são igualmente insuportáveis. Por outro lado, a ausência deles é ainda mais.”

(Danielle Stell)


Tive uma breve conversa com o Sargento Fernandes que me disse para orar um pouco mais porque o “inimigo” vem para nos destruir e faz uso dos que estão ao nosso redor. Gosto dele. É um dos mais tranquilos e camaradas que temos aqui. Ele nos trata com muita educação.

No espaço ecumênico esta manhã eu tive uma longa conversa de alto nível filosófico com o idiota do Datena que insistiu em me dizer que não há pecado maior e nem pecado menor. O pecado será sempre pecado. Será que pra ele, matar um homem e uma formiga, ambos intencionalmente, é a mesma coisa? Vá pro inferno com seu discurso furado.


75928JAN08, segunda-feira.
“Eu tinha muito a aprender quando saí do convento. Nunca tinha enfrentado o mundo antes; lá dentro é um mundo tão irreal, tão protegido e seguro.”

(Danielle Stell)


Garoava e tivemos que ficar em forma até segunda ordem, mesmo com muitos internos com gripe. Eis aí uma das muitas aberrações do regime militar. Pra que sacrificar seus homens? Ainda que presos, isso trará despesas pro Estado e ônus pra população que paga por tudo isso. Imaginem 200 homens doentes sendo pagos pelo dinheiro de vocês, meus caros leitores e contribuintes! É um absurdo! E isso acontece muito em cursos de formação de militares, sejam soldados ou oficiais. Muitos não suportam e alguns chegam a morrer com pneumonia e outros males.

E não há medicamentos disponíveis quando procuramos e nos dizem que devemos solicitar às nossas famílias. Os que podem fazem isso, mas quando os remédios chegam aqui não podem ficar sob controle do preso e os “falsos enfermeiros policiais” nunca sabem a quem pertencem os medicamentos e fazem a maior confusão; isso quando não perdem nossos medicamentos. E eles não têm culpa, pois não são treinados para serem enfermeiros. Eles são militares, exceto os que exercem dupla função, mas aqui me parece que só a Wedekin e a Santa é que são enfermeiras. Entretanto não ficam à noite, só durante o dia e mesmo assim pouco fazem sem os recursos necessários e básicos pra um pronto atendimento de urgência.

É por isso que eu quero tornar público este meu Diário pra que as autoridades tomem providências urgentes e acabem com o militarismo. Leiam Albert Einstein, pelo amor de Deus! Ele já afirmara há muito tempo que o militarismo é um câncer no seio da sociedade, talvez não exatamente com esses termos. Se não foi, faço minha tal afirmação. E pago com minha vida se necessário, pois enganam se pensam que vão me matar; aí sim é que viverei como um grande mito antimilitar, apesar de militar aposentado. Eu quero a glória! Nasci para a glória, ainda que tardia.

O Belarmino me disse que a melhor Justiça é de quem pode pagar mais e eu não havia entendido muito bem e pedi explicações a ele. Ele me disse que os melhores advogados são os mais caros não porque são os mais competentes, mas porque são os que estão mais próximos dos Promotores e Magistrados e sabem muito bem lidar com a ganância deles. Ou seja, eles compram e vendem sentenças de acordo com o poder aquisitivo dos seus clientes. O pobre nasceu pra encher presídios e criar isso que se denomina Justiça. Não há ricos na prisão. Só há poucos ricos miseráveis porque se recusam a entrar no esquema e gastar alguns tostões, isto é, aqueles que insistem em cometer crimes sem pagar financeiramente por seus delitos. Ao rico tudo é permitido, desde que pague.

Na TV ainda se fala do Coronel assassinado e da prisão de três militares acusados de matá-lo. Menos um militar; José Hermínio Rodrigues.
76029JAN08, terça-feira.
“Quem, como ele, tinha sobrevivido ao próprio nascimento no lixo não se deixava expulsar tão facilmente do mundo. Era capaz de comer sopa aguada dias e dias, sobrevivia com o leite mais diluído, suportava os legumes e as carnes mais podres. Ao longo da infância, sobreviveu ao sarampo, disenteria, varicela, cólera, a uma queda de seis metros num poço e a queimadura no peito com água fervente. Ele se decidiu em favor da vida por pura teimosia e maldade. Para a alma não precisava de nada.” (Jean Baptiste Grenouille – 17 jul 1738).

(Patrick Süskind)


Estou lendo o livro do autor acima citado que se chama O Perfume. A Sub Tenente Bia mo emprestou com muitos outros que irei ler paulatinamente. Eu a admiro por ser uma leitora contumaz e excelente amiga minha aqui no cárcere. Aqui tem gente boa, apesar de militar; nem todos são canalhas e covardes.

Fui à reunião esta noite e pedi que o Sr Antônio me fizesse um favor. Ele está sempre disposto a me ajudar e fará, tenho certeza.


76130JAN08, quarta-feira.
“Normalmente as pessoas cheiravam de um modo insignificante ou miserável. Crianças cheiravam insipidamente, os homens a urina, suor acre e a queijo, mulheres a banha rançosa e peixe podre. De um modo totalmente desinteressante, repelente, é que cheiravam os seres humanos.”

(Patrick Süskind)


Aqui ocorrem metamorfoses extraordinárias e bizarras, pois há “loucos” para todos os gostos. Logo de manhã, o Alécio diz que é uma locomotiva e que não pode sair da linha demarcatória da quadra de esporte e sai atropelando quem está à sua frente, inclusive a mim. Outros ficam de braços abertos orando como os gentios em praça pública, tão citados na Bíblia. Outros ainda cantam hinos de louvor a Deus enquanto caminham, outros se divertem com uma bola velha, chutando-a de um lado para o outro e acertando os colegas, e eu a observá-los. E muitos aqui acreditam que eu sou louco! Inclusive o médico militar!

Acredito que pau que nasce torto vai mesmo morrer torto, e não é a prisão que vai mudar o coração duro e insensível do homem; só Deus o faz.

Falei com o MM Marcos do TJM (Juiz substituto) que me recebeu muito bem e demonstrou interesse por mim; muito educado e gentil. Prometeu verificar o meu processo e dar o seu parecer a meu respeito e que muito poderá me ajudar. Disse acreditar em mim e que tudo fará pra que eu saia daqui o mais breve possível.

Após a reunião católica, o Gabarron veio conversar comigo, como de costume, e falou de suas leituras e do seu estudo solitário da língua espanhola. Gosto de ouvi-lo!


76231JAN08, quinta-feira.
“Tinha de ser um criador de perfumes e não apenas um qualquer.”

(Patrick Süskind)


Tive um sonho com uma vizinha já falecida que me disse ter vindo me dizer que os responsáveis por minha prisão queriam apenas me humilhar em razão da inveja que sentem da minha capacidade intelectual que é elogiada por muitos. “E eles por estarem intelectual e espiritualmente aquém de suas qualidades, tudo fizeram para diminuí-lo o que de fato não ocorrerá”. E acrescentou, a finada Dona Maria do “seu Ozório”, sua mãe mandou lhe dizer isso. E tendo dito, desapareceu sem que eu pudesse perguntar sobre minha mãe e outras coisas. Estranho! O pior é que eu já sonhei com quase todos os meus vizinhos e familiares mortos e ninguém me disse nada que me tocasse tanto assim. Por quê? Vá entender o CRIADOR! ELE escreve certo por linhas tortas!

Recebi das mãos da Assistente Social Fátima o vale cesta básica que irei dar pra minha irmã. E ao sair da sala dela, o Major Spinielli quis saber o que foi que eu falei com o Juiz ontem e perguntou se eu teria reclamado sobre o uso de algemas ou falado a respeito. Eu disse que não e fiquei sem entender o porquê da questão. Será que alguém reclamou? Não fui eu.

O “Bruninho”, apelido que dei ao Di Lúcia, me disse que não conseguiu dormir por causa do meu ronco. Lamento, disse-lhe eu, mas é involuntário. E tive vontade de lhe dizer que aqui não é a casa dele e nem a minha e que devemos nos suportar uns aos outros, afinal estamos numa prisão e ninguém convidou ninguém pra vir morar aqui. E eu também não estou aqui para agradar ninguém, como todos dizem. Porém, nada disse para evitar uma confusão.

À tarde o Dr. Christian me chamou e disse que o Juiz Marcos o procurou para saber de mim; bom sinal. Perguntou o que ele achava do meu comportamento e se eu estava apto a deixar a prisão sob a óptica dele.

Anteontem foram embora os colegas Wanderlei e Ferreirinha e hoje foram o Sr. Santos e o Rocha (Tim Maia da cozinha).
76301FEV08, sexta-feira.
“Deus dá bons e maus tempos, mas não quer que nos tempos maus choremos e lamentemos; quer a prova de que somos homens.”

(Patrick Süskind)


Contabilizo as datas festivas que passei na prisão e vejo que são 03 carnavais (com este), 03 natais, 03 dias de ano, 02 aniversários, etc. Não quero passar o terceiro aniversário aqui e quero ganhar este presente de Deus. E fevereiro é o mês dos aniversários do meu filho e esposa. Respectivamente, dias 11 e 15.

Conversei com o Costa na quadra esta tarde e vi o quanto ele é ligado na cultura inglesa e o quanto gosta da língua. Quis dialogar comigo, mas eu não tenho o conhecimento dele neste idioma; prefiro o meu velho e amado francês. Ele é pequeno e gordo e por isso eu o apelidei de “Ilha da Fantasia”. À noite foi a vez de eu conversar com o Bacharel em Direito, o Doutor “Presuntinho” que falou sobre as “insanidades do Gabarron”. Segundo ele, a probabilidade do colega se dar bem com as pretensões dele, quanto ao processo que responde, são mínimas. E acrescentou que o Gabarron é um visionário, pois cometeu um crime horrível e a Justiça pesará sobre ele impiedosamente. E que se ele alegar insanidade mental é pior ainda, ou seja, é melhor que ele enfrente o Júri popular. Eu sempre disse o contrário ao Gabarron.

Só hoje eu soube que o também “Doutor” Carlão foi embora. E nesta tarde foram embora o Góis e o Costa de quem acabei de falar.
76402FEV08, sábado.
“Desviava-se da cada rebanho de ovelhas, não por causa das ovelhas, mas para escapar ao cheiro do pastor”

(Patrick Süskind)


Os internos são mesmo uns idiotas e criam leis absurdas para que cumpramos e nos torturemos ainda mais. Agora querem encerar o alojamento toda semana e eu ouvi dizer que tem alojamento onde há escala pra que todos encerem. Não há necessidade! Que absurdo!

A Bandeira do Estado de Minas Gerais está desenhada no meu antigo diário. Acho lindo os dizeres em latim nela estampados; LIBERTAE QUAE SERA TAMEN.


76503FEV08, domingo.
“Também à noite havia gente. Mesmo nos territórios mais remotos havia seres humanos. Eles só tinham se retirado para os seus refúgios, como os ratos, e dormiam. A terra não estava limpa deles, pois mesmo no sono exalavam os seus cheiros que, através das janelas abertas e das frestas de suas moradias, escapuliam para o ar livre e empesteavam a natureza.”

(Patrick Süskind)


Logo de manhã a Cleide, policial feminina do PMRG, veio me dizer que os colegas Rocha e Luciano não conseguiram ligar pra minha irmã. Ela não veio.

No domingo de manhã é comum ficarmos no espaço ecumênico em pequenos grupos falando sobre nada de importante, mas ouvir as mentiras do Stefanoni é insuportável. São histórias obscenas e por isso não as contarei pro leitor, pois odeio esse tipo de conversa e só as ouço porque não tenho como fugir dele. É aqui que eu costumo passar o dia escrevendo ou lendo. Nem bêbado acredita nas suas mentiras.

Outros reclamam que foram explorados por seus advogados e que não têm um centavo, mas logo em seguida estão comprando os melhores carros ao sair da prisão e tendo as mulheres mais lindas e cheirosas do mundo. Meus ouvidos não são vasos sanitários! Poupe-me!
76604FEV08, segunda-feira.
“Não amava um ser humano. Nem mesmo a jovem da casa por trás da muralha. Amava uma fragrância.”

(Patrick Süskind)


Terminei a leitura do livro em francês que o Nascimento me deu, mas não fiz o fichamento que costumo fazer de todos os livros que leio, pois este me pertence e eu o terei às mãos na hora que eu quiser. Quando os livros que leio não são meus, aí tomo nota do que leio. Um dia terei dinheiro suficiente para montar uma linda e vasta biblioteca com todos os livros que me serão fiéis companheiros na velhice que se aproxima.

Saboreei esta tarde, como nos meus tempos de criança, uma deliciosa manga que o Maldonado me deu.


76705FEV08, terça-feira.
“Lá fora na cabana, numa caixinha forrada de algodão, jaziam vinte e quatro diminutos frascos, com a aura de vinte e quatro donzelas condensada em gotas.”

(Patrick Süskind)


Gostaria de estar em casa por ocasião dos aniversários de minha mulher e filho, meu Deus!

Pior que ouvir o Stefanoni aos domingos no espaço ecumênico, é ter que ouvir o Dey quando ele está inspirado. Ele diz ser o “demônio”, o “tinhoso”, o “cara-de-borracha”, ou sei lá, o amigo fiel dele. E por outras vezes ele começa a falar de suas conquistas amorosas e isso se estende pela noite toda, até mesmo depois do toque de silêncio. Ele diz ter colocado no mundo da prostituição inúmeras garotas jovens e lindas e que fez sexo com todas.

E depois não sabe por que está aqui!
76806FEV08, quarta-feira.
“Grenouille: ele era pior do que a peste, pois da peste se podia fugir, mas não desse assassino.”

(Patrick Süskind)


Quarta feira de cinzas! Espero que os Magistrados e os funcionários dos fóruns voltem animados para trabalharem e assim dar continuidade aos nossos processos que caminham lentos demais.

Falei com a Inês ontem e ela me disse que minha irmã virá me visitar domingo e também me deu notícias da Cidinha.

Quatro colegas foram embora hoje: o Claudir, o Piccioli, o Edson e o Roque (de novo pela sexta vez).

O Roger me pediu pra ensiná-lo a falar francês, mas eu sei que isso é fogo de palha. Outros já pediram e não continuaram, exceto o Michel. Vou tentar e sei que ele vai desistir logo.

À noite, na reunião religiosa, recebemos as cinzas e o Emerson ganhou uma Bíblia. É o colega do caso de Bauru, o motorista do Tenente Roger que participou daquela infeliz ocorrência.
76907FEV08, quinta-feira.
“Ele, Jean Baptiste Grenouille, nascido inodoro no lugar mais fedorento do mundo, vivendo sem calor de alma humana, achado no lixo, na merda e na podridão, criado sem amor, vivendo tão somente da teimosia e da força do nojo, pequeno, corcunda, coxo, rejeitado, um monstrengo tanto por dentro quanto por fora, conseguira tornar-se amado pelo mundo. Amado! Venerado! Adorado! Ele realizara o feito de PROMETEU.”

(Patrick Süskind)


Muitos aqui se queixam que após terem vindo presos perderam seus melhores amigos e, outros ainda, suas esposas. Como são fracos e mesquinhos esses seres humanos; eu os odeio. Por que nos abandonam quando mais precisamos? Malditos sejam os covardes deste naipe.

Percebi que só a família resta pra quem está preso, e que muitas vezes era a mais rejeitada pela maioria dos que aqui estão. Eu mesmo reconheço que era um desses que não se importava muito com a minha família e dava mais valor a quem nem me escreve uma carta pra perguntar se já morri. Bem feito pra mim!

Conversando com o Levorato, ele se lembrou das inúmeras festas que dava em sua casa pros seus “amigos” e que hoje ele vê o quanto foi idiota. Eu também já fiz isso, se bem que poucas vezes; graças a Deus e não farei mais. E acrescentou que só suas filhas, esposa, genro e o irmão dele é que vêm vê-lo. Aqui se aprende muito sobre o comportamento do ser humano.

Vivo entre homens maus e perversos que cometeram crimes horríveis por puro egoísmo, pelo simples prazer de provocar o medo, o pânico, o terrorismo, a dor e o sofrimento ao outro. Que Deus seja misericordioso com eles.


77008FEV08, sexta-feira.
“O que ele havia sempre desejado, ou seja, que as outras pessoas o amassem, tornava-se, no instante do seu êxito, insuportável, pois ele mesmo não as amava, mas as odiava. (...) E de repente soube que jamais encontraria satisfação no amor, mas tão somente no ódio, no odiar e ser odiado.”

(Patrick Süskind)


Sonhei com minha irmã falecida e com o meu, também falecido, amigo Jordão. Sinto saudades deles que foram para mim, pai e mãe; ainda que eu tenha tido uma excelente e valorosa mãe, já não podendo dizer o mesmo do meu pai.

Alegrou-me ver e falar com a Procuradora Elizabeth depois de tanto tempo. Ela é gentil e linda! Tenho medo de me apaixonar por ela também. Eu me apaixono com muita facilidade. Ela me disse que vai ver o meu processo e fazer o que for possível. Confio no trabalho dela.

Eu confessei a ela o meu temor pelos médicos militares porque jamais vou dizer que amo a PM e eles me punirão ainda mais por causa disso. Não temo em afrontá-los porque eles são responsáveis pelo meu mal. Eles fizeram de mim um monstro que não sou e nem nunca fui.
77109FEV08, sábado.
Quando estou em forma com os colegas presos, eu me sinto como boi rumo ao matadouro e jamais me imaginei como integrante de um grande rebanho rumo ao abate. Caminhamos, digo, marchamos unidos e com cadência como animais nos trilhos de um pasto; um após o outro. É uma cena dantesca pra quem tem aversão ao militarismo, Por isso que os sábados, domingos e feriados eu me sinto menos “animal”; menos conduzido.
77210FEV08, domingo.
A mãe do colega “Gaba” me trouxe os doces que encomendei e minha irmã também veio me visitar hoje e trouxe mais algumas guloseimas que preciso comer com urgência ou escondê-las muito bem lá na Biblioteca; esconderijo único e exclusivo meu.

Aproveitei a ocasião para levar minha irmã até a seção penal para pegar a cesta básica e pedi ao Cabo Valdomiro que visse o cadastro da minha irmã pra saber como ela estava cadastrada. Imagine, caro leitor, estava como minha esposa desde aquela confusão, ou seja, ninguém se preocupou em corrigir nada e eu constava como tendo duas esposas; minha irmã e a Cidinha. Viram como os PMs são relapsos e maldosos e que poderiam ter me punido, além das humilhações, por um erro que eles nunca admitem? Eles estão sempre certos; esta é a mentalidade da PM e da Polícia Civil também. Eles se sentem deuses. Eu não admito isso e fico revoltado com toda essa estrutura policial arbitrária, injusta, perversa, mentirosa e covarde.

O bom foi a vinda da minha irmã, o erro corrigido pelo Cabo Valdomiro, os doces que tenho para comer escondido, as cartas que enviei, os alimentos que serão de muita utilidade pra minha irmã e etc.
77311FEV08, segunda-feira.
Meu filho completa hoje 19 anos! Que Deus esteja com ele; amém! Estou triste por não estar ao lado dele, mas ele saberá me perdoar por isso. Eu te amo meu querido filho! (preciso chorar de novo, caro leitor).

O episódio lamentável desta manhã foi a implicância da policial Cleide com o interno Ismael que foi ao café da manhã com uma caneca maior que a permitida e foi proibido de usá-la. Aliás, foi nos dada uma caneca azul padrão para que ninguém beba mais que o outro. Por que descumprir? Mas ele não é o único, apesar de ser o mais intransigente. Parece que ele terá problemas por isso. Tomara que não.


77412FEV08, terça feira.
Toda terça-feira é dia de Inês, mas o Zé não tem falado nela com o mesmo entusiasmo, ao contrário, disse que ela não lhe dá sinal algum de que tenha gostado ou não de suas sempre frustradas investidas. Ela tem se mostrada fria em relação a tudo o que ele lhe disse e lhe escreveu por várias noites seguidas. Ele me disse ter contado toda a sua vida pra ela desde que saiu do ventre da sua mãe e nada disso convenceu a ingrata do seu amor platônico. Ele está desanimado com ela! Pena.

Três novos colegas chegaram ao alojamento quatro: são eles. O Sr Almeida, o Carvalho e o Célio (este último é de Assis) e eu já tinha ouvido falar dele. Um vizinho de cidade.


77513FEV08, quarta-feira.
Não gosto dos dias nublados e sombrios. Hoje eu fui presenteado com um amanhecer maravilhoso e inesquecível, tanto quanto àquele entardecer de domingo que ficamos a contemplar eu e o “Tonho”, após a visita.

À tarde fiquei das 14h até as 17 horas ao pé da escada que dá acesso à Administração, aguardando a oportunidade de falar com a Promotora do Tribunal de Justiça Militar que ficou de nos atender; eu e outros dois ou três colegas. Alguns desistiram e eu quase, mas suportei porque sei que esses deuses (ou deusas) do poder são assim mesmo e muitíssimos ocupados. São tantos cafezinhos para tomar, tantos sorrisos falsos, tanto ‘puxa-saquismo’ ao redor deles, tanta indiferença conosco, que fiquei “numa boa”! Tranquilo à espera dela, e se ela não me atendesse, iria compreender que eu sou mesmo um “criador de embaraços” ao bom andamento do serviço; jamais ela.

Passadas essas pouquíssimas horas de espera, se comparadas aos nove meses que demorei em saltar fora do ventre materno e conhecer este mundo miserável, a DD Promotora me atendeu com muita simpatia. Lembro-me que a Dra Eliane Passarelli (não sei se com um ou dois “L(s)”) ouviu com atenção os meus lamentos e prometeu me libertar no dia seguinte ou após. Saí tão feliz e acreditei cegamente nela.

Ela me disse que sua mãe estava muito doente e eu prometi orar por ela; disse que a Senhora Georgete Passarelli, DD mãe da Promotora, estaria presente em todas as minhas orações (eu não sou de orar muito). E que eu tinha certeza que Deus ouviria minhas preces e, disso eu não duvido jamais, que sua querida mamãezinha ficaria logo restabelecida do mal que lhe afligia. Diante da promessa feita pela Promotora, eu não podia deixar de dizer isso. Faz parte da política da boa camaradagem, afinal, ela iria me libertar!

E na noite de hoje já orei pra mãe dela e pra que ela não esquecesse a promessa que me fez; muito mais pra esta última intenção.

Deixado isso de lado, por enquanto, fiquei feliz com a saída do Josemir que já estava aqui há quase ou mais de três anos.


77614FEV08, quinta-feira.
Será hoje ou amanhã? Acordei com este pensamento, aliás, nem dormi direito e nem dormirei esta noite. Estará a Promotora dizendo a verdade?

Tive alguns problemas com a chegada dos novos colegas no alojamento porque o Sr Almeida tem problemas numa das pernas e não pode dormir na parte superior do Beliche. Ninguém gosta de ceder o lugar em baixo e foi difícil convencer o colega mais novato a dar o lugar, já que a regra é essa. Após alguns atritos previstos, tudo se resolveu e o “Bruninho” cedeu forçosamente o lugar ao Sr Almeida e ficou com raiva de mim, como se a culpa fosse minha. Fui preciso ir até a seção penal pra resolver este impasse que era desnecessário, pois o colega sabe como funcionam as coisas por aqui bem melhor do que eu. Apenas sou o mais antigo de alojamento e me sobrou este abacaxi.

O problema do Almeida é que ele tem um B.O “jégue” que é Pedofilia e ninguém gosta deste tipo de B.O em prisão alguma. Eu não queria estar na pele dele, e por esta razão ele foi rejeitado por todos, e também pelo fato de se afirmar Tenente a todo o momento; aqui somos todos INTERNOS! Ninguém gosta de preso que se sente militar.

O Coronel Abaré visitou os alojamentos esta tarde e ao passar por mim ele parou e me perguntou de onde me conhecia. Disse-lhe que talvez do 16.o BPMM porque fiz escola de Cabo lá em 1989. Eu era ordenança dos oficiais e fazia café e sucos pra eles quando jogavam bola e também durante o dia. Foi então que ele me reconheceu como sendo desta época porque ele sempre gostava de ir jogar bola lá.

Os colegas que ouviram a conversa não tardaram em espalhar que eu era protegido do Coronel e que eu o conhecia de longa data. Nada a ver; sou apenas um interno!
77715FEV08, sexta-feira.
É o aniversário de minha querida esposa Cidinha e eu não estou ao lado dela neste momento, algo que muito me entristece. Todavia, sei que Deus está com ela e isso muito me conforta.

Esperei pelo cumprimento da promessa da Promotora do TJM, mas ela mentiu pra mim. Esses deuses (ou deusas) são mentirosos; nada têm a ver com o meu Deus.

Pior que esta frustração, foi saber do retorno do Roque, o “Pedrinha”, pela sétima vez ou oitava.
77816FEV08, sábado.

Assisti na TV, esses dias, que algumas mulheres são fascinadas por homens criminosos e que desafiam a polícia e certamente fiquei horrorizado. Elas vêem nesses miseráveis o quê? Malditas sejam!

O moralista se acha o melhor de todos quando na verdade não passa de um hipócrita, porque somos seres imperfeitos e cometemos erros a todo o momento. Por isso não temos o direito de julgar ninguém, ainda mais aqui onde somos números, internos, presos, nada, etc. Estamos no mesmo barco e cada um rema no sentido que bem entende. Eu também não gosto de pedófilo e estuprador da mesma maneira que odeio ladrão e homicida, estelionatário e etc. Ocorre que estou entre tais e preciso viver em harmonia com todos. Por que discriminar o outro? Deixe o Sr Almeida que a Justiça cuidará dele como cuidará de cada um de nós. Eu não gosto de ser chamado protetor de “duques”, que na linguagem prisional é quem gosta de pedófilos. Eu abomino o B.O do Sr Almeida, mas eu não sou Juiz nem do meu caso; um simples Desacato como é sabido por todos!
77917FEV08, domingo.
A Ana Maria me disse que a Cidinha fez seus exames e que está tudo bem e que ela começou a tomar os medicamentos que muito têm ajudado na sua recuperação. Melhor assim, pois fico mais tranquilo aqui.

Não sei o que seria de mim se não fosse a pouca fé que ainda me resta. Este lugar é infernal! Deus tem me dado o equilíbrio que jamais imaginara ser possuidor.


78018FEV08, segunda-feira.
Os recados que a mãe do “Gaba” me traz aos domingos me confortam e eu nem sei como agradecê-la por fazer esta ponte entre mim e minha mulher. Que Deus a abençoe!

A imprensa é cruel, às vezes, com a PM quando mostra os arbítrios dos seus integrantes de forma exaustiva fazendo com que a população desacredite numa polícia humanitária e solidária. Não pensem que saio em defesa da PM, muito pelo contrário porque conheço muito bem o “modus operandi” dela e sei que tem enorme facilidade em incriminar o cidadão comum mesmo que ele não tenha cometido nenhum crime. A “práxis” das polícias brasileira é nojenta, asquerosa e vil. Eu ouvi histórias de um preso que perseguiu o ex da sua amante e o multava todos os dias em conluio com outros PMs, disse-me ele. Era um pacto feito entre eles (os militares covardes) para arruinar o dito cujo que ele não gostava por ciúmes. É justo isso? Há, porém uma minoria que é humana e solidária. Difícil de ser encontrada, mas há; acredite!

Os Magistrados sabem do comportamento das polícias e dificilmente fica ao lado do cidadão porque se deixa influenciar pelos argumentos sempre tendenciosos dos Delegados de Polícia e da Promotoria. É uma briga injusta, Há parcialidade e inferioridade numérica do cidadão no que tange à sua defesa. Contra a força, não há resistência. Eu até diria que há, mas a resistência psicológica de nada funciona. Eu sei que fui injustiçado, vários Juízes que me ouviram sabem, mas ninguém pode fazer nada por mim; infelizmente. A corda precisa arrebentar de um lado e não será do lado dos “deuses”. O Advogado do réu pouco pode fazer contra homens instituídos do poder e que são considerados “honestos”, mas que nem sempre são.

Por que meus colegas Afonso, Glauco e Josemir ficaram tanto tempo na prisão se foram julgados inocentes? Ou que não havia provas suficientes para condená-los? Por que então eles tiveram que se submeter às humilhações do cárcere? Por que a Justiça comete injustiças? A prisão é um câncer na alma, Srs. Magistrados! Pensem!


78119FEV07, terça-feira.
O “Bruninho” estava furioso ontem à noite e maldisse o mundo e até sua genitora por tê-lo posto no mundo. Disse palavrões a perder de conta. O que terá acontecido a ele? Não me diz respeito e é melhor que eu cuide da minha vidinha que não está nada boa.

78220FEV08, quarta-feira.


O Apóstolo Paulo me mostrou esta manhã em sua carta aos Gálatas que a verdadeira Justiça não vem através da lei, mas pela graça do Deus Todo Poderoso.

Eu tenho percebido que Deus entrou na minha vida de uma maneira muita intensa e “atrevida” durante minha estadia no cárcere. Aqui se respira Deus e a sua palavra è constante na boca da maioria. Como o sofrimento nos faz aproximar DELE! Eu até estou surpreso comigo mesmo!

Por outro lado eu vejo que tem colegas que só lêem a Bíblia e não buscam outras fontes de conhecimento. Nada contra e nem a favor, mas outras leituras são necessárias e urgentes pra grande maioria que está desempregada e que precisa se recolocar no mercado de trabalho ao sair daqui para sustentar a família. Ou será que voltarão a roubar, a matar, a delinquir, etc.? O homem militar é avesso à cultura e isso não é nada bom.

É sabido que o militar está acostumado a uma vida de “bom vivant” e que não gosta muito do pesado, por isso é urgente que leiam outras coisas para se prepararem pros concursos que vão surgir. A menos que pretendam ser Pastores da Igreja Renascer ou da Universal do Reino de Deus. Ah! Ah! Ah!

O Zé disse ter falado com a Inês novamente e aberto seu coração nos poucos minutos que lhe foram possíveis, sem, contudo, obter algum sucesso. Começo a sentir raiva dela e a sofrer com o colega; somos tão próximos que parecemos ser único. Ah! Que belo corpinho! Que lindos olhinhos verdes! Que voz! Que elegância ao se vestir! Que feminilidade! Tudo que sua irmã não possui e jamais possuirá. A Luiza não me inspira bem, infelizmente. Ela não é tão feminina quanto a nossa querida Inês. Nunca pensei que uma mulher pudesse exercer tamanho fascínio sobre um pobre homem. Até pareço que sou eu quem a ama. Será? Eu já ouvi a canção que diz que: “Mulher nova, bonita e carinhosa faz o homem gemer sem sentir dor.” Tenho que me render ao poeta que escreveu isso, apesar dela não ser tão nova, assim como eu; dizemos, nós, eu e o Zé.

Eu me perco quando escrevo qualquer pensamento, mas quando o assunto é a historia do Zé (que passou a ser minha), eu me sinto leve e pareço nem estar numa prisão mesmo sabendo da indiferença dela pelo colega e por mim. Escrever é libertar-se! Por isso sinto-me livre quando escrevo e a minha prisão será bem mais curta se eu descontar os momentos de leitura, escrita, oração e sono.

Eu só perco a paciência quando vejo algumas intolerâncias desses animais com os quais habito. Nesta tarde eu vi o Leôncio quase engolir o Sr Almeida porque o pobre do infeliz deixou a porta do banheiro aberta ao sair; não precisava tanta estupidez com um senhor pedófilo que poderia ser seu avô. Lamentei!
78321FEV08, quinta-feira.
Ontem os colegas Célio, “Bruninho”, Luciano, “sabão-de-mula” e outros me infernizaram quando eu dormia em razão do meu ronco. O “Bruninho” bateu na minha “jéga” e me acordou dando-me um enorme susto. Não disse nada, troquei-me e desci falar com o Cabo Valdomiro na seção penal. Ele subiu e contornou a situação, mas os colegas se revoltaram contra mim. Em razão disso, o alojamento começou a ficar em evidência.

Hoje já tivemos o reflexo da confusão de ontem porque o Sargento Lino soube e já determinou que as normas fossem cumpridas no alojamento quatro. Os armários na quantidade exata pra cada um e nenhum a mais. O “Bruninho” perdeu esta primeira batalha comigo e a coisa virou contra ele.


78422FEV08, sexta-feira.
Fui e continuo sendo insultado pelo “Bruninho”, mas ele não me intimida apesar de sua fama de matador. Não vou entrar na dele. Ele passará anos aqui e eu logo irei embora.

Melhor é falar de coisas boas, como a saída do colega Feitosa que me recebeu muito bem quando aqui cheguei no X-5. O “Padre Quevedo”, como ele é conhecido nos deixou e retornou pra sua casa. Ele foi considerado inocente. E ontem nós comentávamos, no espaço ecumênico, que os homens não fazem justiça e sim aplicam as leis e, portanto, são aplicadores da lei. A Justiça verdadeira vem de Deus conforme afirmou o Apóstolo Paulo aos Gálatas.

Fomos chamados na seção penal, eu e o “Bruninho”, para darmos explicações dos nossos desentendimentos na presença do Tenente Moreira (Kid Loucura) e do Sargento Lino. Em seguida ficou determinado que eu ficasse no alojamento quatro e o “Bruninho” iria morar no alojamento dois.

Depois o “Bruninho” me procurou e quis saber a razão de tudo isso eu lhe falei do comentário que tinha saído que nós havíamos brigado e que o Dr. Christian queria falar conosco, aliás, o que foi feito para desfazer os desentendidos provocados pelos fofoqueiros de plantão.

Pois comentaram que eu fui atacado com cadeiradas e tudo mais, sem que isso jamais tivesse acontecido. Rimos, eu e o “Bruninho”. Terminou o dia com menos um no alojamento quatro e a segunda batalha foi vencida por mim novamente. Eu sou a mosca da sopa do “Bruninho”. Esse apelido eu o dei porque dizem que ele matou tanto quanto o famoso Cabo Bruno. Será?
78523FE08, sábado.
Alguns me apoiaram no conflito com o “Bruninho” e até me disseram para não temê-lo porque qualquer coisa me ajudariam. É claro que dispenso qualquer tipo de ajuda neste sentido porque não pretendo medir forças com ninguém. E se for preciso, eu o farei só. E não será preciso.

Muitos o consideram o “sabe tudo”, o melhor, o mais fortinho, o matador, o “espaçoso”, o dono da verdade, a última palavra é sempre dele, o mais inteligente, etc. Mas aqui tem café no bule, como diz o apresentador “Ratinho”. Eu não o temo e nem a ninguém aqui porque a morte é inevitável tanto pra ele quanto pra mim e de qualquer forma um dia eu irei morrer e não quero que escrevam em meu túmulo: AQUI JAZ UM COVARDE!


78624FEV08, domingo.
A Ana Maria me disse que a Cidinha caiu lá em casa em razão dos medicamentos que tomou. Isso me entristeceu. Disse que meu filho tem sido atencioso e cuidadoso com ela; isso é fundamental e muito me animou saber. Ela sempre costuma me dar alguns doces e hoje não foi diferente. E nada mais que mereça ser dito!
78725FEV08, segunda-feira.
O Roger é muito mulecão e não será fácil lhe ensinar o francês. Ele brinca o tempo todo e nem parece que tem um abacaxi enorme pra descascar. Todavia, é inteligente e tem facilidade para aprender, percebi isso.

À tarde jogamos no alojamento cinco um jogo esquisito que ninguém sabia a regra. Utilizávamos três dados e cada um a cada momento criava sua própria regra. Não durou muito e começou o jogo do ludo; eu caí fora. Odeio ludo!


78826FEV08, terça-feira.
Sempre que começo um novo caderno de anotações, a esperança é não chegar ao fim, mas que seja feita a vontade de Deus e não a minha. Cada pequena caderneta que utilizo para minhas anotações diárias é fornecida pelo colega Alves. Sua mulher trabalha no Banco Santander Banespa e sempre ele me presenteia com algumas delas sem que me falte o necessário para registrar os fatos do cotidiano que tomo conhecimento.

Novos colegas vieram para o segundo estágio ontem e um deles é de Assis e se chama Kovat.

Já conhecia “em passant” o episódio lamentável de Canudos, mas resolvi reler e entender melhor como foi este confronto entre as tropas do Beato Antônio Conselheiro e a Milícia Brasileira. Meu Deus! Que COVARDIA! E ainda temos que cantar no Hino da PM que foi “Glória em Canudos”. Foi simplesmente um movimento messiânico que rechaçou por três vezes as expedições militares e que sucumbiu na quarta expedição. É o tema do livro OS SERTÕES de Euclides da Cunha.

Os ataques covardes contra pessoas que não eram más e que foram impiedosamente atacados em 21nov1896, com 100 praças, pelo Tenente Manuel da Silva Pires Ferreira, no primeiro ataque após um anterior com um grupo de 30 praças. A segunda expedição militar ocorreu em janeiro de 1897 com o Major Febrônio de Brito, também sem sucesso. A terceira foi com o Coronel Antônio Moreira César, com 1300 homens, aonde este veio a falecer e foi substituído pelo Coronel Tamarindo (Pedro Nunes Batista Ferreira Tamarindo) e novamente foram rechaçados. Não contentes, uma nova investida com o General Artur Oscar de Andrade Guimarães, formadas de duas colunas com mais de 2000 homens, comandados pelos generais João da Silva Barbosa e Claudio do Amaral Savaget, também com a presença do Ministro da Guerra, Carlos Machado Bittencourt, foi então que cometeram o bárbaro e covarde crime que chocou a nação e a humanidade, pois só mataram velhos e crianças no combate que durou poucos dias (25 a 27 jun 1897). Em 22set1897 matam Antônio Conselheiro e em 05 de outubro morrem os derradeiros defensores “um velho e três crianças”. E o escritor Euclides da Cunha afirma convicto: “Canudos não se rendeu; resistiu até o esgotamento completo.” Em 06out1897, o arraial foi completamente arrasado e incendiado. Contava com 5.200 casebres. Eis o que os militares dizem que foi glória em Canudos. É o que afirmo, sem temer, que foi um massacre sem precedentes e uma COVARDIA indubitável.


78927FEV08, quarta-feira.
Inês não veio na missa ontem e nós ficamos tristes por não vê-la, eu e o Zé. Ele mais ainda.

Falei novamente com o Juiz Substituto e ele me disse que minha situação é boa e que não ficarei muito tempo aqui. Que ele conversará com a Promotora sobre o meu caso. Ele foi muito educado e gentil.

O Loyola foi embora esta tarde. Era um colega muito inteligente no que concerne à música; ele tocava muito bem violão.

Recebi elogios do Coronel Adilson que ora conosco às quartas e me disse muito inteligente e que tenho ótima leitura. Ele também fala e explica muito bem a palavra, pena que é militar. E eu não gosto de militar.


79028FEV08, quinta-feira.
Também estou lendo as Profecias de NOSTRADAMUS (nome alatinado, porque ele é francês do sul da França e se chama Michel de Nôtre-Dame, nascido em 14dez1503 e faleceu em 02jul1566, com 63 anos; é original de Saint-Remy de Provence). Sempre tive curiosidades!

Odeio o jornal matutino da Record com o gordo Faccioli que é muito repetitivo; isso cansa a minha beleza. Nada se compara com o noticiário da Rede Globo realizado pela minha idolatrada e amada Mariana Godoy. Acho que vou dedicar esta obra a ela. Já dediquei!

Através de uma carta da Cidinha, eu soube que minha irmã virá me ver domingo. Será que já acabaram os mantimentos dela?
79129FEV08, sexta-feira.
“Fora do catolicismo, não há salvação.”

(Nostradamus)

Uma sexta-feira atípica, pois não me lembro de nada mais importante que tenha ocorrido, exceto minha leitura exaustiva do livro de Nostradamus que me apresentou curiosidades do tipo: as 07 maravilhas antigas, as 07 artes, os 07 pecados mortais, as 07 virtudes, as 07 igrejas iniciais do cristianismo, os 07 postos da hierarquia católica e aí eu quis saber das 07 últimas maravilhas do mundo moderno e não fui capaz de me lembra de duas. O Coliseu (ITA), O Cristo Redentor (BRA), As Muralhas da China (CHI), O Taj-Mahal (IND), Machu Pichu (PER), e? Até o final do diário hei de me lembrar. Espero!
79201MAR08, sábado.
Nada de nada! Só tédio e a mesma rotina do fim de semana, exceto o filme que assisti a noite no nosso Cine Spinieli. Que mau gosto tem este Major! Ele poderia nos ofertar filmes mais inteligentes e culturais. Por isso que dificilmente vou ao cinema.
79302MAR08, domingo.
“Soria era uma pequena cidade e seu único poeta famoso dissera que o caminho é feito ao andar.”

(Paulo Coelho)


Se alguém me vir sem um livro na mão, então me leve ao médico porque estou com algum problema. Não consigo! Estou viciado em leitura! E agora é a vez de devorar Paulo Coelho e por isso, NA MARGEM DO RIO PIEDRA EU SENTEI E CHOREI, é o próximo.

O Sr João Maria é muito parecido com o meu ex-sogro Sr Manoel Caetano e tivemos uma longa conversa esta manhã. Ele é pedreiro.

Ontem o Alves me pediu que elaborasse um texto sobre o Valor da Amizade e eu o fiz no mesmo instante e dei a ele. Na hora ele leu e me encheu de elogios dizendo que estava excelente e que não sabia de onde eu tirava tantas idéias bonitas com tanta facilidade O engraçado é que o Satélis havia me pedido um no dia anterior e também muito me elogiou. Depois me confessou que era pra um trabalho na Faculdade.
79403MAR08, segunda-feira.
“É preciso correr riscos; só entendemos direito o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça.”

(Paulo Coelho)


O Dr. Christian me enche de promessas que não pode cumprir e com isso vai me enrolando.

Fiquei curioso por saber qual o crime do alemão de Assis e me disseram que ele está sendo acusado de ter assassinado uma moça que estava grávida dele, pois ele estava noivo de outra e não queria que a vítima o atrapalhasse, disseram as más línguas. Será?

O Gustavo se foi esta tarde!
79504MAR08, terça-feira.
“Ninguém consegue mentir, ninguém consegue esconder nada quando olha direto nos olhos. E toda mulher, com um mínimo de sensibilidade, consegue ler os olhos de um homem apaixonado.”

(Paulo Coelho)


A intolerância é a mãe dos crimes e faz o inferno estar em toda parte. Foi o que vi esta manhã entre o Edinan e o Stefanoni que discutiam por nada. Saí de imediato.

Vimos a Inês e eu pedi a ela os favores de costume.


79605MAR08, quarta-feira.

“Existem coisas na vida pelas quais vale a pena lutar até o fim.”

(Paulo Coelho)

Lerei e explicarei o Salmo 45 na reunião de hoje. Apesar de não gostar de ter sabido que o Adilson é PM, assim mesmo irei. Não sei até quando; prefiro as reuniões das terças-feiras. O Zé voltou a declarar-se pra Inês ontem e ela permaneceu impassível. E ela me confessou que seu pai sabe deste amor do Zé; do nosso amor por ela. Mas ele tem sido camarada e sutil.

O colega Leonel (o “brechoso” que já deu duas mancadas), não está sendo bem visto pela maioria que teme ser prejudicada por causa das infantilidades dele. O “Trinta” ficou furioso com o Alécio por ter cumprimentado o “Bob Gel” lá no refeitório. O combinado é dar uma gelada nele; todos. Por causa dele eu ouvi dizer que o Hudson também desceu para a subseção. É que o maldito do “Gelzinho” não se contentou em encher a cara com álcool e refrigerante, nem com a tentativa de homicídio com a cordinha de varal e agora apareceu com um telefone celular e envolveu vários idiotas na sua rede de idiotices.

Ouvi o Dey dizer que são nove os envolvidos no caso do celular. Isso vai dar pano pra manga!


79706MAR08, quinta-feira.
“É desnecessário conversar sobre o amor, porque o amor tem sua própria voz, e fala por si próprio. (...) O amor é sempre novo. Não importa que amemos uma, duas, dez vezes na vida – sempre estaremos diante de uma situação que não conhecemos. O amor pode nos levar ao inferno ou ao paraíso, mas sempre nos leva a algum lugar. É preciso aceitá-lo porque ele é o alimento de nossa existência.”

(Paulo Coelho)


Recebi elogios pela minha apresentação do Salmo 45 ontem. Sim, eu faço uma boa leitura e me preparo para executar bem o que me é solicitado. Não sou modesto e odeio a falsa modéstia de muitos colegas meus. Sou tímido, às vezes, mas é só no início do discurso, depois tudo flui naturalmente. Reconheço que leio e falo bem quando domino o assunto.

A TV não cansa de relatar o episódio de Bauru e o colega Emerson está sendo visto como delator dos seus colegas.

A Justiça está sendo rigorosa demais comigo! Por que meu Deus!
79807MAR08, sexta-feira.
“A verdade está sempre onde existe a fé. (...) Você está me fazendo feliz. E a felicidade é algo que se multiplica quando se divide.”

(Paulo Coelho)


O retorno do Loyola e do Gustavo causou espanto entre nós, felizmente eles voltaram como agregados ao PMRG e não como internos. Também houve a subida para o segundo estágio do meu colega Roque, o “Pedrinha”, que teve problemas lá na subseção e foi obrigado a subir. Meu Deus! De novo ao lado do Roque; ninguém merece!

O coitado do Roque ao ser abraçado pelo Ricardo chorou copiosamente. A PM está torturando este menino que precisa de tratamento e não de cadeia. Miseráveis! É por isso que odeio o regime militar e todo tipo de polícia, Eles não são humanos depois que vestem a farda ou que são investidos do “poder”.

Odiei o comportamento do César ao debochar do Roque e quando falei mal da PM o desgraçado veio me dizer que eu devia agradecer por receber salário da PM, já que sou aposentado. Ele não me conhece; tenho profissão. Sou Professor. Não vivo deste mísero salário, dou para minha esposa e filho. Maldito! Deveria lavar a boca antes de falar de mim. Não tenho culpa se ele foi expulso da PM e não recebe mais nada.
79908MAR08, sábado.
“Os apóstolos eram pescadores, analfabetos, ignorantes. Mas aceitaram a chama que descia do céu. Não tiveram vergonha da própria ignorância: tiveram fé no Espírito Santo.”

(Paulo Coelho)


É o Dia Internacional da Mulher e eu penso na Cidinha, na Inês, na Izildinha, na Neusa, na Dilaine, na Valdete, Na Cirlene, na Marina, na Juliana, na Veridiana, na Cristiane, na minha mãe, irmãs e na minha doce e amada que não mais vive. Sei que o Zé deve estar pensando na sua “Italianinha” que já morreu. Que Deus as protejam todas. E há muitas outras nas quais penso e peço que me desculpem por não citá-las. Não é por isso que as amo menos.

O que seria de nós homens sem as mulheres? Nem teríamos o direito de questionar sobre esta possibilidade? Já que sem elas nem existiríamos! Obrigado por nos fazer felizes.


80009MAR08, domingo.

“Mesmo que todos tenham fugido no final, e só ela, outra mulher, e um deles tenham ficado aos pés da cruz, agüentando o riso dos inimigos e a covardia dos amigos, ‘seja feita a vossa vontade’.”

(Paulo Coelho)
O domingo é o dia das lamentações do “Gaba” que me conta pela milésima vez sua triste e hedionda história do assassinato de sua esposa. Ele dizia estar sendo perseguido pelos integrantes do PCC (1533) e foi por isso que cometeu o bárbaro crime contra sua esposa grávida. A PM ainda lhe disse como consolo que: “UM OFICIAL NÃO COMETE UM CRIME”, palavras do “Gaba”. Qual terá sido um infeliz que disse isso a ele num momento tão angustiante pro coitado. Maldito seja este insensível!

Trabalhei na cozinha este domingo e conversando com o Ivam, ele me disse que finalizou o noivado. Sua ex-noiva cansou da espera por sua saída da prisão. Ele é um bom camarada e eu senti pena dele. È religioso católico, tranquilo, companheiro, etc.


80110MAR08, segunda-feira.
“O amor permanece. Os homens é que mudam. (...) Só quem é feliz pode espalhar a felicidade.”

(Paulo Coelho)


Tivemos que ouvir em forma, como forma de castigo, um “tenentinho” de merda falar em patriotismo pra nós que somos míseros internos e que não estamos nem aí com a Pátria neste momento. O que queremos é estar livres da opressão do regime militar e das grades que nos prendem; nada mais. Será que tem algum louco patriota aqui neste momento? Se tiver, por favor, me emprestem um fuzil ou uma pistola para que eu dê fim nele.

Concluí a leitura do meu terceiro livro do autor Paulo Coelho e irei ler todos os livros dele assim que deixar o cárcere e tiver dinheiro para comprá-los, pois sabido é que nenhum prisioneiro sai rico da prisão, antes, pobre, frustrado, arruinado, sem auto-estima, ferido, muitas vezes abandonado pela família, desempregado, etc. E ainda vai sofrer o preconceito social que é devastador.

Quem é este bruxo que me encantou com suas obras? Serei eu sua sombra um dia? Ou algo como a poeira dos seus pés, no que tange ao mundo literário? É ser pretensioso demais? Seria ele um profeta, um visionário, um bruxo, um “deus”, um mensageiro da paz? Ele me fez acreditar em mim.
80211MAR08, terça-feira.
“Amor é querer estar preso por vontade.”

(Camões)
O Sr Almeida precisa acordar pra vida e ver que ele não está na casa dele e parar de reclamar do ventilador. O que ele quer que eu faça? Que brigue com toda a bandidagem por causa da intransigência dele? Cansei! Vá pro inferno! Ele já criou problema com o Célio “Alemão” e quer me meter em confusão?

Sonhei com minha mulher chorando e meu filho a amparava; isso é mau presságio! Acho que ainda vou permanecer aqui por muito tempo, Todos mentiram pra mim! Merda!
80312MAR08, quarta-feira.
“Ninguém é de ninguém. Todo ser humano é um estranho ímpar.”

(Drummond)


O Zé me contou algo sobre a Inês e me pareceu que era a mim que ela contava. Falou a ele do seu sonho de ter três filhos, que adora dançar e que vai ao Clube da Vila Galvão em Guarulhos sempre que ela pode. (Um dia irei lá mesmo se eu não a encontrar, profetizou o “Zé”).

Ela ainda manifestou o desejo de ter sua casa própria, já que mora com os pais juntamente com seu filho, irmãs, etc.(disse-me o colega). (Ela me mostrou seus olhinhos, retirando os óculos que habitualmente usa; ainda bem que o Zé não sabe deste detalhe. Ela sente algo por mim, eu percebi isso). Ou será pelo Zé?

Meu caro Camões, você estava certo ao afirmar que amor é fogo que arde sem se ver. Estou sendo incinerado de ciúmes e amor. Mas “é dor que desatina sem doer!”

E enquanto eu vivo a alegria de amar, os colegas da subseção tiveram outro “arrebento” hoje. Pena!


80413MAR08, quinta-feira.
Chovia fino e o colega Alécio caminhava sob a chuva como uma criança feliz. O Tinoco “o popular carteiro Jaiminho” me afirmou que devíamos orar pelo colega que se deliciava sob a chuva. De fato, o Alécio tem uns traços de pessoa insana; mas quem não tem? E sabido é que a maioria dos militares em fim de carreira comumente enlouquecem. Isto é fato!

Outra boa notícia foi a liberdade do “Tio Chico”, o padeiro que me ensinou, juntamente com o Payão. Ele passou aqui mais de cinco anos acusado e condenado por roubo.

O “Caipira”, Lindomar, me comunicou a vinda da minha irmã domingo. É bom porque ela levará os alimentos pra casa dela.

Esta semana começou o serviço de raspagem dos tacos do alojamento e isso faz uma sujeira danada, apesar de ficar muito bom depois.


80514MAR08, sexta-feira.
Esses malditos militares gastam demais e não têm respeito pela coisa pública. Tem aquele que passa mais de uma hora no chuveiro e não está nem aí com o colega ou com o gasto de água e energia do Estado. Também o Estado não fiscaliza isso. É o olho do dono que engorda o gado, todos sabem disso. E eu vou citar alguns dos vagabundos que são esbanjadores, são eles: O Enoque, o “Doidinho, o Eliel, o Gabarron, o Apoena, entre tantos outros. Qualquer escritor covarde teria medo de delatar os colegas; eu não.

Não acredito que eles façam isso na casa deles e lhes disse isso, ao que me responderam que realmente não fazem. Por isso que aqui deveria ser como nas prisões comuns; banho frio e rápido.

E ainda, perfuram as paredes do corredor e dos alojamentos para pendurarem seus quadros de artesanato; eu já fiz isso também, mas reconheço estar errado.

Na hora das refeições parecem porcos e sujam as mesas de maneira que acredito que não fazem em suas casas, E adoram serem os primeiros nesta hora, exceto os mais educados que nunca se adiantam pras refeições. O Ricardo, o Bianchi, eu e poucos outros.

O colega Wesley foi embora! Que legal! Ele é de Santo Anastácio, região de Presidente Prudente. Quase meu vizinho! Ah! Era um excelente jogador de bola do nível de Maldonado, Eliel e Peixoto.

Enquanto uns saem, outros chegam, e eu acabei de saber que chegou um militar do nordeste brasileiro que foi denunciado por sua esposa após uma briga de casal. Segundo as más línguas, ele é acusado de ter cometido um latrocínio onde morava e veio pra São Paulo.

Soube ainda, através das mesmas más línguas que o crime do Célio foi horrível e que, mesmo após alguns dias, o feto sobreviveu no corpo da vítima que estava morta e grávida. Que horror! Será verdade?
90615MAR08, sábado.
A entrada do PMRG é paradisíaca, mas quem viveu os horrores da subseção sabe que tudo isso é engodo. Coisa pra inglês ver. Não é o que escreveu o jornalista da REVISTA PLAYBOY em novembro de 2006, como consta na abertura deste humilde diário.

Tive uma conversa longa com o Quirino hoje e falamos sobre esta situação que nos encontramos e lamentamos. Pensamos igualmente sobre esta estrutura falida e mentirosa que é a PM. Aqui há tudo, mas só no papel, pois na realidade nada funciona, excetuando o “chicote”, isto é, nunca nos esquecem de nos punir por nada. Isso é um aprendizado que ficará pro resto de nossas vidas, disse o Quirino.

Aqui são comuns mentiras que nos levam a desacreditar de tudo e todos, pois agora mesmo ouvi dizer que o militar do nordeste é um desertor e não latrocida.

O “Bruninho” veio criar confusão comigo de novo. Agora por causa de um lugar de visita. Merda!


80716MAR08, domingo.
Não restei muito tempo com minha irmã e logo a dispensei com as coisas que pedi que ela levasse pra mim. Foi um domingo horrível. Sem comentários.

Nunca comentei das remições que faço e que não me serão úteis para a contagem do tempo em prisão porque na verdade eu não sou um apenado, e sim, cumpro MEDIDA DE SEGURANÇA. Alíás, alguém me falou do Código 777 do Processo Penal que eu preciso pesquisar.


80817MAR08, segunda-feira.
“O Estado é o mais alto fim do homem, e, assim, não há mais elevado fim do que servi-lo. Considero tal fato não um retrocesso ao paganismo, mas um retrocesso à estupidez.”

(Friedrich Wilhelm Nietzsche)


Choveu quase a noite toda e tomara que continue assim pra não termos que entrar em forma.

Minha irmã veio ontem e levou as coisas que eu tinha arrumado para ela levar. Foram menos de duas horas de conversa, o suficiente para se dizer tudo o que um deveria dizer ao outro. Sempre que ela vem, eu costumo dar a ela o pouco do dinheiro que tenho escondido pra que ela pague o combustível que gasta pra vir aqui.

O Gabarron e o Roger sempre me dão doces e chocolates nos finais das tardes de domingo.

Escrevi uma carta ao jornalista André Petry da Revista Veja denunciando o descaso da Justiça Militar conosco. Falei particularmente do meu caso, mas sei que ele não me responderá ou sequer lerá.

Fiquei perplexo ao ver uma comunicação do Cabo Franquim porque surpreendeu o corneteiro tocando uma canção popular ao invés do toque habitual da Corneta. É inacreditável que alguém possa ser punido por isso. Aqui é proibido pensar ou mostrar suas habilidades artísticas. Que horror!
80918MAR08, terça-feira.
Somos animais acuados por outras feras ainda mais perigosas e não temos chances de fugirmos porque estamos confinados em cubículos que nos aniquilam e nos comprimem uns aos outros. Impossível sair ileso; sobreviver é o lucro diuturno.

Conversei novamente com a Procuradora Elizabeth e ela me disse que solicitou novo exame médico que deverá ser em junho e, que, portanto, tenho que permanecer calmo e aguardar pacientemente.

A maldade humana me estarrece e odeio vê TV quando as notícias são de atrocidades cometidas contra crianças e velhos. Desta feita foi a vez da pobrezinha Lucélia de 12 anos que foi torturada em Goiânia.

Falei com Inês sem que o Zé soubesse e dei a ela um recadinho por escrito.


81019MAR08, quarta-feira.
A chuva parou e faz um bom tempo agora, Isso permitiu que alguns colegas do semi-aberto pudessem sair e passar s Semana da Páscoa na casa deles. E quando brilhará o sol da liberdade para mim, meu Deus?

Os colegas Fernandes e Rodrigo se foram de vez; acabou a prisão para eles.


81120MAR08, quinta-feira.
Ainda ontem foi embora o Tenente interno Magno lá da subseção. E, por vezes,vão tantos outros de lá que eu nem fico sabendo por sermos de estágio diferente.

Esta manhã em forma o Roger passou ao lado do Sr Almeida e soltou um “pum” bem forte; todos riram, inclusive eu. Ninguém gosta do Sr Almeida pelo fato dele ser acusado de pedofilia.

Passado isso eu conversei com o Cabo Adilson sobre a parte do Franquim no colega Henrique e ele me confirmou que o Henrique havia sido mal educado com o superior e falado de uma maneira estúpida e ríspida com ele, daí o motivo da comunicação.

Preocupo-me 24 horas com meu filho e sei que minha ausência poderá lhe ser prejudicial e temo que ele possa ter problemas emocionais em razão disso tudo, Penso que a PM de Maracaí possa persegui-lo e prejudicá-lo por não gostarem de mim. Proteja-os meu Deus por mim, meu filho e esposa.

Como é horrível ouvir as histórias da prisão e saber, por exemplo, que um colega pegou 144 anos de reclusão pela prática de latrocínio, ou seja, por ter matado 04 pessoas e 02 tentativas. Ele mesmo me narrou tais fatos na barbearia onde ele era barbeiro, Ele é frio; extremamente frio e mau. Ele me disse: “Matei porque o bacana mentiu que não tinha dinheiro e o cofre estava recheado de dólares. Então perguntei a ele se o que valia mais, a vida dele ou da sua família?” Ele achou que o dinheiro era mais importante e daí meti bala em todo mundo, mas tem sempre um desgraçado que fica vivo para nos delatar e esse me conhecia.
8122MA08, sexta-feira.
Foi mais ou menos nesta época que o Levorato chegou à prisão e ele me contou que o Sargento Lino o maltratou dizendo: “O problema é seu; não toque os pés na parede e afaste-se do balcão.” Sé é verdade ou não, foi o que me disse o colega. Após ele riu e disse que este é um lugar de provações e que estamos aqui pra sermos humilhados.

81322MAR08, sábado.


Ontem eu vendi uma caixa de material de pintura que estava me incomodando na limpeza da Biblioteca pro Stefanoni. Ocorre que ela estava ali há dias e ninguém soube me informar de quem era, mas foi só eu vendê-la que o dono apareceu; era o Gabarron. Eu queria me livrar da caixa, mas não pensei que fosse causar tamanho embaraço e comentários. A princípio pedi 50 reais, 20 reais, 04 dias de faxina e por fim acabei dando o que não era meu. O Gabarron soube e veio me perguntar por que eu vendi os objetos dele, e eu disse que não sabia a quem pertencia e que aquilo me incomodava e que ele fosse ter com o Stefanoni que acabou negociando com ele. Achei que era do Mello que já tinha ido embora e que não tivesse dono.

Todos sabem da história e me culpam por vender o que não me pertencia, estão até me chamando de Davi Granziero por causa do grande estelionatário que aqui se encontra e que se chama Granziero.
81423MAR08, domingo.

Trabalhei no lugar do Leão neste domingo e este dinheiro eu vou dar a outro que fará a limpeza do banheiro para mim; odeio lavar banheiros.

Desagradável foi estar no banho e ser chamado pelo Xavier par ir lavar as xícaras dos oficiais após ter terminado o meu turno de trabalho.
81524MAR08, segunda-feira.
“A loucura não passa de uma máscara que esconde alguma coisa, esconde um saber fatal e demasiado certo.”

(Nietzsche)


Eu saía do banheiro quando o Cabo Franquim pegou em minhas mãos molhadas e disse-me: “Tu és ‘meu’ truta”. Fiquei sem entender!
81625MAR08, terça-feira.
Por causa das reformas que estão sendo feitas nos alojamentos, tivemos que nos apertar um pouco mais e agora somos 16 colegas, isso por duas ou três semanas.

O piso está sendo raspado e novamente envernizado e está ficando excelente.


81726MAR08, quarta-feira.
Detesto ouvir falar sobre o me ronco! Estes miseráveis adoram me azucrinar por nada. Eles sabem que não ronco porque quero incomodá-los.

Clamei aos Cabos Adilson e Franquim e eles me prometeram me ajudar falando com o Sargento Lino.

Devo ir a um novo interrogatório ao Fórum Barra Funda no dia primeiro de Abril às 16h. O que será desta vez.
81827MAR08, quinta-feira.
“É a loucura que torna mais plano o caminho para as idéias novas, rompendo os costumes e as superstições veneradas e constituindo uma verdadeira subversão dos valores.”

(Nietzsche)


O “Chico Bento” é o meu vizinho de ronco e ele está puto com o barulho que faço, deixou até de falar comigo.

Difícil foi ouvir as mentiras do Vasconcelos na reunião de ontem. Todos ficaram estarrecidos e não viam a hora do desgraçado parar de falar tanta mentira. Ninguém quer saber se ele matou mil ou milhão de pessoas. A gente queria era orar e louvar a Deus. Ele foi infeliz e inconveniente.

O bom é que sonhei com a “Rosa”. Ela veio do mundo dos mortos pra me visitar no cárcere com seus olhinhos verdes e maravilhosos, Merci! Mon Dieu!

Falar com a Procuradora Elizabeth é sempre bom e agradável, mesmo se há dias em que ela nos dispensa cedo. Porém hoje, a nossa conversa foi mais longa e ela me aconselhou a sair de minha cidade, pois teme que eu volte pra cá.


81928MAR08, sexta-feira.
Há sempre algum maldito pronto pra nos denunciar aqui e eu percebi que o Denílson e o Edinan não gostaram de eu desejar bom dia ao Cabo Franquim quando ele entrou para a revista matinal.

Soube agora porque tenho que ir ao Fórum dia primeiro de Abril. É porque o fui novamente processado pelos artigos 331 (duas vezes) e pelo artigo 344 (uma vez) tudo do CPB por ter ameaçado o Promotor LEONARDO AUGUSTO GONÇALVES.

Assinei como forma de deboche e protesto o nome do grande e incomparável escritor e teatrólogo francês, Jean Baptiste Poquelin “Molière”. O Roger riu quando lhe contei e contou pra toda sua família. Fui chamado de volta pra assinar novamente e fiz um monte de rabisco na folha e fui advertido que poderia ser processado de novo por danificar documento público. E os danos que eles me causaram?
82029MAR08, sábado.
“Onde existe loucura há um grão de gênio e sabedoria, alguma coisa de divino. (...) Eu não sou um homem: sou dinamite.”

(Nitezche)


Tivemos que mudar para o alojamento dois em razão da reforma do alojamento quatro, e está uma verdadeira bagunça em tudo aqui mal dá tempo de fazer o meu diário.

Preocupa-me também ter que comparecer ao Fórum dia primeiro e isso me deixa apreensivo demais.


82130MAR08, domingo.
“É então necessário que haja crimes e males, e que os males tombem sobre as pessoas de bem?

(Voltaire)


O domingo é tão vazio pra mim que eu não quero que o leitor sinta-se tão vazio como eu; passemos adiante.
82231MAR08, segunda-feira.
“O Gênero humano é capaz de tudo. Nero chorou quando teve que assinar a sentença de morte de um criminoso, representou farsas, e assassinou a mãe.”

(Voltaire)

Odeio trilhar o caminho pronto, preciso sempre construir o meu. Não gosto de ver noticiário, prefiro ler, não gosto de respostas prontas, prefiro questioná-las. Odeio imbecis! Por isso, quando me limito a ver telejornais, eu procuro aqueles menos medíocres que a meu ver são os da TV Globo. Eu odeio o Datena e o Faccioli.
82301ABR08, terça-feira.
“A maldade dos homens apresentava-se-lhe ao espírito em toda a sua hediondez: Cândido só alimentava idéias tristes.”

(Voltaire)


São 02 anos e três meses na prisão e eu não suporto as provocações diárias desses miseráveis com os quais sou obrigado a conviver. Falei ao Sargento Lino o quanto tenho sido hostilizado pelos companheiros e ele me pediu tranquilidade, mas nada fez de prático para me ajudar.

Que horror é estar nos corredores do Fórum Barra Funda em São Paulo. Lá estive esta tarde para o meu interrogatório e vi presos serem conduzidos aos bandos como se fossem animais rumo ao matadouro. Quantas mulheres lindas envolvidas no mundo do crime que poderiam ser modelos ou excelentes mães.

Falei com o Juiz que foi muito atencioso comigo e me proferiu vários elogios, dizendo que articulo bem as palavras e que acreditava em mim, além de achar minha pena excessiva por crime nenhum.

Antes, porém, o escrivão foi muito indelicado comigo e o Soldado Barbosa do PMRG ainda mais porque eu escrevi uma carta e levei e pedi ao Juiz que anexasse ao processo. O Juiz acatou, mas o policial queria arrancá-la de minha mão à força e só não o fez porque o Juiz não permitiu. Depois no trajeto até o PMRG ficou me torturando dizendo que comunicaria o fato, mas foi alertado pelos colegas que não devia fazer isso porque não haviam me revistado e isso poderia lhes causar problemas. Além disso, levei uma caneta no bolso sem achar que isso fosse me criar embaraços. Mas o Juiz percebeu e chamou a atenção do PM Barbosa que ficou furioso comigo.


82402ABR08, quarta-feira.
Li Voltaire a tarde toda.
82503ABR08, quinta-feira.

Os correios estão em greve. Pior pra mim que gosto de enviar minhas cartinhas.

O noticiário só fala do caso Isabella e isso já me sufoca. Não há mais nada de novo na TV. Por que um pai faria isso? E depois o louco sou eu!
82604ABR08, sexta-feira.
“O que é Otimismo? É a mania de sustentar que tudo está bem quando tudo está mal – suspirou Cândido”

(Voltaire)


O “Sabão-de-mula” quer punir o Sr Almeida e fazer o pobre velho pedófilo fazer faxina. Por quê? Maldade! Pura maldade. Pra que mudar a escala?

Desde domingo passado que a TV só fala no caso Isabella, a pobre e inocente garotinha que foi defenestrada do sexto andar pelo próprio pai. Por que, meu Deus, as crianças devem passar por isso?


82705ABR08, sábado.
“Os homens são – ou que tenham sempre sido - mentirosos, trapaceiros, pérfidos, ingratos, ladrões, inconstantes, covardes, invejosos, glutões, bêbedos, avarentos, ambiciosos, sanguinários, caluniadores, debochados, fanáticos, hipócritas ou tolos?”

(Voltaire)


A Cidinha me escreveu uma carta afirmando que seus cabelos começam a cair e que isso lhe tem causado constrangimento, a tireóide é uma doença idiota e causa mal estar e desconforto entre as pessoas que a tem.

A minha irmã está com o mesmo problema só o que ela tem na garganta e minha mulher é no sangue. Não sei como isso funciona porque não sou médico.


82806ABR08, domingo.
“Os tolos admiram tudo em um autor estimado. Leio apenas para mim: só gosto do que está na minha medida.”

(Voltaire)


Disseram-me algo muito triste sobre o Geraldo Vandré e eu espero que seja uma enorme mentira. Não acredito que ele ande pelas ruas de São Paulo pedindo esmolas! Ouvi dizer que o GRANDE Vandré está na miséria. Eu insisto em não acreditar. A Sociedade não pode dizimar seus intelectuais (eu choro) porque ele embalou minhas noites, tardes e dias aqui na prisão até agora. Eu canto Vandré e sei que o regime militar é uma grande merda. “Há soldados armados, amados ou não, quase todos perdidos de armas na mão nos quartéis lhes ensinam antigas lições de viver pela Pátria e viver sem razões...” Isso é Vandré! Onde você estiver, eu amo você!

Minha irmã veio e se foi, aí então o Roger me convidou para me sentar à sua mesa e comer chocolates e doces com seus irmãos Rogério e Marçal.


82907ABR08, segunda-feira.
“Sim, é belo escrever-se o que se pensa; é o privilégio do homem.”

(Voltaire)


A estupidez humana me surpreende a todo o momento e hoje em forma eu fui chateado pelo ladrão Ataíde que me empurrou na fila dizendo que ele era sargento e que eu devia ficar em outro lugar. Havia soldados ali, mas o imbecil queria me ferir; eu sou interno (cabo) e nada disse.

Saí de forma e disse a ele; fica aí trouxa e marche. Falei ao Tenente Landim que estava mal do estômago e não participei do desfile matinal. Idiota! E ri dele.

83008ABR08, terça-feira.
“O Trabalho afasta de nós três grandes males: o tédio, o vício e a necessidade.”

(Voltaire)


O Dr. Christian me disse que está se esforçando pra que eu deixe este lugar e que o Juiz tem perguntado de mim. Fico em dúvida e não sei se acredito ou não. Muitos dizem que ele gosta de nos enrolar; vou acreditar.

Esta manhã eu vi a Dilaine e ela estava linda como sempre, só que prefiro vê-la à paisana. Mulher fardada parece homem. Até a Terezinha é muito mais linda quando não usa farda; a mulher fardada fica máscula.

No alojamento dois veio mais colegas morar conosco: o Moralles, o Eliel e o Zé Reinaldo. Fiquei sabendo que o Moralles é estuprador, o Eliel é latrocida e eu já contei a história dele nas páginas anteriores, mas nada sei e nem ouvi comentar do Zé Reinaldo; nem tive a curiosidade de ver seu crachá com seu crime, mas acredito ser furto o roubo. Exceto o Eliel que conta suas vantagens como criminoso, os outros são bons colegas.

Com a nossa vinda pro alojamento dois eu perdi minha antiguidade e o Dey passou a ser o mais antigo e eu o sexto mais antigo, pois havia antes de mim o próprio Dey, o Eliel, Carvalho, o Pinho, o Edinan e eu. O Stefanoni bateu o pé e jurou ser mais antigo que eu, tomando o meu lugar embaixo, na jéga. Não precisava mentir, pois todos sabiam que ele não era mais antigo que eu; não liguei e dormi no segundo andar junto com o Moralles e o Zé Reinaldo. Velho sem vergonha e trapaceiro!

83109ABR,quarta-feira.
“Não encontrei ninguém que quisesse aceitar o pacto de se tornar imbecil para andar contente. (...) Parece uma insensatez preferir a razão à felicidade.”

(Voltaire)


Que grande escola de vida! Aqui se conhece o ser humano nos seus mínimos detalhes e em toda a sua covardia; maldito Stefanoni. Embora muitos quisessem sair em minha defesa, eu achei melhor deixar que esse idiota se passasse por experto. Não bastava mentir, era só me pedir a jéga debaixo e eu a cederia.

83210ABR08, quinta-feira.


“As riquezas só servem para corromper o coração. (...) As grandezas deste mundo não valem um bom amigo. (...) A ventura não está na vaidade.”

(Voltaire)

Os colegas que não gostavam de mim adoraram a mudança de “chefia” do alojamento e agora eu não apitava mais nada, era o sexto mais antigo e nada podia dizer. Foi melhor assim. Agora o “cara-de-borracha”, o Dey, era o mais antigo.

O mau cheiro desses internos me enoja e eu não consigo me livrar deles. Por todo canto tem um porco a me espreitar e a exalar o mau cheiro de interno confinado.

A Procuradora Elizabeth me disse que o TJM determinou meu exame com o Dr. Christian no dia 03 de Abril e eu o fiz dia 07 e ele me confirmou que o enviou no dia 08.

Escrevi para a Cidinha e pedi que ela fosse minha Curadora e não mais o Júnior. Após várias tentativas de ligar em casa e pedir várias vezes para a Tenente Márcia, o Sargento Lino disse que eu poderia ter pedido diretamente a ele e tudo se resolveria. Fiquei feliz ao saber que conto com o prestígio dele.


83311ABR08, sexta-feira.
“Muitos bons burgueses, muitas grandes cabeças, dizem, com ar importante, que os livros não servem para nada. Mas não sabem, esses vândalos, que não são governados a nãos ser por livros? Não sabem que o código civil, o código militar e os Evangelhos são livros dos quais dependem continuamente? Leiam, esclareçam-se; só pela leitura se fortifica a alma; a conversação a dissipa, o jogo a limita.”

(Voltaire)


Não me lembro que colega me perguntou qual nome eu levaria daqui como lembrança por ter sido um bom colega de prisão e eu não hesitei em dizer que é o Alessandro, o “cavalinho”. E por qual razão? Porque ele está sempre sorridente e nunca me tratou mal.

É claro que há muitos outros, mas como ele pediu apenas um!


83412ABR08, sábado.
“Trata os livros como aos homens; escolhe-os e nunca se deixe levar pelos nomes.”

(Voltaire)


No Brasil é conhecida a Justiça dos Três P(s), ou seja, só ficam presos os que são pobres, pretos ou prostitutas (os). Eu sou preto e pobre.

Será que no caso Isabella, alguém ficará preso tanto quanto eu? Eu não defenestrei ninguém e aqui estou. O Alexandre Nardoni e a Ana Carolina Jatobá serão muito mais privilegiados do que eu, alíás, já foram não sendo presos em flagrante. Enquanto o idiota aqui está há mais de dois anos por um falso crime intrujado de Desacato.


83513ABR08, domingo.
“A maioria dos leitores gosta mais de se divertir do que instruir-se. Daí vem que há (centenas) mulheres que lêem as Mil e Uma Noites contra uma que lê dois capítulos de Locke.”

(Voltaire)


Que lugar! Que inferno! Que espécie de homens! Ficamos um tempão conversando sobre tudo isso no espaço ecumênico, eu, o Sr Almeida e outros.

Não há Justiça na terra, o que há são negociações em nome dela; e negócios altamente lucrativos em detrimento das desgraças de muito infelizes. Não quero amenizar a vida de homicidas, ladrões e etc., mas que fossem julgados com a mesma medida. Não acho justo que alguém que mate uma pessoa com mais de 15 tiros fique tão somente 10 meses na prisão, enquanto quem cometeu um Desacato fique quase três anos. Isso não é Justiça!


83614ABR08. segunda-feira.
“A mulher foi criada para a nossa perdição. E é dela que nos vêm todas as misérias.”

(Alexandre Dumas)


Cansa o caso Isabella na TV. Como também cansa ver que aqui você vale o que tem e não o que é. As amizades são negociadas assim como são negociadas entre Promotores, Advogados e Magistrados a permanência ou soltura de algum preso. Aqui negociamos favores e comestíveis, isto é, se você tem algo a oferecer ao outro, aí então não precisa lavar o banheiro. E é claro que até eu entro neste jogo sujo de comprar o trabalho do outro por três ou quatro reais para não lavar banheiro de bandido.

Decidi não mais orar com a comunidade católica e com nenhuma outra, Vou orar só. Vou conversar com Deus na intimidade e sempre que me der vontade, Não quero comungar na presença desses miseráveis.


83715ABR08, terça-feira.
“Um par de meias finas e brancas, um vestido de seda, uma camisa de rendas, bonitos sapatinhos nos pés, uma fita fresca na cabeça não tornam bonita uma mulher feia, mas tornam linda uma mulher bonita, sem contar que, com tudo isso, ganham as mãos: as mãos, sobretudo nas mulheres, precisam ser ociosas para serem belas.”

(Alexandre Dumas)


Não vou mais pagar ao Júlio para que faça a limpeza do alojamento, mas só do banheiro. Agora com a reforma fica mais fácil para limpar e não tenho necessidade de pagar.

Eu nunca vi tantos homens mentirosos reunidos num só ambiente. Todos eles “comeram” as mais lindas mulheres e aqui não tem nenhum “chifrudo”; como são idiotas! Muitas das mulheres dos que aqui estão devem estar-se deitando com outros e isso não me exclui, apesar de confiar em minha esposa e não querer acreditar nisso.

Está insuportável ficar ouvindo as lamentações do Sr Almeida que vem me dizer que todos o odeiam e o provocam sem ter por que. Ele também é um “véio brechoso” e isso contribui para que os colegas não gostem dele, apesar de serem unânimes em dizer que a filha dele é lindérrima. Ah! Dra Valquíria, Deus colocou em você toda a beleza do mundo e eu fico orgulhoso em ter seu pai como “amigo”.
83816ABR08, quarta-feira.
“O amor é a mais egoísta de todas as paixões. (...) Quando a mulher é rica e o amante é pobre, o que ele não pode oferecer, ela se oferece a si mesma.”

(Alexandre Dumas)


O colega Emerson do caso Bauru foi embora ontem juntamente com outros colegas, mas o Roger não foi. Por que será?

A Justiça é mesmo uma merda! Eu não matei nenhuma criança com choques elétricos e aqui estou. Nem sequer falaram na TV que eu Desacatei o merda do delegado de Maracaí, o investigador, o escrivão, o Promotor e a Juíza. Mesmo assim eu continuo preso enquanto esses que cometem crimes bárbaros estão à solta por aí. Pro inferno esses homens da lei e suas justiças de merda! E ainda corro o risco de ser preso dizendo isso; aliás. Tenho certeza que serei preso se este diário se tornar público.


83917ABR08, quinta-feira.
“Nada faz melhor passar o tempo que o refletir.”

(Alexandre Dumas)


O colega Nadir veio me pedir que o ajudasse a preencher as fichas de cadastro dos seus familiares. Eu o ajudei sem, contudo, notar que as marcas da violência ainda estavam em seu rosto. Ele teve uma briga feroz com seu filho e chegou a atirar contra ele, fato esse que o trouxe para a prisão, segundo informaram as más línguas de plantão. Eu nunca digo a verdade absoluta em meu diário porque ela só me chega sob forma de boato. E quem tem a obrigação de apurar os fatos é a Justiça e não eu.

É a segunda vez que eu o ajudo com sua documentação; este senhor que mora numa cidade praiana. Ainda vou pensar se irei.

Coitado! Ele chegou todo arrebentado na prisão em razão dos fortes golpes do filho por estar embriagado.

No painel do corredor colocaram uma reportagem de jornal falando sobre Pedofilia e uma foto idêntica ao do Sr Almeida para provocá-lo. Ele ficou furioso e comentou comigo.

Mas não é só com os outros que acontecem absurdos, pois eu fui chamado a atenção por falar que na UIS nada se resolve e que ninguém se importa conosco e que a dentista nuca nos atende nas datas marcadas. A maldita “tenentezinha” Andréia ouviu e falou com o Dr. Christian que me deu uma bronca. E disse que eu falei com a intenção de provocá-la; e foi mesmo, não minto.
84018ABR08, sexta-feira.
“Um tratante não ri como um homem de bem, um hipócrita não chora as lágrimas de um homem de boa fé. Toda falsidade é uma máscara, e por mais bem feita que seja esta, é sempre possível, com um pouco de atenção, distingui-la do rosto.”

(Alexandre Dumas)


A tua fé te salvou, são estas as palavras de Deus pra mim hoje. Li-as de manhã em Marcos, capitulo 05. Só ELE pode me libertar deste lugar.

Anotei o número da sepultura da menina Isabella: 21.185, Bairro Jaçanã, São Paulo. Se eu puder, um dia irei até lá.


84119ABR08, sábado.
“-Crê-me, esconde bem as tuas feridas, quando as tiveres. O silêncio é a derradeira alegria dos desgraçados; toma cuidado para que ninguém perceba as tuas dores, pois os curiosos nos sugam as lágrimas como as moscas sugam o sangue de um gamo ferido.”

(Dumas)
O drama do Sr Almeida é terrível porque ele diz coisas sem pensar e a malandragem cai em cima dele. Desta feita, dizem , que estava trabalhando no jardim e disse uma brincadeira com outro colega dizendo que para lidar com plantas era preciso ter muito cuidado e carinho; era como comer “cu” de criancinha, ou fazer sexo com criança, tinha que ser devagarzinho. Imaginem a repercussão disso tudo!

Isso deu até comunicação para pobre do velho responder e ele veio pedir a mim que o auxiliasse a se defender alegando que não falara desta forma. Quase lincharam o coitado por isso. Ninguém gosta de pedófilo e estuprador na prisão; eles são execrados. Senti pena e ódio dele, se realmente proferiu tais impropérios.
84220ABR08, domingo.
“Nada de violência, que a violência é prova de fraqueza”

(Alexandre Dumas)


O Capitão interno Luís Carlos pediu que eu trabalhasse na cozinha para ele neste domingo e assim o fiz. Ele me deu 10 reais que eu repassarei ao Júlio que me lavará o banheiro nos dias da minha faxina.

O PM Zé Carlos me proibiu de tomar café nas grandes xícaras que são para os oficiais, mas ele não proibiu outros que fizessem o mesmo. Isso me deixou indignado com o infeliz. Em seguida vem o César me pedindo café pelo buraco da janela e eu acabei me explodindo com ele. Pois tinha acabado de ser humilhado e não podia atender ao pedido dele na presença do Zé Carlos.

Aguardei a chegada da mãe do Gabarron e pedi a ela que me comprasse três livros originais em francês: Le Petit Prince, Les Trois Mousquetaires et Mes amis, Mes amours. Dei o dinheiro a ela e aguardo que ela me compre; na verdade, pedi para a Cidinha depositar o valor na conta dela.
84321ABR08, segunda-feira.
“Deus que ama os mártires, permite às vezes que se condenem inocentes.”

(Alexandre Dumas)

Em razão do feriado de Tiradentes, teve visitas normalmente. Eu não tive e não faço questão de tê-las. A prisão é minha e não dos meus parentes.

O militarismo é um câncer social e eu não acredito que o Coronel Adilson tenha se convertido após punir, injusta e maldosamente muitos dos seus subordinados. Conheço a “práxis dos oficiais da PM e sei o quanto eles são arrogantes, perversos e mesquinhos. Humilhar-nos é pra eles o maior divertimento de suas vidas; salvo raríssimas exceções. E aí eu posso citar o Tenente Fabião (dentista) e o Major Aguiar.


84422ABR08, quarta-feira.
“Vale a pena divertir-se um instante com os imbecis, dá-se corda, eles se erguem no ar, enormes e leves como elefantes de borracha, puxa-se a corda e eles voltam, flutuam a baixa altura, aturdidos, estupefatos, dançam a cada sacudidela do barbante, com saltos desajeitados. Mas é preciso mudar constantemente de imbecis, senão é a náusea.”

(Jean Paul Sartre)


Ao que crê, tudo é possível. (Marcos, 09). Mas já não sei se creio mais! Tenho vivido dias horríveis e de tortura e perdi a razão de coisas simples, como o crer ou não crer, o ser ou não ser; estou entre a cruz e a cruz, pois se houvesse espada talvez eu não existisse mais. Estou longe do suicídio, mas bem perto da idéia dele.

Não vou às reuniões porque vejo hipócritas que são incapazes de perdoar, O Tinoco é um mentiroso e criador de confusões antes das reuniões; o Júlio nem cumprimenta o Sr Almeida porque o velho é pedófilo; eu e o Zé só vamos lá pra ver a Inês e isso é pura hipocrisia. Então, não vou mais e pronto.


84523ABR08, quarta-feira.
“Quando Deus vê uma de suas criaturas injustamente perseguida, colocada entre o suicídio e a desonra, Deus lhe perdoa o suicido; pois nesse caso, o suicídio é o martírio.”

(Alexandre Dumas)


Tivemos um tremor de terra em São Paulo ontem. Nada que fosse de grandes proporções, mas o suficiente para a TV se fartar de repetir o episódio. Odeio fatos repetitivos e desimportantes; pelo menos pra mim, não é.
84624ABR08, quinta-feira.
Acordar numa prisão é desolador! Isso é visível no semblante de todos e é bom que nem se diga bom dia ao colega porque se corre o risco de ser excomungado.

Li Sartre, A Idade da Razão, e vi como são inconsequentes e vulneráveis os jovens; perdoe-me, mas é a idade mais ridícula da vida. Nem quero me lembrar da minha juventude; não fui feliz. Não tive a mulher que queria, não era amigo do rei e nem fui à Pasárgada. Vegetei enquanto jovem.

Vivo uma grande mentira em meio a muita dor e sofrimento. É preciso mentir pra que se viva bem aqui.

Conheci o Coronel interno Consani Júnior que está envolvido com o caso de prostituição junto com o Paulinho da Força Sindical. Homem jovem e inteligente! Ele foi preso pela Polícia Federal.


84725ABR08, sexta-feira.
Falei com a Procuradora e ela me aconselhou a voltar a falar com o Juiz. Falei à tarde com o Juiz e ele me confirmou que já fez o pedido e enviou o documento para minha perícia médica em 22ABR08. O Juiz foi simpático comigo desta vez e me disse que acredita na possibilidade de minha saída após o exame.
84826ABR08, sábado.
Relembro meus fiéis amigos que não me esquecem e que estão sempre a me escrever, excluindo minha família. Agradeço-os, Sandro e Marcelo Martins Magalhães pelas cartas e orações. O Pastor Milton também me enviou uma carta que muito me sensibilizou por seus dizeres de Homem de Deus.
84927ABR08, domingo.
Espero que este domingo seja melhor dos que os muitos vividos aqui e que venham meus livros franceses. Nada de livros; eles ainda não encontraram onde comprar. Não foi o domingo que eu esperava.
85028ABR08, segunda-feira
O Tinoco esta manhã resolveu me contar o que ele pensa do Roger através dos relatos que o Emerson lhe narrou. Disse que o Roger é um delator e que comunicava todos os seus subordinados sem piedade; que ele era muito duro com todos. Depois acrescentou que não gostava do Roger porque quando ele chegou aqui, ele se fez de orgulhoso e não conversava com ninguém, exceto comigo que era seu “puxa-saco”.

Não bastasse ouvir isso, tive que ouvir o Sr Almeida dizer que eu estava fugindo dele só porque me levantei para buscar outro pão no momento que ele chegou. É ou não um lugar de loucos?


85129ABR08, terça-feira.
O Felipe, de Campinas, tem me acompanhado durante meus escritos aqui no salão ecumênico e ele chora a todo o momento e ora incessantemente pra que Deus o livre daqui. Ele é acusado de matar um homem, que segundo as más línguas era um travesti com o qual ele tinha um caso. E daí? Do que isso me interessa?

Liberdade é sinônimo de alegria e felicidade, por isso não sou feliz e nem alegre aqui.


85230ABR08, quarta-feira.
“Eu imaginava que a liberdade consistia em olhar de frente as situações em que a gente se meteu voluntariamente e aceitar as responsabilidades.”

(Jean Paul Sartre)


Foram embora mais alguns colegas, o Abner, o Pegorer e mais dois. Quando eu irei?

A vida é uma grande farsa! Tudo o que pensava das pessoas era pura utopia. Não somos bons, somos seres abjetos e vis. Cristo não devia ter piedade de nós. Afinal, fomos nós que o crucificamos. Temo a sociedade e seus podres poderes e seus pretensos donos.

O Sr Almeida é execrado por todos e se recorre a mim que já estou sendo chamado de “protetor de pedófilos”, além das inúmeras confusões que tenho evitado só por não discriminá-lo. Por que meu Deus? Deixe que a Justiça cuide dele.
85301MAI08, quinta-feira.
Muitos colegas se foram, inclusive o corneteiro, mas a maldita corneta ficou. Eu odeio cornetas!

Ouvimos cada história aqui neste lugar que parece que quem as conta são grandes mentirosos. E eu temo que o meu leitor pense que sou um contador de histórias mentirosas. Ouça esta: um interno foi “usado” como “isca” para verificar se os guardas da subseção estavam fazendo o serviço deles corretamente, ou seja, se realmente revistavam todos os que saíam e entravam como manda as determinações do PMRG. Então o famoso “Kid Loucura”, o Tenente Moreira, pediu ao Durvalino que colocasse uma faca de cozinha em sua bota (ou sei lá em qual parte do corpo) e fosse para a subseção após o trabalho. É claro que o “asno” obedeceu prontamente a ordem. E ele passou pela revista sem que ninguém notasse nada de errado com ele, ou seja, os guardas relaxaram na revista e isso foi o bastante para que o Tenente Moreira criasse a maior confusão com os guardas. Ninguém gostou da atitude do interno e do próprio Tenente.

A reação dos demais internos quando souberam do fato foi enorme e todos ficaram contra o Durvalino que imediatamente subiu de estágio porque já não tinha mais ambiente lá na subseção e corria riscos de represálias lá.

Aqui, nós somos brinquedinhos na mão desses loucos oficiais e temos que fazer o que eles mandam ou estamos sujeitos a severos castigos. Estamos sempre a um passo do mau comportamento porque o regulamento disciplinar nos pune por razões as mais imbecis possíveis. Basta um oficial não gostar de você e lá está você de volta pra subseção e pro mau comportamento.

Passei a manhã falando com o Coronel interno Consani Júnior sem que soubessem que eu estivesse lá, pois se soubessem, me puniriam. Eu não posso conversar com um superior militar e mesmo porque ele estava impedido de falar conosco. E foi ele quem me disse que temos três tipos de amigos; os que querem nos destruir, os que nos invejam e os que querem tirar proveito de nós.
85402MAI08, sexta-feira.
Eu disse ao Ivam a razão de eu não querer participar das reuniões católicas, não me sinto bem lá e só irei às missas. A presença de Inês já me causa desconforto em razão do que dissemos a ela (eu e o Zé) e que o Ivam não sabe e jamais saberá. O Zé também não irá.

A Palavra de Deus me fortalece, mas também me fragiliza e me faz chorar sempre que penso que aqui estou há tanto tempo e que não sepultei nem minha mãe e nem minha irmã.


85503MAI08, sábado.
Choveu e fez frio! Estou duplamente triste em razão disso. Odeio chuva e frio! Nunca tive tanta dor de cabeça como aqui na prisão e jamais esquecerei isso quando sair daqui.

O Gabarron escreveu uma carta e pediu que eu entregasse ao Psicólogo Dr. Christian e que eu a lesse antes porque ele confiava em mim. Meu Deus! Que horror! Na sua história ele narra que matou sua esposa porque se sentia perseguido por seus próprios colegas militares e pelos integrantes do PCC. Segundo ele, havia militares de alto escalão envolvido com integrantes do PCC e que ele conhecia, sabia de tudo, mas não podia denunciá-los. Dizia que estava de mãos atadas e impedido de fazer o seu serviço honesto. Eis a razão do seu desequilíbrio a ponto de chegar a pensar que sua esposa fosse capaz de matá-lo. Diante das ameaças que ele recebia, ele foi enlouquecendo até o fatídico dia em que se hospedou num hotel com nome falso e acabou executando sua mulher grávida sem saber o motivo.

Ele sempre demonstrou ser um excelente policial e amigo. Sempre me disse que pertencia ao serviço reservado da PM e que sempre agiu com Justiça e imparcialidade diante dos casos que lhe apareciam. Chegou a confessar pra mim que sabia da inocência do PM Ribeiro de Sorocaba e que nada podia fazer para livrá-lo.

Reclamou ainda que nunca recebeu o apoio necessário da PM quando se queixou dos problemas mentais que estava sofrendo. Ninguém o amparou nos momentos mais difíceis da sua vida. A PM, após o ocorrido só se apressou em dar uma resposta pra sociedade, mas que ignorou o oficial que sempre lutou em defesa e proteção desta mesma sociedade. E finalizou verbalmente me dizendo: “O homem militar não é nada, não vale o que come; infelizmente.” (Gaba).


85604MAI08, domingo.
“O melhor alívio para a infelicidade da morte é a gente possuir consigo a solidão silenciosa duma sombra irmã.”

(Mário de Andrade)


Às três horas da manhã deste domingo eu fui ao banheiro e lá estava o Gabarron se banhando e dizendo que não sentia sono há vários dias e que talvez fosse a falta dos medicamentos que não lhe haviam dado corretamente. Contou-me que diria isso ao Dr. Christian e para sua mãe.
85705MAI08, segunda-feira.
Tenho lido a Bíblia como todo bom preso, mas prefiro não falar sobre isso.

Melhor é falar mal dos outros no meu diário e dizer que tenho observado que o colega Stefanoni não tem recebido visitas ultimamente, digo, há mais de quatro domingos se não me falha a memória. Isso faz com que ele fique fazendo aqueles quadros horríveis aos domingos (no corredor) enquanto eu fico cantando como um louco; e às vezes choro quando canto. Sinto saudades de casa!

Minha irmã não veio ontem, mas virá domingo próximo conforme me disse a Ana Maria. Nem meus livros vieram, parece que precisam ser encomendados na livraria.

Ver o Felipe orando deixa-me entristecido, pois ele chora o tempo todo. Ele disse ter matado em legítima defesa, mas vai saber! Todos aqui se dizem inocentes e que só cometeram o homicídio para não morrerem, mas ele não parece má pessoa.

Só agora soube que o Coronel Consani Júnior foi embora sábado à noite. Gostei dele! Inteligentíssimo e tem um bom discurso. Ele foi acusado de roubar dinheiro do BNDES e se envolver com uma rede de prostituição onde estava envolvido até o sindicalista Paulinho da Força Sindical.
85806MAI08, terça-feira.
“Sou clara não só no nome, mas também nos sentimentos.”

(Roseana x Suzana)


Leio agora um livro de correspondências entre duas escritoras, Roseana Murray e Suzana Vargas. Fiquei curioso. O que falariam elas? Uma da cidade e a outra do campo; uma era Clara e a outra Bárbara.

Ganhei do Lobo um método de francês para inglês; achei curioso e interessante. Vou guardá-lo e vê-lo em casa em breve se Deus quiser. Ele tem um irmão que trabalha no CIRQUE DU SOLEIL no Canadá.

Como vou resolver o problema do Sr Almeida, pois o Célio não lhe quer ceder o lugar e eu não vou dormir no segundo andar. Basta! Ele vai dormir em cima e eu vou ter que mudar a escada pra ele. Esse cara só me dá trabalho.
85907MAI08, quarta-feira.
“Poesia não é pra entender, é pra sentir. Eu também acho que poesia não se explica. Ela é um choque na alma.”

(Roseana x Suzana)


Tudo o que temíamos eu e o Zé aconteceu, isto é, a Inês não virá mais porque está trabalhando com o Bispo. Eu sei que é mentira e que ela não virá por nossa causa; por causa do Zé.

Falei com o Dr. Christian que o Sr Almeida está sendo hostilizado por todos no alojamento, menos por mim e que seria bom arrumar outro lugar pra ele. Disse que ninguém quer ceder o lugar embaixo pra ele e que eu fui proibido de ceder o meu lugar. Ele também é um criador de caso, disse ao Doutor, pois se ele fosse mais humilde, todos lhe ajudariam.

Muitos sairão hoje para passar o dia das mães em casa; eu não tenho mais mãe. E nem minha irmã mais velha.

86008MAI08, quarta-feira.


“É bom ser mulher. Acho que a gente tem o privilégio da intuição, a magia de dar a vida, temos leite, seiva.”

(Roseana x Suzana)


O Edinan e o Pinho foram para o terceiro estágio e dois outros colegas vieram morar conosco no alojamento dois. Aliás, não saímos mais de lá desde a reforma.

O povo pediu e a Justiça cedeu: prenderam os pais da menina Isabella. Eu não os reconheço como homens da Justiça e sim como homens da lei. Pois sei que toda Justiça vem de Deus e não dos homens que são meros aplicadores da lei e que por vezes usam os rigores da lei aos inimigos, como acontece comigo.

Ouvi os gritos da mãe da menina que reclamava da forma como a puxavam pelo braço causando lhe dor (“Ai meu braço! Ai meu braço!). Será que ela pensou na dor da pequena ao cair do sexto andar?

O Sr Almeida não está mais conosco no alojamento dois e sim no alojamento cinco junto com o Roger e os demais. Ele sempre achou que este é o melhor dos alojamentos do PMRG. Ledo engano! Não há fogo menos ardente no inferno! Ele verá o que é bom!
86109MAI08, sexta-feira.
Estou lendo Atos dos Apóstolos. Aqui na prisão ficamos quase todos religiosos. Não temos a quem nos apegar; ficamos na dependência da ajuda divina. Pouco pode fazer os advogados de homens sem recursos para comprar a Justiça. Essa burocracia toda tem um preço e são os miseráveis que devem pagar por tudo isso e pouco importa de que forma. Que vendam os filhos ou a mulher, mas que se virem pra pagar pelos seus erros ou pelos erros da própria Justiça.

O que me sugere o Caso Isabella é que os pais foram meros instrumentos de uma força maior maligna que quis aterrorizar o mundo naquele momento. É contra essa força estranha que habita em mim e em cada um de nós que eu tento lutar todos os dias. De que forma? Lendo ou escrevendo, mas sempre me afastando dos seres humanos o máximo possível. Todo mal vem do homem!

E toda vez que entro no espaço ecumênico para escrever e encontro o Felipe chorando, isso me desespera ainda mais. Como deve ser os sentimentos de um homicida?
86210MAI08, sábado.

“A padronização leva à mediocridade”

(M. Montgomery)

Leio Dez Amores (Desamores) de Malcolm Montgomery pra me ajudar a passar o tempo e também adquirir um pouco mais de conhecimento. Quem lê, sabe mais.

Prefiro acreditar nos meus fiéis amigos escritores dos que nesses que me rodeiam diuturnamente. Somos tapeados e feitos de idiotas a todo o momento e é preciso muita astúcia pra não entrar em fria. É necessário desconfiar de todos para bem sobreviver, pois os homens militarizados são pérfidos e estão prontos para lhe complicar a qualquer instante. Fugir dos oficiais é o que faço constantemente.

O Dia das Mães se aproxima e eu me lembro da minha que não sepultei. Meu coração está em pedaços.


86311MAI08, domingo.
“É preciso ‘poetizar’ para amenizar um pouco a realidade.”

(M. Montgomery)


Meus livros franceses chegaram, meus duzentos reais, minha irmã veio e eu me senti muito bem hoje. Sempre dou cinquenta reais pra minha irmã quando ela vem aqui pra ajudá-la no combustível.

Só não gostei de saber que meu filho faz academia e que está com um corpo além da medida pra sua idade e minha irmã me disse que ele pode estar usando drogas não permitidas para adquirir musculatura. Isso me deixou arrasado; tomara que não seja verdade.

Recebi remédios escondidos para dor de cabeça que minha irmã trouxe e ela levou a cesta básica que ganho. Não gostei da atitude do PM Gonçalves que me chamou a atenção na frente dos outros para saber o que eu pegava com a Ana Maria; mostrei a ele meus livros de francês.
86412MAI08, segunda-feira.
“O que quer que transforme um pacato estudante de medicina capaz de metralhar gente no cinema, existe de alguma forma, potencialmente, em todos nós.”

(M. Montgomery)


Concomitantemente à leitura que faço, comecei a ler o Pequeno Príncipe em francês. Tenho lido muito para manter minha mente ocupada o dia todo; às vezes tenho preguiça.

A minha irmã insiste em dizer que eu devo sair de Maracaí e que devemos vender as casas que temos lá. Eu não concordo. E tudo farei para que não sejam vendidas.

Meu Deus! O Dey é louco e vive afirmando que ele é o “cara-de-borracha”, digo, o demônio. Vá de retro Satanás! Adora dizer que é o pior assassino da capital que é capaz de matar uma família inteira se não gostar de apenas um de seus integrantes, etc. Com seu discurso, ele ameaça a todos de uma maneira irresponsável e medíocre.
86513MAI08, terça-feira.
“Santo Agostinho dizia: ‘Nascemos entre fezes e urina’ Eu acrescentaria: entre sangue e gritos de dor.

(M. Montgomery)


A Procuradora Elizabeth me disse que meu exame médico será este mês ou no próximo e que já foi solicitado junto ao HPM.

Eu tenho medo dos homens! Muito medo! Mas aqui os colegas me chamam de idólatra só porque afirmo a todo o momento que amo a Mariana Godoy da TV Globo. Ela é Linda! Também amo a Leandra Leal e a Beth Goulart.

86614MAI08, quarta-feira.
“Quando aumenta a sobrecarga, o ódio atravessa a fronteira e se impõe.”

(M. Montgomery)


O tempo que estou aqui me deixa furioso, pois é tempo demais pra crime de menos e todos são unânimes em pensar assim e a sentir que a lei está sendo severa demais comigo. A quem interessa meu sofrimento? Sinto saudades de tudo o que possuía e desfrutava. Da companhia de minha mulher e filho, dos meus livros e discos, etc.
86715MAI08, quinta-feira.
“O bom pai é aquele que aos poucos se torna desnecessário.”

(M. Montgomery)


A cadeia está cheia de novo porque os vagabundos que estavam passando o Dia das Mães em casa já estão de volta. Não deve ser bom voltar pra este inferno após alguns dias em liberdade ao lado das pessoas que amamos.

A péssima notícia é que está faltando leite na cozinha. Há tempo que nunca vi tanta miséria aqui, aliás, aqui se come muito bem e não consigo compreender a razão da falta do leite. A realidade é que vivemos uma crise no PMRG. Falta de controle no orçamento.

A Cidinha me disse que o Júnior comprou o computador dele. Só espero que ele o use com sabedoria.

Esta tarde foi o dia da transferência do Flávio para a prisão comum de Tremembé onde está o Belarmino. Dizem que ele pegou 147 anos de prisão! Eu o vi atravessando a quadra com sua trouxinha de roupas e o vi abraçando alguns colegas antes de partir. Dizem que ele mesmo pediu para ser transferido.


86816MAI08, sexta-feira.
“Aprendi que, mesmo que alguém nos dê a mão, andamos com os nossos próprios pés.”

(M. Montgomery)


Minha vida vai perdendo o sentido aqui neste lugar e quando vejo algum colega indo embora, eu me entristeço mais ainda. O Alexandre se foi, graças a Deus. Mas no dia da minha saída, eu serei o mais feliz dos homens.
86917MAI08, sábado.
“O poder gera medo, temor, inveja e hostilidade. Quanto maior o poder, maior a paranóia.”

(M. Montgomery)


Tédio! Mil vezes tédio!
87018MAI08, domingo.
“A saúde do homem depende do equilíbrio entre amor, trabalho e lazer.”

(M. Montgomery)


O Gabarron me tortura com a pressa de descer pra encontrar sua família que é sempre a primeira a subir a rampa ao encontro do filhinho querido e homicida. Nada que eu tenha algo contra ele, mas o pobre coitado não deixa de ser um homicida e eu um pretenso escritor a brincar com as palavras como me convém.

Aprendi aqui o valor do silêncio! Calar é muito mais precioso que ouro; observar é tudo. Devemos tirar experiência de tudo o que presenciamos. As pessoas são exatamente o que não aparentam ser; pelo menos é o que eu percebi aqui.


87119MAI08, segunda-feira.
“Viver é desenhar sem borracha.”

(M. Montgomery)


Minha mulher está melhor e meu filho está feliz com seu computador e isso me fez menos infeliz neste domingo. Pelo menos as notícias foram menos desagradáveis.

Ganhei doces e bolos à vontade ontem e hoje. Como demais e já engordei uns sete quilos desde que aqui cheguei; preciso fechar a boca.

O drama do Sr Almeida só aumenta, enquanto o colega Stefanoni também não recebe visitas há muito tempo. O pior é que ele se arruma e fica aguardando alguém que não deseja vê-lo. Sinto pena dele!

A Procuradora Elizabeth de Oliveira Freitas é linda e gentil conosco. Ela é ímpar, amável, educada, meiga, doce, etc. Impossível não amá-la, não desejá-la. Ela tem um sorriso lindo, é pequena e sensual; parece estar sempre de bem com a vida e é um prazer enorme falar com ela mesmo que a gente não tenha assunto.


8787220MAI08, terça-feira.
“Quando souberes julgar a ti mesmo, tu serás sábio.”

(Antoine de Saint-Éxupery)


Li também um livro do escritor Luis Alegria que fala sobre drogados por indicação do Artilheiro. Médio!

Nada mais! Exceto a rotina diária de trabalho e tédio.


87321MAI08, quarta-feira.
“Os adultos são muito estranhos; esquisitos; bizarros; extraordinários.”

(Antoine de Saint-Éxupery)

Recebi quatro cartas esta manhã, do Sandro, do Marcelo, da Cidinha e do Santuário de Aparecida. Li-as e depois as guardei pra que minha irmã as leve embora quando vier me visitar.

Percebi que às vezes sou um verdadeiro idiota e me pego cantando canções militares pelo corredor da Rua dez e até marchando, Incrível como eles conseguem nos possuir mente e corpo. Preciso tomar cuidado pra não me enlouquecer. Eu sou o número 163! Não sou mais o Sr José Davi Barbosa! Já fui 91 na primeira vez; pouco mais de quatro meses.

O meu colega de padaria, o Alves, foi embora ontem e era ele quem me dava as cadernetas que escrevo o meu diário. E agora?

Hoje haverá batismo na quadra;o colega Brito que se converteu.


87422MAI08, quinta-feira.
“Só enxergamos bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos. Os olhos são cegos; é preciso procurar, buscar com o coração.”

(Antoine de Saint-Éxupery)


Quando escrevo para a minha mulher eu costumo mandar receitas que recorto dos jornais e revistas, mas duvido que ela faça alguma. Ela nunca muda o cardápio; não é criativa e isso me faz triste.
87523MAI08, sexta-feira.
“Tu te tornas responsável por aquilo que cativas.”

(Antoine de Saint-Éxupery)


Recebi uma carta do Sandro novamente e agradeço por ele se lembrar de mim, pois no cárcere somos esquecidos com muita facilidade. Ele me falou de suas conquistas culturais e do seu grupo de teatro amador. Respondi e escrevi a outros integrantes do grupo.

Depois eu escrevi um poema ao amigo Felipe para que ele presenteasse sua esposa. O Importante foi que ele gostou e isso me agradou.


87624MAI08, sábado.
Manhã tensa em razão da discussão entre o Satélis e o Roger que se estranharam por causa de uma brincadeira comum que é mandar o outro “ficar xiu.” Depois eu ouvi dizer que eles se reconciliaram; melhor assim. Já disse dezenas de vezes que aqui se briga por nada.

É a segunda vez que me entristeço com o colega Satélis, apesar de gostar dele. Porque ele feriu uma pombinha estes dias no refeitório e isso me machucou profundamente. Sei que as aves transmitem doenças, mas sou contra judiar das pobrezinhas e famintas aves.

E o sábado continuou tenso, pois houve uma discussão na subseção e um colega teve que subir às pressas; o Vinícius. Ele entrou em vias-de-fato com outro e até se machucou. É a primeira vez que isso acontece desde que aqui estou, ou seja, alguém ferir o outro fisicamente.
87725MAI08. domingo.
Recebi as informações de casa através da Ana Maria e subi pra ver Inezita Barroso com o Vasconcelos e o Alécio. Depois terminei o livro do Luis Alegria e fui dormir após o almoço.
87826MAI08, segunda-feira.
Como tenho me escondido o tempo todo desde que saí da padaria, o “Kid Loucura” quis saber onde eu trabalhava e eu disse que cuidava da Biblioteca. Ocorre que meu nome consta na obra, mas ele não me disse mais nada.

Fui servente de pedreiro a vida toda e não vou querer fazer concreto aqui na prisão também; pelo amor de Deus! E assim vou me escondendo e lendo à vontade.


87927MAI08, terça-feira.
Há tempos que não falo do Zé e do “nosso” amor por Inês, mesmo porque eu parei de frequentar as reuniões e o Zé também, como se fôssemos únicos. Também ela não está vindo mais.

Fui indicado para trabalhar na horta, mas percebi que a “máfia” da horta não me quer. Pior pra eles! Não estou com tanta vontade assim; prefiro os livros aos porcos, terra e sujeira. Eu só queria por causa da “liberdade” que é maior; nada mais.

Soube hoje que meu exame será dia 05JUN08, sexta-feira. No mesmo dia do ano anterior às 11h. Tenho uma nova lista de prisioneiros comigo do dia de hoje e somos 206 internos. A Ficha foi elaborada pelo mesmo Cabo Valdomiro.
88028MAI08, quarta-feira.
Já disse aos colegas da horta que não me interesso mais pelo cargo, pois percebi que não sou benquisto lá. Ficarei a ler os meus livros; únicos e fiéis amigos. O mundo é uma grande escola! Jamais esquecerei!

Engoli sapos enormes nesta lagoa PMRG e agora estou preparado para a vida lá fora. É de onde que não esperamos que vêm as maiores traições. Somos sós no mundo e infeliz daquele que pensa o contrário, Deus é conosco; ninguém mais.


88129MAI08, quinta-feira.
Os colegas Luciano e “Trinta” foram embora ontem e isso muito me alegrou. Quando cheguei à prisão e vi o “Trinta” pela primeira vez, eu senti um grande medo de me aproximar dele, pois pensava que ele fosse um cara mal e briguento. Depois percebi que se tratava de uma “moça” e até jurei que quebraria um ovo na testa dele no dia de sua partida; promessa não cumprida. Ele sempre foi um cara legal e amigo; foi bom tê-lo conhecido e sei que é uma excelente pessoa. Eu me enganei com o jeitão do colega, e, aqueles que eu pensava que fossem bons não eram.

Guardo em silêncio o dia do meu exame para que os colegas não saibam e com isso fiquem me perturbando e até ‘gorando’ o resultado. A inveja deles poderá atrapalhar meus planos de ir embora logo daqui. Nem ao Gabarron eu direi por enquanto.


88230MAI08. sexta-feira.
O 05de JUN me apavora e eu não consigo nem contar os dias que faltam pra este exame e temo que o médico possa não ser sincero comigo, pois da outra vez eu acreditei nele e fui traído. Que Deus me ajude!
88331MAI08, sábado.
Esfriou muito e eu não desejo passar outro inverno aqui. Nunca vi fazer tanto frio neste bairro de Sampa. E será meu terceiro inverno entre homens mais frios e violentos que o próprio tempo, pois acumulam maldades, são insensíveis, assassinos, malditos de toda a espécie.

Ontem na TV foi noticiado o suicídio de um Tenente pedófilo quando viu que “a casa caiu” pra ele; que seus dias de crimes tinham terminados, que ele fora descoberto por suas atrocidades abomináveis contra as crianças. Ele preferiu a morte e fez o melhor, pois se ele caísse aqui ele viveria um duplo inferno; um cá e outro após a morte. Portanto viverá só lá!

Todos sabem que a prisão é horrível aos que fazem mal às crianças. Ninguém suporta pedófilo e estuprador de crianças.

Em Lucas 04 eu li que ‘nenhum profeta é bem aceito em sua terra natal’, talvez Deus queira-me dizer que é chegada a hora de partir.


88401JUN08, domingo.
O Stefanoni veio tirar uma comigo esta manhã dizendo que eu “paguei de louco” só para me aposentar e que eu fui um perfeito idiota. Por isso posso correr o risco de ficar preso até em manicômio.

Tentei dizer a ele que me esforcei muito para me tornar um excelente professor e que se eu fosse louco eu não teria êxito na minha escolha e que lutei para arrumar um novo emprego e não ficar esperando o salário da PM que demorou mais de 10 anos. Como vivi este tempo todo? Perguntei a ele.

Que ele vá pro inferno com suas suspeitas idiotas e sem fundamento; mas ele não é o único que pensa isso a meu respeito e eu acho que a PM tem que pagar pelos erros que comete quando enlouquece seus homens e não jogá-los em sanatórios ou prisões. Ou fazer como fazem com o “Pedrinha”.
88502JUN08, segunda-feira.
Que frio! Quando me sentirei um pássaro? Não que eu queira voar, mas quero-me ver livre desta ‘gaiola que me prende’. Queria fugir das panelinhas que se formam aqui e viver solitário como sempre vivi.

Ah! Como me tortura pensar neste exame! Faço as contas pra sair daqui e acho que em julho já estarei em casa, se tudo der certo. Que Deus me ajude!


88603JUN08, terça-feira.
A Procuradora Elizabeth é mesmo um anjo e me aconselhou como devo me portar diante do médico para que ele veja pontos positivos em mim. Mostrei a ela uma reportagem da Revista Veja que afirma que o doente paranóico não tem necessidade de se manter recluso; especialistas dizem isso, mas só o médico militar insiste em me manter preso. Ela fez uma cópia e disse que irá anexar ao processo. Tirou outra pra mim pra que eu mostre ao médico.

A esquizofrenia não é um mal que determina que o paciente fique preso e que o tratamento é ambulatorial e no âmbito familiar, afirmaram os especialistas da Revista. São médicos dos melhores hospitais do Brasil que dizem isso. Eu mostrei ao Dr. Christian a reportagem.

Todavia o fato curioso do dia foi que um velho amigo de infância esteve aqui no PMRG para trazer madeira para a fábrica de casinhas de cachorro e veio como uma carreta enorme. Era o Teodomiro, o “Tetê”, com o qual conversei por um bom tempo.
88704JUN08, quarta-feira.
Disseram-me no dia seguinte que o amigo Teodomiro falou muito bem de mim e que se lembrou que eu era um dos melhores alunos da classe. Isso me deixou muito orgulhoso do amigo e de mim mesmo; obrigado.

Amanhã será o grande dia e não sei se devo dar ou não minha carta ao médico. Na hora eu decidirei. Farei o que meu coração ordenar e o que for a vontade de Deus.

Tive que ouvir o Maldonado conversando o tempo todo com o “Alemão” na cabeceira do meu leito e foi impossível não ouvir o que eles diziam. O “Alemão” contou todo o ocorrido no dia do seu crime, digo, no dia do crime do qual ele é acusado. Uma história terrível e maldita dessas que a gente só vê em filme. Impossível acreditar que um ser humano seja capaz de tanta crueldade. Pior é imaginar que foram três.

Ele confirmou que a jovem estava grávida e isso os incomodava, principalmente, porque um deles que estava envolvido era casado. O “Alemão” disse que teve que atrair (sem imaginar) a jovem para ser executada e disse não ter coragem para executá-la. Então o seu colega fez o trabalho, ou seja, matou-a. Ele até pegou sua pistola, mas não efetuou tiro algum por não ter coragem. Seu colega deu dois tiros no peito da jovem e quando ela tentou fugir, foram desferidos outros dois em suas costas e acabou com um tiro na testa para confirmar. Isso foi o que eu ouvi e fiquei aterrorizado. Se eu acredito ou não, não sei. Um dia vou pesquisar isso e ver se tudo se confirma.

Fiquei muito mal ao ouvir tudo isso. Coitada da moça que deve ter sido abusada sexualmente por todos e que foi morta de maneira brutal e covarde. Disse que isso ocorreu em Tatuí, mas que ele trabalhava em Boituva. O “Alemão” ainda falou de um Sargento Walter que não gostava dele porque ele “transava” com a filha do Sargento; ela se chama “FRAN” (de Francine ou Franciele; sei lá, pois ele só se referia a ela como “Fran”) Disse que ela era uma loira linda e que seu pai o ameaçava constantemente por causa disso.

Ele confessou ao colega Maldonado que sua participação foi somente levar a vítima no local indicado para ser assassinada. No caminho, seus comparsas entraram na viatura e foram até uma plantação de cana onde a jovem foi assassinada.

Após os fatos ele disse ter lavado bem o seu carro para não deixar marcas que pudessem incriminá-lo. E eu tive que ouvir esta história antes de dormir e ainda me levantar, ir até o banheiro para tomar nota e não me esquecer dos detalhes. E toda esta história eu ouvi no alojamento dois onde morei com o “Alemão” que na verdade se chama. Não me mexi um só segundo sobre minha jéga porque achei a história interessante e cruel. Sabia que meu diário teria uma confissão como esta e várias outras. Ele será útil para que me matem logo e também para elucidar crimes. Eu não temo COVARDES!
88805JUN08, quinta-feira.
É o meu grande dia! O dia do meu exame psiquiátrico e espero que o médico esteja de bom humor e não me considere louco. Na verdade eu o considero louco e incapaz por saber que nada tenho e que não represento perigo à sociedade. Preciso de toda tranquilidade do mundo.

O perigo passou e falei com o médico que voltou a ser simpático comigo e me afirmou que em breve eu irei embora e que não vê em mim traços de periculosidade. Disse-me que me chamará outras vezes ao HPM para futuras avaliações. Agora é só aguardar!

Falei com a Procuradora e disse a ela que fui ao médico. Ela estava exuberante como sempre, divina; eu a amo!
88906JUN08, sexta-feira.
O Peixoto é um caso à parte no futebol e não há quem se compare a ele aqui na prisão. Ele corre muito, é inteligente, versátil, tem visão de jogo, dribla muito bem, chuta forte e marca quantos gols quiser. É inigualável aqui; é impar!

Nada de Maldonado e nem Eliel para se comparar com ele, apesar de serem ótimos jogadores de futebol. Só não sei o que vieram fazer na PM! O Flávio que foi para o Tremembé também era infernal no futebol entre tantos outros, como o Ednam, Demézio, Wesley, “Alemão”, etc. Eu me lembro de um gol antológico que levei do Maldonado, mas me lembro que quase tive a mão quebrada por um chute do Peixoto. Eram os três melhores; Peixoto, Eliel e Maldonado.


89007JUN08, sábado.
O Tiago foi embora! Que alegria! Depois de passar aqui por mais de três anos. È claro que esses malditos têm e devem pagar pelos crimes que cometeram, mas é um alívio quando alguém sai deste lugar com a pena paga e, principalmente, ressocializado.

Com a saída do Tiago eu passei a ser o lixeiro da prisão. Agora vou ter um pouco mais de espaço para me locomover sem que eu seja barrado por muitos. É pena que deixei a Biblioteca, mas não vou deixar de ler sempre que sobrar tempo.


891008JUN08, domingo.
Que dia lindo! Tenho lido a Bíblia todos os dias, não por obrigação, mas por prazer. É o maior e melhor de todos os livros. Os do Rei Salomão são os meus preferidos.

Falei com a Ana e logo em seguida vi minha irmã que subia para me visitar; eu não esperava por ela. Trouxe-me comida e doces e eu dei a ela os 50 reais de sempre. Ela falou mal do meu filho e isso me desagradou. Nem vou citar. Ela só diz coisas pra me magoar.

O Stefanoni quer que eu diga pro Sr Almeida sair do meu lugar e eu não farei isso, pois ele se queixa de estar entre dois “duques”, ou seja, um pedófilo e um estuprador. Onde ele queria estar? Entre anjos? Não vou dizer nada ao “Kid Benga”.
89209JUN08, segunda-feira.
Quatro dias já se passaram do meu exame médico e eu estou ansioso pelo rápido resultado e pedi à minha irmã que comunicasse minha família. Não poderei continuar mais aqui. Não vejo razão pra isso.

Li a biografia de Louis XIV e descobri que ele nasceu no mesmo dia que eu, mas 325 anos antes e que morreu no dia primeiro de setembro de 1715, quatro dias antes de completar 77 anos. Eu sou colega e camarada do Grande Rei Louis XIV. Há uma série de “14” aí nesta história e outras coincidências que lhes direi futuramente, pois ao escrever este diário eu não havia notado e só agora na transcrição para o português é que percebi tudo isso.


89310JUN08, terça-feira.
Onde está Inês? Ela não nos merece! Esqueçamos.

Não foi possível manter segredo sobre meu exame de saúde mental e muitos já torcem o contrário. O bom é que agora sou lixeiro e não entro mais em forma. Ufa! Graças a Deus!


89411JUN08, quarta-feira.

O Edinan não tem jeito, ele tudo faz para me provocar e diz que outro vai pegar meu trabalho de lixeiro porque ele vai me denunciar que eu não estou fazendo o serviço corretamente. É claro que ainda não sei, mas procuro fazer o melhor. Ele gosta de me irritar.

O Vinícius que havia subido ‘corrido’ da subseção foi embora e isso me agrada muito, pois gostaria de estar no lugar dele como a grande maioria.

O Roger me anunciou que agora será pintor e não mais um integrante da obra. Ele irá ocupar o lugar do Aristides que irá pro jardim no lugar do Sr Almeida que disse aquelas asneiras sobre como cuidar de plantas. Aliás, o Sr Almeida está proibido de sair do prédio por isso; bem feito por falar demais. Vá comer “cu” de criança no inferno. E depois não pense que sou inimigo dele, sempre o tratei bem, mas isso não quer dizer que aprovo o crime dele, se é que ele o praticou. Não sei, não vi, não estava lá. Mas maldito seja se ele abusou de criancinhas e que pague pelo seu crime, mesmo não me importando se ele vai ou não gostar dessas linhas.


89512JUN08, quinta-feira.

Se minha mãe fosse viva, hoje ela completaria 79 anos! Que Deus seja com ela! Amém! E hoje faz um ano que o Zé declarou seu amor por aquela ingrata que tanto nos faz sofrer. Um dia ela vai se arrepender de não nos dar importância.

É também o Dia dos Namorados e eu não tenho a minha Cidinha ao meu lado, como muitos que estão solitários aqui neste cárcere maldito. Pensei em todos os meus amores, nas “flores” de Davi. Na Rosa , Violeta e minha Orquídea. Na minha Flor de Holambra e tantas outras.

Toquei violão no alojamento esta tarde enquanto o Roger e o Lobinho jogavam xadrez. É quase sempre assim nossas tardes, sempre movidas a alguns docinhos e suco às escondidas.


89613JUN08, sexta-feira.
Sexta 13! Eu não sou o Zagalo e nem gosto dele, por isso não sou supersticioso. É um dia normal como outro qualquer, como , bebo, durmo e amanheço sem nada de novo para acrescentar. E sei que o único técnico tetracampeão até gosta do número treze. Você é o cara Zagalo e eu vou ter que te engolir!

Esqueci de dizer que o George, o Lobo e o Zé Reinaldo agora integram o alojamento dois. E ainda ontem o George me disse que eles me colocaram no lixo pra me humilhar porque sabem que sou um cara poliglota e inteligente. Eu disse a ele que não sou poliglota e sim bilíngue e que eu pedi o serviço ao Tenente Moreira. Não houve perseguição aí. Que ele ficasse calmo e que eu estava me sentindo muito bem como lixeiro da prisão em razão da maior liberdade de sair e entrar por quaisquer das portas. Aí ele pareceu me entender.


89714JUN08,sábado.

O PM Xavier é louco mesmo porque ele queria que eu recolhesse o lixo com as portas da cozinha fechada. Como? Imbecil! Não posso fazer milagres.


89815JUN08, domingo.
Enganar o outro aqui é um motivo de orgulho para esses imbecis e é a prova de que são espertos o bastante para se dar melhor que o outro. Até uma pedra de gelo é motivo de glória sobre o outro quando conseguem furtar uma do colega. No domingo, as máscaras caem e todos mostram quem são, verdadeiramente, e como agem em relação aos colegas durante a semana. O Edinan esconde seus comestíveis para não repartir com ninguém; miserável.

Quanta hipocrisia aqui durante a semana e quanta mentira se ouve diuturnamente. Aqui só têm espertos; ninguém admite ser chamado de trouxa; o único sou eu por estar preso por Desacato.

Alegrou-me saber que a Ana Maria disse que a Cidinha lavou todas as minhas roupas e que me aguarda com ansiedade. Isso sim me faz feliz. Em breve estarei em casa, se Deus quiser.
899!16JUN08, segunda-feira.
Conheci a bela e exuberante filha do Sr Almeida após ir até a mesa do Roger e quando voltava ele me chamou e apresentou-me sua linda filha. Ela foi gentil e amável comigo; é inteligente, dócil, carinhosa, etc. É Advogada e prometeu ajudar-me com meus processos militares e ficou de ver algumas coisas por mim junto à PM, pra ver se tenho ou não algum direito por ser aposentado.

A Valquíria é fantástica e não há quem diga o contrário. LINDA!!!


90017JUN08, terça-feira.
Faz frio de novo! Odeio frio! Sonhei com a minha prima Neusa e a Janaína.

O Tinoco não gostou da minha amizade com o Sr Almeida e me aconselhou de não ficar ao lado dele porque os outros me poderão “queimar”. E daí? Eu vim pra cá sozinho e não me interessa nem um pouco a amizade de mercenários e preconceituosos. Não tenho nada a ver com crime de ninguém; isso é problema da Justiça. Eu não vou hostilizar ninguém aqui, não faz o meu tipo e foda-se o resto.

Outra coisa que me encana aqui é o fanatismo religioso de alguns colegas, pois às vezes eu até os evito. Não dá pra ouvir o Datena e muitos outros. Por que não estudam outras matérias além da Bíblia? Vão ser Pastores ao sair daqui?

Deus habita o coração do homem e não nos templos construídos de barro e com o sacrifício de muitos operários e o roubo de muitos empreiteiros, políticos, Pastores e etc. O Império do Bispo Edir Macedo não foi conseguido só com a graça de Deus; tenham certeza disso. Muitos foram trapaceados, explorados, ludibriados, mortos durante a construção, além de muitas outras maracutaias. E se eu provo? Claro que não! E que me prendam por calúnia e difamação, pois é mais fácil do que investigar o que digo. A verdade dói, mas eu não nasci pra ser eternamente COVARDE.

Procuremos Deus em nós! Na natureza! Na inocência das crianças; só enquanto forem inocentes. Esqueçam os Padres e similares; sem ofender os que trabalham com respeito ao povo de Deus.
90118JUN08, quarta-feira.
A mulher não representa nada na cabeça desses miseráveis que estão abstêmios de sexo por muito tempo e acreditam que todas as mulheres são vagabundas e prostituídas como as mulheres que eles conheceram.

A impressão que eu tenho é que esses seres abjetos são filhos de chocadeira e que não têm nem mãe e nem irmãs e nem avós e filhas e etc.


90219JUN08, quinta-feira.
O Caso Isabella ainda ocupa a maior parte dos noticiários e agora é a fase dos depoimentos. Eu acho que vai sobrar para o pedreiro que trabalhava na casa ao lado. Ah! Ah! Ah! Não conheço nenhuma prisão onde haja ricos presos; aqui não tem. Pelo menos é o que sei até o momento. Ouvi dizer certa vez que prisão é para os marcados pelos três P(s) (já devo ter dito anteriormente, perdoem-me); PRETO, POBRE e PUTA.

Recebi a visita do filho do prefeito Beto de Almeida lá da minha querida Maracaí, o Lucas que fez escola com o Roger. Ele veio com um grupo onde havia colegas meus de escola de soldado, mas que não me cumprimentaram, exceto o bombeiro que não me recordo o nome dele, mas vou me recordar ao vê-lo em Assis. Eles pertencem ao 32.o BPM-I.


90320JUN08, sexta-feira.
O Eliel é um grande idiota e se afirma o mais perigoso de todos aqui e pensa que eu acredito, Todos nós somos feras indomáveis e perigosíssimos; já disse, aqui não há santo. Se pensar que me intimida, está enganado. Lanço um desafio: Olhe-me nos meus olhos e diga que vai me matar e o faça; aí eu acredito, e que me dê condições de lutar contra ele com as mesmas armas.

Acredito que há aqui gente mais violenta e menos idiota que ele. Vá jogar futebol e roubar e matar mulheres indefesas que é o seu ‘modus operandi’, porco, sujo e COVARDE.

O Viana (não o doidinho) nos deixou hoje. E nada sobre meu exame ainda. Ainda é pouco tempo, eu sei. Sonhei com minha casa e minhas árvores que plantei antes de vir preso e ainda soube que minha irmã virá domingo me ver e buscar a cesta básica.

À tarde falei com a filha do Sr Almeida no parlatório, mas ela se equivocou a respeito de algumas informações que me passou. Não era exatamente como ela me disse. O importante é que eu a vi; e ela é linda!


90421JUN08, sábado.
Fui conhecer pela primeira vez a pocilga junto com o Satélis para pegar os latões de lavagem. Bonito lugar e bem arborizado. É um trecho da Mata Atlântica com uma enorme diversidade de flora e fauna. Senti como se estivesse numa fazenda e não numa prisão.
90522JUN08, Domingo.

Quando nós nos reunimos para conversar, o Bianchi, Ricardo, Capitão interno Luis e eu, os que passam dizem que está reunida a ala intelectualizada do PMRG. O Tinoco sai como um tolo dizendo que sou o mais inteligente do presídio e sei que os outros colegas não gostam de ouvir isso e que não o sou. Todavia, confesso que ouvi do Sr Mello, que já foi embora, esta mesma afirmação e gostei. Ele me considerava a melhor cabeça pensante do pedaço.

Minha irmã veio e eu lhe passei as informações que recebi da Dra Valquíria e pedi a ela que confirmasse com meus advogados que atestaram o contrário, Eu já esperava por isso, pois o Estado é rápido em nos cobrar e lento demais para nos pagar. Nem sei se receberei esses precatórios em vida.
90623JUN08, segunda-feira.
Comi bolo de cenoura com o George e o Lobo ouvindo as bizarras histórias do Dey que dizia ter acabado com uma festa de Natal a tiros em sua própria residência. Que insanidade! Que graça tem se afirmar violento e estúpido?

Está chovendo e coletar lixo na chuva é o pior deste meu trabalho, porque a sujeira só acumula e eu sou obrigado a removê-la com ou sem chuva. Sem chuva é bem melhor!


90724JUN08, terça-feira.
O Visconde Partido ao Meio é um livro do Ítalo Calvino (tradução de Nilson Moulin) que adorei ler; uma comédia. Leiam, meus caros leitores.

Ainda angustiado com a demora do resultado do exame, mas acreditando que ainda é cedo para que haja uma manifestação da Justiça e acredito que o médico vai utilizar todos os meios para retardar minha saída daqui. Não sairei antes do Dia dos Pais como eu previa em última hipótese.


90825JUN08, quarta-feira.
“Se todos pudessem sair de sua obtusa e ignorante inteireza. (...) Estava inteiro e para mim as coisas eram naturais e confusas, estúpidas como o ar: acreditava ver tudo e só havia a casca. Se você virar a metade de você mesmo, e lhe desejo isso, jovem, há de entender coisas além da inteligência comum dos cérebros inteiros. Terá perdido a metade de você e do mundo, mas a metade que resta será mil vezes mais profunda e preciosa. E você há de querer que tudo seja partido ao meio e talhado segundo sua imagem, pois a beleza, sapiência e justiça existem só no que é composto de pedaços.”

(Ítalo Calvino)


Guardo em meu diário o abraço de Inês e temo que o Zé veja, pois recortei de um bilhete ou carta que ela me enviou; não me lembro muito bem. Tem até a assinatura dela.

Muitos aqui acreditam que eu sou louco, mas não sabem que penso exatamente isso deles e que irei me vingar de todos os que pensam assim; é só o meu diário ficar pronto.

Lamentei a morte da ex-primeira dama Ruth Cardoso, mulher do ex- presidente Fernando Henrique Cardoso.
90926JUN08, quinta-feira.
O idiota do George esta de retorno à subseção penal por falar e reclamar de mais. Aqui não se pode falar muito porque os comandantes não gostam de presos que criam casos. Enquanto ele desce pro inferno, os capetas do segundo estágio malham o pobre, falando mil asneiras a respeito dele.

Estou indignado com o Carvalho e o Stefanoni que só sabem criar confusões e me odiar gratuitamente; são falsos, faladores e invejosos.

Falei novamente com o Juiz Militar e ele foi gentil e educado comigo. Estava com meus exames em mãos e disse que iria conversar com o Dr. Christian a meu respeito. Disse que aguardava o exame médico último e disse que eu sairei em breve. É difícil acreditar nesses “deuses” da Justiça.

Outro colega foi pra subseção por causa de uma carta que voltou e onde ele solicitava um carregador. Com certeza pensaram ser de celular e não de pilha, como a maioria tem às escondidas por aí. Por que isso? Que mal há nisso? Miseráveis militares!


91027JUN08 sexta-feira.
Para os presos, todos que aqui estão são idiotas e imbecis porque conseguiram vir parar aqui. Espertos são aqueles que praticam crimes lá fora e que nunca vieram pra cá. O destino; a vida é ilógica e podemos estar no inferno agora e amanhecermos no céu amanhã. Nunca sabemos o minuto seguinte.

O Brandão foi embora ontem! Que legal!


91128JUN08, sábado.
O Sandro me escreveu e mandou-me os documentos que eu havia solicitado a ele. Nada que me trouxesse grandes alegrias, pois se tratava do equívoco da Dra Valquíria.

O Roger está feliz porque aguarda o seu Alvará que já está pronto em Brasília e falta chegar até ele; dentro de 24h ele deverá estar em liberdade; ou pouco mais.

Conheci, faz poucos dias, a Professora de Pintura (Artes plásticas) aqui do PMRG que vem aos sábados nos ensinar e resolvi aprender com ela algo que eu me considero um desastre; pintar. Ela se mostrou simpática e alegre ao me receber e eu percebi que ela tem um jeitinho especial de ser e de ver a vida. É meio exotérica e isso chamou minha atenção. Ela tem uma vasta e linda cabeleira, corpo miúdo e sensual, boca pequena, rosto meigo e angelical. Em resumo: gostei do modo dela e sei que seremos bons amigos.
91229JUN08, domingo.
Uma epidemia de sarna no PMRG obrigou que alguns presos da subseção ficassem em isolamento total no alojamento nove porque a maioria estava com manchas horríveis na pele e diziam coçar muito. Foi um trabalhão enorme lavar e desinfetar a roupa de todos e ninguém tinha permissão para se aproximar deles ou do alojamento, exceto alguns poucos para levar alimentação e remédios.

Eles ficaram trancados e não podiam sair e nem entrar em contato com ninguém. Foi até preciso fazer uma abertura na parede do alojamento para que eles pudessem ter um banheiro exclusivo para eles e assim nem sair do alojamento para não transmitirem a “peste” da sarna.

Neste domingo conheci a mãe do Lobo e conversamos um pouco lá na mesa dele; uma senhora inteligente! Ela se chama Yarian! Nome exótico! Depois falei com a Dra Valquíria que me explicou o equívoco da documentação; era um homônimo meu com uma ação contra a caixa.
91330JUN08, segunda-feira.
A Dra Valquíria me deu algumas procurações para que eu assinasse e devolvesse a ela para que ela pudesse se certificar se tenho ou não direitos pendentes junto a PM e assim entrar com novos processos contra o Estado. Li os documentos, mas não os assinei ainda e nem vou entrar com tais processos agora.

O colega Roger vive momentos de expectativa porque seu Alvará está a caminho. Espero que o colega realmente deixe este lugar insano e hostil. Ninguém merece!

Eu soube esta manhã que o médico do HPM enviou ao TJM o meu laudo dia 26jun08 e por isso não sairei daqui antes do 30jul08 se tudo der certo.

Eu já dormia quando o Roger veio se despedir de mim. Que Deus o abençoe!

Ele me deixou uma carta que está em meu diário. Um bom amigo que se vai, graças a Deus!
91401JUL08, terça-feira.
Tive enorme dor de cabeça esta noite passada, mas nem procurei por ninguém porque não haveria de encontrar solução alguma. Eu conheço este lugar e sei que não se importam conosco.

Tudo tem conspirado contra mim nestes últimos dias! O que fiz de tão grave meu Deus?


91502JUL08, quarta-feira.
Limpei o alojamento como de costume, conforme escala de serviço e saí para minha coleta do lixo.

Quando fazia algumas anotações para o meu diário, o Lobo chutou a mesa e isso me deixou muito irritado a ponto de dar-lhe umas “pancadas’.

Vi também na TV que filho de Promotora (ou Promotores) não vai preso ainda que matem outros por aí se utilizando sempre da proteção desses despreparados policiais militares como segurança particular.

A justificativa da Promotora é que ela vive constantemente ameaçada, seus parentes, pais, e que por isso seu filho deveria estar sendo protegido, pois até mesmo o PCC tem ameaçado constantemente os Promotores Públicos e os Magistrados. Ainda saiu em defesa do PM que matou o suposto agressor do seu filho, dizendo que ele não pode ser julgado antecipadamente e sim pela Justiça. Disse lamentar a morte do jovem e pediu desculpas e a compreensão da família da vítima! Hilário! E se ela fosse mãe da vítima?

Nada vai acontecer com o PM e nem com o filho da Promotora. Pobre do infeliz que morreu e de sua família que não o terá mais. Digamos que ele fosse um “marginal”, ainda não se justifica tanta violência se não em conformidade com as excludentes de antijuridicidade que os Promotores e Magistrados conhecem muito bem e eu pouco sei; eu diria apenas uma, em legítima defesa. A lei foi feita para proteger quem a fez (ou faz) e quem a representa. Se você não é da lei, não trabalha com a lei, não tem amigos que fazem as leis, que são Promotores, Juízes, Delegados, Oficiais da PM, etc., lamento, mas você está ‘fudido’ como eu estou agora.
91603JUL08,quinta-feira.
Os correios estão em greve e isso me causa pânico porque eu adoro escrever minhas cartinhas. E agora José?

O noticiário da TV mostrou a greve dos cortadores de cana de Paraguaçu Paulista, cidade vizinha de Maracaí, e eu senti vontade de voltar pra casa.

Nunca me senti tão criança e chorão! E todo tipo de violência me choca muito; do patronato em relação ao trabalhador que é sempre explorado, dos jovens que se matam ou se espancam por nada, etc.

A propósito, fiquei horrorizado com a violência contra o jovem em Sorocaba que foi espancado por uma gangue de imbecis que deveriam ser presos até que o jovem se recuperasse definitivamente e ainda lhe pagar pelo que fizeram a ele; na prisão.

Ainda hoje fui chamado para o CTC pro terceiro estágio.*COMISSÃO TÉCNICA CLASSIFICATÓRIA* Que felicidade!
Terceira Parte

PÁGINAS VERDES
91704JUL08, sexta-feira.
Minha primeira noite no terceiro estágio não foi das piores porque já sabem que eu ronco muito e ninguém me incomodou ainda. Somos eu, o Alécio, o Vasconcelos, o Pinho, o Décio, o Garofo e o Leão. Este último tem bruxismo que o faz ranger os dentes a noite toda, mas ninguém se atreve a falar mal dele porque o infeliz é matador e goza do prestígio da administração. É um delator safado e ordinário como a maioria.

Ninguém me deu as boas vindas e eu acho que fiquei no pior dos alojamentos, me disseram. Fomos eu, o Gabarron e o Dey para o terceiro estágio neste CTC. O Vianna, “doidinho”, reprovou de novo.

Tive que aguardar o Júlio tirar suas coisas do armário para depois eu arrumar o meu. Não entendi a saída dele com a minha chegada! Ele, ao sair, desejou-me boa sorte!

A libertação da Franco-Colombiana Ingrid Bettancourt que era prisioneira refém das Farcs (Forças Armadas Revolucionárias Colombianas) me alegrou. Uma grande francesa como muitas que a história já viu e ainda verá.

Estou pouco ligando com a recepção desses merdas! O importante é que estou no terceiro estágio.
91805JUL08, sábado.
Com os correios em greve, não escrevi cartas.

Fui chamado pelo Capitão Luco para traduzir-lhe algumas coisas em francês, pois ele queria saber um pouco sobre suas origens, mas o texto não falava sobre isso, Lucco é de origem italiana, da cidade de Lucca.

Encontramos um Capitão Luco que trabalhava na marinha francesa e era representante comercial entre os séculos XVIII e XIX (1840 -1903). Não foi uma pesquisa relevante, não lhe ajudou muito.
91906JUL08, domingo.
Estive vendo esses dias o grande número de pessoas que vêm aqui para orar conosco e percebi que são várias as denominações religiosas que pregam a Palavra aqui, mais de dez. Vejam: Católica, Casas André Luís, Casa Firme, PMS de Cristo, Congregação Cristã no Brasil, Igreja Batista, Assembléia de Deus, Cristo Vive, Igreja Betel, Igreja Bíblica da Paz, Adventista do Sétimo Dia e a UMBANDA.

Foi o meu primeiro domingo no terceiro estágio; cartão verde para sair um pouco mais e ficar menos preso. Deu até para esperar a chegada da mãe do Gabarron do lado de fora do prédio e pegar o dinheiro que a Cidinha me enviou através dela. A minha irmã veio e reclamou que está muito doente, então pedi que a Cidinha enviasse algum dinheiro a ela.


92007JUL08, segunda-feira.
O trabalho de lixeiro nas segundas é bem maior que nos outros dias porque devo recolher o lixo produzido pelas visitas e acabo dando mais de cinco ou seis viagens com o meu ‘caminhão de lixo’ de tração humana. É pesado e sujo, mas eu gosto de fazer este serviço porque não tem ninguém pegando no meu pé.

Duro é conviver com esses idiotas que fazem de tudo para me provocar. Encontrei uma cadeira sobre minha cama e sei que foi o Décio que fez isso para me desestabilizar. Nem liguei.


92108JUL08, terça-feira.
Estou confiante em Deus e em mim, pois acredito que irei embora logo daqui, antes mesmo do Dia dos Pais; espero.

Esta tarde eu dei minha primeira aula de francês ao Major Aguiar durante pouco mais de uma hora e meia. Ele se mostrou interessado e eu gostei de trabalhar com ele. Ele tem facilidade para aprender, pois já fala o inglês.


92209JUL08, quarta-feira.
Feriado de 09 de julho! O Professor Bianchi ligou pra minha irmã dizendo que minha mulher vai lhe enviar o dinheiro prometido para ajudá-la na compra dos seus remédios. Isso me tranquilizou, pois ela tem me ajudado muito.
92310JUL08, quinta-feira.
Faz um lindo dia e hoje à tarde eu darei aula ao Major Aguiar novamente, conforme ficou combinado que seriam três encontros semanais; segundas, quartas e sextas.

O Aguiar me disse que sua mulher ficou feliz em saber que ele está aprendendo francês comigo e que ela adora a língua francesa, embora não fale nada. Pedi que a trouxesse um dia e ele disse que assim o fará.


92411JUL08, sexta-feira.

A aula que dou ao Major me tem criado certa rejeição pela grande maioria dos internos porque eu percebi que eles ficam com inveja e com piadinhas de mau gosto, dizendo que sou um lambe-botas.

Observei que alguns oficiais passaram a me tratar um pouco melhor e que minha vida ‘melhorou’ um pouquinho depois que comecei a ensiná-lo. Alguns oficiais até param na porta para me ouvir falar e explicar o francês ao meu ilustre aluno.
92512JUL08, sábado.
Durante o nosso curso eu vou sabendo um pouco mais do Major e tenho visto que ele é uma excelente pessoa e que parece querer me ajudar. Falou-me de sua família, que tem dois filhos e uma filha. A moça tem 20 anos, o rapaz 19 e o menor Joaquim tem 08 anos. Disse que nasceu em 24 AGO64 e que tem dupla cidadania; brasileira e espanhola. Daí então, falar também o espanhol com fluência. Ele já viajou para a Europa e pretende morar lá, assim que ele aposentar-se, me disse.
92613JUL08, domingo.
A greve dos correios continua e isso me deixa sem comunicação com meus familiares; ainda bem que tem a mãe do Gabarron que liga sempre lá e me traz as novidades.

Foi mais um domingo entediante e indigno de mais uma linha sequer!


92714JUL08, segunda-feira.
Soube através da Procuradora Elizabeth que o meu Laudo Médico já está sob vistas do Juiz Militar para o seu parecer final. Isso muito me alegrou.

Nada mais de importante para o dia, salvo a rotina diária.


92815JUL08, terça-feira.
Rien de rien! Salvo a partida em liberdade do colega Linaldo.
92916JUL08, quarta-feira.

Sempre que alguém vai embora, os colegas costumam zombar de mim porque o crime do outro é mil vezes pior que o meu, mas mesmo assim ele vai e eu fico. Eles dizem que nunca viram ninguém preso tanto tempo por Desacato.

Recebi através do Júlio uma carta da Sra. Maria José que me pede para voltar a frequentar as reuniões religiosas e que disse estar orando por mim.

O meu armário foi revirado pelo Soldado Palharini, por determinação de outro superior e encontraram meio pacotinho de bolacha e me conduziram até a penal onde o Sargento Lino me execrou publicamente e sem piedade. Tudo porque estava no lugar errado e na hora errada. O arrebento era no armário do Levorato por causa de uma ‘briga’ entre ele e o Décio, mas eu estava lá anotando meu diário e arrumando algumas coisas e então resolveram ver meu armário também. Daí, acabaram encontrando ainda uma colher pra mais; só podemos ter uma.


93017JUL08,quinta-feira.
O Levorato foi regredido de estágio e o Décio foi transferido de alojamento, por isso acabei descendo para o leito inferior; não por muito tempo.

Após o almoço, o Leão veio me dizer que era pra eu voltar pra cima porque o Décio não iria ficar no outro alojamento e voltaria para o lugar dele. Perguntei de quem era a ordem e ele disse ser do Sargento Lino, o que fui confirmar e soube que não era verdade. Disse que ele mentia. Ele nada disse no momento, mas à tarde determinou que eu subisse e falou que a ordem era do Lino e que se eu duvidasse dele eu iria pra subseção. Não discuti com o “REI LEÂO” e subi pra jéga de cima.

Lecionei pro Major e conversei com o Tenente Domingos por algum tempo e ele me disse que estudou francês na Academia Militar.

93118JUL08, sexta-feira.


Estudamos a Marselhesa esta tarde e o Major Aguiar me disse que em breve perderá o professor porque o Juiz vai me liberar. Fiquei contente.
93219JUL08, sábado.
Há três semanas que os correios estão em greve e isso me deixa desolado, pois não tenho enviado e nem recebido cartas.

Ajudei meu colega Levorato a se mudar de volta para o segundo estágio e foi triste fazer isso sob olhares desses malditos que torcem pela ruína do outro. A família dele virá amanhã e ele está preocupado como e onde irá recebê-los, já que o espaço aqui é bem menor em relação ao terceiro estágio.


93320JUL08, domingo.
Estou com gripe. Mesmo assim fui convidado pelo colega a conhecer sua família; Sra. Margarida, Ana Paula, Carolina e o jovem Rafael que é seu genro; mas ele tem outra filha que não pôde entrar e que aguardava lá fora.

Conversei com eles por alguns minutos, comi e bebi, depois retornei ao alojamento. O Rafael estuda Jornalismo, a Ana estuda Administração e a Carolina se prepara para o Vestibular.


934 21JUL08, segunda-feira

São dois anos sem minha mãe e eu ainda aqui na prisão. E esta manhã eu ganhei um DVD do Martinho da Vila do colega Biancão; de um show que ele fez na Suíça.

O Coronel Abaré participou por alguns minutos da nossa aula hoje à tarde e se recordou de quando estudou francês na Academia Militar.
93522JUL08, terça-feira.
Uma “bomba” estourou no PMRG! Todos comentam sobre a prisioneira que está grávida de seu marido também prisioneiro; o Marcelino. As presas não podem ter relações íntimas. Como foi então que ela engravidou? Cabeças vão rolar!

Houve novo arrebento na subseção hoje e disseram que acharam drogas no meio de um colchão lá. Não sei se é verdade; dizem ser do “Pedrinha”. Pobre coitado!


93623JUL08, quarta-feira.
Seria o aniversário da Matilde, minha irmã, se ela estivesse viva. Ela morreu em janeiro passado e eu também não fui sepultá-la, assim como não sepultei minha mãe. Que elas me perdoem pelas maldades que pratiquei contra elas.

Tenho que ir a Maracaí dia 13AGO08 para interrogatório às 15h30. Talvez isso esteja impedindo minha saída daqui.

O Roque não trabalha mais na cozinha porque o Tenente Moreira o impediu de trabalhar lá em razão dos últimos acontecimentos. Eu o ouvi chorar do outro lado do muro da subseção.

O Martinês foi embora ontem à noite, mas seu colega Dias permanece, As penas foram diferentes.


93724JUL08, quinta-feira.
Não acredito que eu deva sair antes do Dia dos Pais; tudo conspira contra.

Isabel é o nome da mulher do Marcelino; a que está grávida na prisão. Isso prova que a PM não vê nada; que são incompetentes ou corruptos ou relapsos.

O Bianchi disse que o Policial Lenine “surtou” e queria escrever tudo o que sabe sobre o PMRG. Inclusive que tentou o suicídio após escrever uma carta onde dizia tudo o que ocorre neste submundo da prisão no que diz respeito aos Comandantes e PMs que trabalham aqui. Ou seja, lavar a roupa suja. Mostrar as sujeiras do regime.
93825JUL08, sexta-feira.
Em razão do Curso de Pintura que estamos fazendo, o colega Alécio deseja ser chamado de “Salvatore D’Alécio” e assim será por mim chamado. Até anotei uma frase sua que achei linda: “O homem que nunca foi humilhado não é digno de ser chamado homem.” (Salvatore D’Alécio). E discutimos sobre tal frase e chegamos a conclusão que o sofrimento traz muito aprendizado e que todo homem deve experimentar o sofrimento.

Disseram-me que a Wedekin me viu dando aula pro Major e disse que eu não devia estar passando bem, pois falava algo ininteligível com ele. O Alécio me contou isso; ele a ouviu comentar na UIS.


93926JUL08, sábado.
Conheci o interno Mendes que é um crânio musical, pois sabe tocar vários instrumentos e ainda pinta bem. O Dey também gosta de música e pinta e escreve com perfeição. Não me lembro onde foi que eu li que a mente assassina é brilhante!

O Mendes toca violão, teclado, clarinete, piano, contrabaixo e um pouco de bateria. É um verdadeiro “expert” em música.

Até eu virei pintor. Desenho um quadro com rosas amarelas e a Professora Olívia está tendo que ter muita paciência comigo. Não nasci para pintar.
94027JUL08, domingo.
Fez frio o dia todo. Pedirei pra que minha esposa não me escreva mais porque estou prestes a deixar a prisão, me disse o Major. Será que devo acreditar?

Ganhei chocolates da Ana e ela me pediu pra não mais escrever para a Neusa de Iepê. Não entendi! Todavia não escreverei mais se é o que ela quer. Ela deve ter outro namorado e minhas cartas devem estar incomodando.


94128JUL08, segunda-feira.
Inaugurei um novo “caminhão de lixo” bem maior que os outros dois menores, o que facilitará bem mais o meu trabalho. O Capitão Luís e outros colegas o fizeram para mim.

O Sr Carmo foi embora e o Eliel foi pro semi-aberto esta tarde. As coisas andam, apesar de que andam devagar.

O Stefanoni se desentendeu com o Belizário e eu achei estranho porque eram tão fiéis colegas. O Kovat ficou do lado do Stefanoni e o Belizário só vive a meter o pau neles.
94229JUL08, terça-feira.
Ontem o Cabo Éder me chamou de intelectual da prisão como forma de brincar comigo e ficamos um bom tempo conversando. Ele me disse que o Comando sabe quem sou eu e que pensa o mesmo a meu respeito porque o próprio já ouviu falar bem de mim. Até brinquei com ele dizendo que em terra de caolho, quem tem um olho é REI.

Ouça-me meu Deus e liberta-me deste lugar! É só o que LHE peço meu amado Deus!


94330JUL08, quarta-feira.
O Bianchi tem sido um dos poucos colegas com os quais tenho conversado, além do Almeida e do Ricardo. Este primeiro me traçou o perfil de cada um dos seus colegas da DASA e disse que ali é um covil. O relacionamento não é fácil; suportar um ao outro não é mole.

Falamos da sorte do preso Leão em encontrar uma idiota para querer se casar com um prisioneiro de tal estirpe como ele o é. Só uma insana poderá acreditar num monstro como ele. O que pensa uma mulher que casa com um preso? Ainda mais com a pena dele? Por quê? Qual a razão?

A esposa do Major participou de nossa aula de hoje. Ela se chama Alda, loira. Sorridente e amável. Disse ter gostado do meu modo de ensinar e que também é professora de Matemática.
94501AGO08, sexta-feira.
Recebi uma carta do meu amigo Marcelo, de Valinhos, dizendo que seu pai anda muito doente e que nesses dias ele caiu no banheiro e quebrou a perna; o fêmur. Lamento pela dor do amigo e sei que a velhice é mesmo algo que devemos pensar em como encará-la, pois é inevitável. A menos que morramos antes de envelhecer. Guardo no meu diário original a sua cartinha. Vou orar sempre por ele, seus pais e familiares. Eu sei que eles oram por mim; inclusive a Dona Izaura.
94602AGO08, sábado.
Solicitei o meu comportamento disciplinar para anexar ao processo e enviar para Maracaí e ao TJM pleiteando minha liberdade. O Cabo Maia me entregou o documento nesta tarde.

A escala velha de faxina desapareceu e todos se perguntam quem teria “roubado” a escala que há dois dias eu não a vejo. São tão imbecis que deviam ter dado pela falta do documento quando desapareceu e não agora ficar fazendo este estardalhaço por nada. Bastou um idiota cantar de galo e todos os outros acharam que isso é motivo para crucificar alguém. Eu nem me importei com isso e ninguém me perguntou nada, mas o Leão sugeriu que fosse eu. E eu gostaria de ter sido, só pra ver a cara de babacas desses miseráveis. E rir deles; é claro.


94703AGO08, domingo.
Choveu! O ar ficou mais leve e refrescante. Mais doce e suave. Isso aqui em São Paulo é excelente porque a poluição é insuportável.

Passei o domingo cantando com o Claudemir lá no espaço ecumênico e conversamos muito. Lembrei-me de que a Ana Maria me disse que a Cidinha arrumou três testemunhas de defesa para mim: a Brasilina, a Dona Luzia e o Celso. Eu tenho que fazer conforme manda meu advogado, embora não fosse o que eu queria.


94804AGO08, segunda-feira.
Muito trabalho pela frente. Muito lixo para recolher e isso faz o tempo passar. Lembrei-me que um preso com um carrinho de lixo no pátio de uma prisão é uma cena clássica de todo filme que versa sobre prisão. Hoje eu me senti protagonizando um filme dos muitos que vi sobre presidiários; só que aqui é realidade. A ficção se tornou realidade para mim de uma maneira fria e indesejável, pois jamais me imaginei protagonizando tal cena.

Em razão do desconforto com os colegas do alojamento oito, eu pedi ao “Kid Loucura” para limpar, cuidar, zelar pela limpeza do alojamento nove e morar lá sozinho para não incomodar meus colegas com o ronco. Ele pediu que eu fizesse um documento e eu o fiz. Durante a aula do Major, ele apareceu lá e disse-me que eu estava autorizado a mudar para o nove.

Fiquei feliz triplamente hoje; com a mudança para o alojamento nove, com a liberdade dos colegas Chagas e Felipe. A este último dei até uma pequena quantia em dinheiro que fez o Almeida achar que eu não devia ter dado. Por que não? O dinheiro é meu e faço dele o que eu quero!
94905AGO08, terça-feira.
Dormi tranquilamente só num alojamento exclusivo onde ficou o Coronel Consani Júnior e agora me apelidaram de “Coronel Davi.” Azar o deles! Queriam me azucrinar e eu me saí muito bem! Posso até me dar o luxo de soltar meus gases à noite sem ter ninguém pra reclamar. Tenho doze leitos à minha escolha!

Só hoje tomei conhecimento do documento do médico militar através do Dr. Christian. Ele afirma que sou periculoso e que devo continuar preso por no mínimo mais seis meses sob medicação e acompanhamento psicoterápico. O Dr. Christian amenizou meus nervos dizendo que ele não pensa desta forma e fará novo exame para me ajudar a sair daqui, contanto que eu fique calmo e aguarde. Prometeu que falará com o Juiz Militar sobre mim e dará pessoalmente seu parecer de viva voz e por escrito. Eu quero acreditar nele. Tenho que acreditar! E em Deus muito mais!


95006AGO08, quarta-feira.
Tenho me perdido nas minhas orações e me desconcentro com muita facilidade até nas minhas leituras. Não sei o que é isso! Temo estar enlouquecendo aqui na prisão.

Pedi “SOCORRO” ao Major e pedi a ele que falasse com o Juiz e solicitasse minha liberdade. Ele disse que falará pessoalmente com o Juiz Moro Cavalcante sobre mim e dirá que ele acredita que já fui injustiçado por demais. Tomara que ele faça isso! Tomara meu Deus!


95107AGO08, quinta-feira.
Um colega me disse que aqui no PMRG as coisas caminham na contramão de direção, pois tem um professor carregando lixo e “um lixo” cuidando da Biblioteca (ao se referir ao Vasconcelos). E daí? O sistema não quer saber disso. Pro regime militar somos iguais; presos e nada mais. Mesmo que eu não seja pedófilo ou estuprador.

Escrevi uma carta aos DIREITOS HUMANOS, mas não enviei. Não por medo, mas achei que eles nada fariam por mim. Guardei a carta ou devo tê-la jogado fora. Não sei!


95208AGO08, sexta-feira.
Minha atual situação aqui passou a incomodar meus colegas de prisão só porque moro sozinho no alojamento nove. Eles chutam a porta e saem pro banheiro correndo e etc. Eu não estou nem aí!
95309AGO08, sábado.
Logo de manhã eu ganhei um presente do Comandante Major Aguiar que me deixou telefonar da sala dele, da cadeira dele, pra minha casa e falar com meu filho e esposa pelo tempo que eu desejasse. Isso sim foi uma bênção de Deus! Este homem veio como um anjo para me resgatar e desde que eu o conheci e comecei a lecionar pra ele, as coisas têm melhorado aqui dentro pra mim.
95420AGO08, domingo.
É o terceiro Dia dos Pais longe do meu filho e esposa, mas Deus não me deixará passar nem mais um nesta situação; espero.

Minha irmã veio e eu dei a ela um relógio que comprei do Aquino e mais as outras coisas pra que ela levasse pra casa dela, como a cesta e meus documentos e anotações diárias. Eu nunca mantive nada que pudesse me complicar aqui na prisão. Onde está o meu pai? Deus é o meu Pai! Amém!


95511AGO08,segunda-feira.
É o dia do aniversário da Marcília e ontem ela me cobrou isso e, de fato, eu não me lembrava. Hoje peço a Deus que a abençoe e cuide dela aqui nesta metrópole onde ela não tem nenhum familiar a quem recorrer. Ela completa 50 anos

Muito trabalho, muita sujeira para recolher e as aulas do Major; assim foi minha segunda-feira.


95612AGO08, terça-feira.
Fortes dores na cabeça de novo! Ai! Ai! Ai! Não consegui dormir bem. Amanhã estarei em Maracaí, talvez isso tenha me deixado nervoso. A ansiedade de estar novamente diante do Juiz e do pessoal do Fórum de Maracaí.

Por isso retomei minhas leituras, pois fazia tempo que nada lia. Comecei a ler ONZE MINUTOS do Paulo Coelho.


95713AGO08, quarta-feira.
Não fiz o fichamento deste livro do Paulo Coelho como de costume porque pretendo comprá-lo assim que sair daqui e puder adquirir outros livros. Mas tenho lido a Bíblia como nunca antes e sei que também faço uma excelente leitura, muito embora eu ainda me considere um homem de pouca fé.

Saímos às 10h15 do PMRG com destino a Maracaí e chegamos Ás 15h no cemitério onde passei pra ver os túmulos de minha mãe e irmã. Eu havia pedido ao Major Aguiar e ele me permitiu que eu pudesse ser conduzido até lá sob escolta do Soldado Tuschi, Cabo Nicola e Sargento Gomes. Em seguida fomos ao Fórum e eu vi minha mulher, meu filho, a Janaína e muitos outros.

Estavam todos lá para me incriminarem; o Delegado, o Escrivão, o Promotor, e as demais testemunhas, o Sr. João, o Soldado Vinícius e o soldado Natalino. Saí feliz de lá e com a certeza de que não serei condenado. O Juiz me pareceu uma pessoa bastante centrada e justa. Até mesmo a Promotora pareceu-me simpática e deverá não me complicar, se Deus quiser.

Chegamos ao PMRG a meia noite em ponto.


95814AGO08, quinta-feira.
Eu havia pedido ao meu filho que preparasse um material de francês para as aulas do Major e trouxe comigo e dei a ele de presente. Foram cópias dos CDs Belle France. Trabalharemos algumas músicas.

A minha escolta me tratou muito bem, mas só lamento como são avarentos! Meu Deus! Quanta miséria pra comer; ninguém quer gastar. Eu me ofereci para pagar o jantar, mas o Sargento Gomes não aceitou. Eu pegaria dinheiro com meu filho e pagaria uma boa refeição pra cada um de nós. Tivemos que nos contentar com lanches!

Nesta mesma quinta-feira eu falei com o Juiz Militar às 13h40 e ele me disse que vai me libertar a semana que vem, mesmo contra a vontade da Promotora e do Médico do HPM. Fiquei feliz e apreensivo; será mesmo? Ou ele brinca comigo? E ainda disse que me libertará por três razões: porque o Dr. Christian disse a ele que eu estou bem, porque tenho bom comportamento e porque tenho uma família pra eu cuidar. E assim que ele receber o parecer do meu advogado sobre o laudo médico, ele me libertará.

Eu acredito em Deus e sei que ele está falando a verdade; em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo!


95915AGO08, sexta-feira.
Dormi mal, apesar das boas novas.

Dei os CDs para o Bianchi fazer cópias para vários colegas e terminei a leitura do livro do Paulo Coelho. É um livro para adolescentes e fala sobre a descoberta da sexualidade. Ele é esperto e sabe o que os jovens querem ler; é o Amado Batista da Literatura. Por isso caiu no gosto popular e, melhor ainda, na região central de todas as capitais do mundo e suas periferias intelectualizadas.

96016AGO08, sábado.
Eu acho que finalizei minhas rosas amarelas do Curso de Pintura e não vou pintar mais. Não levo jeito pra pintura. A Olívia é linda e paciente com todos, mas eu não quero cansá-la com minhas limitações. Dei 50 reais ao Pinho como contribuição pelo material que usei.

96117AGO08, domingo.


Será o último meu Deus! Confidenciei a alguns colegas que o Juiz disse que vai me libertar, mas não todos, e pedi muito sigilo.

A mãe do Gabarron me deu chocolates e me trouxe mais cem reais que eu pedi pra Cidinha enviar através dela. À noite eu dividi meu chocolate com o Ricardo e ensinei a ele algumas coisinhas em francês.

Falei um bom tempo com a Valquíria, filha do Almeida, e disse a ela tudo o que pensam os presos de sua beleza. Ela também me ofereceu chocolate e eu darei a ela um CD e outro para a Olívia. O Bianchi ficou cheio de vontade de conhecer a filha do Almeida e me incumbiu desta missão. Veremos!
96218AGO08, segunda-feira.
O Ricardo se juntou a nós nas aulas de francês com a permissão do Major e isso foi muito bom para que o colega se sentisse melhor tanto quanto eu, e ainda ver com os próprios olhos que o Major Aguiar é um oficial diferente dos demais.

Dei minha obra prima única para que o Major levasse de presente à sua esposa Alda Aguiar como um presente meu e junto postei uma carta em francês para que ele lesse a ela.

Pedi a Deus para sonhar com minha mãe e irmã e Ele me concedeu o sonho com minha mãe; ela me disse que eu sairia em breve daqui.
96319AGO08, terça-feira.
O Senhor é o meu Pastor e nada me tem faltado! Ele sabe exatamente do que necessito e tem me dado força suficiente para carregar o fardo que me impuseram. Os meus inimigos não conhecem o meu Deus e seu Poder.

O Nadir foi embora esta tarde e nós fizemos as pazes, pois havíamos discutido ontem e nem me lembro a razão. Discutir aqui é banalidade. A cada hora tem alguém discutindo com o outro; no sentido de alterar os ânimos.


96420AGO08, quarta-feira.
O Comandante Geral da PM veio ao PMRG para uma visita de inspeção e todos se mostraram muito preocupados como se fossem receber alguma divindade. Pra dizer a verdade eu nem sei e nem quero saber o nome dele.

Eu quero sim é que Deus faça cumprir a minha promessa de libertação, não só da prisão, mas do velho homem que fui e não gostaria de tornar a ser. E hoje a leitura de Mateus, capítulo 10 me deu força e ânimo para a luta!


96521AGO08, quinta-feira..
Estou ansioso e nervoso na expectativa de que o Juiz cumpra sua palavra de me libertar, se Deus quiser. E na visita de alguns militares nesta tarde na prisão, um Sargento que eu nunca vi me disse que sentia que minha liberdade estava próxima, isto é, que em breve eu sairia deste lugar. Senti que foi Deus quem me falou através dele. Estávamos no alojamento 01 com a Sub Bia.
96622AGO08, sexta-feira.
Acredito que hoje será o meu último dia aqui! Deus é poderoso e me libertará! Li em Mateus 13 que todo profeta é desprezado em sua terra natal; mas eu quero voltar pra minha terra com a glória de Deus e mostrar que a prisão me fez um homem melhor.
96723AGO08, sábado.
O Dr. Christian veio me dizer que meus dias estão contados aqui e que eu irei embora segunda-feira. Por que ele disse isso? Será verdade? E neste sábado eu li Mateus 14 e lá Deus me questionou sem que eu soubesse ou prestasse atenção: “Por que você duvida homem de pouca fé?” Se Deus é por mim, quem será contra mim?

Fiz uma brincadeira com o Januário e ele não gostou e me disse palavras desagradáveis de ouvir. Tudo isso porque eu o imitei ao cair da mureta da quadra num gesto de brincadeira; aqui se briga por nada, já disse mil vezes. É o nosso momento de pagarmos nossas dívidas. Ele e eu temos muitas dívidas para pagar!


96824AGO08, domingo.
Levantei-me cedo e aguardei a chegada da mãe do Gabarron pra saber das notícias de casa. Os domingos são horríveis para mim porque tardam a passar e eu fico ansioso com o término da visita, nem sei por que.

Quero acreditar nas palavras do Dr. Christian que eu vou mesmo embora amanhã e vou dormir com esta certeza porque sei que ele tem feito tudo por mim, na medida do possível.

As minhas conversas com o Bianchi me têm revelado que ele é um colega bom, educado, inteligente e ‘extremamente violento’. Dá pra entender? Ele diz coisas bonitas e sábias, mas guarda um ódio enorme no coração. Ou frustração pelos anos de prisão? Sei lá! Gosto dele e temo-o! Ele me falou dos seus amores e do seu crime em Ourinhos quando era um jovem militar e contou-me que matou uma menina de 14 anos que estava numa moto com outro garoto. Segundo ele, teve vontade de não mais viver a partir daquele momento. Ele não queria matá-la!

Depois falamos de nossos amores, porque eu os tive muitos, sem nunca deixar de valorizar aquela que será sempre a VERDADEIRA! Eu me lembrei da italianinha do Zé, da minha Cidinha, da Inês e da Olívia Braga! Mulheres que amei e amo. Mas amar a mulher do colega? Sim! Eu amei a sua história, meu caro Zé, e - também - suas mulheres pela maneira como você me falava delas. Você foi o grande romântico da prisão!

E pra finalizar nossas várias conversas, eu cantava e tocava violão e o Bianchi registrava tudo naquele seu pequeno Ipod. O que é a tecnologia! (Mesmo sendo proibido). Depois ele passava pro computador e ouvia a nossa história entre canções improvisadas e nunca cantadas por inteiro; sempre aos pedaços, como nós, como a vida, etc.
96925AGO08, segunda-feira.
É o aniversário do Major Aguiar e que Deus o abençoe! São 44 anos de muita inteligência e sabedoria deste que será o meu ‘anjo’ militar da prisão e pro resto da vida. Ele resgatou-me do fundo do poço e mostrou aos demais oficiais e colegas prisioneiros quem eu era. Por quê? Sabem-se lá quais são os projetos de Deus! Feliz aniversário MEU AMIGO!

De fato chegou meu Alvará de soltura conforme o Christian falou, mas foi adiada minha liberdade porque a Promotora do TJM quis que se cumprissem os dias que determinam a lei; 07 dias para interpor o recurso dela. Fiz exame de corpo delito e fomos ao TJM onde fui informado pelo Juiz que eu deveria aguardar mais uma semana na prisão, mas que certamente eu iria embora dia primeiro de setembro.

De retorno ao PMRG todos me viram no refeitório e gritavam: “Vai embora Davi”, mas não sabiam do ocorrido. Fingi ter perdido a fome e fui até o canto da quadra e lá fiquei sentado e estava sendo observado por muitos. Passou um e me perguntou o que havia acontecido e eu disse que tive um probleminha com o Juiz Militar. De imediato saiu o boato de que eu briguei com o Juiz militar chegando até a agredi-lo fisicamente. O boato correu por vários dias. Nada disso era verdade e eu sabia muito bem que iria embora na segunda-feira se não houvesse manifestação da Promotora contra a decisão do Juiz. Nunca ri tanto por dentro! O leitor sabe o que é rir por dentro?
97026AGO08, terça-feira.
Ontem eu senti o cheiro bom da liberdade e hoje estou de volta à prisão como se fosse um pesadelo. Ou uma provação de Deus? Ou um teste do Juiz pra ver como lido com minhas emoções? Pensei nisso tudo à noite e ainda neste momento penso e pensarei sempre.

Todos queriam saber por que meu Alvará era do “Paraguai” e por que não fui embora. Eu não sabia explicar muito bem e nada disse.

À tarde o Capitão Luco me chamou e disse que a Promotora não irá recorrer da sentença e que por isso eu irei embora dia 01 set 08. O Coronel me chamou em seguida e disse a mesma coisa na presença do Major e do Décio. Aí sim fiquei tranquilo! Comecei a contar as horas finais do cárcere.
97127AGO08, quarta-feira.
Serão mais cinco dias de prisão; 120 horas! Pedi ao Bianchi que dissesse pra minha esposa e irmã que eu irei embora e lhes dissessem o dia.
97228AGO08, quinta-feira.
Estudamos normalmente ontem o francês; nada mudou. E contando o tempo que ficarei preso, serão 976 dias. Com a remição que pra mim não conta, serão 03 anos e 03 meses. Pois trabalhei 609 dias dos quais 203 contam como remição; quase 07 meses trabalhados que poderiam ser usados para diminuir minha pena se eu fosse apenado. Na Medida de Segurança não se conta a remição. Aliás, verifiquei melhor e vi que serão 07 meses e dois dias remidos até a data da minha saída definitiva.

Em breve, o prisioneiro 163, não constará mais das planilhas dos guardas e sairá da lista de chamada. Glória a Deus!

Trabalhamos a canção francesa NE ME QUITTE PAS ontem à tarde.
97329AGO08, sexta-feira.
Menos de 100 horas de prisão! A rotina segue e ainda sou o lixeiro; não fui destituído do cargo.

O Maldonado saiu em liberdade hoje.


97430AGO08, sábado.
Choveu esta noite e eu dormi bem.

Vi uma reportagem do Dr. Christian Costa, o meu psicoterapeuta do PMRG, na TV Record às 09h10 onde o mesmo falava sobre a mente criminosa. Ele é especialista em Criminologia e fala muito bem diante das câmeras. Senti-me orgulhoso dele e por ter sido seu paciente. Eu estava em boas mãos!


97531AGO08, domingo.
Meu último domingo na prisão. Fez frio.

Arrumei minhas coisas e dei pra minha irmã levar porque amanhã eu quero sair daqui só com a roupa do corpo e uma pequena bolsa. Também dei a ela o dinheiro para comprar minha passagem pra casa. Ela virá às 17h de amanhã para me buscar.

Passei o domingo conversando com o Sr Almeida e o Bianchi, cantando e falando de nossas vidas e de nossas conversas de costume. Dividi com eles o que minha irmã me trouxe.
97601SET08, segunda-feira.
C’est pas finit encore! Faltam menos de 18h! Graças a Deus eu irei embora deste lugar. É o meu último dia na prisão e eu choro de alegria e felicidade; eu venci. “Vim, vi e venci”!

Vencemos; Deus, eu, minha família, meus fiéis amigos, meus colegas escritores que me deram de presente suas obras literárias pra eu ler e saber um pouco mais, e também todos os que por mim oraram. Entre eles, Marcelo, Luíza, Gabriel, Dona Izaura, Sandro, Amélia, e muitos outros. Eu não serei injusto com ninguém, ainda que eu não cite o nome, jamais sairão do meu coração aqueles que sofreram comigo durante esses 976 dias no cárcere.

À tarde fizemos o mesmo trajeto da segunda-feira passada e por volta das 17h45 eu estava realmente em liberdade e minha irmã já me aguardava do lado de fora do PMRG (PRESÍDIO MILITAR ROMÃO GOMES).

CHOREI!


EPÍLOGO

Chorei ao sair e saber que muitos colegas ficarão ainda por um bom tempo neste lugar que não pretendo nunca mais voltar, mas que nunca sairá da minha mente. Ficará marcada no fundo da minha alma esta passagem por esta casa de reeducandos (PMRG), como se fosse, de fato, um câncer incurável a me corroer as entranhas.

Fiz amigos aqui neste lugar e ganhei em aprendizado muito mais do que imaginava e saí com a cabeça erguida, com a sensação do “dever cumprido”, mesmo achando que fui injustiçado e penalizado por demais; 02 anos, 08 meses, 02 dias e 17h45.

É verdade que tenho ressentimentos profundos, mas não quero tornar estas páginas finais num canto lamurioso, antes prefiro dizer que o passado servirá como experiência de vida e acredito que saí do PMRG bem melhor do que quando aqui cheguei com toda minha arrogância.



Paguei um alto preço pelos meus desequilíbrios emocionais que me trouxeram por duas vezes a este lugar e agora sei que nem tudo é como eu pensava e reavaliei meu modo de encarar a vida, as coisas e, principalmente, o ser humano. Percebi que eu mesmo criei as situações que me trouxeram ao cárcere e vi o quanto fui idiota em não ter evitado isso tudo. Todavia, se tivesse evitado, eu não estaria sendo eu mesmo naqueles momentos e também o leitor não teria esta humilde obra literária para desfrutar. Deus escreve mesmo certo por linhas tortas. ELE e somente ELE sabe o que é melhor para nós! Amém!

Assassinaram o “PRISIONEIRO”!


Uns dizem que foi assassinato,

Outros que foi “suicídio”;

Não o acredito tão insensato



1   2   3   4   5   6   7   8


©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal