Renault lança o Novo Laguna, um veículo que sintetiza toda a tecnologia e experiência da marca a renault do Brasil apresenta o Novo Laguna, referência no mercado de carros médios de luxo (segmento M2)



Baixar 91.41 Kb.
Encontro28.02.2019
Tamanho91.41 Kb.





18 DE NOVEMBRO DE 2002

NOVO LAGUNA HATCH E GRAND TOUR PRIVILÈGE 3.0 V6 24V





Renault lança o Novo Laguna, um veículo que sintetiza toda a tecnologia e experiência da marca
A Renault do Brasil apresenta o Novo Laguna, referência no mercado de carros médios de luxo (segmento M2) da Europa e que chega para ser o automóvel topo de linha da marca no país. Aliando tecnologia, segurança, design, requinte e performance, o Novo Laguna chega para trazer novas sensações ao dirigir para o exigente público consumidor deste segmento.

Lançado na França no início do ano passado, o Novo Laguna é o líder de vendas no mercado de carros médios de luxo (M2). O automóvel da Renault já vendeu mais de 80 mil unidades entre janeiro e outubro deste ano, o que representa a participação de 4,6% do mercado de veículos de passeio.


Importado da França, o modelo desembarca no Brasil em duas opções de carroceria – hatch e station wagon (Grand Tour) – ambas contando com uma única versão de acabamento, denominada Privilège. O Novo Laguna será comercializado no Brasil a partir de dezembro, com a motorização V6 de 3.0 litros e 24 válvulas (210 cv de potência). No segundo trimestre do próximo ano, chegará a motorização de 2.0 litros e 16 válvulas (138 cv).
O Novo Laguna reúne o que há de mais moderno em termos de tecnologia desenvolvida pela Renault. Além de apresentar um desenho único e arrojado, que traduz esportividade e dinâmica na versão hatch e elegância na versão Grand Tour, o Novo Laguna foi projetado para proporcionar aos seus clientes conforto, desempenho, prazer ao dirigir e segurança.
Para Antonio Megale, Diretor de Marketing da Renault do Brasil, o lançamento do Novo Laguna representa um importante passo nos planos de consolidação da marca no Brasil. “O Novo Laguna não somente complementa nossa gama de produtos no país, como também contribui na construção da nossa imagem de marca. O carro resume, de maneira única e personalizada, toda a capacidade tecnológica e revolucionária da Renault”, comenta.
No Brasil, o Novo Laguna competirá num segmento que representa aproximadamente 7.500 unidades anuais. No acumulado de vendas deste ano até setembro, o segmento é liderado pelo Citroën C5, seguido do BMW Série 3 e do Audi A4. Para 2003, a Renault espera comercializar 300 unidades do Novo Laguna (180 da versão hatch e 120 Grand Tour). Seus principais concorrentes são o Volkswagen Passat, Citroën C5, Peugeot 406, Audi A4 e Ford Mondeo.

Um carro inovador em todos os aspectos
O Novo Laguna é poucos centímetros maior do que o seu antecessor, o que contribuiu para a ampliação do espaço interno para os ocupantes e da capacidade do porta-malas (430 litros no hatch e 480 litros no Grand Tour). Tanto suas linhas externas como as do seu interior possuem um desenho expressivo, de traços fluidos e arrojados, que conciliam formas geométricas com linhas curvas.
O interior do Novo Laguna invoca habitabilidade, luminosidade, harmonia e conforto. O modelo possui painel de instrumentos ergonômico e funcional e oferece um pacote completo de itens de conforto e conveniência compatíveis com o segmento: bancos em couro, ar-condicionado digital com ajustes para motorista e passageiro, piloto automático, computador de bordo, trio elétrico, rádio com CD player e comando satélite na coluna de direção, travamento automático das portas a 6 km/h e teto solar elétrico, entre outros.
Mas o Novo Laguna apresenta também uma série de inovações que facilitam a vida do motorista. Uma delas é a substituição da chave por um cartão eletrônico, do tamanho de um cartão de crédito. Através deste cartão, as portas do automóvel podem ser destravadas automaticamente com a aproximação do motorista, facilitando o acesso ao interior do veículo. Além disso, ele é também responsável pela partida do veículo. Para isso, basta colocá-lo num leitor instalado no painel e apertar um botão do tipo liga/desliga.
A versão Grand Tour do Novo Laguna está equipada com um sensor de obstáculos na traseira (sensor de estacionamento), que entra em funcionamento quando a marcha a ré é engatada. Um sinal sonoro, que aumenta de intensidade à medida que o carro avança na direção de um carro parado ou de qualquer outro obstáculo, torna mais fáceis as manobras de estacionamento.
O Novo Laguna vem equipado com uma caixa de câmbio automática auto-adaptativa, do tipo seqüencial de cinco velocidades, que modela-se ao estilo de condução do motorista. Enquanto uma caixa automática tradicional possui duas programações para passagem de marchas (econômica ou esportiva), a caixa de transmissão do Novo Laguna, denominada Proactive, dispõe de nove programas diferentes, que vão desde uma condução mais suave até uma performance mais esportiva. Esta caixa de câmbio permite, ainda, a opção entre a troca manual ou seqüencial de marchas.


Segurança cinco estrelas
Outro ponto que mereceu atenção especial da equipe de engenharia da Renault no projeto e desenvolvimento do Novo Laguna foi a segurança. O carro é hoje uma importante referência mundial, tendo sido o pioneiro na conquista da nota máxima de cinco estrelas nos testes realizados pelo EuroNCap, conceituada entidade de segurança veicular da Europa. Os resultados obtidos pelo Novo Laguna foram tão superiores que foi necessária uma redefinição das avaliações da entidade. Até o teste do Novo Laguna, nenhum outro carro havia obtido uma classificação superior a quatro estrelas.
Para a proteção dos seus ocupantes, o carro conta com seis air bags (dois frontais, dois laterais e dois do tipo cortina), corte de combustível em caso de colisão, estrutura de carroceria reforçada em aço de alto limite elástico e dispositivo de retenção programada – que define a atuação conjunta dos air bags com os cintos com Limitador de Esforço Integrado (LEI) e pré-tensionadores.
Além dos itens de segurança passiva, fundamentais para este ótimo resultado nos testes da EuroNCap, o Novo Laguna está equipado com as últimas tecnologias desenvolvidas para a proteção ativa dos seus ocupantes: sistema ESP de correção de trajetória conjugado a um dispositivo anti-derrapagem e sistema AFU (Assistência à Frenagem de Urgência), que através de um sensor de velocidade detecta uma situação de emergência, auxiliando na redução do espaço necessário para frenagem, integrando ABS e EBV (Distribuição Eletrônica de Frenagem).

Uma história de sucesso e um sucessor à altura
Desde que foi lançado na Europa, em 1994, o Laguna redefiniu os conceitos do seu segmento, tornando-se um importante referencial na sua faixa de mercado e um sucesso de vendas. Oferecendo uma gama completa de equipamentos de conforto, além de um nível de acabamento e desempenho ímpares, o Laguna encerrou seu primeiro ciclo de vida com mais de 1,4 milhão de unidades produzidas até o ano de 2000.
No Brasil, o Laguna foi lançado no país em janeiro de 1996, e logo transformou-se num referencial do mercado de carros médios de luxo, graças, principalmente, a sua relação custo-benefício, uma das melhores da sua categoria. No seu ciclo de vida no mercado brasileiro, o Laguna superou a marca de 3.400 unidades comercializadas.


Assessoria de Imprensa Renault do Brasil – Gerson Almeida

(0xx11) 3054-8328/26/27/29  (0xx11) 3054-8322



SP 11/2002
Novo Laguna: um veículo, duas carrocerias, dois conceitos

Durante o desenvolvimento do projeto do Novo Laguna, os engenheiros da Renault tinham como meta apresentar um veículo que substituísse seu antecessor à altura, preenchendo todos os requisitos e necessidades exigidos pelos clientes do seu segmento. Mais tradicionais, esses clientes procuram conforto, desempenho, segurança, comodidade, dirigibilidade, tecnologia e requinte.

Por isso, ao propor dois tipos de carrocerias – uma hatch e uma station wagon — com filosofias diferenciadas, a Renault buscou uma abordagem dinâmica deste segmento, visando atender de maneira plena e inquestionável todos os anseios do cliente. Por isso, apresentou não somente dois tipos de configuração, mas duas carrocerias que possuem filosofias e posicionamentos próprios.



Diferente entre eles ...
Na parte frontal do Novo Laguna, a presença de uma grade do radiador em tom cinza acompanha o desenho dos faróis e ressalta o logotipo Renault instalado sobre o capô do motor. O conjunto óptico de design moderno, com lâmpadas de xenôn, e o pára-choque integrado à carroceria, traduzem a robustez e o requinte do modelo.
Mas apesar de dividirem o mesmo desenho frontal, as duas opções de carroceria podem ser consideradas dois veículos diferentes, com conceitos e posicionamentos próprios.
Considerado um veículo expressivo, dinâmico e esportivo, o Novo Laguna Hatch propõe um desenho diferenciado, moderno e exclusivo.
Na parte traseira, a ausência de vidro espia na coluna “C” e a adoção de um vidro da tampa do porta-malas, cujo formato assemelha-se a uma “bolha”, são marcas registradas da equipe de design da Renault e estão presentes, de forma marcante, nesta versão. A tampa traseira integra um mini-aerofólio, com brake-light embutido.
O desenho traseiro estruturado por faróis largos, a linha mais alta do porta-malas e a curta dimensão da carroceria após o eixo traseiro, evidencia o lado “propulsivo” da configuração hatch, reforçando o espírito de cupê, apesar do carro possuir quatro portas. Seu coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx) é de 0,31.
Já o Novo Laguna Grand Tour é um automóvel moderno, estético, de requinte e conforto inquestionáveis. A parte traseira possui um desenho harmonioso e elegante. O design em forma de arco dos vidros das janelas laterais traseiras, prolonga a linha dos vidros das portas e marca a presença da coluna “C” com vidro fixo. O desenho dos vidros laterais está em harmonia com o formato das lanternas traseiras, que estendem-se sobre os pára-lamas traseiros.
O aspecto “touring” do Novo Laguna Grand Tour é acentuado pelo desenho da ampla tampa do porta-malas, que integra um vidro plano em forma de “V” aberto. O acesso ao compartimento de cargas pode ser feito de duas formas: a primeira é da maneira tradicional, abrindo-se a tampa do porta-malas. A outra pode ser feita utilizando-se a abertura do vidro traseiro, o que facilita o acondicionamento de pequenas cargas. O Cx desta versão é de 0,32.

... e diferentes dos seus antecessores
Com o objetivo de melhorar a distribuição de peso, e conseqüentemente, o desempenho e o consumo de combustível, a equipe de engenharia da Renault concebeu as duas versões de carrocerias do Novo Laguna com alguns centímetros a mais do que seus antecessores (4,58m x 4,51m de comprimento no hatch e 4,70m x 4,62 no Grand Tour).
O ambiente e a vida a bordo sintetizam a filosofia da Renault no sentido de oferecer um interior onde todos os ocupantes do veículo sejam tratados da mesma forma, em um ambiente de cores claras e luminosidade. O desenho do painel de instrumentos segue o mesmo conceito do design externo, com linhas definidas e bem estruturadas, com curvas duplas.
Além disso, o Novo Laguna propõe uma nova oferta de tecnologias automotivas, que oferecem novas sensações ao dirigir. Assim, os ocupantes do Novo Laguna podem se beneficiar, em toda a sua amplitude, das mais recentes soluções nos quesitos segurança (ativa e passiva), conforto a bordo, prazer de dirigir e serenidade na utilização.

Redefinindo os padrões de segurança ativa e passiva

A segurança é um dos eixos estratégicos da marca Renault, no desenvolvimento de seus automóveis. No caso do Novo Laguna, a empresa planejou um novo conjunto de equipamentos no quesito segurança ativa, que complementam o trabalho realizado no aperfeiçoamento da segurança passiva.

Toda essa atenção em relação ao item segurança, proporcionou ao Novo Laguna um feito inédito. Durante os ensaios realizados pela EuroNCap, a mais conceituada entidade de segurança veicular da Europa, o Novo Laguna foi o primeiro automóvel a obter a nota máxima de cinco estrelas. Isto comprova a excelência da Renault no desenvolvimento e na utilização dos mais modernos equipamentos e tecnologias quanto a segurança dos ocupantes.


Alguns dos itens de segurança oferecidos como equipamentos de série do Novo Laguna, são encontrados, somente, em versões mais esportivas ou de segmentos superiores do mercado.
O Novo Laguna traz como item de série o Controle de Trajetória (ESP), que auxilia o motorista a manter o controle do veículo em situações de perda de aderência em uma manobra de urgência. Além dos benefícios do ESP, o Novo Laguna dispõe de um sistema anti-derrapagem (ASR), que evita deslizamento dos pneus nas acelerações bruscas e em pisos escorregadios.
O Novo Laguna vem equipado com quatro freios a disco (ventilados na dianteira e sólidos na traseira), ABS de última geração e Distribuição Eletrônica de Frenagem (EBV). Para otimizar as reações do veículo em freadas emergenciais, o Novo Laguna traz de série um sistema de assistência à frenagem de urgência (AFU), que permite explorar toda a potência dos freios para reduzir os espaços de frenagem.
O dispositivo AFU permite a manutenção constante da pressão máxima de frenagem do ABS. O sistema permanece acionado enquanto o motorista não diminui completamente o esforço empregado no pedal de freio, atributo que o diferencia de outros dispositivos disponíveis no mercado.
Além desses novos sistemas de auxílio à direção, o Novo Laguna possui equipamentos destinados à otimização da segurança ativa. Para direção noturna, os faróis de xenôn, com uma superfície complexa associada a um corretor dinâmico, melhoram a luminosidade e aumentam em 30% a área iluminada.
Quando todos recursos de segurança ativa do Novo Laguna são esgotados e um acidente se torna inevitável, os dispositivos e recursos de segurança passiva desenvolvidas pela Renault entram em ação, preservando ao máximo a integridade física dos seus ocupantes.
A estrutura do Novo Laguna é inédita. Cerca de 70 Kg do peso total da carroceria são de aço com alto limite de elasticidade (THLE), o que possibilita ao veículo atingir valores de rigidez duas vezes e meia superiores ao aço convencional, melhorando sensivelmente a absorção de energia durante a colisão.

A existência de múltiplos reforços distribuídos por vários pontos da carroceria, que aumentam de 350 kg para 400 kg o peso total da carroceria, e a compactação de diversos componentes do conjunto motriz, permitiu otimizar a arquitetura da carroceria e melhorar a distribuição dos esforços.


No caso de choque lateral, a coluna central foi reforçada por um revestimento composto de três chapas, cuja espessura total não ultrapassa 4,3 mm. Esta rigidez permite uma melhor distribuição da energia do impacto na travessa do teto e na longarina do assoalho.
O Novo Laguna foi o primeiro automóvel da marca a contar com todos os benefícios do novo Dispositivo de Retenção Programada Renault, desenvolvido pela empresa e sem similares no mercado. Este dispositivo agrupa os novos air bags adaptáveis, cintos de segurança com limitador de esforço e a adoção de dois pré-tensionadores para o assento do motorista (ao invés de um pré-tensionador instalado habitualmente).
Os passageiros de trás tem à sua disposição três cintos de três pontos, sendo que os cintos das laterais, a exemplo dos dianteiros, possuem limitadores de esforço e pré-tensionadores pirotécnicos. Os dois lugares laterais dos assentos traseiros também estão equipados com sistema “Isofix” de retenção de assentos de crianças, que garante um boa e correta fixação desse tipo de cadeira, reforçando a segurança das crianças.
O Novo Laguna é equipado com encosto de cabeça com regulagem de aproximação nos bancos dianteiros e três encostos de cabeça reguláveis em altura (multi-posição) integrados ao banco traseiro.
A quantidade e a distribuição dos air bags por todo o carro foram alvos de vários estudos da Renault. No total, o Novo Laguna conta com dois air bags frontais com volume variável, cujo enchimento depende da intensidade e a violência do choque; dois air bags laterais para o tórax, instalados no encosto dos assentos dianteiros; e dois air bags do tipo cortina, para proteção da cabeça dos ocupantes, que estão localizados na longarina superior, cobrindo os assentos dianteiros e traseiros. A proteção oferecida por essa diversidade de air bags é complementada por uma estrutura interna de amortecimento (padding), instalado no painel das portas e que permite uma melhor proteção do tórax.
Por fim, o dispositivo anti-mergulho foi reforçado em todos os assentos e um sistema de recuo do pedal de freio diminui os riscos de ferimento nos membros inferiores – o eixo do pedal é seccionado em caso de colisões frontais severas.

Nota máxima no crash-test da EuroNCap
Nos crash-tests realizados pela EuroNCap, a mais conceituada entidade de segurança veicular da Europa, o Novo Laguna foi o primeiro automóvel a obter a nota máxima de cinco estrelas, comprovando a excelência da Renault no quesito segurança.
O EuroNCap (European New Car Assessment Program) é um consórcio independente, que reúne a maioria dos países europeus, através da associação International Testing, que agrupa 25 associações de consumidores, organizações governamentais do Reino Unido, Suécia e França, a FIA (Federação Internacional do Automóvel) e diversos Automóveis Clubes europeus.
O EuroNCap tem por objetivo testar regularmente o desempenho dos veículos no que se refere a segurança. Os resultados, indicados em quantidade de estrelas, indicam o grau de segurança do modelo e, até o lançamento do Novo Laguna, variavam de uma a quatro estrelas. Esta pontuação é determinada pelos danos causados aos passageiros da frente, em um choque frontal a 60 km/h com 40% de cobertura; em um choque lateral com impacto de uma barreira deformável a 50 km/h; em um ângulo de 90º; e um choque lateral em um poste à 29 km/h.
Os resultados obtidos pelo Novo Laguna foram tão superiores aos padrões estabelecidos – 33,1 pontos sobre um total máximo de 34 pontos – que o modelo foi o pioneiro a conquistar a classificação cinco estrelas.
Todas os recursos de segurança passiva desenvolvidos e aplicados pela Renault no Novo Laguna, tais como o Dispositivo de Retenção Programada Renault, os air bags com volume de enchimento variável e o sistema de recuo do pedal de freio em caso de colisões frontais severas, entre outros, contribuíram de forma fundamental para a classificação cinco estrelas que o Novo Laguna recebeu da EuroNCap.

Novo Laguna: tecnologia a serviço do conforto e da comodidade

O Cartão Renault para abertura das portas e acionamento da partida do motor, o novo ambiente interno, o sistema de ar-condicionado digital com regulagem de temperatura independente para motorista e passageiro, o piloto automático, o sensor de estacionamento na traseira e o teto solar elétrico são alguns dos novos equipamentos que colaboram para o bem estar a bordo do Novo Laguna.

Uma das principais inovações do Novo Laguna é o Cartão Renault, desenvolvido em parceira com a empresa Valeo, responsável pela abertura/fechamento das portas e acionamento da partida do motor. Com dimensões semelhantes a de um cartão de crédito, este dispositivo possui um telecomando por rádio-freqüência. Ao acionar uma só tecla, é possível fechar e abrir as portas, o porta-malas e a tampa de abastecimento de combustível.


Com a adoção do Cartão Renault, o Novo Laguna “aposenta” o uso de chave para ligar ou desligar o motor. Para realizar essas ações, basta o usuário introduzir o cartão em um leitor localizado no console central e, simplesmente, apertar um botão instalado no painel. Ao reconhecer o cartão, o sistema destrava o bloqueador de ignição e o travamento eletro-mecânico da coluna de direção, liberando assim o funcionamento do motor.
A partida só pode ser dada depois que o sistema decodificar e reconhecer o código evolutivo presente no Cartão Renault, que possui um bilhão de combinações possíveis. Enquanto o Novo Laguna está em movimento, um sistema de travamento mecânico é acionado, evitando que o Cartão seja retirado do painel e, conseqüentemente, o motor seja desligado por engano.
Na versão de acabamento Privilège, que está sendo lançada no Brasil, o Novo Laguna vem equipado com uma versão mais completa do Cartão Renault, que é o sistema “Mãos Livres”, que detecta automaticamente a presença do motorista portador do cartão quando ele se aproxima do veículo. O destravamento das portas é automático. Quando o motorista retira o cartão do leitor e afasta-se do Novo Laguna, o sistema trava automaticamente as portas. O travamento é confirmado pelo toque de um alarme (que pode ser desativado) e o duplo acendimento das luzes indicadoras de direção.
Entre os novos equipamentos que conferem um nível incomparável de conforto ao Novo Laguna, somam-se o piloto automático e o sensor de estacionamento na traseira, antes disponíveis somente nos veículos de segmentos superiores.
O piloto automático do Novo Laguna permite ao motorista manter constante uma velocidade pré-estabelecida por ele. Graças a dois botões situados no lado esquerdo do volante, o condutor pode aumentar ou diminuir essa velocidade. Caso o condutor tente ir além da velocidade fixada, o pedal do acelerador torna-se inativo.
Nos casos em que é necessário exceder a velocidade pré-determinada, como numa ultrapassagem, por exemplo, basta exercer uma pressão maior no pedal do acelerador para que o limitador seja inibido, permitindo ao motorista atingir a velocidade desejada. Após a realização da manobra, o dispositivo detecta automaticamente a desaceleração do veículo e entra novamente em funcionamento, limitando a velocidade do Novo Laguna ao valor pré-estabelecido.
O ar-condicionado eletrônico com regulagem independente de temperatura para motorista e passageiro, disponível como item de série no Novo Laguna é mais um destaque desse automóvel. Esse sistema possui dois sensores, um de exposição ao sol e outro de toxicidade. Esse último inicia o processo de reciclagem do ar do habitáculo, quando elementos poluentes (Monóxido de Carbono e Gás Carbônico) são detectados.
Para evitar aumento no consumo de combustível, esse sistema de ar-condicionado utiliza um compressor com cilindrada váriavel, comandado eletronicamente. Graças a esse dispositivo, foi possível otimizar o resfriamento de acordo com as necessidades térmicas do habitáculo, evitando forçar demasiadamente o conjunto e, conseqüentemente, inibindo um acréscimo no consumo de combustível.
Outro equipamento que auxilia a condução do motorista e que está disponível no Novo Laguna Grand Tour é o sensor de obstáculos na traseira (sensor de estacionamento). Com ele, o motorista é informado sobre a proximidade de um obstáculo através de um sinal sonoro, que aumenta de intensidade à medida que o carro vai se aproximando desse obstáculo, o que facilita a realização da manobra de estacionamento.

Multiplexagem
A presença cada vez maior de componentes elétricos e eletrônicos nos veículos, requerem um acréscimo no número de fios e conectores, o que, conseqüentemente, aumenta o peso do veículo e o risco de falhas. Para evitar esta situação, o Novo Laguna utiliza a tecnologia de Multiplexagem.
A Multiplexagem tem como objetivo reunir em um único chicote informações provenientes de vários componentes elétricos e eletrônicos. Essa espécie de “estrada” transporta as informações para uma Unidade Central do Habitáculo (UCH), onde os dados são analisados em alguns casos, em outros são compartilhados, para que os componentes por eles interligados funcionem da melhor maneira possível, de acordo com a exigência da ocasião.
Com a tecnologia da Multiplexagem é possível colher mais de 250 informações diferentes simultaneamente e mais de 3.000 dados por segundo em um mesmo circuito. Além disso, a quantidade de fios e conectores necessários para interligar os diversos componentes eletrônicos é super reduzido e, conseqüentemente, diminui o peso do veículo.
A codificação das informações ocorre na linguagem CAN (Controller Area Network). Cada dado que circula no chicote central é analisado por todos os calculadores ligados a ele. Dependendo do conteúdo deste, o calculador decide utilizar ou não a informação.
Entre os sistemas interligados na tecnologia da Multiplexagem estão o rádio CD Player, o bloqueio da coluna de direção, o leitor do Cartão Renault, a caixa de câmbio automática Proactive, os freios ABS, a bateria, os air bags, entre outros.

Os mais modernos equipamentos de conforto e bem-estar estão disponíveis no Novo Laguna

O interior do Novo Laguna segue um caminho totalmente oposto ao dos concorrentes do segmento M2, sintetizando todos os valores da marca Renault: convivência, habitabilidade e luminosidade.

O Novo Laguna não foi concebido somente para ser um veículo extremamente seguro. Entre as suas qualidades estão um desenho moderno, tecnologia e conforto interno. O padrão de conforto do Novo Laguna começa no acesso ao interior da cabine. As quatro portas possuem um grande ângulo de abertura, facilitando a entrada de todos os ocupantes do veículo.

Ao entrar no Novo Laguna, nota-se o requinte e o conforto do modelo. Os bancos possuem desenho ergonômico e são revestidos em couro de cor cinza. O acabamento em couro também está presente na forração dos painéis das portas, manopla do câmbio e volante, ampliando ainda mais o requinte do modelo.


A busca pela melhor posição de dirigir é facilitada pelo ajuste em altura e em profundidade da coluna de direção e pelos comandos elétricos situados na lateral dos bancos dianteiros (altura, distância do banco em relação aos conjunto de pedais e inclinação do encosto).
Após encontrar a melhor posição de dirigir no Novo Laguna, o motorista poderá desfrutar de toda a tecnologia, ergonomia e comodidade do painel de instrumentos. Com desenho suave, graças a adoção de linhas curvas que prolongam-se até as laterais internas das portas dianteiras, o painel do Novo Laguna invoca modernidade e sobriedade.
Olhando-se da direita para a esquerda, verifica-se a existência de um amplo porta-luvas, seguido de uma área central, que integra em sua parte superior um relógio digital. Já na parte inferior do mesmo, podemos encontrar dois difusores de ar, rádio CD Player (4x30W), porta-objetos, porta-copos (esses três últimos estão protegidos por uma tampa deslizante), os comandos do ar-condicionado automático com regulagem independente e o leitor do Cartão Renault.
Essa parte central parece deslizar-se para o assoalho do veículo, formando um console entre os dois bancos dianteiros. Neste console, estão instalados o acendedor de cigarros, cinzeiro, manopla do câmbio, alavanca do freio de estacionamento e um apoio de braço, com porta-objetos embutido.
Ainda no painel, encontra-se um amplo e moderno quadro de instrumentos. De fácil visualização, esse quadro fornece ao motorista as mais diversas informações sobre o funcionamento e o desempenho do Novo Laguna, combinando mostradores analógicos (conta-giros, velocímetro, temperatura de água e nível de combustível), com tela de cristal líquido (hodômetro total/parcial e computador de bordo, com dados sobre a temperatura externa, entre outros) e mostradores luminosos, como as luzes indicadoras de freio de mão acionado, indicador de luzes acesas, etc.

A luminosidade interna do Novo Laguna é garantida pela existência de um amplo e moderno teto solar. De acionamento elétrico, esse teto solar possui inúmeros estágios de abertura, permitindo ajustar o grau de luminosidade.


O Novo Laguna possui inúmeros porta-objetos, instalados em diversos pontos do veículo, tais como: painéis de porta, abaixo do volante, console central e compartimentos embaixo dos bancos dianteiros. Esta ampla gama de espaços para acomodações de objetos, ilustra a praticidade e a funcionalidade do interior do novo modelo.

Versão Privilège
A Renault do Brasil está trazendo inicialmente para o país, a versão completa de acabamento, denominada Privilège. Esta versão, topo de linha do Novo Laguna, disponibiliza o que há de mais moderno em termos de conforto, segurança, comodidade, tecnologia e bem-estar a bordo.
A versão hatch do Novo Laguna traz como itens de série: ABS+AFU; bancos dianteiros com regulagem elétrica e memória de ajustes; Cartão Renault com comando de rádio-freqüência para travamento central das portas, porta-malas, tampa do combustível e liberação do funcionamento do motor; computador de bordo; cortina pára-sol manual no vidro traseiro; desembaçador e limpador do vidro traseiro; direção hidráulica progressiva; espelhos retrovisores rebatíveis eletricamente; faróis dianteiros de xenôn com regulagem de altura e esguicho de água; faróis de neblina e rádio CD Player AM/FM (comando satélite no volante).
Também fazem parte do pacote de itens de série dessa versão o revestimento em couro (banco, painéis de porta, manopla do câmbio e volante); rodas de liga leve de 16 polegadas; vidros verdes de acionamento elétrico e função anti-esmagamento; travamento automático das portas a partir de 6 km/h e piloto automático, entre outros.
Já na versão Grand Tour do Novo Laguna, além destes itens, são de série o sensor de estacionamento, banco traseiro bi-partido (1/3 - 2/3) e abertura do vidro da tampa do porta-malas.
Promover uma melhor interação entre o homem e a máquina faz parte da filosofia da Renault. Assim, a operação de todos os recursos do Novo Laguna é extremamente simplificada.

Motor V6 e câmbio automático Proactive reforçam o prazer de dirigir do Novo Laguna

O prazer de dirigir é um importante fator na decisão de compra de um automóvel, principalmente neste segmento do mercado. Por isso, a equipe de engenharia da Renault considerou todos os aspectos possíveis nesse sentido: desempenho, acústica, conforto, dirigibilidade e consumo de combustível, optando por equipar o Novo Laguna com as últimas tecnologias e inovações nos quesitos motor, câmbio e suspensão.

O Novo Laguna chega ao mercado brasileiro e desembarca no país equipado inicialmente com motor V6 de 3.0 litros e 24 válvulas, que desenvolve 210 cv de potência (152 kW) a 6.000 rpm e seu torque atinge 29,5 mkgf (285 Nm) a 3.750 rpm, sendo que 90% desse valor está disponível a partir de 2.500 rpm.


Para o segundo trimestre de 2003, está prevista a chegada de uma versão equipada com o motor 2.0 16V, o mesmo que hoje equipa o Scénic e o Mégane Sedan, que atinge potência de 138 cv a 5.500 rpm e torque de 19,2 mkgf a 3.750 rpm.
Ambos os motores beneficiam-se de inúmeras tecnologias que melhoram o desempenho e priorizam o conforto ao dirigir. Algumas delas foram desenvolvidas e aprimoradas no melhor campo de provas existente: as pistas de corridas.
Um dos exemplos é a adoção do acelerador eletrônico, tecnologia semelhante a usada na equipe Renault de Fórmula 1. Nesse sistema, o cabo do acelerador que comandava mecanicamente a abertura do borboleta do corpo de injeção, foi substituído por um sensor eletrônico, que mede, em tempo real, a posição do pedal do acelerador. Esta informação é enviada para um pequeno motor elétrico, ligado a borboleta do corpo de injeção, que comanda a entrada de ar no coletor de admissão. Com isso, o tempo de resposta do motor ao comando do motorista é menor, além de aumentar o rendimento e permitir um toque constante em qualquer regime de funcionamento.

Motor V6 3.0 24V
Denominado internamente L7X, o motor V6 3.0 litros que equipa o Novo Laguna foi desenvolvido pela Renault em parceria com o grupo PSA Peugeot Citroën, beneficiando-se de constantes evoluções, que aumentaram o seu desempenho e reduziram o consumo de combustível. Em relação à versão anterior, de 194 cv, as modificações concentraram-se, principalmente, no cabeçote do motor.
O cabeçote do L7X, do tipo fluxo cruzado, possui duplo comando de válvulas com controle variável de abertura das válvulas de admissão. Além dessa mudança na configuração do cabeçote do motor, o L7X teve as suas câmaras de combustão redesenhadas e o coletor de admissão possui seis dutos que se dividem em dois na entrada de cada um dos seis cilindros. Todas essas alterações resultaram na melhora da queima de combustível, além de agilizar a entrada do ar nas câmaras de combustão.

Os índices de consumo de combustível e os níveis de emissões de CO2, ambos em ciclo misto europeu (cidade e estrada), sofreram um redução de aproximadamente 10%. Com isso, o Novo Laguna percorre 8,6 km/l no ciclo urbano e 13,3 km/l na estrada.


O motor V6 3.0 do Novo Laguna já está homologado para a norma ambiental Euro 3 (Euro 2000), umas das mais rigorosas do mundo. Porém, os níveis de emissões alcançados pelo L7X o credenciam para os índices pré-estabelecidos da Euro 4 (Euro 2005), antecipando-se, portanto, a data de entrada em vigor da mesma.
O motor L7X foi projetado para trabalhar em conjunto com a caixa de câmbio automática auto-adaptativa, batizada de Proactive. Este câmbio automático de cinco marchas que a Renault está utilizando no Novo Laguna modela-se ao estilo de condução do motorista.
Enquanto uma caixa automática tradicional possui duas programações para passagem das marchas (que podem ser classificadas de econômica ou esportiva), a caixa Proactive dispõe de nove programas diferentes, que vão desde uma condução mais suave até uma performance mais esportiva.
Um calculador "inteligente" avalia, a todo instante, qual a melhor marcha para cada situação, em função do estilo de condução do motorista, utilizando-se de parâmetros como rotação do motor, velocidade do acionamento do pedal do acelerador, velocidade do carro e carga do veículo.
Diferentemente da versão que equipa o Scénic Automático, a caixa de câmbio automática Proactive instalada no Novo Laguna permite ao motorista realizar a troca seqüencial das marchas. Para tal, basta mover a alavanca de câmbio para esquerda e empurrá-la em direção ao painel de instrumentos toda vez que for engatar uma marcha superior (1ª, 2ª, 3ª...). Para redução, é necessário deslocar a manopla no sentido contrário.
Como em toda transmissão automática, o sistema permite o retardamento da passagem de marcha mantendo um regime elevado de rotação do motor ou até mesmo uma redução de marcha quando o pedal do acelerador é pressionado até o fundo – recurso conhecido como “kick-down”. A grande diferença no Novo Laguna é que, neste caso, o calculador da caixa de câmbio (que é ligado ao calculador do motor) faz a redução num tempo menor, quase instantaneamente.
Além disso, o calculador analisa se há a necessidade de redução de mais de uma marcha, realizando essa operação automaticamente, proporcionando maior segurança nas ultrapassagens.
Outro recurso importante da caixa Proactive é o dispositivo de condução em pisos de baixa aderência, acionado por um botão localizado no painel. Com a marcha selecionada em Drive (D), este sistema permite que o Novo Laguna saia da imobilidade em 2ª marcha ao invés de 1ª marcha, evitando que o veículo patine ao trafegar por um terreno escorregadio, como lama, grama molhada ou neve. A caixa automática do Novo Laguna permite também limitar a passagem até a 2ª marcha (posição 2), ou até a 1ª marcha (posição 1), caso o motorista se encontre em situações que exijam mais força do motor, como em subidas muito íngremes.
A caixa Proactive também incorpora importantes dispositivos de segurança. A partida do carro ocorre apenas com a alavanca de câmbio nas posições P (Park) ou N (Neutro), ainda assim com o pedal do freio pressionado. Já a seleção das marchas D (Drive) ou R (Ré) deve ser feita exclusivamente com o veículo parado e o pedal de freio acionado.

Em caso de pane, o motorista é avisado por um sinal no painel. Com isso, o veículo passa a utilizar um “programa de emergência”, que permite ao carro rodar apenas em 3ª marcha, para que o mesmo possa ser levado com segurança à concessionária mais próxima.


Produzida na França, essa caixa automática é exportada para o México, países da Europa e do Mercosul. A caixa Proactive foi desenvolvida para atingir uma durabilidade mínima de 150 mil quilômetros e apresenta a vantagem de não ser necessária a troca do óleo de câmbio.

Suspensão e direção
Se o conjunto motriz é um fator importante no que se refere à performance dinâmica de um automóvel do porte do Novo Laguna, a arquitetura das suspensões e da direção é um elemento chave na dirigibilidade do carro. O Novo Laguna ganhou um conjunto de suspensão e direção completamente novos em relação ao do seu antecessor, o que resultou num acréscimo considerável em termos de conforto de rodagem, isolamento acústico e dirigibilidade.
O eixo dianteiro possui uma arquitetura do tipo pseudo-McPherson. Com o objetivo de reduzir o consumo e oferecer um melhor funcionamento dinâmico, reduções de carga (ganho de 10 kg) foram realizados nos diversos pontos que compõem o eixo dianteiro. O braço de suspensão inferior utiliza a tecnologia monochapa, substituindo o ferro. Os amortecedores e o curso da barra estabilizadora sofreram mudanças, as molas helicoidais são produzidas em aço com maior limite elástico e as novas rodas de alumínio, que são 30% mais leves que as rodas produzidas normalmente com o mesmo material, fazem parte das mudanças que contribuíram para a redução de peso do conjunto.
A suspensão traseira adota um eixo flexível, em forma de “H”, que permite enormes avanços em termos de conforto, comportamento e redução de peso. Esse novo eixo é, aproximadamente, 20 kg mais leve que um eixo traseiro do tipo multi-braço.
Outra inovação da suspensão traseira está nas articulações da mesma. Elas permitem a fixação do conjunto, ao mesmo tempo que contribuem para filtrar as vibrações transmitidas da roda para a carroceria. Estas articulações, com eixo vertical, de tecnologia hidráulica, utilizam mancais com alvéolos, que permitem rigidez, tanto longitudinalmente, como transversalmente. Graças a essa tecnologia, o Novo Laguna possui um perfeito equilíbrio entre conforto e comportamento, sem que isso represente redução do alto nível de dirigibilidade do modelo.
Outro elemento importante para a segurança e o conforto do Novo Laguna é a direção hidráulica variável. Comandada eletronicamente, a direção é endurecida proporcionalmente a velocidade do Novo Laguna, o que permite um condução segura e reações imediatas aos comandos realizados no volante.
De forma complementar e visando otimizar o conforto acústico, a Renault realizou um trabalho muito intenso neste sentido. Entre as ações tomadas, pode-se destacar a melhora na absorção das vibrações do conjunto motriz, vidros 1 mm mais espessos e uma vedação acústica da carroceria mais elaborada.
Outro ponto que mereceu um trabalho especial quanto a acústica, foi o sistema de escapamento do Novo Laguna. Graças a um conjunto especialmente desenvolvido para este modelo, o carro atinge 70 dB de ruído externo, índice que corresponde a metade dos níveis exigidos pela norma que regulamenta este quesito.

Segurança patrimonial e manutenção simplificada são qualidades do Novo Laguna

Os cuidados com a segurança anti-furto fazem parte dos requisitos do Novo Laguna, desde o início do seu desenvolvimento. Todos os mecanismos estão protegidos por molduras e são ativados por meio de cabos, o que torna mais difíceis as tentativas de arrombamento.

Graças à adoção do Cartão Renault, o Novo Laguna apresenta um mecanismo de bloqueio de ignição completamente diferente dos sistemas disponíveis atualmente no mercado. Antes de cada partida, o cartão e seu leitor instalado no painel de instrumentos trocam informações mutuamente. A liberação da coluna de direção acontece após uma primeira troca de informações entre o cartão e o leitor. Já a partida, só ocorre depois da liberação da coluna de direção e após uma segunda conversação entre as duas peças.


Além desses cuidados para a liberação da coluna de direção e da partida do motor, o Cartão Renault possui um código de identificação evolutivo e o comando elétrico do bloqueio da coluna de direção está codificado. Uma placa de reforço impede o acesso direto à coluna, impedindo o arrombamento da trava da mesma.

Baixo custo de manutenção e seis anos de garantia de anti-corrosão
Além da redução do consumo de combustível, os trabalhos de desenvolvimento do Novo Laguna visaram aumentar o intervalo entre os períodos de manutenção. A troca de óleo, por exemplo, é realizada a cada 20.000 km e a substituição das velas a cada 120.000 km e do filtro de ar a cada 40.000 km.
Outro ponto a ser observado é a maior longevidade das peças que apresentam desgaste natural, tais como: escapamento (produzido em aço inox), amortecedores e pastilhas de freios. Por fim, o custo de manutenção do Novo Laguna foi reduzido em aproximadamente 40% em relação ao seu antecessor.
Paralelamente, os custos de conserto de pequenos choques foram reduzidos. Em função da redução do número de peças da carroceria, o tempo de reparação da carroceria foi dividido por quatro. Isso permitirá ao Novo Laguna ter um preço de seguro mais competitivo em relação ao modelo anterior.
Finalmente, o Novo Laguna propõe uma garantia anti-corrosão de seis anos. A carroceria é totalmente galvanizada e complementos de cera são aplicados nas partes ocas. O berço do motor também é galvanizado, enquanto os eixos e o escapamento também receberam maior proteção.


© Renault – Departamento de Imprensa





©aneste.org 2017
enviar mensagem

    Página principal