Roteiro de Coração (Módulo I – Tórax) Monitora



Baixar 25.45 Kb.
Encontro31.10.2017
Tamanho25.45 Kb.

Roteiro de Coração

(Módulo I – Tórax)
Monitora: Mariana Mendes B. Figueiredo
Pericárdio
O pericárdio e seu conteúdo (o coração e as raízes de seus grandes vasos) constituem o mediastino médio. É uma membrana fibrosserosa que cobre o coração, formada por duas camadas: a camada externa, o pericárdio fibroso, e a camada interna, o pericárdio seroso. Este, por sua vez, é dividido em lâmina parietal do pericárdio seroso (reveste a superfície interna do pericárdio fibroso) e lâmina visceral do pericárdio seroso (lâmina refletida sobre o coração nos grandes vasos), a qual constitui o epicárdio.

A cavidade pericárdica é um espaço virtual entre as lâminas do pericárdio seroso e contém uma fina película de líquido.



Seio transverso do pericárdio – passagem transversal no saco pericárdico posteriormente ao tronco pulmonar e aorta ascendente e anteriormente à VCS.

Seio oblíquo do pericárdio – semelhante a uma bolsa, limitado lateralmente pelas veias pulmonares e posteriormente pelo pericárdio que cobre a parede anterior do esôfago.


Coração
Bomba dupla de sucção e pressão, cujas porções trabalham em conjunto pra impulsionar o sangue para todas as partes do corpo. É dividido em 4 câmeras: átrios direito e esquerdo e ventrículos direito e esquerdo. Sua parede é formada por 3 camadas: endocárdio (camada interna de endotélio e tecido subendotelial), miocárdio (camada intermediária helicoidal e espessa, formada por músculo cardíaco), epicárdio (fina camada externa formada pela lâmina visceral do pericárdio seroso.
Obs.: Estudar esqueleto fibroso do coração (caiu na prova teórica do ano passado).


Átrio Direito
Aurícula direita – bolsa muscular cônica que funciona como uma câmara adicional;

  • Seio das veias cavas (parte posterior lisa);

  • VCS;

  • VCI;

  • Óstio do seio coronário;

  • Septo interatrial;

  • Fossa oval;

  • Limbo da fossa oval;

  • Crista terminal (no lado externo é o sulco terminal);

  • Músculos pectíneos (parte posterior rugosa);

  • Óstio atrioventricular direito.


Ventrículo Direito


  • Cone arterial (infundíbulo);

  • Crista supraventricular;

  • Trabéculas cárneas;

  • Valva atrioventricular direita (formada por 3 válvulas: anterior, septal e posterior);

  • Músculos papilares (correspondentes às válvulas: anterior, septal e posterior);

  • Cordas tendíneas;

  • Septo interventricular;

  • Trabécula septomarginal (banda moderadora) – conduz o ramo direito do fascículo AV.


Átrio Esquerdo
Aurícula esquerda – muscular, tubular, cavalga a raiz do tronco pulmonar;

  • Músculos pectíneos;

  • Septo interatrial;

  • Válvula do forame oval (em volta de uma depressão semilunar na parede do septo interatrial);

  • Quatro veias pulmonares – duas superiores e duas inferiores;

  • Óstio atrioventricular esquerdo.



Ventrículo Esquerdo
Apresenta paredes mais espessas que o ventrículo direito (como a pressão arterial é maior na circulação sistêmica do que na circulação pulmonar, o ventrículo esquerdo trabalhas mais do que o ventrículo direito).

  • Trabéculas cárneas (mais finas e numerosas do que as do ventrículo direito);

  • Músculos papilares anteriores e posteriores (maiores que aqueles do ventrículo direito);

  • Cordas tendíneas;

  • Valva atrioventricular esquerda (duas válvulas: anterior e posterior);

  • Vestíbulo da aorta;

  • Óstio da aorta com sua valva.


Valvas do Tronco pulmonar e Aorta
Válvulas da valva do tronco pulmonar – anterior, direita e esquerda.

Válvulas da valva da aorta – posterior, direita e esquerda.

Tais válvulas não possuem cordas tendíneas para sustenta-las. As válvulas projetam-se para a artéria, mas são pressionadas em direção (e não contra) às suas paredes quando o sangue deixa o ventrículo. Elas se abrem como bolsas enquanto recebem o fluxo sanguíneo invertido, unindo-se para fechar o óstio, evitando que o sangue retorne ao coração.

Imediatamente superior a cada válvula semilunar, as paredes das origens do tronco pulmonar e da aorta são ligeiramente dilatadas, formando um seio.


  • Lúnula – espessamento na região de contato das válvulas;

  • Nódulo – espessamento no ápice da margem livre angulada;

  • Seio da aorta direito – abertura da A. coronária direita;

  • Seio da aorta esquerdo – abertura da A. coronária esquerda.



Vascularização do Coração
O endocárdio e parte do tecido subendocárdico recebem oxigênio e nutrientes por difusão ou por microvascularização diretamente das câmaras do coração. Os vasos sanguíneos do coração, normalmente incrustados no tecido adiposo, atravessam a superfície do coração logo abaixo do epicárdio. São afetados pelas inervações simpática a parassimpática.

Suprimento Arterial do Coração
As Aa. coronárias direita e esquerda suprem o miocárdio e o epicárdio e originam-se nos seios da aorta correspondentes, seguindo por lados opostos do tronco pulmonar.
A A. coronária direita emite os seguintes ramos:

  • Ramo do nó sinoatrial (aproximadamente 60%);

  • Ramo marginal direito;

  • Ramo do nó atrioventricular (aproximadamente 80%);

  • Ramo interventricular posterior (aproximadamente 67%);

A A. coronária esquerda emite os seguintes ramos:



  • Ramo interventricular anterior;

- Ramo lateral (diagonal);

  • Ramo circunflexo;

- Ramo marginal esquerdo
Obs.: Geralmente a A. interventricular anterior se anastomosa com a A. interventricular posterior, enquanto a A. coronária direita se anastomosa com o Ramo circunflexo da A. coronária esquerda.

Obs.: Estudar o trajeto das Aa coronárias direita e esquerda para a prova teórica.

Drenagem Venosa do Coração


  • Seio coronário – principal veia do coração que segue da esquerda para a direita na parte posterior do sulco coronário.

  • Veia cardíaca magna (ascende com o ramo IV anterior da ACE);

  • Veia cardíaca parva (acompanha o ramo marginal direito da ACD);

  • Veia interventricular posterior (acompanha o ramo IV posterior);


Obs.: Algumas veias cardíacas não drenam através do seio coronário: elas desembocam diretamente na parede do átrio direito.
Obs.: Estudem complexo estimulante do coração para a prova teórica, quanto à prática, não é possível ver tais estruturas.

Boa Prova!!! =D




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal