Roma Antiga



Baixar 14.88 Kb.
Encontro12.10.2018
Tamanho14.88 Kb.

Roma Antiga
Localização: Península Itálica

Situa-se no Mar Mediterrâneo, limitada pela Cordilheira dos Alpes e os mares Tirreno, Adriático e Jônico.





Povos que ocuparam a Península Itálica: norte: Gauleses, centro: etruscos e Italiotas, e ao sul, os gregos.
Origem de Roma:

Lendária: Roma foi fundada por volta de 753 a.C por dois irmãos, Rômulo e Remo.

Histórica: Roma foi fundada pelos latinos.
Evolução Política: Monarquia, República e Império.
Monarquia (753 a.C a 509 a.C)

Primeiro Rei: Rômulo

Ultimo rei: Tarquínio, O Soberbo.

Tarquínio, o soberbo, foi retirado do poder através de uma revolta feita pela aristocracia, que não aceitou o despotismo do rei.


Instituições políticas da Monarquia:

Senado: composto por anciãos pertencentes a aristocracia romana, ficalizavam e controlavam o rei.

Assembléia Centuriata: Era composta por cidadãos romanos em idade militar, tinham o poder de aprovar e vetar as leis propostas pelo senado..
Sociedade:

Patrícios (Aristocracia rural): eram proprietários de terras e compunham a aristocracia romana.

Plebeus (camponeses, comerciantes e artesãos): homens livres, sem direitos políticos.

Clientes:Eram dependentes dos patrícios, não possuíam terras, e em troca de proteção (Patrícios) prestavam serviços a aristocracia.

Escravos: Correspondiam a uma minoria
República (509 a.C a 27 a.C)
Senado

Magistraturas da República:

Consulado

Ditadura

Pretor (justiça)

Questor (tesouro público)

Censor (Censura, cobrança dos impostos)

Edis (Limpeza, policiamento da cidade)
Em 493 a.C, ocorreu a revolta do monte Sagrado dando inicio a uma luta de classes, entre os patrícios e os plebeus. Conquistas dos plebeus:

Tribunato da Plebe: representantes dos plebeus tinham o direito de veto, isto é, de suspender as decisões do senado, quando essas decisões prejudicassem os interesses dos plebeus.

Lei das Doze Tábuas: As leis em Roma passaram a ser escritas.

Lei Canuléia: Permitiu o casamento entre patrícios e plebeus.

Lei Licínia: Os plebeus podiam eleger os representantes para as diversas magistraturas.
Expansão Romana




Interna: Península Itálica.

Externa: Guerras Púnicas.
Guerras Púnicas: (264-46 a. C)
Causas:Rivalidade entre Roma e Cartago, pelo domínio da Ilha da Sicília.

Conseqüências: Destruição de Cartago, conquista da Córsega, Sardenha, Sicília e garantiu o domínio dos romanos no mar Mediterrâneo.(Mare Nostrum)


Conseqüências da expansão romana: Crise da República Romana.
1.Aumento do número de escravos, que posteriormente acabou provocando revoltas de escravos, como a liderada pelo escravo Espártaco.

2.Ruína dos camponeses, concentração de terras nas mãos da aristocracia, migração do campo para a cidade ( desempregados: Êxodo Rural)

3.Formação de uma nova classe social: os homens novos ou cavaleiros, que enriqueceram com o comércio.

4. Formação de um Exército Profissional.

Todas essas alterações ocorridas em Roma acabaram provocando uma crise na Republica Romana.
Tentativas para superar a Crise da República romana
1)Irmão Gracos:
a)Tibério Graco: na tentativa de resolver os conflitos sociais existentes em Roma aprovou a Reforma Agrária. Tal medida provocou a insatisfação da aristocracia, e esse governante acabou sendo assassinado.

b) Caio Graco: Retornou o projeto da Reforma Agrária e aprovou a Lei Frumentária, que obrigava o Estado a vender o trigo a preços baixos a população.As suas reformas entraram em choque com os interesses da aristocracia, e Caio pressionado politicamente cometeu o suicídio em 121 a.C.


2) Ditaduras militares: Mario e Sila:
a)Mario: governou agradando as camadas populares e com isso deixou insatisfeito a aristocracia.

b) Sila: Era aristocrata e governou atendendo os interesses da aristocracia.


3)Primeiro Triunvirato: Com o apoio do Exército, Crasso, Pompeu e Julio César implantaram em Roma o Primeiro Tiunvirato. Seguiu-se uma luta pelo poder, na qual César, vitorioso, estabeleceu em Roma uma ditadura.
4) Ditadura de César. Tornou-se ditador vitalício em Roma e realizou reformas favoráveis a população. As reformas de César esbarraram nos interesses da aristocracia, que atingida em seus privilégios políticos e econômicos prepararam uma conspiração que culminaram no assassinato de César.
5)Segundo Triunvirato: Após a morte de César, assumiram o poder Otavio, Marco Antonio e Lépido. Ocorreu uma disputa pelo poder, Lépido foi afastado, e Otávio venceu Marco Antonio. Após o suicídio de Marco Antonio, Otavio concentra o poder, terminando a republica e começava o Império.




©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal